Conheça os candidatos ao governo de Santa Catarina

Patrimônio dos candidatos vai de R$ 0 a R$ 2.070.471,91. Primeiro turno da eleição acontece no dia 7 de outubro deste ano
Em 7 de outubro deste ano, os eleitores vão precisar escolher o Presidente da República, senadores, deputados e governadores. O governo do Estado de Santa Catarina, por exemplo, está sendo disputado por nove candidatos. Conheça cada um deles:
Ângelo Castro

Partido: PCO
Idade: 47 anos
Natural: Brasília (DF)
Ocupação Declarada: servidor público federal
Bens declarados: R$250.000
Histórico: não assumiu cargo político anterior
Vice: Flávio Ferreira Amaral (PCO)

Camasão

Partido: PSOL
Idade: 32 anos
Natural: São Paulo (SP)
Ocupação Declarada: jornalista e redator
Bens declarados: R$13.578
Histórico: não assumiu cargo político anterior
Vice: Carol Bellaguarda (PCB)

Comandante Moisés

Partido: PSL
Idade: 51 anos
Natural: Florianópolis (SC)
Ocupação Declarada: bombeiro militar
Bens declarados: R$1.838.000
Histórico: não assumiu cargo político anterior
Vice: Daniela Reinehr (PSL)

Décio Lima

Partido: PT
Idade: 57 anos
Natural: Itajaí (SC)
Ocupação Declarada: advogado
Bens declarados: R$2.070.471,91
Histórico: prefeito de Blumenau (1997-2005), vereador de Blumenau (1993-1996) e deputado federal (2007-2018)
Vice: Kiko (PT)

Gelson Merísio

Partido: PSD
Idade: 52 anos
Natural: Xaxim (SC)
Ocupação Declarada: deputado
Bens declarados: R$722.844,59
Histórico: presidente da Assembleia de Santa Catarina (2010-2014) e deputado estadual de Santa Catarina (2005-2018)
Vice: João Paulo Kleinubing (DEM)

Ingrid Assis

Partido: PSTU
Idade: 30 anos
Natural: Manaus (AM)
Ocupação Declarada: professora de ensino médio
Bens declarados: nenhum bem declarado
Histórico: não assumiu cargo político anterior
Vice: Professor Ederson (PSTU)

Jesse Pereira

Partido: Patriota
Idade: 38 anos
Natural: Camburiú (SC)
Ocupação Declarada: outros
Bens declarados: R$743.514,92
Histórico: não assumiu cargo político anterior
Vice: Dr. Danny Cesar (Patri)

Mauro Mariani

Partido: MDB
Idade: 54 anos
Natural: Bituruna (PA)
Ocupação Declarada: empresário
Bens declarados: R$1.568.423,82
Histórico: deputado à Assembleia Legislativa de
Santa Catarina (2003 — 2007), deputado federal
(2007—2018)
Vice: Napoleão Bernardes (PSDB)

Portanova

Partido: REDE
Idade: 60 anos
Natural: Porto Alegre (RS)
Ocupação Declarada: professor de ensino superior
Bens declarados: R$560.670,84
Histórico: não assumiu cargo político anterior
Vice: Regina Santos (REDE)

Evento nacional: Case do Comitê Rio Urussanga é apresentado no ENCOB

Após ter espaço na Vila Cidadã e sua atuação ser referência para bacias hidrográficas no Fórum Mundial da Água no mês de março, em Brasília, um trabalho executado pelo Comitê da Bacia do Rio Urussanga entre 2012 e 2016 volta a ser destaque nacional. O case de sucesso “Estratégias de Articulação, Mobilização e Comunicação na Bacia do rio Urussanga” foi apresentado nesta semana para participantes, profissionais de diversas áreas e especialistas durante o XX Encontro Nacional de Comitês de Bacias Hidrográficas, em Florianópolis.

O ex-presidente do Comitê da Bacia do Rio Urussanga e professor do SENAC de Criciúma, José Carlos Virtuoso conduziu a explanação do trabalho na mesa de diálogos do evento abordando os mecanismos de comunicação e inovação na gestão da água. “O Plano Estratégico executado desencadeou a gestão de recursos hídricos no território de forma integrada e participativa. As estratégias utilizadas resultaram em aspectos positivos como, por exemplo, maior envolvimento dos atores, apoio dos meios de comunicação, entendimento do papel do Comitê pelas lideranças locais, aumento do número de cadastros de usuários de água, realização de eventos com troca de experiências, integrantes capacitados para participar do processo, entre outros. Esta contribuição alimenta o sonho de ver a gestão hídrica se efetivar, antes de um colapso futuro, conforme os dados apontam. Mas precisamos de uma gestão pública que priorize as causas coletivas da sociedade”, frisou.

O case de sucesso “Estratégias de Articulação, Mobilização e Comunicação na Bacia do rio Urussanga” também está exposto em forma de banner no XX Encontro Nacional de Comitês de Bacias Hidrográficas, que segue até sexta-feira, dia 24, no Centro de Eventos Governador Luiz Henrique da Silveira, em Florianópolis. Nesta edição, o tema do evento é “O Futuro da Água: Desafios dos Comitês na Terceira Década da Política Nacional de Recursos Hídricos”.

Programa alerta para a prevenção de deficiências

Um assunto de interesse de toda a sociedade é a prevenção das deficiências. Pesquisas apontam que uma em cada dez pessoas são portadoras de algum tipo de deficiência, informa a fonoaudióloga Cristiane D’Acampora Guazzi, coordenadora Regional do Programa de Saúde e Prevenção das APAES da Região Carbonífera. ” A deficiência não é uma doença”, frisa.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 10% da população mundial possui algum tipo de deficiência e 70% delas poderiam ser evitadas. Para a profissional, o índice pode ser diminuído investindo em Programas de Prevenção que tem custos bem menores que Programas de Reabilitação.

“Podemos definir prevenção como sendo um conjunto de ações destinadas a impedir ou evitar ao máximo a ocorrência de limitações intelectuais, físicas, psíquicas e/ou sensoriais, durante a gravidez, no nascimento e ao longo da vida. Para evitar ou reduzir situações de risco a prevenção pode ser realizada de forma primária, secundária e terciária”, salienta.

As Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAEs) criaram o programa “Prevenir”. “Ele surgiu com a necessidade das APAEs colocarem em prática a sua principal missão: a prevenção”, explica. Dentro deste programa está a promoção da Semana Laranja da Prevenção de Deficiências, que ocorre anualmente entre os dias 21 e 28 de agosto.

Em Urussanga, a Semana Laranja contou com o apoio do comércio destacando em suas vitrines a cor laranja e usando frases de prevenção. No decorrer do ano, a APAE da cidade irá ministrar palestras para discorrer sobre o tema.

PREVENIR É MELHOR QUE REMEDIAR

De acordo com a fonoaudióloga Cristiane, as causas que levam uma criança a deficiência são diversas e a maioria está ligada a problemas sociais e econômicos da família e questões de saúde pública como, por exemplo, problemas na hora do parto, infecções, desnutrição, entre outras. “Existem também vários fatores genéticos que podem levar a uma deficiência”, conta.

A profissional explica que o comportamento preventivo deve ter início no momento em que a mulher decidir ter filhos. “Os riscos de má formação do feto geralmente ocorrem durante as primeiras semanas de gestação. E o melhor momento para o casal conhecer as condições de saúde para gerar uma criança, com certeza, é antes da própria gravidez”, pontua.

Cristiane alerta o pais sobre os sinais. “Ao menor sinal de atraso no desenvolvimento da criança, procure um médico ou o serviço especializado. É essencial a estimulação e nas APAES você encontra este serviço”, finaliza.

PRINCIPAIS CAUSAS DE DEFICIÊNCIAS – boxxxxxxxxxxxxx

1º pré-concepcionais – antes da gestação

  • Casamento entre parentes;
  • Hipertensão;
  • Diabetes;
  • Problemas cardíacos;
  • Crises epiléticas;
  • Pessoa portadora de deficiência mental;

Diversos exames ajudam a prevenir a deficiência. Entre esses exames os principais são:

  • Hemograma;
  • Glicemia;
  • Reação Sorológica para Sífilis;
  • HIV (AIDS);
  • Tipagem Sanguínea e Rh;
  • Urina;
  • Toxoplasmose;
  • Hepatite;

A Idade ideal para a mulher gerar uma criança é dos 18 anos aos 38 anos e a idade ideal do homem é até 45 anos.

Procure o médico para prescrever o Ácido Fólico 3 meses antes de engravidar para evitar má formação do feto, de intervalo de 2 anos em cada gravidez (para o útero se recompor) e vacine-se contra a Rubéola.

2ºPré-Natais – são problemas que ocorrem durante a gravidez.

  • Evitar exposição a RX;
  • Álcool, drogas, fumo e medicamentos;
  • Cuidado com doenças infecciosas como: Toxoplasmose, Rubéola e Sífilis;
  • Parto Prematuro;
  • Tentativas de abortos;
  • Quedas, traumatismos e hemorragias.

É muito importante o acompanhamento com o médico de sua confiança durante a gravidez.

3ºPeri-Natais – são problemas que ocorrem na hora do parto.

  • Anoxia (falta de oxigênio);
  • Trauma craniano;
  • Uso de fórceps;
  • Lesões nervosas;
  • Parto demorado, difícil;
  • Demora acentuada para atendimento após o rompimento da bolsa;
  • Dificuldade de adequação do pulmão ao nascer; circular do cordão (cordão enrolado no pescoço);
  • Infecção hospitalar.

É indispensável a presença do obstetra e do pediatra na sala de parto.

4ºPós –Natal – são problemas que ocorrem após o nascimento.

  • Meningite;
  • Paralisia infantil, sarampo;
  • Quedas;
  • Agressões físicas;
  • Desnutrição;
  • Subnutrição;
  • Problemas metabólicos (hipotireoidismo e fenilcetonúria);

Assim que for detectado o problema, procurar atendimento especializado o mais rápido possível.

Não deixar de fazer o Teste do Pézinho, Teste do Olhinho e o Teste da Orelhinha.

ETAPAS IMPORTANTES DO DESENVOLVIMENTO INFANTIL 

 

3 MESES

  • Tem bom controle de cabeça
  • Fica na posição de bruços com apoio dos antebraços
  • Brinca com as mãos
  • Responde a conversa sorrindo e movimenta todo o corpo
  • Apresenta sons guturais até aqui
  • Começa o balbucio.

6 MESES

  • Senta sem apoio
  • Inicia o arrastar para trás
  • Leva os pés a boca
  • Brinca com a própria imagem no espelho
  • Estica os braços para ser pego e carregado
  • Nunca fazer o uso de andador.

9 MESES

  • Engatinha com facilidade
  • Começa a dar tchau
  • Procura algo solicitado
  • Identifica alguns objetos.

 

1 ANO

  • Anda sem apoio
  • Fica de cócoras
  • Joga beijos
  • Começa a entender perguntas e ordens simples
  • Aponta figuras e objetos que reconhece
  • Primeiras palavras

 

18 MESES – 1 ANO E MEIO

  • Agacha para pegar objetos
  • Chuta bola
  • Anda rápido e carrega objetos enquanto anda
  • Pede o que quer
  • Atende a pedidos simples e começa a entender os mais complexos
  • Gosta de chamar a atenção das pessoas
  • Linguagem de no mínimo 30 palavras.

 

 

2 ANOS 

  • Pedala motoca
  • Pula com os dois pés
  • Sobe e desce escadas sozinho
  • Obedece ordens complexas
  • Reconhece seus brinquedos e objetos
  • Identifica partes do corpo
  • Início de perguntas
  • Começa a opor a vontade de quem pede algo, dizendo não com frequência
  • Forma frases
  • Relata fatos e canta músicas inteiras
  • Controla esfíncteres (cocô e xixi)
  • Parar de fazer uso de chupeta e mamadeira

 

3 ANOS

  • Salta para frente
  • Segura lápis corretamente
  • Adquire noção do meu e teu
  • Pergunta o porque das coisas
  • Reconhece algumas cores
  • Sabe o seu nome
  • Tem interesses por estórias
  • Término do desenvolvimento da linguagem.

 

OBS: em negrito são os marcos mais importantes.

O que pensa o Legislativo sobre o Plano Diretor e a revisão

O Plano Diretor de Urussanga, finalizado em 2008 e com prazo de revisão a ter sido iniciada em julho deste ano, é assunto de interesse amplo de toda a sociedade. No Legislativo, os intitulados representantes do povo já levantam o assunto na tribuna há alguns meses. Segundo o presidente da Câmara de Vereadores de Urussanga, Odivaldo Bonetti ressalta que o Plano Diretor foi feito de forma democrática e que representou os anseios da época. Porém concorda que não foi executado integralmente.

“Em parte foi executado como, por exemplo, o crescimento ordenado dos loteamentos, que teve que seguir o Plano Diretor contendo infra-estrutura mínima, como vias de circulação pavimentadas, com meio-fio e sarjeta, escoamento das águas pluviais, rede para o abastecimento de água potável, soluções para o esgotamento sanitário e para a energia elétrica domiciliar. Mas deixou um pouco a desejar porque não teve a sequência necessário com o acompanhamento através do Conselho do Município, bem como os gestores não observaram principalmente o art. 5º da Lei que instituiu o Plano Diretor, que aborda os objetivos estratégicos de Urussanga”, comenta.

Para Bonetti, com a revisão a população irá elencar os pontos a serem melhorados. “Penso que a Lei prevê sua revisão e ela deve acontecer para que possamos avaliar sua aplicabilidade e melhorar no que for possível e de forma participativa, envolvendo novamente todos os setores da nossa sociedade. O Poder Legislativo terá uma participação efetiva na construção de um Plano Diretor que atendam os anseios da comunidade, bem como votando o formato idealizado pelos cidadãos urussanguenses”, pontua.

VEJA A OPINIÃO DAS BANCADAS DE OPOSIÇÃO SOBRE O ASSUNTO

O vereador Marcos Roberto Silveira acredita que seja normal fazer um plano mais engessado para que posteriormente possa ser melhorado. “Não vejo que muita coisa seja alterada, até porque para manter a qualidade de vida dos munícipes precisa-se abrir mão de algumas coisas, como crescimento populacional desordenado. Fazem parte do Plano Diretor diversos programas específicos que norteiam a estratégia de estruturação, ordenamento e qualificação territorial. Todos estes programas estão dispostos no art. 285”, comenta.

No entendimento do edil, o Plano Diretor foi executado no que diz respeito ao parcelamento do solo e outras questões precisam ser regulamentadas. “Está sendo cumprido, porém muitas coisas precisam ser regulamentadas. Já se passaram 10 anos e até o momento precisa de complementação. Como exemplo podemos citar os programas constantes no art.285. Todos os programas tinham data para ser concluídos, porém nenhum deles foi feito. A Outorga Onerosa do Direito de Construir até o momento também não foi regulamentada. Em resumo, o Plano Diretor está sendo utilizado somente para limitar a altura de prédios. As demais exigências que são de responsabilidade do Poder Executivo estão inertes”, pontua.

Para Marcos, antes de falar em desatualização é necessário primeiramente compreender melhor o Plano Diretor. “Não é somente altura de prédio e divisão de área rural e urbana. A principal função do Plano Diretor é garantir as expectativas dos munícipes num determinado período de tempo, ou seja, é responder uma pergunta básica: Como eu quero Urussanga daqui a 30 anos? É a resposta a esta pergunta que irá nortear as alterações do Plano Diretor. É preciso concluir o Plano Diretor, pois até o momento não foi concluído, ou seja, regulamentando o que é exigido em lei e aplicando os programas previstos. Vamos participar das audiências públicas e verificar se o rito será seguido conforme determina a legislação”, salienta.

Já o vereador Jair Nandi ressalta que o trabalho feito há 10 anos, que definiu prioridades e estratégias do município, deve ser respeitado e atualizado para os próximos anos. Para o vereador, as gestões que sucederam a aprovação do Plano Diretor subutilizaram o mesmo. “Ele é uma ferramenta que estabeleceu os instrumentos para atingir as metas instituídas. No entanto, muitos projetos e programas não foram implementados. O plano estabeleceu objetivos estratégicos, elencou prioridades, bens a serem protegidos, elencou atividades econômicas a serem estimuladas como potencial econômico, estabeleceu política de zoneamento, áreas de interesse, proteção do patrimônio cultural, ambiental, dentre outras. Entendo que, das ferramentas criadas pelo plano, as que mais foram colocadas em prática foram as normas com relação ao Uso e Ocupação de Solo, que foram observadas na liberação de novos empreendimentos através do Departamento de Planejamento do Município de Urussanga”, pontua.

Nandi acredita que a revisão deve ocorrer com a participação de sugestões dos interessados, mas sem deixar de usar a metodologia de elaboração. “É essencial a participação maciça da população, observando se os interesses elencados como prioridades há 10 anos continuam sendo o pensamento da população deste município, não sendo apenas para atender interesses econômicos de alguns setores. Será um processo longo e demorado, e que já está atrasado. Penso que os bens elencados em 2008 como passíveis de proteção como o patrimônio histórico, cultural e ambiental precisam ser preservado, de modo a atender os interesses da população de hoje, sem de modo algum impedir o desenvolvimento”, afirma.

“Com relação à altura dos prédios, sempre tão discutidos como uma questão que engessou o desenvolvimento do município de Urussanga, penso que a região central do município, e principalmente o entorno da Praça Anita Garibaldi deve ser protegido, vez que onde encontramos todo o patrimônio histórico arquitetônico, no entanto, respeitada certa distância, que deve ser estabelecida e discutida por toda a sociedade. As construções verticais são uma solução importante a otimização dos serviços públicos o que deve ser incentivada”, acrescenta. Para Nandi, o Legislativo deve ser o guardião de todo o processo, garantindo que as decisões tomadas pela sociedade sejam acatadas e não envolver pressões corporativistas ou outra qualquer forma de interferência.

*Até o fechamento desta edição, a redação não obteve retorno das respostas enviadas à bancada do MDB. *Confira na próxima edição a posição do Executivo e das bancadas de situação.

Uva Goethe: Encontro com Slow Food inicia tratativas para transição de comunidade para fortaleza

Um alimento introduzido há 120 anos na região Sul de Santa Catarina e que teve seu cultivo mantido ao longo das décadas, de geração para geração. Assim é a singular uva Goethe, rara variedade reconhecida pelo movimento internacional Slow Food como comunidade brasileira desde 2007 e recentemente inserida no catálogo mundial “Arca do Gosto”, entre 750 produtos ameaçados de extinção.

Produtores de uva e vinho Goethe e integrantes de associações ligadas à cultura italiana, como a Trevisani Nel Mondo de Urussanga, almejam a consolidação do território e a proteção deste alimento. Por este motivo, no sábado, dia 18, um grupo recebeu, na Vigna Mazon, a coordenadora e facilitadora do movimento Slow Food em Santa Catarina, Giselle Miotto.

O encontro com almoço harmonizado deu início aos encaminhamentos para a transição da categoria de Comunidade do Alimento – Arca do Gosto para Fortaleza. De acordo com Giselle, a atividade de diagnóstico é feita nas Comunidades do Alimento através do projeto “Alimentos bons, limpos e justos”, uma parceria entre Slow Food Brasil, UFSC e Cead.

“A intenção em Urussanga foi reunir pessoas interessadas em se aproximar dos conceitos do Slow Food em torno da produção de uva e vinho Goethe. Neste diagnóstico o grupo concluiu a necessidade de aproximação dos produtores, das cantinas e de novas pessoas. O movimento Slow Food prima pela produção boa, limpa e justa e também de formas tradicionais de técnicas. A missão da comunidade Uva Goethe é se aproximar cada vez mais destes conceitos e a partir disso fazer um planejamento do que precisa ser feito para alcançar isso. Chegar a Fortaleza é um caminho a ser trilhado e traçado. Hoje na América Latina não tem nenhuma Fortaleza com especificidade de produção de uva e vinho. A proposta é unir essa Comunidade do Alimento com outras do Sul do Brasil para se fortalecerem e quem sabe no futuro iniciar a criação de Fortalezas com esse produto”, explica Giselle.

O território Vales da Uva Goethe também é detentor da primeira e única Indicação Geográfica (IG), na modalidade Indicação de Procedência (IP), do setor vitivinícola de Santa Catarina. Nesta região são produzidos vinhos brancos, frisantes e espumantes que apresentam sabor marcante e refrescante acompanhado de um delicioso aroma frutado e floral com notas de mel.

Trevo alemão do Bairro Bom Jesus é finalizado

Melhorias na Rodovia Genésio Mazon são solicitações constantes pelos moradores que vivem aos seus redores. Vereador Jair Nandi explica que no início de novembro ano de 2017, ocorreu na Secretaria da Infraestrutura uma reunião onde foram solicitadas mais uma vez melhorias na Rodovia, em especial um Trevo Alemão na entrada do bairro Bom Jesus, buscando trazer mais segurança aos usuários da rodovia, sendo autorizado pelo Presidente do DEINFRA.

“Menos de 30 dias após a reunião, com a intervenção do Secretário da Infraestrutura Luiz Fernando Vampiro/MDB, no dia 29 daquele mesmo mês, iniciou-se os trabalhos para a transformação daquele trecho da pista em um trevo alemão, com a pintura das faixas na pista e a colocação de tachões, sendo que na oportunidade, por se tratar de uma intervenção sem obra de engenharia, em caráter emergencial, a pista acabou ficando sem acostamento”, explica o vereador.

Apesar da melhora do acesso a comunidade a mudança não atendeu as normas previstas, sendo uma cobrança constante do Vereador Jair Nandi, em conjunto com o Chefe de Gabinete da Secretaria Ademir de Brida Junior, para que fosse feita complementação orçamentária a fim de deixar o trevo conforme prevê a legislação.

A etapa final foi iniciada dia 17 de julho com alargamento da pista e do acostamento em 1,5m, sinalização e camada asfáltica, sendo entregue pronta em agosto.

Vanusa Martins, presidente da associação do bairro Bom Jesus, conta que o trevo alemão ajudou muito todos os moradores da comunidade, já que o bairro está em constante crescimento.“Há alguns anos reivindicações eram encaminhadas à câmara, com grande apelo da comunidade, pela falta de segurança nesse trajeto devida ao fluxo intenso na rodovia. Hoje essa conquista nos trouxe mais segurança, visto que aqui no bairro tem um fluxo constante, devido a unidade de saúde, creche Zilda Darela e a escola Ernesto Mariot. Hoje podemos dizer que a comunidade esta mais tranquila com esse Trevo Alemão na entrada do bairro, nos garante mais segurança”, comentou Vanusa.

Epagri realiza reunião técnica sobre pomares domésticos

Na última quarta-feira, dia 22, foi realizado da sede da Epagri, a reunião técnica sobre  implantação e condução de pomares domésticos, como atividade complementar da campanha de mudas frutíferas, sendo organizado pelo escritório municipal da Epagri.

Com o objetivo de capacitar os participantes com a melhor forma de conduzir um pomar doméstico para que elas tenham o melhor desempenho de suas plantas, o evento contou com 26 participantes, entre agricultores e moradores do meio urbano.

Durante o dia o Pesquisador Dr. Márcio Sônego falou sobre banana, sobre a condução, manejo e as variedades mais adaptadas para nossa região. Mostrando que as variedades mais adaptadas para o cultivo doméstico são a Belluno e Platina, pois as duas são resistentes ao Sigatoka, uma doença e atinge muito as bananeiras. Enquanto o pesquisador Dr. Henrique Belmonte Petry, falou sobre o planejamento do pomar e sobre a implantação.

Os participantes puderam ver as plantas no campo e os pesquisadores puderam mostrar os sistemas de condução e manejo na pratica, tirando todas as dúvidas.

Para o Engº Agrônomo Henrique Viana e Silva os pomares domésticos são muito importantes sobre o ponto de vista da segurança alimentar, pois a família com seu próprio tomar tem acesso mais minerais e vitaminas de boa qualidade. “Além que com a introdução dos pomares as famílias de agricultores podem despertar o gosto pela atividade e a fruticultura virar uma fonte de renda para a família”, conta.

Agricultura Orgânica x Agricultura Convencional: Mitos e Verdades – Parte VI –

Nas edições anteriores do jornal Vanguarda, comentamos sobre os Mitos: “ É impossível produzir alimentos sem agrotóxicos”, “O sistema de produção orgânico é mais caro e mais trabalhoso que o cultivo convencional” , “A agricultura orgânica produz menos e, ainda produtos de baixa qualidade e aparência comparado ao sistema convencional, “Quanto maior o revolvimento do solo, melhor para as plantas cultivadas”. Comentamos também sobre uma verdade: “A adubação química contribui para poluir o meio ambiente, aumentar o custo de produção e prejudicar a saúde das pessoas”. A seguir, comentaremos sobre mais uma verdade.

Verdade: a adubação orgânica, torna as plantas mais resistentes às pragas e doenças, protege e melhora a vida do solo, ajuda a restaurar a biodiversidade, mantém e melhora a fertilidade do solo e, ainda produz frutas e hortaliças mais saborosas e nutritivas.

A prática da adubação orgânica é uma forma de tratar bem o solo, ou seja, como um “organismo vivo”. A vida no solo só é possível onde há disponibilidade de ar, água e nutrientes. Os organismos vivos do solo fazem a transformação química dos nutrientes, tornando-os disponíveis para absorção pelas raízes das plantas. De maneira simples e direta, pode-se dizer que a matéria orgânica é a parte do solo que já foi ou ainda é viva. É a matéria orgânica que dá a cor escura aos solos; em solo muito claro, aparentemente sem vida, “fraco”, é provável que o teor de matéria orgânica seja muito baixo. A vida do solo depende da matéria orgânica que mantém a sua estrutura porosa (fofa), sem compactação, proporcionando a vida vegetal graças à entrada de ar, água e nutrientes. O adubo orgânico é constituído de resíduos de origem vegetal ou animal, tais como: estercos de animais, restos de culturas, palhadas, capins, folhas, raízes das plantas, animais que vivem no solo e tudo mais que se decompõe, transformando-se em húmus que é o resultado da ação de diversos microrganismos sobre os restos animais e vegetais. Vantagens da adubação orgânica comparada à adubação química: Além de reduzir o custo de produção dos alimentos, não coloca em risco o meio ambiente, a saúde das pessoas e, ainda melhora a vida no solo e aumenta a resistência das plantas às doenças, pragas e aos climas adversos; Aumenta a capacidade do solo em armazenar água, diminui os efeitos das secas, aumenta a população de minhocas, besouros, fungos, bactérias benéficas e vários outros organismos úteis, fixa nitrogênio e ainda melhora a capacidade das raízes absorverem nutrientes do solo; Também possui macro e micronutrientes em quantidades bem equilibradas, sendo as perdas com as chuvas intensas e frequentes bem menores, quando comparado a adubação química (altamente solúvel em água); Promove cimentação e agregação das partículas em solos arenosos, aumentando a retenção de água, enquanto que nos solos argilosos torna-os mais soltos e arejados, melhorando a penetração das raízes e a oxigenação do solo; Aumenta a penetração das raízes e a oxigenação do solo e, ainda possui substâncias de crescimento (fitohormônios), que aumentam a respiração e a fotossíntese das plantas.

Sicoob promove I Concurso de Fotografia

O SICOOB Credisulca está promovendo a I edição do Concurso de Fotografia “Foco no Cooperativismo” . A iniciativa tem caráter cultural e visa valorizar a arte da fotografia, fomentar a cultura e a responsabilidade socioambiental e sustentável, além de incentivar a participação da comunidade em ações colaborativas, objetivando destacar talentos, divulgar as belezas naturais, provocar o debate socioambiental e despertar para a consciência sustentável.

Em consonância com o nono valor do cooperativismo (responsabilidade socioambiental) e com o sétimo princípio (interesse pela comunidade) é necessário a elaboração de projetos que despertem e provoque o debate sobre a sustentabilidade, o bem-estar social, o desenvolvimento econômico e social e o respeito ao equilíbrio dos recursos naturais. Nesta primeira edição, renomados jurados participarão da avaliação em quatro categorias, com premiação para cada uma delas.

Além disso, o projeto vai transformar as agências do SICOOB Credisulca em galerias de arte durante o ano de 2018 e 2019, apresentando as fotografias vencedoras para toda a comunidade, incentivando assim o debate sobre a sustentabilidade, fomentando a arte.

Na visão do presidente do SICOOB Credisulca, Romanim Dagostin “o projeto vai ao encontro da responsabilidade da cooperativa em contribuir de forma significativa com o desenvolvimento de nossa comunidade, através da arte (fotografia) como ferramenta colaborativa para conectar a sociedade a estes temas tão importantes para a atualidade”.

Categorias

Minha agência, minha cooperativa: fotógrafos amadores colaboradores e funcionários do SICOOB Credisulca;

Meu povo, minha terra: fotógrafos amadores, associados ao SICOOB Credisulca;

Sustentabilidade: fotógrafos amadores não associados ao SICOOB Credisulca;

Sustentabilidade: fotógrafos profissionais associados ou não ao SICOOB Credisulca.

Premiação

1º Lugar: Voo de balão com um acompanhante;
2º Lugar: Café colonial com até sete acompanhantes;
3º Lugar: Livro de fotografia;

Psicologia pelas ondas do Rádio

27 de agosto é o dia do Psicólogo. Profissional que cuida da saúde mental e emocional, e está inserido em diversos segmentos sociais. Em Urussanga também se pode encontrar um dos representantes da Psicologia falando semanalmente no rádio. É o psicólogo Alex Cambruzzi (CRP-12/10108), que há quatro anos é responsável por preparar e apresentar o quadro “Saúde Emocional”, que vai ao ar pela Rádio Marconi.

“Quando apresentei o projeto, a equipe da Rádio Marconi se interessou muito. Minha surpresa foi quanto ao enorme interesse. Confesso que enquanto planejava os detalhes do projeto para apresentar à direção da emissora, não imaginei que ele despertaria tão rápido interesse. Desde o início fiquei impressionado com a acolhida, a oferta em relação ao número de inserções semanais e ao contrato com a vigência de dois anos”, conta.

Atualmente o quadro vai ao ar três vezes por semana. Duas vezes são inserções gravadas e a outra é uma participação ao vivo, nas sextas-feiras, no programa Ponto de Encontro, apresentado por Jair de Ávila. “A participação ao vivo surgiu por sugestão do produtor Gustavo Marques. O objetivo era explorar os temas além das inserções usuais e oportunizar também a participação direta do ouvinte. Os temas costumam ser definidos no final de semana. São assuntos sugeridos pela audiência ou de relevância no debate social atual. Já no início da semana começa-se a divulgar a entrevista e vão sendo recebidos os questionamentos. E na sexta, apresenta-se o conteúdo. Outro destaque pra mim é a forma que o Bicudo conduz a entrevista. Ele está atento ao que o ouvinte quer saber e o percebo sempre sintonizado com a temática que trago para abordar”, pontua.

Quanto a temática, Cambruzzi afirma que existe uma preocupação quanto a tradução do conteúdo para a linguagem coloquial, sem perder a cientificidade. “Minha primeira formação foi na área da Psicologia Educacional. É uma forte característica minha querer compreender a maneira que as pessoas recebem o que está sendo dito. Sendo assim, me importa bastante que aquele conteúdo apresentado seja aplicável na realidade do ouvinte. Eu não estou falando para uma comunidade científica, por isso não devo usar termos restritos a uma categoria. É extremamente valioso ouvir os relatos da audiência quanto a aplicabilidade dos conteúdos em suas vidas. É participar efetivamente na contribuição para o desenvolvimento humano. Me sinto honrado quando sou abordado nas ruas ou no consultório sobre um tema que foi exposto e o ouvinte se apropriou”, comenta.

Nos bastidores da rádio, o clima é de descontração e comprometimento. “Eu sou muito bem tratado na rádio. A validação de minha atuação também acontece pelos profissionais que me cercam. Eles ajudam a adaptar a linguagem, colaboram sinalizando os conteúdos mais significativos para os ouvintes e tenho acesso a todo o aparato tecnológico que a emissora possui. A equipe realmente me fornece todo o suporte de qualidade para a produção do quadro. É interessante que no dia, ao chegar ao local, as pessoas já começam a conversar sobre o tema que irei tratar. A sensação é de que contagia”, salienta.

Em relação a repercussão, o psicólogo comenta que o rádio demonstra não ter barreiras. “Hoje recebo pessoas de diversas cidades que me ouvem no rádio. As pessoas conversam comigo como se me conhecessem há muito tempo. A afinidade é tamanha que algumas vinculam rapidamente. Já recebi ligações de pessoas que choravam por terem sido sensibilizadas quanto a um tema. Eu me surpreendo semanalmente com a responsabilidade, a força social e a transformação que as falas causam nas pessoas. É fato. Não é posição de arrogância. É posição de admitir que isso cumpre uma função social que eu jamais imaginei que fosse acontecer. Porém, eu sou um emissor. A Psicologia não me pertence. Mas a cientificidade dessa área do conhecimento a todos deve pertencer. Ela precisa ser aplicável, precisa ser acessível. E esse é o meu compromisso no rádio”, ressalta.

Nos temas abordados no programa de rádio ocorreram significativas mudanças. “Com o passar dos anos, as pessoas foram solicitando temas mais profundos. Acredito que isso seja uma demonstração de que a audiência gostou do desenvolvimento proporcionado e tem clamado por maior aprofundamento. Antes as dúvidas eram quanto a manejos (por exemplo, na educação dos filhos, com amigos). Hoje existe uma necessidade de entender determinados comportamentos sociais, de saber como se posicionar em situações que envolvam maior complexidade em habilidades sociais. A audiência está ficando mais exigente e isso é muito prazeroso. Amplia o espectro de atuação e permite ao profissional que está conduzindo o quadro falar mais amplamente dos conteúdos. E conteúdo e pesquisa não faltam no campo da Psicologia”, afirma.

“Não sou ignorante a ponto de não saber que uma emissora de comunicação precisa considerar estes índices. Porém, com o tempo, aprendi que fidelização do ouvinte e clarificação do conteúdo científico são o que sustentam o quadro. Posso abordar um tema mais polêmico e naquela semana trazer um número maior de interessados. Porém, trabalho para enxergar os que ficam. São eles que garantiram e continuam garantindo o sucesso do quadro nestes 4 anos. São fiéis a proposta, estão motivados e demonstram a qualificação de nossa audiência”, finaliza.

Espaço Cultural Fretta expõe a cerâmica de Iolanda de Oliveira

Uma exposição no Espaço Cultural Fretta, anexo ao Fretta Home Center de Urussanga, na praça Anita Garibaldi, marca a primeira mostra individual da ceramista Iolanda de Oliveira, denominada “Corpo Cerâmico”. A abertura foi realizada no último sábado, dia 11 e vai até o dia 30 deste mês.

Segundo César Pereira, curador da exposição, a cerâmica de Iolanda remete contemplação da simplicidade poética dos contadores de histórias. A simplicidade, contudo, não passa de um recurso semântico para extrair significados, explorando e interferindo nas coisas cotidianas.

Folhas, gatos, passarinhos, figuras humanas, povoam seu ambiente criativo, forjado na curiosidade sobre as coisas de uma terra abundante em argila, Morro da Fumaça.

Para o coordenador do Espaço Cultural Fetta, Antônio De Lorenzi Cancelier, a exposição é uma oportunidade não só de conhecer o tralho de Iolanda, mas também de ter contato com uma das mais tradicionais formas de expressão artística da humanidade, a cerâmica. “Nos do Fretta acreditamos que a arte é fundamental para o ser humano e por isso, disponibilizamos este espaço aos artistas da região para mostrarem suas obras”, concluiu.

Iolanda, que reside em Morro da Fumaça, descobriu a cerâmica através da pintura. Ela, acostumada com as tintas base de óleo aplicada sobre as tradicionais telas de algodão, aceitou o desafio de pintar uma série de pratos no Núcleo de Cerâmica Artística Olaria das Artes de Morro da Fumaça. Atualmente, Iolanda é membro do Núcleo de Cerâmica Artística de Morro da Fumaça, Olaria das Artes. Sua técnica, aliada ao talento, vem se desenvolvendo e ganhando força a cada queima, tornando Iolanda de Oliveira, uma das grandes ceramistas em atividade de Santa Catarina. Além do público em geral, a exposição também estará a disposição das instituições de ensino do município e região para o agendamento de visitas orientadas.

Cocal do Sul inicia programa “Asfalto para o Interior”

Depois da Linha Tigre é a vez da comunidade de Linha Ferreira Pontes acompanhar os trabalhos de preparação de base para a colocação do primeiro trecho de pavimentação asfáltica da localidade que liga Cocal do Sul a Siderópolis. A iniciativa do Governo Municipal de Cocal do Sul faz parte do programa “Asfalto para o Interior” e será executada com recursos próprios. Até 2020, ele contemplará as principais Linhas Rurais com a execução de aproximadamente seis quilômetros de asfalto.

O agricultor Ovídeo Della Bruna é produtor de frutas e o pomar fica bem na beira da estrada. A poeira sempre foi um problema para o seu negócio. “Nós não podemos estocar as frutas muito tempo antes da safra, pois elas ficam tomadas pela poeira e ai é trabalho dobrado. Já tivemos também dificuldades no escoamento devido as condições da estrada. Agora é contar os dias para vermos o nosso primeiro quilômetro concluído. Esse é um sonho da comunidade que esta muito satisfeita com esse trabalho. Esse é o começo. Se todos os governos tiverem esse mesmo interesse, em breve estaremos ligados a Siderópolis”, pontua.

Segundo o prefeito Ademir Magagnin o Programa esta dentro do atual Plano de Governo e a colocação do asfalto será feita em parceria com o Cirsures por meio do consórcio da usina de asfalto. “A obra esta em andamento. Estamos fazendo a terraplanagem e corrigindo quatro pontos elevados que pela norma de trafegabilidade precisam ser baixados. Finalizando esta etapa, começamos a colocar a base. A previsão é deixá-la pronta em 60 dias para em seguida receber a camada de asfalto”, ressalta o prefeito.

O empresário, Ramires Denoni mora na localidade há 14 anos e afirma que esta obra trará maior desenvolvimento e qualidade de vida às famílias. “A pavimentação é muito esperada pela comunidade e quando vimos que esse primeiro passo estava no plano de governo da administração ficamos motivados. Nossa comunidade faz ligação com o município de Siderópolis e convivemos com o alto tráfego diariamente, sem contar com a poeira. Estou muito satisfeito, agora é só esperar pela conclusão”, observa.

Para a vice-prefeita, Cirlene Gonçalves Scarpato a administração é bem clara ao primar pelo investimento em infraestrutura e tem o propósito de incentivar os próximos governos a darem continuidade neste trabalho. “No primeiro mandato nós pavimentamos cerca de 110 ruas, ou seja, mais de 18 quilômetros no perímetro urbano. Agora estamos partindo para o interior. Nós queremos dar um conforto maior às pessoas que residem na área rural, manter a qualidade nas estradas e reduzir a poeira. Nosso projeto é asfaltar em torno de um quilômetro em cada Linha. Nos próximos mandatos, se cada prefeito fizer de seis a 10 quilômetros de asfalto no interior, em 10 anos nós já teremos 60% do interior asfaltado. Acho que é uma política de incentivo que essa administração dá e estamos no caminho, basta ver a satisfação das pessoas que residem nessas localidades”, relata.

Linha Tigre e próximas localidades

Conforme o secretário de obras, Alessandro Carara Antunes na localidade de Linha Tigre, a preparação da base esta concluída e a espera da camada de asfalto que deverá ser colocada nas próximas semanas. O trabalho também compreende aproximadamente hum quilômetro de melhoria. “Até o final deste ano nós queremos deixar a Linha Tigre e Ferreira Pontes asfaltadas, além de iniciar a terraplanagem na Linha Vicentina. Já para o segundo semestre de 2019, daremos início no Rio Comprudente, conforme o planejamento”, afirma.

O secretário pede ainda para que os moradores tenham paciência no início desta primeira etapa. “Sabemos que toda obra gera transtornos e esta não é diferente. Estamos com a nossa equipe e a do Samae trabalhando para deixar tudo dentro do que o projeto determina”, esclarece.

Urussanga promove o I Seminário de Prevenção e Combate ao Uso de Drogas

Com o objetivo de trazer conhecimento e conscientizar sobre a importância da prevenção ao uso de entorpecentes, a Secretaria de Assistência Social de Urussanga promoverá no dia 30 de agosto, o primeiro Seminário de prevenção e Combate ao Uso de Drogas.

“Todas as drogas, lícitas ou ilícitas trazem prejuízos para a saúde e ao convívio social de quem delas faz uso. A família sofre o impacto quando convive com um dependente químico. Além de todos os membros sofrerem juntos, a estrutura familiar passa a ser ameaçada, refletindo desta forma na sociedade, sendo considerado um problema de saúde e de segurança pública. Tendo em vista que, conforme constatamos, a violência em todos os níveis tem aumentado significativamente por conta do uso de drogas”, explica a secretária de assistência social de Urussanga, Izolete Vieira Gastaldon.

O debate relacionado ao tema ocorrerá no dia 30 de agosto, às 19h30, no salão de eventos da Secretaria Municipal de Assistência Social de Urussanga, com entrada gratuita.

Centro Educacional Lydio de Brida promove primeira Mostra Cultural

Foram meses de preparação, treinamento das falas e de pesquisa que resultaram na primeira edição da Mostra Cultural do Centro Educacional e Profissional Lydio de Brida. A iniciativa que contou com o envolvimento dos professores, direção e especialmente dos alunos da escola, teve seu ponto alto nesta sexta-feira, dia 17, com a apresentação dos trabalhos desenvolvidos aos visitantes que estiveram na instituição de ensino.

“Nosso principal objetivo foi o promover a interação entre os nossos alunos, a escola e também as famílias que estiveram aqui nos visitando, conhecendo os trabalhos desenvolvidos durante o período das aulas. É uma importante troca de experiências que promove a motivação e a autoestima”, enaltece a diretora do CEP Lydio de Brida, Andrea da Silva.

Para a diretora de educação de Urussanga, Janea Possamai, a iniciativa desenvolve as mais diversas habilidades nos alunos. “É uma ação que conta com o envolvimento de toda a comunidade e repassa o conhecimento adquirido em sala de aula”, explica Janea.

A atividade iniciou na manhã desta sexta-feira com a abertura, apresentação do Coral Lydio de Brida e apresentações culturais. Após foi iniciada a visita a exposição dos trabalhos da Mostra Cultural. “É muito importante vermos o envolvimento de todos em ações como esta que valorizam o aprendizado, enaltecem o trabalho desenvolvido na escola e possibilita um aprendizado diferenciado”, garante o prefeito de Urussanga, Gustavo Cancellier.

Grupo Escoteiro Urussanga promove exposição e recebe a visita de ex-integrantes

O 26° Grupo Escoteiro Urussanga participou da XVIII Festa do Vinho comercializando espetos de carne e aproveitou o movimento entorno da sede instalada no Parque Municipal para divulgar suas ações. O movimento escoteiro está presente no mundo todo e o 26º Grupo Escoteiro Urussanga conta com o apoio do Distrito Extremo Sul.

As unidades escoteiras locais disponibilizaram suas bandeiras para mostrar ao público que em todo lugar existe uma Unidade Escoteira Local (UEL). A divulgação resultou na solicitação de ingresso no 26° Grupo Escoteiro Urussanga e de informações de outras unidades.

Uma exposição montada dentro da sede durante a Festa do Vinho apresentou fotos antigas que marcaram a passagem de membros do grupo antes de 1986 até os dias atuais. “Dois Silvos longos e surgiram monitores tomando seu bastão em mãos e relembrando como é bom ser escoteiro. Muita emoção ao relembrar histórias e principalmente encontrar fotos de quem já partiu para o “Grande Acampamento”. Meus sinceros agradecimentos e um Sempre Alerta Para Servir a todos que estiveram presentes em nossa sede escoteira”, finaliza Carlos Silva, do 26º Grupo Escoteiro Urussanga.

Curso sobre vendas é realizado em Orleans

No dia 25 de agosto, acontecerá na ACIO, em Orleans, o Curso “Vendedor integral – Técnicas poderosas para vender mais”. O evento será ministrado pelo mestre Coach Kairam Cabral, das 13 às 20h.

O curso tem como objetivo apoiar os vendedores para que tenham um trabalho mais produtivo, com ritmo e resultados. Conseguindo ter um direcionamento nas vendas e até mesmo uma automatização nesse processo, facilitando o alcance e a superação das metas.

Público alvo esperado são empresários, vendedores e profissionais que desejam atingir resultados superiores em vendas. Serão apresentadas técnicas avançadas para vendas como SPIN selling e coaching.

“O curso irá te deixar um passo a frente da concorrência, ensinando técnicas de persuasão, comunicação, segurança, empatia e fechamento. Também receberá uma introdução ao coaching e spin selling, técnica mundialmente conhecida por ser uma das mais eficientes do mercado”, explica Ivonete Brandieli, gerente administrativa da JCoaching, empresa especialista que está organizando o curso.

Na ementa do curso também está incluída o trabalho produtivo, tipos de clientes e como me comunicar, conexão emocional com o cliente para vender, UP / Cross / Down – Sell, técnicas de persuasão e empatia, linguagem corporal, introdução ao coaching, spin selling e modelo mental de um vendedor de sucesso.

Mais informações no telefone: 9 9107 1823

Glúten e lactose: saiba se você é intolerante e como substituir

O modo de consumir alimentos vem mudando ao longo dos anos e dois componentes chamam a atenção nas embalagens e no momento da compra: glúten e lactose. Para muitas pessoas itens normais consumidos a vida inteira. Para outras, vilões do emagrecimento ou causadores de graves sintomas alérgicos.

De acordo com a nutricionista da Cia da Saúde de Urussanga, Jamile Orlandi Luciano, especialista em Nutrição Clínica e Metabolismo, é comum nos dias atuais as intolerâncias relacionadas ao glúten e lactose.

“Normalmente as pessoas que têm intolerância ao glúten, citamos como os doentes celíacos, onde todo cuidado é redobrado devido a contaminação dos alimentos, ao consumir cereais, por não digerirem bem essa proteína, começam a observar sintomas como diarreia, dor e inchaço abdominal. Porém seus sintomas podem comprometer até o sistema imune, dores de cabeça e até manchas na pele. Os sintomas da intolerância à lactose são por alguns momentos parecidos como diarreia ou constipação, inchaço, dores abdominais, azia, irritação intestinal, náuseas e até vômitos. Porém os sintomas podem variar conforme o grau de intolerância da doença. Mantendo os alimentos na dieta os sintomas acabam aumentando assim como o desconforto. Muito importante ressaltar que o consumo para quem tem intolerância pode comprometer a saúde por estar relacionado a diminuição da absorção de nutrientes pela inflamação intestinal”, pontua.

O QUE SÃO?

Mas afinal, o que é o glúten e o que é a lactose? Jamile explica que o glúten é uma proteína encontrada nos cereais como o trigo, centeio e cevada. Em alguns cereais como na aveia ainda que, por menor a concentração, ainda existe a presença de glúten. “Importante ressaltar que em algumas bebidas como a cerveja e o whisky, possuem glúten na sua composição pois são produzidas a partir do malte da cevada. Já a lactose é um açúcar presente nos leites e derivados”, comenta.

Para a nutricionista, a retirada do glúten e da lactose da alimentação por pessoas que não têm intolerância está relacionada ao benefício por excluir alimentos industrializados e calóricos da dieta como, por exemplo, bolachas recheadas, pizzas e bolos. “A partir disso a alimentação torna-se mais saudável, o que melhora o funcionamento do intestino e do organismo. Essa retirada também pode contribuir para a diminuição dos gases e do inchaço na abdominal de algumas pessoas mais sensíveis a essa proteína. Importante ressaltar que um nutricionista poderá fazer um acompanhamento para uma dieta saudável e equilibrada”, salienta.

COMO FAZER A SUBSTITUIÇÃO

Jamile comenta que nas preparações prontas é comum encontrar glúten e lactose. Basicamente os trigos e seus derivados contêm glúten, assim como a lactose está presente em leites, iogurtes, manteiga, requeijão e achocolatados.

Diversos itens podem substituir estes ingredientes. “Em algumas preparações podem ser usadas a goma xantana para ser um ligante nas preparações, farinha de psillyum, farinha de linhaça dourada. Há também a manteiga Ghee que seria uma manteiga clarificada que perde a lactose podendo ser usadas nas preparações também. Como substituto ao leite e seus derivados, existe leite de soja, creme de leite de soja, até um leite condensado de soja. Porém, encontramos hoje uma linha de produtos considerados sem lactose, que levam em sua composição a enzima Lactase, responsável pela quebra de lactose no organismo. Importante ressaltar que todos alimentos devem ser consumidos com moderação”, frisa.

Devido ao aumento desta demanda, a Cia da Saúde de Urussanga oferece opções de alimentos substitutos. Para a substituição de farinhas que levam glúten em sua composição, a loja tem um mix de farinhas sem glúten ou então opções individuais como farinhas de arroz, fécula de batata, amido de milho, farinha de coco, farinha de grão de bico, farinha de amêndoas e a farinha de trigo sem glúten, misturas prontas para pães e bolos.

Além das farinhas, a loja trabalha com produtos sem glúten e sem lactose preparados como pães, bolos, salgados assados com diferentes sabores, rocambole, salgados fritos para festas, tortas salgadas, macarrão e uma variedade de biscoitos doces e salgados, todos livre de contaminação.

Já para a substituição de leites e derivados, a Cia da Saúde de Urussanga disponibiliza leite de coco para beber, leite de arroz com sabores, leite de coco em pó, achocolatados e chocolates. “Como alternativa trabalhamos com sucos sem conservantes e o kombucha, que é uma alternativa muito saudável, devido sua alta concentração de lactobacilus para fortalecimento intestinal”, finaliza.

Secretaria de Assistência Social de Urussanga promove conscientização no Agosto Lilás

A Secretaria de Assistência Social de Urussanga está realizando durante todo mês de agosto, uma campanha de conscientização contra a violência às mulheres. A iniciativa faz parte do Agosto Lilás. Em agosto de 2018, a Lei Maria da Penha comemora 12 anos e é em função desta data que passou a existir, desde o ano passado, o Agosto Lilás, uma campanha de conscientização sobre a violência contra a mulher que envolve secretarias municipais e estaduais.

O Brasil ocupa hoje o 5º lugar no mundo no ranking de violência doméstica e, de acordo com dados do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), tramitam no Judiciário cerca de 900 mil processos sobre o tema, sendo 10 mil deles sobre casos de feminicídio (crime de morte envolvendo uma mulher pelo fato de ser mulher, uma questão de gênero).

“A denúncia é a melhor forma de prevenção. Pelo número 180, o Governo Federal presta um serviço que auxilia e orienta as mulheres vítimas de violência. A violência contra a mulher não está restrita a certo meio, não escolhe raça, idade ou condição social. Na maioria dos casos, a violência contra a mulher ocorre dentro dos lares, praticadas muitas vezes por pessoas próximas à sua convivência, e pode ser praticada de diversas maneiras, desde agressões físicas, até psicológicas e verbais”, enaltece a secretária de assistência social de Urussanga, Izolete Vieira Gastaldon.

Durante o mês de agosto, estão sendo realizadas ações de conscientização por parte da Secretaria de Assistência Social, especialmente com a divulgação de entrevistas e orientações sobre o tema.

Formas de violência contra a mulher:

– Violência física: o que coloca em risco ou cause dano à integridade física de uma pessoa;

– Violência psicológica: qualquer conduta que lhe cause dano emocional e diminuição da autoestima: como humilhação, manipulação, chantagem, perseguição, ridicularização e limitação do direito de ir e vir;

– Violência sexual: ação que a constranja a presenciar, a manter ou a participar de relação sexual não desejada;

– Violência Patrimonial: conduta que configure retenção, subtração ou destruição de seus objetos, instrumentos de trabalho, documentos pessoais, bens 9celular) e direitos ou recursos econômicos;

– Violência Moral: entendida como qualquer conduta que configure calúnia, difamação, injúria sobre a reputação da mulher.

Ortopedista: Médico de Urussanga é especialista em ombro e cotovelo

Os problemas que acometem as articulações do ombro e do cotovelo agora podem ser tratados com um especialista na área: médico Bruno Guollo. Formado pela Unisul de Tubarão desde 2012 e com especialização em ortopedia feita na cidade de Blumenau, o jovem retornou ao Brasil no início deste ano após imersão em um hospital em Emilia Romagna, na Itália, referência no país.

“Sempre tive interesse em atuar nesta área e logo surgiu a oportunidade na Itália. Convivi com excelentes profissionais durante um ano. A estrutura da saúde pública é muito diferente entre a Itália e o Brasil. Foi uma grande experiência. Inclusive acaba de sair um artigo nosso em uma revista italiana esportiva”, comenta.

Atualmente o médico Bruno Guollo atende em consultório na rua Vidal Ramos (perto do cartório eleitoral), em Urussanga, e também compõe a equipe da Osteoclínica, em Criciúma, na rua do hospital São José. A clínica é referência na região Sul de Santa Catarina nesta especialidade e conta com 14 ortopedistas.

Em Urussanga, Guollo presta atendimento geral e recebe pacientes, em sua maioria, divididos em dois públicos: 60% idosos e trabalhadores braçais e 40% esportistas. Os casos vão desde dores nas articulações até fraturas, graves lesões e processo de reabilitação. Segundo o médico, o ombro é a articulação mais ampla e complexa do corpo alcançando um giro de 360º graus ao redor do rosto. “O ombro é uma articulação muito importante em nosso corpo, pois é ele que dá as coordenadas para as nossas mãos”, salienta.

O médico esclarece que as causas ligadas a problemas nos ombros são movimentos repetitivos e esforço excessivo, no caso de trabalhadores braçais, questão postural ou sobrecarga ou despreparo na prática esportiva. Os sintomas podem ser dor contínua, que atrapalha a rotina do paciente e limita suas atividades diárias, passando também por queimação.

Já no caso de idosos, Guollo comenta que uma vida inteira de esforço físico ou sedentarismo resultam em complicações nestas articulações. “Em todas as consultas eu abordo a prevenção, pois ela é primordial para evitar essas lesões, sejam em idosos, trabalhadores braçais ou esportistas. Com mudanças em nossos movimentos diários no trabalho, no modo como sentamos e até formas de melhorar o rendimento são modos de impedir lesões”, frisa.

PLANTÃO ESPECIALIZADO EM CRICIÚMA

A Osteoclínica, em Criciúma, na rua do hospital São José, agora conta com um plantão das 8 às 18 horas para atendimento de casos emergenciais. “Ao invés de procurar diretamente o hospital, o paciente pode ir primeiro até a clínica. No local, um ortopedista estará de pronto atendimento para prestar a primeira assistência e dar os encaminhamentos pertinentes ao caso. Este é mais um diferencial”, finaliza.

Santa Catarina tem plano estratégico para segurança pública até 2023

Santa Catarina agora tem um plano de segurança pública. O documento traz estratégias de atuação de forças policiais do estado para os próximos 5 anos e já foi preparado alinhado as diretrizes do SUSP, Sistema Nacional de Segurança Pública, criado pelo governo federal no inicio do mês passado.

Para o estado acessar recursos federais disponibilizados para a área, uma das exigências é ter o plano estadual. O secretário de estado da segurança pública, Alceu de Oliveira Pinto Junior, destaca que Santa Catarina é o primeiro estado a elaborar o plano, e espera ser o primeiro também a receber recursos para a área. “Não existia no estado um plano estadual de segurança pública, não um plano estratégico nesse perfil de segurança pública. É primeiro plano estadual no Brasil que já nasceu vinculado ao plano nacional de segurança pública, por isso a legitimidade e certeza de que ele vai poder ter continuidade e gerar resultados”, afirma.

O plano estadual de segurança segue estratégias adotadas desde o início do ano para o combate ao crime a violência em Santa Catarina. Ações que prevêem especialmente a integração das forças policiais, o trabalho de inteligência e o uso de tecnologias. Segundo o secretário Alceu de Oliveira a meta é transformar Santa Catarina no estado mais seguro do Brasil e desinteressante para os bandidos. “Cada vez que esses resultados são positivos no estado, nós o tornamos mais desinteressante para o crime organizado. Cada estado vai ter que buscar então as suas ações para tornar-se desinteressante”, conta o secretário.

A primeira versão do plano estadual foi entregue no dia 18 ao governador, e ainda poderá receber contribuições. Eduardo Pinho Moreira comentou que o planejamento das ações policiais foi que contribuiu para a redução dos índices de criminalidade nos últimos meses. “É claro que o nosso objetivo era atingir níveis satisfatórios para a sociedade. Ainda não atingimos, mas diminuímos os índices de criminalidade de todos os tipos de crimes. Alguns a mais de 50%. Então eu acho que é isso que nós devemos perseguir e continuar esse trabalho. Foi o que aconteceu hoje, apresentaram um plano e está saindo na frente, no Brasil”.

Nos seis primeiros meses deste ano houve redução de vários indicadores de criminalidade. Os homicídios diminuíram 15% em relação ao 1º semestre de 2017, os casos de lesão corporal seguida de morte, caíram praticamente 30%, roubos e furtos caíram a patamares registrados em 2013.

Combater o crime organizado sufocando principalmente as lideranças criminosas é o foco da atuação para manter em queda a violência. Como destaca o comandante geral da policia militar, o Coronel Araujo Gomes. “Nós obtivemos uma tendência de queda bastante acentuada. Ainda é possível observar durante um tempo pra ver se ela se confirma. A manutenção dessa curva de queda se dá principalmente pelo caráter flexível da utilização das estratégias que a gente vem utilizando. O estado não é homogêneo, e a solução que se aplica a Joinville não é a mesma que se aplica a Rio do Sul, que não é a mesma que se aplica em Zortea ou em Ermo. A capacidade de fazer essa leitura a nível estadual, de mobilizar rapidamente recursos operacionais de nível estadual, para interferir nos cenários locais, e a articulação disso, guiada pela inteligência, baseado na busca de resultados concretos é o que nós vamos fazer daqui para o final do ano”, finaliza.

Para modernizar sistemas e tecnologia e adquirir equipamentos para as forças especiais catarinenses o estado elaborou ainda um projeto para conseguir 57 milhões de reais, com o BNDS.