Festa do Vinho: patrimônio imaterial de Urussanga

É de conhecimento popular que Urussanga é uma cidade histórica e devido a isso possui edificações tombadas pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), como por exemplo a Casa de IvanirCancelier e a Propriedade Bez Fontana, ambas tombadas em setembro de 2015. Esses bens são considerados patrimônios materiais, mas além deles, existem também os patrimônios imateriais, que são aqueles que se manifestam através de saberes, ofícios e modos de fazer; celebrações; formas de expressão cênicas, plásticas, musicais ou lúdicas; e nos lugares que abrigam práticas culturais coletivas.

A Festa do Vinho, que hoje acontece anualmente em Urussanga, pode ser considerada como patrimônio imaterial da cidade, pois é de extrema importância para a história local e memória dos imigrantes que a fundaram. Mesmo sem ser protegida por legislação de patrimônio, a festa é considerada patrimônio de Urussanga, sendo que já acontece há mais de 30 anos e é responsável por manter acesa a tradição daqueles que a colonizaram, além de movimentar a economia. Dentro das categorias do patrimônio imaterial, a festa apresenta as vertentes de celebração e de saberes, pois durante a festa são repassados alguns ensinamentos que vieram junto com os imigrantes, como o modo de preparo da comida típica.

Os primeiros imigrantes italianos chegaram em Urussanga em 26 de maio de 1878, data em que se comemora a fundação da cidade, e vieram da Província de Belluno, Região de Veneza. Esses imigrantes trouxeram para o Brasil os costumes agrícolas de seu país de origem: desenvolveram a atividade vitivinícola e atribuíram à Urussanga a identificação de “cidade do bom vinho”. A partir dessa tradição, criou-se a Festa do Vinho, responsável por ressaltar a cultura italiana.

Alguns dos valores que a festa repassa para a população são:

Cognitivo – que é o repasse do conhecimento acerca das tradições;

Afetivo – a festa é responsável por aflorar o sentimento de pertencimento à essa cultura e toda a história de fundação de Urussanga. Para os urussanguenses, o sentimento de pertencimento à festa é evidente no envolvimento e engajamento para fazer o evento acontecer – há a participação da comunidade na organização;

Pragmático – o evento tornou-se uma atração da cidade não apenas pelo lado cultural tradicional, mas também pelos eventos paralelos realizados que não envolvem a cultura italiana (shows nacionais, gastronomia diversificada), o que faz movimentar o setor de turismo na cidade, gerando renda e empregos temporários durante os dias de festa. A realização da festa é um motivo de confraternização, reunir familiares e amigos para desfrutarem do evento.

Portanto, nosso objetivo, enquanto acadêmicas de Arquitetura e Urbanismo da UDESC Laguna, é mostrar que além do patrimônio material, que é aquele que a gente vê, existe o patrimônio imaterial, que é aquele que não precisa de algo físico para demonstrar importância, e é o que acontece com a Festa do Vinho. A sua celebração é um patrimônio para a cidade de Urussanga, pois é uma forma de manter acesa a memória dos imigrantes que deram início à construção da cidade.

Flavia Coan de Bona Sartor
Luísa Gallon
Estudantes de Arquitetura e Urbanismo, UDESC/CERES – Laguna/SC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *