Agricultura Orgânica x Agricultura Convencional: Mitos e Verdades – Parte VI –

Nas edições anteriores do jornal Vanguarda, comentamos sobre os Mitos: “ É impossível produzir alimentos sem agrotóxicos”, “O sistema de produção orgânico é mais caro e mais trabalhoso que o cultivo convencional” , “A agricultura orgânica produz menos e, ainda produtos de baixa qualidade e aparência comparado ao sistema convencional, “Quanto maior o revolvimento do solo, melhor para as plantas cultivadas”. Comentamos também sobre uma verdade: “A adubação química contribui para poluir o meio ambiente, aumentar o custo de produção e prejudicar a saúde das pessoas”. A seguir, comentaremos sobre mais uma verdade.

Verdade: a adubação orgânica, torna as plantas mais resistentes às pragas e doenças, protege e melhora a vida do solo, ajuda a restaurar a biodiversidade, mantém e melhora a fertilidade do solo e, ainda produz frutas e hortaliças mais saborosas e nutritivas.

A prática da adubação orgânica é uma forma de tratar bem o solo, ou seja, como um “organismo vivo”. A vida no solo só é possível onde há disponibilidade de ar, água e nutrientes. Os organismos vivos do solo fazem a transformação química dos nutrientes, tornando-os disponíveis para absorção pelas raízes das plantas. De maneira simples e direta, pode-se dizer que a matéria orgânica é a parte do solo que já foi ou ainda é viva. É a matéria orgânica que dá a cor escura aos solos; em solo muito claro, aparentemente sem vida, “fraco”, é provável que o teor de matéria orgânica seja muito baixo. A vida do solo depende da matéria orgânica que mantém a sua estrutura porosa (fofa), sem compactação, proporcionando a vida vegetal graças à entrada de ar, água e nutrientes. O adubo orgânico é constituído de resíduos de origem vegetal ou animal, tais como: estercos de animais, restos de culturas, palhadas, capins, folhas, raízes das plantas, animais que vivem no solo e tudo mais que se decompõe, transformando-se em húmus que é o resultado da ação de diversos microrganismos sobre os restos animais e vegetais. Vantagens da adubação orgânica comparada à adubação química: Além de reduzir o custo de produção dos alimentos, não coloca em risco o meio ambiente, a saúde das pessoas e, ainda melhora a vida no solo e aumenta a resistência das plantas às doenças, pragas e aos climas adversos; Aumenta a capacidade do solo em armazenar água, diminui os efeitos das secas, aumenta a população de minhocas, besouros, fungos, bactérias benéficas e vários outros organismos úteis, fixa nitrogênio e ainda melhora a capacidade das raízes absorverem nutrientes do solo; Também possui macro e micronutrientes em quantidades bem equilibradas, sendo as perdas com as chuvas intensas e frequentes bem menores, quando comparado a adubação química (altamente solúvel em água); Promove cimentação e agregação das partículas em solos arenosos, aumentando a retenção de água, enquanto que nos solos argilosos torna-os mais soltos e arejados, melhorando a penetração das raízes e a oxigenação do solo; Aumenta a penetração das raízes e a oxigenação do solo e, ainda possui substâncias de crescimento (fitohormônios), que aumentam a respiração e a fotossíntese das plantas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *