Parte da história do vinho é encontrada em ruínas

As paredes de edificações centenárias ainda guardam e representam a rica história da vinicultura de Urussanga. Entretanto os telhados alertam: não se sabe por quanto tempo estes patrimônios culturais lutarão sozinhos para se proteger. A triste realidade das antigas vinícolas da cidade foi exposta a centenas de fotógrafos amadores e profissionais que participaram de um circuito fotográfico promovido pelo Foto Clube de Urussanga na manhã do último sábado.
A primeira vinícola desativada a ser visitada foi a de Victorio e Darvino Bez Batti, localizada na Praça Anita Garibaldi, que produziu os famosos vinhos Samos e Santé. Com o vinho Goethe, eles conquistaram medalha de ouro numa exposição internacional em Nova Iorque em 1939. Os fotógrafos registraram imagens da fachada da edificação, que é protegida estadualmente pela Fundação Catarinense de Cultura. Na área externa, o grupo reconheceu vestígios das tinas que foram demolidas em 2004.
O segundo local visitado pelos fotógrafos foi a antiga vinícola de José Caruso Mac Donald, que impressionou a todos pela grandiosidade da estrutura fundada em 1913 pelo
empresário José e os  lhos João, Aldo, Laerte, Roberto e Valéria. O espaço chegou a ter capacidade de produzir e estocar dois milhões de litros por safra e as atividades foram encerradas em 1990.
A parte destinada a elaboração do vinho teve a estrutura do telhado totalmente comprometida pela ação dos cupins, deixando centenas de imensas tinas feitas de concreto expostas ao sol e as fortes chuvas. O telhado foi removido por motivos de segurança, conforme informações repassadas por Odilon Barbosa, administrador da empresa instalada numa parte da edificação que elabora os produtos URU, bebidas feitas a partir de destilados. “A filha de José, Valeria casou com Bernardino Campos. Ele adquiriu algumas cotas da sociedade e com a morte de Valeria tornou-se herdeiro da cotas e passou a ter 52% da empresa. Ele casou novamente com Maria Estela, que atualmente é a sócia majoritária do local e divide a sociedade com Roberto Caruso, filho de José, e Norberto Caruso, neto de José”, conta.
A última vinícola a ser visitada foi a Cadorin, reconhecida pela Fundação Catarinense de Cultura como patrimônio estadual e que encerrou as atividades no ano 2000. Apesar de ter partes de telhados desmoronadas, o local ainda preserva praticamente todos os equipamentos destinados à fabricação de vinho e as importantes conquistas, como medalhas e destaques em feiras nacionais.
A vice-presidente da ProGoethe, Giselda Trento Mazon, participou da abertura da caminhada no Fretta Home Center de Urussanga e emocionou-se ao relembrar dos tempos áureos da produção vitivinícola da Terra do Bom Vinho. Ela lamentou o fato de que as estruturas físicas das antigas vinícolas estejam sofrendo com a ação do tempo sem um projeto de preservação. Giselda elogiou a iniciativa do resgate histórico através da fotografia por se tratar também de um registro cultural que evidencia o potencial turístico de Urussanga.
Na avaliação do gerente do Fretta Home Center de Urussanga, Antônio De Lorenzi Cancelier, a reunião de pessoas de toda região é uma forte manifestação de apoio a cultura local. “Creio que estamos construindo um ambiente cultural favorável para o nosso município, congregando diferentes valores, mas com uma mesma finalidade: deixar uma mensagem de positiva para todos”, assinalou Cancelier.
A ideia, segundo o presidente do Foto Clube, Luiz Antônio Neves Marques, é realizar uma exposição com os registros feitos durante a caminhada.

ESPERANÇA E LUTA PELA RESTAURAÇÃO
Os detalhes e a história da vinícola Cadorin continuam em seus respectivos lugares desde quando Orlando Cadorin faleceu aos 85 anos, em 2012. Um ano antes, um projeto de restauração do espaço o encheu de esperança e felicidade. Na época, feito com o apoio da Diretoria de Cultura e Turismo, o projeto solicitava recursos ao Governo de Santa Catarina através do Funcultural.
Em 2011, para restaurar os mais de 750 metros quadrados do conjunto de edificações era
necessário 400 mil reais. A ideia era transformar o local no Museu do Vinho com espaços multifuncionais para eventos culturais. Infelizmente, o projeto não foi contemplado. Entre os sonhos de Orlando estava acolher turistas com suas ricas e fascinantes histórias. Mas o sonho de Orlando ainda é lembrado pela sua família.
Neta de Orlando, a arquiteta Luciana Maccari Cadorin elaborou mais dois projetos depois de 2011 buscando captar recursos de fins culturais para realizar a restauração parcial das edificações. Em 2013, um projeto de 100 mil reais solicitava apenas o restauro dos telhados. Eles também não foram contemplados. “Não vou desistir. Vou continuar enviando projetos para tentar captar algum recurso e ajudar na preservação do imóvel”, salienta.
Um dos filhos de Orlando, Oderi Cadorin, explica que continua zelando pelo local, porém
os problemas estruturais pioram a cada ano. “Não temos condições financeiras de fazer uma restauração. Cuidamos no que está ao nosso alcance e também sonhamos com muitas ideias bacanas para dar vida ao local”, conta.
Entre as ideias da família estão espaços para um museu, mercado público, loja de produtos coloniais, vinhos ou artesanatos. “O governo deveria oferecer aos proprietários um empréstimo a longo prazo para preservar o patrimônio histórico”, frisa.
A vinícola Cadorin é reconhecida pela Fundação Catarinense de Cultura como patrimônio estadual. O local ainda abriga peças antigas de ferro feitas por Lourenço Cadorin, tinas, garrafões de vinhos e equipamentos destinados à produção da bebida.

Bancos fechados desde ontem em Urussanga

Desde ontem, dia 8, os bancários das agências do Banco do Brasil e Caixa Econômica de Urussanga e região seguem em greve pela reivindicação de reajuste salarial. A mobilização acontece em todo país. O gerente do Banco do Brasil de Urussanga, Fabiano Nandi, explica que não possui contingente mínimo de funcionários para abrir a agência, mas que os serviços de autoatendimento não serão comprometidos.
“Estamos trabalhando em apenas quatro pessoas para pelo menos não comprometer o abastecimento de dinheiro nos caixas eletrônicos. Em alguns momentos conseguiremos ajudar os aposentados no momento do saque. Porém os serviços internos não serão feitos”, esclarece.
O gerente da Caixa de Urussanga, Heriberto Michels, ressalta que a agência irá realizar alguns atendimentos aos aposentados. “A greve é por tempo indeterminado. Em nossa agência está garantido o funcionamento normal da Sala de Autoatendimento com serviços como depósitos e saques. A lotérica também atua normalmente. Dentro do possível iremos fazer atendimento de alguns serviços aos aposentados, pois não queremos que essa classe seja prejudicada”, frisa.
Até o fechamento desta edição na tarde de quinta-feira, dia 8, a agência do Bradesco em Urussanga estava funcionando normalmente. A greve dos bancários não atinge a abertura e as operações das cooperativas de crédito como o Sicoob. Nestes locais, os clientes de instituições bancárias podem pagar contas de água, luz, telefone, boletos bancários, carnês, IPVA e todos os tributos com códigos de barra que ainda estejam no prazo de vencimento.
A greve deverá paralisar cerca de 800 trabalhadores, com o fechamento de aproximadamente 60 agências. A situação acontece pelo 14º ano consecutivo nos dez municípios de base do sindicato da região da Amrec.

REIVINDICAÇÕES
A categoria rejeitou a proposta da Federação Nacional dos Bancos – Fenaban na última rodada, dia 26 de agosto, de 6,5% no salário, na PLR e nos auxílios refeição, alimentação, creche e abono de R$ 3 mil. Todas as propostas apresentadas  caram abaixo do que foi reivindicado. Os trabalhadores pedem reposição da inflação do período, de 9,57%, e mais 5% de aumento real, valorização do piso salarial, no valor do salário mínimo calculado pelo Dieese, de R$3.940,24 em junho, PLR de três salários mais R$ 8.317,90, combate às metas abusivas, ao assédio moral e sexual, fim da terceirização, mais segurança e melhores condições de trabalho. Segundo o diretor de comunicação do sindicato, Valter Meller com a mudança no governo federal e a posse de Michel Temer, a categoria esta preocupada também com o futuro dos bancos públicos. “Avaliamos alguns indícios e consideramos que há risco para o Banco do Brasil e a Caixa”, ressaltou.

Dia da Independência é marcado com apresentações em Ato Cívico

Um Ato Cívico organizado pela Secretaria de Educação de Urussanga celebrou a Independência do Brasil na manhã de quarta-feira, dia 7 de setembro, em frente ao Monumento dos Imigrantes, no Paço Municipal Lydio de Brida. Alunos, professores, autoridades municipais e a comunidade participaram da ação.
As escolas Barão do Rio Branco, Santa Rita de Cássia (APAE), Caetano Bez Batti, Vincenzo De Villa, Colégio Monsenhor e Ernesto Cesar Mariot realizaram apresentações durante o ato, que também contou com a execução dos hinos feita pela Orquestra Municipal, a fanfarra da banda Lucas Bez Batti e a participação do Leo e Lions Clube de Urussanga.
As escolas Núcleo Rio Caeté e Rosalino De Nez promoveram um ato cívico em suas respectivas localidades. Na Palmeira do Meio, os centros de educação infantil de Linha Rio Maior, Rio Molha e Rio Maior também participaram da ação. Na localidade, uma apresentação teatral contou a história da chegada dos imigrantes. Por meio da dança foi mostrada a preocupação com o meio ambiente.
“A participação da banda ADAD encerrou o ato com a música “Esperança”. A emoção transpareceu no período de paz, sonhos e esperança para um Brasil melhor, para que haja realmente a estabilidade e segurança para as crianças que representam o futuro desta nação”, conta a diretora da escola Rosalino De Nez, Ieda Massucchetti.
Neste sábado, dia 10, a partir das 9 horas, as escolas Lucas Bez Batti e CEI Sérgio Teixeira irão realizar o desfile cívico em Santana e prestarão homenagem aos 31 mineiros mortos na tragédia de 1984.

Valorizar a vida

Um sofrimento que invade e parece não ter fim. Os dias apresentam-se sem sentido e a angústia chega a machucar. Você sente isso ou conhece alguém que está passando por esta situação? A luz no  nal do túnel está bem próxima, radiante, vibrante e deseja ter você perto dela. Ela chama-se vida… Saiba que existem pessoas que querem ajudar você a viver bem consigo mesmo e feliz. São os profissionais do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) de Urussanga e também do Centro de Valorização da Vida (CVV) de Criciúma.
Nestes locais, o sofrimento irá acabar por meio de oficinas e orientações, bem como, apoio emocional gratuito. Neste mês, a cor amarela está alertando e chamando a atenção da população. Ela representa a campanha “Setembro Amarelo”, que busca conscientizar sobre a prevenção ao suicídio e mostrar a realidade no Brasil e no mundo.
“Este é um grave problema de saúde pública. Notamos quando as pessoas não estão bem e precisam de ajuda. O comportamento é modificado seja por problemas sociais ou financeiros. As pessoas não querem chegar ao ato extremo, porém querem dar um basta no sofrimento. Antes disso, a pessoa apresenta sinais. E através destes sinais é possível evitar que o suicídio aconteça identificando fatores de risco, mudanças comportamentais, verificação de histórico familiar, entre outras questões”, salienta a coordenadora do CAPS de Urussanga, Valdeli dos Santos. No CAPS, existe uma equipe de profissionais capacitados que atua na prevenção e valorização da vida iniciando os atendimentos com acolhimento, terapia ocupacional, psicoterapia, socialização e consulta psiquiátrica. “Nosso objetivo é diminuir o sofrimento, fazer a pessoa lutar e dar a volta por cima. A medicação é importante, mas ela sozinha não resolve. Em nosso espaço temos um trabalho social com dependência química para os clientes e familiares gratuitamente através da Secretaria Municipal de Saúde”, explica.
Segundo dados do CVV, entre 2014 e maio de 2016, Urussanga registrou 5 ocorrências relacionadas ao suicídio. Conforme a Organização Mundial da Saúde (OMS), o suicídio matou mais jovens que a Aids no mundo em 2015.

CVV OFERECE AJUDA EMOCIONAL ANÔNIMA E GRATUITA
A instabilidade emocional das pessoas pode ser trabalhada com o apoio de amigos, parentes, psicoterapia e também por voluntários, como é o caso do Centro de Valorização da Vida (CVV) de Criciúma.
No CVV, o indivíduo recebe acolhimento sem julgamento por meio de uma escuta anônima e sigilosa feita por telefone, internet ou atendimento presencial. É desta forma que o grupo de voluntários do CVV, treinado para ouvir e compreender as pessoas, lida com indivíduos em situação de vulnerabilidade emocional e busca a prevenção do ato extremo.
O serviços de atendimento do CVV atua sob sigilo total durante 24 horas através do telefone 141, todos os dias. O CVV de Criciúma está localizado no Centro, na Rua Cel. Pedro Benedet, nº 46, Edifício Martinho Acácio Gomes, sala 321. O atendimento presencial é realizado de segunda a sexta-feira, das 8 às 18 horas, ou pelo telefone (48) 3439-0222.

CVV INFORMA:
1) Como se sente quem quer se matar?
No momento em que tem ideias suicidas, a pessoa combina dois ou mais sentimentos ou ideias conflituosos. Ela busca atenção por se sentir esquecida ou ignorada e tem a sensação de estar só, uma solidão sentida como um isolamento insuportável. Muita gente tem um desejo de revide ou imposição do mesmo sentimento negativo aos outros, querendo que sintam o mesmo que ela. Outras pessoas sentem vontade de desaparecer, fugir ou de ir para um lugar ou situação melhor. Quase sempre, sentem uma necessidade de alcançar paz, descanso ou um final imediato aos tormentos que não terminam.
2) O suicídio está vinculado a alguma doença mental?
O suicídio resulta de uma crise de duração maior ou menor, que varia de pessoa para pessoa. Não está necessariamente ligado a uma doença mental, mas sim a um momento crítico que pode ser superado. As pessoas correm menos risco de se matar quando aceitam ajuda.
3) Quem está por perto pode ajudar? Como?
É preciso perder o medo de se aproximar das pessoas e oferecer ajuda. A pessoa que está numa crise suicida se percebe sozinha e isolada. Se um amigo se aproximar e perguntar: tem algo que eu possa fazer para te ajudar?, a pessoa pode sentir abertura para desabafar. Nessa hora, ter alguém para ouvi-la pode fazer toda a diferença. E qualquer um pode ser esse ombro amigo que ouve sem fazer críticas ou dar conselhos. Quem decide ajudar não deve se preocupar com o que vai falar. O importante é estar preparado para ouvir.
4) O mundo atual tem influência no número de suicídios?
As estatísticas mostram que o suicídio cresce não somente por questões demográficas e populacionais, mas também por problemas sociais que prejudicam o bem-estar de cada
um e que estimulam a autodestruição. Nossa sociedade vive com diversas situações de agressão, competição e insensibilidade. Campo fértil para que transtornos emocionais se desenvolvam. O antídoto para combater essa situação limita-se, no momento, ao sentimento humanitário que algumas pessoas têm.
5) O suicídio pode ser prevenido?
Sim. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 90% dos casos de suicídio podem ser prevenidos, desde que existam condições mínimas para oferta de ajuda voluntária ou profissional.

VERMELHOS CONTRA VERDE-AMARELOS

O que diferencia os protestos pelo impeachment dos de agora, que gritam “fora Temer”? Basicamente as cores. Aqueles eram verde-amarelos, estes são vermelhos. Quem foi às ruas pela saída de Dilma usava as cores da bandeira por causa de um sentimento que os vermelhos desprezam: o patriotismo. Já os vermelhos usam esta cor por ser a “cor da revolução”, e a “a revolução é uma pátria e uma família”, já dizia o poeta.
A pátria dos que hoje saem às ruas é a revolução. Eles mesmos admitem. Mas o brasileiro médio, como eu e provavelmente você, leitor, prioriza a própria família e tem certo orgulho da Pátria, coisas que a esquerda acha cafona demais. Acima da corrupção pornográfica e da incompetência cômica da presidente cassada, há questões ideológicas dividindo os dois grupos: os  verde-amarelos defendem o país e sua liberdade, os vermelhos defendem a revolução e a igualdade na grande nação socialista. Na minha visão de homem médio, esta é a grande diferença. As manifestações patrióticas foram pacíficas. As famílias levavam o cachorro, a avó cadeirante e a babá dos  lhos, fato que os oponentes classificaram, escandalizados, de fascismo. As manifestações revolucionárias, ao contrário, contêm bastante violência.
Há coquetéis molotov, terroristas mascarados e muita provocação à polícia. A reação desta é diferente nos dois casos porque a postura dos manifestantes também é. A violência revolucionária remonta à Revolução Francesa e é exaltada até hoje pelos vermelhos, ainda que em público eles tentem negar.
A guerra que divide o país vai além da luta contra a corrupção. A corrupção é uma grande praga, usada largamente para se atingir objetivos revolucionários, mas estes objetivos constituem o problema maior, pois vão sempre contra os valores do povo.
Os vermelhos dizem que os valores verde-amarelos são ultrapassados e injustos. Pretendem impor outros que consideram mais adequados. Para eles, explodir um molotov é legítimo, mas levar a babá ao protesto é inadmissível.

O que plantar na horta orgânica, em setembro? Pode ser o milho-verde e feijão-de-vagem, consorciados!

O que é consorciação de culturas? é o aproveitamento do mesmo terreno, por duas ou mais culturas diferentes, na mesma época. O consórcio pode ser feito na mesma linha, com um cultivo servindo como tutor para o outro cultivo.
Milho-verde: O milho (colhido antes de amadurecer), consumido verde, cozido ou assado na espiga, é um alimento muito nutritivo, rico em vitaminas, especialmente do complexo B e muito importante para o bom funcionamento do sistema nervoso. Preferencialmente, deve-se utilizar solos leves e profundos, com bom teor de matéria orgânica e boa drenagem. Existem no mercado inúmeros híbridos de milho recomendados para produção de milho-verde. O plantio direto ou o cultivo mínimo (o preparo do solo apenas do sulco de plantio) é o mais indicado. O plantio pode ser manual, no espaçamento de 1,5 à 2 m entre as linhas e 40 à 50 cm entre as plantas, colocando-se 2 a 3 sementes, na profundidade de 5 cm. Após a germinação, deve-se controlar o “mato” na linha de plantio, através de capinas. A irrigação, especialmente no florescimento e durante o enchimento dos grãos, é muito importante. O milho-verde deve ser colhido na fase chamada de grão leitoso e pastoso, cerca de 90 dias após a semeadura. Quando mantidas em temperatura ambiente, as espigas conservadas com palha tem melhor proteção (3 a 5 dias).
Feijão-de-vagem: O uso mais comum da vagem inteira ou picada, após ligeiro cozimento, é a salada temperada com óleo, sal e vinagre. As vagens, além de serem fontes de vitaminas A, B e C, ainda são ricas em fósforo, potássio e fibras.A temperatura média ideal para o crescimento e polinização desta hortaliça é de 18 a 25ºC. Em temperaturas abaixo de 15ºC as vagens ficam em forma de gancho. As variedades indicadas são: Tipo macarrão (vagem cilíndrica) – Estrela, Favorito, Campeão, Preferido e Predileto; Tipo manteiga (vagem chata) – Maravilha e Teresópolis. Obs.: Todas as cultivares citadas são
de crescimento indeterminado e, por isso, exigem o tutoramento que pode ser feito utilizando-se a cultura do milho, semeada no início de setembro. O cultivo do feijão-de-vagem é realizado por semeadura direta em covas (2 a 3 sementes), ao lado de cada planta de milho, no final de setembro. Após a colheita da espiga do milho-verde, amarram-se (duas a duas) as plantas de milho na ponta, formando um “V” invertido e, assim servindo como tutor do feijão-de-vagem. A irrigação deve ser feita pela manhã, sempre que necessário, para evitar que as folhas fiquem molhadas à noite. Efetuar a capina, sempre que necessário, na linha de plantio. Para o controle do oídio, um fungo que cobre as folhas de um mofo branco, recomenda-se a pulverização semanal com leite cru de vaca (10 a 15%). A cultura do feijão-de-vagem atinge seu ponto de colheita com 70 a 80 dias após a semeadura,cerca de 15 dias após o florescimento, prolongando-se por 30 dias ou mais.

Matriz de Cocal passa pela maior reforma e ampliação após 90 anos

Depois de dois anos fechada para a realização da maior reforma de sua história, a Igreja Matriz Nossa Senhora da Natividade, de Cocal do Sul, abriu suas portas ontem, 08 (feriado municipal), dia da Padroeira, ao som dos cânticos dos sinos e celebração festiva com dedicação da igreja e do altar com consagração e unção, presidida pelo Bispo Dom Jacinto Inacio Flach e pelo Pároco, Pe. Eloir Borges, às 10h. A celebração também contou com a veneração pública à relíquia de São Padre Pio, sobre o terreno da 1ª igreja polonesa e procissão com Nossa Senhora da Natividade e São Padre Pio até a Matriz. Centenas de fieis viveram o momento de graça e emoção que contou ainda, com a participação de 15 padres.
A reforma e ampliação do templo foram completas, podendo acomodar aproximadamente 800 pessoas. Novas cores, arte, modernidade e inovação que guardam 90 anos de uma rica história alicerçada na fé da colonização italiana.
A obra conta com duas capelas, a do Santíssimo e da Padroeira, além da reestruturação litúrgica, havendo ainda uma nova sacristia, sala dos ministros e padres, espaço para reuniões na parte superior da sacristia e a inauguração da Galeria dos Padres.
“Nossa preocupação desde o início sempre foi de manter a originalidade. Todo material de revestimento que havia na igreja era exclusivo da Eliane Revestimentos Cerâmicos e assim continua, porém substituídos. Na obra foi utilizado o porcelanato com peças única, criada para a igreja dentro de uma nova técnica. Os azulejos, se as pessoas observarem, possuem o mesmo desenho do antigo que foi mantido no coro como forma de recordação”, explica Padre Eloir.
Outra novidade são as peças em pedra (granito salto rosa) como o altar, a cadeira presidencial, mesa da Palavra e a pia batismal. Ao todo foram utilizados 16 mil quilos do material, vindos de São Paulo.
A beleza que agrega arte e cores próprias está presente tanto na parte interna quanto externa do templo por meio dos vitrais que dão um toque especial à obra. Segundo
Padre Eloir todos os vitrais foram orientados por um dos mais respeitados artistas sacros da atualidade, Cláudio Pastro, de São Paulo.
“Optamos por uma pessoa especializada para deixar a nossa igreja ainda mais bonita. Ele é o mesmo artista do Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, por exemplo. A arte compõe um jogo de cores, tonalidades e abstrato que elevam os traços a um caminho de paz, aos céus”, enfatiza. A parede que fica atrás do altar também foi desenhada pelo artista Claudio Pastro e a pintura executada pela artista plástica Katurra.
Outra melhoria é a climatização da igreja, o novo sistema de som e os bancos que foram restaurados e alguns adquiridos, com cerca de cinco metros. “Espero que as pessoas compreendam que a nossa igreja matriz na questão histórica é o marco da colonização, no social ela representa o cartão postal da cidade e, na questão religiosa, é um lugar que nos acolhe para que o Senhor. Que nós possamos ter um ambiente acolhedor, que nos transmita paz e nos proporcione encontrar com Deus”, afirma Padre Eloir.

DOAÇÕES QUE EDIFICAM
Há 90 anos, a Igreja Matriz Nossa Senhora da Natividade testemunha, do Centro de Cocal do Sul, o crescimento da cidade. E como nos primórdios, sua edificação e manutenção sempre foram feitas com a união de muitas mãos solidárias e prestativas. O que não foi diferente diante desta nova reforma que partiu de uma necessidade e de um sonho, aparentemente ousado, do Padre Eloir e de uma equipe que acreditaram neste projeto inovador e, que se tornou realidade, graças às doações, campanhas e muito trabalho.
“Iniciamos a obra com um caixa de aproximadamente R$ 700 mil oriundos de quatro festas e algumas doações. Depois conseguimos com a Eliane Revestimentos Cerâmicos a doação de todo revestimento e com a construtora Perego a mão de obra, veículos, maquinário, andaimes. Pagamos apenas à construtora, o salário dos funcionários. Dinheiro que conseguimos com a colaboração das famílias que adquiriram os carnês”, relata Padre Eloir.
As pedras do altar foram todas doações, além do vidro das escadarias, móveis, decoração, o trabalho da arquiteta, papel de parede, lustres, luminárias. “Corremos atrás de todos esses detalhes, bem como, a pintura da igreja. Graças a Deus, as empresas foram parceiras. Uma luta diária de pessoas que acreditaram. Não fizemos nada do que não era preciso. A beleza que a gente vê na obra, agregada à qualidade e o ar de requinte não é luxo. É bom gosto. Um ambiente limpo, harmônico e sublime onde as pessoas podem entrar e encontrar um espaço litúrgico que os levem à oração. Nossa gratidão e oração a todos aqueles que apoiaram a igreja e participaram conosco em nossa celebração de entrega. Foi muito especial e emocionante e, com certeza,  cará guardada em nossos corações e na história da cidade”, finaliza Padre Eloir.

Apae de Urussanga vence concurso nacional

Um desenho que simboliza o nascimento do menino Jesus feito por uma urussanguense ganhou destaque nacional na última semana. O cartão de Natal da aluna Natália Mandelli Bortolotto, da Apae de Urussanga, conquistou o primeiro lugar no concurso nacional das Apaes do Brasil. A seleção ocorreu no dia 2 de setembro, em Recife (PE).
Orientada pela professora Elaine Orben Rinaldi, a aluna Natália desenhou José, Maria e Jesus e elaborou o material com tinta guache. Em julho, o cartão de Natália havia sido escolhido para representar Santa Catarina no concurso, quando a aluna Everlaine também foi contemplada com a seleção do seu desenho para ser utilizado nos cartazes de divulgação do Festival Nacional Nossa Arte, das Apaes do Brasil.
“A Apae de Urussanga está orgulhosa por esta conquista e agradece a Natália e Elaine pela alegria que nos proporcionam”, destaca a diretora da Apae de Urussanga, Maristela Vieites de Jesus.
O concurso nacional torna-se uma oportunidade de divulgação do trabalho artístico de alunos e professores das Apaes de todo o Brasil e também captação de recursos  nanceiros para o auxílio na sustentação dos serviços prestados a mais de 250 mil pessoas com de ciência no país.
O cartão de Natália Mandelli Bortolotto será comercializado pela Federação Nacional das Apaes e levará o nome da Apae de Urussanga a todos os cantos do Brasil. Em breve, os cartões selecionados estarão no site www.apaebrasil.org.br

Cultura e tradição estarão presentes na 5ª Sagra Della Polenta

A gastronomia italiana será evidenciada durante mais uma edição da tradicional Sagra Della Polenta. O evento, promovido pelo grupo Amici Della Polenta, terá sua quinta edição realizada neste domingo, dia 11, a partir do meio dia, no Centro de Eventos da Igreja Matriz.
Segundo o presidente do grupo, Valdecir Miotello, o objetivo da ação é resgatar a cultura italiana por intermédio da gastronomia, da música e do diálogo. A expectativa é que mais de 500 pessoas prestigiem o evento. Além do preparo de uma polenta de mais de 200 quilos, o almoço contará com galinha, fortaia e saladas. Atrações culturais como Sandro e seu teclado e grupo de cantores de Siderópolis completam a programação.
“Criamos o evento com o intuito de resgatar a cultura italiana por intermédio de uma boa polenta. O prato feito em Urussanga possui tradição de ser saboroso e diferenciado. Buscamos também atrair mais turistas e visitantes para a cidade. Temos relatos de pessoas que estão vindo de São Paulo especialmente para apreciar a polenta. A agência de turismo irá recepcionar eles. O grupo Amici della Polenta já ultrapassou fronteiras e desejar estar sempre de mãos dadas com a cultura divulgando nosso município o Brasil”, ressalta Miotello.
Interessados ainda podem adquirir os últimos ingressos até sábado, na Livraria Miotellos, até as 16 horas.

Paraíso da Criança apresenta balanço da Festa do Vinho aos voluntários

A diretoria da entidade Paraíso da Criança realizou, na última semana, um jantar de confraternização para mais de 60 voluntários que trabalharam durante a 16ª Festa do Vinho no mês de agosto. Na oportunidade, a presidente Valeria Baesso e o marido Darcionei agradeceram o empenho de todos os colaboradores e apresentaram o balanço financeiro do evento.
O lucro obtido pelo Paraíso da Criança na 16ª Festa do Vinho foi de R$ 41 mil. Apesar do valor arrecadado e das diversas doações recebidas, a entidade não conseguirá cobrir o custo do investimento de R$ 73 mil feito na nova cozinha na Praça D’Itália, sendo mais de R$ 54 mil em materiais e R$ 18 mil em equipamentos. A diretoria do Paraíso da Criança irá realizar outras ações para quitar os valores.

Rio Santo Antônio vence a primeira partida da final do suiço da série B

A equipe do Rio Santo Antônio saiu em vantagem na briga pelo título do Campeonato da Amizade de Futebol Suíço da Série “B”. Jogando em casa, o time venceu o seu adversário da decisão, o Morro da Lagoa, pelo placar de 1×0. O segundo e decisivo jogo da final será realizado neste sábado (10), às 15h30min, no campo da Comunidade do Morro da Lagoa. Um empate no tempo normal bastará para o Rio Santo Antônio ser campeão. Já o Morro da Lagoa terá que vencer para forçar a prorrogação. Caso haja o tempo extra, a vantagem do empate será do time da casa.

Baffone 602

IMPEACHMENT É GOLPE?
No segundo debate entre os candidatos a prefeito e vice-prefeito de Urussanga, que foi realizado pela Rádio Marconi, na sexta-feira passada, a mesma pergunta foi feita a Johnny Felippe e a Carlos Alberto Soratto: “Você considera o impeachment um golpe?”. Johnny ficou muito irritado com a questão e disse que a mesma não ajudaria a resolver nenhum dos problemas da cidade. Mas, no fim, declarou que considera a cassação da presidente um ato democrático. Já Soratto, apesar de adotar postura mais tranquila diante da indagação, enrolou e não a respondeu. Limitou-se a dizer que praticamente todos os partidos que concorrem à eleição em Urussanga fizeram parte do governo de Dilma Rousse e, por covardia, abandonaram o barco quando viram que o mesmo estava afundando. Dito e feito!
HERANÇA MALDITA
Na semana passada, o vereador Taliano havia usado seu tempo na Tribuna da Câmara para falar de dívidas antigas da PMU, que irão assombrar as próximas administrações. No debate, Taliano foi provocado a falar novamente no assunto e soltou o verbo. De acordo com o vereador e candidato a vice-prefeito, deixando de lado a dívida do Parque Municipal, a soma dos precatórios em desfavor do Município ultrapassa os seis milhões de reais. Taliano deu destaque a um prestador de serviços do transporte de alunos, que há mais de 10 anos briga na Justiça para receber pelo seu trabalho. É realmente lamentável que alguns administradores públicos tenham tão pouco compromisso com o futuro, com seus sucessores e com o povo.
CALMARIA ELEITORAL
Apesar de alguns momentos de certa exaltação, o segundo debate promovido pela Rádio Marconi foi marcado pela calmaria e até mesmo por certo enfado. Aliás, até o momento a campanha toda tem sido assim, sem muito barulho, discreta e relativamente respeitosa, tirando uma provocação dali e um desentendimento daqui. Talvez o fato de a eleição não ter sido polarizada desta vez esteja ajudando, e talvez esteja ajudando também o perfil discreto e contido de dois dos candidatos, mas o Baffonne, velho de guerra, ainda espera pelas proximidades do pleito com cautela, porque na “hora H” a coisa sempre ferve.
SETE DE SETEMBRO I
Um leitor indignado escreveu ao Baffone sobre o Sete de Setembro em Urussanga: “De todas as cidades pelas quais já passei, Urussanga fez o pior sete de setembro que já vi. Fiquei triste por ver uma cidade do porte de Urussanga fazer só isso. Cadê a marcha, as escolas, pastorais, movimentos, entidades? Não tinha nada disso. Nem sequer as lideranças e autoridades foram apresentadas. Fiquei espantado com a falta de criatividade e empenho. Pra mim, sete de setembro tem que marcar, ser um evento bonito. Que saudade do tempo antigo!”
SETE DE SETEMBRO II
O Baffone, que é um patriota, compartilha, em parte, do espanto do leitor. Realmente impressiona que a cidade, sempre tão empenhada em realizar eventos festivos, dê tão pouca importância aos eventos cívicos. A justificativa da contenção de gastos não convence muito, pois as despesas com o des le seriam modestas perto de outras, cujo corte jamais foi cogitado. Já argumentos segundo os quais um ato cívico pequeno promoveria mais re exões sobre o nosso país e sobre como transformá-lo, convencem ainda menos. O sete de setembro é data para que o povo possa externar e fortalecer os sentimentos de orgulho e pertencimento que tanta falta nos tem feito nos últimos tempos, e para que os jovens possam aprendê-lo, leva-lo para sua vida. As discussões críticas e
políticas ficam para o dia a dia, este inconveniente.
FALSAS PROMESSAS
O vereador Sangaletti(PMDB) usou a Tribuna da Câmara para externar sua indignação com o nível das promessas que estão sendo feitas por candidatos no interior do Município. Segundo ele, até mesmo um centro poliesportivo para 50 famílias, algo que seria inviável, foi prometido. “Depois vem a cobrança e a dificuldade dos governos é grande. Um vereador, para conseguir esse montante para uma obra dessas, é difícil. Que optem pelo real. Sinceramente,  quei indignado ao ver até que ponto chega a pessoa pelo voto”, disparou Sangaletti. O Baffone também percebe muita promessa fantasiosa e enganosa por aí, mas acredita que o povo está cada vez mais vacinado contra os estelionatários eleitorais. Ou não, como diria Caetano.
NATÁLIA BORTOLOTTO
A vereadora Daniela Piacentini (PMDB) fez questão de usar seu tempo na Câmara esta semana para enaltecer a aluna da APAE de Urussanga Natália Bortolotto, cujo trabalho artístico venceu concurso entre as APAES de todo o Brasil e estampará cartão de Natal deste ano, a ser distribuído por todo o país. “Todo ser humano é único. A diversidade é um conjunto de diferenças que nos caracterizam”, declarou a vereadora Daniela, que pretende conceder na própria Câmara uma moção de congratulação à Natália por seu grande feito. O Baffone também quer deixar os parabéns e manifestar sua felicidade pela escola de Urussanga, pela família da aluna e, claro, por ela mesma. Que continue tendo muito sucesso!

BAFFINHOS
“O programa Porteira Aberta só está servindo para que o gado fuja do cercado”, espetou o candidato a vice-prefeito Décio Silva no último debate.
“Estamos enfrentando uma crise muito grave”, relevou o governador Raimundo esta semana, numa reunião com os secretários executivos das SDR. Jura, governador? Não fosse o seu alerta, o trabalhador e a dona de casa nem se dariam conta disso.
Na Benedetta, o Facebook já registrou as primeiras baixarias eleitorais.
Domingo é dia da 5ª Sagra Della Polenta, organizada pelos Amici Della Polenta no Centro Comunitário da Igreja Matriz. O sucesso é garantido…
Quem caminha pela Avenida Longarone pode verificar, às margens do rio, um aterro muito suspeito. Atenção, órgãos ambientais!
Segunda parcela do Convênio entre FUNASA e CIRSURES para ampliação do aterro sanitário está prestes a ser liberada. Parabéns à equipe de trabalho do Consórcio!
O Baffone também pergunta: e o Eduardo Cunha, vai ser cassado quando?
Atenção candidatos com página no Facebook: candidata a prefeita em Itapena foi punida por patrocinar uma publicação. De acordo com a Justiça Eleitoral, pagar para a rede social dar maior alcance às postagens fere a isonomia entre os candidatos. A pena foi multa de R$ 5 mil.
No feriado de 7 de setembro, um protesto interrompeu o tráfego na SC 445 em Içara, pedindo a duplicação da rodovia. Aqui, as reclamações são pelo precário estado de conservação da Rodovia Genésio Mazon. Nossas estradas estão o caos!
Os consumidores catarinenses agora podem solicitar o bloqueio de ligações de telemarketing por meio de um link disponibilizado no site do Procon Estadual. Boa notícia!

BAFFÃO DA SEMANA
E para quem estava torcendo contra, o candidato Regis Quadros da Silva (PT) segue na luta por uma vaga na Câmara. A Juíza Eleitoral, Canella Becker Búrigo considerou que inexistem provas indicando que o impugnado na qualidade de Diretor de Departamento tenha desempenhado funções de Secretário de Educação, julgando improcedente os pedidos formulados nas impugnações ao registro de sua candidatura. A audiência realizada deixou todos os pontos claros e dando carta branca ao candidato que parece incomodar tanto a oposição nesta eleição.

Diretoria da ACIC discute importância da água em reunião

O uso e a preservação da água foram pauta de uma reunião com integrantes da diretoria da Associação Empresarial de Criciúma (ACIC) nesta semana. O gerente de outorga e controle de recursos hídricos da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Sustentável (SDS), Renato Bez Fontana, juntamente com dirigentes e assessores dos comitês de bacias dos rios Urussanga e Araranguá participaram do encontro, que foi proposto pelo representante da ACIC no Comitê da Bacia do Rio Urussanga, Donato Zanatta, com o intuito de aprofundar o conhecimento a respeito do trabalho dos comitês e do Estado no gerenciamento dos recursos hídricos.
Uma apresentação aos empresários expôs o que compete aos comitês de bacias hidrográficas, mostrou metas e ações para a preservação das águas e experiências na gestão de conflitos de uso de água na bacia do rio Araranguá em período de estiagem prolongada. O presidente do Comitê da Bacia do rio Urussanga, José Carlos Virtuoso, demonstrou preocupação em relação à situação crítica dos recursos hídricos da bacia do rio Urussanga.
O representante da SDS, Renato Bez Fontana, explicou o processo de outorga de recursos hídricos como instrumento de controle do uso da água. O profissional apresentou um panorama dos recursos hídricos em Santa Catarina e abordou os diversos usos da água, con itos existentes em diversas regiões e as preocupações do Estado com o desa o de implantar uma gestão e ciente.
O presidente da ACIC, César Smielevski, a rmou que a entidade acompanha e apoia o trabalho dos comitês e manifestou interesse em colaborar na mobilização para o cadastro
de usuários de recursos hídricos do setor empresarial.

NARRATIVA SEM INSPIRAÇÃO

Tenho de escrever a coluna da semana, mas não estou conseguindo. Vidrado, bebo café quente num copinho plástico e passo freneticamente os olhos pelo Facebook. Só dá impeachment.
Ninguém tem outro assunto neste momento. Nem eu. Porém, apesar de já ter o assunto, faltam-me as palavras, estas traiçoeiras. São as palavras que compõem as narrativas. São as narrativas que contam a História e determinam os caminhos que vamos seguir. Tudo na política contemporânea é questão de narrativa. Narrativa, eu quero uma pra viver.
Enquanto as minhas próprias palavras não surgem, sigo no Facebook e leio as de um político que está convencido: “foi golpe!” Segundo ele, foi golpe porque o processo de impeachment teve início devido a interesses pessoais de Eduardo Cunha. Este mesmo político fez várias denúncias no passado, as quais viraram processos. Posso dizer que foram golpes, alegando que o denunciante queria, sobretudo, promover-se? Não. Mesmo que intenção do jovem fosse alavancar suas pretensões políticas, as denúncias foram legítimas.
Da mesma forma, ainda que Cunha tenha agido por vingança, ele praticou um ato que era de sua competência.
Sigo em frente no Facebook, esta arena hostil de ressentimentos e existências mal resolvidas.
Deparo-me com o sectário que vive a me aporrinhar.
A narrativa dele é mais ou menos esta: “o PT nacional é um lixo, mas o PT local é bom; o PT deve ser apeado do poder em Brasília, mas deve permanecer nele aqui em nossa cidade”. Ele se orgulha de ter ido às ruas pedir o impeachment ao mesmo tempo em que defende ferozmente os políticos locais que chamam o impeachment de golpe. A guerra de narrativas nunca é tão simples quanto parece.
Estou aborrecido porque, já no último parágrafo, ainda não consegui escrever nada do meu agrado. Aborreço-me ainda mais, pois desconfio que o texto também não esteja agradando aos leitores. Só de raiva, decido bloquear o sectário. Não por suas narrativas tortuosas, mas por sua chatice. Ultimamente, ando bloqueando pessoas do Facebook, principalmente as muito chatas. Isto também não deve interessar a ninguém, e para encerrar logo esta coluna sem inspiração, digo o seguinte: golpeemos sempre as narrativas toscas daqueles se fazem de vítimas, porque nós sabemos muito bem que em política as vítimas não existem.

Hospital possui ortopedista, mas reduz número de cirurgias

Os problemas financeiros que atingem a saúde pública no Brasil também refletem na prestação de serviços do Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC) de Urussanga. Informações de que médicos ortopedistas não estavam mais atuando no local não foram confirmadas ela assessora da direção do (HNSC), Irmã Olinda Costa.
“O hospital nunca ficou sem médico de ortopedia”, afirma.
Irmã Olinda Costa explica que, devido à falta de pagamento feita pelo Governo do Estado, os médicos reduziram a realização de cirurgias eletivas. “Faz cinco meses que o hospital não recebe o dinheiro e, consequentemente, não tem como pagar os senhores médicos”,
pontua.
Segundo informações publicadas na mídia regional, o hospital de Urussanga já chegou a realizar 300 cirurgias por mês. Entretanto, o atraso no repasse da verba oriunda do Governo do Estado fez com que ocorresse uma queda nos números, chegando a 120 cirurgias. De todas as cirurgias realizadas no local, 80% estão relacionadas ao setor de ortopedia.
O Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC) de Urussanga não recebe o recurso do Governo do Estado desde abril deste ano. “Todos nós estamos acompanhando a situação da saúde. A própria sociedade está mais do que ciente do esforço contínuo que a diretoria do hospital fez, faz e continua, sempre em busca de novos recursos. No momento temos agendada uma audiência com o secretário de Saúde
de Santa Catarina, para que o Estado pague as cirurgias e possamos solucionar o problema atual”, finaliza.
O hospital de Urussanga conta com 115 leitos, clínica geral e cirúrgica, fisioterapia, laboratórios de análises clínicas, mamografia, pronto-socorro, raios-x, recuperação de dependentes químicos e ultrassom.

A importância das plantas repelentes e/ou atrativas na agricultura orgânica

As plantas com sabor e cheiro forte são chamadas atrativas ou repelentes, pois possuem substâncias que afastam ou inibem a ação de insetos pragas. O cultivo dessas plantas junto com as culturas pode proteger contra o ataque de insetos e aumentar a biodiversidade, princípio básico para o suscesso do cultivo orgânico. Os cultivos de alho e cebola, também auxiliam no manejo de insetos pela ação repelente. Como qualquer estratégia de manejo agroecológico, o uso de tais plantas não deve ser feito isoladamente, e sim, em conjunto com outras técnicas de controle (ex.:consorciação, sucessão e rotação de culturas), sempre buscando a promoção do equilibrio ecológico em toda a propriedade agrícola. Quanto mais espécies tiver na propriedade, tanto maior é a biodiversidade e, com isso, criando condições favoráveis para aumentar o
número de inimigos naturais das pragas.
Quais as plantas atrativas e repelentes mais comuns e para que servem? As plantas atrativas e repelentes mais comuns são:
. Cravo-de-defunto (Tagetes minuta) e/ou cravorana silvestre (Tagetes sp.) – Repelente de insetos e nematóides, principalmente no florescimento. Atua tanto por ação direta contra as pragas quanto por “disfarce”das culturas por seu forte odor.
. Cinamomo (Melia azedorach L.) – Ação inseticida. Os frutos devem ser moídos e seu pó pode ser usado na conservação de grãos armazenados.
. Saboneteira (Sapindus saponaria L.) – Ação inseticida. Para se ter uma ideia de seu poder de ação, apenas seis frutos bastam para preservar 60 kg de grãos armazenados.
. Quássia ou pau-amargo (Quassia amara) – Ação inseticida, especialmente contra moscas e mosquitos, pelo alto teor de substâncias amargas na casca e na madeira.
. Mucuna (Mucuna spp.) e crotalária (Crotalaria spp.) – Ação nematicida. A mucuna, consorciada com milho verde, além de evitar o ataque de nematóides, proporciona uma renda ao produtor, protege o solo das chuvas intensas no verão, desfavorece as plantas espontâneas (“mato”) e ainda, fertiliza o solo.
. Coentro (Coriandrum sativum) – Ação repelente. Tem-se observado redução signi cativa de frutos de tomate perfurados por insetos, quando seu plantio é consorciado com o coentro.
. Arruda (Ruta graveolens) – Ação repelente. Evita a lagarta em hortaliças folhosas, como o repolho, couve-flor, couve e brócolis.
. Manjericão (Oncimum basilicum) – Por causa do forte odor e compostos que exala, é um repelente de insetos.
. Gergelim (Sesamum indicum) – Cordões de contorno com gergelim oferecem excelente proteção contra saúvas e outras formigas cortadeiras.
. Purungo ou cabaça (Lagenaria vulgaris) – Atrativo para o besourinho ou vaquinha-verde-amarela (Diabrotica speciosa). Pode ser plantado como cerca viva ou pode-se utilizar seus frutos cortados e espalhados na lavoura.
. Tajujá (Cayaponia tayuya) – Atrativa para as vaquinhas (patriota).
Geralmente, plantas aromáticas, medicinais e condimentares são menos atacadas por pragas, constituindo, dessa forma, uma boa opção para compor canteiros na horta, próximo às culturas. Outros exemplos dessas plantas são artemísia, alecrim, menta, tomilho, losna, sálvia, manjerona, capim cidreira, girassol, funcho, hortelã, etc.

Reunião apresenta novas oportunidades para a diversificação do fumo

O cultivo do fumo esteve em pauta durante reunião técnica realizada em Urussanga na segunda-feira, dia 29. A equipe de profissionais da UNEAGRO e os agricultores beneficiários do Programa Nacional de Diversificação em Áreas Cultivadas com Tabaco se encontraram para avaliar e conhecer novas oportunidades para a diversificação das unidades familiares de produção de fumo.
A coordenação de inovação e sustentabilidade da Secretaria de Agricultura Familiar/DATER do Governo Federal, engenheira agrônoma Christianne Belinzoni, passou informações aos agricultores de Içara, Ciciúma, Treze de Maio, Orleans e Urussanga. Durante todo o dia, os produtores rurais trocaram experiências, sanaram dúvidas e conheceram um pouco mais sobre as políticas públicas do Governo Federal para este segmento, bem como tomaram conhecimento da produção de
tabaco nos estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná.
A coordenadora da equipe que atua na região, engenheira agrônoma Silvia Verona Zanol, apresentou de que forma ocorrerá a continuidade do trabalho no próximo ano. Ela destacou o aporte que os profissionais podem realizar nas propriedades. No período da tarde, os participantes realizaram uma visita a família de Maria Elizabete Mazucco, na comunidade de Rio América Baixo, que recebe assistência técnica da engenheira agrônoma Débora Rodrigues Schuch, técnica do Programa de Diversificação.
A propriedade familiar deixou de produzir fumo há seis anos e hoje diversifica com a produção de leite a base de pasto, produção de ovos, frutas, hortaliças e panificados. “O dia foi de trocas de experiências, de contatos, de relações entre agricultores, entre famílias e de conhecimentos. Todos os dias temos a oportunidade de aprender um pouco mais, de conhecer outras pessoas, outros lugares e tudo isso aconteceu em Urussanga. Que venham novas oportunidades”, frisa a engenheira agrônoma Débora Rodrigues Schuch.

Longarone (IT) se prepara para receber comitiva de Urussanga e renovar Pacto de Amizade

A cidade de Longarone, na Itália, já definiu sua programação para celebrar os 25 anos de Gemellaggio com Urussanga, bem como, renovar o pacto de amizade. No início do mês de outubro deste ano, uma comitiva de Urussanga será recebida pela comunidade de Longarone para comemorar o momento por meio de atos e ações culturais.
Os urussanguenses chegarão a Longarone na noite do dia 4 de outubro. No dia 5, a comitiva irá visitar a cidade de Auronzo di Cadore, conhecer o Lago di Misurina e também a cidade de Cortina, localizada na parte alpina da região. À noite, no Centro Cultural de Longarone, acontecerá a cerimônia de premiação do concurso “Fain Binda”, um intercâmbio que conta com a participação de alunos dos dois países.
A manhã do dia 6 de outubro será repleta de atos oficiais relacionados aos 25 anos do Gemellaggio. A comitiva será recebida pelo prefeito de Longarone, Roberto Padrin. Neste momento, as cidades irão renovar o pacto de amizade. Em seguida, flores serão depositadas no monumento ao emigrante e na praça Urussanga. Missa e visita guiada à barragem de Vajont encerram a programação deste dia.
Almoços e jantares serão oferecidos cordialmente pela comunidade e o Poder Público de
Longarone à comitiva de Urussanga. No dia 7 de outubro, os urussanguenses se despedem de Longarone e continuam o roteiro de viagem percorrendo outras cidades italianas.
O vice-prefeito de Urussanga, Luiz Henrique Martins, confirmou sua participação nos atos oficiais na Itália.

Confira os candidatos a vice-prefeito

CARLOS ALBERTO SORATO (COLIGAÇÃO “URUSSANGA NÃO PODE PARAR”)
Filho de Rozalino Sorato e Narcisa Meneghel, Carlos Alberto Sorato nasceu em Urussanga no dia 20 de setembro de 1966. Casado com Maria das Graças, o candidato possui dois filhos: Augusto Sorato, de 20 anos, e Helena Sorato, de 15 anos.
Carlos Alberto Sorato é engenheiro agrimensor e possui experiência de gestão devido à atuação como coordenador de equipes e microempresário. Há 25 anos na política, ele acredita que como vice-prefeito poderá ajudar a resolver os problemas da cidade.
“Junto com o prefeito vamos tomar as decisões. Acredito estar preparado para assumir este cargo, pois tenho muitas ideias que quero colocar em prática. Serei um vice-prefeito atuante e “olheiro” nos problemas diários. Poderei contribuir para uma boa gestão participando diariamente de todas as decisões com ideias que venham a somar. Minha atuação como vice-prefeito será diária na Prefeitura”, conta.
Saiba mais sobre este candidato:
Signo: Virgem
Religião: Católico
Defeito: Pensar demais
Virtude: Paciência e persistência
Time: Flamengo
Esporte: Futebol
Livro: O último judeu
Uma comida: Típica italiana
O que gosta de fazer nas horas livres: Visitar meus familiares
Do que mais gosta nas pessoas: Honestidade
Mal do século: Estresse e depressão
Um lugar especial: Minha casa
Um dia para lembrar: Minha formatura
Um dia para esquecer: 11 de setembro de 2001
Nostalgia: Do meu pai
Líder político: Nelson Mandela e Mahatma Gandhi
Uma  gura histórica: Jesus Cristo
Um exemplo de vida: Madre Tereza de Calcutá
Um ídolo: Martin Luther King
Um sonho: Terminar o mandato com grande aprovação popular
Daqui dez anos desejo… Ser lembrado como um bom vice-prefeito
Frase de inspiração: “Sonhos não morrem, apenas adormecem na alma da gente.” (Chico Xavier)

DÉCIO SILVA (COLIGAÇÃO “UNIÃO PARA TODOS”)
Natural de Medianeira (PR), Decio da Silva nasceu em 14 de agosto de 1980, fruto da união de Maria Janice Cittadin da Silva e Airton da Silva. Casado com Cibele Zanelato, Decio é pai de Maria Clara da Silva, de 3 anos, e Décio da Silva Filho, um mês. Sua formação profissão em administração o conduziu ao cargo de diretor da empresa AMD, contabilizando uma experiência de gestão de 14 anos.
Há um ano no meio político, Decio afirma que deseja ser vice-prefeito por retribuição. “Este é o lugar que conquistei tudo o que tenho, agora é minha vez de contribuir”, salienta. Para Decio, o cargo de vice-prefeito possui papel fundamental na administração municipal.
“Devemos acompanhar o prefeito em todas as suas decisões porque todas as escolhas feitas por mais de uma pessoa tende a ter melhores resultados. Como vice, pretendo ser atuante e sempre estar à disposição para ajudar as pessoas dentro do possível e claro tratando-os com educação. Me preparei para isso e grande parte da minha experiência é voltada para gestão”, finaliza.
Saiba mais sobre este candidato:
Signo: Leão
Religião: Católico
Defeito: Esperar muito das pessoas
Virtude: Humildade
Time: Criciúma
Esporte: Futebol
Livro: O Vendedor de Sonhos (Augusto Cury)
Uma comida: Polenta e queijo frito
O que gosta de fazer nas horas livres: Ler, assistir televisão e passear com os filhos
Do que mais gosta nas pessoas: Seriedade
Mal do século: Destruição do meio ambiente
Um lugar especial: Casa da mãe
Um dia para lembrar: O nascimento dos meus filhos
Nostalgia: Comer pizza à noite com minha esposa e filhos
Líder político: Nelson Mandela
Uma  gura histórica: Alexandre (O Grande)
Um exemplo de vida: Zilda Arns
Um ídolo: Ayrton Senna da Silva
Um sonho: Um mundo melhor para todos
Daqui dez anos desejo… Trabalhar para que estejamos melhor que hoje!
Frase de inspiração: “Não se pode ensinar alguma coisa a alguém, pode-se apenas auxiliar a descobrir por si mesma.” (Galileu)

ROZEMAR SEBASTIÃO “TALIANO” (CHAPA PURA PSD)
Rozemar Sebastião nasceu em Pedras Grandes no dia 23 de fevereiro de 1965, filho de João Sebastião e Italina Sebastião. Casado com Andreia Sebastião e pai de Rener Sebastião, Rozemar possui ensino médico incompleto e trabalha como agricultor, comerciante, radialista e cantor. Ele a rma que sua experiência de gestão está relacionada aos 25 anos que administra a Barraca do Taliano. No momento exerce, o segundo mandato como vereador na atual legislatura.
Há 16 anos envolvido com a política, Taliano destaca que deseja ser vice-prefeito devido ao fato de ter sido um vereador atuante. “Acredito que fui um vereador bastante atuante, mas no Legislativo somos muito limitados. No Executivo, vou poder lutar ainda mais pela agricultura e infraestrutura, cuidar melhor da nossa gente de Urussanga. Como vice-prefeito terei a oportunidade de somar esforços e ajudar o Prefeito nas áreas necessárias. O Rodrigo Fontanella, candidato a prefeito, é um excelente gestor e entende muito de economia e administração. No cargo de vice vou cuidar da agricultura e do setor de obras, as áreas que tenho mais conhecimento e afinidade. Juntos, vamos fazer um excelente trabalho. Estou preparado para assumir como vice-prefeito. Estou sempre em contato com as pessoas, andando pelos bairros, ouvindo suas necessidades. Conheço profundamente os problemas de Urussanga e a cidade também me conhece bem”, frisa.
Taliano afirma que como vice-prefeito pretende ajudar a cidade governando junto com o prefeito e supervisionando as secretarias. “O vice tem que ser o braço direito do prefeito, complementar seu trabalho, supervisionar as secretarias. E principalmente ouvir as pessoas, ter as portas abertas para a comunidade, coisas que sempre fiz e continuarei fazendo. Vou cuidar da agricultura e do setor de obras, áreas que vou ter carta branca do Rodrigo para atuar. Governando juntos, tenho certeza que vamos fazer uma das melhores gestões da nossa história”, salienta.
Saiba mais sobre este candidato:
Signo: Peixes
Religião: Católico
Defeito: Falar muito
Virtude: Extrovertido
Time: Vasco
Esporte: Bocha
Livro: Bíblia
Uma comida: Polenta com galinha
O que gosta de fazer nas horas livres: Cantar
com meu irmão Rozenei
Do que mais gosta nas pessoas: Sinceridade e
humildade
Mal do século: Drogas, corrupção e desigualdade
Um lugar especial: Meu “escritório”, a Praça
Anita Garibaldi
Um dia para lembrar: Nascimento do meu  lho
Rener
Um dia para esquecer: Partida dos meus pais
Nostalgia: Lançamento do meu CD com o
Rozenei
Líder político: Raimundo Colombo, um grande
exemplo de gestor público e uma pessoa sensível
aos problemas das pessoas.
Uma  gura histórica: Getúlio Vargas, um homem
que deixou um legado enorme em direitos
para os trabalhadores
Um exemplo de vida: Meus pais, por seu caráter
e exemplo de vida
Um ídolo: Padre Agenor
Um sonho: Ser Prefeito
Daqui dez anos desejo… ser Deputado Estadual
Frase de inspiração: “Nunca faça nada aos outros
que não deseja para si.” (João Sebastião, meu pai)

Médico cardiologista inaugura espaço para atendimento

Urussanga acaba de ganhar um ambiente voltado exclusivamente para os cuidados com o coração. O médico cardiologista Dr. Ronaldo Passos da Silva (CRM 9613 – RQE 8352) inaugurou ontem, dia 1º de setembro, um espaço para atender seus pacientes com qualidade e conforto na área central da cidade, no edifício Aliança.
Dr. Ronaldo, formado pela PUC (RS) em 1999 e em cardiologia em 2002, atua em Urussanga há dez anos, na sede da Associação de Aposentados. Com o novo local de atendimento, o médico busca proporcionar aos pacientes mais comodidade, flexibilidade de horários e cuidados direcionados através de equipamentos modernos.
“Optei por investir em Urussanga porque a população não tinha um especialista em cardiologia que atendia em consultório. Desta forma será mais apropriado avaliar as patologias do coração. Espero que as pessoas possam usufruir dos serviços de saúde com conforto e tranquilidade”, afirma Dr. Ronaldo.
No consultório médico, o paciente terá acesso a exames como eletrocardiograma, teste ergométrico (esteira), exame do MAPA e Holter. “As patologias do coração são as que mais matam a população mundial e brasileira. A Sociedade Brasileira de Cardiologia já indica o primeiro check-up a partir dos 30 anos. Podemos descobrir várias doenças com estes exames, visto que o eletrocardiograma apresenta informações do órgão, a esteira detecta algo através de esforço, o MAPA monitora a pressão 24 horas e o Holter monitora o coração 24 horas”, explica.
Entre as principais doenças do coração estão a hipertensão, o infarto e a arritmia, que possuem sintomas como dor de cabeça, náuseas, dor no peito e palpitações. Fatores como ingerir alimentos ricos em sódio, sobrepeso, estresse, colesterol alto, sedentarismo, diabetes, questões genéticas hereditárias, entre outros, podem causar as patologias.

ESPECIALISTA ALERTA PARA INFARTO DO MIOCÁRDIO
Conhecido como ataque cardíaco, o infarto do miocárdio é causado pela obstrução de uma artéria coronariana e a consequente ausência ou redução da circulação sanguínea na região do coração irrigada por aquela artéria. Sintomas como dor torácica intensa e prolongada, queimação nas regiões próximas ao coração, suor frio, palidez, náuseas, vômitos e desmaio estão associados à patologia.
De acordo com o cardiologista Ronaldo Passos da Silva, o infarto coronariano é sempre súbito. “Porém, em alguns casos, a pessoa pode manifestar sintomas horas ou até dias antes do infarto. Essa condição pode indicar que já há obstrução de uma artéria coronária”, ressalta.
O médico explica que quando ocorre um infarto existe uma brusca interrupção da passagem do sangue para o miocárdio (músculo cardíaco) devido ao entupimento completo e súbito de uma artéria coronária. “É comum a dor torácica intensa e prolongada, geralmente como sensação de aperto, mas podendo ter características de queimação no lado esquerdo do coração, com extensão para a mandíbula, braço e parte superior do abdômen. Também pode ocorrer suor, palidez, náuseas, vômitos e desfalecimento, além de sintomas como queimação no estômago. Em
casos extremos, a primeira manifestação pode ser uma arritmia grave, seguida de parada cardiocirculatória e morte súbita”, pontua.
Conforme o médico, o infarto coronariano é sempre um quadro agudo e os sintomas podem começar dias ou horas antes. “Isso não significa que o infarto já exista, e sim que possivelmente já exista uma artéria coronária com placas de gordura prejudicando a passagem do sangue oxigenado para o miocárdio. Uma placa de gordura que obstrui o vaso pode causar dor (angina) aos menores esforços. Quando o entupimento fica mais grave, forma-se um coágulo sobre a placa que causa a obstrução completa e súbita. Aí sim inicia-se o quadro de infarto, com morte celular e risco iminente. Não se pode subestimar uma dor no peito intensa”, frisa.
O tratamento é feito de acordo com a idade, gravidade e sintomas do paciente, variando de uso regular de medicações, colocação de dispositivos intracoronários para manter os vasos desobstruídos e cirurgia de revascularização do miocárdio com implante de pontes.