PROCRASTINAÇÃO: COMO SAIR DISSO?

A procrastinação é algo natural do ser humano. Ou seja, é impossível eliminá-la completamente das nossas vidas. O que podemos fazer é aprender formas para combater e reduzir essa atitude no nosso dia a dia, de um modo que ela não atrapalhe nossa vida e nossas atividades cotidianas.

Na pesquisa que realizei para o meu livro Equilíbrio e Resultado, com mais de três mil pessoas e centenas de entrevistas, constatei que existe um abismo enorme entre a expectativa das pessoas e a realidade de execução dos seus afazeres. Com o acúmulo de tarefas durante o dia, é muito comum que elas comecem a adiar suas responsabilidades e deixem tudo para o último minuto – o que pode se tornar uma rotina.

Muitas vezes, isso acontece porque, ao terem acesso a diferentes coisas ao mesmo tempo, as pessoas optam por realizar aquilo que dá um prazer imediato em vez de fazer algo que ofereça um retorno a longo prazo.

Mas como romper com esse padrão? Costumo dizer que existem duas técnicas simples para que você comece a adiar menos coisas na sua vida. A primeira delas é chamada de “técnica da formiga”. A formiga é um ser insignificante – ela está presente em todos os lugares, mas geralmente é ignorada. Podemos utilizar essa mesma lógica para caracterizar uma determinada atividade.

Por exemplo: você definiu que lerá durante meia hora todos os dias. Para que esse plano não se torne algo pesado, você pode transformá-lo em algo insignificante, em uma “formiga”: comece a ler duas páginas por dia. Assim, você criará o momento da leitura, ou seja, tomará uma atitude para realizar aquela tarefa. A partir daí, será mais fácil prolongar o tempo de leitura até o ideal.

A segunda técnica, chamada de “técnica dos cinco”, é baseada no conceito de “mindfulness”, ou seja, na atenção plena ao momento presente. Quando você pensar naquela tarefa, deve largar tudo que estiver fazendo e contar de cinco até um, respirar profundamente a cada número e mentalizar o que precisa fazer. Ao final da contagem, você deve levantar e iniciar o trabalho. Isso é uma forma de te colocar em um estado de concentração e fornecer a energia necessária para que você entre em ação.

É claro que existem outras estratégias para evitar a procrastinação, mas essas duas técnicas simples são extremamente eficientes para começar a adiar cada vez menos tarefas e não deixá-las para a última hora.

*Christian Barbosa é o maior especialista no Brasil em administração de tempo e produtividade e CEO da Triad PS, empresa multinacional especializada em programas e consultoria na área de produtividade, colaboração e administração do tempo.

CALOR SENEGALÊS ou MINHA CARREIRA POLÍTICA

O calor senegalês está sufocando a Benedetta faz uma semana. Só gosto do calor nas férias ou de folga. Trabalhando, desprezo. Como raramente estou de férias ou de folga, aprecio bem pouco o tempo quente. Menos ainda quando ele tem o mau gosto de aparecer no outono. Mas paremos com este papo de elevador, expressão inequívoca da minha preguiça diante dos assuntos sérios. Ando cínico demais.

Tempos atrás cogitei entrar na política, candidatar-me a vereador. Quase caí na provocação dos que diziam que é “muito fácil ficar escrevendo e criticando sem participar”. Bela tentativa, seus bocós! Mas participem vocês, porque eu vou continuar escrevendo e reclamando do tempo. Minha licença de escritor depende apenas de querer e saber escrever, e de existir alguém inconsequente o bastante para publicar.

Pra ser sincero, além do cinismo, tive outro bom conselheiro. Pessoa próxima e experta na política local foi direto ao ponto: “Tu não és talhado para o negócio, Luciano. Cai fora”. Realmente, não sou. Não tenho tolerância com a ética partidária e perderia rapidamente a paciência com os eleitores. Eles querem dinheiro, cerveja, favores de toda sorte, mas eu, para oferecer, só tenho conversa – e olhe lá!

Segundo a previsão, o calor senegalês segue até terça-feira. Pombas! O ar condicionado deixa a fatura da energia ainda mais pornográfica e possivelmente não terei folga até lá, porque preciso colocar em dia compromissos atrasados. Tudo certo, minha vida não é uma festa. Mas também não é nenhuma desgraça, como deve ser a daqueles que entraram na vida pública mesmo não sendo “talhados para o negócio”. E agora que minha carreira política acabou, vou ali tomar um sorvete. Tchau!

Desfile das famílias integrará celebração dos 140 anos de fundação e colonização italiana, em Urussanga

Para celebrar os 140 anos de fundação e colonização italiana em Urussanga, comemorados no dia 26 de maio de 2018, será realizado no município um desfile para enaltecer as famílias que auxiliaram na fundação e crescimento de Urussanga. A iniciativa que ocorrerá no próprio dia 26, às 10h, na Praça Anita Garibaldi, tem o objetivo de ressaltar a importância das famílias desde a fundação da cidade e também as atividades desenvolvidas por estas famílias no período que estão no município.

“Poderão participar todas as famílias que auxiliaram a construir a nossa cidade. Sendo elas de origem italiana ou não, já que todas foram muito importantes para o desenvolvimento da nossa cidade. Na inscrição, deve ser anexado um histórico da família no município, constando data aproximada de chegada, local de instalação e atividades desenvolvidas”, explica o presidente da Comissão Central Organizado da Festa do Vinho, Sergio Luiz Maccari Junior.

As inscrições poderão ser realizadas até o dia 18 de maio, na Central de Informações Turísticas que está localizada no Bairro da Estação, com Henry Goulart. “O desfile contará com um bloco por sobrenome, podendo ser subdividido dentro do próprio bloco. Além disso, é importante que se tenha uma pessoa de referência por família, para que haja a organização”, explica Maccari.

Para o desfile, que ocorrerá de acordo com uma ordem cronológica dos fatos, cada família será responsável pela sua indumentária, adereços, faixas, carro alegórico, entre outras ações que desejar apresentar. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone: 3465- 6238

“Brindamos a tradição” é o tema da XVIII Festa do Vinho

A celebração de datas históricas de relevância para Urussanga e a valorização de memórias e costumes, como a produção de vinhos no território Vales da Uva Goethe, detentor de Indicação Geográfica de Procedência, foram elementos que inspiraram a Comissão Central Organizadora (CCO) da XVIII Festa do Vinho na elaboração do slogan e da identidade visual do evento, que acontece de 8 a 12 de agosto deste ano, no Parque Municipal da cidade.

A proposta foi apresentada a representantes de entidades na noite de terça-feira, dia 24. O slogan “Brindamos a tradição” remete aos 140 anos de fundação de Urussanga, aos 120 anos de cultivo da uva Goethe na região e também a memória e consagração da Festa do Vinho. Por este motivo, uma tira de filme faz um resgate de momentos da história como a implantação da primeira vinícola em 1913, a colheita da uva em 1937, a realização das primeiras edições do evento em 1984 e 1986 com o início da construção do Parque Municipal, a promoção de desfiles culturais e o cultivo da uva Goethe pela família Trevisol.

A identidade visual conta ainda com um registro do extenso parreiral de propriedade da família Baldin aos fundos da imagem. A divulgação dos shows nacionais tem como base um tronco de parreira.

“Entendemos que ‘Brindamos a Tradição’ como slogan para essa edição da Festa do Vinho se encaixou perfeitamente na ideia de relacionar o acontecimento deste evento no ano de 2018 com os 140 anos de fundação de Urussanga, além dos 120 anos do cultivo da uva Goethe. Brindar a tradição é alusivo a toda essa história, a todas essas décadas desde a chegada dos nossos imigrantes italianos a Urussanga. E também um brinde a todas essas 18 edições de Festa do Vinho, a este evento que há mais de 30 abrilhanta o cenário festivo de Santa Catarina”, salienta o presidente da CCO da XVIII Festa do Vinho, Sergio Maccari Junior.

A XVIII Festa do Vinho é uma realização da Prefeitura de Urussanga, por meio da Comissão Central Organizadora, em parceria com as entidades e associações culturais do município, e a empresa X9 Promoções Artísticas LTDA ME.

Urussanga recebe o show “Badin, um colono na cidade”

No mês em que comemora 140 anos de fundação, o município de Urussanga recebe o show “Badin, um colono na cidade”. A apresentação acontecerá no dia 16 de maio, na Sociedade Recreativa Urussanga, a partir das 20 horas.

Segundo a promotora do evento, empresa Wos Desenvolvimento, este mês foi escolhido para a apresentação para lembrar as primeiras famílias que chegaram à Urussanga em 1878. “Talvez os fundadores jamais imaginassem que 140 anos depois muito das suas tradições, seu jeito de ser, de falar e de agir ainda estariam sendo motivo de orgulho e de respeito por todos, pelo reconhecimento inevitável de que devemos tudo a eles que enfrentaram o desconhecido e todas as dificuldades da época”, explica.

Segundo a Wos, Badin é um personagem que respeita e engrandece o colono,seu show é para todas as idades, pois a essência pura do interior é mantida e tanto a criança, como o vovô e a vovó podem assistir juntos. “Será uma noite, com certeza, de muita diversão e boas risadas, mas também uma noite para a família Urussanguense e toda a região comemorar e ter sim, orgulho da sua colonização e de suas origens. Venha receber o Badin, nosso novo visitante. Venha se divertir e comemorar. Traga sua família. Uma casa lotada e acolhedora é um presente para a cidade e para toda a região”, frisa.

Para a empresa, uma forma infalível de fortalecer o viés turístico de uma região é a forma como se recebe um visitante novo. “Quando se conversa nos bastidores das promotoras de eventos, muito se fala de quais regiões são acolhedoras e vale a pena investir e quais não, muito é medido pela aceitação e o público que acolhe os espetáculos culturais. Infelizmente, muitos empresários, inclusive, sequer comparecem ou incentivam seus colaboradores a frequentarem esse tipo de espetáculo, ignorando que o futuro do seu negócio depende de uma região aquecida economicamente. Uma região bem falada por nossos visitantes, é uma região que receberá cada vez mais visitantes. A matemática é simples e fácil, porém muitos “estudados” não a executam e aí os colonos, com sua simplicidade e sabedoria nos puxam a orelha e nos chamam à realidade”, finaliza.

Ingressos e pontos de venda estão disponíveis no site www.minhaentrada.com. Um pacote especial está sendo oferecido no site www.wosdesenvolvimento.com.br ou na secretaria da SRU. Mais informações pelo telefone (48) 98801-1708.

Os 10 mandamentos para produzir hortaliças saudáveis, mais nutritivas e, em paz com a natureza

Nas edições anteriores comentamos sobre as sete primeiras recomendaçôes para implantar e conduzir uma horta orgânica: 1. Escolha do local, análise, correção do solo e preparo dos canteiros; 2.Escolha das espécies, variedades,  sementes e mudas de acordo com a época de cultivo;  3.Adubação orgânica do solo; 4. Sistemas de semeadura e plantio;  5.Manutenção e ampliação da biodiversidade; 6. Cobertura do solo e manejo de plantas espontâneas (“mato”); 7. Rotação, sucessão e consorciação de culturas. 

8.Irrigação ou rega

As hortaliças, por terem ciclo curto, sofrem mais que outras espécies com pequenos períodos de estiagem. Embora ocorram precipitações consideradas suficientes para desenvolvimento das hortaliças, essas são irregulares. Além disso, a maioria das hortaliças são exigentes, pois apresentam em sua composição mais de 85% de água. A qualidade da água é muito importante, pois grande parte das hortaliças são consumidas cruas. Caso não seja água potável, recomenda-se fazer a análise da mesma, mesmo sendo oriunda de uma fonte natural, pois pode estar contaminada com alto teor de coliformes fecais. O sistema de irrigação mais usado numa horta doméstica, comunitária ou escolar é através da aspersão. Havendo reservatório de água, pode-se utilizar mangueiras com jatos finos ou adaptadas a microaspersores. O ideal é utilizar sistema de irrigação que produz gotas pequenas, formando uma espécie de neblina, evitando-se assim que, as plantinhas recém emergidas ou transplantadas sofram danos, além de evitar a formação de uma crosta endurecida no solo. Outra forma muito prática e barata de irrigar é através do sistema “santeno” que consiste numa mangueira de plástico, perfurada com raios laser e resistente à exposição ao sol, produzindo uma neblina fina. Com essa mangueira, encontrada em lojas especializadas, deve-se evitar a irrigação quando houver ventos. A terra deve ser molhada até à profundidade em que se encontra a maioria das raízes. A maior parte das raízes das hortaliças em pleno desenvolvimento alcança a profundidade de 15-20 cm. Para hortaliças-folhosas é aconselhável irrigar diariamente, caso não chova, durante todo o ciclo das plantas para se obter folhas tenras. Para hortaliças-frutos, à medida que as plantas forem crescendo, a irrigação pode ser espaçada de três em três dias até o final da colheita, caso não chova o suficiente; o mesmo intervalo de irrigação pode ser utilizado para as hortaliças-raízes, dispensando-a quando já estiverem em condições de serem colhidas. Sempre que possível, para as espécies pertencentes à família das solanáceas (tomate, batata, pimentão, pimenta e berinjela) que têm maiores problemas de doenças, deve-se evitar que a folhagem das plantas passem a noite molhada, preferindo-se a irrigação pela manhã, quando o sistema for por aspersão. A irrigação por sulcos e por gotejamento são ideais para essas espécies. Uma indicação prática, aproximada, da necessidade de irrigação pode ser obtida quando um punhado de terra apertado na palma da mão formar um conjunto coeso e úmido (“bolo”), o que significa que ela apresenta boas condições de umidade. É importante após a irrigação, esperar um pouco para que a água se infiltre, observando-se, depois, a profundidade atingida pela mesma.

Urussanga receberá I Conferência de Políticas Públicas de Direitos dos Animais

Urussanga receberá no dia 11 de maio a primeira edição da Conferência de Políticas Públicas de Direitos dos Animais. A iniciativa realizada pela ONG Raça e idealizada pelos vereadores Braz Ciseski e Vanderlei Marcírio, conta com o apoio da Administração Municipal e da Câmara de Vereadores de Urussanga.

As atividades terão início no dia 11 de maio, das 8h30 às 12h, na Sociedade Recreativa Urussanga. “Esta é uma temática de interesse de toda a sociedade e um ponto de partida para gerarmos uma importante mobilização sobre o tema. Queremos gerar o engajamento de toda a classe política, do Executivo, Legislativo, Judiciário e da sociedade civil em prol da causa da saúde pública e do bem-estar animal”, esclarece o vereador Braz Ciseski.

De acordo com Braz, durante o encontro, serão realizadas palestras de legislação e direito dos animais com o objetivo de orientar as Ongs e também os poderes públicos sobre as suas responsabilidades. “Teremos apresentações de leis federais, estaduais e municipais que serão discutidas para um maior conhecimento dos presentes. Também serão apresentados cases que deram certo. Contaremos a participação da Unibave e do Judiciário por meio da doutora Ana Lia Lisboa Carneiro”, explica Braz.

Com a iniciativa, os idealizadores esperam causar um grande impacto na sociedade e promover o debate sobre a importância do bem-estar animal. “Queremos chamar a responsabilidade e até mesmo provocar uma discussão para criar um projeto, em nível de Região Carbonífera, para que possamos criar um local de amparo aos animais, algo que não existe atualmente”, garante o vereador Deco Marcírio.

Para o prefeito Gustavo Cancellier, a conferência será muito importante para o debate sobre o assunto. “Consideramos muito válido o debate sobre a questão do bem-estar animal e apoiamos todas as manifestações em prol de ações que ampliem este debate tão importante. Esta já é uma questão de saúde pública”, garante Cancellier.

A ideia da organização é de contar com a participação de deputados, prefeitos, vereadores, protetores dos animais, Ongs e toda a comunidade. A participação é gratuita e não é necessária a inscrição prévia. Outras informações podem ser obtidas no telefone (48) 99617-5252.

Nível de escolaridade para cargos comissionados em discussão

População e Vereadores se reuniram na noite desta quarta-feira (25) na Câmara Municipal de Urussanga para discutir o Projeto de Lei PE nº 03/2018 de autoria do Poder Executivo e que trata da alteração do nível de escolaridade para nomeação em cargos comissionados.

A solicitação para a realização da Audiência e a condução das discussões foi feita pelo Vereador Elson Roberto Ramos (MDB). A Audiência Pública abriu espaço para manifestações favoráveis e contrárias ao Projeto, inclusive com espaço aberto a questionamentos das pessoas presentes.

A assessora parlamentar do PSD na Câmara de Vereadores, Andreza Baldessar, logo no início da Audiência, esclareceu aos presentes à abrangência da Lei e os possíveis reflexos de sua alteração na administração municipal.

O Prefeito Gustavo Cancellier destacou que o Projeto de reforma administrativa vem sendo discutido há muito tempo, passando por vários governos anteriores, cabendo a sua gestão concluí-lo. De acordo com o Prefeito, as mudanças propostas no Projeto de Lei, exigem que o candidato indicado para cargo comissionado de Diretor, volte a estudar, apresentando trimestralmente comprovante de frequência escolar.

A ex-vereadora Daniela Piacentini destacou a relevância do Projeto, e disse que vê o cargo de Diretor como uma função administrativa, devendo ser exigido para o seu preenchimento, grau médio de escolaridade. Segundo a Vereadora, o Plano Municipal de Educação aprovado em 2015 prevê o aumento da média de escolaridade da população e o Projeto de Lei em questão, serve somente para desestimular os jovens estudantes. A vereadora sugeriu que o Projeto seja revisto e que se mantenha o ensino médio como obrigatório para cargos de Direção no serviço público municipal.

O servidor Público Fabiano Saviato afirmou que o cargo de Diretor exige qualificação e escolaridade, pois a função que vai ser exercida será de coordenação e chefia, e a alteração da Lei, proposta pelo Poder Executivo, tende a diminuir a qualidade dos serviços públicos prestados a população.

O advogado Mauro Felippe afirmou que não entraria no mérito da questão, mas pediu que o Prefeito Gustavo Cancellier retirasse o projeto e futuramente apresentasse outro, com uma redação mais clara. De acordo com Mauro Felippe, o Projeto é inconstitucional e pode gerar problemas judiciais para a administração.

Alguns cidadãos destacaram que no município existem muitos trabalhadores com conhecimento prático, mas sem escolaridade para assumir cargos estratégicos de algumas secretárias, e se posicionaram a favor de que o candidato à vaga, possa assumir desde que volte a estudar.

Além dos Vereadores e da população em geral, participaram da Audiência Pública, lideranças políticas do Município, representantes de entidades e alunos do ensino médio do Colégio Barão do Rio Branco.

Fé é fortalecida durante a Semana do Avivamento

Reavivar a fé. É com este propósito que a Paróquia Nossa Senhora da Conceição está realizando a Semana do Avivamento com o tema “Quem mais se entregar, mais se molhará”. Os encontros com celebrações religiosas iniciaram no último domingo, dia 22, com a noite dos propósitos, e encerram amanhã, com a benção das famílias.

Para Adrian Amoriso, a semana está sendo muito abençoada. “A ideia foi muito boa de trazer a Semana do Avivamento para Urussanga. Reavivamos nossa fé todos os dias com missas diferentes ministradas por padres da região. Eles trazem a palavra do Senhor. É muito bom ver nossa igreja sempre cheia e todos adorando o Senhor, pois a missa carismática envolve muito as pessoas desde crianças até idosos. É uma missa muito animada e não deixa de nos transmitir a palavra. Saímos renovado dela”, comenta o participante.

De acordo com o pároco Daniel Pagani, a Semana do Avivamento busca fortalecer e despertar a fé, principalmente nas pessoas que estão afastadas da igreja. “Queremos que as pessoas reavivam e carreguem as suas energias e a alegria dentro dos seus corações para viver. Nosso intuito em cada celebração é aproximar as pessoas da igreja”, explica.

Os encontros proporcionaram aos participantes bênçãos diferentes a cada dia iniciando com propósitos, seguido da bênção das chaves, da água, pelos falecidos e carteiras de trabalho. Na noite desta sexta-feira, a partir das 19h30min, a missa será direcionada ao pedido de perdão. Já no sábado, às 19 horas, a bênção será das famílias.

“Estamos contando com muita animação e interação do povo nos encontros na Igreja Matriz. Eles cantaram, bateram palmas e foi uma interação muito bonita entre os padres e o público. A participação está sendo muito significativa e aumenta o número de pessoas participando a cada dia. Inclusive superou a nossa expectativa com a igreja lotada contando até com a participação de fieis de outras cidades como Cocal do Sul, Morro da Fumaça e Orleans. Penso que a Semana do Avivamento irá se consagrar no calendário religioso anual da nossa Paróquia”, finaliza

Ela vislumbrou a cultura em Urussanga

Os detalhes na calçada na área externa da residência imitam cachos de uva que revelam a adoração da moradora por um símbolo da identidade cultural de Urussanga. É com o sorriso estampado no rosto que Ana Maria Mariot Vieira, 75 anos, abre a porta para uma longa e agradável conversa sobre um assunto que faz seus olhos brilharem: a cultura.

É desde a ligação com os pais Olivio Gealdini Mariot e Amelia Donadel Mariot, avós e tios que esta paixão de Ana é alimentada. “Quando minha mãe faleceu eu tinha dois anos. Fui criada pela minha avó paterna, Caterina Pellegrin. Meu avô havia falecido em janeiro e tinha feito vinho. Logo em seguida morreu. Dois anos passaram e ela não tinha entrado ainda no lugar. E me convidou um dia. Lembro que ela sangrou o barril, deu o mosto para eu tomar, uma criança de 10 anos. Ela disse para eu tomar porque meu avô tinha feito. Entendeu o ambiente de valorização no qual fomos criamos? Meu pai era do tipo de pessoa que dizia para abrir uma garrafa de vinho para Ana. Era acostumado a preservar a questão do vinho. Quando eu estava distraída no meio de uma conversa ele chamava a minha atenção e dizia que um dia eu iria querer que alguém me contasse e não teria mais ninguém para falar as histórias”, recorda.

Jovem, ela encarou as salas de aula para lecionar como professora. Aos 19 anos, em 1963, casou com o bioquímico Ado Cassetari Vieira, responsável pelo laboratório do hospital de Urussanga. Que, anos depois, na década de 80, tornou-se prefeito da cidade. Era uma tradição a primeira-dama assumir a assistência social, mas Ado designou uma nova missão a Ana: ser secretária de Educação e Cultura.

“Entrei na Prefeitura a contra gosto. Eu não queria. Mas um deputado disse ao Ado que ele tinha uma pessoa dentro de casa para a função. Ele me nomeou como secretária e comecei as atividades em 1983”, conta Ana.

Na educação, Ana tinha como preocupação o desenvolvimento. Ela queria uma educação que abrisse horizontes. E por isso conseguiu avançar em vários aspectos. A Secretaria Municipal era subordinada ao Estado e como secretária ela alcançou a autonomia da pasta. Capacitações para os professores visando a melhora no ensino, transformação de escolas estaduais em municipais, construção de novas instituições de ensino como do Rio Caeté Baixo e Francisca Búrigo, em Cocal do Sul, reformas de escolas, ensino gratuito no colégio Rainha do Mundo, entre outras ações foram feitas.

AÇÕES E INICIATIVAS QUE FORAM ALÉM DE SEU TEMPO

Apesar do bom desempenho na educação, a atuação de Ana alcançou ainda mais destaque na área da cultura. A primeira ação de relevância foi a tradução do livro do padre Luigi Marzano para português feito pelo padre João Leonir Dall’Alba e o lançamento da obra nas línguas italiana e portuguesa.

“Urussanga ia fazer aniversário e logo pensei em lançar este livro, bem como fundar uma escola de língua italiana. Para a escola funcionar eu precisava de um italiano na direção. Aí fui atrás do padre Vito Lipari, diretor do Bairro da Juventude em Criciúma. Ele se comprometeu em ajudar. Foi um anjo que Deus colocou na minha vida. Ele leu o livro do padre Marzano e confessou que chorou muito, apesar dele ser do sul da Itália. Depois fundamos a escola logo em 1983, na casa do padre Agenor. Ele cedeu o lugar e nós reformamos. Isso despertou o interesse de pessoas da região por causa da cerâmica”, comenta.

Destemida, com o próprio carro, Ana decidiu procurar o Consulado da Itália, em Curitiba, para pedir um auxílio à escola. Em um encontro com o cônsul Guido Borgomanero, garantiu livros, uma bandeira e uma ponta de esperança. “Fomos eu, padre Vito e também o Hedi Damian, aluno da escola. Eu só sabia o dialetto. Na conversa com o cônsul, recordo das palavras dele ainda: por ora posso te dar apenas isso, mas se fizeres um bom trabalho, vamos fazer outra coisa: Gemellaggio”, lembra. A viagem foi marcada com mais emoção. O carro de Ana foi roubado. “Implantar a escola de italiano em Urussanga me custou isso. Mas ela também foi um impulso para o Gemellaggio e a formação de jovens. Quando eu dava entrevista e falava nesta palavra ninguém nem entendia o que eu estava dizendo”, conta entre risos.

Na Universidade Federal de Santa Catarina, em Florianópolis, Ana buscou apoio para segmentos como biblioteca, línguas e patrimônio histórico, envolvendo levantamento e cadastramento. “Restauramos a igreja do Rio Maior. O profissional Dalmo Vieira, que hoje está no Iphan, veio para fazer esta ação. Questionou sobre os padroeiros e alguma estátua. Chamei a comunidade e havia uma tela toda amassada, em um paiol. Dalmo me alertou sobre o valor imensurável daquela obra. Ele conseguiu um restauro no Rio de Janeiro. Quando a comunidade entregou novamente a tela, ela estava toda pintada e modificada. Não era mais a mesma”, explica.

Ana também criou a banda municipal, montou o coral e grupo de dança folclórica infantil, apoiou o Coral Santa Cecília, promoveu uma apresentação do tenor Aldo Baldin na Sociedade Recreativa Urussanga, implantou a Festa do Vinho, incentivou a construção do Parque Municipal, entre outras atividades.

“O Aldo Baldin foi reconhecido e valorizado naquele jantar. A apresentação dele, de primeiríssimo mundo, foi de chorar. Posteriormente, em agradecimento, ele lançou um vinil. Meu marido, Ado idealizou a Festa do Vinho inspirado na Festa da Maçã. E o detalhe é que a Festa do Vinho foi feita no mesmo ano que a Okctober e a nossa antes ainda, sem um saber do outro. Fomos pioneiros nisso. Fizemos a primeira edição para medir a aceitação no Ginásio Centenário. Pratos todos de porcelana. Não esperávamos que viesse o sul todo para cá. Quase cai dura quando vi aquele povo todo. Não sei como demos volta. A parte cultural eu inventei. Trouxe até grupo folclórico polonês, de Cocal de Sul, para entusiasmar nosso pessoal, conjunto de violinos. E quando terminou a festa nos perguntamos: o que vamos fazer na próxima? Ali ficou pequeno. Foi quando Ado disse: vamos comprar um Parque”, conta.

“Ele pesquisou vários lugares. Mas eu cismei com este na área central pelo paisagismo do Burlemax, conhecido no Brasil todo. Eu queria preserva aquilo. Então Ado desapropriou as terras e chamou o arquiteto Manoel Coelho, que havia feito maravilhas em Curitiba. Ele quis saber culturalmente o que eu queria. E eu disse tudo: centro cultural para museu, restauro, biblioteca, sala de música, de italiano. Num grande buraco, pensei nos anfiteatro de Roma. Depois pedi restaurante para escola de gastronomia, outro espaço para degustação de vinho, um teatro e local para artesanato. Mas de todos os elementos deste projeto original, as gestões municipais posteriores não deram continuidade”, lamenta.

Segundo Ana, suas ideias estavam associadas a sua formação familiar e aos seus sonhos e encantos. “Existia tanto no Ado como em mim a preocupação com a cultura. Pensávamos lá na frente. Queríamos que Urussanga crescesse rumo ao desenvolvimento. Algo com amor, vindo de criação, da alma da gente. Tornamos-nos referência naquela época. Outro dia ouvi na rádio italiana RAI essa frase: o povo que ao preserva sua cultura, assassina o turismo”, ressalta.

Para ela, Urussanga atualmente é carente na parte de investimentos e interesse na cultura. “Priorizar a cultura é importante porque gera turismo e é ele que traz a renda. A parte cultural da nossa cidade gerou escola, Gemellaggio e olha quantos foram para a Europa e retornaram investindo o dinheiro aqui. Se aplicares a cultura ela culminará no turismo. A fonte de riqueza cultural de Urussanga está apenas no primário. É preciso ir além”, finaliza.

Urussanga terá sete candidatas a Rainha da XVIII Festa do Vinho

A XVIII Festa do Vinho que será realizada de 8 a 12 de agosto de 2018, contará com sete candidatas a rainha e princesas da festa. As inscrições foram encerradas na última quarta-feira e, a partir de agora, as candidatas passarão por cinco capacitações até o dia da escolha que será realizada no dia 25 de maio, na Praça D’Itália.

“Até o final de maio, todas as candidatas passarão por cursos como de auto-maquiagem, etiqueta, cultura e gastronomia, atenção ao público, passarela, entre outras atividades”, enaltece a vice-presidente da Comissão Central Organizadora da Festa do Vinho, Margareth Maria Serafin De Villa.

A primeira aula será a de auto-maquiagem que ocorrerá no dia 2 de maio. A Escolha da rainha e princesas da XVIII Festa do Vinho também está integrada as comemorações dos 140 anos do aniversário de Urussanga, celebrado no dia 26 de maio.

CONFIRA AS CANDIDATAS:

Gislani Carniato Feltrin, 19 anos – Representante da Associação ProGoethe

Kamila Fretta Fabro, 18 anos – Representante da Câmara de Dirigentes Lojistas de Urussanga e Associação Comercial e Industrial de Urussanga

Kimberlin De Oliveira Dos Santos, 23 anos – Representante do Ventuno Pub e Farmácia da Dalila

Rafaela Cancellier Ghisi, 21 anos – Representante da Confraria Quatro Estações

Sabrina Inácio Velho, 21 anos – Representante da Casa Mix e Supermercado Nova Itália

Sara Servodio, 16 anos – Representante da Urussanga Minérios

Suelen Cittadin Jacintho, 18 anos – Representante da Associação de Moradores do Bairro Rio América e CEUSA

Pavimentação da Rota dos Imigrantes volta a ser discutida

Muita poeira próxima às casas, más condições da estrada e um potencial turístico a ser explorado. Estes são fatores que fazem habitantes das localidades de Rancho dos Bugres e Azambuja reivindicarem a pavimentação asfáltica da Rota dos Imigrantes há décadas.

O trajeto considerado um roteiro turístico refaz o caminho percorrido pelos imigrantes italianos que fundaram as Colônias Azambuja, em abril de 1877, e Urussanga, em maio de 1878, os primeiros núcleos da região Sul de Santa Catarina. O valor histórico desta estrada se mantém ao longo dos anos na memória, mas a questão econômica vem perdendo força.

Qualidade de vida aos moradores e fortalecimento da economia e do turismo são elementos que retomam a discussão a cerca da pavimentação desta estrada. O assunto voltará a ser debatido durante audiência pública proposta pela Câmara de Vereadores de Pedras Grandes com o apoio da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc). A data, para o mês de maio, ainda está sendo definida, de acordo com o suplente de vereador de Pedras Grandes, Vilmar Della Bruna.

Foi Della Bruna o responsável pela proposta ainda no final de 2017. Para ele, investimentos neste território poderiam até evitar o êxodo rural e alavancar o turismo. “Aqui existe uma rica história, onde no passado a agricultura era ainda mais forte. Atualmente muitas famílias buscaram regiões mais plainas. Hoje temos fruticultura, avicultura e agricultura familiar, bem como o turismo. Portanto essa pavimentação pode estimular a economia e até impedir a saída das pessoas do campo para a cidade. Se executada, esta obra poderá beneficiar duas mil pessoas apenas em Pedras Grandes, sem contar Urussanga e outras localidades da região. Seria uma integração excelente para alavancar o turismo”, salienta.

Vilmar Della Bruna e o ex-vereador de Pedras Grandes, Izaltino Masieiro participaram da sessão da Câmara de Vereadores de Urussanga na terça-feira para anunciar a realização da audiência pública que deverá ocorrer no salão de festas da comunidade de Azambuja. O convite foi estendido aos edis de Urussanga, que se comprometeram a participar das discussões.

“Estamos convidando previamente os prefeitos e a população das duas cidades para mostrar aos deputados a nossa força. Os deputados também estão confirmando presença e acredito que será a audiência com maior representatividade da região. Já 20 anos reivindicamos essa obra verbalmente aos deputados. Mas como desta forma percebemos que não dá resultado o caminho será através da audiência. Vamos reunir o deputados e cobrar investimentos para o trecho que já tem projeto, bem como pedir recursos para a elaboração de desenho para a outra parte. Todas as pessoas estão convidadas para a audiência pública”, frisa.

CONCEPÇÃO DE PARTE DA OBRA ESTÁ NA PREFEITURA DE PEDRAS GRANDES 

Em 2014, a Prefeitura de Pedras Grandes decidiu elaborar o projeto de pavimentação asfáltica no trecho ligando o centro de Pedras Grandes à Azambuja. A empresa Ktop Engenharia, de Criciúma, foi a responsável pela concepção. De acordo com o engenheiro civil da Prefeitura de Pedras Grandes, Antônio Mendes Gazola o projeto prevê asfalto em todo o seu trecho de 7,6 quilômetros com previsão de investimento superior a R$ 15 milhões. O engenheiro desconhece a existência de projeto ligando Azambuja à rodovia SC 108, em Urussanga, com saída para o trevo do bairro Nova Itália.

Segundo o suplente de vereador de Pedras Grandes, Vilmar Della Bruna faltaria o projeto de Azambuja até Urussanga, que contemplaria aproximadamente 13 quilômetros. “Vamos lutar pelos projetos para pavimentação de todos os trechos até chegar à SC 108. Um deputado uma vez disse que o investimento de tudo seria R$ 22 milhões”, comenta.

TRECHO EM URUSSANGA JÁ TEM PROJETO

A localidade de Rancho dos Bugres é o ponto onde passa a estrada. Um trecho recebeu pavimentação de paralelepípedos na década de 90 e nos anos 2000. A pavimentação asfáltica da Rota dos Imigrantes também foi levantada em Urussanga ainda em outubro de 2014. Na época, moradores da localidade de Rancho dos Bugres fecharam a estrada para uma manifestação devido ao trecho de 1,5 quilômetro não pavimentado.

Em novembro do mesmo ano, representantes da associação de moradores participaram de sessão na Câmara de Vereadores de Urussanga e relataram o convívio diário com lama, poeira e a falta de segurança, bem como enalteceram as propriedades coloniais que ainda conservam suas características originais e que estavam se transformando em pousadas típicas, produtores de artesanatos e restaurantes.

Em junho de 2015, a Prefeitura de Urussanga apresentou um projeto de pavimentação da estrada geral da localidade, cerca de 1,3 quilômetro, sendo o mesmo cadastrado no Ministério do Turismo. Na época, o investimento necessário seria de R$ 1,7 milhão, contemplando acostamento dos dois lados. Com definição financeira, este projeto original de engenheria precisa ter seu traçado de curva e orçamento atualizados, de acordo com informações do Departamento de Planejamento.

Adefonso se reúne na FETAESC para discutir obrigação de nota eletrônica para o agricultor

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Urussanga, Adefonso Baesso, participou, na última quinta-feira (20), de uma reunião na FETAESC (Federação dos Trabalhadores de Agricultura do estado de Santa Catarina), em Florianópolis. O encontro também contou com a participação dos presidentes dos Sindicatos de Içara e Nova Veneza. Na pauta, a discussão sobre uma decisão da Receita Federal que promete mudar as vendas dos produtores rurais.

Segundo decisão, a partir de 1º de janeiro de 2019 todos os produtores rurais só poderão realizar venda de produtos com emissão de nota fiscal eletrônica, não sendo mais aceito bloco de produtor. A medida preocupa os agricultores, pois as comunidades de interior dos municípios não têm acesso a internet, atrapalhando a venda.

“Nós entendemos que a mudança é necessária, mas pedimos que fosse estabelecido um tempo para que todos possam se adequar. Assim como aconteceu quando o bloco de produtor se tornou obrigatório. Essa mudança brusca faz com que o produtor desista da classe rural, procurando emprega na cidade”, comenta Adefonso.

O encontro contou ainda com representantes dos estados do Paraná, Rio Grande do Sul, do Sindicato do Tabaco e das grandes empresas fumageiras. No dia 14 de maio, a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina voltará a discutir sobre o futuro dos produtores rurais.

Câncer: doença deve ser enfrentada com fé e amor

Desde seus primórdios, o ser humano sempre conviveu com os mais diversos tipos de doenças que alarmavam a população. A lepra, ontem; o câncer, hoje. Pesquisa do Instituto Datafolha aponta que o diagnóstico que 76% dos brasileiros mais temem receber ainda é o de câncer. Já o Instituto Nacional do Câncer (Inca) revela que surgem 600 mil novos casos da doença todos os anos no Brasil e que, em cada 10 casos, três estão relacionados ao estilo de vida que as pessoas levam. Hábitos como tabagismo, consumo excessivo de álcool, sedentarismo, obesidade e exposição exagerada ao sol aumentam as chances de incidência da doença.

Apesar de os números ainda assustarem, vale lembrar que a Medicina Diagnóstica nos dá meios de detectar um câncer em estágio bastante inicial e plenamente passível de tratamento – aumentando as chances de cura. De acordo com o pesquisador João Viola, do Inca, uma vez que a pessoa teve câncer é sempre importante manter a vigilância. Ainda assim, ele prevê que, em 15 ou 20 anos, o câncer vai ter o mesmo ritmo que a Aids. Ou seja, o paciente fica em tratamento-controle por muito tempo, como se estivesse tratando de uma doença crônica.

Há quem afirme haver causas subjetivas para o câncer, como acúmulo de mágoa e rancor. Nem sempre, como ocorre com as doenças do corpo, a medicina pode cuidar das doenças da alma. Na Roma Antiga, quando perguntaram ao poeta Juvenal o que as pessoas deveriam desejar na vida, ele respondeu: mens sana in corpore sano (mente sã em corpo são). Essa frase é repetida inúmeras vezes em todas as partes do mundo até hoje. Isto porque, sem dúvida, boa parte de nossa saúde física depende do equilíbrio espiritual e da sanidade mental.

Esse equilíbrio pode ser buscado por inúmeros caminhos. Em seu livro O Milagre da Meditação (lançado em 2017 pela IRH Press do Brasil), o autor e mestre japonês Ryuho Okawa aponta a meditação como um “recurso que as grandes almas devem usar para aumentar seu poder, duplicando-o, multiplicando-o por três, ou mesmo cinco, dez, cem vezes”. Para ele, a primeira condição para se meditar de modo correto é “acreditar na existência do divino”.

Outra condição para não ter nosso equilíbrio emocional ameaçado é sorrir, viver com um coração puro e com amor buscar a felicidade do maior número possível de pessoas. Em A Verdade sobre o Mundo Espiritual, que acaba de ser lançado no Brasil, Okawa diz que “o ideal como ser humano é levar uma vida franca, aberta, simples e inocente”. Ele alerta que devemos viver como se tivéssemos um coração de vidro, sem vergonha de mostrar o que somos e o que estamos pensando.

É possível que entre as causas não físicas de muitas doenças, incluindo câncer, esteja a ausência de condições para a construção de uma mente sã, devido ao abandono do correto caminho ou em consequência do isolamento e da solidão. Todos enfrentam em alguma fase da vida situações familiares difíceis, reveses nos estudos, insucessos no ambiente de trabalho, desilusões amorosas.

Mas somos mais sujeitos ao desânimo e a pensamentos negativos quando nosso coração está envolto em nuvens escuras provocadas por desvios de rota, quando deixamos que vícios ocupem o lugar das virtudes e venenos como ganância, ambições, raiva, inveja e traições nos afastem da Verdade e da consciência de que devemos ser felizes e fazer a felicidade dos outros neste mundo para construir nossa felicidade no Mundo Celestial.

O pleno controle de nosso barco nos dará condições de superar tempestades, de manter serenidade e esperança mesmo diante de graves doenças. Será a boa convivência com familiares e amigos e a construção de uma vida saudável e correta que nos darão força interior para encarar problemas psicossociais como a perda de uma pessoa querida ou de um emprego sem somatizar, sem transformar isso em doença.

Com essa postura, é como se tivéssemos descoberto e tomado uma vacina contra vários problemas e doenças. Sendo assim, evite a solidão e procure usar seu tempo livre e seus conhecimentos para ajudar a quem precisa. Conviva com pessoas positivas, alegres, pessoas que conseguem ser felizes trabalhando para fazer os outros felizes. Converse, conte seu dia aos outros. Não deixe o desânimo tomar conta de você e encare cada doença, por mais dolorosa que seja, como algo transformador.

*Monica Higashi é consultora de novos negócios da editora IRH Press do Brasil, que publica em português as obras de Ryuho Okawa. Um dos autores mais prestigiados no Japão, Okawa tem mais de 2.300 livros publicados, ultrapassando 100 milhões de cópias vendidas, em 29 idiomas. (www.okawalivros.com.br)

Cardiologista alerta sobre a Hipertensão

Ter um estilo de vida saudável depende de muitos fatores, desde uma alimentação equilibrada até a prática de exercícios físicos. Esses dois hábitos são essenciais contra uma das doenças que atinge um a cada quatro brasileiros: a hipertensão. Segundo pesquisa realizada pela Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas (Vigitel), em 2016 o número de pessoas que têm a doença cresceu 14,2% em uma década e, hoje, 25,7% da população é hipertensa.

Dia 26 de abril é uma data referência neste assunto: Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão. Ele foi criado com o objetivo de conscientizar as pessoas sobre os cuidados básicos para prevenir e lidar com a hipertensão arterial. Relacionada ao consumo excessivo do álcool, estresse, tabagismo e ingestão de alimentos fritos, esse mal pode ser controlado com medicações e com a mudança de alguns hábitos diários.

De acordo com o cardiologista Dr. Ronaldo Passos da Silva (CRM 9613 RQE 8352), que atende na área central de Urussanga, a Hipertensão está relacionada à pressão arterial, sistematicamente, igual ou maior que 14 por 9. “A pressão se eleva por vários motivos, mas principalmente porque os vasos nos quais o sangue circula se contraem. O coração e os vasos podem ser comparados a uma torneira aberta ligada a vários esguichos. Se fecharmos a ponta dos esguichos a pressão lá dentro aumenta. O mesmo ocorre quando o coração bombeia o sangue. Se os vasos são estreitados a pressão sobe”, explica.

Segundo o especialista, a pressão alta ataca os vasos, coração, rins e cérebro. “Os vasos são recobertos internamente por uma camada muito fina e delicada, que é machucada quando o sangue está circulando com pressão elevada. Com isso, os vasos se tornam endurecidos e estreitados podendo, com o passar dos anos, entupir ou romper”, comenta.

Quando o entupimento de um vaso acontece no coração causa a angina, que pode ocasionar um infarto. No cérebro, o entupimento ou rompimento de um vaso leva ao “derrame cerebral” ou AVC. Nos rins podem ocorrer alterações na filtração até a paralisação dos órgãos. “Todas essas situações são muito graves e podem ser evitadas com o tratamento adequado, bem conduzido por médicos”, salienta.

O médico cardiologista ressalta que a pressão alta é algo muito comum e a hipertensão é uma doença “democrática”. Porém as graves consequências podem ser evitadas. “Ataca homens e mulheres, brancos e negros, ricos e pobres, idosos e crianças, gordos e magros, pessoas calmas e nervosas.

A Hipertensão acomete uma em cada quatro pessoas adultas. Assim, estima-se que atinja em torno de, no mínimo, 25 % da população brasileira adulta, chegando a mais de 50% após os 60 anos e está presente em 5% das crianças e adolescentes no Brasil. É responsável por 40% dos infartos, 80% dos derrames e 25% dos casos de insuficiência renal terminal. As graves consequências da pressão alta podem ser evitadas desde que os hipertensos conheçam sua condição e mantenham-se em tratamento com adequado controle da pressão”, frisa.

10 mandamentos contra a pressão alta
1. Meça a pressão pelo menos uma vez por ano.
2. Pratique atividades físicas todos os dias.
3. Mantenha o peso ideal, evite a obesidade.
4. Adote alimentação saudável: pouco sal, sem frituras e mais frutas, verduras e legumes.
5. Reduza o consumo de álcool. Se possível, não beba.
6. Abandone o cigarro.
7. Nunca pare o tratamento, é para a vida toda.
8. Siga as orientações do seu médico cardiologista.
9. Evite o estresse. Tenha tempo para a família, os amigos e o lazer.
10. Ame o seu coração.

DME prepara Copa de Handebol

A Departamento Municipal de Esportes (DME) está nos preparativos para a realização da Copa Papos & Tragos de Handebol – Taça Madegil. A competição contará com a categoria sub-16, nos naipes masculino e feminino, e a participação de seis equipes da região Sul de Santa Catarina e também do Rio Grande do Sul.

O campeonato acontece no dia 26 de maio, a partir das 8 horas, no Ginásio Municipal Centenário. “Nossa referência é a Copa Madegil, de Cocal do Sul, que já está na XI edição. Resolvemos buscar novos parceiros para expandir a modalidade e divulgar a prática do Handebol a fim de conquistar novos praticantes e resultados positivos em longo prazo com as equipes que já fazem parte desse projeto”, explica o professor e organizador do evento, Marcos Freitas.

“Sabemos da importância da Copa Madegil em Cocal do Sul e por este motivo o Departamento não medirá esforços para que também a Copa Papos & Tragos se torne parte do calendário esportivo em Urussanga”, finaliza o diretor da DME, Thiago Mutini.

Campeonato Municipal de Bocha terá início na sexta-feira, em Urussanga

A partir desta sexta-feira, dia 27, inicia em Urussanga mais uma edição do Campeonato Municipal de Bocha – Taça Construtora Sacchet. As disputas em 2018 contarão com a participação de nove equipes do município.

“O Campeonato de Bocha já é tradicional na nossa cidade e temos a certeza que será mais uma edição bem disputada. Estamos trabalhando para garantir o máximo de organização e uma boa competição”, garante o diretor de esportes de Urussanga, Thiago Mutini.

Todas as partidas da primeira rodada da competição terão início às 19h30.

Confira as partidas:

Cancha do Bar Serafim: Amigos da Barraca X Rio Carvão Baixo
Cancha do Brondo: Bom Jesus/ Vinhos Denoni X Bar Serafin
Cancha Rio Galo: Rio Galo X Coxia Rica
Cancha de Santo Antônio do Rio Maior: Bar Comelli X Barraca do Taliano
* Folga da equipe: Vinhas/ Pesque Pague Delipia/ Birra Del Nonno

Urussanga se prepara para a primeira edição da Night Run

Faltam menos de 15 dias para que os apaixonados pelas corridas tenham a oportunidade de participar da primeira edição da Night Run. A prova que ocorrerá no dia 5 de maio, é realizada pela Prefeitura de Urussanga, por meio do departamento de esportes e em parceria com a VOX Entretenimento. A competição que terá largada às 19h na Praça Anita Garibaldi, contará com disputas em dois percursos, 5 e 13 quilômetros.

“Estamos preparando um dia intenso de atividades para os participantes e também para aqueles que vierem ao centro da cidade durante o dia 5 de maio. Temos a expectativa que mais de 500 atletas participem das disputas”, esclarece o diretor de esportes de Urussanga, Thiago Mutini.

Os atletas escritos ganharão o kit que contém camiseta, número de peito, medalha, chip e vários brindes. “Estamos realizando todos os preparativos para que este evento seja um sucesso. Vale ressaltar que durante o dia da prova, o trânsito na praça Anita Garibaldi será desviado para garantir uma maior segurança aqueles que estiverem no local”, explica Mutini.

Os interessados podem realizar as inscrições pelo site: www.voxentretenimento.com.br, whatsApp (48) 99185-2347 ou 3465-1000.

Campeonato da Amizade começa no dia 12 de Maio

O campeonato de futebol suíço para atletas amadores, organizado pela Liga Urussanguense de Desportos, começará oficialmente dia 12 de maio. O sorteio das equipes será realizada em uma reunião dia três de maio, onde também serão deliberadas outras definições da competição. A expectativa é que participem de 12 a 16 equipes no torneio.

Segundo as regras os atletas dos times inscritos precisam morar ou trabalhar em Urussanga. Cada time terá o direito de ter apenas dois jogadores sem vínculo com o município.

As inscrições ainda estão abertas e deverão ser feitas na sede da Liga Urussanguense de Desportos, onde é necessário preencher uma ficha para ser levada até a reunião de sorteio das equipes. Mais informações pelo telefone 9 9985-2776 ou 3465-0437.