INTERVALO

Farei um intervalo na saga “Rumo ao Hexa”. Não, não deixei de acreditar nem de torcer, contudo resolvi colocar as barbas de molho. Ninguém mais instável, mais volúvel do que o torcedor brasileiro. Acorda exultante e vai dormir possesso, berra “o campeão voltou” para logo em seguida cair na mais completa e apática desconfiança. Assim no futebol como na vida. Mas, vamos em frente, meus caros amigos.

De assuntos políticos não se pode falar sem ferir sensibilidades. E as sensibilidades, insensíveis como são, respondem com cusparadas verbais e argumentos hediondos. Por exemplo: precisei bloquear, no Facebook, meia dúzia de marmanjos que davam chilique por qualquer crítica ao Bolsonaro. Se alguma vez cogitei votar neste homem, seus próprios apoiadores me desencorajaram. Voltemos ao campeonato mundial.

Quero prestar um óbvio tributo a Cristiano Ronaldo, o workaholic da bola, o obsessivo, o tarado do futebol. CR7 não apenas joga, ele trabalha, leva a sério sua profissão mais do que qualquer um e por isso é o melhor, incomparavelmente o melhor. Neymar foi agraciado com um talento, talvez, mais abundante, porém perde-se em coisas vãs, insiste em viver na adolescência. CR7 é o mito, praticamente um nauta camoniano.

Encerro trazendo duras verdades. Não foi falta em Miranda. Não foi pênalti em Gabriel Jesus. Bolsonaro não salvará o país. Sejamos corajosos para admitir: falhamos na defesa, falhamos no ataque, falhamos ao eleger nossas esperanças. Se não pararmos de colocar a culpa nos outros, se continuarmos esperando que outros resolvam nossas vidas, não seremos hexa, não seremos nada. Bom fim de semana a todos.

Blitz em Urussanga aponta irregularidades no transporte de mercadorias

O programa com “Nova Fiscal vai Legal”, que fiscaliza o transporte de mercadorias sem nota fiscal, realizou operação na manhã do dia 19 de junho em Urussanga, na Rodovia SC-108. No total, 95 veículos foram abordados, sendo que 12 transportavam mercadoria sem nova fiscal, alcançando média de 22,65% dos veículos abordados irregulares. Este índice está acima da média dos últimos anos.

Para o coordenador do programa, Ailson Piva, os números de irregularidades são altos e preocupam. “O transporte de mercadoria sem nota prejudica os municípios, já que impacta no retorno de ICMS. Menos recursos para prefeituras investirem no município”, alerta.

Os índices médios registrados nestes quase quatro anos de fiscalização são atingiram 17,34% em 2015, 22,31% em 2016 e 22,58% em 2017. Neste ano, a média até o momento é de 23,56%. A blitz contou com a presença de fiscais municipais, da fiscalização fazenda estadual, técnicos dos AMREC e o apoio da Policia Militar Rodoviária.

Comunidade de Rancho dos Bugres diz não a estadualização

Moradores da localidade de Rancho dos Bugres decidiram em reunião realizada na noite de quarta-feira, dia 20, pela não estadualização do trecho pertencente à Urussanga da Rota dos Imigrantes, que liga os municípios de Urussanga e Pedras Grandes. A reunião ocorreu no salão da igreja da comunidade e contou com a participação do prefeito de Urussanga, Gustavo Cancellier, vice-prefeito Décio Silva, presidente do Legislativo de Urussanga, Odivaldo Bonetti, vereadores de Urussanga, José Carlos José e Braz Cizeski, vereador de Pedras Grandes, Vilmar Della Bruna, e moradores.

O prefeito esclareceu que o município já tem um projeto de pavimentação asfáltica de 2,5 quilômetros que pode ser executado com fundos próprios ou verbas de emendas federais, já que com a instalação consorciada da usina de asfalto o custo da obra seria reduzido em quase 60%.

Para o vice-prefeito Décio Silva, a estadualização da rodovia poderia inviabilizar a sua pavimentação a curto e médio prazo, causando um problema ainda maior para a população, visto que a manutenção da via seria obrigação do Governo de Santa Catarina.

A rodovia que liga Urussanga a Siderópolis foi citada como exemplo. Há mais de uma década ela foi estadualizada e até os dias atuais não recebeu a pavimentação prometida pelo Estado, além do Governo raramente promove a manutenção do trecho e deixa a rodovia em estado precário de trafegabilidade.

Representando o município de Pedras Grandes, o vereador Vilmar Della Bruna defendeu a estadualização de toda a extensão da rodovia, alegando que os dois municípios teriam mais peso político para reivindicar junto aos canais competentes a pavimentação entre Urussanga e Pedras Grandes.

No entanto, os moradores preferiram que o trecho urussanguense continuasse com o município, pois a população da comunidade de Rancho dos Bugres está cansada de conviver com a poeira e a lama na parte não pavimentada.

“Nós sofremos durante anos com a poeira e lama. Agora temos uma oportunidade real de solucionarmos o problema. A estadualização poderia significar mais algumas décadas de sofrimento com esta situação”, salientou o morador Everaldo Savi Mondo, o Dado.

Energia elétrica: ANEEL responde questionamentos do Legislativo de Urussanga

Vereadores integrantes da comissão especial do Legislativo de Urussanga responsável por acompanhar assuntos referentes à comercialização e a distribuição de energia elétrica na cidade, criada em 2017, e seus assessores parlamentares convocaram a imprensa local na manhã de quarta-feira, dia 21, para apresentar um importante documento enviado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL).

O conteúdo do material expõe respostas da ANEEL ligadas a questionamentos enviados em novembro de 2017 pelo presidente desta comissão especial do Legislativo, Jair Nandi a fim de entender o cenário atual. Em reunião com a imprensa, Nandi apresentou os documentos e esclareceu o retorno dado pela autarquia, que respondeu mais de 20 perguntas.

Os primeiros questionamentos foram referentes ao critério para a definição das poligonais, ou seja, delimitação da área de atuação estabelecida no contrato de adesão, bem como redução desta área de abrangência. A ANEEL explicou que esta alteração só ocorre com documento formalizado de comum acordo entre os envolvidos e com a posterior anuência da autarquia.

A comissão especial do Legislativo de Urussanga também perguntou a ANEEL a respeito da criação de uma cooperativa por parte do município e a autarquia esclareceu que não existe comando legal que trate da criação de novas cooperativas de eletrificação rural.

Sobre a possibilidade do valor da tarifa ser impactado pelo pró-labore (remuneração do trabalho realizado por sócio) e distribuição de lucros, a ANEEL afirmou que “a remuneração da concessionária não é garantida e depende diretamente da gestão eficiente desses custos. Logo, a tarifa de energia da distribuidora não é impactada diretamente pela variação da remuneração de seus diretores ou eventual participação em lucros na empresa.”

MUDANÇA NA COMPRA DE ENERGIA PODE SER ALTERNATIVA PARA REDUÇÃO DE VALORES 

O Legislativo de Urussanga questionou a ANEEL sobre a possibilidade de compra de energia elétrica diretamente no mercado através de uma central e quais seriam os critérios. A autarquia sinalizou de forma positiva para esta alternativa, salientando formas de contratação, a exemplo de leilão, bem como afirmou que a distribuidora de energia pode desenvolver atividade de geração.

“A concessionária tem a opção de comprar energia em outros ambientes e de outra distribuidora, o que pode vir a reduzir esse custo e atrair novos consumidores para o mercado cativo”, expõe o documento.

A ANEEL repassou a informação de que atualmente a Empresa Força e Luz de Urussanga (EFLUL) realiza a compra de energia da Centrais Elétricas de Santa Catarina (CELESC) e que este custo contribui de modo significativo para o alto valor das tarifas. Além disso, a autarquia abordou outro impacto: a migração de consumidores.

No documento, a ANEEL explica que “no caso específico do valor das tarifas da Eflul, verifica-se que toda energia adquirida para atendimento de seu mercado ocorre por intermédio de um contrato firmado com a distribuidora Celesc, ao custo de R$ 251,27/MWh, ao passo que outras distribuidoras, localizadas na mesma região e com mercado inferior a 500GWh/ano, são supridas ao custo médio de cerca de R$ 155,00/MWh. Logo, fica evidente que este custo contribui, significativamente, para o elevado valor das tarifas da distribuidora. Aliado a isso, foi observado que desde o ano de 2016 a Eflul vem sendo impactada por migrações de consumidores cativos para o mercado livre. Como resultado, a participação do segmento livre passou de 43% para cerca de 62% de seu mercado total. Assim, dada a estrutura tarifária vigente, essas migrações tiveram impacto significativo na alocação de custos entre as classes de tensão.”

De acordo com o presidente da comissão especial do Legislativo, Jair Nandi o próximo passo será uma visita a Celesc para debater sobre o assunto. “Entendemos que a Eflul possa comprar da Celesc devido à questão de diminuição de riscos. A ANEEL disse que pode desde que seja para atender o mercado próprio e não exceder. Dados apontam que o serviço prestado pela Eflul é de muita qualidade e agilidade. Observamos o quanto é difícil manter um trabalho desse caso a empresa fornecedora seja de fora. Por isso é importante buscarmos uma solução”, pontuou Nandi.

NA ÚLTIMA DÉCADA, EFLUL PAGOU QUASE R$ 20 MILHÕES DE CDE, VALOR QUE COBRE O DESCONTO REPASSADO ÀS COOPERATIVAS

Números que chamaram a atenção da comissão especial do Legislativo de Urussanga foram os dados que compõem a tarifa da EFLUL. Uma tabela enviada pela ANEEL especifica os encargos setoriais. Dentro deles está a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) e o Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica (PROINFA).

Juntos, estes dois elementos são os que mais causam impacto dentro da tarifa aplicada pela EFLUL. É a tal da CDE que sustenta os descontos concedidos às cooperativas de eletrificação rural. Somente em 2017, a EFLUL teve que repassar R$ 4,1 milhões à CDE, sendo que em 2008 o repasse foi de R$ 495 mil.

Nos últimos dez anos, o valor aumentou em 10 vezes e a EFLUL pagou, entre 2008 e 2017, quase R$ 20 milhões à Conta de Desenvolvimento Energético (CDE).

Para o presidente da comissão especial do Legislativo, Jair Nandi as respostas encaminhadas pela ANEEL irão auxiliar no prosseguimento dos estudos a fim de solucionar questões envolvendo a energia elétrica em Urussanga. “Do ponto de vista de ligado a Legislação, não é impossível. Porém é um longo caminho e é preciso força política. Hoje a bancada de deputados que defende os descontos dados às cooperativas é representada por mais de 300, do total de 500 que atuam. Nós temos apenas 16 deputados federais catarinenses para entrar nesta luta conosco, que beneficiaria apenas 58 empresas concessionárias no país, o que é pouco representativo para eles. Agora com estas respostas da ANEEL conseguiremos traçar um plano de ação. Vamos fazer uma reunião com a Celesc e ver se a participação deles neste cenário pode fazer a diferença”, finaliza.

 

Diretoria de agricultura segue com o trabalho de silagem em Urussanga

Mesmo com a chegada do inverno nesta quarta-feira, dia 21, os trabalhos de silagem na agricultura seguem sendo realizados em Urussanga. Esta é uma ação da Prefeitura Municipal, por meio da Diretoria de Agricultura, que realiza os agendamentos junto aos agricultores e disponibiliza o equipamento para auxiliar no trabalho que é fundamental para a alimentação do gado, especialmente na época do frio. De acordo com os dados da diretoria de agricultura, neste primeiro quadrimestre de 2018, já foram realizadas 305 horas de trabalho principalmente junto aos produtores de leite e criadores de gado especialmente do interior do município.

“Este é um trabalho que atende uma demanda importante dos nossos agricultores. Estamos com as solicitações em dia e isso faz uma grande diferença especialmente agora que estamos chegando na estação mais fria do ano e é necessário garantir a alimentação dos animais”, explica o diretor de agricultura de Urussanga, João Batista Bom.

O período de silagem vai de janeiro a agosto e segue um cronograma de agendamento. Os agricultores que necessitam realizar o processo de silagem devem entrar em contato com a Diretoria de Agricultura de Urussanga, pelo telefone 3465-0627.

Vereadores ouvem moradores em sessão itinerante realizada no Bairro De Villa

Os vereadores de Urussanga realizaram na terça-feira (19), a primeira sessão itinerante do ano. A reunião foi realizada nas dependências do centro de múltiplo uso do Bairro De Villa e reuniu a comunidade local. Durante a sessão foi disponibilizado espaço para que representantes dos bairros Bom Jesus, De Villa, Dois Rios, São Pedro e Rio Carvalho usassem a tribuna e apresentassem as suas reivindicações

O presidente da Associação de Moradores do Bairro Rio Carvalho, João Batista Pereira usou o espaço para solicitar melhorias na drenagem de estradas e manutenção de entradas nas propriedades da comunidade. Ele sugeriu a contratação de um funcionário em parceria com a Associação para cuidar exclusivamente da manutenção da estrada do Bairro. Além disso pediu a instalação de iluminação pública em trecho da Rodovia Genésio Mazon desprovido do serviço e também a colocação de lombadas para garantir a segurança dos moradores.

O morador Gilson Meneghel falou em nome dos moradores do Bairro de Villa e apresentou abaixo-assinado solicitando a contratação de uma técnica em enfermagem para atender diariamente na unidade de saúde da comunidade. Pediu ainda o apoio dos vereadores para a manutenção no calçamento de lajotas e a conclusão da pavimentação de trechos da Rua Durval Perito.

Plano para redução de tarifa de luz abre disputa entre ministérios

Um plano do Ministério de Minas e Energia para reduzir as contas de luz por meio do corte de subsídios embutidos nas tarifas de energia tem enfrentado resistência de alguns setores antes beneficiados pelas políticas de incentivo e também dentro do governo, um sintoma da disputa por verbas públicas em um ambiente de déficit fiscal.

A Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), um fundo abastecido por um encargo tarifário, irá consumir R$ 18,8 bilhões neste ano para custear políticas que incluem descontos para clientes de baixa renda.

Também serão beneficiadas empresas de serviços públicos de água, esgoto e saneamento e consumidores rurais que usam serviços de irrigação, entre outros.

Para reduzir essa conta, que tem crescido nos últimos anos, técnicos da pasta de Minas e Energia sugeriram medidas que incluiriam um corte gradual aos benefícios.

Esses cortes atingiriam os consumidores rurais e do setor de água e saneamento, além de uma redução no universo de famílias que podem ter acesso à chamada “tarifa social”, uma taxa mais barata para famílias com menor renda.

Mas as propostas sofreram críticas em uma consulta pública realizada pela pasta, que incluíram até questionamentos do Ministério das Cidades, que defendeu a manutenção de um desconto de 15% nas tarifas concedido às empresas de água e esgoto.

A pasta de Minas e Energia quer reduzir em 20% ao ano o benefício do segmento, que custou R$ 694,3 milhões em 2016.

Previsões mostram inverno propício para agricultura e comércio

O inverno iniciou ontem, dia 21, com o registro da noite mais longa do ano. As previsões mostram temperaturas mais baixas em relação a 2017, conforme o climatologista e engenheiro agrônomo da Epagri de Urussanga, Márcio Sônego.

A estimativa para 2018 é de um inverno típico de clima subtropical, sem influência dos gigantes fenômenos El Niño (calor) e La Ninã (frio). “Vai predominar o bom tempo, com frequente formação de nevoeiros na madrugada e começo da manhã e, pouco vento. A umidade relativa do ar aumenta no inverno de Urussanga para a média de 82%. Porém, é também nesta época que acontecem picos de umidade baixa de até 25% nas tarde ensolaradas sob influência da massa de Ar Polar, em dias de pele muito seca.”, conta Sônego.

As chuvas serão mal distribuídas nesse período, mas não existe perigo de estiagem. “Apesar da predominância de dias secos, essa é uma época do ano que apresenta pouca perda de água do solo e da vegetação por evapotranspiração”, ressalta Sônego.

A previsão também é de ondas de frio ainda em julho, agosto e até mesmo setembro. “A temperatura terá alternância em dias frios, quando da entrada da massa de Ar Polar, intercalada com semanas mais quentes. A estimativa é de quatro geadas na região. Portanto, inverno bom para o comércio e bom para a agricultura”, salienta o climatologista.

Para Sônego, de maneira geral, todas as culturas se beneficiarão neste inverno. “Haverá certo acúmulo de horas de frio abaixo de 7,2°C, bom para as parreiras, pêssegos e ameixas. As geadas não serão tão fortes a ponto de matar os bananais. E as pastagens terão umidade suficiente para crescimento, a não ser em locais de baixada onde a geada poderá prejudicar”, informa.

Recentemente uma notícia espalhada por todas as redes sociais afirmava que o inverno de 2018 seria o mais rigoroso dos últimos 100 anos, o que segundo o climatologista, mostra-se completamente falsa. “Não se sabe quem circulou está informação, sem fundamentação, pois invernos mais rigorosos costumam acontecer em anos de fenômeno La Niña. Este mês já houve recorde em Urussanga, mas da temperatura mais alta em junho desde 1924 com 34,3°C no dia 11.”, finaliza.

Dados médios do inverno em Urussanga:

– Temperatura mínima média (madrugada): 10°C
– Temperatura máxima média (tarde): 23°C
– Temperatura média diária (dia/noite): 15°C
– Chuva média mensal: 110 mm
– Umidade relativa do ar média: 82%

Urussanga terá mutirão de castração

A ONG Raça, em parceria com a Prefeitura de Urussanga, FAMU e SOS Bicho Urbano, está organizando o 2º Mutirão de Castração voltado para cães e gatos. A ação acontecerá na próxima semana, nos dias 30 de junho e 1º de julho, no Parque Municipal.

O valor de cada castração custará R$ 100 por animal, sendo o pagamento em dinheiro no ato da inscrição que deve ser feita na Bella Forma Estética, próximo ao antigo Móveis Pérola.

“O mutirão será aberto para cães e gatos de todos os Municípios, mas as inscrições direcionadas aos animais de Urussanga já encerraram, pois temos limite de vagas. Para garantir a vaga, as pessoas devem entrar em contato com a ONG Raça pelo telefone 48 99636 1175 e agendar dia/horário para realizar a inscrição, trazer documentos de RG, CPF e Comprovante de Residência, bem como cópias dos documentos. A pessoa deverá preencher os termos e efetuar o pagamento da cirurgia no ato da inscrição”, explica a integrante da ONG Raça, Josiane Bonetti.

A medicação custará R$ 20 e a roupa cirúrgica também terá o valor de R$ 20, sendo que estes pagamentos devem ocorrer no ato da inscrição. Os felinos necessitam ter a caixinha de transporte e os cães devem estar com a guia. Os responsáveis precisam levar uma coberta para cada animal usar no pós-operatório. As fêmeas não podem estar prenhas, mas podem realizar a cirurgia no cio. Os animais devem estar devidamente saudáveis.

Cleiton Salvaro presta contas a Urussanga

A partir desta segunda-feira, 25, o Deputado Estadual Cleiton Salvaro (PSB) estará em Urussanga para prestar contas de seu mandato como um dos representantes do Sul na Assembleia Legislativa. Durante a semana, um material informativo de quatro páginas será distribuído às famílias. Ele faz um balanço dos projetos, obras, incentivos e investimentos em benefício dos cidadãos urussanguenses.

Ao todo foram destinados mais de R$ 1 milhão para as áreas da educação, esporte, saúde, segurança, manutenção de estradas, aquisições e APAE.

“Urussanga é o município que tenho muita estima, pois vivi e fui criado nesta cidade. Retribuir a tudo o que aprendi e a todas as oportunidades no município é o que sempre busco fazer na condição de deputado. Urussanga merece nossa atenção de forma especial e valorizar a todas as pessoas pelas conquistas e melhorias que alcançamos e destinamos juntos”, ressalta Salvaro.

Entre as ações realizadas, Cleiton proporcionou mais segurança e conforto aos alunos da escola Caetano Bez Batti, no bairro Estação, com a troca do telhado da área administrativa, destinou recurso para a reforma da quadra de esportes da escola Antonieta Quintanilha de Rio América, entregou à Secretaria de Saúde uma ambulância completa para o transporte de pacientes, contribuiu para as despesas de custeio e estoque de remédios do Hospital Nossa Senhora da Conceição, manutenção e conservação das estradas vicinais, compra de combustível para a frota municipal, aquisição de arma para a PM, construção de sede, entre outros.

Confira os recursos destinados para Urussanga

– APAE: foi realizada a doação de um veículo Parati que era de propriedade do Estado e estava sem condições de uso. Com a ajuda de parceiros e empresários, o carro foi reformado ganhando pintura completa, estofamento novo, mecânica revisada e plotagem personalizada.

– Troca do telhado do espaço administrativo da EEB Caetano Bez Batti, no bairro Estação. Valor investido: R$ 33.753,00.

– Reforma da quadra de esportes da escola da Escola de Ensino Básico, Antonieta Quintanilha de Rio América. Valor investido: R$ 66.611,79.

– Aquisição de uma ambulância para a secretaria de saúde em parceria com o deputado Marco Tebaldi, no valor de R$ 170 mil.

– Repasse de R$ 300 mil (em parceria com o Deputado federal Marco Tebaldi) ao Hospital Nossa Senhora da Conceição.

– Repasse de R$ 40 mil para a conclusão da sede social Esporte Clube De Villa.

– Repasse de R$ 270 mil para a compra de combustível para a frota municipal de Urussanga.

– Repasse de R$ 230 mil para a manutenção e conservação das estradas vicinais do município.

– Encaminhamento de 20 coletes balísticos à Polícia Militar de Urussanga em parceria com o Ministério Público.

– Aquisição de uma arma Carabinas Taurus CTT 40 de alta performance para a Polícia Militar de Urussanga.

– Através de convênio com a SANTUR, deputado Cleiton encaminhou R$ 70 mil para a organização da XVII Festa Nacional do Vinho.

Prática milenar: Tradição garante qualidade e segurança alimentar

A manhã de Arcídio Cittadin, de 80 anos, é de dedicação a sua horta e a toda a propriedade agrícola na comunidade de Rio Salto. O segredo de bons cultivares no caso deste senhor vai muito além de seguir o tempo do plantio e da colheita e acompanhar as condições climáticas.

Cittadin carrega consigo amor pela terra, paixão pela natureza, tenacidade e respeito pela tradição. Somente este senhor detém no município de Urussanga 27 espécies de sementes crioulas. A prática vem desde o tempo do seu avô e foi mantida pelo seu pai. “Eles foram sempre plantando com aquelas sementes. Isso tem mais de 100 anos”, comenta.

Arcídio seguiu os passos do pai e ao longo dos anos foi compartilhando as suas sementes e buscando a troca com vizinhos e conhecidos para a obtenção de novas. Hoje ele possui milho cravo, milho pipoca, milho ‘stacheta’, quatro tipos de feijão-vagem, açafrão, inhame, funcho (erva-doce), abóbora, pepino, entre outros. “Levo o milho cravo para a atafona. Rende uma farinha muito boa. De longe você vê que a cor de uma polenta é diferente da minha”, conta entre risos.

Para Cittadin, a diferença destes alimentos cultivados desta forma está no sabor e na qualidade. “Se você compra milho normal, por exemplo, vem com agrotóxico ou é transgênico. Eu sei que o meu tem sabor muito diferente desses outros. Não é difícil de manter essa tradição e todos deveriam fazer isso. É só colher o alimento quando está maduro, deixar secar as sementes por alguns dias, guardar em potes de vidro e depois fazer o plantio nos meses certos. Aí quando planta até 5 vezes num mesmo lugar depois é preciso trocar o local e a semente. Gosto muito disso e faço com todo carinho. Capricho e cuido mesmo para não perder a semente. Nunca perdi. Já passei esse ensinamento aos meus quatro filhos e eles também estão seguindo o mesmo caminho”, frisa.

De acordo com a Epagri de Urussanga, a preservação, o cuidado e a troca de sementes crioulas é uma prática milenar que existe desde o início da agricultura e garante a continuidade das espécies.

“Com carinho e sabedoria incríveis, as sementes são conservadas e passadas de geração em geração. As famílias de agricultores possuem em suas propriedades uma diversidade de sementes crioulas. Sementes que herdaram de seus avós, pais, tios, vizinhos ou em visitas e eventos. É uma tradição que garante a continuidade das espécies, pois as sementes são patrimônio da humanidade. São os agricultores que cultivam e fazem a seleção, ano após ano, possibilitando qualidade e adaptação às condições climáticas e aos sistemas de produção da região em que são produzidas. As sementes, quando adquiridas são em pequena quantidade. Por isso a necessidade de semear para multiplicar, trabalho este que os agricultores são especialistas”, salienta a extensionista da Epagri de Urussanga, Maria Cristina Cancellier da Costa.

ENCONTRO INCENTIVA TROCAS DE SEMENTES CRIOULAS – novo titulo

A Epagri de Urussanga realizou mais um encontro municipal para trocas de sementes crioulas (tradicionais) no dia 12 de junho. Esta é a segunda vez que a instituição promove o incentivo a esta prática. O objetivo da ação é a troca de sementes entre os participantes, uma prática milenar que garante a continuidade das espécies e também a segurança alimentar das famílias.

No Centro Comunitário da Igreja Matriz, mais de 70 tipos de sementes foram fornecidos pelas famílias de agricultores do município. Devidamente embaladas e identificadas para a realização da troca, as sementes crioulas foram selecionadas por cada participante que pode levar para casa uma grande diversidade de espécies.

“No primeiro encontro minha mãe Zulma levou um pouco de semente de alface americana para casa. Eu e meu esposo semeamos, colhemos muito alface e também muita semente. E hoje trouxemos uma quantidade bem maior da recebida para ser partilhada”, contou a agricultora Jucelma Feltrin Zanelatto, de Rio Caeté Baixo, durante o encontro.

Segundo a extensionita da Epagri de Urussanga, Maria Cristina Cancellier da Costa todas as sementes são raras e únicas. “Cada agricultor fez a seleção daquela variedade, do seu jeito, de acordo com o seu solo, clima, e ela contém as características que o agricultor achou mais interessante, por exemplo, a cor do grão, o formato da folha de alface, entre outros itens”, pontua.

O encontro municipal para trocas de sementes crioulas (tradicionais) é realizado pelo escritório municipal da Epagri de Urusanga em parceria com a Prefeitura Municipal, Gerência da Epagri Regional, Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Urussanga e Cocal do Sul, Pastoral da Saúde de Urussanga, Associação de Mulheres Agricultoras de Urussanga, Uneagro e Diretoria Municipal de Agricultura.

Texto de Eliana Maccari

Concurso italiano revela vencedores de Urussanga

Fazer os jovens conhecerem a história da imigração italiana, em particular as vivências de personagens oriundos da província de Belluno e da cidade de Longarone, a fim de manter viva a memória destes bravos é o objetivo do concurso “Angelo Fain Binda”, que chega a sua 9º edição envolvendo alunos das cidades de Urussanga e Longarone.

Este ano, com o tema “L’Emigrazione Italiana e Bellunese Nel Mondo”, mais de 30 trabalhos feitos na rede municipal de ensino de Urussanga foram enviados à Itália. Os conteúdos foram elaborados pelos por alunos do 5º ao 9º ano das escolas Lydio De Brida, Ernesto Cesar Mariot, Rosalino Damiani, Rosalino De Nez e Alda Brognoli Marcon.

Recentemente a comissão organizadora do concurso, promovido anualmente pela Associação “Bellunesi nel Mondo” e a “Famiglia emigranti ed ex emigranti del longaronese”, divulgou o resultado deste ano.

Pela escola Lydio De Brida foram premiados os estudantes Vytória Ferrarez, Vinícius Mariot Nesi e Marco Antônio Savi Mondo, tendo como destaques os alunos Lorezo Muttini Joaquim, Rafael Frasseto Barbosa, Kethyn Gastaldon, Kaylaine Furlan e Isis Morais.

Já na escola Rosalino Damiani irão receber premiação os estudantes Hérica Viana, Gabriel Viana e Marina Sorato. Pela instituição de ensino Alda Brognoli Marcon, em Rio Caeté, foram premiados os alunos Ana Julia Zanelatto Joaquim e Vinícius Scarabelot.

Na escola Rosalino De Nez, em Palmeira do Meio, o prêmio será para João Paulo Menegasso, enquanto na instituição de ensino Ernesto César Mariot serão premiados os estudantes Gabriel Luciano Macedo Buratte e Maria Luiza Dagostin Laurindo. Os demais alunos envolvidos neste concurso, sendo 21, receberão certificado de participação.

A participação de crianças e jovens urussanguenses no concurso faz parte das atividades do projeto “Somos Sujeitos Históricos: nossa história, nossa gente”, que foi criado em 2003 pela professora Liz Regina Zapelini De Bona e se mantém até os dias atuais com o intuito de resgatar e preservar a cultura italiana em Urussanga.

Escolha da corte da XVIII Festa do Vinho ocorre nesta sexta-feira

Urussanga, nesta sexta-feira, conhecerá quem serão as escolhidas que ocuparão o título de rainha e princesas da XVIII Festa do Vinho. A escola, que ocorreria em maio e precisou ser transferida devido à greve dos caminhoneiros, ocorrerá no dia 22 de junho, a partir das 20h, no Ginásio Centenário de Urussanga. Ao todo, sete jovens se candidataram para fazer parte da corte que representará o evento que ocorre de 8 a 12 de agosto de 2018.

“Estamos com tudo preparado para receber o público e prestigiar este grande evento que colocará Urussanga já em clima de Festa do Vinho. Toda a comunidade é convidada a participar e torcer pela sua candidata”, enaltece a vice-presidente da Comissão Central Organizadora da Festa do Vinho, Margareth Maria Serafin De Villa.

Ao longo de dois meses, as candidatas a rainha e princesas da festa participaram de diversos cursos de capacitação para conhecer um pouco mais da cidade e também de como receber bem o visitante que virá a Urussanga durante o evento. As atividades incluíram cursos de auto-maquiagem, etiqueta, comunicação, entre outros. O último foi realizado pela Associação ProGoethe, na segunda-feira, dia 19, e trouxe às representantes do município um pouco mais de conhecimento sobre o vinho.

Confira o nome das candidatas:

Gisliani Carniato Feltrin, 19 anos, representante da Associação ProGoethe;
Kamila Fretta Fabro, 18 anos, representante da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Urussanga e Associação Comercial e Industrial (ACIU) de Urussanga;
Kimberlin De Oliveira Dos Santos, 23 anos, representante do Ventuno Pub, Farmácia da Dalila e Meneghel Motos;
Rafaela Cancellier Ghisi, 21 anos, representante da Confraria Quatro Estações;
Sabrina Inácio Velho, 21 anos, representante da CasaMix, Amodamas, Farmácia Nossa Senhora da Conceição, Salão Beleza VIP, Luan Varnier e Supermercado Nova Itália;
Sara Servodio, 16 anos, representante da Urussanga Minérios;
Suelen Cittadin Jacintho, 18 anos, representante da Associação de Moradores do Bairro Rio América (AMBRA) e CEUSA.

Reforma da Igreja de São Pedro é finalizada

Começadas em março, as obras de reforma e revitalização da igreja de São Pedro, umas das mais antigas dos municípios, chegaram ao fim. Nos três meses que se seguiram a edificação foi contemplada com reforma de todo o forro, troca da parte elétrica, revitalização da pintura, e restauração de todos os altares, via sacra e imagens.

Apesar de ter sido edificada em 1900, pelas famílias dos colonizadores, foi a primeira vez que uma grande reforma aconteceu, contando apenas com trabalho voluntário e fundos levantados pelos membros da CAEP.

Todas as imagens de santos e os altares passaram por um exímio trabalho de reconstrução da artista sacra criciumense, Eliete da Silva, conhecida como Katurra, mantendo suas características e cores originais.

“É uma coisa boa para a comunidade, só temos a ganhar, pois estamos mantendo um patrimônio e preservando nossa história. Não adianta a comissão estar trabalhando e guardando dinheiro e não investir na comunidade”, conta Gerusa Romagna Pereira, Secretária do CAEP.

Em comemoração ao dia do Padroeiro São Pedro, será realiza por meio da CAEP festa em homenagem ao santo nos dias 20 e 30 de junho, e 1 de julho, na comunidade de São Pedro, com missas festivas e serviço completo de cozinha e bar.

Sobre a igreja

Algumas das primeiras famílias de colonizadores italianos, ao chegarem em Urussanga, se instalaram nas proximidades do atual bairro São Pedro. A primeira capela foi construída logo na chegada dos imigrantes, mas com o aumento da população edificou-se com a ajuda de todos os moradores, em 1900, a igreja que permanece até hoje. A escolha do padroeiro recordava a terra natal, pois muitos provinham de Campo San Piero, na Itália.

Odontopediatria: Saúde bucal tratada de forma lúdica

Não é a toa que as crianças que adentram neste consultório odontológico esbanjam sorrisos e felicidade. Dois elementos são fundamentais para esta reação: o profissionalismo de uma especialista em Odontopediatria e uma estrutura divertidíssima a disposição dos pequenos pacientes.

Com muita energia, carinho e carisma, a odontopediatra Ellen Lima recebe crianças e adolescentes de toda a região para atendimento em Urussanga. Há seis anos na cidade, a especialista já conquistou os clientes pela forma lúdica como realiza seu trabalho.

É com paciência e método diferenciado que a Dra. Ellen atende as crianças que muitas vezes chegam receosas a este espaço ou traumatizadas devido a alguma experiência anterior. “Não existe criança que você não conseguirá atender. Existe sim o tempo de cada criança e a sua adaptação a este ambiente que ela está sendo inserida. Algumas já chegam com traumas, outras carregam também o medo dos pais, entre outras situações”, ressalta.

A palavra-chave para a odontopediatra é condicionamento, que leva a três ações importantes: dizer, mostrar e fazer. “A melhor maneira é condicionar a criança para que futuramente ela seja um adulto tranquilo. Primeiro tento entender o motivo de ela ter medo e mostro porque ela não deve ter. As crianças voltam tranquilas ao consultório justamente por eu não esconder nada delas. Explico cada procedimento”, conta.

Dra. Ellen salienta a importância dos pais planejarem a saúde bucal de seus filhos. “Quando o primeiro dentinho está em erupção já pode procurar um profissional da área para iniciar o atendimento da criança e dos pais. No consultório, a primeira consulta geralmente é 90% direcionada para orientação aos pais sobre temas como quando caem os dentes de leite, tipos de bicos, cáries, pasta com flúor, escovação, fio dental, entre outros. São os pais as peças-chaves para a saúde bucal de crianças saudáveis. É preciso um planejamento com o intuito de fazer um acompanhamento ao longo da vida. Atendo crianças desde os quatro meses, por exemplo, que logo recebem a sua carteirinha e por um sistema acompanho a evolução de cada dente. Todos os passos aqui são feitos de maneira pensada para que a criança não sinta dor e seja inserida neste ambiente aos poucos conforme a sua adaptação”, frisa.

INTERAÇÃO CRIATIVA PRENDE A ATENÇÃO DAS CRIANÇAS

Basta a cadeira especial e os equipamentos profissionais em mãos para, com muita criatividade, Dra. Ellen Lima fazer daquele conjunto de elementos um verdadeiro parque de diversões. No imaginário das crianças, a cadeira é uma nave e elas possuem o comando da sua altura. À esquerda, o recipiente onde a saliva é expelida torna-se uma piscina repleta de pequenos bonecos.

O Raio-X, equipamento alto e móvel, encontra-se camuflado e imita as características do pelo de uma girafa. “Coloca a criança na cadeira e digo que ela possui o comando da nave, bem como da luz batendo palmas. As palmas também são usadas quando estão sentindo algum tipo de dor. O tempo todo permaneço conversando com elas e encontro uma maneira de distraí-las”, explica.

Uma pequena televisão próxima a cadeira também auxilia a odontopediatra. Durante o atendimento, desenhos e vídeos de interesse do paciente são colocados na tela. Além destes diferenciais, Dra. Ellen criou a caixa mágica, que contém brinquedos divertidos entregues às crianças que demonstram bom comportamento e evolução como forma de estímulo e superação.

NOVO ESPAÇO ALIA LAZER E ORIENTAÇÃO

Acoplado na sala de atendimento e procedimentos está um novo espaço do consultório voltado para crianças e adolescentes. É neste ambiente que a odontopediatra acolhe seus pequenos pacientes antes de iniciar seu trabalho. No chão, uma pista para carrinhos e grama sintética já formam duas brincadeiras. Uma piscina de bolinhas, bonecos de pelúcia e até a nova geração de jogos e entretenimento com Xbox completam o local especial.

O atendimento feito pela odontopediatra Dra. Ellen Liana inicia neste ambiente com muitas brincadeiras. Algumas envolvem o senhor Dentuço e neste momento a profissional já conta para a criança a história dos dentes. Alguns bonecos acompanham os pequenos na cadeira, enquanto outros de pelúcia seguem a evolução do paciente na mudança de hábitos e até são levados para passar um final de semana com a criança.

Segundo Jogo da Seleção Brasileira acontece hoje

O segundo jogo da Seleção Brasileira pela Copa do Mundo na Rússia acontece na manhã desta sexta-feira, 22. Tite e a comissão técnica da Seleção Brasileira escolheram Tiago Silva para ser o capitão no jogo contra a Costa Rica, que ocorre às 9h, em São Petersburgo. Assim, Tite mantém a ideia de revezamento, depois de Marcelo ter usado a braçadeira na estreia diante da Suíça. Durante a Copa, apenas os atletas mais experientes terão esta responsabilidade. O time confirmado para a segunda partida na Copa vai com Alisson, Danilo, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Casemiro, Paulinho, Philippe Coutinho, Willian e Neymar; Gabriel Jesus.

Urussanguense é destaque em Jogos Universitários

A urussanguense Luiza Mazon Freitas foi convidada para representar a UFSC nos 62º Jogos Universitários de Santa Catarina. A tenista de Urussanga foi destaque no atletismo. Ela conquistou a medalha de bronze na prova de 1.5000 metros rasos (Atletismo) disputada no último sábado, dia 16.

Luiza é estudante de Ciência e Tecnologia de Alimentos, onde atua nos laboratórios e sala de aula participando do Grupo de Pesquisa sobre “Uvas e Derivados” da professora Drª. Marilde Terezinha Bordignon Luiz. Além disso, ela é atleta da Sociedade Recreativa Mampituba e atualmente disputa as etapas da Federação Catarinense pelo Ranking FCT de Beach Tennis.

Caminhada Rota do Imigrante percorreu Urussanga até Azambuja, refazendo passos dos colonizadores

Apesar dos 6 graus que fizeram na manhã de domingo, dia 17 de junho, mais de 30 participantes percorreram quase 15 quilômetros entre trilhas e estradas na 1ª caminhada do Imigrante – Rota da Imigração, revivendo o caminho dos colonizadores italianos.

A rota, que buscou refazer parte do trajeto feito pelos imigrantes italianos, passou por lugares de natureza estonteante e em construções antigas formando uma bela paisagem para os participantes.

Segundo William Marques, um dos organizadores do evento durante todo o trajeto os participantes puderam conhecer a historia das comunidades, puderam também conhecer a área rural e a hospitalidade dos descendentes italianos. “A caminhada apresentou um bom desafio aos participantes, com trechos íngremes, trilhas e belas paisagens. A Rota acredita que as expectativas foram alcançadas, e que conseguimos oferecer uma experiência única aos participantes, a estrutura robusta do evento, atendendo a todas as normas de segurança garantiu que não houvesse nenhum incidente”, explica William.

Julieta Delayti Savaris foi uma das participantes da caminhada e conta que foi um momento de comunhão com os amigos e com a natureza e elogia a organização. “Podemos conhecer um pouco mais da nossa história e entrar em contato com a natureza, além de aprender a respeitá-la. Hoje é tão difícil a gente ter, esse tipo de entretenimento, esse tipo de atividade, é importante dar suporte a esse tipo de ação. O pessoal que planejou também foi extremamente organizados e atenciosos, existiu todo um cuidado, em relação a todo o trajeto e o suporte que teve pra toda as pessoas.”, conta.

A caminhada contou com a participação de carro de apoio, batedores e socorristas. Os participantes tiveram a oportunidade de conhecer um pouco mais da história, acompanhados por um guia historiador. No final do trajeto os participantes foram recepcionados com música, vinho e um almoço típico no restaurante da Imigração em Azambuja. O evento foi realizado pela Rota Ecoturismo e Aventura.

OUTROS PRODUTOS ALTERNATIVOS PARA O MANEJO DAS PRINCIPAIS PRAGAS E DOENÇAS NA HORTA ORGÂNICA – PARTE IV FINAL

Semana Nacional do Meio Ambiente começou em 1 de junho e foi até 5 de junho, quando se celebrou o Dia Mundial do Meio Ambiente. Uma das propostas desta data é chamar a atenção de todos os governos mundiais sobre a necessidade de implantar medidas emergenciais para prevenir a degradação do meio ambiente. O não uso de agrotóxicos, é a principal medida para proteger o meio ambiente e a saúde das pessoas. Para celebrarmos bem esta semana, na edição anterior, publicamos algumas dicas utilizando a manipueira, líquido de aspecto leitoso e de cor amarelo- clara que escorre das raízes da mandioca, por ocasião da sua prensagem para obtenção de fécula ou farinha de mandioca. Hoje, estamos colocando à disposição dos interessados em produzir alimentos saudáveis, sem contaminação, outras dicas para o manejo de pragas e doenças.

Outros produtos alternativos (Parte IV – Final)

Cinzas de madeira (não tratada) – manejo de pulgões e lagarta-rosca e dos fungos míldio e sapeco; nutrição: Além de ser um ótimo adubo rico em potássio, o polvilhamento de cinza sobre as culturas controla os pulgões dos cítrus (laranja, limão e outras) das hortaliças e de outras espécies. Polvilhada sobre o solo ou incorporada a ele, controla a lagarta-rosca por um período de 10 dias, dependendo do clima. No manejo da doença do sapeco da folha, que ocorre em cebolinha verde, e em sementeiras de cebola na fase de produção de mudas, recomenda-se aplicar sobre as plantas, antes que o sereno (orvalho) evapore, 50g/m2 de cinza de madeira.

Urina de vaca em lactação – manejo de pragas, doenças e nutrição: Indicada para legumes em geral e para o abacaxi, pois contém catecol, substância que aumenta a resistência das plantas ao ataque de pragas e doenças. No abacaxi, a urina é eficiente no controle de fusariose. No geral, durante os 3 primeiros dias após aplicação, age como repelente contra insetos, principalmente a mosca-branca. Serve também como fonte de macro e micronutrientes. Coleta e preparo: Coletar a urina e colocá-la em recipiente plástico fechado durante 3 dias, que é o tempo necessário para que a uréia se transforme em amônia. Pode ser guardada por 1 ano em vasilha fechada. A coleta da urina é simples e deve ser feita na hora de tirar o leite, pois ao ter as pernas amarradas para a ordenha é normal o animal urinar. Dosagem e aplicação: Para cada 100L de água usar 1L de urina de vaca em lactação. Pulverizar sobre a planta a cada 15 dias.

Recomendações: Toda pulverização com solução de urina deve ser aplicada nas horas frescas do dia. Evitar o uso em hortaliças folhosas e em hortaliças-frutos próximo à colheita devido ao forte odor. A urina de cabra também pode ser utilizada, mas como possui maior concentração de nitrogênio, deve ser colocado meio litro de urina para cada 100L de água. Dar preferência à urina de vacas em lactação porque tem mais substâncias (fenóis e hormônios) que as outras. O cheiro forte após a aplicação permanece durante 3 dias, agindo nesse período como repelente de insetos.

Handebol garante bom público e movimenta fim de semana em Urussanga

Nem mesmo o Frio espantou o público que esteve presente no ginásio da escola Barão do Rio Branco, no último final de semana, para a realização da Copa papos e Tragos de Handebol sub-16 – Taça Madegil. Pais, atletas, professores e amantes do handebol prestigiaram o evento que contou com oito equipes no masculino e seis no feminino, vindas de Santa Catarina e também do estado vizinho do Rio Grande do Sul.

“Temos que apoiar esses grandes eventos esportivos em nossa cidade. É uma forma de movimentar a economia e fazer com que as pessoas conheçam Urussanga e voltem outros dias para conhecer a nossa cidade”, enaltece o diretor de esportes de Urussanga, Thiago Mutini.

Para o organizador do evento Marcos Alberto Freitas, a iniciativa alcançou seu objetivo, que era de movimentar o handebol em Urussanga. “Tivemos bons jogos, que servem de referência e motivação para os novos praticantes da modalidade e equipes que estão iniciando e reiniciando os trabalhos de base”, explica Marcos.

A competição contou com o apoio do Departamento Municipal de Esportes de Urussanga, Restaurante e Lanchonete Papos e Tragos de Urussanga e Madegil de Cocal do Sul.

Classificação:
Masculino:
1º – Torres (RS)
2º – Satc A (Criciúma)
3º – Capão da Canoa (RS)
4º – Içara
5º – SATC B (Criciúma)
6º – Colégio Murialdo (Araranguá)
7º – DME Cocal do Sul/ Construtora Carrer
8º – DME Meleiro

Feminino:
1º – Torres (RS)
2º – DME Meleiro
3º – Colégio Murialdo (Araranguá)
4º – Capão da Canoa A (RS)
5º – DME Cocal do Sul/ Padaria Nossa Senhora Aparecida
6º – Capão da Canoa B (RS)