Geraldo de Souza assume Diretoria de Esportes

Na prxima segunda-feira, dia 1 de fevereiro, Geraldo Antnio de Souza assume oficialmente o cargo de Diretor de Esporte e Lazer de Urussanga. Esta a primeira vez que Geraldo estar no comando do Departamento Municipal de Esportes (DME) do municpio, porm, ele j possui experincia na rea. Geraldo um grande incentivador do esporte e, principalmente, do futebol amador no municpio e regio. H 9 anos Presidente da Liga Urussanguense de Desportos (LUD) e organiza vrios campeonatos em Urussanga e regio. Em seu lugar, Adroaldo Pacheco (Laguna) ir assumir a Presidncia da LUD. Geraldo tambm j foi Diretor da DME de So Martinho durante 4 anos e Presidente do Clube de Imaur por 5 anos.
O foco para este ano, segundo ele, ser trazer mais crianas para o esporte, principalmente as que moram no interior do municpio. Vamos dar mais oportunidade para que elas pratiquem atividades no somente na escola, mas tambm fora dela. Tambm vamos procurar estar sempre em contato com os professores para saber o andamento dos jogos e se h necessidade de mudanas, observa. Os pais interessados em colocar seus filhos nas modalidades de karate, futebol masculino de sub 11 at sub 17, futsal e outros, devem em entrar em contato pelo telefone: 9985-2776.
O Diretor tambm ir implantar uma nova modalidade, a bocha na grama. Conversei com duas equipes de bocha de grama e eles ficaram empolgados com a ideia de torn-la oficial. O municpio j possui 12 equipes e com isto possvel abrir um Campeonato, explica Geraldo.
Dentre as novidades, o novo Diretor observa ainda que o futsal adulto inicia mais cedo este ano. As equipes pediram para que a modalidade iniciasse na metade do ano e no mais perto do fim do ano. Provavelmente em agosto o futsal adulto j finaliza as atividades, comenta Souza.
J com relao ao Poliesportivo do bairro da Estao, a previso para que em maro ele seja entregue a DME e as atividades sejam iniciadas. Quem desejar alugar um dos espaos do Poliesportivo ou do Ginsio de Esportes, j abrimos a agenda deste ano, conta Souza. Atualmente a DME conta com mais de dez professores. Souza garante ainda que todos os outros Campeonatos sejam mantidos como nos anos anteriores. Agradeo ao Prefeito e Vice-Prefeito pela oportunidade. Tambm a imprensa que sempre divulga os trabalhos da DME. Mesmo com as dificuldades, faremos um bom ano no Esporte de Urussanga, finaliza Geraldo.

Aps planejar operaes para as Olimpadas 2016, Marcineiro pede exonerao da Fora Nacional

Situaes envolvendo certo jogo de poder dentro da Fora Nacional no foram de encontro com a postura do diretor do departamento, coronel Nazareno Marcineiro, nos ltimos meses de 2015. Os fatos influenciaram na deciso de Marcineiro a solicitar sua exonerao da Fora Nacional no final do ms de dezembro.
Em entrevista ao Jornal Vanguarda, o coronel afirmou que existia divergncia na postura do diretor e da Secretria Nacional de Segurana Pblica, Regina de Luca Miki. Sou idealista e tenho sonhos. E um deles era ir para o plano nacional e contribuir para a segurana do nosso pas. A Fora Nacional no estava nos meus planos, mas veio o convite e aceitei. Fiquei encantado com as diversas misses no Brasil e a perspectiva de dar uma resposta emergencial para a segurana. Achei que realmente seria uma grande oportunidade de trabalhar para contribuir. E paralelo a isso tinha a perspectiva da segurana nas Olimpadas 2016. Fiquei feliz com o que encontrei quando cheguei. Iniciamos o trabalho de planejamento, pois meu conhecimento voltado para isso, explica.
Com o passar do tempo percebi que existiam algumas posturas que envolviam a Fora Nacional que no estava bem de acordo com o que eu concordava e achava correto. Resolvi questionar e junto com o planejamento das Olimpadas comearam a aparecer jogos de poder e percebi ento que minha contribuio no seria boa. Comearam a surgir mais insatisfaes do que felicidade. Como sou da reserva da Polcia Militar, tenho estabilidade financeira e minha vida estava bem organizada, decidi pedi exonerao. Entendi por bem fazer isso em nome da minha sade e retornar para Santa Catarina, onde estou agora muito feliz. Quem ficar no meu lugar ser um coordenador que levei para a equipe, o coronel Adilson Moreira, acrescenta.
Em nota no site da pasta, a Secretria Nacional de Segurana Pblica, Regina de Luca Miki, agradeceu o trabalho desenvolvido por Marcineiro e assinalou que o coronel exerceu papel fundamental na preparao do efetivo que atuar na segurana das instalaes das Olimpadas Rio 2016. A Fora Nacional desenvolve atualmente 41 operaes em apoio segurana pblica em 14 estados e no Distrito Federal. Desde 2004, so mais de 250 operaes dos tipos mais diversos: intensificao de policiamento, investigaes e percia em reas crticas, combate ao desmatamento na Amaznia, reforo ao patrulhamento na fronteira, aes de guarda-vidas e defesa civil, entre outras.

06 de Fevereiro: Dia do Agente de Defesa Ambiental

No dia 6 de fevereiro comemorado o Dia do Agente de Defesa Ambiental, homenageando aqueles que trabalham pela proteo do nosso meio ambiente e pelo desenvolvimento sustentvel.
Mas o que meio ambiente? o conjunto de condies e componentes fsicos, qumicos e biolgicos que possibilitam, regem e abrigam a vida em todas as suas formas. toda a natureza que nos cerca, nos envolve, inclusive ns mesmos e nossa relao com o mundo. Tudo est interligado pessoas, animais, florestas, rios, lagos, oceanos, cidades, alm do ar que respiramos.
O que desenvolvimento sustentvel? um modelo econmico capaz de satisfazer as necessidades das geraes atuais, levando em considerao as necessidades e interesses das futuras geraes. Em outras palavras, sustentabilidade suprir as necessidades da gerao presente sem afetar a habilidade das geraes futuras de suprir as suas.Este o momento apropriado para refletirmos sobre a necessidade urgente de sermos protagonistas nas questes ambientais e, consequentemente, potenciais agentes ambientais. A falta de conscientizao e respeito do ser humano contribui para a degradao ambiental acelerada. muito importante incentivar a reflexo e a crtica enquanto ainda h tempo, pois assim permitiremos que as futuras geraes possam viver em harmonia com a natureza. A natureza um grande patrimnio da humanidade, do qual depende a nossa sobrevivncia. Nos moldes de produo e consumo atuais, o meio ambiente do planeta est sendo rapidamente degradado.
Qual a funo do Agente de Defesa Ambiental? responsvel por fiscalizar, resolver e propor atividades e obras para a conservao e preveno do meio ambiente, atravs de vistorias, estudos tcnicos de locais, anlise de processos e avaliao de impactos, visando o cumprimento da legislao ambiental. Esse profissional promove a educao, orientando o pblico sobre os cuidados existentes para garantir a preservao do meio ambiente, e o seu controle de qualidade. Alm disso, sua funo garantir o correto funcionamento do sistema de vigilncia, monitoramento e coibio de infratores, e combater os danos causados pelo homem, natureza.
Todas as pessoas, que de alguma forma, protegem o meio ambiente, podem ser considerados Agentes Ambientais e tambm esto de parabns! Dependemos do meio ambiente para sobreviver, por isso, precisamos cuidar do nosso planeta, comeando a respeitar as leis ambientais e preparando-as para as geraes futuras, a fim de possibilitar um planeta sadio para nossos sucessores.

Vale a pena lembrar !
Cada um deve fazer sua parte, independente de que o outro faa a dele

Mdica orienta sobre diagnstico e tratamento de doenas do sistema circulatrio

Alteraes funcionais na circulao resultam no aparecimento de veias dilatadas, mais conhecidas como varizes. O mdico especialista em angiologia responsvel pelo diagnstico e tratamento de doenas do sistema circulatrio nas partes arterial, venoso e linftico. Ana Paula Martins Nazrio, de Cocal do Sul, foi a primeira mdica angiologista com ttulo na especialidade a atuar em Santa Catarina. A atuao de Ana Paula iniciou em novembro de 2013.
Em seu consultrio, Ana Paula realiza o tratamento de varizes, veias superficiais anormais, dilatadas, cilndricas ou saculares, tortuosas e alongadas, que caracterizam uma alterao funcional da circulao venosa do organismo. A causa principal a gentica, seguida pelo sexo feminino, excesso de peso, perodos prolongados em p ou sentado, uso abusivo de sapatos como rasteira e salto elevado, uso de anticoncepcional, entres outros fatores, ressalta.
As principais reclamaes dos pacientes esto relacionadas a dores como queimao ou cansao e a sensao das pernas estarem pesadas ou ardendo, bem como inchao nas pernas. Isto ocorre principalmente ao redor do tornozelo e geralmente melhoram com a elevao dos membros inferiores, agravando-se no fim do dia quando se permanece por longo tempo em p ou sentado, no calor, no perodo prximo ou durante a menstruao e tambm durante a gravidez, explica.
O diagnstico das varizes feito clinicamente e pode ser comprovado com uso do aparelho ultrassonogrfico colorido com Doppler. A mdica afirma que no existe preveno direta para os casos de veias dilatadas, sendo possvel apenas prevenir sua evoluo com tratamento precoce por meio da prtica de atividade fsica. Isso promover bem-estar prolongado. H tambm medicamentos que melhoram a circulao de retorno do sangue venoso e do sistema linftico, pontua.
O tratamento especfico das varizes depender da veia a ser tratada. O paciente poder ser direcionado para o processo cirrgico ou escleroterapia. Os pacientes que no puderem fazer estes procedimentos sero encaminhados para tratamento clnico com medicamentos, elevao dos membros inferiores e o uso de meia elstica.

ESCLEROTERAPIA

A escleroterapia consiste na injeo de uma soluo esclerosante dentro dos vasos. Aps a realizao deste procedimento, o paciente deve tomar alguns cuidados como evitar excesso de atividade fsica, sol na presena de possveis hematomas e uso de medicamentos que melhoram a circulao e tonicidade das veias. Os mesmos cuidados so orientados de forma mais minuciosa associado a repouso relativo, drenagem linftica e meias elsticas quando se trata de tratamento cirrgico, salienta a mdica.

Limpeza e fiscalizao de terrenos baldios so intensificados

O Setor de Fiscalizao e Licenciamento da Prefeitura de Urussanga em parceria com a Vigilncia Sanitria e Agentes Comunitrias promovem uma ao conjunta com a finalidade de redobrar a limpeza e fiscalizao de terrenos baldios na cidade.
As agentes comunitrias ao longo das prximas semanas esto sendo orientadas por profissionais das reas citadas, de como proceder ao verificar o estado do terreno (mato, lixo, gua parada), e entregando semanalmente relatrios para que os proprietrios possam ser notificados.
Os trabalhos visam alm de manter a cidade limpa, evitar locais propcios para a reproduo do mosquito transmissor da dengue e animais peonhentos, que tambm causam transtornos e transmitem doenas.
Para o Responsvel pelo Setor de Licenciamento e Fiscalizao, Henrique Gastaldon, importante que os proprietrios ou responsveis pelos imveis abandonados tomem as providncias necessrias e contribuam com o Poder Pblico Municipal para sanar esse tipo de problema.
As fiscalizaes so importantes para que os proprietrios faam uma limpeza nos locais, finaliza Gastaldon.

Urussanga recebe mais de 500 mil para obras de pavimentao

O ano de 2016 inicia com boas noticias para o municpio de Urussanga. Em seu gabinete, o prefeito Johnny Felippe assinou na tera-feira, dia 26, um contrato entre o municpio e a Caixa Econmica Federal com o objetivo de pavimentar quatro ruas.
Os recursos de R$ 550 mil so oriundos de duas emendas parlamentares dos deputados federais Edinho Bez e Ronaldo Benedet, nos valores de R$ 250 mil e R$ 300 mil reais respectivamente. As ruas contempladas e que vo receber os trabalhos de pavimentao pertencem aos bairros Bel Recanto (Curva do S), Bela Vista e Nova Itlia.
Segundo o prefeito Johnny, a Prefeitura est trabalhando para atender as reivindicaes dos moradores. o esforo da administrao municipal com o apoio dos deputados Edinho e Ronaldo para juntos levar mais desenvolvimento e beneficiar todos os urussanguenses, afirmou.
Participaram tambm da assinatura do contrato no gabinete do prefeito, o vice-prefeito Luiz Henrique Martins, o gerente da superintendncia regional da Caixa Econmica Federal, Nelson de Souza e o gerente da CEF de Urussanga, Gilberto Antonio Fiorin.

Conselheiros tutelares de Urussanga tomam posse

Os conselheiros tutelares eleitos aps votao no dia 4 de outubro de 2015 e seus suplentes, tomaram posse no dia 10 de janeiro, em Urussanga. Os titulares Rafael Zanelatto, Dilva Nolla Macedo, Sharlane de Brida Damiani, Mara Rubia Cecconi e Cristiane Marcon Scremin Cattaneo receberam o diploma das mos do vice-prefeito Luiz Henrique Martins que afirmou que o trabalho feito pelo Conselho Tutelar de extrema importncia, pois reflete em mais qualidade em prol das crianas e adolescentes.
Autoridades e familiares dos empossados prestigiaram a cerimnia realizada no Salo de Atos da Prefeitura Municipal. O mandato ser de 10 de janeiro de 2016 a 9 de janeiro de 2020.
Os Conselhos Tutelares so rgos autnomos e permanentes, que integram a administrao pblica local. O Brasil tem 5.956 Conselhos Tutelares instalados em 5.559 municpios. Alguns municpios tm mais de um, e seis no tm Conselhos instalados. Em Santa Catarina so 304 Conselhos formados, um para cada cidade, com exceo de Florianpolis que possui quatro e Joinville,Chapec e Blumenau com dois cada.

Frio chegar mais cedo este ano e com mais intensidade

Com a perda de fora do fenmeno El Nio em 2016, a meteorologia prev menos chuvas e noites de cu aberto durante o ano. Segundo o meteorologista da Epagri de Urussanga, Mrcio Snego, no primeiro semestre as chuvas sero bem distribudas e intercaladas com perodos de tempo bom.
Isto favorvel para a agricultura, pois haver condies de bom tempo (luminosidade), calor e gua para o bom crescimento das lavouras, das pastagens e para a apicultura. O outono promete ser mais quente em maro, algum frio mais forte em abril, e o veranico de maio com tempo seco e mais quente. Isto facilita a colheita das lavouras de arroz, explica.
Snego ressalta que no se espera uma onda de calor forte muito duradoura neste vero. A segunda quinzena de fevereiro promete ter mais sol. Quem estar na praia ir aproveitar porque o mar continuar com guas mais quentes. Teremos uma onda de calor na segunda metade de fevereiro. Maro ter tambm dias ainda quentes na primeira metade do ms, salienta.
Conforme os modelos gerados pelo Centro de Previso de Tempo e Estudos Climticos (CPTEC/INPE) do Ministrio da Cincia e Tecnologia, duas ondas de frio podero chegar em abril. O clima volta a esquentar em maio, mas o frio constante retorna em julho.
O outono dever ter o tradicional tardes quentes e noites frias, irrompendo o perodo das alergias respiratrias. Como o El Nio vai perdendo fora, a previso de chover menos em 2016 do que choveu em 2015. Isto faz com que o tempo seja melhor, com noites de cu mais aberto, o que provoca mais frio durante a noite. Com isto, o inverno de 2016 vai ser mais frio do que o inverno de 2015. Alm disso, haver mais chances da chegada do ar frio de origem polar sobre o sul do Brasil, comenta.

CLIMA BENEFICIAR CULTURAS
De acordo com Snego, os produtores rurais podem esperar um ano melhor neste primeiro semestre. As chuvas viro na medida certa e com bons perodos de tempo bom. Os produtores de gado de leite podero ter mais sucesso no plantio das pastagens de inverno na segunda metade de maro. Maio promete um veranico e isso pode atrapalhar um pouco frutferas como o pessegueiro. Mas o inverno ser mais frio. Desta forma, as culturas de milho e feijo da safrinha sero beneficiadas e a prpria cultura do arroz ter boas condies de clima no crescimento e na colheita. O inverno mais frio tende a favorecer as plantaes de uva e ameixa, finaliza.

XVI Festa do Vinho comea a ser planejada

Em anos pares, os urussanguenses e visitantes aguardam pela chegada da Festa do Vinho no ms de agosto. Evento tradicional em Urussanga e que desde o incio do ano j comea a ser planejado. Neste ano, a Festa acontecer de 10 a 14 de agosto, no Parque Municipal Ado Cassetari.
O presidente Ricardo Nowasck e o vice-presidente Rangel Quaglioto da Comisso Organizadora da XVI Festa do Vinho j unem esforos para os preparativos do grande evento. Estamos buscando trazer novidades visando sempre valorizar nosso vinho e a tradio italiana, ressalta Nowasck.
A grade de shows j foi escolhida, mas ainda aguarda acerto contratual. Quaglioto comenta tambm que os convnios para custear a Festa j esto sendo encaminhados. Mesmo com a crise faremos uma festa de sucesso. J estamos buscando agilizar os recursos para dar tempo de organizar, salienta.
No dia 1 de maro ocorrer uma promoo na venda dos ingressos. Sero disponibilizados cerca de dois mil passaportes em um valor acessvel.
A venda vai ser somente online e durante algumas horas, comenta Quaglioto. H possibilidade tambm de realizar uma parceria com as associaes comercial, industrial e agrcola de Urussanga para que acontea a venda de passaportes em empresas, com desconto em folha.
O vice-presidente tambm adianta que existe a possibilidade de criao de uma nova rua gastronmica e artesanal dentro do Parque Municipal.
Queremos com esta nova rua mostrar produtos que no so comercializados ainda na Festa do Vinho, como por exemplo, vinhos coloniais, afirma.
Nowasck garante que a Sagra de Bacco ser um dos eventos que continuar nesta prxima edio. A Sagra foi um sucesso no Ritorno Alle Origini e faremos novamente este momento para colocar a histria do vinho em evidncia. Tambm traremos shows regionais para valorizar os cantores da regio, observa.

Escolha da Corte

A escolha da Rainha e das Princesas que atuaro na divulgao da XVI Festa do Vinho acontecer em maio, na semana que antece a data de aniversrio da cidade de Urussanga. O local e as inscries ainda sero definidos. Comeamos a realizar reunies e ver quais ideias sero viveis. Em breve, divulgaremos mais informaes sobre a escolha da corte e tambm da Festa do Vinho, finaliza Quaglioto.

Escola de samba organiza ltimos detalhes para elevar Urussanga no Carnaval

Nota

Fantasias com as cores verde e rosa, que remetem as tonalidades da uva Goethe, vo representar Urussanga no Carnaval de Florianpolis atravs da escola de samba Dascuia. A cidade foi fonte de inspirao sobre o tema relacionado aos vinhos catarinenses e ser homenageada dentro do enredo A tradio do vinho na fora de um povo: Isso Santa Catarina.
O desfile da Escola de Samba Dascuia, na Passarela Nego Quirido, em Florianpolis, ocorre no dia 6 de fevereiro de 2016, s 23 horas. A concentrao inicia s 18 horas. Neste Carnaval, a escola de samba Dascuia contar com 26 alas e trs carros alegricos. A Urussanga foi proposto a participao nas alas Urussanga, Sommelier e Vinho e Sade. As alas so compostas de 80 a 100 integrantes e custam de R$ 12 mil a R$ 15 mil, ou seja, cada fantasia contabiliza o valor de R$ 150.
No ateli da escola de samba Dascuia, na Fundao Vidal Ramos, em Florianpolis, integrantes trabalham incansavelmente para finalizar os ltimos detalhes dos carros alegricos e das fantasias. Segundo a gerente executiva da escola, Silvana Anjos, a agremiao ainda est comercializando fantasias da ala Urussanga.
Os adereos esto lindos, repletos de luxo e glamour para representar a cidade e a uva Goethe. Muitas pessoas de cidades como Joinville e outras do Sul do Estado esto nos procurando para garantir participao na Dascuia. A ala de Urussanga est muito bonita e contar com 100 componentes. Ainda temos fantasias para comercializao. Elas destacam o braso da cidade e as cores da uva e so compostas de cala, blusa e colete com uvas penduradas. A pessoa pode levar a fantasia embora depois ou doar para a escola fazer a reciclagem. Viemos para competir e conquistar o pblico, comenta.
Alm de Urussanga, as cidades de Videira, So Joaquim e Nova Veneza sero evidenciadas durante o desfile. A Comisso de Frente ir encenar um cortejo ao Deus grego do Vinho, Dionsio. Logo no incio do desfile, as tradicionais tinas, diretamente de Urussanga, sero a base para o esmagamento das uvas na passarela. Trs carros alegricos sero apresentados pela escola. O primeiro chama-se Evoh Baco, o Deus romano do Vinho. A segunda alegoria mostrar as vincolas e suas histrias com a participao das rainhas oficiais da Festa da Vindima. O terceiro carro alegrico denominado Gndola do Samba: Carnaval Nova Veneza e ter capacidade para 20 integrantes que representem a histria do enredo e suas autoridades oficiais. As passistas representaro as rainhas da Festas das Vindimas e 150 ritmistas da bateria iro representar os italianos, entre outros componentes.
Interessados em adquirir fantasias da ala Urussanga e participar do Carnaval 2016 pela escola de samba Dascuia podem entrar em contato pelos telefones: 9620-9980 (Patricia), 96543917 (Silvana) ou 3224-8923.

Eu, colunista

Publicar um texto de opinio por semana no to fcil quanto pode parecer. Ao menos no para mim, que preciso lutar muito contra as minhas deficincias intelectuais. Enfrentar estas limitaes implica reconhec-las. Eu as reconheo. No falo outras lnguas, no tenho flego para escrever livros, no possuo ttulos de doutor ou mestre. Sou um autodidata (um ignorante por conta prpria, diria Millr Fernandes) que vive no interior e tem de brigar dia e noite com o prprio provincianismo. Ainda assim (ou por isso mesmo) me arrisco a escrever.
Eu escrevo (e o Jornal Vanguarda publica) no porque me considero um intelectual, mas por ter superado grande parte da minha covardia. Sou um ex-covarde, como diria Nelson Rodrigues. No tenho medo de me expor ao ridculo e a julgamentos. J faz algum tempo, no perco o sono por causa das tentativas de me desmoralizar ou de me diminuir. As recompensas pela libertao da covardia superam com folga os aborrecimentos por ser alvo de pequenas perseguies.
Outra dificuldade minha no ser repetitivo. Falho miseravelmente na tentativa de diversificar meu repertrio de ideias. Apenas mudando palavras, acabo abordando sempre as mesmas questes: o governo deveria interferir menos em nossas vidas; a tradio e os costumes tm mais sabedoria do que a revoluo; a liberdade um bem mais valioso do que a igualdade; o Brasil precisa livrar-se o quanto antes da variante petista do bolivarianismo. No ser repetitivo uma misso to rdua quanto no ser (muito) superficial e incoerente.
No sou um intelectual. Sou um advogado que consegue se expressar razoavelmente bem em portugus escrito, e que se incomoda pouco com a opinio alheia a respeito de si. Alguns me tacham de pseudointelectual. Eu acho graa. No sou um falso intelectual, sou um aprendiz verdadeiro. Sou algum que luta contra a prpria ignorncia no meio da rua, que se mostra enquanto batalha para superar sua estreiteza. Eu publico o que escrevo para correr riscos e assim aprender. Para mim um desafio, e sem desafios no alcanamos lugares mais altos.

Mais uma mulher frente das aes do Legislativo

Na prxima tera-feira, dia 2 de fevereiro, quando desempenhar a funo de vereadora pelo oitavo ano, Vanir Zuleima Mazzucco Cacciatori (PMDB) ir exercer, pela primeira vez, o cargo de presidente da Cmara de Vereadores de Urussanga. Em entrevista ao Jornal Vanguarda, Vanir ressaltou que suas bandeiras sero a reduo de custos e divulgao das aes do Legislativo aos urussanguenses. Confira a entrevista:

JV: Qual o significado para a senhora de presidir a Cmara de Vereadores de Urussanga pela primeira vez em duas legislaturas?
Vanir: Este o meu oitavo ano como vereadora. Sem dvida o mais importante at aqui. Estar Presidente do Legislativo municipal representa, pessoalmente, o auge da minha carreira pblica. Tambm significa responder por todos os atos institucionais daquela Casa, o que uma grande responsabilidade.

JV: Fale sobre a sua trajetria poltica e um histrico para as pessoas conhecerem a Vanir do dia a dia…
Vanir: Considero que minha trajetria sempre foi pblica, e no poltica. Nasci e cresci do Rio Maior onde trabalhei na lavoura de fumo com meus pais e sete irmos. Aos 22 anos estava casada e com duas filhas. Meu marido era mineiro e eu trabalhava para complementar a renda da casa. Trabalhei bastante tempo numa madeireira, at meus 30 anos. Eram tempos difceis… S nessa idade que ingressei no servio pblico, totalmente ao acaso. Conheci a Maringela, a Janja, quando fui a prefeitura resolver um problema. Da a um tempo fui convidada a trabalhar no MAURU, que era uma entidade de assistncia social ligada prefeitura. Nessa poca, quase aos 40 anos, ganhei meu terceiro filho e meu marido se aposentou como mineiro, passando a ficar mais tempo em casa. Pude ento dedicar-me mais ao trabalho de que tanto gostava. Da em diante, trabalhei bastante tempo como atendente social, fui conselheira tutelar, trabalhei na sade em Urussanga e em Cricima por algum tempo. Nas eleies de 2008 fui a vereadora mais votada. Isso se repetiu em 2012 e razo de muito orgulho para mim, pois demonstra que meu trabalho tem o apoio dos urussanguenses.

JV: A senhora sempre foi filiada ao PMDB? Desde quando?
Vanir: Sou filiada ao PMDB h 36 anos. Nunca fui filiada em outro partido.

JV: Como a senhora avalia o atual Governo e o Legislativo?
Vanir: Penso que qualquer municpio do Brasil tem, hoje, uma srie de problemas em comum que no sero plenamente resolvidos to cedo. Isso ocorre no mbito da educao, da sade, da infraestrutura, do transporte pblico, dos desportos. Ento, a meu ver, a avaliao de qualquer governo deve ter como parmetro o factvel, e no o ideal. Isso triste, mas a realidade. Neste contexto, avalio como timo atual governo municipal. Vemos diversas obras e aes da prefeitura, que abrangem todas as reas. E esto fazendo isso num momento de srias dificuldades financeiras, o que amplia drasticamente o nvel de planejamento requerido para qualquer realizao. Quanto ao legislativo, no diferente. Temos uma bancada muito ecltica, de modo que nossas reunies sempre so floridas em termos de pontos de vista. Isso muito salutar para o bom funcionamento da casa legislativa.

JV: Qual ser sua bandeira na presidncia do Legislativo?
Vanir: Tenho dois objetivos iniciais. O primeiro reduzir custos. No atravs de cortes bruscos ou demisses. Nada disso. Mas por meio da otimizao dos recursos disponveis, como racionalizao do uso de papeis, de gua, de energia eltrica. Temos que aproximar o desperdcio do zero. O segundo objetivo melhorar a publicidade da cmara. O cidado precisa saber o que acontece na sua casa legislativa. E obrigao do funcionrio pblico dar transparncia aos seus atos. Juntamente com a equipe da Cmara, estamos pensando uma forma barata e eficiente para tornar pblicos todos os atos. Alguns pensam que tudo que se debate na cmara o que vai ao plenrio das sesses ordinrias das teras. Mas temos diversas comisses internas que discutem os mais variados projetos. Buscamos uma forma de mostrar ao cidado como so criados e discutidos os projetos, para dar total transparncia aos atos dos vereadores.

JV: Alguma mudana na estrutura da Cmara?
Vanir: No. Temos uma equipe muito afinada trabalhando nos bastidores. Eles que mantm tudo em ordem. Isso permite que os vereadores estejam livres para legislar e fiscalizar, sem que o peso da burocracia seja um entrave. A equipe atual fruto do trabalho realizado pelos presidentes anteriores. A Vereadora Daniela, presidente no ltimo ano, deixou a cmara com uma estrutura muito boa. Portanto, a princpio no h planos de mudanas estruturais.

JV: Qual ser o seu perfil enquanto Presidente?
Vanir: Vejo que boa parte da funo do Presidente da Cmara dar suporte aos vereadores e colaboradores da Cmara. Quero ser uma facilitadora dos trabalhos. Manter um ambiente agradvel para que os vereadores e colaboradores realizem seu trabalho na maior tranquilidade. Remover os empecilhos para permitir a fluidez dos trabalhos. Isso s se torna possvel quando todos os membros do legislativo esto engajados neste objetivo e estou muito feliz por ver que estamos caminhando neste sentido.

JV: A senhora pretende utilizar os recursos da Cmara, como a sobra financeira que geralmente acontece, para colocar em prtica alguma ao ou iniciativa enquanto Presidente?
Vanir: Creio que o Poder Executivo muito melhor preparado que o Legislativo para definir metas em termos de gastos pblicos. Ento, pretendo devolver tudo o que sobrar. E quanto mais sobrar melhor, pois a prefeitura poder alocar este recurso em algo que julgue importante. Afinal, um recurso pblico, oriundo dos impostos que todos pagamos. Deve ter uma destinao pensada e adequada. Talvez, at o fim do ano, surja alguma necessidade de compra para a Cmara. Caso isso ocorra, poderemos usar estes recursos a ttulo de investimento.

REVISO DO FGTS: O QUE ? DE ONDE VEIO? POR QUE SURGIU?

Ultimamente surgiu muita polmica acerca da possibilidade de Reviso do saldo depositado na conta do FGTS dos Trabalhadores, e muitas pessoas ficaram sem saber do que se tratava, se tinham direito, e por que essa reviravolta aconteceu.
Pois bem. O FGTS um valor descontado do salrio, que depositado continuamente em uma conta da Caixa Econmica Federal vinculada ao trabalhador, e poder ser sacado em ocasies excepssionais, tais como: demisso sem justa causa, aposentadoria, falecimento do trabalhador, calamidades pblicas, e vrias outras situaes.
Este valor tem que ser corrigido periodicamente, at mesmo para o dinheiro no perder valor. Essa correo tem sido feita de acordo com a Taxa TR (Taxa Referencial), conforme determinao da Lei 8.177/91. Ocorre que em recentes Julgados, ao decidir acerca da correo incidente em precatrios (forma de pagamento da dvida pblica), o STF considerou que a correo feita atravs da TR no suficiente para atualizar o poder de compra, ou seja, em outras palavras, mesmo aplicando a taxa TR o dinheiro continuaria perdendo valor. Em analogia, se a TR no serve para atualizar precatrios, tambm no serve para o saldfo do FGTS!
Dessa forma, uma verdadeira enchurrada de Aes contra a Caixa Econmica lotaram a Justia Federal, e com razo, afinal, o FGTS tem uma natureza de garantia do trabalhador contra situaes adiversas que pode estar exposto, e a sua correo de forma justa o mnimo que se espera do estado.
Os trabalhadores que podem pedir a correo so os que trabalharam com carteira assinada no perdo entre 1999 e 2013, sendo quea documentao necessria bsica Cpias do RG, CPF, comprovante de endereo, e extrato da conta de FGTS do perodo de 1999 a 2013, concedido pela Caixa Econmica.
Apesar de as decises estarem trancadas por que o STF ainda no decidiu acerca do assunto, importante que os trabalhadores continuem propondo as Aes, a fim de forar o STF a decidir logo o tema. Outro motivo est em que, a partir de Maro de 2016 entra em vigor o novo Cdigo de Processo Civil, que determinada que as aes deveram ser julgadas por rdem cronolgica, sendo que os que protocolarem primeiro tero preferncia.

Urussanga perde poltico e sindicalista lutador pelas causas da agricultura

Urussanga se despediu, no dia 12 de janeiro, do agricultor, poltico e grande defensor pelas causas da agricultura, Lauro Baesso. Aos 81 anos de idade, ele deixa um legado construdo com lealdade, coragem, postura tica profissional e de amor pela sua cidade e famlia. Vtima de um cncer, Lauro trabalhou at os ltimos momentos de sua vida se doando s pessoas. Um exemplo de vida que partiu com um semblante de paz. As pessoas que tiveram a oportunidade de conviver como o meu nono, com certeza trazem seu corao, uma lembrana especial dele, afirmou a neta Bibiana Pignatel Baesso.
Sua origem vem de muito trabalho e humildade. Descendente de italianos, filho mais novo do casal Luiz Baesso e Angela Furlanetto Baesso, teve oito irmos: Maria, Rita, Elizabete, Rosa, Plice, Engracia, Alberto e Adolfo. No dia 26 de janeiro, completaria 82 anos de vida. O agricultor nasceu e viveu na comunidade de Linha Pacheco. Estudou at a 4 srie e desde muito cedo comeou a trabalhar, ajudando seus pais no cultivo de mandioca e cana-de-acar. No engenho da famlia, produziam farinha, melado e acar mascavo para o consumo da casa e para venda. Os produtos eram levados de trem at Imbituba. Na casa da famlia Baesso tambm havia os parreirais, dos quais produziam o para as festas em famlia.
Aos 20 anos de idade, casou-se com Terezinha Sandrini com quem teve sete filhos: Joo, Maria Goretti, Luiz Lauro, Ivete (que faleceu ainda beb), Tnia Regina, Angela e Edson Jos. Os filhos lhe deram a alegria de ter 14 netos e 5 bisnetos. No dia 20 de fevereiro, o casal completaria 62 anos de matrimnio.
O nono Lauro era um homem a frente do seu tempo, da sua categoria. Ele foi um exemplo de liderana, humildade, altrusmo e caridade. Valorizava os valores que para muitos, j no valem mais. Ele era pai, amigo, incentivador e conselheiro da famlia. Gostava de nos ter sempre por perto, reunidos. Homem calmo, paciente, sereno, gostava de conversar e tinha mais duas grandes paixes: uma delas, o seu Fusca ano 1975, o qual no vendia por nada e agora ficar como lembrana. A outra era a pecuria. Gostava de domar cavalos, criava porcos e chegou a ter 50 cabeas de gado de uma s vez. O gosto de criar animais, agora ele deixa para os netos. Viveu a vida com entusiasmo. Foi temente a Deus. Conservou o bem maior que a famlia e a ele toda a nossa gratido, respeito e amor, afirma Bibiana.

Lder Sindical: STR e Afubra

Da agricultura, o sustento e pela agricultura, a fora e luta pelas causas sindicalistas exercida por Lauro Baesso. Dedicao que foi alm de sua propriedade para ajudar a classe de agricultores do municpio e do pas. Lauro foi Presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Urussanga e Cocal do Sul (STR) durante 13 anos, de 1981 a 1994. Uma misso que construiu com muito amor e coragem.
Sua atuao como lder sindicalista lhe rendeu reconhecimento em nvel nacional. Aos 49 anos de idade, em 1983, ele foi convidado a fazer parte da diretoria da Afubra A Associao dos Fumicultores do Brasil para ocupar o cargo de vice-presidente onde permaneceu por dois mandatos, na matriz, em Santa Cruz do Sul (RS). Nesse perodo ele assumiu a presidncia por vrias vezes e se tornou, em 1969, fumicultor. Ao assumir a Afubra sempre buscou defender os direitos e interesses dos trabalhadores, como a aposentadoria.

Poltico de respeito e trabalho

A poltica sempre foi uma grande paixo na vida de Lauto Baesso. Iniciou sua carreira como vereador pela 11 legislatura pelo PMDB, no perodo de 1989 a 1992, e foi eleito por mais trs mandatos consecutivos, ocupando ainda a vice-presidncia do legislativo. Durante os quatro mandatos esteve sempre presente nos momentos importantes do municpio. Participou da comisso especial para a elaborao da Lei Orgnica, bem como, da sesso solene para a promulgao da lei orgnica do municpio em 18 de maio de 1990. Tambm participou da instalao do Gemellagio entre Urussanga e Longarone fazendo parte de uma comitiva oficial que viajou para a Itlia em 1991 para a firmao do gemellagio. Foi um dos vereadores que aprovou a realizao das reunies itinerantes nas comunidades de Urussanga.
Mais tarde, em 2008, ingressou no PDT, partido do corao, tornando-se suplente de vereador de 2009 a 2014. Do salrio que recebia, grande parte no chegava em casa. Ele era um homem muito generoso. Ajudava muita gente. Pagou muitos funerais, sem sequer questionar os seus valores. Quando vereador, foi autor do requerimento que resultou no convnio firmado entre prefeitura municipal e empresas funerrias para o auxlio funeral, destinado famlias de baixa renda, relembra a neta Bibiana.
Na vida poltica, tambm assumiu o cargo de Secretrio de Agricultura e ficou at o novembro do ano passado atuando como Diretor de Agricultura do atual Governo.

LUD participa com quatro times da Copa Sul

Foi realizado na ltima sexta-feira, 15, na sede da Sociedade Recreativa Fluminense, em Laguna, o Conselho Tcnico da Copa Sul dos Campees de 2016, que definiu os grupos e os confrontos da primeira fase da competio. Estiveram presentes os presidentes das sete Ligas No profissionais do Sul de Santa Catarina, entre elas a Urussanguense de Desporto representada pelo presidente, Geraldo Silveira. O campeonato deste ano ser organizado pela Liga Lagunense de Futebol. A LUD participar com quatro equipes filiadas: Cocal do Sul (grupo 6), Sango (grupo 2), Ajax (grupo 7) e Jaguaruna (grupo 8).
A 16 Copa Sul dos Campees ser disputada por 24 clubes e iniciar no dia 6 de maro. Na primeira fase, as equipes foram divididas em oito grupos de trs, onde jogaro contra adversrias do mesmo grupo, em turno nico. Os dois melhores classificados de cada composio avanam a segunda fase. Desta etapa at a final, os confrontos sero eliminatrios, em jogos de ida e volta. O Campeo da Copa Sul dos Campes ser o representante da regio no campeonato catarinense de futebol amador adulto de 2016.
Aps o sorteio dos grupos, foram definidos tambm os jogos das trs rodadas da primeira fase. Das quatro equipes filiadas a Liga Urussanguense de Desportos, que esto na disputa, trs j estreiam na rodada inaugural do certame, no dia 6 de maro. O Sango jogar contra o Me dos Homens de Praia Grande, em Sango, o Cocal do Sul enfrentar o Unio de Armazm, em Cocal do Sul e a AD Jaguaruna ter pela frente o Bandeirante de Laguna, em jogo que ser realizado na cidade deo adversrio. Na segunda rodada, dia 13, o Ajax faz sua estreia jogando contra o Vera Cruz, em Garopaba e a AD Jaguaruna enfrenta o Metroplitano, em Jaguaruna. Na terceira e ltima rodada da primeira fase, dia 20, o Sango vai at Brao do Norte jogar contra a equipe local, em Ararangu, o Cocal do Sul vai enfrentar os donos da casa e em Siderpolis, o Ajax encara o gua Verde de Pescaria Brava. Todas as partidas da primeira fase tero incio s 15h.

Cocal do Sul lana programa pioneiro no estado na rea da segurana

A populao de Cocal do Sul, lideranas e autoridades da regio conheceram na noite de tera-feira, 19, um programa inovador e pioneiro no estado lanado pelo Governo Municipal de Cocal do Sul juntamente com a Cmara Municipal de Vereadores e Conselho da Cidade que promete ser uma referncia na rea da segurana. Com o objetivo de aumentar a sensao de segurana, principalmente em reas menos protegidas do municpio, o programa Segurana Para Todos ir levar aos bairros da cidade um moderno sistema que visa a instalao de mais de 200 cmeras de vdeomonitoramento para fortalecer a segurana. Nele, o prprio cidado ter condies de contribuir para a segurana do seu bairro e de sua cidade, sem se expor a riscos, aliado a um baixo custo e tecnologia que permitem a atualizao do sistema, acompanhando a evoluo.
O encontro foi aberto pela Prefeita em exerccio, Cirlene Gonalves Scarpato juntamente com o Prefeito licenciado, Ademir Magagnin e a Presidente do Legislativo, ngela Mendes Anjo que dividiram a mesa de autoridades com Delegado Regional de Cricima, Dr. Jorge Luiz Koch, Comandante da 2 Companhia da PM Rodoviria, Major Darci Rodrigues Jr., Deputado Estadual, Valmir Comin, Presidente do Conselho da Cidade, James Prico e o proprietrio da empresa vencedora da licitao, Vtech Solues em TI, Valmicio de Pieri.
At o momento, 11 cmeras foram instaladas at o momento. Elas esto localizadas no Centro, Polcia Rodoviria, bairros Guanabara, Cristo Rei e Braslia, rea Industrial I e nos acessos s localidades de Rio Perso e Linha Ferreira Pontes. Estamos muito desprotegidos, o cidado pede por segurana. Contudo, no podemos esperar que o estado mande efetivo para o municpio. Esse um projeto eficaz. A partir de maro deste ano, o municpio passar a ser monitorado por 32 cmeras instaladas em entradas e sadas da cidade. Um investimento R$ 70 mil em parceria com o Legislativo Municipal. Em cinco anos, a empresa responsvel dever instalar outras 170 por meio da iniciativa privada, compromisso firmado em contrato com o poder pblico. Uma ferramenta que vem para auxiliar nossos policiais. Com isso estaremos multiplicando olhares para que no nosso dia a dia, a gente possa ficar um pouco mais tranquilos. Alm de ajudar os municpios vizinhos com o auxlio das imagens, destacou a Prefeita em exerccio, Cirlene Gonalves Scarpato.

Vantagens e funcionamento

O projeto consiste na instalao de quatro torres de rdio que iro cobrir toda a extenso urbana do municpio com possibilidade de expanso para a rea rural, permitindo um nmero ilimitado de cmeras, inclusive o remanejamento estratgico. As cmeras utilizadas so de alta resoluo que permitem a identificao de placas de automveis e esto aliadas a uma soluo inovadora que ser o reconhecimento facial, aprimorado posteriomente.
As imagens das cmeras ficaro disponveis aos rgos de segurana, Policias Militar, Rodoviria e Civil. O sistema possui uma srie de diferenciais. Um deles que permite que os moradores do municpio tambm tenham acesso, mediante a um cadastro, onde podero auxiliar no monitoramento e acompanhar em tempo real e alta definio os pontos que daro cobertura. Alm disso, moradores e empresas podero se juntar nesta aquisio e ao sistema por um valor bem acessvel formando uma cooperativa da segurana. A ideia ajudar a todos a se monitorar e interagir com a populao. Sendo que essa rede exclusiva para a cidade e aos moradores pr-cadastrados. Outro diferencial que os prprios policiais tero acesso por meio de tablet e smarthfone. Todos os pontos tero acesso ao sistema. Ou seja, o policial poder acompanhar os bairros e espaos pblicos a distancia, ou seja, podem estar no Centro e acompanhar o que se passa nas demais regies, explica o responsvel pela empresa, Valmicio de Pieri.
Outro diferencial, segundo Valmicio que o sistema oferece um mapa da situao. Ele ajuda a Polcia a montar uma rota de uma possvel fuga, que tambm poder ser muito til para as cidades vizinhas, concedendo maior preciso e atuao, ressalta.

Assalto causa prejuzo financeiro e emocional

Era para ser mais um dia normal de trabalho para a jovem Franciane Bonadeo, de 32 anos, quando no dia 07 de janeiro, s 12h, na Galeria Ivo Serafim, foi surpreendida por um bandido e feita de refm durante um assalto mo armada no centro comercial. Eu peguei meu almoo como de costume e vi um carro entrando na contramo por onde eu estava andando, achei o ato suspeito. De repente quando eu estava subindo as escadarias da Galeria para ir para casa, um homem me segurou pelas costas e apontou uma arma para mim. Fiquei em estado de choque e fui levada pelo criminoso para dentro da Lotrica. Fiquei no local at o fim da ao, relata Franciane.
Assim como Franciane, outras pessoas vivenciaram o momento de pnico. Uma cena que dificilmente ser esquecida em Urussanga. O alvo dos bandidos foi a Lotrica Urussanga e a relojoaria tica Visual, em uma ao que durou aproximadamente 10 minutos. As imagens da lotrica so o ponto de partida para a investigao que segue em sigilo pela polcia civil. O vdeo mostra trs criminosos fortemente armados, eles aparecem rendendo funcionrios e clientes, no corredor.
De acordo com as informaes da Polcia, quatro homens estavam envolvidos na ao, porm h suspeita de que h mais pessoas. Na Lotrica foram pouco mais de 2 minutos de ao. Todo o dinheiro que estava nos caixas foi levado. Uma senhora que aguardava para fazer o pagamento de contas no momento tambm foi assaltada. Eles levaram R$ 1 mil da vitima que precisou ser socorrida por causa de uma queda de presso. Como medida de segurana, a Lotrica de Urussanga estar realizando um procedimento de blindagem dos guichs e outros mecanismos de segurana podero ser instalados. O valor roubado no foi divulgado.
Na relojoaria, o valor estimado do prejuzo de mais de R$ 100 mil. Foram levados objetos como alianas e relgios. Dois criminosos agiram na minha loja e levaram muitas mercadorias de valor alto. A partir de agora tomaremos medidas que estamos analisando. Talvez vamos parar de comercializar peas caras ou fazer algum procedimento de segurana. Esta a terceira vez que minha loja assaltada e pensei em at mesmo fech-la, relata o proprietrio, Aires Valentim Frozi.
A Gestora Executiva da Cmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Urussanga, Marinete Martins, acompanhou a ao atravs do prdio da CDL e mesmo no fazendo parte do assalto, ficou em choque por ver a situao. Eu fiquei alguns dias com medo de andar na rua. O assalto foi perto do prdio, ento, quando eu via pessoas na rua ficava com medo de acontecer o mesmo comigo. Foi um cenrio de terror, afirma. A Gestora comenta ainda que a CDL estar realizando uma reunio com os Associados juntamente com o Capito da Polcia Militar (PM) no prximo dia 15 de fevereiro, na CDL de Urussanga, com horrio a ser definido.
Conforme o Capito da PM de Urussanga, Sandi Sartor a PM foi acionada e aps tomar conhecimento do assalto, foi acionado um plano de chamada. Os policiais de folga deslocaram-se at o quartel e com as viaturas e carros particulares foram iniciados a busca pelos assaltantes. Alm de termos feito contato com cidades vizinhas para realizar barreiras nos principais acessos de Urussanga, alm de rondas por possveis rotas de fuga, explica o Capito. Aps o procedimento foi realizado tambm contato com as vtimas para registrar informaes, filmagens e outros. Os dados foram encaminhados para a Delegacia.
Ainda segundo o Capito, este tipo de crime possivelmente foi realizado por pessoas de outra cidade, mas no se descarta a possibilidade de que pessoas de Urussanga tenham auxiliado no crime. um crime bastante atpico, entretanto, estamos estreitando a troca de informaes com os comerciantes, buscando prevenir tais delitos. Aps o carnaval iniciaremos as rondas comerciais, as quais tero uma maior proximidade com a populao, finaliza o Capito.
Antes de o crime acontecer, o Vereador Rozemar Sebastio que estava trabalhando em seu estabelecimento prximo a galeria, percebeu uma atitude suspeita no local. Minha funcionria comentou que seis homens estavam h uma semana frequentando a Barraca, aps o assalto eles no apareceram mais. No sabemos se realmente eram aqueles homens, mas eram suspeitos, comenta o Vereador. O grupo de assaltantes fugiu no veculo VW/Jetta roubado na madrugada anterior ao assalto em Estao Cocal, Morro da Fumaa. Eles renderam uma famlia levando jias, eletrodomsticos e o automvel. O carro utilizado foi abandonado em Santana. O caso segue sob investigao sigilosa com a Polcia Civil do municpio.

11 de Janeiro: Dia do Combate da Poluio por Agrotxicos

No dia 11 de janeiro de 1990, o presidente do Brasil (Decreto n 98.816) determinou maior rigor no registro, controle, inspeo e fiscalizao de agrotxicos. Por apoiar o cultivo de alimentos saudveis, a preservao do solo e a qualidade de vida da populao, a data comemorada, anualmente, como o Dia do Combate da Poluio por Agrotxicos. Embora no se tenha muito que comemorar neste dia, a ideia conscientizar a populao brasileira quanto aos riscos causados pelo seu uso indiscriminado dos agrotxicos. Mas, o que mais preocupa, que as principais causas da poluio ambiental (industrializao e a produo de alimentos com o uso de agrotxicos), esto crescendo devido ao aumento da populao.Segundo a Agncia Nacional de Vigilncia Sanitria (ANVISA), 1/3 das frutas e vegetais consumidos em todo o Brasil possuem ndices elevados de agrotxicos. Atualmente, aANVISA destaca, em ordem de maior exposio agrotxicos, 13 alimentos que atravs de anlises, possuem quantidades acima do permitido e, alm disso, substncias no autorizadas para o uso: pimento, cenoura, morango, pepino, alface, abacaxi, laranja, uva, mamo, arroz, tomate, feijo e ma.
Desde 2008, o Brasil o campeo mundial no uso de agrotxicos (cresce 190% ao ano), e o que pior, muitos venenos j proibidos em outros pases, esto sendo utilizados em nosso pas. Existe enorme presso comercial das empresas, que sem qualquer compromisso com o meio ambiente e com a sade da populao, visam apenas o lucro. Em funo do uso crescente de agrotxicos, associado assistncia e fiscalizao deficiente, o nmero de pessoas intoxicadas no mundo inteiro no pra de crescer. Devido falta de controle e fiscalizao no uso dos agrotxicos e o desconhecimento dos agricultores, em geral, sobre os riscos e perigos sade, estima-se que as taxas de intoxicaes humanas no pas sejam altas, causando a morte de 5 mil trabalhadores por ano. Somente em Santa Catarina, na dcada de 90, foram 350 pessoas intoxicadas e registradas por ano, enquanto que no perodo de 2001 a 2010, ocorreram 600 intoxicaes por ano. Entre 1984 2012, foram 300 mortes registradas pelo Cit (Centro de intoxicaes toxicolgicas do hospital universitrio da UFSC). Estima-se que para cada caso registrado, exista pelo menos mais 10 que no so registrados devido dificuldade de diagnstico (caso das intoxicaes crnicas).
No h motivo para comemorar o Dia do Combate da Poluio por Agrotxicos, mas sim para refletir sobre a necessidade do seu uso. A boa notcia a maior conscientizao da sociedade em relao aos grandes problemas ambientais e, o que melhor, o crescimento da agricultura orgnica e a comprovao de pesquisas de que possvel produzir a mesma quantidade de alimentos, com melhor qualidade e menor custo de produo e, o mais importante, sem poluir o meio ambiente e contaminar as pessoas. Para maiores informaes, de forma resumida, sobre a poluio ambiental causada por agrotxicos e fertilizantes qumicos e suas consequncias, sugerimos acessar o link: https://drive.google.com/file/d/0B1b_Y3P4gp6vWTEzUXJKdjRUaXM/view

Faa a sua parte:
Diga NO ao uso de agrotxicos na agricultura, procure consumir mais alimentos orgnicos oufaa sua horta orgnica em sua casa e at em apartamento e, denuncie o uso de herbicidas nas cidades que proibido desde 2010 (procure a Anvisa em seu municpio).(Em Santa Catarina, o uso de herbicidas na reas urbanas proibido por lei estadual).

Nova diretoria do STR pretende ampliar servios de sade para scios

A nova diretoriado Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Urussanga e Cocal do Sul (STR) tomou posse, no final do ano passado, e iniciou suas aticidades a partir de janeiro de 2016. Participaram da cerimnia o Presidente da Fetaesc, Jos Walter Dresch e o Vice-Presidente, Luiz Sartor. Um jantar de confraternizao marcou o momento, no Restaurante Baggio, em Urussanga.
Agradeo pela confiana de todos para que houvesse a minha reeleio e que tambm a nossa diretoria atuar sempre buscando o melhor para o agricultor, diz o Presidente reeleito, Adefonso Baesso.
Os servios de sade j recontratados para este ano so de clnico geral, dois odontologistas, sendo estes gratuitos para os scios, alm de convnios com oftalmologista, otorrinolaringologista, massoterapeuta e fisioterapeuta.
A nova diretoria tem a inteno de contratar alm destes especialistas, tambm um nutricionista e ampliar a carga horrio de odontologia e clnica geral. muito importante oferecermos servios de sade para os agricultores, pois a sade vem em primeiro lugar. Alm de estarmos prestando os mesmos servios dos anos anteriores, como cadastro ambiental e encaminhamentos, comenta o Presidente do STR, Adefonso Baesso.
Para se tornar scio do STR necessrio levar documentos pessoais, duas fotos 3×4 e bloco de notas que comprova que a profisso de agricultor at o STR de Urussanga.

Conhea a nova diretoria

Presidente: Adefonso Baesso
Vice-Presidente: Pedro Rodrigues Magdalena
Secretrio geral: Jos Zanatta Neto
1 Secretrio: Vanir Zardo Mazzucco
Tesoureiro: Quintino Bortolatto
1 Tesoureiro: rica Romagna Quarezemin
Diretoria suplentes: Isaura Maccari e Valentim Wanderlind
Conselho Fiscal Efetivos: Regis Liberato Spadel, Luzia Mariot Cechetto, Sabrina Ciscon Magagnin Cambruzzi
Conselho Fiscal Suplentes: Josevaldo Dandolini, Yolanda Savi Romagna e Clezio Savi Nandi
Diretoria ampliada: Coordenador da Comisso Municipal de Jovens Trabalhadores e Trabalhadores Rurais, Denise Zanelato, Coordenadora da Comisso Municipal de Mulheres Trabalhadoras Rurais, Albertina da Rosa de Noni, Coordenador da Comisso Municipal da Terceira Idade dos Trabalhadores (as) Rurais, Galileu Sangaletti.

Centenas de pessoas festejam a Uva Goethe

Foi em clima de f, agradecimento e tradio que Urussanga celebrou ontem (21), a 8 Vindima. A festa da colheita da uva teve incio no perodo da tarde com a abertura da Feira da Vindima que ofereceu a venda de vinhos, sorvetes, pizzas, petiscos e artesanato na praa. O evento se estendeu at a noite com a realizao da missa em louvor a So Vicente, o padroeiro dos vitinicultores que teve como tema Abenoando as mos que colhem, celebrada pelo Padre Jionanni Manique Barreto e animada pelo Grupo Folclrico Cantando Si Va, na Matriz.
A Vindima tem como objetivo enaltecer a tradio da colheita da uva e valorizar o vinho Goethe reconhecido e certificado pela Indicao Geogrfica. Centenas de visitantes acompanharam as festividades e se encantaram com o que viram. Est a primeira vez que participo e vim com a famlia. Gostei muito desta cultura e da forma como ela propagada. Visitei as vincolas e todos foram bastante atenciosos. O vinho muito bom e ainda a cidade valoriza a uva com outros produtos, como o sorvete, observou Egislaine de Nez, de Mato Grosso. J Fabiana Dars, de Curitiba, que passa o vero no litoral da regio com a famlia ficou imprecionada com o vinho. A cultura italiana valorizada. Comprei vinhos e com certeza eu vou voltar, as pessoas so receptivas e vale a pena divulgar mais esta festa, ressaltou.
O ponto alto do evento foi o tradicional esmagamento da uva com os ps realizado pela Rainha da Festado Vinho, Ana Paula Cittadin e as Princesas, Alice Miotellos e Pietra Librelato, bem como, a corte de Pedras Grandes, crianas e a Primeira-Dama Georgia Felippe. Ao som de canes italianas, o Tombo da Polenta realizado pelo grupo Amici Della Polenta fechou com chave de ouro a cerimnia, na Praa Anita Garibaldi. Autoridades municipais e regionais foram recebidas pelo Prefeito Johnny Felippe e o Vice, Luiz Henrique Martins. O Prefeito de Pedras Grandes, Antnio Felippe Sobrinho e a Prefeita de Cocal do Sul, Aninha Scarpato tambm prestigiaram o evento. No palco, as apresentaes artsticas ficaram por conta da Orquestra Municipal de Urussanga, Mrio Acstico e Janiter Cargnin que animaram o pblico. A Vindima se tornou tradio no municpio e uma festa fantstica. Brindamos a colheita, a vida, a sade e a Urussanga, comenta o Prefeito Johnny Felippe.
Segundo o Presidente da Associao dos Produtores da Uva e do Vinho Goethe (ProGoethe) de Urussanga, Renato Damian, esta festa chama a ateno de turistas que esto no litoral durante este ms em que muitas pessoas esto de frias e movimenta a cidade nesta poca. Se tirarmos a uva e o vinho, no teramos Festa do Vinho, Vindima, Indicao Geogrfica, ou seja, o nome de Urussanga levado para todo Brasil e at outros pases devido uva e o vinho, afirma.
A Vice-Presidente da ProGoethe, Giselda Trento Mazon destacou a ascenso do vinho Goethe, nico e reconhecido no Brasil e no mundo. um orgulho dizer de corao alegre que essa uva que veio do norte da Itlia a nica do mundo. Ns acreditamos neste projeto e com o apoio e incentivo nosso vinho est indo cada vez mais longe e sendo apreciado por todos, disse.

Homenagem

A Vindima tambm prestou homenagem por meio da entrega do Trofu Amigo do Vinho Goethe. Neste ano foi destacado o trabalho e dedicao do grupo Amici Della Polenta, Ernesto Bettiol (in memoriam) e do Monsenhor Agenor Neves Marques que foi o Fundador da Rdio Marconi de Urussanga.

Safra da uva

A safra da uva Goethe de 2016 uma das menores dos ltimos anos, isto porque o ltimo inverno foi mais quente e fez com quem as videiras brotassem antecipadamente, gerando uma reduo no nmero de cachos. Em uma safra normal se produz em torno de 300 mil litros de vinho Goethe na regio. No incio desta safra estimvamos uma perda geral em torno de 50%, mas poder chegar at 65%, explica o Enlogo da Epagri de Urussanga, Stevan Arcari.
Embora a quantidade de cachos de uva tenha sido prejudicada pelo comportamento do clima entre abril e outubro, nos ltimos dois meses o clima de vero e permitiu que a maturao da uva ocorresse razoavelmente bem.
A qualidade da uva no foi afetada e teremos bons vinhos e espumantes que sero comercializados mais perto do fim do ano, quando o vinho est pronto para ser engarrafado, observa o Presidente da ProGoethe, Renato Damian.