Como evitar o comodismo e crescer na carreira

Com a rotina corrida do dia a dia e o acúmulo de tarefas, é muito comum que as pessoas se acomodem em um emprego e deixem de investir no crescimento profissional – o que resulta, também, em uma constante insatisfação com o trabalho.

Muitas razões podem estar por trás desse comodismo: a falta de tempo, a desmotivação com a área de atuação, as obrigações financeiras ou até mesmo a falta de reconhecimento ou de oportunidades de crescimento na empresa. Mas, em alguns casos, isso acontece porque os profissionais têm medo de sair da zona de conforto e não se sentem confiantes o suficiente para buscar novos desafios.

Essas atitudes podem ser extremamente prejudiciais para quem deseja se diferenciar em um mercado cada vez mais competitivo, já que um funcionário acomodado dificilmente propõe novas ideias, motiva a equipe e se dedica integralmente às suas atividades. Muitas vezes, os profissionais acabam esperando que fatores externos tragam novas oportunidade quando, na verdade, são eles mesmos que precisam agir para mudar a situação.

Por isso, é preciso deixar a preguiça de lado e colocar em prática algumas atitudes que podem ajudar a crescer na carreira. Em primeiro lugar, o profissional precisa investir em autoconhecimento e identificar quais são os seus pontos fortes e fracos, como pode aproveitá-los e onde deve investir para se diferenciar no mercado. Dessa forma, ele conseguirá definir quais serão os próximos passos.

Traçar um plano de desenvolvimento com objetivos claros e específicos do que se deseja alcançar é essencial para atingir o sucesso. Afinal, não adianta investir na própria formação quando você não sabe aonde quer chegar. Uma dica é elaborar um plano de ação detalhado, com um passo a passo do que é preciso fazer para alcançar seus objetivos. Cursos técnicos ou de idiomas, leituras ou palestras podem ajudá-lo a se manter atualizado e incrementar o currículo.

Outro passo importante é construir uma rede de relações na sua área. A capacidade de fazer networking, se comunicar bem e desenvolver bons relacionamentos é essencial para quem deseja ganhar reconhecimento ou até mesmo conseguir um novo emprego. Por isso, demonstrar interesse pelas pessoas, ter humildade e saber ouvir são competências muito valorizadas em qualquer campo de atuação.

Portanto, para crescer na carreira, é preciso abandonar a zona de conforto, investir no próprio desenvolvimento e estar disposto a encarar novos desafios. No futuro, os melhores profissionais serão aqueles que souberam acompanhar as mudanças no mercado de trabalho e evitaram, ao máximo, cair no comodismo do cotidiano.

*Claudia Santos é especialista em gestão estratégica de pessoas, palestrante, coach executiva e diretora da Emovere You (www.emovereyou.com.br).

Energia de ativação

Tenho pensado em “energia de ativação”. Consiste na “barreira energética que deve ser vencida para que uma reação ocorra”, ensinou o amigo. A química é ótima ferramenta para interpretar a vida. Melhor que economia e sociologia. Nunca me interessei muito pela química, mas a “energia de ativação” é deveras fascinante. Imagino-me a romper a barreira energética riscando um palito de fósforo e desencadeando explosiva reação. Benedetta pelos ares!

O niilismo às vezes me pega. Geralmente no café da manhã. Enquanto roo um pedaço de bolacha integral, penso que tanto faz ser ou não ser. Sorvendo um gole de café fraco, reflito sobre o absurdo das coisas. Luto contra estes pensamentos como quem luta contra a lei da gravidade, contudo sempre venço. Para os católicos o niilismo é um grande pecado. Eles estão certos e eu sou um pecador. Tende piedade, Senhor!

Mas, apesar das crises incendiárias e destas linhas irresponsáveis, ainda me resta alguma responsabilidade. É necessário respeitar convenções e autoridades, fazer vistas grossas para relações falsas e pouco caso dos discursos mentirosos. Respeitar aparências é um ponto de maturidade que minha imaturidade consegue alcançar, ainda que não sem grande esforço. A tentação de romper a barreira energética é companheira de desjejum. No almoço já se foi.

Tenho família e instinto de sobrevivência. Sufoco o desalento num gole de café e recupero a vergonha na cara. Se a questão é ser ou não ser, melhor mesmo é citar Shakespeare, manual de instruções da alma humana: “Será mais nobre sofrer na alma pedradas e flechadas do destino feroz ou pegar em armas contra o mar de angústias e, combatendo-o, dar-lhe fim?”. Cada um que pense e faça sua escolha. Meu espaço acabou. Bom fim de semana pra vocês.

Vereador questiona cobrança do IPTU

Os carnês do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) de Urussanga estão à disposição dos contribuintes desde segunda-feira. Mas, ainda antes de efetuar esta cobrança, o vereador Marcos Roberto Silveira vem questionando a aplicação de valores referentes à taxa de expediente inserida nas guias de IPTU.

De acordo com o vereador, sugestões através de indicações nos anos de 2016 (nº 12/2016) e 2017 (nº 45/2017) já recomendavam a criação de uma comissão mista para elaboração da revisão do código tributário. Sem a criação desta comissão, Silveira então sugeriu por outra indicação neste ano (nº 22/2018) a retirada da taxa de expediente.

O vereador alega que a cobrança é indevida e tem como base uma decisão do Supremo Tribunal Federal. “Uma iniciativa no estado de Minas Gerais, no município de Ouro Preto, foi noticiada e vinculada no site do STF, em 2014. Consta que a taxa para emissão ou remessa de carnês e guias de recolhimento de tributos é inconstitucional. Segundo um ministro do STF, em seu entendimento a emissão de guia de recolhimento de tributos é de interesse exclusivo da Administração, e constitui um instrumento usado na arrecadação. Esta taxa está sendo aplicada em Urussanga. Agora vamos cobrar do Ministério Público a execução do Termo de Cooperação Técnica ou ajuizar uma Ação Civil Pública”, argumenta.

O assessor jurídico do Município de Urussanga, Cleber Cesconetto salienta que a base de cálculo do IPTU é devida através de uma lei aprovada anualmente pela Câmara de Vereadores e esta taxa de expediente para emissão de boletos está incluída nesta lei todos os anos. Desta forma, o prefeito não pode isentar esta taxa, pois seria um ato de renúncia de receita.

“Essa Lei sempre passa por votação na Câmara e os próprios vereadores aprovam ainda no ano anterior a cobrança. Se a taxa é inconstitucional ou não, não podemos declarar de oficio sem decisão judicial. A constitucionalidade dela tem que se arguida e o Judiciário tem que declarar. O prefeito não tem como isentar por ofício essa taxa porque ela está prevista na lei. Então se ele isentasse isso agora seria renúncia de receita. O prefeito tem sim a intenção de não aumentar imposto e tudo que pode fazer para isentar o contribuinte tem feito como política de governo. Cabe então agora uma conversa com a Câmara para encontrar uma solução para a questão da taxa de expediente que eles alegam ser inconstitucional, mas por enquanto não tem declaração para o município de Urussanga”, explica.

O prefeito de Urussanga, Gustavo Cancelier afirma que está aberto para uma conversa com os vereadores para resolver esta questão tendo em vista a aplicação no próximo ano.

Carnês do IPTU

Os contribuintes devem retirar os carnês do IPTU no Setor de Tributação da Prefeitura de Urussanga, no Paço Municipal, até o dia 27 de abril. Para a retirada do documento, o atendimento é realizado diariamente das 8 às 17 horas, sem fechar ao meio dia. Após esse período, a distribuição dos carnês será feita pelos Correios.

Em 2018, os descontos também poderão ser obtidos pelos contribuintes. Para os cidadãos em dia com o imposto, podem optar por fazer o pagamento em cota única até o dia 18 de maio com desconto de 20%. Já o pagamento na segunda cota única terá direito a 15% de desconto até o dia 15 de junho. Outra opção é efetuar o pagamento em quatro parcelas.

O contribuinte também poderá emitir o boleto do IPTU diretamente no site da Prefeitura de Urussanga (www.urussanga.sc.gov.br), na seção Serviços ao Cidadão – Cidadão Web.

Não cumprimento de Lei gera precatório ao município, afirma Vani

A vereadora Vanir Zuleima Mazzuco Cacciatori (MDB) destacou na última sessão a importância da boa gestão dos recursos na Administração Pública. Para a Vereadora, a maior parte dos precatórios relacionados a dívidas com processos trabalhistas é  relativa ao não cumprimento das Leis. “O não pagamento de horas noturnas, de equiparação salarial e o desvio de função do funcionário público são alguns dos erros graves cometidos pelos gestores públicos e isso acaba na Justiça Trabalhista, gerando dívidas ao Município. Na minha opinião, o gestor público deveria ser penalizado e ressarcir aos cofres públicos pelo pagamento de dívidas ocasionadas pelos seus erros”, concluí.

Bonetinho mostra e cobra manutenção das estradas

A preocupação com as condições das estradas de interior é um dos assuntos mais debatidos no Legislativo de Urussanga. Na última terça-feira, até a situação cobrou do Governo Municipal maior eficiência e atenção às necessidades para que o cidadão não seja afetado. O presidente do Legislativo, Odivaldo Bonetti (PP) mostrou imagens das péssimas condições de algumas estradas no município e relatou que as manutenções de algumas estradas foram cobradas por ele a mais de seis meses junto ao Secretário de Obras e nada foi feito.  “Moradores de Vila Romana, do Bairro Pirago e de uma estrada ao lado da Empresa ALUMASA no Bairro Dois Rios sofrem com problemas recorrentes que dificultam o acesso sem uma ação definitiva do setor de obras. O Vereador registrou ainda, que sente vergonha da condição de algumas estradas e que se houvesse um trabalho competente da Secretária de Obras, muitos dos problemas poderiam ser solucionados em apenas um dia e com resultados duradouros”, declarou.

A manutenção das estradas também foi cobrada pelo vereador Elson Roberto Ramos (MDB), o popular Beto Cabeludo. “Eu pediria para que a Secretaria de Obras comece e termine a manutenção das estradas. Existem várias obras incompletas que estão gerando transtorno à população. Além disso, as margens das estradas do interior estão tomadas pelo mato, colocando em risco os motoristas e causando acidentes”, registrou.

O vereador Jair Nandi (PSD) também apresentou indicação solicitando ao Poder Executivo a manutenção urgente de estradas no Bairro Rio Molha Alto e Bairro São Pedro.

Audiência Pública discute projeto de lei sobre nível de escolaridade em cargos do Poder Executivo

A Câmara de Vereadores de Urussanga irá debater na próxima semana, com a participação da sociedade urussanguense, um projeto de lei que trata do nível de escolaridade em cargos da Prefeitura Municipal.

A audiência pública foi proposta através de requerimento pelo presidente da Comissão de Finanças, Tributação e Orçamento, vereador Elson Roberto Ramos, e acontecerá na quarta-feira, dia 25, a partir das 19 horas, na Câmara de Vereadores da cidade.

O objetivo, conforme convite da Câmara, é discutir com os munícipes o Projeto de Lei PE nº 03/2018, o qual altera o dispositivo na Lei nº 2.777/2016, modificando a exigência do nível de escolaridade para nomeação a cargos de provimento em comissão do município.

A alteração em dispositivo na Lei nº 2.777/2016 se refere à modificação de nível de escolaridade nos cargos de diretor de obras, diretor de serviços urbanos, diretor de frota, diretor de resíduos sólidos e diretor de cemitério.

Nestes casos, o ensino fundamental não precisaria mais ser completo. Já na mudança envolvendo a diretoria de agricultura passaria de ensino médio para ensino fundamental. A redação do Jornal Vanguarda entrou em contato inúmeras vezes com o vereador Elson, mas o autor da proposta não retornou para se manifestar sobre a iniciativa.

PARA PREFEITO, PROJETO APRESENTA INCLUSÃO SOCIAL

O prefeito de Urussanga, Gustavo Cancelier explica que a Lei nº 2.777, de 2016, apresenta uma reestruturação administrativa e determina o Ensino Fundamental Completo para os seis cargos em questão. Segundo ele, a alteração do Executivo propõe a retirada da conclusão deste nível de escolaridade.

“Destes seis cargos, cinco deles não estamos baixando a escolaridade. Nós estamos mantendo o ensino fundamental, porém retirando o completo. O que estamos propondo é que se dê a possibilidade para que a pessoa volte a estudar e conclua este nível de escolaridade enquanto exerce o cargo. Não estamos vendo essa proposta como uma redução. Encaramos essas alterações como uma inclusão social. A exigência continua sendo a mesma, que é o ensino fundamental. Se vier trabalhar e não ter o estudo completo será obrigatório voltar a estudar e completar, pois exigiremos a comprovação trimestral da frequência”, frisa o chefe do Poder Executivo.

Para Cancelier, a experiência destes profissionais nas áreas de obras se sobressai. “Muitas vezes são bons profissionais que começaram cedo a trabalhar e não tiveram a oportunidade de concluir o estudo. Às vezes, quando contratamos mão de obra como pedreiro, um exemplo, não questionamos a sua formação, pois sabemos do seu bom desempenho. Não é porque não tem estudo completo que não é um bom profissional específico e técnico para aquela área. Por isso, nestes cargos consideramos que são

O parque é quase nosso

Quem contempla ou usufrui do imponente Parque Municipal de Urussanga há mais de 30 anos não imagina que este bem comum ainda não é de domínio da Prefeitura e, consequentemente, de todos os cidadãos. É que apenas os últimos gestores municipais da cidade, ex-prefeito Luiz Carlos Zen, ex-prefeito Johnny Felippe e atual prefeito Gustavo Cancelier, ficaram responsáveis pelo pagamento do Precatório nº 1.496, gerado ainda no ano de 1990.

Este caso teve início com a idealização e implantação do Parque Municipal ainda na gestão do prefeito Ado Cassetari Vieira, depois da primeira edição da Festa do Vinho, em agosto de 1984. O projeto das edificações começou a ser executado pelo arquiteto Manoel Coelho, de Curitiba, em 1987.

Após anos sem acerto deste precatório de 1990, um processo foi instaurado em 2001. Em 2005, a presidência do Tribunal de Justiça de Santa Catarina convocou uma audiência de conciliação entre as partes, visto que já havia um pedido de intervenção estadual no município, ou seja, o Estado tomaria para si a gestão do município.

Nesta audiência, as partes, Município de Urussanga e o beneficiário Consórcio Econômico Criciumense Ltda., representado por Luiz Fenili e José Antônio Dal Toé, entraram em acordo sobre a aquisição de área de terra.

Desta forma, o Município de Urussanga se comprometeu em saldar o débito, parcelado mensalmente, com vencimento todo dia 30 de cada mês, com início em 30 de junho de 2005 e término em 30 de dezembro de 2019, sendo que a parcela aumentaria gradativamente a cada ano e seria corrigida pelo INPC, acrescidas de juros de mora, correspondentes ao valor de 0,5% ao mês. O não pagamento de quaisquer das parcelas, na data aprazada, implica no sequestro automático do montante correspondente.

No final do próximo ano, a Prefeitura de Urussanga quitará esta dívida, um montante que chegará a quase R$ 12 milhões. E, enfim, depois de 30 anos, o Parque Municipal irá tornar-se efetivamente um patrimônio de bem comum de toda a cidade.

PAGAMENTOS REFERENTES AO PRECATÓRIO DO PARQUE MUNICIPAL (JUNHO DE 2005 A DEZEMBRO DE 2019) 

2005 – R$ 140 mil (parcelas de R$ 20 mil ao mês)
2006 – R$ 300 mil (parcelas de R$ 25 mil ao mês)
2007 – R$ 360 mil (parcelas de R$ 30 mil ao mês)
2008 – R$ 420 mil (parcelas de R$ 35 mil ao mês)
2009 – R$ 503.847,09 mil (parcelas de R$ 40 mil ao mês)
2010 – R$ 575.561,31 mil (parcelas de R$ 45 mil ao mês)
2011 – R$ 636.267,04 mil (parcelas de R$ 50 mil ao mês)
2012 – R$ 712.143,07 mil (parcelas de R$ 50 mil ao mês)
2013 – R$ 805.380,46 mil (parcelas de R$ 50 mil ao mês)
2014 – R$ 906.567,72 mil (parcelas de R$ 50 mil ao mês)
2015 – R$ 1.048.531,60 milhão (parcelas de R$ 50 mil ao mês)
2016 – R$ 1.221.170,12 milhão (parcelas de R$ 50 mil ao mês)
2017 – R$ 1.341.643,33 milhão (parcelas de R$ 50 mil ao mês)
2018 (até março) – R$ 352.929,47 mil / (previsão entre abril e dezembro) – R$ 1.095.419,87 milhão (Montante do ano: R$ 1.448.349,34)
2019 (previsão) – R$ 1.560.000,00 milhão (parcelas de R$ 50 mil ao mês)

Total: R$ 11.979.461,08

Casa Guido arrecada R$ 1 milhão para compra de sede

O momento mais esperado por famílias, crianças, colaboradores e toda a comunidade que se engajou nos últimos 20 meses em prol da Casa Guido chegou. Um sonho que parecia distante e até impossível se tornou realidade. A arrecadação da Casa alcançou, nesta quarta-feira (18), o valor de R$ 1 milhão, necessário para a compra do imóvel em que a instituição está instalada e até então era utilizado por meio de aluguel.

Com a compra do espaço, a instituição passa a ter mais segurança com relação aos atendimentos, além de se enquadrar em projetos assistenciais que têm como requisito o imóvel registrado. Uma conquista e tanto a ser comemorada como mais uma batalha vencida por crianças e famílias que diariamente se superam e inspiraram a garra para encarar os desafios com esperança.

Para o presidente da instituição, Otílio Paulo Miranda Pereira, esse é um patrimônio que traz ainda mais fôlego e garantia de que a assistência prestada às famílias será mantida e ampliada, sempre em busca do melhor para os pequenos. “É indescritível o nosso sentimento com essa conquista. Só podemos agradecer e assumir mais uma vez o compromisso de fazer o possível e o impossível pelo tratamento e pela qualidade de vida das nossas crianças. Muito mais que um grande valor em dinheiro ou imóvel, temos aqui a esperança e o conforto para famílias inteiras e isso não tem preço”, afirma.

Muitas mãos

Liderado pela instituição, o projeto da compra da sede foi abraçado por centenas de pessoas em toda a região. Diretoria, embaixadores, colaboradores, voluntários, famílias e comunidade. Cada um colocou alguns “tijolinhos” nessa construção. Conforme a responsável pela arrecadação de recursos e pelo setor de marketing da instituição, Maíra Sartor, ao longo do percurso centenas de mãos puderam colaborar e deixar sua participação nessa conquista.

“Hoje só tenho que agradecer por todo o período da campanha da compra casa. Quando tive essa ideia ousada foi porque tinha a certeza de que teria o respaldo da sociedade por todo esse carinho que demonstra com o Guido. Nunca encarei o desafio como um trabalho, mas, sim, como a minha missão aqui. Eu me sinto grata pela conquista e encerro a campanha com a certeza do tamanho do potencial e do carinho da sociedade conosco. Agora a Casa do Amor, como chamamos o Guido, é nossa”, afirma.

O trabalho, conforme ela, foi inspirado na garra dos pequenos que enfrentam desafios e obstáculos gigantes sempre acreditando no final feliz.

Entre os responsáveis pela conquista estão as pessoas que atuam como voluntárias. Incentivadora e apoiadora da instituição, a voluntária Margarete Mendes Batista, de 58 anos, acompanhou toda a arrecadação e não esconde a emoção de ter mais uma história feliz para contar. “Não tenho palavras de tanta gratidão. Aqui tudo vale a pena”, comenta.

Engajamento em projetos

O valor total foi arrecadado através de campanha com inúmeras ações como a implantação de uma equipe de telemarketing, a distribuição de carnês solidários, bazar de produtos novos e usados, entre outras ações capitaneadas pela instituição e até por grupos voluntários.

Ainda de acordo com a responsável, quatro contas em bancos diferentes foram abertas especificamente para a compra da casa e de forma a facilitar as doações da comunidade, sendo que o valor total arrecadado ao longo dos meses foi investido para que continuasse rendendo.

Na reta final da arrecadação, a diretoria da instituição e os proprietários do imóvel chegaram a uma negociação de venda por R$ 980 mil, o que possibilitará que os R$ 20 mil excedentes sejam utilizados nas questões de escrituração, orçada em aproximadamente R$ 30 mil. Valores ainda acrescidos nessa conta, por meio de boletos já emitidos e débitos em conta programados, serão ainda utilizados nas questões burocráticas e transferidos para a manutenção da casa.

Necessidade de continuidade

Durante toda a campanha para a compra da sede da instituição as atividades na Casa Guido ficaram divididas em dois motivos: a manutenção dos serviços da instituição, que vão desde doação de cestas básicas, exames, procedimentos médicos, medicamentos e até encontros com as famílias em datas comemorativas, e a arrecadação de recursos para a compra do imóvel. Com as atenções divididas, os recursos para garantir a viabilidade de toda a assistência para as famílias ficaram mais escassos, sendo necessário que tal foco seja restabelecido a partir de agora com a finalização do segundo projeto.

“Não é uma ajuda, é uma família”

O casal Katia Rech Heidemann e Jaime Heidemann, de Braço Norte, vem praticamente todas as semanas ao Hospital São José por conta do tratamento do filho Henrique, de três anos. Assistidos pela Casa Guido desde o diagnóstico de um tumor cerebral no garoto, há quase uma ano e meio, os três encontraram na instituição o aconchego de um segundo lar. “Posso dizer que isso aqui não é uma ajuda, é uma família. Todos nos recebem bem e nos tratam realmente como familiares. Além de tudo que nos oferecem como auxílio com alimentos, medicamentos, exames e tudo para o tratamento, esse carinho faz a diferença”, diz Jaime.

Recentemente, ao longo de um mês inteiro, Henrique precisou realizar procedimentos no hospital diariamente, o que fez com que a família se hospedasse nas instalações da Casa Guido de segunda a sexta-feira. Com seu jeito agitado e inteligente, Henrique aproveitou o período e conquistou ainda mais os colaboradores, voluntários, visitantes e outras famílias que frequentam a instituição. “Se ele já se sentia em casa, depois desse período passou a ficar ainda mais à vontade. Ainda mais sendo tão paparicado por todos”, completa a mãe.

Campanha contra gripe começa nesta segunda-feira nas unidades de saúde

A Secretaria de Saúde de Urussanga dará início na próxima segunda-feira (23), à Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe que seguirá até 1º de junho. O município disponibilizará as vacinas nas unidades de saúde para as pessoas que fazem parte dos grupos de risco, como indivíduos com 60 anos ou mais de idade, crianças na faixa etária de 6 meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), trabalhadores da saúde, grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas e professores.

A gripe é uma infecção aguda causada pelo vírus Influenza. Ela afeta o sistema respiratório e caracteriza-se pelo aparecimento súbito de febre, dor de cabeça, dores musculares, tosse, dor de garganta e fadiga. Nos casos mais graves, geralmente, existe dificuldade respiratória e há necessidade de hospitalização. A transmissão do vírus ocorre por meio de secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir, espirrar ou pelas mãos, que após contato com superfícies recém contaminadas por secreções respiratórias pode levar o agente infeccioso direto a boca, olhos e nariz.

No ano passado, Santa Catarina registrou 288 casos de influenza, sendo 226 pelo vírus H3N2, um pelo H1N1e e 58 pelo vírus influenza B. Também foram registradas 38 mortes pela doença.

Deputado Tebaldi destina R$ 300 mil para Hospital de Urussanga

O Hospital Nossa Senhora da Conceição de Urussanga vai ser contemplado com R$ 300 mil, através de emenda parlamentar do gabinete do deputado federal Marco Tebaldi (PSDB). Na tarde desta sexta-feira (13) Tebaldi visitou o hospital e fez a entrega do ofício com a indicação ao presidente da instituição Arnaldo Jesus Bez Batti.

Esta é uma boa notícia para os mais de 20 mil habitantes de Urussanga que dependem do atendimento deste hospital.Tebaldi destinou R$ 100 mil para a compra de equipamentos e R$ 200 mil para o custeio da entidade. O deputado estima pela boa aplicabilidade dos recursos em benefício das pessoas. “Temos absoluta certeza da boa destinação destes recursos. É um retorno imediato para a população. É Inegável que o Brasil tem problemas de atendimento à saúde, mas faremos todo o possível para tornar a vida das pessoas melhor”, comentou.

Lei Estadual da Piscicultura é encaminhada para Assembleia Legislativa de Santa Catarina

A nova Lei Estadual da Piscicultura atende uma demanda antiga dos pescadores catarinenses, que terão uma norma condizente com a realidade de Santa Catarina. O Governo do Estado encaminhou o Projeto de Lei para Assembleia Legislativa e aguarda o resultado da votação em plenário.

O Projeto é uma atualização da Lei nº 15.736/2012, que disciplina a piscicultura de águas continentais no estado e busca adequá-la ao Código Florestal Brasileiro e ao Código Estadual do Meio Ambiente. A principal mudança será nos critérios para o licenciamento ambiental. A proposta é que a piscicultura seja permitida em áreas de preservação permanente – seguindo critérios que liberem a produção, sem comprometer a preservação da vegetação nativa.

A piscicultura catarinense tem características diferentes de outros estados. Em Santa Catarina, a grande maioria das propriedades tem menos de 50 hectares e conta com mão de obra familiar. Com o espaço reduzido, 95% dos açudes e viveiros para cultivo de peixes de água doce estão em áreas de preservação permanente. E, por isso, os produtores não possuem licença ambiental, ficando impossibilitados de acessar o crédito rural, os programas de fomento do Governo Federal e Estadual e, até mesmo, as medidas de recuperação ambiental.

A verdade é que tanto o Código Florestal quanto o Código Estadual do Meio Ambiente já autorizam a piscicultura em áreas de preservação permanente. Então a Lei Estadual da Piscicultura irá apenas regulamentar o licenciamento ambiental e dar mais segurança jurídica aos piscicultores, que em sua maioria são agricultores familiares.

A nova Lei da Piscicultura foi elaborada em conjunto pela Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca, Instituto do Meio Ambiente (IMA), Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Epagri e Polícia Militar Ambiental.

PISCICULTURA EM SANTA CATARINA

Santa Catarina conta com mais de 30 mil piscicultores, entre amadores e comerciais. O estado está entre os principais produtores de peixes de água doce do país, com uma produção de 43,3 mil toneladas em 2016.

Em termos financeiros, os piscicultores profissionais produziram 29.637 toneladas de peixes e geraram mais de R$ 133 milhões em 2016. A produção está concentrada nas regiões de Tubarão, Joinville, Rio do Sul e Blumenau. E a espécie mais produzida no estado é a tilápia.

Coopercocal investe cerca de R$ 2 milhões em sistema elétrico

Com o objetivo de melhorar cada vez mais o fornecimentoe levar energia de qualidade a seus associados e consumidores a Cooperativa Energética Cocal – COOPERCOCAL tem planejado para este anoum investimento de aproximadamente R$ 2 milhões em reformas, manutenções e construção de redes.Ocronograma, que já está pré-estabelecido, teve início em janeiro e será finalizado em dezembro. Todo o planejamento foi aprovado em Assembleia Geral Ordinária e beneficiará várias localidades da área de atuação da cooperativa, entreelas: Linha Tigre, Linha Ferreira Pontes, Rio Perso, Rio Galo, São João, São Simão, Rancho dos Bugres, São Pedro, Belvedere, Mina Rio Maior, Palmeira Alta, Rio Salto e Morro da Lagoa.

Altair Lorival de Melo (Belha), presidente da Coopercocal, assegura que esses investimentos são necessários para manter a qualidade da energia “As manutenções e as obras, que tem como objetivorenovar e ampliaras redes,nos garantirá maior segurança juntoaos consumidores da Coopercocal, pois a satisfação dos nossos associados é uma das prioridades desta gestão”, explica.

Os serviços incluem, substituição de postes, instalações de novos transformadores, troca de cabos, ferragens e ampliação de redes monofásicas para trifásicas.

O grande destaque destemês éo início da construção de um novo alimentador, que beneficiará mais de 300 consumidores das localidades de São Pedro, Morro da Lagoa, Rancho dos Bugres e De Villa. Serão 6 km de redes construídas, fazendo a interligação com a subestação 69 kV em Cocal do Sul, passando pela localidade de Linha Espanhola até São Pedro, com previsão de entrega da obra para julho.

“Atualmente estas localidades são atendidas pela Coopercocal, porém a energia é proveniente de uma medição existente na comunidade do Bairro São Pedro,em Urussanga, com a construção desta nova rede, o atendimento será exclusivamente pela subestação da cooperativa, garantindo mais qualidade e agilidade ao serviço prestado”, afirma o presidente.

Semana do avivamento acontecerá na Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição

Estendendo o convite para Urussanga e região a Paróquia de Nossa Senhora da Conceição realizará um encontro muito especial da igreja com a comunidade, com o objetivo de reavivar a fé dos cristãos. Essa celebração já vem sendo realiza em outras paróquias, mas é a primeira vez que acontecerá na cidade.

Cada dia da semana a celebração será guiada por um tema diferente proporcionando para os cristãos diversas bênçãos. A abertura será realizada no domingo com uma missa aonde cada um trará os seus pedidos. Durante os outros encontros haverá momentos para benção de chaves – como forma da benção de Deus chegar a todos os locais que estamos em atividade. Acontecerá também a benção da água, benção da carteira de trabalho e oração para os entes queridos que já morreram.

“É importante participar desse momento porque é tempo de reavivar a fé. Todas as pessoas que participam se animam, ficam entusiasmadas, é uma carga de energia espiritual que serve para todo o ano e todas as nossas atividades. Quem vier com toda certeza vai se abastecer da palavra de Deus, da fé e da alegria”, explica o pároco Pe. Daniel Pagani.

Logo após a missa haverá venda de pipoca, cachorro-quente e pastel.

Programação da 1ª semana do avivamento 

22/04 – Domingo – ás 18:30 – Noite dos propósitos.
23/04 – Segunda-feira – ás 19:30 – Benção das chaves.
24/04 – Terça-feira – ás 19:30 –Benção das águas.
25/04 – Quarta-feira – ás 19:30 – Oração com as fotos dos falecidos.
26/04 – Quinta-feira – ás 19:30 – Benção com carteiras de trabalho.
27/04 – Sexta-feira – ás 19:30 – Pedido de perdão.
28/04 – Sábado – 19:00 – Benção das famílias.

Cocal do Sul abre as portas para o mundo da imaginação e da leitura

A fantástica história do peixe encantado, a apresentação de mágica para despertar a curiosidade e mais de 2 mil livros em exposição. Segue até amanhã, 21, a V edição da Feira do Livro de Cocal do Sul. Até o momento, o evento já recebeu mais de 3,5 mil pessoas e é promovido pelo Governo Municipal por meio da Secretaria de Educação, Esporte e Cultura em parceria com a Unilivros.

O espetáculo Trilhares – Contando Histórias, com Mirian Pereira Cardoso, encantou as crianças com as experiências lúdicas acolhedoras para a imaginação, diversão e aprendizagem coletiva e criativa. “Eu adorei a história do peixe encantado. Foi incrível! Eu também estou aprendendo a ler e gosto muito”, disse a pequena Kemely Rosso Morais Fortunato, 6 anos.

Feira do Livro também conta com muita expectativa e concentração das crianças com a apresentação do Mágico Franco do Vale. “Nossa ele é demais. Eu não acredito que ele conseguiu fazer tudo aquilo. Tudo desaparece e muda com muita facilidade”, concluiu admirado o aluno, Lucas Santos.

Segundo a secretária Ana Paula desenvolver o interesse e o hábito pela leitura é um processo constante e é preciso começar muito cedo. “A criança que ouve histórias e tem contato direto com os livros apresentam  maior desenvoltura e aprendem com mais facilidade. E tudo isso nós estamos oferecendo. É um momento dinâmico, lúdico e de despertar. Não deixe de participar conosco”, afirma.

Para a vice-prefeita, o objetivo do Governo é aproximar os alunos e a comunidade ao mundo da literatura, além de promover e incentivar o gosto pela leitura. “A cada ano nós inovamos e acreditamos ainda mais neste projeto que interage e une as pessoas e possibilita o prazer pela leitura às nossas crianças”, destacou Cirlene Gonçalves Scarpato durante a abertura oficial.

Durante a Feira, o público tem acesso a livros infantis, juvenis e adultos. O objetivo é oferecer variedade em preços e títulos para poder agradar a todos. “Este ano nós duplicamos a quantidade de obras com o valor de até R$ 10, 00. A ideia é atender a todos os clientes e todo tipo de bolsos. Hoje 50% dos nossos títulos podem ser adquiridos de R$ 5,00 a R$ 10,00. Além disso, para o público adulto, dos 40 livros mais vendidos no Brasil, 32 podem ser encontrados na Feira”, ressalta o representante da Unilivros, Mauricio Geraldo. A Feira do Livro acontece hoje, sexta- -feira, até as 20h30 e amanhã, sábado, até as 12h, no salão de festas da igreja matriz.

Abril Verde ressalta a importância da saúde e da segurança do trabalhador

Alertar e conscientizar sobre a importância da prevenção de acidentes de trabalho e de doenças decorrentes da atuação profissional. Esse é o objetivo da empresa GA TOP Gestão em Segurança & Saúde Ocupacional ao intensificar durante o mês de Abril ações que integram a Campanha Nacional Abril Verde. O mês foi escolhido em razão de duas datas importantes: Dia Mundial da Saúde (7) e Dia Mundial em Memórias das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho (28).

Para marcar a mobilização, a empresa que atua no mercado há 15 anos e é pioneira na região, realiza treinamentos e conscientiza através das redes sociais. “Nossa atenção é especial diante deste tema. Nosso propósito é incentivar medidas preventivas e uma gestão do trabalho mais humanizada. Atuar na prevenção de acidentes é um investimento que beneficia vários setores, traz retorno às empresas, inclusive à economia do país”, ressalta a técnica de segurança do trabalho, Cristiani Nesi Lopes.

Casos de demência triplicarão até 2050: Brasil ainda enfrenta barreiras para diagnóstico precoce

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que o número de casos de demência triplique até 2050, atingindo mais de 152 milhões pessoas ao redor do globo. Tal aumento deve-se ao envelhecimento populacional e continuará a atingir principalmente países de baixa e média renda.

Demência é um “termo guarda-chuva” para denominar diversas doenças que afetam progressivamente, em sua maioria, a memória, o comportamento e as habilidades cognitivas. A mais comum é o Alzheimer, aparente em quase 70% dos diagnósticos.

“Na doença de Alzheimer, por exemplo, os achados de ressonância magnética (RM) só aparecem em fases tardias. Contudo, procedimentos diagnósticos da medicina nuclear são bastante promissores, a partir do uso de novo marcador: o Pittsburgh compound B (PIB). Apesar de termos condições iguais às dos países desenvolvidos quando falamos da ressonância magnética, na medicina nuclear, o PIB ainda não é comercializado no País”, afirma a Dra. Claudia da Costa Leite.

Acesso a mecanismos de diagnóstico é inclusive outra preocupação da OMS, já que apenas 14% dos países que fornecem dados sobre demência indicam o número de pessoas que sofrem com o problema. Além disso, estima-se que aproximadamente 90% das pessoas que tenham algum tipo de demência em países de baixa e média renda não saibam desta condição.

Atendimento bucomaxilofacial no hospital de Urussanga é referência na região

Um serviço gratuito e de excelência que pode resolver sérios problemas envolvendo as áreas bucal e facial tornou-se uma referência para a região. Este atendimento é feito por especialistas no Hospital Nossa Senhora da Conceição, em Urussanga, e já contabiliza expressivos números e bons resultados. Tudo começou quando dois cirurgiães especialistas na área perceberam a necessidade da criação de um serviço especializado em cirurgia e traumatologia bucomaxilofacial, a nível hospitalar, para pacientes do SUS. “A demanda desse tipo de paciente estava represada em praticamente todos os municípios da região sul”, conta Davis Rogério Lúcio um dos idealizadores do serviço.

A agilidade que as coisas foram ajustadas também impressionou. “Normalmente esse tipo de serviço e fluxo leva certo tempo pra conversar com todo mundo que é necessário. Porque são 45 municípios. Mas nós investimos muito tempo e esforço pra fazer essa mediação, uma vez que nós nos propusemos a criar esse serviço. Essa demanda era tão grande que nós oferecemos uma ideia e todo mundo topou. Começamos em 2016 e não paramos até agora”, ele completa.

Hoje as regiões da AMREC, AMUREL e AMESC podem usufruir do atendimento, totalizando 45 municípios beneficiados. A conexão que é estabelecida entre municípios e o serviço é chamada de fluxo, onde os municípios são responsáveis pelo encaminhamento de pacientes, enquanto o governo possibilita a parte burocrática. “A forma de pagamento do hospital e dos profissionais só é possível a nível de governo”, explica Thiago Serafim Cesa, cirurgião e também responsável pelo serviço.

Para realizar o procedimento os pacientes passam por uma avaliação médica em seus municípios e são encaminhados das unidades de saúde e hospitais para Urussanga. Todos os procedimentos são realizados pelo SUS, sem custo nenhum. A média é de 15 atendimentos ambulatoriais e de 6 a 8 cirurgias por semana.

“Nós atendemos pacientes com fratura de face, com cistos e tumores de boca, com câncer de boca, ou com sequela de tratamento cirúrgico de câncer. Também é feito a preparação para tratamento de radio e quimioterapia e diagnósticos de lesões de boca”, conta Thiago.

Na rotina da equipe também estão inseridos pacientes com deficiências ou em condições sistêmicas descompensadas, onde é necessário um acompanhamento médico maior e diferenciado. “Pacientes em que é possível aplicar a anestesia local, são atendidos nos postos de saúde, os pacientes que a rede não comporta são atendidos aqui”, explica Doutor Davis.

Além das cirurgias de média complexidade, os profissionais também atuam fazendo campanhas para a prevenção do câncer bucal em todos os municípios inseridos no fluxo e capacitação para os outros profissionais da saúde.

Beatriz Magalhães da Silva trabalha no hospital a 13 anos. Atuando como enfermeira do centro cirúrgico a 4 anos pode acompanhar o serviço desde o início. “Envolve o trabalho humanizado, envolve o carinho. Agora temos espaço para destacar o melhor do nosso trabalho. As pessoas precisam saber de como esse trabalho é feito”.

Segundo os médicos, tudo que foi alcançado até agora é só um começo de algo muito maior. “O que nós temos em mente é algo em longo prazo. Nós queremos fazer isso por muito tempo. Nós temos muitas ideias. Sabemos que é um passo de cada vez, já conquistamos bastante coisa, mas ainda queremos ampliar. Porém já está tudo estruturado. Temos um ambulatório para os atendimentos, o centro cirúrgico é bem equipado, a equipe do hospital é solícita e treinada. o que conquistamos é bastante coisa”, finaliza Davis.

Os 10 mandamentos para produzir hortaliças saudáveis, mais nutritivas e, em paz com a natureza

Nas edições anteriores comentamos sobre as seis primeiras recomendações para implantar e conduzir uma horta orgânica: 1. Escolha do local, análise, correção do solo e preparo dos canteiros; 2.Escolha das espécies, variedades, sementes e mudas de acordo com a época de cultivo; 3.Adubação orgânica do solo; 4. Sistemas de semeadura e plantio; 5.Manutenção e ampliação da biodiversidade; 6. Cobertura do solo e manejo de plantas espontâneas (“mato”).

7.Rotação, sucessão e consorciação de cultivos

A monocultura, ou seja, o cultivo de apenas uma espécie numa área, é um dos maiores problemas da agricultura “moderna”, pois não existindo diversificação de espécies, as pragas e doenças ocorrem de forma mais intensa, por ser a única espécie presente no local, tornando o sistema de produção mais instável e mais sujeito às adversidades. Daí a importância dos consórcios de culturas e até a manutenção  de faixas ou refúgios com “mato” e até consórcios dos cultivos com plantas espontâneas que podem servir para atrair insetos predadores e até como alimento preferencial das pragas das culturas e também como abrigo e alimento de inimigos naturais dos insetos-pragas. Portanto, no sistema de produção orgânico é fundamental buscar-se em primeiro lugar uma maior diversificação da paisagem geral com espécies de interesse comercial ou não, de forma a restabelecer a cadeia alimentar entre todos os seres vivos, desde microrganismos até animais maiores e pássaros, pois somente assim se obterá sistemas de produção mais estáveis, garantindo o lucro dos produtores, mesmo em condições climáticas adversas. A rotação de culturas é uma prática que reduz e até pode eliminar alguns dos problemas citados. Na prática, sabe-se que a rotação ou sucessão de cultivos já é realizada por alguns olericultores localizados próximos aos grandes centros consumidores sem, no entanto, levar em consideração os princípios fundamentais para o sucesso dessa prática milenar. É comum também os produtores confundirem rotação de culturas com sucessão de culturas. Por isso, a seguir estão relacionados os conceitos de rotação, monocultura, sucessão e consorciação de culturas. Rotação: é o cultivo alternado de diferentes espécies vegetais, de diferentes famílias botânicas, no mesmo local e na mesma estação do ano, seguindo-se um plano pré-definido, de acordo com princípios básicos. Monocultura: uso continuado de uma mesma cultura, numa mesma estação de crescimento e numa mesma área. Sucessão de culturas: estabelecimento de duas ou mais espécies em sequência na mesma área, em um período igual ou inferior a 12 meses.

Principais benefícios da rotação de culturas: Redução ou eliminação de doenças, pragas e plantas espontâneas; Aumento da produtividade e melhoria da qualidade, com redução de custos; Manutenção ou melhoria da fertilidade e propriedades físicas do solo; Redução das perdas por erosão; Diversificação de renda da propriedade e Melhor aproveitamento dos fatores de produção (terra, capital e mão de obra).

Polícia Civil investiga denúncias contra político

Uma denúncia de furto e apropriação indébita em estabelecimento comercial resultou na instauração de inquérito na Delegacia de Polícia de Urussanga e numa ampla investigação que até apresenta acusações envolvendo o político J.F.

O inquérito ainda está em andamento. O caso registrado em 2017 veio à tona nesta semana por meio do jornalista João Zanini, através da Rádio Eldorado, em Criciúma.

Durante entrevista na emissora de rádio, detalhes da investigação foram expostos pelo advogado Alessandro Damiani, que defende a acusada, M.S.B de delito de apropriação indébita e furto em estabelecimento comercial em Urussanga.

Após afirmar sentir-se lesada pelas acusações registradas em Boletim de Ocorrência, a mulher rebateu com graves denúncias.

“A investigada foi ouvida e juntando farta prova documental e testemunhal de que tais valores não haviam sido apropriados ou furtados por ela, mas sim utilizados em caixa dois de campanha eleitoral, pagamento de compra de votos, pagamento de despesas adquiridas no curso de campanha eleitoral. Uma denúncia de furto e apropriação indébita resultou em todo esse inquérito que pode resultar em crimes de extrema gravidade”, afirmou o advogado da mulher acusada, Alessandro Damiani, durante entrevista a Rádio Eldorado.

O prazo para conclusão do inquérito foi expirado e o delegado de polícia de Urussanga, Marcelo Vianna requereu a dilação do prazo ao judiciário.

“É precipitado falar em qualquer crime eleitoral, até por que, havendo indício disso, é encaminhado à Polícia Federal. Só vou me pronunciar sobre conclusões quando terminar as diligências”, explicou o delegado à jornalista Bruna Borges.

De acordo com o advogado da acusada, Alessandro Damiani se confirmadas, as denúncias podem configurar crimes eleitorais, de agiotagem, contra o sistema financeiro nacional e peculato.

A redação do Jornal Vanguarda entrou em contato com o advogado da outra parte, Milton Beck para uma declaração sobre o assunto, mas até o fechamento desta edição não se obteve resposta.

Cocal do Sul realiza I Desafio Cocal Bike

O município de Cocal do Sul está com inscrições abertas para o I Desafio Cocal Bike. O evento deverá reunir centenas de participantes que percorrerão mais de 50 quilômetros de bicicleta pelo interior da cidade.

O desafio é uma realização do Governo Municipal através das Secretarias de Educação, Esporte, Cultura e Desenvolvimento Econômico e Turismo em parceria com o grupo Cocal Bike. Ele será realizado no dia 22 de Julho de 2018 (domingo). A largada acontecerá no Complexo Esportivo Walmor Mário Guollo, com concentração e café da manhã a partir das 8h e saída às 9h. Para iniciantes a rota terá um percurso de 34 km e PRÓ, 54 km.

As inscrições podem ser feitas pelo site Risco Zero, no valor de R$ 40,00, com almoço incluso. Todo trajeto será acompanhado por uma ambulância, carro de apoio e com pontos no percurso com frutas e água, vestiários com chuveiro e entrega de medalhas.

“Nosso objetivo é integrar e interagir com as pessoas que praticam a modalidade e aquelas que desejam encarar o desafio. Esse é um esporte apreciado por todas as faixas etárias e busca qualidade de vida. Além disso, é uma forma de divulgar o nosso município, fomentar o turismo rural, desfrutar de um cenário em meio à natureza, apresentar o que temos de melhor e acolher todos os visitantes e Sul-Cocalenses com muita energia para essa prova que marcará mais um evento em nossa cidade”, ressalta Juarez Fogaça, Diretor de Cultura e Turismo.