Blitz em Urussanga aponta irregularidades no transporte de mercadorias

O programa com “Nova Fiscal vai Legal”, que fiscaliza o transporte de mercadorias sem nota fiscal, realizou operação na manhã do dia 19 de junho em Urussanga, na Rodovia SC-108. No total, 95 veículos foram abordados, sendo que 12 transportavam mercadoria sem nova fiscal, alcançando média de 22,65% dos veículos abordados irregulares. Este índice está acima da média dos últimos anos.

Para o coordenador do programa, Ailson Piva, os números de irregularidades são altos e preocupam. “O transporte de mercadoria sem nota prejudica os municípios, já que impacta no retorno de ICMS. Menos recursos para prefeituras investirem no município”, alerta.

Os índices médios registrados nestes quase quatro anos de fiscalização são atingiram 17,34% em 2015, 22,31% em 2016 e 22,58% em 2017. Neste ano, a média até o momento é de 23,56%. A blitz contou com a presença de fiscais municipais, da fiscalização fazenda estadual, técnicos dos AMREC e o apoio da Policia Militar Rodoviária.

Comunidade de Rancho dos Bugres diz não a estadualização

Moradores da localidade de Rancho dos Bugres decidiram em reunião realizada na noite de quarta-feira, dia 20, pela não estadualização do trecho pertencente à Urussanga da Rota dos Imigrantes, que liga os municípios de Urussanga e Pedras Grandes. A reunião ocorreu no salão da igreja da comunidade e contou com a participação do prefeito de Urussanga, Gustavo Cancellier, vice-prefeito Décio Silva, presidente do Legislativo de Urussanga, Odivaldo Bonetti, vereadores de Urussanga, José Carlos José e Braz Cizeski, vereador de Pedras Grandes, Vilmar Della Bruna, e moradores.

O prefeito esclareceu que o município já tem um projeto de pavimentação asfáltica de 2,5 quilômetros que pode ser executado com fundos próprios ou verbas de emendas federais, já que com a instalação consorciada da usina de asfalto o custo da obra seria reduzido em quase 60%.

Para o vice-prefeito Décio Silva, a estadualização da rodovia poderia inviabilizar a sua pavimentação a curto e médio prazo, causando um problema ainda maior para a população, visto que a manutenção da via seria obrigação do Governo de Santa Catarina.

A rodovia que liga Urussanga a Siderópolis foi citada como exemplo. Há mais de uma década ela foi estadualizada e até os dias atuais não recebeu a pavimentação prometida pelo Estado, além do Governo raramente promove a manutenção do trecho e deixa a rodovia em estado precário de trafegabilidade.

Representando o município de Pedras Grandes, o vereador Vilmar Della Bruna defendeu a estadualização de toda a extensão da rodovia, alegando que os dois municípios teriam mais peso político para reivindicar junto aos canais competentes a pavimentação entre Urussanga e Pedras Grandes.

No entanto, os moradores preferiram que o trecho urussanguense continuasse com o município, pois a população da comunidade de Rancho dos Bugres está cansada de conviver com a poeira e a lama na parte não pavimentada.

“Nós sofremos durante anos com a poeira e lama. Agora temos uma oportunidade real de solucionarmos o problema. A estadualização poderia significar mais algumas décadas de sofrimento com esta situação”, salientou o morador Everaldo Savi Mondo, o Dado.

Energia elétrica: ANEEL responde questionamentos do Legislativo de Urussanga

Vereadores integrantes da comissão especial do Legislativo de Urussanga responsável por acompanhar assuntos referentes à comercialização e a distribuição de energia elétrica na cidade, criada em 2017, e seus assessores parlamentares convocaram a imprensa local na manhã de quarta-feira, dia 21, para apresentar um importante documento enviado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL).

O conteúdo do material expõe respostas da ANEEL ligadas a questionamentos enviados em novembro de 2017 pelo presidente desta comissão especial do Legislativo, Jair Nandi a fim de entender o cenário atual. Em reunião com a imprensa, Nandi apresentou os documentos e esclareceu o retorno dado pela autarquia, que respondeu mais de 20 perguntas.

Os primeiros questionamentos foram referentes ao critério para a definição das poligonais, ou seja, delimitação da área de atuação estabelecida no contrato de adesão, bem como redução desta área de abrangência. A ANEEL explicou que esta alteração só ocorre com documento formalizado de comum acordo entre os envolvidos e com a posterior anuência da autarquia.

A comissão especial do Legislativo de Urussanga também perguntou a ANEEL a respeito da criação de uma cooperativa por parte do município e a autarquia esclareceu que não existe comando legal que trate da criação de novas cooperativas de eletrificação rural.

Sobre a possibilidade do valor da tarifa ser impactado pelo pró-labore (remuneração do trabalho realizado por sócio) e distribuição de lucros, a ANEEL afirmou que “a remuneração da concessionária não é garantida e depende diretamente da gestão eficiente desses custos. Logo, a tarifa de energia da distribuidora não é impactada diretamente pela variação da remuneração de seus diretores ou eventual participação em lucros na empresa.”

MUDANÇA NA COMPRA DE ENERGIA PODE SER ALTERNATIVA PARA REDUÇÃO DE VALORES 

O Legislativo de Urussanga questionou a ANEEL sobre a possibilidade de compra de energia elétrica diretamente no mercado através de uma central e quais seriam os critérios. A autarquia sinalizou de forma positiva para esta alternativa, salientando formas de contratação, a exemplo de leilão, bem como afirmou que a distribuidora de energia pode desenvolver atividade de geração.

“A concessionária tem a opção de comprar energia em outros ambientes e de outra distribuidora, o que pode vir a reduzir esse custo e atrair novos consumidores para o mercado cativo”, expõe o documento.

A ANEEL repassou a informação de que atualmente a Empresa Força e Luz de Urussanga (EFLUL) realiza a compra de energia da Centrais Elétricas de Santa Catarina (CELESC) e que este custo contribui de modo significativo para o alto valor das tarifas. Além disso, a autarquia abordou outro impacto: a migração de consumidores.

No documento, a ANEEL explica que “no caso específico do valor das tarifas da Eflul, verifica-se que toda energia adquirida para atendimento de seu mercado ocorre por intermédio de um contrato firmado com a distribuidora Celesc, ao custo de R$ 251,27/MWh, ao passo que outras distribuidoras, localizadas na mesma região e com mercado inferior a 500GWh/ano, são supridas ao custo médio de cerca de R$ 155,00/MWh. Logo, fica evidente que este custo contribui, significativamente, para o elevado valor das tarifas da distribuidora. Aliado a isso, foi observado que desde o ano de 2016 a Eflul vem sendo impactada por migrações de consumidores cativos para o mercado livre. Como resultado, a participação do segmento livre passou de 43% para cerca de 62% de seu mercado total. Assim, dada a estrutura tarifária vigente, essas migrações tiveram impacto significativo na alocação de custos entre as classes de tensão.”

De acordo com o presidente da comissão especial do Legislativo, Jair Nandi o próximo passo será uma visita a Celesc para debater sobre o assunto. “Entendemos que a Eflul possa comprar da Celesc devido à questão de diminuição de riscos. A ANEEL disse que pode desde que seja para atender o mercado próprio e não exceder. Dados apontam que o serviço prestado pela Eflul é de muita qualidade e agilidade. Observamos o quanto é difícil manter um trabalho desse caso a empresa fornecedora seja de fora. Por isso é importante buscarmos uma solução”, pontuou Nandi.

NA ÚLTIMA DÉCADA, EFLUL PAGOU QUASE R$ 20 MILHÕES DE CDE, VALOR QUE COBRE O DESCONTO REPASSADO ÀS COOPERATIVAS

Números que chamaram a atenção da comissão especial do Legislativo de Urussanga foram os dados que compõem a tarifa da EFLUL. Uma tabela enviada pela ANEEL especifica os encargos setoriais. Dentro deles está a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) e o Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica (PROINFA).

Juntos, estes dois elementos são os que mais causam impacto dentro da tarifa aplicada pela EFLUL. É a tal da CDE que sustenta os descontos concedidos às cooperativas de eletrificação rural. Somente em 2017, a EFLUL teve que repassar R$ 4,1 milhões à CDE, sendo que em 2008 o repasse foi de R$ 495 mil.

Nos últimos dez anos, o valor aumentou em 10 vezes e a EFLUL pagou, entre 2008 e 2017, quase R$ 20 milhões à Conta de Desenvolvimento Energético (CDE).

Para o presidente da comissão especial do Legislativo, Jair Nandi as respostas encaminhadas pela ANEEL irão auxiliar no prosseguimento dos estudos a fim de solucionar questões envolvendo a energia elétrica em Urussanga. “Do ponto de vista de ligado a Legislação, não é impossível. Porém é um longo caminho e é preciso força política. Hoje a bancada de deputados que defende os descontos dados às cooperativas é representada por mais de 300, do total de 500 que atuam. Nós temos apenas 16 deputados federais catarinenses para entrar nesta luta conosco, que beneficiaria apenas 58 empresas concessionárias no país, o que é pouco representativo para eles. Agora com estas respostas da ANEEL conseguiremos traçar um plano de ação. Vamos fazer uma reunião com a Celesc e ver se a participação deles neste cenário pode fazer a diferença”, finaliza.

 

Diretoria de agricultura segue com o trabalho de silagem em Urussanga

Mesmo com a chegada do inverno nesta quarta-feira, dia 21, os trabalhos de silagem na agricultura seguem sendo realizados em Urussanga. Esta é uma ação da Prefeitura Municipal, por meio da Diretoria de Agricultura, que realiza os agendamentos junto aos agricultores e disponibiliza o equipamento para auxiliar no trabalho que é fundamental para a alimentação do gado, especialmente na época do frio. De acordo com os dados da diretoria de agricultura, neste primeiro quadrimestre de 2018, já foram realizadas 305 horas de trabalho principalmente junto aos produtores de leite e criadores de gado especialmente do interior do município.

“Este é um trabalho que atende uma demanda importante dos nossos agricultores. Estamos com as solicitações em dia e isso faz uma grande diferença especialmente agora que estamos chegando na estação mais fria do ano e é necessário garantir a alimentação dos animais”, explica o diretor de agricultura de Urussanga, João Batista Bom.

O período de silagem vai de janeiro a agosto e segue um cronograma de agendamento. Os agricultores que necessitam realizar o processo de silagem devem entrar em contato com a Diretoria de Agricultura de Urussanga, pelo telefone 3465-0627.

Vereadores ouvem moradores em sessão itinerante realizada no Bairro De Villa

Os vereadores de Urussanga realizaram na terça-feira (19), a primeira sessão itinerante do ano. A reunião foi realizada nas dependências do centro de múltiplo uso do Bairro De Villa e reuniu a comunidade local. Durante a sessão foi disponibilizado espaço para que representantes dos bairros Bom Jesus, De Villa, Dois Rios, São Pedro e Rio Carvalho usassem a tribuna e apresentassem as suas reivindicações

O presidente da Associação de Moradores do Bairro Rio Carvalho, João Batista Pereira usou o espaço para solicitar melhorias na drenagem de estradas e manutenção de entradas nas propriedades da comunidade. Ele sugeriu a contratação de um funcionário em parceria com a Associação para cuidar exclusivamente da manutenção da estrada do Bairro. Além disso pediu a instalação de iluminação pública em trecho da Rodovia Genésio Mazon desprovido do serviço e também a colocação de lombadas para garantir a segurança dos moradores.

O morador Gilson Meneghel falou em nome dos moradores do Bairro de Villa e apresentou abaixo-assinado solicitando a contratação de uma técnica em enfermagem para atender diariamente na unidade de saúde da comunidade. Pediu ainda o apoio dos vereadores para a manutenção no calçamento de lajotas e a conclusão da pavimentação de trechos da Rua Durval Perito.

Plano para redução de tarifa de luz abre disputa entre ministérios

Um plano do Ministério de Minas e Energia para reduzir as contas de luz por meio do corte de subsídios embutidos nas tarifas de energia tem enfrentado resistência de alguns setores antes beneficiados pelas políticas de incentivo e também dentro do governo, um sintoma da disputa por verbas públicas em um ambiente de déficit fiscal.

A Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), um fundo abastecido por um encargo tarifário, irá consumir R$ 18,8 bilhões neste ano para custear políticas que incluem descontos para clientes de baixa renda.

Também serão beneficiadas empresas de serviços públicos de água, esgoto e saneamento e consumidores rurais que usam serviços de irrigação, entre outros.

Para reduzir essa conta, que tem crescido nos últimos anos, técnicos da pasta de Minas e Energia sugeriram medidas que incluiriam um corte gradual aos benefícios.

Esses cortes atingiriam os consumidores rurais e do setor de água e saneamento, além de uma redução no universo de famílias que podem ter acesso à chamada “tarifa social”, uma taxa mais barata para famílias com menor renda.

Mas as propostas sofreram críticas em uma consulta pública realizada pela pasta, que incluíram até questionamentos do Ministério das Cidades, que defendeu a manutenção de um desconto de 15% nas tarifas concedido às empresas de água e esgoto.

A pasta de Minas e Energia quer reduzir em 20% ao ano o benefício do segmento, que custou R$ 694,3 milhões em 2016.

Previsões mostram inverno propício para agricultura e comércio

O inverno iniciou ontem, dia 21, com o registro da noite mais longa do ano. As previsões mostram temperaturas mais baixas em relação a 2017, conforme o climatologista e engenheiro agrônomo da Epagri de Urussanga, Márcio Sônego.

A estimativa para 2018 é de um inverno típico de clima subtropical, sem influência dos gigantes fenômenos El Niño (calor) e La Ninã (frio). “Vai predominar o bom tempo, com frequente formação de nevoeiros na madrugada e começo da manhã e, pouco vento. A umidade relativa do ar aumenta no inverno de Urussanga para a média de 82%. Porém, é também nesta época que acontecem picos de umidade baixa de até 25% nas tarde ensolaradas sob influência da massa de Ar Polar, em dias de pele muito seca.”, conta Sônego.

As chuvas serão mal distribuídas nesse período, mas não existe perigo de estiagem. “Apesar da predominância de dias secos, essa é uma época do ano que apresenta pouca perda de água do solo e da vegetação por evapotranspiração”, ressalta Sônego.

A previsão também é de ondas de frio ainda em julho, agosto e até mesmo setembro. “A temperatura terá alternância em dias frios, quando da entrada da massa de Ar Polar, intercalada com semanas mais quentes. A estimativa é de quatro geadas na região. Portanto, inverno bom para o comércio e bom para a agricultura”, salienta o climatologista.

Para Sônego, de maneira geral, todas as culturas se beneficiarão neste inverno. “Haverá certo acúmulo de horas de frio abaixo de 7,2°C, bom para as parreiras, pêssegos e ameixas. As geadas não serão tão fortes a ponto de matar os bananais. E as pastagens terão umidade suficiente para crescimento, a não ser em locais de baixada onde a geada poderá prejudicar”, informa.

Recentemente uma notícia espalhada por todas as redes sociais afirmava que o inverno de 2018 seria o mais rigoroso dos últimos 100 anos, o que segundo o climatologista, mostra-se completamente falsa. “Não se sabe quem circulou está informação, sem fundamentação, pois invernos mais rigorosos costumam acontecer em anos de fenômeno La Niña. Este mês já houve recorde em Urussanga, mas da temperatura mais alta em junho desde 1924 com 34,3°C no dia 11.”, finaliza.

Dados médios do inverno em Urussanga:

– Temperatura mínima média (madrugada): 10°C
– Temperatura máxima média (tarde): 23°C
– Temperatura média diária (dia/noite): 15°C
– Chuva média mensal: 110 mm
– Umidade relativa do ar média: 82%

Urussanga terá mutirão de castração

A ONG Raça, em parceria com a Prefeitura de Urussanga, FAMU e SOS Bicho Urbano, está organizando o 2º Mutirão de Castração voltado para cães e gatos. A ação acontecerá na próxima semana, nos dias 30 de junho e 1º de julho, no Parque Municipal.

O valor de cada castração custará R$ 100 por animal, sendo o pagamento em dinheiro no ato da inscrição que deve ser feita na Bella Forma Estética, próximo ao antigo Móveis Pérola.

“O mutirão será aberto para cães e gatos de todos os Municípios, mas as inscrições direcionadas aos animais de Urussanga já encerraram, pois temos limite de vagas. Para garantir a vaga, as pessoas devem entrar em contato com a ONG Raça pelo telefone 48 99636 1175 e agendar dia/horário para realizar a inscrição, trazer documentos de RG, CPF e Comprovante de Residência, bem como cópias dos documentos. A pessoa deverá preencher os termos e efetuar o pagamento da cirurgia no ato da inscrição”, explica a integrante da ONG Raça, Josiane Bonetti.

A medicação custará R$ 20 e a roupa cirúrgica também terá o valor de R$ 20, sendo que estes pagamentos devem ocorrer no ato da inscrição. Os felinos necessitam ter a caixinha de transporte e os cães devem estar com a guia. Os responsáveis precisam levar uma coberta para cada animal usar no pós-operatório. As fêmeas não podem estar prenhas, mas podem realizar a cirurgia no cio. Os animais devem estar devidamente saudáveis.

Cleiton Salvaro presta contas a Urussanga

A partir desta segunda-feira, 25, o Deputado Estadual Cleiton Salvaro (PSB) estará em Urussanga para prestar contas de seu mandato como um dos representantes do Sul na Assembleia Legislativa. Durante a semana, um material informativo de quatro páginas será distribuído às famílias. Ele faz um balanço dos projetos, obras, incentivos e investimentos em benefício dos cidadãos urussanguenses.

Ao todo foram destinados mais de R$ 1 milhão para as áreas da educação, esporte, saúde, segurança, manutenção de estradas, aquisições e APAE.

“Urussanga é o município que tenho muita estima, pois vivi e fui criado nesta cidade. Retribuir a tudo o que aprendi e a todas as oportunidades no município é o que sempre busco fazer na condição de deputado. Urussanga merece nossa atenção de forma especial e valorizar a todas as pessoas pelas conquistas e melhorias que alcançamos e destinamos juntos”, ressalta Salvaro.

Entre as ações realizadas, Cleiton proporcionou mais segurança e conforto aos alunos da escola Caetano Bez Batti, no bairro Estação, com a troca do telhado da área administrativa, destinou recurso para a reforma da quadra de esportes da escola Antonieta Quintanilha de Rio América, entregou à Secretaria de Saúde uma ambulância completa para o transporte de pacientes, contribuiu para as despesas de custeio e estoque de remédios do Hospital Nossa Senhora da Conceição, manutenção e conservação das estradas vicinais, compra de combustível para a frota municipal, aquisição de arma para a PM, construção de sede, entre outros.

Confira os recursos destinados para Urussanga

– APAE: foi realizada a doação de um veículo Parati que era de propriedade do Estado e estava sem condições de uso. Com a ajuda de parceiros e empresários, o carro foi reformado ganhando pintura completa, estofamento novo, mecânica revisada e plotagem personalizada.

– Troca do telhado do espaço administrativo da EEB Caetano Bez Batti, no bairro Estação. Valor investido: R$ 33.753,00.

– Reforma da quadra de esportes da escola da Escola de Ensino Básico, Antonieta Quintanilha de Rio América. Valor investido: R$ 66.611,79.

– Aquisição de uma ambulância para a secretaria de saúde em parceria com o deputado Marco Tebaldi, no valor de R$ 170 mil.

– Repasse de R$ 300 mil (em parceria com o Deputado federal Marco Tebaldi) ao Hospital Nossa Senhora da Conceição.

– Repasse de R$ 40 mil para a conclusão da sede social Esporte Clube De Villa.

– Repasse de R$ 270 mil para a compra de combustível para a frota municipal de Urussanga.

– Repasse de R$ 230 mil para a manutenção e conservação das estradas vicinais do município.

– Encaminhamento de 20 coletes balísticos à Polícia Militar de Urussanga em parceria com o Ministério Público.

– Aquisição de uma arma Carabinas Taurus CTT 40 de alta performance para a Polícia Militar de Urussanga.

– Através de convênio com a SANTUR, deputado Cleiton encaminhou R$ 70 mil para a organização da XVII Festa Nacional do Vinho.

Concurso italiano revela vencedores de Urussanga

Fazer os jovens conhecerem a história da imigração italiana, em particular as vivências de personagens oriundos da província de Belluno e da cidade de Longarone, a fim de manter viva a memória destes bravos é o objetivo do concurso “Angelo Fain Binda”, que chega a sua 9º edição envolvendo alunos das cidades de Urussanga e Longarone.

Este ano, com o tema “L’Emigrazione Italiana e Bellunese Nel Mondo”, mais de 30 trabalhos feitos na rede municipal de ensino de Urussanga foram enviados à Itália. Os conteúdos foram elaborados pelos por alunos do 5º ao 9º ano das escolas Lydio De Brida, Ernesto Cesar Mariot, Rosalino Damiani, Rosalino De Nez e Alda Brognoli Marcon.

Recentemente a comissão organizadora do concurso, promovido anualmente pela Associação “Bellunesi nel Mondo” e a “Famiglia emigranti ed ex emigranti del longaronese”, divulgou o resultado deste ano.

Pela escola Lydio De Brida foram premiados os estudantes Vytória Ferrarez, Vinícius Mariot Nesi e Marco Antônio Savi Mondo, tendo como destaques os alunos Lorezo Muttini Joaquim, Rafael Frasseto Barbosa, Kethyn Gastaldon, Kaylaine Furlan e Isis Morais.

Já na escola Rosalino Damiani irão receber premiação os estudantes Hérica Viana, Gabriel Viana e Marina Sorato. Pela instituição de ensino Alda Brognoli Marcon, em Rio Caeté, foram premiados os alunos Ana Julia Zanelatto Joaquim e Vinícius Scarabelot.

Na escola Rosalino De Nez, em Palmeira do Meio, o prêmio será para João Paulo Menegasso, enquanto na instituição de ensino Ernesto César Mariot serão premiados os estudantes Gabriel Luciano Macedo Buratte e Maria Luiza Dagostin Laurindo. Os demais alunos envolvidos neste concurso, sendo 21, receberão certificado de participação.

A participação de crianças e jovens urussanguenses no concurso faz parte das atividades do projeto “Somos Sujeitos Históricos: nossa história, nossa gente”, que foi criado em 2003 pela professora Liz Regina Zapelini De Bona e se mantém até os dias atuais com o intuito de resgatar e preservar a cultura italiana em Urussanga.

Escolha da corte da XVIII Festa do Vinho ocorre nesta sexta-feira

Urussanga, nesta sexta-feira, conhecerá quem serão as escolhidas que ocuparão o título de rainha e princesas da XVIII Festa do Vinho. A escola, que ocorreria em maio e precisou ser transferida devido à greve dos caminhoneiros, ocorrerá no dia 22 de junho, a partir das 20h, no Ginásio Centenário de Urussanga. Ao todo, sete jovens se candidataram para fazer parte da corte que representará o evento que ocorre de 8 a 12 de agosto de 2018.

“Estamos com tudo preparado para receber o público e prestigiar este grande evento que colocará Urussanga já em clima de Festa do Vinho. Toda a comunidade é convidada a participar e torcer pela sua candidata”, enaltece a vice-presidente da Comissão Central Organizadora da Festa do Vinho, Margareth Maria Serafin De Villa.

Ao longo de dois meses, as candidatas a rainha e princesas da festa participaram de diversos cursos de capacitação para conhecer um pouco mais da cidade e também de como receber bem o visitante que virá a Urussanga durante o evento. As atividades incluíram cursos de auto-maquiagem, etiqueta, comunicação, entre outros. O último foi realizado pela Associação ProGoethe, na segunda-feira, dia 19, e trouxe às representantes do município um pouco mais de conhecimento sobre o vinho.

Confira o nome das candidatas:

Gisliani Carniato Feltrin, 19 anos, representante da Associação ProGoethe;
Kamila Fretta Fabro, 18 anos, representante da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Urussanga e Associação Comercial e Industrial (ACIU) de Urussanga;
Kimberlin De Oliveira Dos Santos, 23 anos, representante do Ventuno Pub, Farmácia da Dalila e Meneghel Motos;
Rafaela Cancellier Ghisi, 21 anos, representante da Confraria Quatro Estações;
Sabrina Inácio Velho, 21 anos, representante da CasaMix, Amodamas, Farmácia Nossa Senhora da Conceição, Salão Beleza VIP, Luan Varnier e Supermercado Nova Itália;
Sara Servodio, 16 anos, representante da Urussanga Minérios;
Suelen Cittadin Jacintho, 18 anos, representante da Associação de Moradores do Bairro Rio América (AMBRA) e CEUSA.

Reforma da Igreja de São Pedro é finalizada

Começadas em março, as obras de reforma e revitalização da igreja de São Pedro, umas das mais antigas dos municípios, chegaram ao fim. Nos três meses que se seguiram a edificação foi contemplada com reforma de todo o forro, troca da parte elétrica, revitalização da pintura, e restauração de todos os altares, via sacra e imagens.

Apesar de ter sido edificada em 1900, pelas famílias dos colonizadores, foi a primeira vez que uma grande reforma aconteceu, contando apenas com trabalho voluntário e fundos levantados pelos membros da CAEP.

Todas as imagens de santos e os altares passaram por um exímio trabalho de reconstrução da artista sacra criciumense, Eliete da Silva, conhecida como Katurra, mantendo suas características e cores originais.

“É uma coisa boa para a comunidade, só temos a ganhar, pois estamos mantendo um patrimônio e preservando nossa história. Não adianta a comissão estar trabalhando e guardando dinheiro e não investir na comunidade”, conta Gerusa Romagna Pereira, Secretária do CAEP.

Em comemoração ao dia do Padroeiro São Pedro, será realiza por meio da CAEP festa em homenagem ao santo nos dias 20 e 30 de junho, e 1 de julho, na comunidade de São Pedro, com missas festivas e serviço completo de cozinha e bar.

Sobre a igreja

Algumas das primeiras famílias de colonizadores italianos, ao chegarem em Urussanga, se instalaram nas proximidades do atual bairro São Pedro. A primeira capela foi construída logo na chegada dos imigrantes, mas com o aumento da população edificou-se com a ajuda de todos os moradores, em 1900, a igreja que permanece até hoje. A escolha do padroeiro recordava a terra natal, pois muitos provinham de Campo San Piero, na Itália.

Rua do Loteamento Carol receberá calçamento

A Administração Municipal de Urussanga, por meio da secretaria de Infraestrutura iniciou esta semana o trabalho de abertura, terraplanagem e drenagem da Rua Humberto Freccia, localizada no Loteamento Carol. A solicitação é uma reivindicação da comunidade que, em parceria com a prefeitura, irá realizar o calçamento da via.

“Esta parceria foi sugerida pelos próprios moradores durante as reuniões que realizamos nas comunidades do município”, explica o prefeito Gustavo Cancellier.

De acordo com o secretário de obras do município, Emerson Jeremias, o trabalho deve ser concluído em no máximo duas semanas, contando com a colaboração do tempo. “Nesta rua iremos realizar 170 metros de drenagem. Todo o trabalho é realizado com recursos da própria Prefeitura. Após o trabalho na Rua Humberto Freccia, teremos uma outra onde também será realizado este trabalho em parceria, aqui no Loteamento Carol”, garante Jeremias.

Urussanga realiza 1ª Mostra de Orquídeas neste domingo

Neste domingo, dia 24, no Centro Comunitário da Igreja Matriz, Urussanga irá receber I Mostra de Orquídeas. O evento ocorrerá das 9 horas às 17 horas. A mostra é organizada pelo casal orquidófilo Junior Fenali Leopoldo e Graziane da Silva Inácio e terá julgamento de plantas expostas por cultivadores de orquídeas.

A entrada para o evento será gratuita, tendo os participantes a opção de adquirir o ingresso para o almoço que será realizado no mesmo local. O valor cobrado será de 15 reais por adulto e crianças de 5 a 10 anos pagarão 7 reais. Será servido risoto e salada, além de sorteios de orquídeas para quem prestigiar o almoço.

O objetivo é que no próximo ano a mostra seja maior, sendo estendida para dois dias de exposição. Conversamos com orquidófilos de Urussanga, Araranguá, Turvo, Torres, São João do Sul, Içara e Orleans para fazermos um grande evento em Urussanga”, conta Grazieane.

Para Júnior, a expectativa para este evento é bastante positiva. “Queremos proporcionar um evento diferenciado. As pessoas já podem esperar por um encontro com a beleza de orquídeas das mais variadas espécies, cores e perfumes. Os participantes podem também tirar dúvidas sobre o cultivo desta planta tão linda que atrai muitos olhares com os cultivadores”, explica.

Venda de ingressos para o almoço e mais informações pelos números: 99621-1605 e 99605-3885.

Unidos pelo bem

A campanha “Unidos pelo Bem” foi lançada aos colaboradores da Sônego Construções com um objetivo cheio de significado. O projeto, que tem uma natureza social, busca tanto proteger o meio ambiente quanto ajudar quem precisa. A ação consiste em “recolher” os lacres das latas de alumínio, como as de cerveja e refrigerantes, para contribuir com o meio ambiente e instituições beneficentes, já que o valor obtido com a venda dos lacres será revertido a essas instituições. Segundo o engenheiro ambiental e sanitarista da Sônego Construções Renan Benetton, “ao separarem os lacres, anteriormente descartados no lixo como material sem valor, os funcionários estarão em contato direto com o conceito de conversão de desperdício de materiais ou produtos com potencial de utilização”. Já que esse processo de reciclagem desvia os resíduos dos aterros e os reintroduz na cadeia produtiva. Todos os colaboradores receberam uma minigarrafinha para coleta dos lacres e cada uma que for completada será trocada por uma caixa de bombons. Participe desta campanha, sua atitude faz a diferença!

Indicadores e estatísticas de Urussanga chamam a atenção da classe empresarial

Uma reunião na sede da Associação Empresarial de Urussanga (ACIU) na última semana, com a participação da diretoria, mostrou um levantamento feito pela Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc) com indicadores e estatísticas da cidade de Urussanga.

Os dados foram levantados pelo economista Leonardo Alonso, do Departamento de Economia e Estatística da Facisc. As áreas apresentadas foram demografia, economia, educação e inovação, indicadores sociais, e infraestrutura e habitação. Os primeiros dados que surpreenderam os empresários foi a queda no número de empregos na cidade.

Em 2013, no ápice, Urussanga forneceu 7.341 empregos. Gráficos mostram queda nos anos seguintes e registram o número de 6.239 em 2016. Desta forma, percebe-se que a cidade reduziu 1,1 mil vagas. “Sabemos que ocorreu uma evasão de empresas no município nos últimos anos e consequentemente resultou na queda de empregos. Para melhorar a questão de emprego tem que ter a economia do país aquecida. E não está ainda. Os gráficos também mostram que a maioria das empresas é formada apenas entre 1 e 4 funcionários e depois entre 5 e 9. Já no salário nominal em 2016, o valor de Urussanga supera a média da região Extremo Sul e chega próximo ao de Santa Catarina”, comenta o presidente da ACIU, Adroaldo De Brida.

Outro ponto negativo apresentado foi o saldo de movimentação do emprego formal em 2017 por setores. Apenas a Construção Civil aparece com número positivo. Na educação, dados alertam para uma preocupação da ACIU relacionada à mão de obra qualificada.

Um gráfico mostra o percentual de pessoas de 25 anos ou mais com ensino superior. No ano 2000, Urussanga tinha apenas 4,88% de pessoas neste quesito. Já em 2010, o número quase dobrou, chegando a 9,67%, uma média acima da que foi colocada na região Extremo Sul que corresponde a área de Passo de Torres a Orleans. “Isso nos traz um pouco de preocupação no sentido de que os jovens não estejam ficando na cidade por não haver demanda de emprego para eles”, salienta.

Já nos indicadores sociais, o Índice de Desenvolvimento Municipal Sustentável em 2016 aponta que Urussanga supera a região Extremo Sul e também Santa Catarina em diversas áreas como sociocultural, econômica, ambiental e político-institucional. O IDMS é considerado pela Federação Catarinense dos Municípios uma ferramenta de apoio à gestão capaz de evidenciar as prioridades municipais e regionais e situar as municipalidades em relação a um cenário futuro desejável.

“Este números apurados pela Facisc chamaram a atenção da ACIU, principalmente em relação às quedas e situações negativas. Estamos verificando quais providencias iremos tomar e o que fazer para buscar a mudança deste cenário, bem como elencando as leis de incentivo às empresas feitas pelas Prefeituras da região. Enviamos ao Executivo este levantamento para analisar os números e depois pretendemos marcar uma reunião a fim de debater este assunto, quais medidas para solucionar os problemas e melhoras alguns números, visto que se percebe que a cidade possui bons resultados no IDH e IDMS, renda per capita, entre outros itens”, finaliza.

NÚMEROS DE URUSSANGA

*Demografia
População: 1991 – 29.882 habitantes / 2000 – 18.727 / 2017 – 21.117 (estimativa IBGE)
*Economia
Número de empresas no município: 2009 – 519 / 2014 – 623 / 2015 – 616
*Educação e Inovação
Taxa de analfabetismo (%) Pessoas com 15 anos ou mais: 7,93 em 1991 / 5,18 em 2000 / 3,24 em 2010
*Indicadores Sociais
Esperança de vida ao nascer: 73 anos em 1991 / 76,49 em 2000 / 77,54 em 2010
*Infraestrutura e Habitação
Percentual da população com água encanada: 99,24 em 1991 / 95,14 em 2000 / 91,52 em 2010

Agora é lei: Nova Veneza é a Capital Nacional da Gastronomia Típica Italiana

Acaba de ser sancionada a lei 13.678/18, de 13 de junho de 2018, que define Nova Veneza como Capital Nacional da Gastronomia Típica Italiana. A autoria é da deputada federal Geovania de Sá (PSDB/SC).

A proposta foi protocolada ainda no primeiro semestre de atuação de Geovania na Câmara. Ela justifica que a cidade é o reduto da cultura italiana no país. “A gastronomia é deliciosamente perfeita, com restaurantes que juntos chegam a servir 10 mil pratos por dia aos seus visitantes”, elenca a deputada

Ela ainda lembra que o título, além de muito merecido, chega em um momento importante. “O município completa 127 anos de colonização nesta semana e este é um grande presente para os neovenezianos que preservam as tradições italianas na região”, comemora a deputada.

Já o prefeito Rogério Frigo salienta o aspecto econômico e ressalta que a conquista vai trazer ainda mais recursos para a cidade, que passará a se destacar ainda mais no aspecto turístico do estado e do país. “E estaremos preparados para receber a todos”, completa o prefeito.

Nova Veneza tem cerca de 15 mil habitantes e é a comida típica dos colonos italianos que alavanca o turismo local, atraindo milhares de pessoas semanalmente. Os restaurantes e cafés coloniais servem o que há de melhor nesta cultura gastronômica conservada, através de gerações, pelos descendentes que chegaram na região no século XIX.

Deputada Ada De Luca propõe projeto de instalação de indicadores luminosos nas casas noturnas do Estado

A deputada Ada De Luca está propondo um projeto que determina a instalação de indicadores luminosos nas casas noturnas e de espetáculos. O objetivo é assegurar aos frequentadores a rápida identificação da rota até as saídas de emergência sem formar tumulto em casos de incêndio, como o ocorrido na Boate Kiss, em Santa Maria no Rio Grande do Sul, no ano de 2013, que culminou com a morte de 242 pessoas.  Atualmente esses indicadores luminosos são instalados na parte superior das casas noturnas. O Projeto de Lei 0156.9/2018 prevê que a partir de sua aprovação os indicadores sejam instalados no piso formando uma rota de fuga que direcione os frequentadores até as saídas de emergência.  Para a deputada essas instalações são primordiais, pois mantém o usuário na rota de emergência com maior noção de direção e disciplina.

Empresa responsável pelo programa “Lar Legal” garante entrega de escrituras em Urussanga

O Diretor Geral da X.PNG Incorporadora, Anselmo Pizzolo e a Advogada Alini Marcon participaram de Sessão na Câmara de Vereadores de Urussanga, na última terça-feira (12). A presença foi em atendimento ao requerimento de autoria do Vereador Gilson Casagrande (PP). Os representantes da empresa falaram sobre a regularização fundiária no município e os motivos do atraso na entrega das escrituras do Programa “Lar Legal”.

O programa tem o objetivo de legalizar áreas urbanas ocupadas em desconformidade com a legislação e cujos moradores não possuam reconhecimento formal de sua posse através de títulos públicos de propriedade.

O “Lar Legal” é uma iniciativa do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Assistência Social Trabalho e Educação, com o apoio do Ministério Público de Santa Catarina, Assembleia Legislativa e Tribunal de Justiça do Estado.

De acordo com Pizzolo o projeto teve início em Urussanga em 2012 com a solução de várias pendências burocráticas em relação aos terrenos beneficiados. Em 2015 começou efetivamente o trabalho de campo que sofreu alguns atrasos devido à dificuldade dos interessados em reunir toda a documentação necessária.

“Muitos não acreditavam no projeto e outros demoraram em conseguir os documentos solicitados e isso acabou atrapalhando o andamento do programa”, explicou Pizzolo.

O Vereador Gilson Casagrande solicitou aos representantes da X.PNG para que realize uma reunião a cada semestre nos bairros beneficiados com o programa para manter a população informada sobre o andamento dos processos.

A advogada Alini Marcon esclareceu que foram concluídos os trabalhos de campo nos bairros Dois Rios (61 famílias), Pirago (17), Matrícula Benedet (14), Loteamento Dal Toé (19), Matrícula Magagnin (13), Loteamento Escarpato (40), Brasília (8) e Rio América (27).

“A entrega das escrituras depende agora da manifestação de um dos três juízes que respondem por toda a demanda no Estado. Atualmente são aproximadamente 45 mil processos à espera de decisão em Santa Catarina e todos que aderiram ao programa irão receber as escrituras”, registrou Alini.

Anselmo Pizzollo afirmou ainda que o programa “Lar Legal”, pioneiro em Santa Catarina, está sendo desenvolvido também em outros Estados, pois traz dignidade às famílias ao valorizar os imóveis garantido um documento oficial de propriedade.

O valor das escrituras para pessoas de baixa renda é de R$ 900,00 divididos em 20 parcelas de R$ 45,00 para as áreas urbanas de interesse social.

Em ato, Governo de SC lança Plano de Bacia do Rio Urussanga

Nota

Um dos momentos mais aguardados para a efetiva gestão dos recursos hídricos pelo Comitê da Bacia do Rio Urussanga foi concretizado na tarde desta quinta-feira, dia 14, com o lançamento do Plano da Bacia Hidrográfica. O estudo é um instrumento de planejamento para a gestão que busca mostrar os principais usos dos recursos hídricos e a disponibilidade afim de apontar, por meio de um balanço hídrico, as condições atuais e futuras de atendimento aos diversos usos da água. O intuito é estabelecer metas e indicadores para garantir o uso sustentável deste recursonatural nos dez municípios com território na bacia hidrográfica.

A solenidade, realizada na Sociedade Recreativa Urussanga, foi prestigiada pelo secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS), Adenilso Biasus, representando o Governo de Santa Catarina, secretário da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Criciúma, João Fabris, prefeitos e vereadores do municípios inseridos na bacia hidrográfica, representantes de entidades membros do Comitê da Bacia do Rio Urussanga e comunidade.

“Para fazer de forma eficiente precisamos de estudo e transformá-lo posteriormente em políticas públicas. Nós vivemos no melhor Estado da Federação e é o que mostram os indicadores. A água é um bem público e devemos fazer o uso racional. Por isso o Governo de Santa Catarina investe em tecnologia e inovação. É de fundamental importância este estudo que representa o desenvolvimento econômico sustentável do nosso Estado e engloba também a questão ambiental e social. A correta gestão pública dos recursos hídricos reflete em todos os demais setores da economia catarinense e tem aplicação direta na vida das pessoas”, afirmou o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS), Adenilso Biasus.

Para a presidente do Comitê da Bacia do Rio Urussanga, Carla Possamai Della o Plano representa desenvolvimento. “Nós temos a esperança de que este Plano, de qualidade e com base em dados, traga o desenvolvimento com planejamento”, frisou.

ETAPAS DO PLANO

O Plano de Recursos Hídricos da Bacia do Rio Urussanga será elaborado pela Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL) com apoio financeiro e institucional da Fundação de Amparo a Pesquisa e Inovação de Santa Catarina (Fapesc) e da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Sustentável (SDS). O investimento do Governo de Santa Catarina é de R$ 1,2 milhão.

O coordenador da execução do Plano, Celso de Albuquerque Junior, da Unisul apresentou os objetivos do projeto e as etapas. “Vamos fazer um levantamento da disponibilidade e demanda para posteriormente elaborar o balanço com alternativas e ações. Um plano de recursos hídricos bem elaborado torna-se uma ferramenta de muito poder para a região da bacia, pois ele mostra a situação atual e aponta o que deve ser feito para garantir qualidade e quantidade de água para todos os setores de usuários, bem como auxilia os municípios e o governo estadual a determinar as ações mais urgentes, de médio e longo prazo para garantir água para todos. Precisamos contar com a participação da comunidade nas etapas de construção desse grande projeto”, salientou.

As etapas do Plano de Recursos Hídricos da Bacia do Rio Urussanga consistem no envolvimento da sociedade no Plano, caracterização e diagnóstico da Bacia, cenários futuros das demandas hídricas, compatibilização de demandas e disponibilidades, e plano de ações.

A BACIA HIDROGRÁFICA

A Bacia Hidrográfica do Rio Urussanga abrange uma área de 679,16 km² e está situada na região hidrográfica – RH 10, no Extremo Sul Catarinense. Dez municípios estão inseridos nesta bacia, totalizando mais de 118 mil habitantes de Urussanga, Cocal do Sul, Pedras Grandes, Treze de Maio, Morro da Fumaça, Criciúma, Sangão, Içara, Jaguaruna e Balneário Rincão. Somente os municípios de Cocal do Sul e Morro da Fumaça estão com área total na bacia. Cabe ao Comitê da Bacia do Rio Urussanga