Deputado Minotto vota contra criação de 462 cargos para o Tribunal de Justiça

O deputado estadual Rodrigo Minotto (PDT) votou contra o Projeto de Lei Complementar (PLC) 14/2018 que cria na estrutura do Judiciário 462 cargos comissionados de assessor jurídico de livre nomeação, além de 402 cargos comissionados de assessor de gabinete para servidores efetivos. Mas por 25 votos a quatro o projeto foi aprovado na sessão desta terça-feira (26) da Assembleia Legislativa.

Todos os cargos serão destinados para a primeira instância com o objetivo de dar mais celeridade ao trâmite dos processos judiciais. “Como advogado por profissão refleti muito nos últimos dias sobre esse projeto. Ao mesmo tempo que reconheço a necessidade de dar celeridade a tramitação de processos, não é possível conceber que o Tribunal de Justiça faça a nomeação destes cargos comissionados, e não através de concurso público”, explica Minotto.

“Além disso, os cofres públicos terão um impacto de mais de R$ 65 milhões em 2019, e R$ 66 milhões em 2020. No momento em que passa a economia, com necessidade urgente de redução dos gastos públicos, não podemos ser coniventes”, lamentou o deputado do PDT.

FUTEBOL E ROMANTISMO

O preparador físico da Seleção de 1982 trouxe uma novidade que não agradou muito aos jogadores. Eram as incômodas sessões de alongamentos, até então desconhecidas. Passou-se a exigir maior desempenho físico dos atletas, e o capitão Sócrates assumiu o compromisso de beber e fumar menos durante a Copa. Porém, sorteado para o exame antidoping, tomou todas as cervejas disponibilizadas pela FIFA, a título de diurético, para só então fazer xixi. O futebol brasileiro ainda era rebelde, romântico como a obra de Goethe.

Somos muito saudosos do time de 82 e de seu futebol, enfeitado como índio de carnaval. O romantismo é o inconformismo com a vida moderna, ou seja, o inconformismo com a vida real. Aquela Seleção era romântica porque ousava desafiar a fria realidade da preparação física e dos esquemas táticos. Acreditava na vitória pela simples irreverência do futebol arte. Os brasileiros a idolatram porque são também românticos, rebelados contra a dureza da vida.

Outro exemplo da falta de entrosamento com a realidade: muitos ainda acreditam que a final de 1998 foi vendida para a França, ou que a semifinal de 2014 foi entregue, sabe-se lá a que preço, para a Alemanha. Não passa pelas cabeças desesperadamente românticas a possibilidade óbvia, claríssima, de que o Brasil perdeu porque a França e a Alemanha venceram. Para nós, nada pode ser simples e lógico. Nem no futebol. Muito menos no futebol.

Os atletas de hoje não se assustam com treinamentos exaustivos, tampouco são românticos. Quem assina contratos milionários esquece o romantismo, ainda bem. Não é possível ser campeão tomando cervejinhas depois dos treinos, nem entrando em campo apenas na base da improvisação. É necessário treinar, ter os pés no chão e manter a sobriedade, tanto na vitória quanto na derrota, assim no futebol como na vida. E que venham os mexicanos!

APAEs dos municípios da ADR Criciúma renovam contrato com a Fundação Catarinense de Educação Especial

O Governo do Estado, por meio da Fundação Catarinense de Educação Especial (FCEE) e Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Criciúma, renovou na tarde desta segunda-feira, 25, os convênios técnicos-pedagógicos com as associações que atendem pessoas com deficiência na região. A assinatura dos contratos foi feita no auditório da ADR e contou com a participação de 12 associações, incluindo as APAEs dos municípios, a Associação dos Deficientes Visuais do Sul (Advisul), a Associação de Pais e Amigos do Autista (Ama) e o Instituto de Educação Especial Diomício Freitas.

“O Estado é sensível ao trabalho desenvolvido nessas associações e a parceria só confirma a disposição em manter o apoio e efetivar as ações em conjunto”, destacou o presidente da FCEE, Joaquim Coelho Lemos.

Os acordos assinados estabelecem condições adequadas para o atendimento de pessoas com deficiência por meio da cedência de professores efetivos do quadro do magistério estadual e admitidos em caráter temporário pela FCEE. “É sempre um motivo de alegria confirmar essa parceria com as associações. São todas fundamentais em suas áreas e em seus municípios”, afirmou o secretário executivo da ADR Criciúma, João Fabris.

Primeira-dama do estado realiza doações em Urussanga

Seja para a busca de uma melhor qualidade de vida, seja para devolver um pouco da dignidade, seja pelo conforto, a Fundação Nova Vida continua seus projetos assistencialistas em Santa Catarina beneficiando entidades e pessoas físicas mais necessitadas.

Na última sexta-feira, 22, a primeira-dama do Estado e presidente da instituição, Nicole Torret Moreira, cumpriu agenda no Sul, e realizou doações na Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc), Casa Guido, Hospital Nossa Senhora da Conceição e Apae de Urussanga.

Em visita ao Hospital de Urussanga, a presidente da Fundação Nova Vida realizou a doação de três cadeiras de banho, cinco pares de muletas e 20 cobertores. Já na Apae do município, a primeira-dama do Estado repassou 20 cobertores, entre edredons e mantas, bem como doou materiais para artesanato como linhas de tricô e crochê, tintas para tecido e tecidos para a confecção de toalhas de louça.

“Nós temos muitos alunos carentes, com mais necessidade, e por este motivo doamos a eles estes cobertores recebidos. O material de artesanato será de grande valia para o acabamento nas oficinas de arte. Ao invés de comprar os itens vamos usar estes doados. A visita foi bem descontraída e contou com a participação dos alunos com perguntas e uma agradável conversa”, conta a diretora da Apae de Urussanga, Maristela Vieites de Jesus.

Para a presidente da Fundação, o voluntariado oportuniza benefícios também a quem realiza as doações. “Tenho tido, ao longo dessa jornada, lições de vida que mudam a perspectiva e a maneira de encarar os nossos problemas pessoais. Perceber que, neste mundo tão injusto, tantas pessoas, de maneira voluntária, lutam diariamente pela cidadania e dignidade dos deficientes e das pessoas mais carentes, nos devolve a esperança no ser humano e num futuro mais justo”, revelou.

Ao todo, a Fundação Nova Vida realizou a entrega de 13 cadeiras de rodas, cilindro de oxigênio, 20 fardos de fraldas, kits para bebês, cama hospitalar, cestas básicas, muletas a instituições e pessoas físicas dos municípios de Criciúma, Içara, Sombrio, Santa Rosa do Sul, Balneário Gaivota, Tubarão, Capivari de Baixo, Jaguaruna, Jacinto Machado e Urussanga.

SOBRE A FUNDAÇÃO

Ao cidadão ou entidade que precisa, por exemplo, de cadeiras de rodas, muletas, óculos de grau, faldas geriátricas entre outros itens, pode requerer para a Fundação Nova Vida. Os interessados em participar do projeto devem entrar em contato e preencher um cadastro. Depois é feita uma entrevista com o requerente ou familiar e, posteriormente, o cidadão ou a entidade são contemplados com doações gratuitas.

A Fundação Nova Vida desenvolve ações na busca de minimizar os efeitos dos problemas sociais sobre os mais vulneráveis, crianças, adolescentes e idosos. Desta forma, apresenta projetos que fazem da Fundação um parceiro social dos cidadãos catarinenses, desenvolve ações para assistir pessoas físicas com vulnerabilidade e risco social, diretamente ou através de entidades assistenciais sem fins lucrativos, em suas atuações junto às comunidades empobrecidas ou em dificuldades, por meio de Programas e Projetos consolidados e ajudas e socorros pontuais.

Ministério Público realizará reunião em Santana sobre recuperação ambiental

Uma audiência com o Ministério Público aberta para todos os moradores das regiões carboníferas acontecerá no dia 5 de julho, às 18 horas, no Salão de Festas da Igreja de Santana. O objetivo do 1º Relatório de Monitoramento dos Indicadores Ambientais será o debate sobre recuperação ambiental nas localidades que sofrem com a degradação deixada pela mineração, como as regiões de Santana e Rio Carvão.

Além da presença do Ministério Público, os representantes das empresas que ainda realizam atividades referentes à mineração também estarão presentes na reunião.

De acordo com o Presidente da Associação de Moradores de Santana, Ediraldo Albano, o prefeito de Lauro Muller, Jair Fontanella, e alguns vereadores de Urussanga já confirmaram presença. “O assunto a ser tratado é única e exclusivamente sobre recuperação do meio ambiente sobre degradação deixada para trás pelas mineradoras. Ela abrange toda a região carbonífera e nós gostaríamos que viessem todos. Contamos com a força total das autoridades da região e a população de modo geral”, explica Ediraldo.

O monitoramento de bacias hidrográficas da região Carbonífera já está acontecendo e no ano de 2017, em uma audiência pública realizada em Criciúma, foi esclarecido para a população sobre o andamento dos projetos de recuperação ambiental, os avanços na qualidade dos recursos hídricos, recomposição topográfica das áreas degradadas pela mineração e recuperação da flora e da fauna.

Energia elétrica: Grupos participam de reuniões com CELESC e ANEEL

A Comissão de Energia da Câmara de Vereadores de Urussanga participou de uma reunião em Florianópolis na manhã de quarta-feira, dia 27, com representantes da CELESC (Centrais Elétricas de Santa Catarina). O encontro teve como objetivo o de buscar soluções para o preço cobrado na tarifa de energia no município.

O encontro teve como objetivo o de buscar soluções para o preço cobrado na tarifa de energia no município.

A reunião foi agendada pelo Deputado Estadual Luiz Fernando Cardoso e contou com a participação do Presidente da CELESC, Cleverson Siewert e do diretor comercial Eduardo Cesconeto de Souza, dos vereadores de Urussanga, José Carlos José (PP) e Elson Roberto Ramos (MDB), e dos assessores Júlio Bonetti, representando o vereador Marcos Roberto Silveira (PT), e Andresa Baldessar, representante do vereador Jair Nandi (PSD).

De acordo com a assessoria da Câmara de Vereadores de Urussanga, o grupo apresentou dados referentes aos impactos econômicos causados pelo custo da energia em Urussanga, resultando no fechamento de empresas e diminuição de empregos e da arrecadação. Entraram ainda na pauta de discussões os preços praticados pela CELESC na venda de energia para as cooperativas e distribuidoras privadas, como é o caso da Empresa Força e Luz de Urussanga (EFLUL).

Outro assunto abordado foi referente à Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) que representa 20% do preço pago pelos consumidores de Urussanga e que serve para subsidiar os preços menores cobrados pelas cooperativas.

Ao final do encontro, a direção da CELESC se comprometeu em analisar as reivindicações apresentadas e mostrar medidas conjuntas que visem construir uma agenda positiva com a sociedade para diminuição do preço da energia no município.

Já na tarde de quinta- feira, dia 28, cinco representantes do Conselho de Consumidores de Energia de Urussanga e um do movimento “Energia Mais Barata Já” estiveram em Brasília e participaram de reuniões na Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) com o intuito de discutir o preço aplicado no município.

Até o fechamento desta edição, a equipe JV não obteve o resumo deste encontro. Os assuntos que foram debatidos serão levantados na próxima edição do Vanguarda.

Realeza da XVIII Festa do Vinho é eleita

Expectativa e emoção marcaram a escolha da Rainha e Princesas da XVIII Festa do Vinho, realizada na noite desta sexta-feira, dia 22, com o Ginásio Centenário de Urussanga lotado e efervescente com a animação das torcidas. O título de rainha foi conquistado por Suelen Cittadin Jacintho, de 18 anos, representante da Associação de Moradores do Bairro Rio América (AMBRA) e CEUSA.

Compõem a realeza as princesas Kamila Fretta Fabro, de 18 anos, representante da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Urussanga e Associação Comercial e Industrial (ACIU) de Urussanga, e Sara Servodio, de 16 anos, representante da Urussanga Minérios. A partir de agora também representam o evento como embaixatrizes as jovens Gisliani Carniato Feltrin, Kimberlin De Oliveira Dos Santos, Rafaela Cancellier Ghisi e Sabrina Inácio Velho.

Kamila Fretta Fabro conta que foram dois meses de muito aprendizado. “Foi e está sendo um verdadeiro sonho e que irá deixar marcas e lembranças por toda a minha vida, é gratificante todo o carinho que estou recebendo e principalmente dos meus pais, familiares e amigos que estão vivendo este sonho comigo e a partir de agora farei o meu melhor para poder representar muito bem a minha cidade e honrar o título que recebi”.

Para a princesa Sara Servodio ser eleita foi um sonho realizado. “Eu não esperava o título, quando ele chamou o meu nome eu não acreditei, e não sabia nem o que fazer, foi uma emoção enorme quando vi a Danieli vindo em minha direção pra passar o título”, conta.

Segundo a rainha escolhida, Suelen Cittadin Jacintho, participar da escolha da corte foi a melhor decisão que já tomou na vida. “Além de adquirir muito conhecimento sobre minha cidade, fiz novas amizades, e tive novas experiências. Ser eleita rainha foi uma sensação de dever cumprido, pois foram praticamente dois meses estudando, treinando e se esforçando muito para que esse sonho se tornasse realidade. O que posso dizer é que a partir de agora vou honrar com a coroa e com a faixa que recebi, e levar o nome de Urussanga e da festa do vinho com muito amor e carinho para outras regiões”, ressalta.

Antes da cerimônia no Ginásio Centenário, as sete candidatas participaram de um coquetel junto com os cinco jurados. Desde este momento, elas foram avaliadas dentro de critérios como desenvoltura, simpatia, comunicação, passarela, figurino e beleza.

Ao final do desfile, todas as candidatas ganharam joias em ouro repassadas de forma cortês pela advogada Magaly Bonetti Mazzucco, bem como presentes das lojas Cazamix e O Boticário.

As três eleitas receberam as respectivas coroas e faixas repassadas pela corte que representou Urussanga nas edições da Festa do Vinho em 2016 e 2017. A realeza da XVIII Festa do Vinho foi contemplada com um curso intensivo de língua italiana ofertado pelo Instituto Sul de Línguas (Isul). A rainha Suelen ganhou uma viagem oferecida pela agência DS Travel.

“Durante dois meses, as candidatas participaram de diversos cursos de capacitação, inclusive de como bem receber os visitantes que irão prestigiar a Festa do Vinho. Nós temos convicção de que elas irão representar a simpatia e beleza da mulher urussanguense”, salienta a vice-presidente da Comissão Central Organizadora da Festa do Vinho, Margareth Maria Serafin De Villa.

A XVIII Festa do Vinho ocorre de 8 a 12 de agosto e é uma realização da Prefeitura de Urussanga, por meio da Comissão Central Organizadora, em parceria com as entidades e associações culturais do município, e a empresa X9 Promoções Artísticas. Além dos vinhos, da gastronomia e de exposições, o evento terá atrações nacionais como Axé 90 Graus, Zé Neto e Cristiano, Chitãozinho e Xororó, Roupa Nova e Jorge & Mateus.

PP de Urussanga prestigia lançamento da pré-candidatura de Amin

Os progressistas de Urussanga participaram no último sábado, 18, do lançamento da pré-candidatura de Esperidião Amin ao governo de Santa Catarina. O evento reuniu cerca de 1 mil pessoas entre elas, a presença de Gelson Merisio (PSD), João Paulo Kleinubing (DEM), além de prefeitos, vices, deputados, lideranças, imprensa, filiados e simpatizantes da região Sul.

“Sou pré-candidato. Desfruto de uma boa condição eleitoral, mas quero uma eleição viável e Governo viável que se expressa por uma coligação coerente e vitoriosa e que atenda as necessidades de Santa Catarina”, disse Amin.

O prefeito de Urussanga, Gustavo Cancellier considerou o evento muito prestigiado e surpreendeu positivamente pela presença dos presidentes dos partidos, pré-candidatos, vereadores, prefeitos e lideranças de todo o Estado. “Foi uma grande mobilização feita por Márcio Búrigo e Itamar da Silva. O evento demonstrou uma unidade entre os partidos que fazem parte desta possível coligação, e isso ficou claro com a presença do Gelson Merisio e João Paulo Kleinubing. É uma forma de vermos que todos estão pensando no melhor projeto para Santa Catarina e alavancar o nosso Estado. Fico contente com a pré-candidatura do Amin, já que temos uma relação de amizade que se fortaleceu ao longo da nossa gestão. Por esse motivo e considerando o caráter dele, acredito que seja um ótimo pré-candidato ao governo do Estado, como vem demonstrado as pesquisas que estão sendo publicadas”, frisa.

Saiba mais sobre Esperidião Amin

Amin nasceu na capital catarinense, tem 70 anos e atualmente exerce o terceiro mandado de deputado federal. Ele é advogado, professor universitário e administrador, e tem doutorado em Engenharia e Gestão do Conhecimento pela UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina). O pré-candidato já foi prefeito de Florianópolis por duas vezes (1975 – 1978 e 1989 – 1990) e governou o estado também por dois mandatos (1983 – 1987 e 1999 – 2002). Amin foi ainda senador entre 1991 e 1998.

RECADO À COMISSÃO ESPECIAL DA CÂMARA DOS DEPUTADOS QUE APROVARAM, NESTA SEMANA, O “PACOTE” DO VENENO !!!

Enquanto nós, pobres brasileiros, torcemos pelo Brasil para ser Hexa Campeão Mundial de Futebol e, assim termos um pouco de alegria para enfrentar as injustiças, as desigualdades e corrupção, a Comissão Especial da Câmara dos Deputados, em sua maioria, aprova o relatório que aumenta o veneno em nossa comida! Desde 2008, temos o título, nada honroso, de Campeão Mundial no uso de agrotóxicos!

Segundo a Constituição Federal – Art. 225, todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à população o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações. Todos temos direito a uma alimentação saudável e adequada, independentemente de raça, gênero ou nacionalidade. Infelizmente, não é assim que está pensando a Comissão Especial da Câmara dos Deputados. Sob o argumento principal de “modernização” da agricultura, a bancada ruralista aprovou o relatório que torna mais branda as regras para liberação dos agrotóxicos para uso na produção de alimentos. Na prática, significa que o registro dos venenos, vai ser em menor tempo, ou seja, haverá menos tempo para avaliar a nova substância quanto aos seus efeitos na saúde das pessoas e no meio ambiente. O novo texto deixa de vetar substâncias que trazem risco de câncer e, ainda acelera o processo que libera os venenos. Pela lei atual, a simples ‘identificação do perigo’ de uma substância que cause mutações, câncer ou desregulação hormonal, por exemplo, já era suficiente para que o produto seja proibido. O novo texto abre a possibilidade para que haja o registro dessas substâncias após uma “análise de risco” que aponte possíveis doses seguras. Só ficaria proibido algo que apresente “risco inaceitável”. Não fica claro, porém, o que é um risco inaceitável, o que fez os deputados da oposição questionarem: “O que é aceitável? Um tumorzinho, uma malformaçãozinha? A Dose Diária Aceitável (DDA) nos leva a crer que podemos comer um pouco de veneno (“cientificamente calculada”) todos os dias; Será que nós temos mecanismos biológicos, fisiológicos ou químicos, garantindo que não haverá danos à saúde se ingerirmos a DDA? Em geral, quem diz qual a “dose diária aceitável” é a própria multinacional dos agroquímicos!

O uso de agrotóxicos, como vem sendo feito no Brasil, pode ser classificado como uma das mais graves e persistentes violações ao direito a alimentação saudável, pois impede o acesso da população a um alimento limpo e saudável, além de serem extremamente prejudicial ao meio ambiente. Os agrotóxicos intoxicam 3 milhões de pessoas, todos os anos, diz a ONU (Organização das Nações Unidas), mas mesmo assim, no Brasil, a Comissão Especial da Câmara aprovou o relatório do Projeto de Lei 6.299/2002 que facilita ainda mais o uso de venenos na comida dos brasileiros! Que retrocesso! Com esta decisão, não se está pensando no bem comum e sim nos interesses próprios! Lamentável! A aprovação desse projeto vai ser um verdadeiro desastre, tanto para saúde da população como para o meio ambiente. A bancada ruralista da Câmara dos Deputados tem, reiteradamente, se posicionado contra a participação de órgãos públicos de saúde e meio ambiente na Comissão Especial que debate o Projeto de Lei. E, o que é pior, no Brasil são consumidos pelo menos 14 tipos de substâncias que já são proibidas no mundo, por oferecerem comprovados riscos à saúde humana. Um exemplo das sérias consequências à saúde humana do uso crescente e abusivo de agrotóxicos na agricultura são os casos de intoxicação registrados no Centro de Informações e Assistência Toxicológicas (CIAT) situado no Hospital Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina, em Florianópolis, SC. No período de 1986 até 2016, o CIAT detectou 12.811 casos de intoxicações de agricultores Segundo os técnicos, esses números representam apenas uma parte da realidade. Estima-se que para cada notificação oficial ocorram pelo menos 10 casos que não são registrados devido a dificuldade de diagnosticar corretamente os casos de intoxicação. Existe uma enorme pressão comercial das empresas produtoras de agrotóxicos, que sem qualquer compromisso com o meio ambiente e, com a saúde da população, visam apenas o aumento dos lucros.

Os venenos foram criados para acabar com a fome no mundo, mas ainda existem 1 bilhão de pessoas desnutridas no mundo, 11 mil crianças morrem de fome a cada dia,
um terço das crianças dos países em desenvolvimento apresentam atraso no crescimento físico e intelectual, 40% das mulheres dos países em desenvolvimento são anêmicas e encontram-se abaixo do peso e uma pessoa a cada sete, padece de fome no mundo.

A sociedade brasileira e catarinense não admite mais a intensa contaminação do meio ambiente e da saúde do consumidor e agricultor pelo uso desenfreado de agrotóxicos. No mundo inteiro as pessoas estão cada vez mais preocupadas com a saúde e com o consumo de alimentos mais saudáveis. A agricultura orgânica já é uma realidade! Os resultados de pesquisa estão publicados pela Epagri e outras instituições e comprovam que a agricultura orgânica só tem vantagens. Os produtos orgânicos, por não utilizarem agrotóxicos e adubos químicos solúveis e, por serem produzidos com técnicas ambientalmente corretas, são os alimentos ideais para toda a família, pois além de terem maior teor de vitaminas e sais minerais, apresentam melhor sabor e conservação e, ainda menor custo de produção.

A luta continua!!! O projeto irá ao plenário, provavelmente depois das eleições! Vamos dar o troco na próxima eleição! Chega de Agrotóxicos! Não vamos deixar a natureza, também, ser corrompida!

Site oferece sistema de orçamento ao agricultor

Um canal de notícias direcionadas para o homem do campo. Assim é o site Agroplural, uma plataforma de uso fácil e acesso rápido a informação. A proposta é interligar pessoas, principalmente o produtor rural. Elaborado por profissionais da região Sul de Santa Catarina, o site está em funcionamento há quase um mês.

Entre os diferenciais da plataforma estão um sistema de orçamento e canais de venda de produtos. O site é o único no Brasil a oferecer a ferramenta de orçamento. “Nosso objetivo é criar canais de negociações que hoje não estão acessíveis ao produtor rural. Queremos interligar o agricultor ao fornecedor de insumos e ampliar sua área de atuação, facilitando e aumentando a lucratividade do homem do campo. O que nos motivou a implantar este projeto é a finalidade de ajudar e promover o desenvolvimento das pessoas e famílias do meio rural. Futuramente almejamos o reconhecimento como uma das melhores e mais inovadoras plataformas de acesso e informação ao agronegócio”, explica o responsável pelo site, Leandro de Figueiredo Brolessi.

Além de informações para o negócio, o agricultor terá acesso a uma área de Classificados para vender ou comprar itens relacionados ao agronegócio desde insumos até terrenos rurais. “A parte de Classificados contempla categorias como animais, caminhões, alimentos, peças e motores em geral, propriedades rurais, tratores e máquinas e implementos agrícolas. Essa oferta de produtos pode ser feita dentro de qualquer área no Brasil. A ferramenta vai aproximar o homem do campo às oportunidades, tornando-as mais acessíveis”, pontua.

SISTEMA DE ORÇAMENTO

O Sistema de Orçamento no site Agroplural liga o agricultor ao fornecedor ou comprador por meio de um cadastro. Após este primeiro passo, o produtor rural solicita o orçamento que necessita para o cultivo. Posteriormente os fornecedores geram propostas e os agricultores escolhem a melhor proposta.

A ferramenta amplia contatos e oportunidades de negócios resultando no aumento de ganhos. O agricultor pode escolher a área de cobertura para orçamentos. O Sistema de Orçamento no site Agroplural terá início na primeira quinzena de agosto. Porém agricultores e fornecedores já devem se registrar na área de pré-cadastro disponível no site: www.agroplural.com.br

“Nas próximas semanas devemos liberar simulações ou vídeos explicativos no site para uso do sistema de orçamento e promoveremos orientações mais detalhadas de uso da ferramenta. O site Agroplural quer ser a empresa amiga do agricultor que gera valor de conhecimento e desenvolvimento sustentável. Queremos promover uma nova cultura de comercialização familiarizando a tecnologia no dia a dia do pequeno e médio agricultor”, salienta Leandro.

Madonna dei Campi: Devoção trazida pelos imigrantes italianos

A bíblia sob a mesa aberta no Salmo 90/91 e o rosário feito de pedras transmitem a forte devoção e fé presentes na família de Ilva De Bona Sartor Fontanella, de 83 anos. A moradora da comunidade de Linha Rio Maior é bisneta do imigrante italiano Giovanni De Bona Sartor, um dos fundadores da localidade.

“Religião em primeiro lugar. E isso é algo que foi pregado desde criança. Meus avós ensinavam. Menos festa e mais reza. No domingo eles nem deixavam a gente brincar com as amigas. Primeiro lugar era fazer a reza de manhã, de tarde e a noite. Ir para a missa e se segurar para não falar mal das pessoas”, lembra Ilva.

Foi Giovanni que trouxe consigo, na longa viagem da Itália até o Brasil, um quadro com a estampa de Nossa Senhora dos Campos, mais conhecida como Madonna dei Campi. Frequentemente, as demais famílias que se estabeleceram na comunidade se reuniam para a reza do terço na residência de Giovanni. Era ele que impulsionava o encontro de fé das famílias principalmente no Dia da Padroeira, celebrado em 12 de julho.

“Essa estampa original trazida da Itália ninguém sabe onde foi parar. Eles veneravam a Madonna em cima de um pedaço de madeira colocado perto de onde foi feita posteriormente a primeira capela. Hoje no local só restam os coqueiros em cima do morro. Meu avô Giacomo, de tão devoto, para invocar o povo ao momento de fé e oração, pegou um resto de uma trilha de estrada de ferro e uns pedaços de madeira compridos e com a ajuda de três irmãos batiam esse instrumento que não era um sino, mas fazia um som forte que se escutava até em São Valentim. Essa era a batida das quatro horas que chamava as pessoas todos os domingos para o terço na casa dos De Bona Sartor. O momento contava com uma ladainha em latim. Meu avô tinha Giacomo uma forte ligação com a Madonna dei Campi e ele tinha ferraria, serraria, engenho de farinha de mandioca e de cana de açúcar”, recorda.

Segundo o Livro Tombo da Paróquia Nossa Senhora da Conceição de Urussanga, o quadro continha orações dedicadas à santa, que naquela época chamavam de La Preghiera, e um grupo de senhoras cantava a ladainha em latim e o canto Regina Coeli.

Quarenta anos depois da chegada ao Brasil, o número de famílias devotas foi aumentando. Em 1918, o filho de Giovanni, Giacomo construiu a primeira capela em madeira e mandou esculpir a primeira imagem da Santa feita de argila por Jacinto Frasseto, que possuía uma fábrica de imagens sacras na localidade de Rio Carvão. “Scarpel… Tudo esculpida. Su fucca santa, que em dialeto quer dizer moranga santa. Afinal a imagem centenária foi feita em cima de uma abóbora e representa a lavoura”, conta.

Para comemorar a data com festa era convidado o capelão da igreja de Sant’Ana (atual comunidade de Santana), Giuseppe De Bona Sartor. “A turma da praça, como Angelin Nichele, Zeferino Búrigo, Higino Fontanella, Francisco De Césaro, vinha para o terço na igreja de madeira após a missa na matriz. Eles eram devotos e veneravam a Santa. Alguns almoçavam nas casas de famílias da comunidade, enquanto outros ficavam no pasto, perto das figueiras. A Madonna ganhava muitas joias de promessas. Anel de ouro, de prata com pedras, colares, pedras de cristais”, pontua Ilva.

SEGUNDA EDIFICAÇÃO FOI HEXAGONAL

A capela de madeira foi desmanchada no início da década de 60. Em 1964, a comunidade construiu a segunda edificação religiosa em alvenaria. Para a pequena igreja, feita de forma sextavada, a família De Bona Sartor doou a imagem da Padroeira e a Via-Sacra italiana. A primeira missa foi celebrada pelo padre Agenor Neves Marques e cantada em latim.

“Enfeitávamos o altar com tule e flores artificiais. Lembro até hoje dos detalhes. Era branca com janelas no tom de azul. Lá dentro tinha uns 3 ou 4 bancos de cada lado. Os antigos diziam que as festas mais tradicionais de Urussanga eram a de São Pedro, Santo Antônio e a Madonna dei Campi. Sempre prestigiadas por muitas pessoas”, frisa.

FORTALECIDOS PELA FÉ E PELOS MILAGRES

A história de um milagre associado a Nossa Senhora dos Campos, a Madonna dei Campi, ocorreu em Urussanga ainda na década de 70. Anésio Maccari, filho de Silvestro e Irene Maccari, esteve entre a vida e a morte após tomar uma vacina. Ele teve uma forte febre e perdeu todos os movimentos do corpo, sendo internado em um hospital. O médico disse à família que somente um milagre o faria viver. O problema de saúde ocorreu justamente entre os dias 10 e 12 de julho.

Silvestro Maccari, pai de Anésio, era natural de Treviso e devoto de Madonna dei Campi. Por este motivo e pela proximidade com a data, a família direcionou todas as orações à Santa. E foi no dia dedicado a Nossa Senhora dos Campos que o pai de Anésio comunicou a família em Urussanga sobre a recuperação do filho. Após a graça alcançada e com o intuito de agradecer o milagre, a mãe, Irene Maccari comprou uma imagem de Nossa Senhora dos Campos e a doou para a igreja em Rio América Baixo, localidade onde a família residia.

A moradora de Linha Rio Maior, Edith Bez Pillon, de 85 anos, possui um compromisso todos os domingos: rezar o terço na igreja de Madonna dei Campi. “Meu marido, descendente da família De Bona Sartor, dava o exemplo. Quando chegava a nossa casa, ele nos fazia refletir com a pergunta: que tipo de domingo vocês tem hoje? Para ele era sagrado. Não faltava e chegou até a fazer uma marca no banco onde era o lugar dele. Quando era a capelinha de madeira, ela estava no terreno da família deles. Lembro que vinha até os tropeiros com mulas da serra agradecendo as coisas boas que ocorriam no campo. Eles vinham na véspera do dia da Santa, soltavam a mula, assistiam ao terço e depois no outro dia iam embora”, conta.

Para Edith, a Santa é milagrosa. “Percebemos quantos temporais devastaram as propriedades e o trabalho dos agricultores em outros lugares. Graças a Deus nós nunca tivemos algo assim grave na nossa localidade. Temos que conservar a nossa devoção e fé por ela, pois é realmente milagrosa e protege o homem do campo. Tenho uma graça que devo a ela”, revela.

LOCAL RECEBEU A VISITA DO VICE-GOVERNADOR

Com o prestígio do povo nas festividades em honra a Nossa Senhora dos Campos, o grupo de fabriqueiros no início da década de 80 percebeu a necessidade de erguer um novo lugar para acolher a comunidade. Naquela época, Natal Fontanella, hoje com 88 anos, era o tesoureiro do CAEP, que também contava com a atuação de João Polidoro Bez Batti, José Carara e Pedro Madalena.

“Existia um salão antigo e resolvemos construir um novo, em 1983. Começamos a levantar a obra sem ter nada e foi feita com a ajuda do povo. Devagarzinho fomos fazendo. A inauguração contou até com a presença do vice-governador, Victor Fontana. Foi uma festa grande, um dia marcante, e deu quase para pagar todos os custos da obra. O Fontana ficou surpreso porque com um lugar pequeno conseguimos fazer um salão grande daqueles com a ajuda do povo. Ele disse que nós tivemos muita capacidade”, recorda Natal.

Fontanella também lembra o espaço da igreja hexagonal. “Uma vez o Padre Orlando Cechinel veio rezar a missa aqui e afirmou que nossa igreja estava muito pequena porque o padre ficava quase com o calcanhar de fora. Então a comunidade percebeu que precisava fazer ela maior. O povo se uniu, uns deram serviço, outros materiais, e assim foi”, conta.

A pequena igreja sextavada deu lugar a uma nova construção e a terceira igreja foi inaugurada em 14 de julho de 1989. Ela foi ornada pelas esculturas de José Fernandes, mais conhecido como “Zé Diabo”, artista plástico natural de Orleans. As obras estão anexadas no campanário (frente) e no presbitério (interior).

“Quando tem missa, uma vez por mês, eu não falto. Eu gosto de ajudar a igreja. Sou devoto de Nossa Senhora dos Campos. Ela é dos agricultores e eu já fui agricultor também. Nossa igreja merece atenção porque foi feita pelos imigrantes. Ela é muito protegida”, salienta.

Um projeto de reforma e ampliação do salão foi desenvolvido entre 2015 e 2016 pelo escritório de arquitetura James Périco Neto, bem como todo o paisagismo do pátio da igreja. A comunidade está empenhada para que a obra se torne realidade. Toda a cobertura que hoje é de madeira será substituída por estrutura metálica e os espaços destinados ao preparo de alimentos foram reorganizados, dando amplitude para a parte onde ficam as mesas.

Segundo o CAEP, o piso inferior será destinado a uma sala de múltiplo uso, que poderá ser utilizada pelo Clube de Mães, e uma sala de catequese, observando as orientações da Igreja para que se torne um ambiente mistagógico, ou seja, que conduza ao mistério de Cristo, e não mais no formato de sala de aula, com carteiras e quadro, mas um ambiente de encontro.

HISTÓRIA DE NOSSA SENHORA DOS CAMPOS

No século XIII existia, em Stezzano, na Itália, um pequeno oratório construído pelos camponeses fora do povoado, no caminho que levava para os campos, exatamente onde hoje se encontra o Santuário de Nossa Senhora dos Campos. Neste oratório, venerava-se um quadro que representava Nossa Senhora com o Menino Jesus no colo. Ao passarem diante do oratório, a caminho da roça, os piedosos camponeses paravam um momento, tiravam o chapéu e rezavam uma Ave Maria. Era assim que eles ofereciam a Deus o seu trabalho e lhe pediam, pela intercessão de Nossa Senhora, que abençoasse a sua lida e lhes desse uma colheita abundante.

Certo dia, enquanto uma piedosa senhora do lugar ali rezava, viu uma luz resplandecente a iluminar todo o interior do oratório e, envolta em raios de luz, apareceu-lhe, em visão, uma venerável senhora que, com carinho, acalentava nos braços o Menino Jesus. Foi a primeira aparição. A notícia se espalhou e, a partir de então, o povo começou a frequentar o local para rezar e pedir graças. E foram tantas alcançadas, que construíram uma pequena igreja dedicada a Nossa Senhora dos Campos. As notícias de graças recebidas difundiam-se sempre mais e o número de peregrinos aumentava a cada dia. A igrejinha foi se enriquecendo de ex-votos e de pinturas. Mas o alvo central de veneração sempre foi o quadro de Nossa Senhora, colocado numa das colunas que sustentavam os arcos da igreja. Depois dos primeiros anos de grande fervor, o culto a Nossa Senhora dos Campos foi se enfraquecendo no meio do povo, talvez devido ao relaxamento na prática da fé, à devassidão dos costumes e às ideias dos reformadores protestantes. Em decor
rência disso, a igrejinha situada no meio dos trigais, antes alvo de tantas romarias, foi, aos poucos, sendo esquecida e ficou quase abandonada.

Quando parecia que a devoção estivesse condenada a desaparecer, Nossa Senhora mesma achou um jeito para reacender a fé e a piedade do povo, através de um fato extraordinário: desde o mês de maio de 1586 até a festa de Todos os Santos do mesmo ano, ao pé da coluna onde estava o quadro de Nossa Senhora, começou a jorrar, milagrosamente, uma vertente de água cristalina tão abundante que chegava a alagar todo o piso da igreja. Tal fenômeno se repetiu várias vezes. Muitos acorriam ao lugar para ver o milagre e pedir graças.

A água foi reconhecida como milagrosa, não só pela maneira como havia jorrado da coluna, mas pelas graças alcançadas por todos aqueles que dela se serviam para beber ou benzer-se. No dia 12 de julho de 1586, duas meninas do povoado de Stezzano, Bartolomea Bucanelli e Dorotea Battistoni, de 10 e 11 anos, enquanto cuidavam das vacas que pastavam nas imediações, aproximaram-se da igreja para rezar. Como a porta estava fechada, foram até a janela e olharam para dentro. Para sua surpresa, viram lá dentro uma linda Senhora, vestida com uma longa túnica de cor escura e um véu branco a lhe cobrir a cabeça. Segurava um livro na mão esquerda e tinha a mão direita e os olhos voltados para o alto, em atitude de intensa oração. As meninas ficaram fascinadas com o que viram e permaneceram longo tempo contemplando a venerável Senhora, até que desapareceu de sua vista. Depois, correram ao povoado e narraram a todos o que tinham visto.

A fama da água milagrosa e da aparição às duas meninas camponesas difundiu-se rapidamente pelos povoados vizinhos, chegando até a sede do bispado de Bérgamo. Diante do depoimento de muitas testemunhas e do parecer de pessoas competentes, o bispo emanou um decreto confirmando que os fatos ocorridos eram de caráter sobrenatural. A devoção intensificou-se e numerosos fiéis acorriam à igreja para venerar a imagem.

No século XVII, a igreja foi ampliada. Em 1868, a estátua da aparição às camponesas foi entronizada, também com título de Nossa Senhora da Oração. Anos depois, por decreto do Papa Leão 13, a imagem recebeu a coroa de ouro, sinal de que a Igreja aprovava oficialmente o seu culto.

FESTA CENTENÁRIA PRESTA HOMENAGENS AS FAMÍLIAS DE IMIGRANTES E TERÁ NOITES TEMÁTICAS

Os 100 anos da festa em honra a Madonna dei Campi ocorrem no próximo mês. A comunidade de Linha Rio Maior inicia as festividades na próxima semana, de 5 a 8 de julho. De quinta-feira a sábado, as missas irão prestar homenagens aos descendentes de imigrantes das famílias De Bona, Feltrin, De Bettio, Fontanella, Donadel e Tezza. Após as celebrações irão acontecer noites temáticas, do risoto e da massa, com venda de ingressos antecipados pelo telefone 9 9123-1932.

No domingo, dia 8 de julho, irão ocorrer duas transladações da antiga imagem de Nossa Senhora dos Campos e do quadro com a réplica da primeira estampa. A ação conhecida como tratoraço foi resgatada em 2014 e todos os agricultores das comunidades vizinhas são convidados a participar.

Na chegada, antes da santa missa, acontecerá o descerramento e bênção do memorial dos 100 anos da festa da padroeira com a participação dos mais idosos da comunidade. Após a celebração religiosa haverá o corte do bolo comemorativo pelo centenário da festa da Padroeira.

No dia dedicado à Santa, 12 de julho, uma missa a noite prestará homenagem aos descendentes de Giovanni De Bona Sartor e Matteo De Bona Sartor. Após a celebração terá a noite temática da minestra com sorteio da ação beneficente.

Secretaria de Obras de Urussanga realiza operação tapa buracos

A Secretaria de Obras de Urussanga realizou uma operação tapa buracos na Avenida Marcos Costa e no Bairro da Estação. A solicitação vinha sendo realizada especialmente pelos motoristas e pedestres que trafegavam pelo local. Ao todo, foram utilizadas 44 toneladas de asfalto para concluir o serviço.

“Essas são rodovias importantes para o nosso município e por isso merecem a atenção. Este é um trabalho que irá beneficiar toda a comunidade que precisa transitar pelo centro da cidade”, enaltece o diretor, Adegar Costa e Silva.

Além do trabalho finalizado na Avenida Marcos Costa e no Bairro da Estação, também foram promovidas melhorias na rua que dá acesso ao bairro De Brida, além de outros reparos que foram realizados no centro da cidade.

Conheça a fibrilação atrial, um dos principais fatores de risco para o AVC

Segunda fase da campanha ‘O Som do Coração’ alerta para a principal arritmia cardíaca do mundo

No mês em que se comemora o Dia Mundial do Ritmo Cardíaco (13/6), e em plena Copa do Mundo, onde o coração do brasileiro bate mais forte, uma iniciativa de conscientização em saúde alerta para uma doença que aumenta em cinco vezes o risco de AVC e acomete entre 1,5 e 2 milhões de brasileiros¹: a fibrilação atrial (FA). Para reforçar a importância do tema, a Boehringer Ingelheim (BI), com o apoio da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP), lança a segunda etapa da campanha digital “O Som do Coração”, cujo objetivo é conscientizar a população sobre sintomas, riscos, diagnóstico e tratamento da FA. As ações de 2018 terão como principal foco reforçar a característica peculiar da doença, que faz com que o coração bata de forma irregular, com possível aumento da frequência cardíaca.

“Estudos mostram que os pacientes com fibrilação atrial e que também são portadores de outras doenças (como hipertensão, diabetes etc) têm, ao longo de um ano, cerca de 10% de chance de desenvolver o AVC. Vale ressaltar que os AVCs provocados pela FA¹ podem proporcionar sequelas incapacitantes. Por isso, o diagnóstico precoce e o tratamento anticoagulante adequado da arritmia são fundamentais para o bem-estar do paciente”, explica José Francisco Kerr Saraiva, médico cardiologista e professor da PUC Campinas.

Neste ano, a campanha O Som do Coração começa no Dia Mundial do Ritmo Cardíaco (13/6) e tem como destaque a veiculação de um vídeo que apresenta, em detalhes, as questões mais importantes que envolvem a fibrilação atrial. Clique no link e compartilhe o material com as informações sobre a fibrilação atrial:https://www.facebook.com/BoehringerIngelheimBrasil e www.somdocoracao.com.br

Sobre a Fibrilação Atrial

A Fibrilação Atrial é uma doença que altera o ritmo cardíaco e faz o coração pulsar de forma descompassada e irregular. Fazendo com que o fluxo do sangue no coração fique anormal e turbulento, podendo provocar a formação de coágulos – ou trombos – no coração. Estes coágulos podem se deslocar pela circulação sanguínea na direção do cérebro e acabar causando um AVC. 3 e 4

Em geral, a Fibrilação Atrial está associada a fatores como hipertensão, diabetes, insuficiência cardíaca e infarto do miocárdio. Embora possa causar palpitações, dores no peito e falta de ar, muitas vezes a doença passa despercebida por não apresentar sintomas4. No entanto, 63%² dos brasileiros nunca ouviram falar da enfermidade, de acordo com a pesquisa “A percepção dos brasileiros sobre doenças cardiovasculares”, desenvolvida pelo Ibope Conecta em parceria com a Boehringer Ingelheim (BI).

Tratamento

Uma parte é feita com medicamentos que controlam o ritmo cardíaco e a outra realizada com anticoagulantes que afinam o sangue para impedir a formação de trombos e reduzem a chance de um AVC. No entanto, cerca de 50%² dos pacientes diagnosticados, não usam anticoagulantes em virtude de receios de emergências e sangramentos. Entretanto, já existe um agente reversor específico para a dabigatrana, um dos anticoagulantes disponíveis no mercado, para interromper momentaneamente o efeito do medicamento em casos de emergência, o que é considerado um grande avanço no tratamento da fibrilação atrial.

Sobre a Boehringer Ingelheim

A Boehringer Ingelheim é uma das 20 principais farmacêuticas do mundo e possui cerca de 50.000 funcionários globalmente. Atua há mais de 130 anos para trazer soluções inovadoras em suas três áreas de negócios: saúde humana, saúde animal e fabricação de biofármacos. Em 2017, obteve vendas líquidas de cerca de € 18,1 bilhões e os investimentos em pesquisa e desenvolvimento corresponderam a 17% do faturamento

líquido (mais de € 3 bilhões). No Brasil há mais de 60 anos, a Boehringer Ingelheim possui escritórios em São Paulo e Campinas, e fábricas em Itapecerica da Serra e Paulínia. A empresa recebeu, em 2018, pelo segundo ano consecutivo, a certificação Top Employers, que a elege como uma das melhores empregadoras do mundo por seu diferencial nas iniciativas de recursos humanos. Para mais informações, visite www.boehringer-ingelheim.com.br ewww.facebook.com/BoehringerIngelheimBrasil

Dia mundial do combate às drogas: prevenção e tratamento em Urussanga

No dia 26 de junho é comemorado o Dia Mundial do Combate às drogas. Considerado um problema de saúde pública, o uso abusivo de drogas atinge não só o paciente como a família toda. Segundo dados do OBID – Observatório Brasileiro de informações sobre drogas, por ano são realizadas mais de 100 mil internações decorrentes do uso abusivo de drogas no Brasil.

A prevenção é tão importante quanto o tratamento em si. Ivan Vieira coordena e comanda o programa Vida contra às drogas, na Rádio Marconi, trazendo semanalmente, todo sábado de manhã, histórias de usuários e familiares que sofrem com os malefícios da dependência química, como também suas superações.

“Quando minha família foi procurar ajuda a última coisa que eu queria era parar de usar drogas. Eu me perguntava que graça tem a vida sem o uso do álcool e da cocaína. É por isso que hoje em dia eu entendo tanto as pessoas que passam por isso”, conta Ivan que já sóbrio, ajudou diversas dependentes e famílias que buscam apoio.

Além disso, a Secretária de Saúde de Urussanga conta com profissionais preparados para o tratamento e apoio psicológico, psiquiátrico e medicamentoso, com reuniões de apoio tanto dependentes químicos como para familiares e acompanhamento de assistente sociais.

“Os dependentes químicos recebem apoio e auxilio do CAPS. Dependendo da necessidade do acompanhamento eles são transferidos para as clinicas de reabilitação e desintoxicação. Temos convênios com clinicas de Tubarão, Araranguá, Lauro Muller, além da clinica de Urussanga”, explica Ademir Becker, secretário de Saúde.

Segundo dados da ONU cerca de 5% da população adulta, ou 250 milhões de pessoas entre 15 e 64 anos, já usaram pelo menos uma droga. Estima-se que 29 milhões de pessoas que fazem uso de drogas sofram de algum transtorno relacionado a esse uso e apenas uma em um grupo de seis, faz tratamento.

#NadaJustifica: conheça grupos e ações para o enfrentamento da violência contra a mulher

A violência contra a mulher é um desafio diário em vários países. No Brasil não é diferente. Nem nos Estados. Em Santa Catarina, conforme a Polícia Militar, ocorrências desse tipo estão entre os cinco indicadores mais críticos e entre todas as ocorrências atendidas no Estado.

Em 2018, conforme a Secretaria de Estado de Segurança Pública, foram registrados 1.382 estupros no Estado entre os meses de janeiro e abril. Também nesse período foram 6,9 mil casos de lesão corporal – sendo que quase 65% ocorreram dentro de casa.

Em relação ao feminicídio – crime praticado contra a mulher em decorrência de violência doméstica, familiar ou, ainda, menosprezo ou discriminação à condição de mulher – no primeiro trimestre desse ano foram registradas oito ocorrências em Santa Catarina. Em metade dos casos, as vítimas tinham até 30 anos e tinham filhos com o autor do crime. Três vítimas registraram boletim de ocorrência contra o criminoso. E quase todos os casos ocorreram dentro de casa.

Segundo levantamento realizado pelo Instituto Maria da Penha, a cada dois segundos uma mulher é vítima de violência física ou verbal no Brasil. E a cada dois minutos, uma mulher é vítima de arma de fogo. Para denunciar esses casos, foi criado em 2005 o Dique 180 – Central de Atendimento à Mulher. Por meio desse canal as mulheres são orientadas sobre os serviços disponíveis para o enfrentamento do problema. É um serviço gratuito e anônimo. As atendentes são mulheres e são treinadas para dar o devido encaminhamento.

No exterior o 180 também funciona na Espanha (basta ligar para 900 990 055, discar opção 1 e, em seguida, informar em Português o número 61-3799.0180, em Portugal (pelo número para 800 800 550, discando 1 e informando o número 61-3799.0180) e na Itália (pelo número 800 172 211, discar 1 e, depois, informar em Português o número 61-3799.0180). Em Santa Catarina as vítimas também podem fazer denuncias à Polícia Civil pelo número 181.

ENFRENTAMENTO

Para o enfrentamento desse problema, no ano passado a Polícia Militar lançou um programa para direcionar esforços no combate e prevenção à violência doméstica. É a Rede Catarina de Proteção à Mulher, idealizada a partir de práticas bem sucedidas em todo o território nacional e em Santa Catarina. Tem como exemplo o Projeto Guardião Maria da Penha, de Chapecó, adotado também em Santo Amaro da Imperatriz, Florianópolis e Lages.

O programa está estruturado a partir de três eixos: ações de proteção, policiamento direcionado ao problema e solução tecnológica. Para executar o que foi proposto, o comando local da corporação terá uma guarnição específica denominada Patrulha Maria da Penha para qualificar o atendimento às mulheres vítimas de violência doméstica e familiar.

A Patrulha Maria da Penha é composta por, no mínimo, dois policiais militares – sendo um deles obrigatoriamente do sexo feminino. A implantação da patrulha será feita prioritariamente nas cidades com incidência significativa de violência doméstica e familiar, bem como nas cidades com mais de 100 mil habitantes.

De janeiro a maio de 2018, a Rede Catarina já realizou 2,7 mil visitas preventivas, acompanhando mulheres vítimas de violência doméstica e familiar. Atualmente o programa acompanha cerca de 800 mulheres.

A Polícia Civil de Santa Catarina desenvolve o programa Polícia Civil Por Ela. O principal desafio é dar novo significado ao papel da mulher que é vítima da violência. A dinâmica que é estabelecida com outras instituições parceiras é a de orientar e capacitar a mulher no sentido de não tolerar a violência. A iniciativa está em funcionamento nas delegacias de Balneário Camboriú, Itajaí e Florianópolis, e é paralela ao trabalho de investigação. Além do acolhimento das vítimas, promove o acesso a uma série de orientações, como esclarecimentos sobre a legislação e guarda compartilhada de filhos. A Polícia Civil também recebe denúncias de violência contra a mulher pelo número 181.

ASSISTÊNCIA SOCIAL

A Diretoria de Assistência Social da Secretaria Assistência Social, Trabalho e Habitação (SST) presta apoio e orientação aos municípios na execução de serviços e ações desenvolvidas no atendimento psicossocial a mulheres em situação de vulnerabilidade ou violação de direitos.

As mulheres em situação de risco social por vulnerabilidade ou violação de direitos (violência) recebem acompanhamento psicossocial nos serviços do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) ou nos serviços do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas).

“O trabalho tem o propósito de fortalecer a mulher no que se refere a sua autonomia e protagonismo, a superação das situações de violência vividas e o fortalecimento de vínculos familiares e comunitários saudáveis”, explica a diretora de Assistência Social da SST, Sandra Coimbra. Mulheres em situação de violência doméstica, em situação de risco iminente e com vínculos familiares rompidos, são atendidas em abrigos e casas de passagem – serviços também oferecidos pelos municípios, com apoio e orientação da SST.

Urussanguenses completam ultramaratona de montanha

Superação e emoção marcaram o último sábado, dia 23, para os urussanguenses Lucas Rotta e Eliana Maccari. Os jovens completaram a ultramaratona de montanha “Desafrio”, na cidade de Urubici, com um percurso de 52 quilômetros.

O trajeto contemplou terreno variado e técnico, com trilhas, cursos de água, estrada de chão e asfalto, entre a área central do município e o famoso Morro da Igreja atingindo 1,8 mil metros de altitude, voltando até a igreja matriz.

Lucas Rotta terminou a ultramaratona de montanha com o tempo de 5 horas e 13 minutos, enquanto Eliana Maccari completou o desafio em 6 horas e 32 minutos.

Próximo jogo do Brasil será contra o México na segunda

Depois de vencer a Sérvia, o Brasil avança para as oitavas de final da Copa do Mundo 2018 e enfrenta na próxima segunda-feira, 2 de julho, o time no México às 11 horas (horário de Brasília).

A Seleção Brasileira venceu a Sérvia por 2 a 0 na quarta-feira, dia 27 de junho.  O primeiro gol foi marcado pelo jogador Paulinho ainda no primeiro tempo. No segundo tempo, o zagueiro Thiago Silva marcou o segundo gol e garantiu com folga a vitória do Brasil.

Ainda sem encantar, a seleção brasileira segue em seu caminho de gradativa evolução para encarar um México que ainda não passou da primeira (e única) boa impressão, diante dos alemães. Mesmo que por linhas tortuosas, um duelo previsto antes das imprevisibilidades darem o tom nesta Copa.

Segunda rodada do Campeonato Municipal de Campo foi realizada no fim de semana

O Estádio Lydio de Brida recebeu no último domingo, dia 25, a segunda rodada do Campeonato Municipal de Futebol de Campo – Taça Birra Del Nonno. Na primeira partida realizada, o Urussanga Futebol Clube venceu a equipe da Canela Grande por 3 a 0. Já na segunda partida, De Villa e Minerasil ficaram no empate em 2 a 2.

“A cada nova rodada acompanhamos jogos disputados, com grande partidas e jogadores de qualidade. Retomamos o nosso Campeonato Municipal e estamos garantindo um ótimo espetáculo para quem gosta de esporte”, garante o diretor de esportes, Thiago Mutini.

O Campeonato Municipal de Futebol de Campo – Taça Birra Del Nonno é realizado pela Prefeitura Municipal de Urussanga por meio da Diretoria Municipal de Esportes e conta com o apoio da Liga Urussanguense de Desportos (LUD), Stone e Barbearia Belvedere.

Próxima rodada: 1º de julho:
Campo do De Villa:
13h30: Minerasil X Ambra
15h50: De Villa X Canela Grande
Folga Urussanga Futebol Clube

Karatê de Urussanga conquista vagas no Brasileiro

A Equipe Alpha Karatê de Urussanga participou no último final de semana da Etapa de Joinville do Campeonato Brasileiro. Ao final da competição, seis atletas do município foram classificados para a final do Campeonato Brasileiro, entre os 1.500 participantes

Bernardo com Ouro na etapa de Belo Horizonte, categoria Jr. -55kg; Michaelli com Ouro na etapa de Joinville categoria Cadete -54kg; Samuel com Ouro na etapa de Joinville categoria sub-14 -35kg, Isac com a Prata na etapa de Joinville categoria sub-14 -35kg; Gabrielle com a Prata na etapa de Joinville categoria Jr. -53kg; Thalisso com a Prata na etapa de Joinville categoria Júnior +76kg.

“Chegamos ao final de mais uma competição, de cabeça erguida e com a certeza de que estamos no caminho certo, sempre com muito a evoluir e melhorar, mas isso faz parte deste mundo, faz parte do esporte”, enaltece o Sensei Luiz Fernando Rodrigues da Silva.

A Prefeitura Municipal de Urussanga é parceira do projeto “Quem Luta Não Briga” da Associação Alpha. “Para nós esta é mais uma grande conquista dos nossos atletas que cada vez mais mostram a força deste esporte no nosso município”, garante o diretor de esportes, Thiago Mutini.

Auditoria realizada na Coopercocal confirma sistema de gestão pautado nos requisitos da qualidade

Na última semana, a Cooperativa Energética Cocal – COOPERCOCAL passou por auditoria externa de manutenção da ISO 9001, versão 2015. Foram auditados os setores da gestão da qualidade, indicadores de continuidade, desligamentos programados, reclamação de clientes e a alta direção.

O auditor responsável, Joloir de Souza do BSI, expôs a conclusão em reunião de encerramento confirmando o parecer favorável pela manutenção da certificação e a melhoria contínua nos processos.“Sabemos que é difícil atingirmos 100% de perfeição, mas trabalhamos para entregar sempre o nosso melhor aos associados e consumidores, garantindo o sistema de gestão pautado nos requisitos da qualidade”, ressaltou o presidente Altair Lorival de Melo.

A Coopercocal obteve sua primeira certificação em 2013, sendo recertificada em dezembro do ano passado com a atualização da norma. A próxima auditoria já está programada para novembro deste ano.