ESCOLA SEM DOUTRINAÇÃO

No curso de Direito que eu frequentei, principalmente nas primeiras fases, havia vários professores doutrinadores. O conteúdo das disciplinas pouco significava. O importante
era convencer os alunos de que o capitalismo é um monstro. A salvação seria o socialismo. Eles também patrocinavam, em sala de aula, as campanhas “fora FHC”, “fora FMI” e “não, não, não à globalização”. Lembro especialmente de duas professoras desta categoria. Eram mulheres ressentidas, mal humoradas, feias e antipáticas. Descarregavam sua infelicidade nos alunos. O pior não era isso. O pior é que, quando alguém tentava contestar os doutrinadores, era humilhado, ridicularizado, tratado como um idiota. Estes professores não estavam interessados em formar o “senso crítico” dos estudantes.
Sua missão declarada era fazê-los críticos do capitalismo e da direita. O objetivo era formar cabeças em série, que atendessem aos delirantes anseios de uma revolução. “É preciso agir com vocês enquanto não viram burgueses de vez”, confessou certa vez um professor, com a maior cara de pau. Trago à tona estas lembranças em razão da polêmica do momento, o projeto “Escola Sem Partido”. O “Escola Sem Partido” pretende regulamentar a atividade dos professores para impedi-los de, ostensivamente, assediar alunos impondo suas ideologias. Não se pretende acabar com o criticismo, mas sim com o criticismo unilateral existente em nossos estabelecimentos de ensino. Quando eu fiz o curso de Direito, por exemplo, nunca me apresentaram autores liberais ou conservadores. Eu os conheci depois, sozinho, abismado com a quantidade de informações que me foram sonegadas.
O “Escola Sem Partido” conta com a antipatia da maioria dos professores e intelectuais. Classe curiosa esta: exige regulamentação estatal para tudo, mas assim que a regulamentação diz respeito à sua própria pro ssão, começa a gritar mecanicamente a palavra “liberdade”. O meus professores doutrinadores nunca me deram real liberdade de escolha. Ou eu concordava com eles, ou seria execrado diante dos colegas, receberia notas baixas, reprovaria. Não é fácil enfrentar a sanha ideológica dos doutrinadores, principalmente quando se é um adolescente. O “Escola Sem Partido” é a luta contra a covardia e o assédio intelectual em sala de aula.

Família Ceron promove primeiro encontro

A comunidade de Rio Carvão acolheu, no último sábado, dia 23, descendentes de João Ceron e Regina Gobato Ceron para o primeiro encontro da família. A missa foi ministrada pelo padre Nivaldo Ceron, na Paróquia Nossa Senhora da Saúde. No início da cerimônia religiosa, a história da família foi contada pelos descendentes. Após a missa, os descendentes se encontraram no centro de eventos da igreja para celebrar o momento em confraternização.
O espaço foi decorado com objetos antigos da família e as 12 árvores genealógicas identificadas com as cores de cada ramo, que diferenciavam os descendentes de cada filho do casal de imigrantes italianos no evento através de camisetas coloridas.
A única filha ainda viva do casal, Rosalina Ceron Quaioto, de 85 anos, participou da confraternização. João Ceron era um dos filhos do imigrante italiano Adamo Ceron, pioneiro no cultivo de uvas em Urussanga.

HISTÓRIA DA FAMÍLIA
João Ceron era filho de Adamo Ceron e Theresa Pascoalotto Ceron. Ele nasceu em 8 de agosto de 1886, provavelmente no navio que os trazia da Itália para o Brasil. Em busca de uma nova vida, Adamo estabeleceu-se em Rio Carvão. João casou-se com Regina Gobato, filha de Giuseppe Gobato e Anna Benfatto Gobato, em 20 de novembro de 1909.
Na antiga casa, ao lado da capela da comunidade, João construiu sua vida e família. Do amor do casal surgiram os frutos desta união: Maria, Ignês, Júlio, Irene, Fioravante, Clementina, Matilde, Angelo, Ida, Iva, Anita e Rosalina. Três filhas, Clementina, Anita e Matilde casaram e foram morar na Serra Catarinense. Os demais continuaram em Urussanga.
Hoje a família de João Ceron é composta por 12 filhos, 54 netos, 115 bisnetos, 96 trinetos e 18 tataranetos.

Lançamento do novo CD da Bandalheia acontece na próxima semana

A noite da próxima quarta-feira, dia 3 de agosto, será especial para fãs de Gera Fornasa e Bandalheia. O grupo lançará o novo CD “Além do Normal”, a partir das 20 horas, no Teatro Elias Angeloni, em Criciúma. A expectativa é que mais de 500 pessoas prestigiem
a noite de autógrafos, que também contará com uma apresentação da banda para mostrar as 14 músicas inéditas do novo trabalho e seus maiores sucessos.
“O show será um verdadeiro presente ao público, que vai ouvir todas as épocas através do repertório. Muitas fãs já compraram o novo CD e nos passam um retorno positivo falando que o trabalho possui muita energia nos rock’s clássicos e ao mesmo tempo harmonia, suavidade e romantismo nas músicas baladas”, comenta o baterista, Jair De Ávila. Os ingressos para o show de lançamento do CD “Além do Normal” ainda estão sendo comercializados em Urussanga, na Cia da Música, restaurante Piatto D’oro e Posto Urussanga, em Cocal do Sul no Posto De Noni e em Criciúma no Posto Bravo (em frente a Kolina Veículos). Uma porcentagem da venda de ingressos será revertida para uma entidade filantrópica. O novo trabalho irá marcar os 30 anos de atuação da banda.

70 anos fomentando a leitura

Eliana Maccari (Jornalista SC04834JP)

Do mundo dos contos infantis, que mexe com a imaginação e apresenta personagens e lições, ao mais sólido e consistente conhecimento, a leitura ensina e instrui, traz sabedoria e entendimento. O despertar para o universo da literatura aconteceu na vida do marceneiro Tiago Sangaletti Lavina, de 25 anos, dentro do ambiente escolar. A leitura conquistou um grande espaço em sua vida e apresentou novos horizontes e possibilidades.
“Os livros despertaram a sede pelo conhecimento e mostraram outra visão de mundo”, conta. Tiago passou a comprar livros e montou uma biblioteca particular em sua casa repleta de obras raras, antigas, edições especiais e até as mais comuns.
Em 2011, Tiago decidiu virar sócio da Biblioteca Municipal de Urussanga. Ao longo dos meses, ele tornou-se um dos maiores leitores, doador e colaborador. Centenas de livros que completam o acervo de mais de 20 mil livros foram doados por Tiago com o intuito de propagar o conhecimento. A literatura contribui também para a criação de suas peças feitas de madeira.
“A literatura é fascinante. Sinto-me numa viagem, em outro mundo. Parece uma passagem do físico para o material. Uma porta. Alguns meses eu já cheguei a ler três livros num mês. Gosto da literatura clássica antiga brasileira, de poemas e também da literatura técnica de qualquer área. Tenho fascínio pelo conhecimento. Os livros também são uma fonte para a minha criatividade. A leitura é um instrumento de trabalho, pois a transformo em alimento para a minha mente que idealiza o design de uma nova peça”, ressalta.
O jovem Tiago Sangaletti Lavina é um dos colaboradores que integra o grupo “Amigos do Livro”, criado em 2003. Em agosto, para celebrar os 70 anos de atuação da Biblioteca Municipal, o grupo irá promover uma série de ações denominada “Quinzena da Pluralidade Cultural”.

HISTÓRIA DA BIBLIOTECA

A Biblioteca Municipal foi criada e mantida pela própria população urussanguense, tendo como idealizador e coordenador dos trabalhos o Pároco da cidade na época, Agenor Neves Marques, em 17 de agosto de 1946. A ideia era enriquecer a leitura, a informação e a cultura de todos os cidadãos. Ela foi denominada nessa época Biblioteca Virgílio Várzea. Em 27 de agosto de 1975, o prefeito na época, Altair Giordani, criou a Lei Municipal nº 510, e alterou o nome para Biblioteca Pública Municipal Presidente Castelo Branco. Anos mais tarde, a Biblioteca mudou de endereço, sendo transferida para uma das salas do Centro Cultural José Lapolli, no Parque Municipal Ado Cassetari, onde manteve-se até o  nal de 2015, retornando para o centro, na Praça Anita Garibaldi, tornando-se mais acessível a todos.

Sócios da biblioteca: 1.561 PESSOAS

Acervo de revistas: 4.124 PESQUISA E LEITURA

Literatura infantil: 4.249 LIVROS E GIBIS

Acervo adulto: 12.975 LIVROS PARA PESQUISAS E EMPRÉSTIMOS

Acervo de acessibilidade: áudio books, livros em braille adulto e infantil, jogos e brincadeiras e apostilhas e dvds educacionais para surdos mudos

*Além destes números, mais de 8 mil itens da biblioteca estão espalhados pela cidade em projetos externos e atividades

PROGRAMAÇÃO TERÁ EXPOSIÇÕES, ATIVIDADES E FEIRA DO LIVRO

A Quinzena da Pluralidade Cultural acontecerá de 15 a 30 de agosto, em diversos locais da área central de Urussanga. Artistas, instituições e cidadãos irão desenvolver atividades voltadas para a cultura e a leitura. O grupo “Amigos do Livro”, que conta com a participação de 120 pessoas, está na coordenação desta ação. “A ideia é tornar visível o invisível. Neste projeto pretende-se resgatar o ato de ler de todos os envolvidos na construção da cultura em nossa cidade, pois só com esse compromisso é que chegamos ao êxito almejado. Quando nos debruçamos na leitura de nossa preferência, somos transplantados para o contexto do livro, que muitas vezes custamos acreditar que estamos sentados em nossa casa ou no banco da praça”, salienta uma das integrantes do grupo, Maria Alice Batista.
A programação, que cresce de forma gradativa diariamente, contempla exposições de obras de arte e fotografias em espaços cedidos pelos proprietários (Business Center Rosalino Damiani, Fretta Home Center, Prefeitura Municipal, agências bancárias, Biblioteca Municipal, Supermercado São Pedro Loja 2), além de ações na Praça Anita Garibaldi, Sociedade Recreativa Urussanga e Centro de Eventos do CRAS. A Feira do Livro promete ser o ponto alto da programação. “Estamos muito felizes com esta metamorfose cultural que acontecerá em Urussanga. Feito por urussanguenses para o povo ver, aproveitar e respirar dias culturais em vários pontos da cidade”, finaliza.

Negócio e paixão sob duas rodas

Assim como num quebra-cabeça, pequenas peças no universo dos meios de locomoção tornam-se fundamentais no processo final de composição. Um elemento com encaixe preciso faz com que a engrenagem funcione e gere movimentos ao que estava estagnado. É com este pensamento que a mente e as mãos habilidosas de Abílio Vendramini, de 75 anos, trabalham na empresa Vendramini Motos.
De forma minuciosa, ideias são executadas a partir de peças elaboradas e encaixadas em motocicletas por Abílio. O trabalho é feito por ele no mesmo local desde 1970, quando começou a prestar serviços a Jualdino Mariot (in memorian). “Mariot abriu essa empresa na década de 60 para consertar motocicletas e bicicletas. Foi o pioneiro na região a ter uma oficina para esta  nalidade. O local, que era uma casa feita de madeira, recebia clientes até de Florianópolis. Naquela época as pessoas estavam aderindo às motocicletas. Eu arrumava em casa, num paiol, as bicicletas e motos dos meus irmãos. Aprendi muito com eles. Depois comprei uma para mim para uso de deslocamento, de Rio Caeté onde eu morava até o centro de Urussanga. Certo dia o Mariot me convidou para trabalhar aqui”, conta.
Foi deste modo que Abílio expandiu sua paixão por motocicletas. No emprego, observou a experiência do chefe e ampliou o conhecimento sobre os mecanismos. A oficina oferecia serviços como reforma, pintura e assistência técnica. “Eu sabia um pouco de metido quando tentava arrumar a minha moto. Fui aprendendo com o tempo. Desmontávamos, raspávamos a tinta, passávamos a lixa e depois pintávamos. Naquele tempo não existiam tantas peças como hoje. Algumas comprávamos em Porto Alegre, mas a maioria nós confeccionávamos na própria oficina”, recorda.
Ofício que Abílio Vendramini exerce com maestria na empresa até os dias atuais. A paixão por motocicleta virou seu negócio. Em 1971, Abílio decidiu comprar a oficina. “Mariot começou a se dedicar a motosserras, que estavam no auge naquela época. Ofereceu o local e eu quis comprar. Eu não tinha dinheiro. Pedi ajuda financeira aos meus vizinhos de Rio Caeté e depois junto com Valmiro Contessi começamos a tocar o negócio, colocando o nome de Oficina Mecânica São Cristovão”, comenta.
Cinco anos depois, Abílio adquiriu a parte do sócio e em 1978 registrou a empresa como Vendramini Motos. A oficina manteve os serviços e fidelizou mais clientes. Em 1985, o empresário investiu na construção de uma nova sede, contando com o apoio
dos  lhos Sergio, na parte de informática e soluções de tecnologia, e Roberto Luiz, no setor administrativo e atual gerente do empreendimento.
Apesar de não estar mais a frente dos negócios, Abílio conserva sua paixão pelas motocicletas, visita à oficina diariamente e mostra orgulho em ter construído a história de sucesso da empresa.
“A moto que eu comprei em 1964, uma Zündapp de 1951, é preservada 100% com peças originais. Dedicação que também faço à confecção das peças personalizadas na oficina. Arrumar moto antiga é comigo. Observo o modelo, idealizo a peça, memorizo o desenho e
depois elaboro os elementos. Hoje melhorou muito a oferta de peças e existe facilidade de criar devido a tecnologia. Mas algumas ainda fogem do alcance da modernidade e caem em minhas mãos. Sinto muito orgulho ao ver a empresa ainda na ativa e meu filho dando continuidade a este negócio”, salienta.

APREÇO ULTRAPASSA GERAÇÕES

A imagem de pneus, motores desmontados, peças soldadas e o barulho da arrancada de motocicletas são lembranças que fizeram parte da infância de Roberto Luiz Vendramini. “Eu cresci dentro dessa oficina. Em 1986, com apenas 10 anos, lembro de  ficar olhando a movimentação e mexendo nos objetos com muita curiosidade”, recorda.
Com 12 anos, Roberto já andava de moto e ajudava o pai na o cina. Ao tornar-se maior de idade, assumiu a parte administrativa enquanto o pai Abílio dedicava seu tempo a confecção de peças. O amor pelas duas rodas fez Roberto participar de competições de enduro de regularidade na década de 90. Ele coleciona mais de 90 troféus conquistados em etapas regionais, estaduais e até nacionais. “A moto representa muito na minha vida. Da infância aos dias atuais, ela é paixão e negócio”, ressalta.

VENDRAMINI MOTOS REINAUGURA EM NOVO ESPAÇO

Com cerca de 40 anos de atuação, a Vendramini Motos preza pela experiência em assistência de peças personalizadas, no bom atendimento e na comercialização de motocicletas de diversas marcas e modelos. Para oferecer aos clientes mais conforto, a empresa irá reinaugurar em novo espaço.
O ato acontece na noite da próxima segunda-feira, dia 1º de agosto. A nova oficina está localizada na Avenida Ivo Silveira, rodovia SC 108, em frente à Eletrogêneo. Com sala de espera, amplo estacionamento e mais espaço, a empresa visa melhorar ainda mais o atendimento aos clientes.
“Vamos realizar um sonho de proporcionar aos nossos clientes e amigos um espaço acolhedor e maior para bem atender a todos”, finaliza Roberto Luiz.

QUASE 50 ANOS DEDICADOS A EMPRESA

A visita diária de Lourenço Mariot, de 64 anos, à empresa Vendramini Motos é despretensiosa e por vezes deve passar despercebida pelos olhos deste senhor. Mas o local fez parte da rotina de Lourenço por quase 50 anos. A o cina foi a sua primeira e única oportunidade de emprego. Neste espaço, Lourenço começou a trabalhar com apenas 11 anos para aprender sobre consertos de motocicletas com Jualdino Mariot, na década de 60.
“Eu gostava muito de moto, desde pequeno. Não queria estudar. Eu desejava mesmo era trabalhar. E fui aprendendo com o tempo e a experiência. Eu fazia de tudo”, frisa. Ao longo dos anos, Lourenço passou a se dedicar na elaboração de peças e foi um dos braços direitos do último proprietário, Abílio. Das recordações, muita poeira e suor marcaram as tentativas de fazer as motocicletas andarem.
“Na estrada de chão, nós empurrávamos da o cina até o Sindicato dos Mineiros para fazer as danadas pegarem”, conta entre risos.
Com quase 50 anos de trabalho, Lourenço conquistou a aposentadoria em 2010 e retorna
ao local apenas para visitar os amigos e ex-colegas de trabalho e matar a saudade. A moto ainda continua presente em sua vida servindo como um meio de locomoção.

Paróquia de Urussanga rumo à Porta Santa

Com o propósito de bem viver o Ano Santo da Misericórdia, a Paróquia Nossa Senhora da Conceição de Urussanga irá realizar neste domingo, 31, a peregrinação à Porta Santa. Centenas de fieis deverão seguir até a catedral de Criciúma para o momento de graças e renovação espiritual. A peregrinação sairá às 13h30min, da igreja matriz. Todas as pessoas interessadas são convidadas a participar. Neste dia haverá ônibus à disposição e, muitos ainda, seguirão de carro.
De acordo com o Pároco, Jiovani Manique Barreto este ano a igreja celebra o Jubileu da Misericórdia, onde há três sinais que o caracterizam: Porta Santa, Peregrinação e Indulgência. “Tudo isso nos leva a um momento especial de renovação para ganhar indulgência plenária, ou seja, o perdão de todos os pecados e das penas temporais. Com a peregrinação que representa o caminho que cada pessoa realiza na sua existência e após passar pela Porta Santa, elas perceberão que sairão desta peregrinação com o mesmo coração do dia do Batismo”, afirma o pároco.
Padre Jiovani ressalta ainda que na bula de convocação do Jubileu da Misericórdia o Papa Francisco diz: “Na verdade, a peregrinação do Ano Santo da Misericórdia deve começar bem antes da nossa saída em direção à Igreja na qual vamos atravessar a Porta Santa. Nossa peregrinação deve começar na nossa própria comunidade, onde vivemos e nos relacionamos. Antes de nos dirigirmos para atravessar a Porta Santa será necessário nos reconciliarmos com Deus e com os irmãos. É um ato de saída. De ir ao encontro do Pai. Nesta peregrinação somos as ovelhas chamadas a passar por essa porta, e para isso o encontro com o Pastor requer nossa preparação”, relata.
Na catedral, os fieis após o momento diante da Porta Santa, participarão da confissão e adoração. Às 17h, haverá a santa missa e a obra de caridade, que faz parte da obra da misericórdia, onde a Paróquia Nossa Senhora da Conceição fará uma coleta em favor do
hospital da cidade.

Ciclistas conquistam quatro títulos no Audax 600 km

Urussanga fez bonito mais uma vez no último final de semana. Quatro integrantes do Clube Urussanga de Ciclismo, Adirlei Perdoná Pereira, Fabiano Saviato, Cristiano Saviato e Denis Ferminio, participaram de mais um evento Audax, em Florianópolis. Eles conquistaram a honraria francesa de “Super Randonneurs” e trouxeram quatro títulos para a cidade. Foram 600 km de prova em 36 horas de pedaladas. Agora o clube se prepara para trazer todo o circuito Audax para Urussanga. O evento será realizado no dia 28 de agosto de 2016 com uma prova de 200km. O Clube Urussanga de Ciclismo é uma associação desportiva composta por mais de 40 sócios que praticam o esporte nas modalidades de Cicloturismo e Ciclismo de longa distância.

Homem atinge esposa com oito facadas

Por pouco uma discussão seguida de agressão entre marido e mulher, até então, não acaba em tragédia na noite de terça-feira, 26, em Urussanga. Rosimare Andrade, de 44 anos, foi alvo de oito facadas no abdômen, tórax, braço, entre outras partes do corpo, deferidas pelo próprio companheiro, Antonio da Silva, de 50 anos. Após a tentativa de homicídio, o homem tentou tirar a própria vida com uma facada no peito. A cena de terror chocou os vizinhos que chamaram por socorro após a vítima conseguir se arrastar pelo corredor e cair na frente da porta de um vizinho do quarto andar do apartamento, do edifício Residencial e Comercial Gildo Baiano, próximo ao Corpo de Bombeiros, no bairro das Damas.
O casal morava no prédio a cerca de dois anos e, segundo os vizinhos, ele estava em processo de separação. Rosimare e Antônio foram resgatados pelo Corpo de Bombeiro de Urussanga. Ele ainda com a faca fincada no peito e ela com a lâmina encravada no braço esquerdo. Eles foram encaminhados para o Hospital Nossa Senhora da Conceição. A filha de 11 anos do casal estava no apartamento e presenciou o episódio. Ela foi encaminhada para casa de familiares. Segundo informações obtidas pelo Jornal Vanguarda, o casal esta fora de perigo. Antônio deverá receber alta em uma semana e será encaminhado ao presídio Santa Augusta, pois sua prisão já foi decretada.

Baffone Edição 596

FESTA DO VINHO I
Os produtores de vinho de Urussanga estão descontentes com a parceria firmada entre a CCO da XVI Festa do Vinho e uma cervejaria, que terá um stand só seu no interior do Parque. Um deles conversou com o Baffone e lamentou o que classifica de “total descaracterização da festa”. “Então que mudem o nome do evento”, desabafou o tradicional vinicultor. A CCO, por sua vez, alega que não poderia dar-se ao luxo de recusar a verba que a parceria irá proporcionar, de R$ 20.000, e garante que o vinho, protagonista dos festejos, não será ofuscado pela cerveja.
FESTA DO VINHO II
Além do stand da cervejaria, outro ponto preocupa os vinicultores: o patrocínio de um fabricante de energéticos. Segundo eles, o energético estimula o consumo de outras bebidas, não do vinho. A CCO, porém, informa que os participantes da Festa serão convencidos a beber o energético combinado com vinho Goethe. A CCO também permitirá que a Associação Pro-Goethe utilize os espaços do Parque para divulgar seu produto, que recebeu selo de procedência, coisa que nunca havia ocorrido antes. No  m das contas, o atrito acaba fazendo as engrenagens acomodarem-se melhor umas às outras, e este movimento impulsiona algumas peças antes paradas.
MUDANÇA NO CENÁRIO I
O PSD de Urussanga cancelou a convenção que havia sido convocada para o dia 27. Em nota, o presidente Luiz Antônio Fabro declarou que o adiamento deu-se “em função de encaminhamentos recentes, buscando êxito nas eleições de 2016”. O partido havia con rmado que iria de chapa pura, com a dupla Rodrigo Fontanella e Taliano. Pelo visto, tudo mudou e as especulações sobre a decisão  nal do partido já começaram. Ainda não foi escolhida nova data para a convenção. O que se desenha é que Rodrigo teria dado pra trás. Mas tudo ainda é uma incognita.
MUDANÇA NO CENÁRIO II
No mesmo dia em que seria realizada a convenção do PSD, as oposições passaram a tarde reunidas, com a presença de representantes, inclusive, do próprio PSD. Ao  nal do dia, quando as conversas terminaram, foi que Luiz Antônio Fabro emitiu o comunicando suspendendo o evento. Se a união das forças oposicionistas realmente for confirmada, a briga esquenta de vez e o relativo conforto da chapa de situação acaba. Neste novo cenário, o páreo com certeza será duríssimo, todavia há quem diga que o PSD também está dialogando com a chapa formada em torno do PMDB.
CONVENÇÕES SIMULTÂNEAS
O PT realizará sua convenção no mesmo dia, na mesma hora e no mesmo prédio que o PMDB. Enquanto o “15” utilizará o piso térreo da Câmara de Vereadores, o “13” ocupará o primeiro andar do edifício. O Baffone fica imaginando a intensa comunicação que ocorrerá entre os dois pavimentos, já que a decisão de um influenciará fortemente a decisão do outro. Na política é assim: confia-se desconfiando, acredita-se com o pé
atrás e, de uma hora pra outra, tudo pode mudar.

TOTINHO FIRME E FORTE
Ademir De Brida Junior, o Totinho, oficializou nesta semana sua inscrição como pré-candidato a prefeito pelo PMDB, com vistas à convenção partidária marcada para o dia 05 de agosto. É a terceira vez que Totinho coloca seu nome à disposição do partido para concorrer na majoritária, e desta vez seguirá até o fim, confiante de que poderá obter boa votação entre os delegados do partido. Além disso, ele é o pré-candidato capaz de atrair o PSD, que não tem afinidade alguma com o prefeito Johnny. O PSD, apesar de estar pendendo para a coligação oposicionista, ainda não bateu o martelo.
O BRASIL É O MEU PAÍS
O movimento “O Sul é o Meu País” pretende realizar, no mesmo dia das eleições municipais de outubro, uma consulta à população sobre eventual separação da região Sul do restante do país. Mas o TRE de Santa Catarina não aprovou a ideia. Em reunião administrativa ocorrida no último dia 25, posicionou-se contrário à consulta e ainda encaminhou pedido à Polícia Federal para que realize investigação sobre o caso, já que tentativas separatistas são vedadas pela Constituição. O Baffone está com os juízes do TRE e proclama: O Brasil, mesmo em crise, mesmo doente, é o meu país!
TURISMO CLASSE “D”
Em recente avaliação, o Ministério do Turismo colocou Urussanga na classe “D” de potencial turístico. A classificação varia de “A” até “E”, e o nível “D” é conferido a municípios que apoiam cidades geradoras de fluxo turístico, fornecendo mão de obra e insumos para o atendimento aos turistas. No caso de Urussanga, este apoio é dado ao município de Criciúma, classificado na categoria “B” do ranking. Em Santa Catarina, apenas os município de Florianópolis, Balneário Camboriú e Bombinhas são incluídos na categoria “A” pelo Ministério do Turismo.
PASSANDO VERGONHA
E por falar em turismo, a Vila Olímpica construída no Rio de Janeiro está fazendo o Brasil passar vergonha perante o mundo. Várias delegações deixaram o local alegando vazamentos hidráulicos, problemas elétricos e muita sujeira. Outras nem sequer chegaram a instalar-se no local, indo direto para hotéis. Além disso, equipes de reportagem estão sendo assaltadas e as provas de remo serão realizadas em meio ao cocô. O jornal americano Washington Post não perdoou: “A lagoa em frente ao Parque Olímpico do Rio é tão imunda que os peixes estão morrendo. São os Jogos Olímpicos da sujeira”.

MEMÓRIA DA SEMANA
O Baffone sente falta do falecido economista brasileiro Roberto Campos. Ele dizia verdades inconvenientes como esta: “A primeira coisa a fazer no Brasil é abandonarmos a chupeta das utopias em favor da bigorna do realismo”. Campos não perdoava a boçalidade de nossos políticos e governantes e tinha sempre a frase certa no momento exato. Pra fechar a semana, mais uma dele, atualíssima: “No Brasil, empresa privada é aquela que é controlada pelo governo, e empresa pública é aquela que ninguém controla”. Bom  m de semana a todos e até a próxima!

BAFFINHOS

O Ministério Público alerta: condenação criminal, mesmo não transitada em julgado, pode tornar candidato inelegível.
A comunicadora e professora Karla Ribeiro é a nova assessora parlamentar do PT na Câmara de Vereadores de Urussanga.
O corte de árvores às margens da SC 108, na localidade do Rio Maior, está chamando a atenção de quem por lá trafega. Toras enormes estão jogadas no asfalto, depondo contra as pretensões turísticas da comunidade.
Numa pesquisa realizada em alguns municípios do Sul do Estado, foi perguntado: “Você votaria num candidato a prefeito pelo PT?”. Em Urussanga, entre os entrevistados apenas 1,7% responderam que sim. Repetindo: 1,7%.
O Ministério Público solicitou a reabertura do inquérito e a realização de novas diligências no caso do assassinato do professor de Educação Física Elvis de Oliveira.
O esfaqueamento passional que aconteceu na cidade esta semana é digno de peça ou crônica de Nelson Rodrigues. A vida como ela é!
O Festival de Férias promovido pelo CineMullt Urussanga foi um sucesso. Aos poucos, o espaço vai atraindo as pessoas se firmando no cenário cultural da cidade.
Traficantes de maconha com base em Urussanga e Orleans foram presos esta semana na Serra do Rio do Rastro. Eles traziam mensalmente do Paraguai cerca de 30 quilos da droga.
O Estado de Santa Catarina está enfrentando a maior onda de desemprego dos últimos 14 anos.

BAFFÃO DA SEMANA

Um pré-candidato da cidade abordou na rua a  lha de
nove anos de outro pré-candidato e disse algo do tipo:
“Teu pai não vai se eleger, eu vou me eleger”. A menina
 cou assustada e muito constrangida, deixando
sua família inconformada e ao mesmo tempo perplexa
com o ocorrido. O Ba one, com sua longa vivência
em processos eleitorais, já havia testemunhado muita
coisa insólita e sem sentido, mas a provocação a
uma criança pelo fato de ser  lha de um adversário é
a primeira vez. Se já está assim agora, imaginem o que
ainda vem por aí…

A VERGONHA OLÍMPICA

Já vou começar pedindo desculpas: perdoem-me aqueles que carregaram a tocha olímpica com orgulho e emoção, mas o espetáculo está sendo constrangedor. Quando a tocha passou por Criciúma, eu estava lá. Não por vontade. Fiquei preso no trânsito, interrompido em razão do evento. A irritação das pessoas era nítida e generalizada. Ninguém ali queria saber do fogo. Todos desejavam ir pra casa, seguir seus caminhos.
Eu, por exemplo, pretendia chegar a Nova Veneza para jantar. Estava  cando com fome. Maldisse a tocha. Bestemei. Depois, vi na internet que um carregador da tocha escorregou e estabacou-se no asfalto de Criciúma. Não foi o primeiro, nem seria o último. Antes, um senhor já havia sido derrubado por um buraco numa cidade do Nordeste, não lembro qual. Esta semana foi a vez de Luiza Trajano, dona da rede Magazine Luiza, dar com a cara no chão. Confesso que passei algum tempo assistindo, uma vez atrás da outra, ao vídeo da queda de Luiza. Via e revia o fatídico tropeço com mórbido prazer. Com sadismo. É assim, ressentido, que encaro os Jogos do Rio. Não estou sozinho.
Eu me lembro de quando o Rio foi escolhido para sediar os Jogos. O presidente Lula chorou copiosamente, nós ficamos orgulhosos e o  nado Robim Williams fez uma piada que nos enfureceu: disse que os brasileiros ganharam a disputa porque levaram 50 garotas de programa e meio quilo de cocaína para a cerimônia de escolha. Hoje, sete anos depois, se Lula chora é por medo de ir parar na cadeia, nós não temos mais orgulho algum de organizar as Olimpíadas e a piada de mau gosto de Robin Williams parece fazer
certo sentido.
Passamos vergonha perante o mundo. O Rio de Janeiro está uma imundície, a violência é digna de guerra civil, as obras não  carão prontas a tempo. Atletas e público estão desistindo de vir. É por isso que a tocha, por onde passa, in ama o desgosto das pessoas, estimula as borrifadas dos extintores de incêndio, cai no ridículo. A excursão da tocha só faz mostrar a escuridão em que estamos metidos. Faz lembrar a falta de luz no  m do túnel e o país sombrio onde vivemos. Agora me deem licença porque vou ali assistir ao tombo da Luiza Trajano mais uma vez.

Cultive uma horta orgânica e colha qualidade de vida – Parte X – Outros produtos alternativos para o manejo de pragas e doenças no cultivo orgânico

Plantas saudáveis produzidas em ambientes equilibrados, normalmente são menos atacadas por pragas. Em ambientes desequilibrados, as pragas podem causar vários danos nas plantas, além de favorecerem o surgimento de doenças, principalmente as fúngicas. Caso as medidas preventivas, descritas anteriormente, não tenham sido suficientes, pode-se utilizar os produtos alternativos naturais descritos a seguir.
Urina de vaca (fertilizante e repelente de insetos): Como preparar – A urina deve ser recolhida em um balde e logo após ser envasada em recipiente fechado por no mínimo três dias antes de usar. Na hora da retirada do leite, a vaca geralmente urina, momento em que a urina deve ser recolhida com um balde comum. Em recipientes fechados a urina poderá ser guardada por até um ano. Como usar – Diluir a 1% (um litro de urina em 100 litros de água), fazer pulverizações semanais em hortaliças e em frutíferas a cada quinze dias. Para utilizar no solo, junto ao pé da planta, diluir a 5% (5 litros de urina em 100 litros de água). Evitar pulverizar as plantas próxima à fase de colheita, especialmente as hortaliças-folhosas, hortaliças-flores e hortaliças-frutos, devido ao cheiro forte.
Leite cru (manejo de ácaros, ovos de lagartas, lesmas, doenças fúngicas e viróticas): o leite na sua forma natural ou como soro de leite, é indicado para o manejo de ácaros e ovos de diversas lagartas, como atrativo para lesmas e no controle de várias doenças fúngicas e viróticas. Pesquisa comprovou a e ciência do leite cru (+10 %) sobre o oídio (pó branco) que ataca a folhagem das cucurbitáceas, mesmo após o início da infecção no campo, superando o leite industrializado (tipo C e o longa vida). Essa maior e ciência do leite cru e fresco pode ser explicada, em parte, pela maior concentração de substâncias e de microrganismos fermentados, em relação aos leites industrializados; Cinzas de madeira não tratada (manejo de pragas – pulgões, lagarta rosca; doenças causadas por fungos – míldio e sapeco; nutrição): além de ser um ótimo adubo rico em potássio, o polvilhamento de cinza sobre as culturas controla os pulgões dos citrus (laranja, limão e outras) das hortaliças e de outras espécies. Polvilhada sobre o solo ou incorporada a ele, controla a lagarta rosca por um período de 10 dias, dependendo do clima. No manejo da doença do sapeco da folha, que ocorre em cebolinha verde, e em sementeiras de cebola na fase de produção de mudas, recomenda-se aplicar sobre as plantas, antes que o sereno (orvalho) evapore, 50g/m 2 de cinza de madeira não tratada.

Para mais informações, acesse o blog: www.cultivehortaorganica.blogspot.com

PMDB ainda está em entendimento para lançar o representante

A menos de três meses para as eleições municipais, o PMDB de Urussanga ainda atua nas tratativas para formar um grupo que irá se apresentar como uma opção aos eleitores. Membros da executiva do PMDB, PT e PSB alinham-se para uma definição.
Segundo o presidente do PMDB de Urussanga, Vanderlei Rosso, a intenção é manter um dos acordos firmados em 2012.
“O PT foi nosso parceiro durante quatros anos. O vice-prefeito, que representa esta sigla partidária, trabalhou em conjunto com o prefeito. O vereador deles também foi uma peça chave no processo. Juntos cumpriram seus deveres, apoiaram a administração e trouxeram desenvolvimento à cidade com verbas estaduais e federais. Por isso temos respeito e queremos manter o acordo”, salienta. Já o PSB será o mais novo aliado.
As pessoas que compõem o partido influenciaram na escolha. “É um partido que está no início e se formando na cidade. Os filiados pretendem fortalecer o grupo com esta união. Pessoas que já contribuíram muito por Urussanga como Stela Talamini, Neusa Pereira, Jander Dagostin e deputado Cleiton Salvaro compõem a sigla e influenciaram nesse acordo. Em relação a nossa posição perante o PT como primeiro aliado, o PSB sabe e concorda com esta manifestação”, frisa.
No momento, PMDB e PSB levantam possíveis nomes para serem candidatos a vereador. Em contrapartida, o PMDB de Urussanga possui dois pré-candidatos a prefeito:
Johnny Felippe, atual prefeito e comerciante, e o empresário Ademir De Brida Junior. A decisão em relação ao candidato oficial acontecerá durante a convenção do partido, no início de agosto.
“Estamos ainda em fase de conversas e entendimento. Desejamos que a convenção conduzida de forma serena e tranquila. Independente de quem for o escolhido, o outro será respeitado e terá compromisso dentro do partido. Visamos a união partidária”, ressalta o vice-presidente do PMDB de Urussanga, Oberdan De Brida Filho.
Conforme Rosso, as propostas para os eleitores serão definidas entre os três partidos nas próximas semanas. “Uma comissão irá nortear os rumos para continuar contribuindo cada vez mais para a cidade. Acima de tudo vamos manter o respeito perante todos os partidos e candidatos, mas não vamos aceitar ofensas pessoais. Se forem críticas, que sejam verdadeiras. Caso contrário iremos procurar os meios legais”, finaliza.

Conheça os 8 tipos de acupuntura e seus benefícios

Reconhecida pela Organização Mundial de Saúde (OMS), a acupuntura é uma técnica milenar chinesa que busca, por meio de estímulos em pontos do corpo, tratar diversas doenças e reestabelecer as energias do corpo e da mente. O que poucas pessoas conhecem é que, além da acupuntura tradicional que faz o uso das agulhas para estimular zonas do corpo, há também outros tipos de acupuntura que são indicadas para diversas finalidades.
A diretora do Centro de Pesquisa e Estudo da Medicina Chinesa (Center AO), Dra. Marcia Lika Yamamura, explica quais são os tipos de acupuntura mais utilizadas no Brasil atualmente e comenta a finalidade de cada uma delas:

ACUPUNTURA CLÁSSICA
Essa é a acupuntura mais tradicional, a sistêmica. Essa técnica utiliza a aplicação de agulhas finas, em diferentes profundidades na pele, para estimular zonas do corpo e melhorar o  uxo de energia do organismo. A acupuntura tradicional tem amplos benefícios
e é capaz de tratar diversas doenças.
ELETROACUPUNTURA
A eletroacupuntura é a estimulação de agulhas de acupuntura por impulso elétrico. Tem a vantagem de proporcionar estímulos por longo tempo com intensidade e frequência estáveis. É mais indicado para se obter analgesia em nível cirúrgico, patologias cefálicas ou no tratamento de dores agudas, como hérnia de disco por exemplo.
ACUPRESSÃO
Nesta técnica é feita pressão dos dedos nos pontos de acupuntura, ou nas mãos e nos pés. Tem o mesmo efeito que a inserção de agulha de acupuntura em menos intensidade e é recomendado para doenças leves, bebês e crianças.
MOXIBUSTÃO OU MOXABUSTÃO
É a queima (combustão) de uma erva chamada Artemisia Vulgaris (moxa) nos pontos de acupuntura, originada no norte da China, região bastante fria. Promove o aumento da circulação vital (Qi) para tratar doenças de origem “vazia”.
CUPPING
Cupping ou ventosa é a aplicação de uma pressão negativa nos pontos de acupuntura, com sangria ou não, afim de liberar a circulação do Qi e do Xue (sangue). A pressão pode ser feita utilizando objetos como jarras ou xícaras aquecidas sob a pele para gerar sucção.
SONOACUPUNTURA
É a aplicação de ondas sonoras com frequência acima de 400Hz nos pontos de acupuntura para emitir vibrações e estimular as zonas corporais.
LASERACUPUNTURA
A laseracupuntura é a mesma técnica da acupuntura tradicional, porém, ao invés de utilizar agulhas usam-se aplicações de laser nos pontos corporais, aplicação de estímulos manuais (acupressão), luz (fotopuntura), estímulo sonoros, eletroacupuntura, aplicações de imãs, etc.
ACUPUNTURA AURICULAR
Trata-se de estimular pontos energéticos da orelha. Para os acupunturistas, a orelha possui mais de 100 pontos que refletem o funcionamento pleno dos órgãos e a estimulação dessas zonas melhorariam o equilíbrio energético do corpo.

Produtor rural já pode contratar o seguro granizo para safra 2016/2017

O rizicultor Pedro Luiz Mondardo sabe que o tempo nem sempre pode colaborar com a sua safra, e para evitar prejuízos, mais uma vez ele pretende contratar os serviços de seguro granizo, disponível na cooperativa de crédito Sicoob Credisulca. “Faço o seguro para deitar a noite e dormir tranquilo, sem perder o sono com medo de temporais que são
comuns na nossa região. Esse será o quinto ano que vou contratar o serviço”, afirma Mondardo, que planta cerca de 50 hectares de arroz na comunidade de São Bento Alto, em Nova Veneza.
O rizicultor já viu diversas vezes temporais castigarem sua lavoura deixando prejuízos, até conhecer o seguro granizo. “No primeiro ano que contratei o serviço tivemos diversas ocasiões de granizo, e pude perceber o quanto foi importante minha lavoura estar protegida, pois consegui cobrir os prejuízos com o valor da indenização”, destaca.
Para a assistente de seguros do Sicoob Credisulca, Géssica Schuvartz da Rosa Pagnan, o seguro, para o produtor rural é uma garantia para a renda da família, sendo a melhor forma de proteger a lavoura contra os riscos naturais. “Além disso
o serviço oferecido pela Credisulca possuí franquia baixa, considerando 5% simples e que não deduz nenhum valor da indenização”, explica Géssica.
O seguro granizo é de fácil contratação e é oferecido pelo Sicoob Credisulca em parceira com uma seguradora internacional, a ESSOR Seguros e com a operadora de seguros Agro Brasil, desde 2011. Na safra de 2015 a cooperativa de crédito fez 931 apólices de contratação do serviço, sendo que 31 registraram sinistro por perdas causadas pelo granizo.
“No último ano não tivemos muitas ocorrências de chuvas de granizo na nossa região, mas ainda assim algumas lavouras foram prejudicadas, totalizando mais de R$ 180 mil em indenizações”, ressalta o presidente do Sicoob Credisulca, Romanim Dagostin.
Além do seguro por perda ocasionada por granizo em lavouras de arroz, o produtor rural também pode contar com outros tipos de proteção, como para lavouras de milho, aviários, animais, galpões, máquinas e equipamentos agrários. Além disso, no Sicoob Credisulca, o produtor rural também pode fazer o custeio da safra e financiar equipamentos para a melhoria da lavoura.

Agricultura gera quase 60 milhões à economia de Urussanga

Eliana Maccari – Jornalista SC04834JP

As mãos calejadas e cansadas tratam com cuidado e apreço os frutos que brotam da terra. Os habilidosos homens do campo, que garantem os alimentos em nossas mesas e suas rendas diariamente, celebram com muito suor e esforço o Dia do Agricultor na próxima quinta-feira, dia 28.
Entre avanços e anseios, os agricultores de Urussanga lutam bravamente para manter a atuação nas lavouras temporárias e permanentes, na produção pecuária e também na extração vegetal e silvicultura.
As áreas rurais de maior representatividade, no que se refere à atuação na agricultura, estão localizadas nas regiões Norte e Nordeste do território municipal, sendo comunidades como Palmeira Baixa, Palmeira do Meio, Armazém e Linha Pacheco. O fumo é o cultivo mais explorado no município e cobre uma área de 850 hectares, segundo informações publicadas no site do IBGE em 2014.

As atividades agrícolas desempenham papel importante na movimentação econômica da cidade. Conforme dados da Prefeitura Municipal de Urussanga, Secretaria Municipal da Agricultura e Associação dos Municípios da Região Carbonífera (AMREC), a agricultura gerou R$ 58 milhões em 2015, o equivalente a 8,69% da receita do município. A arrecadação do setor aumentou em comparação ao ano de 2014, quando atingiu R$ 56,2 milhões correspondendo a 9,44 % da receita da cidade naquele ano.
Destes montantes, o fumo possui valor expressivo. Em 2015, sendo o produto vendido por 7 reais o quilos e rendendo mais de 2 mil quilos por hectare, o cultivo gerou mais de R$ 12 milhões à economia local. Já a safra deste ano poderá surpreender devido ao valor da compra atingir 10 reais. A movimentação econômica deve ultrapassar R$ 18 milhões.
Atualmente, considerando o produtor rural àquele que possui bloco de notas, Urussanga
possui 1.546 produtores ativos que emitem notas fiscais.
“Percebe-se hoje no município que os agricultores não vivem exclusivamente do meio rural. Eles conciliam com outras atividades. Além disso, eles conseguem aproveitar mais o espaço das suas propriedades. Na entresafra, por exemplo, eles cultivam feijão e milho para não deixar a terra parada. Menos terras hoje trazem mais dinheiro”, explica o responsável pela Secretaria Municipal de Agricultura.

Produção: confira os números da agricultura em Urussanga (Dados IBGE 2014):

Arroz: 245 toneladas / 41 hectares
Batata: 500 toneladas / 50 hectares
Cana-de-açúcar: 5.400 toneladas / 135 hectares
Feijão: 82 toneladas / 100 hectares
Fumo: 1.785 toneladas / 850 hectares
Mandioca: 340 toneladas / 20 hectares
Milho: 2.046 toneladas / 380 hectares
Banana: 893 toneladas / 70 hectares
Pêssego: 621 toneladas / 46 hectares
Uva: 823 toneladas / 74 hectares
Bovinos: 12 mil cabeças
Suíno: 19 mil cabeças
Galináceos: 794 mil cabeças
Vacas: 2.300 cabeças
Leite de vaca (produção): 3 mil litros
Aqüicultura Tilápia: 120 mil kgs
Produtos da extração vegetal e silvicultura:
2.500 hectares eucalipto

CLASSE ALMEJA INCENTIVOS PARA JOVENS NO CAMPO

A agricultura evoluiu de forma significativa nos últimos anos nas etapas de trabalho e isto contribuiu com a rotina do agricultor, segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Urussanga e Cocal do Sul, Adefonso Baesso. No setor de fumicultura, por exemplo, em décadas passadas, o agricultor se dedicava durante semanas para preparar o terreno. Hoje, com o auxílio de maquinário, ele finaliza o
trabalho em apenas dois dias. As facilidades que vieram com os equipamentos reduziram
em 50% o trabalho feito pelo homem do campo. E também refletiu nas plantações. Muitos fumicultores dobraram sua área de produção e diminuíram a equipe de trabalho durante o plantio.
“Antigamente o plantio era feito com uma enxadinha. Hoje já é feito com a plantadeira. Uma área que se plantava com o trabalho de seis pessoas, atualmente em duas já conseguem fazer o serviço”, ressalta Baesso.
Para Baesso, o único empecilho da fumicultura é a colheita, que ainda precisa ser feita manualmente. “Mesmo assim o agricultor também tem vantagens nesse sentido, pois com a chegada das estufas elétricas reduziu o tempo do agricultor destinado aos cuidados com o procedimento da secagem”, frisa. Menos investimento, retorno rápido
e garantia de venda de preço são fatores que fazem do fumo a atividade agrícola de maior representatividade em Urussanga e que traz renda para mais de 320 famílias. A preocupação do agricultor estaria voltada aos incentivos para manter o jovem no campo, mais assistência técnica para desenvolver culturas, conforto, tranquilidade e garantias na
saúde e no deslocamento nas estradas rurais. “Precisamos de mais tranquilidade, conforto, direitos na saúde e também poder ir e vir em qualquer lugar. É muito difícil manter um jovem hoje na lavoura, na propriedade da família. Financiamentos não ajudam eles a conquistar sua morada, apenas se baseiam em propostas em cima de quatro rodas. É preciso ter a mesma facilidade para comprar propriedades e maquinário quando desejar construir uma casa. Até não acontecer isso o jovem não irá permanecer no campo”, finaliza.

Dialeto ainda é preservado no meio rural

Eliana Maccari – Jornalista SC04834JP

Nos pontos mais altos de Urussanga, próximos a encosta da serra, a paisagem torna-se fascinante. A natureza encanta e as propriedades rurais com suas peculiaridades completam o cenário. Na localidade de Coxia Rica, próxima a Belvedere, nas extensas pastagens verdes, os animais ainda são os mais fieis companheiros do homem
no trabalho na lavoura. Nos terrenos, “la aca” e “bö” dividem o espaço também com “le porsèl”, assim como fazem “le póie” e “galèt”. Talvez você não tenha entendido esta última frase, mas é exatamente desta forma que os agricultores conversam nestas localidades. As palavras diferentes são oriundas do dialeto, variante da língua italiana, trazido pelos imigrantes da região de Bergamo. A frase anterior quer dizer: a vaca e o boi
dividem o espaço também com o porco, assim como fazem as galinhas e o galo. Na gramática italiana, encontraríamos as palavras mucca, bue, maiale, gallina e gallo.

O dialeto é um tipo de linguagem que torna-se um rico patrimônio imaterial da identidade cultural de Urussanga ainda não explorado como uma parte da história, mesmo sendo cultivado até os dias atuais nas localidades mais distantes. Além dos imigrantes de Bergamo, outros italianos trouxeram a língua da pátria-mãe de suas regiões de origem como Treviso, Friuli e Belluno, que ainda são preservadas pelos agricultores. O agricultor Ordino Locatelli, de 86 anos, aprendeu o dialeto com o pai Benjamin, que era filho dos imigrantes italianos José e Pierina Locatelli. Em sua residência, em Coxia Rica, a esposa Donilia e o filho Idair participam das conversas. “Meus pais também falavam ‘bergamasco’. Desde quando casei, lembro da minha sogra falando estes termos, porém na época eram mais difíceis de entender. Uma vez ela falou de uma chaleira e chamou de ‘pinhèt’. Muitas vezes eram palavras que eu não conseguia entender. Até hoje falamos muito mais o dialeto italiano do que português em nossa casa”, comenta Donilia.
Ordino conta que aos domingos, na localidade, vizinhos se reúnem e nas próprias vias da comunidade conversam na língua de origem dos seus antepassados. Uma forma de manter a identidade da localidade e de seus moradores. “Participo de jogos de bocha e certa vez falei umas palavras em bergamasco, mas ninguém entendeu”, conta entre risos. Algumas palavras do dialeto original já apresentam variações em Urussanga. Em Bergamo, na Itália, arroz é ‘ris’ e milho é “mèi”. Já na localidade de Coxia Rica, fala-se “rì” e “mergòt”.
Na casa da família, a neta Leidiane Locatelli, de 27 anos, acompanha os diálogos em dialeto. Os mais velhos falam, os adultos respondem e ela compreende tudo, mas fala pouco. Para Leidiane, manter viva essa cultura é importante para a história de Urussanga. “O dialeto italiano bergamasco faz parte de uma cultura muito forte em minha vida. Meus tataravós e meu bisavô vieram da Itália e, embora, não tive a honra de conviver com eles, com meus ‘nonnos’ é diferente. O convívio é diário. E mesmo não conseguindo falar o idioma, por não praticá-lo, consigo entende-lo perfeitamente. E valorizá-lo é importante, pois faz parte do meu dia a dia. Pretendo passar para os meus filhos. Manter viva essa cultura, passando-a adiante, é interessante para toda nossa cidade, pois essas raízes ainda são muito presentes aqui”, finaliza.

Cooperar para crescer juntos

O trabalho na lavoura já não é mais o mesmo se comparado as décadas passadas. Os anos trouxeram as vantagens da tecnologia para o campo e a favor do homem, reduzindo a força braçal e readaptando procedimentos e métodos. Mas um elemento ainda permanece na lavoura: a união entre os agricultores. Na comunidade de Armazém, pai e  lho mantêm a tradição da troca do dia do plantio. O agricultor Alexandre Marangoni, de 77 anos, já não atua mais de forma intensa no campo e atualmente dedica seu tempo à horta. Mas quando seu filho Ademar Marangoni, de 42 anos, precisa de ajuda, Alexandre
contribui durante o período do plantio.
O fumo é a principal cultura cultivada nos oito hectares da propriedade da família. Neste mês, o plantio já iniciou e é feito da maneira de troca pela família Marangoni. Alexandre auxilia o filho Ademar neste período. Em contrapartida, quando Alexandre precisar de ajuda, Ademar fará a troca e irá contribuir com o seu plantio.
“Eu ajudo ele e os vizinhos também, caso precisem Plantamos juntos. Sempre estivemos assim, unidos. Um dia um irá precisar do outro. É realmente uma troca e uma forma de cooperativismo”, ressalta Alexandre. A família ainda realiza o sistema de troca do dia do plantio em culturas como feijão e milho, nos meses de agosto e setembro.

Jogo dos líderes do suíço da amizade acaba empatado

Foi realizada, no último sábado, dia 16, a sétima rodada do Campeonato da Amizade de Futebol Suíço da Série “B”. No jogo mais aguardado do dia, onde estavam frente a frente os líderes da competição, Linha Pacheco e Morro da Lagoa empataram em 1×1. Com o resultado, ambos continuam na ponta da classificação com 16 pontos cada. Porém, a Linha Pacheco possui um jogo a mais. Nos demais resultados, o Dois Rios / Carara Chopp venceu o Palmeirinhas por 4×2, o Rio Santo Antônio derrotou o Sem Nome F.C. por 3×1 e o Bar Sem Lona ganhou do Armazém F.C. pelo placar mínimo de 1×0. Além da liderança do Morro da Lagoa e da Linha Pacheco, na classificação aparece em terceiro, o Rio Santo Antônio com 14 pontos e, em quarto, o Armazém/Nossa Senhora da Graça com 13. Amanhã, dia 23, serão disputas as partidas da oitava e penúltima rodada da primeira fase. No campo do Palmeirinhas, em Rio Salto, às 16 horas, os donos da casa enfrentam o Rio Santo Antônio. No mesmo horário, Armazém/Nossa Senhora da
Graça encara a Linha Pacheco, em Armazém. E, no Morro da Lagoa, às 15h30min, jogam Sem Nome F.C. x Bar Sem Lona e, às 16h30min, o time local encara o Dois Rios/Carara Chopp.

Baffone Edição 595

CÂMARA EM RECESSO
A Câmara de Vereadores está em recesso por quinze dias. São dois os recessos do parlamento urussanguenses durante o ano: um de 60 dias, no verão, e outro de 15, na metade do ano. O Baffone está com o vereador Omero De Bona, que há tempos tenta, em sucesso, acabar com o recesso do meio do ano. Realmente, não há nada que justifique esta parada, afinal de contas, a cidade nunca para e os nobres vereadores já possuem privilégios suficientes, não é mesmo?
RETORNO SERÁ BAFFÔNICO I
Quando o recesso acabar, já na primeira sessão haverá tensão na Câmara de Vereadores. Daniela Piacentini pediu o tempo do colega Beto Cabeludo para usá-lo em seu discurso na Tribuna, quando fará um desagravo pelo fato de a colega Vanir Cacciatore ter dito, na rádio, que no ano passado foram gastos mais verbas com diárias do que neste ano. Daniela ainda está inconformada com o fato de a companheira de bancada tê-la acusado de gastar mais no ano passado com o intuito de justificar a gastança que ocorreu neste ano.
RETORNO SERÁ BAFFÔNICO II
Aliás, a bancada peemedebista na Câmara é um foco de tensões. Quando Luiz Carlos Cardoso, o Nariz, resolveu deixar o PMDB, foi convencido a retornar à sigla com a promessa de que ocuparia, até o final deste ano, uma cadeira na Câmara. O primeiro a licenciar-se para abrir espaço ao suplente Nariz foi o vereador Sangaletti, que agora está retornando ao posto. Nariz está preocupado e desconfia que nenhum outro colega tomará a iniciativa de afastar-se para que, conforme prometido, ele possa permanecer na vereança até o  fim do ano.
TOTINHO VS. JOHNNY
Sobre a convenção do PMDB, o presidente Vanderlei Rosso declarou: “O diálogo é sempre o melhor caminho. É preciso ter maturidade, responsabilidade e compromisso dentro do partido. Ficar junto na campanha. Maturidade de estar junto após a convenção, independentemente do resultado. Estamos atuando para que a convenção seja de fato mais tranquila, que não ocorra disputa no dia. Todos são merecedores, mas não dá para ter dois candidatos. Todos devem ser respeitados”.
Se o PMDB está atuando para que não ocorra disputa no dia, então só pode estar atuando para convencer Totinho a desistir de sua pré-candidatura.

ESTACIONAMENTO NA PRAÇA
Uma comerciante da cidade não gostou da nota publicada na semana passada pelo Ba one, na qual se diz que muitos donos de lojas deixam seus carros o dia todo estacionados em frente aos estabelecimentos, tirando as vagas dos clientes. Por e-mail, a pessoa disse que a cidade cresce sem planejamento, e que são os comerciantes
que pagam o pato. Disse que os comerciantes do interior não possuem outro meio de vir trabalhar que não seja de carro, e ainda queixou-se de falta de segurança na Praça Anita Garibaldi. Está feito o registro!
MEIO EXPEDIENTE
Quem passar algumas horas em frente à Prefeitura de Urussanga no período da tarde  cará impressionado com a quantidade de pessoas que procuram os serviços públicos, mas batem com a cara na porta. Ninguém mais aguenta a PMU funcionando apenas em meio expediente. Aliás, esta semana circulou pela internet um vídeo que mostra a Prefeitura, às 17 horas, fechada e vazia, mas com um ar condicionado funcionando a todo vapor. E o Ba one questiona: o fechamento às 13 horas não é justamente para fazer
economia? Como dizia um político urussanguense de antigamente, “mas que barbaridade!”
VIOLÊNCIA E MAIS VIOLÊNCIA
Em toda a sua longa vida, o Baffone jamais viveu um tempo de tanta violência e insegurança. Todos os dias, lemos notícias de assassinatos, assaltos, latrocínios, estupros… Tudo bem pertinho de nós. Por outro lado, não percebemos das autoridades nenhuma providência efetiva para que a situação possa mudar. Somos reféns de bandidos, não temos o direito de nos defender e a polícia… Bem, a polícia faz o que pode, mas, além de mal equipada, quando prende um criminoso não raro, a Justiça manda soltar logo em seguida.
SUCESSO NA APAE
Na semana em que as APAEs celebraram a semana dos “autodefensores”, alunos que defendem os interesses de seus colegas, uma notícia engrandeceu o trabalho de toda a equipe da escola de Urussanga. No 10º Festival Estadual Nossa Arte, a aluna Natalia Bortolotto fez um cartão de Natal que foi escolhido para concorrer no Festival Nacional, que ocorrerá em Recife, e a aluna Everlaine teve seu desenho escolhido para ser utilizado nos cartazes de divulgação do Festival. Parabéns a todos os envolvidos!
REFLEXÃO DA SEMANA
O Baffone despede-se de seus leitores deixando um pensamento do escritor, filósofo e jornalista inglês Gilbert Chesterton: “Não foi o mundo que piorou, as coberturas jornalísticas é que melhoraram muito”. E você, caro leitor, acha o quê? Tenham um  nal de semana de paz, descanso e re exão.

BAFFINHOS
O Juízo da 2ª Vara da Comarca de Urussanga converteu a prisão em  agrante de T. M., preso pela suposta prática do delito de incêndio, ocorrido em Cocal do Sul no dia 18 de julho deste ano. O indiciado deverá aguardar, preso, a conclusão das investigações, bem como o oferecimento de eventual denúncia criminal por parte do Ministério Público.
Tem gente que sempre aparece nas colunas sociais, mas vive soltando cheques sem fundo em Urussanga. É a chamada vida de aparências.
O Baffone tem uma pergunta: na eventualidade de Totinho vencer a convenção do PMDB, o PT continuaria indicando o vice? Cuíca aceitaria ser vice de Totinho?
Joel Gaspar Rodrigues está muito chateado com os correligionários do PP. Motivo: não foi convidado para uma importante reunião do partido.
Os turistas de Minas Gerais estão liderando as reserva de hotéis em Urussanga para a Festa do Vinho. Mas não são apenas eles: tem gente vindo até da Argentina para desfrutar os festejos do Baco.
A Polícia realizou uma ação contra maus tratos a animais em Urussanga em razão de uma denúncia. Três cães foram encontrados em estado deplorável.
Foi extremamente tensa uma reunião entre a CCO da Festa do Vinho e a Pró-Goethe, ocorrida nesta semana. Na mesa, farpas, faíscas e verdades. E lá nos ‘finalmentes’, entendimento. Sabe-se que a relação entre a ProGoethe e o prefeito Johnny nunca foi das melhores, apesar de todos os “VIVAS”.

BAFFÃO DA SEMANA
O Ministério Público Federal finalmente denunciou, nesta quinta-feira (21), à Justiça de Brasília, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, seu amigo José Carlos Bumlai, o ex-senador Delcídio Amaral, o banqueiro André Santos Esteves, entre outros. Todos são acusados de “agirem irregularmente para atrapalhar as investigações da Operação Lava Jato”. O Baffone não vê a hora de noticiar a prisão dessa gente toda.

Baffone Edição 594

CÂMARA FORA DO AR I
Até as eleições de outubro, as sessões da Câmara de Vereadores de Urussanga deixarão de ser transmitidas pela rádio e pela internet. Não há nenhum dispositivo de lei que proíba a transmissão das sessões, mas, se algum vereador viesse a usar a tribuna em benefício de sua campanha à reeleição, poderia se complicar com a Justiça. Acharam melhor não correr nenhum risco.
CÂMARA FORA DO AR II
O Baffone considera descabida a decisão da Câmara de suspender as transmissões. A Câmara é uma instituição pública e deve satisfação ao povo, não aos vereadores do momento. Estes é que deveriam ter a responsabilidade individual de medir suas palavras durante o período eleitoral. Perde a população de modo geral, que fica sem a informação, e perde o Baffone em particular, que agora precisa acompanhar pessoalmente e disfarçado, as reuniões das terças-feiras.
CÂMARA FORA DO AR III
E por falar em Câmara, a presidente da casa foi ao rádio logo na segunda-feira de manhã para repercutir as notas “Farra das Diárias”, publicadas no Baffone da semana passada. A presidente afirmou que não houve nenhuma “farra”, mas sim um investimento na capacitação do pessoal que trabalha no Legislativo do Município, com a participação destes em congressos que ocorreram em maio, em Fortaleza.
OBRAS NA PRAÇA
Depois de tanta polêmica, desentendimentos e alterações no projeto, finalmente começou a obra de revitalização da Praça Anita Garibaldi. O Baffone tem certeza de que nossa praça  cará belíssima, mas confessa uma preocupação: haverá ainda menos vagas para estacionamento. Será que os comerciantes que hoje deixam seus carros em frente ao próprio estabelecimento, tirando a vaga dos clientes, terão outra atitude? Será que o estacionamento rotativo poderá ser implantando para amenizar o problema da falta de vagas? Veremos.
GAECO NA FATMA
Com a limpa feita pelo GAECO na FATMA de Criciúma esta semana, surge uma luz no  m do túnel para a liberação da área industrial de Urussanga. O GAECO, em operação que apura fraudes nas concessões de licenças ambientais, cumpriu mandados determinando o afastamento de três servidores e a prisão preventiva de outro. A verdade é que a FATMA simplesmente faz corpo mole para liberar a licença da área industrial e, com a alteração do corpo técnico, é a vez da ACIU entrar em ação para conseguir, finalmente, o tão sonhado terreno em atividade.
BANDALHEIA
A Bandalheia está prestes a completar 30 anos de estrada e, para comemorar, apresenta novo CD “Além do Normal”. O lançamento está marcado para dia 03 de agosto, no Teatro Elias Angeloni de Criciúma. Na quarta-feira, dia mundial do rock, a banda fez um “pocket show” no Nações Shopping. O novo álbum possui 14 faixas e já ganhou críticas muito positivas.

COLONOS REVOLTADOS
Esta semana, esteve na Câmara de vereadores o senhor Antério Cambruzzi, representante da comunidade de Belvedere Baixo. Cambruzzi fez diversas reclamações, entre elas, a péssima situação da estrada que dá acesso ao bairro e o horário reduzido de atendimento na Prefeitura, pois o colono vem para a Praça à tarde e bate com a cara na porta. Mas uma reclamação de Cambruzzi chamou a atenção do Baffone: diz respeito a uma lei aprovada no início deste ano, de autoria do vereador Marquinhos, que proíbe o plantio de eucaliptos e de qualquer árvore de grande porte numa faixa de 15 metros a partir do eixo central das rodovias do município. A lei ainda obriga a supressão da vegetação de grande porte hoje existente, e vem causando muita revolta entre os colonos
proprietários de terras às margens das estradas.
CAMPANHA ECONÔMICA
Num encontro esta semana, entre Juíza Eleitoral, Promotora, Chefe do Cartório, partidos políticos e imprensa urussanguense, foram esclarecidas as regras da campanha deste ano. Não pode quase nada! Os candidatos, parece, terão de seguir fielmente as regras do jogo ou estarão fora do páreo. A campanha também terá de ser mais barata: candidatos a vereador no município poderão gastar até 10 mil reais, candidatos a prefeito até 100 mil.
REPRESENTAÇÃO FRACA
Fraca, fraquíssima foi a representação de Urussanga na Audiência Pública realizada pela Assembleia Legislativa em Criciúma. O projeto de pavimentação da estrada de Santana foi inserido entre as reivindicações com apenas cinco votos, enquanto Cocal do Sul fez-se representar por mais de 100 pessoas. Não havia ninguém do Poder Executivo, apenas os vereadores Omero e Izolete e a Assessora Parlamentar Andreza Baldessar.
PSD NA RETA FINAL
Em reunião da executiva, o PSD definiu as suas atividades pré-eleitorais: reunião em Florianópolis com a executiva estadual, extensa agenda para os seus pré-candidatos à majoritária e o ponto máximo, a convenção municipal, marcada para 27 de julho. Neste dia, o PSD rati cará as candidaturas do empresário Rodrigo Fontanella a prefeito e do vereador Rosemar Sebastião (Taliano) a vice-prefeito, além da nominata completa com 14
candidatos a vereador. “O PSD entra em campo com seu time próprio e oferece aos urussanguenses uma alternativa para fazer diferente”, destaca Fontanella. Já Taliano resumiu com seu estilo direto: “Nossa coligação é com o povo”.

BAFFINHOS

O diretor de cinema Yves Goulart acaba de emplacar mais um prêmio, o “Portuguese Brazilian Award 2016”. Trata-se de premiação oferecida pela comunidade portuguesa e brasileira nos EUA, e o urussanguense foi homenageado pelos trabalhos como repórter cinematográ  co do SBT e da Rede Record na América, bem como pelos inúmeros filmes que já produziu.
O Governo da Coreia do Sul já decidiu que irá importar carne suína de Santa Catarina.
A equipe da CDL está de parabéns pelo Arraiá do Comércio, que mobilizou muitas pessoas e lotou a Praça e o comércio de Urussanga. À Nethe, que esta sempre sonhando e trabalhando para movimentar os negócios da cidade, nossos cumprimentos por todas as iniciativas.
A pavimentação do trecho da SC-446 entre Treviso e Lauro Müller foi entregue pelo Governo do Estado. Nos 6,1 quilômetros, foram aplicados R$ 19 milhões pelo Governo do Estado. E Santana, vai esperar até quando?
A Secretaria de Estado da Saúde vai investir R$ 3 milhões na realização de um mutirão de cirurgias para reversão de pacientes ostomizados, pessoas que por precisam conviver com uma bolsa externa para fezes e urina. Os procedimentos devem ocorrer a partir de agosto, mas os exames devem começar já neste mês. Mais de 1,5 mil pacientes deverão ser beneficiados, pois a fila de espera arrasta-se desde 2010. Uma grande vergonha!
O Marias e Rosa Ristorante também fez bonito durante a 2ª feijoada realizada no último sábado. Estava simplesmente dos deuses. E era povo!
No final de semana que passou, um bar da cidade presenciou a briga, quase física, entre duas autoridades. Um é xerife, o outro ocupa cargo ainda mais importante.

BAFFÃO DA SEMANA

O Baffone teve acesso a uma nota de repúdio que a vereadora Daniela Piacentini, se ainda não protocolou, irá protocolar na mesa diretora da Câmara. Nela, ataca a presidente Vanir Cacciatore, que ao se pronunciar sobre a “farra das diárias” na rádio disse que no ano passado, no mesmo período, a Câmara gastou ainda mais com diárias. Pois, ano passado, a presidente era justamente Daniela Piacentini. Em resumo, Daniela disse que autorizou as diárias porque as mesmas seriam gastas na luta por verbas para Urussanga, e terminou assim seu texto, reprovando a forma como a atual presidente conduz os trabalhos: “(…) são poucos os informes e os compartilhamentos de opiniões. Saiba vossa senhoria que: ´O trabalho em equipe é um malabarismo constante entre interesse próprio e interesse de grupo’ (Susam Campbel). ‘Politicamente correto’ deve prevalecer o interesse de grupo. Sem mais nada a declarar coloco-me à disposição,
e reitero minha indignação e repúdio ao fato ocorrido”. É baffão ou não é baffão?