Quando a imaginao ganha asas…

Os olhares atentos das crianas acompanhavam com concentrao a interpretao de uma famosa histria literria. O cenrio, preparado dentro do Centro Municipal de Educao Infantil Prof Zilda de Lurdes Darella Dal B, localizado no Loteamento Bom Jesus, remetia os alunos ao contexto das fbulas. Ao incorporarem os personagens das histrias, as professoras da escola deram asas imaginao das crianas.
Este um dos momentos proporcionados na instituio de ensino para 120 crianas de 5 meses a 6 anos por meio da Semana Literria. A atividade anual, que ocorre no ms de julho, possui uma programao com o intuito de despertar a imaginao e emoo das crianas de forma dinmica.
A literatura infantil um dos caminhos que leva a criana a desenvolver a imaginao, a emoo e demais sentimentos de modo prazeroso e significativo. A leitura uma forma de recreao muito importante para a criana, principalmente para o seu desenvolvimento intelectual, psicolgico e afetivo e desempenha um papel fundamental em suas vidas pela riqueza de motivaes, sugestes e de recursos que oferece ao seu crescimento, explica a diretora da escola, Ana Elisa Fontanela.
Neste ano, a Semana Literria consistiu na realizao de teatro das histrias Trs Porquinhos e Cachinhos de Ouro interpretado pelas professoras. Outra ao promovida pela escola foi a montagem de uma biblioteca comunitria no meio do ptio de recreao reunindo as turmas para um momento de integrao entre colegas e os livros.
O Centro Municipal de Educao Infantil Prof Zilda de Lurdes Darella Dal B tambm realizou uma exposio dos trabalhos confeccionados pelas crianas com o auxlio dos professores para apreciao dos pais durante visita a escola.
Gostei do teatro das professoras e tambm da biblioteca. Mas adorei mesmo quando os meus pais visitaram a creche, ela estava toda decorada e muito linda. O lanche estava uma delcia e todo colorido. Gostei muito de colocar uma viseira com a letra do meu nome, conta a aluna Gabrieli Redivo, de 6 anos.

LANCHES TEMTICOS REMETEM AS HISTRIAS

A Semana Literria encerrou com a participao das crianas em um desfile de mscaras e apreciaro de lanches temticos. O lanche repleto de frutas fez referncia histria de Chapeuzinho Vermelho. As crianas que escolheram a fbula Galinha Ruiva comeram bolo de milho e as que elegeram Stio do Pica-Pau-Amarelo apreciaram bolinhos de chuva. J os alunos que optaram pela histria de Joo e Maria foram surpreendidos com guloseimas.

Espao cultural inaugurado com exposio de telas que retratam as belezas de Urussanga

Desde o dia 23 de julho, Urussanga conta com um Espao Cultural no centro da cidade. A loja Fretta Home Center inaugurou um ambiente destinado somente para a exposio de obras de arte que vo desde telas a objetos. Durante a semana, artistas da regio e visitantes prestigiaram as mais de 90 telas que retratam paisagens e cenrios do municpio. Segundo o Gerente Comercial da Loja Fretta, Antnio De Lorenzi Cancellier as telas fazem parte da Conexo Ateli Assisi Urussanga II, de Cricima. Realizamos essa parceria com o Ateli para expor estas lindas obras que mostram belos lugares da nossa Benedetta. Uma oportunidade para os visitantes e urussanguenses conhecerem por meio da arte um pouco mais sobre as nossas tradies, como a uva e o vinho, as casas tombadas, nossa Igreja e muitas outras belezas, comenta. Para realizar a exposio, a professora do Ateli, Marlene M. Just ressalta que os mais de 40 artistas de toda regio realizaram uma pesquisa em Urussanga para pintar as telas e algumas delas foram feitas h sete anos. Foram oito dias de pesquisa atravs de livros e fotografias. O objetivo resgatar a cultura por meio das imagens que falam mais do que palavras. Estas telas expostas em Urussanga trazem lembranas do passado de muitas pessoas, comenta a Professora.
O visitante, Henry Goulart, esteve no local e achou interessante a iniciativa do Ateli e da Loja Fretta. Esta exposio promove uma aproximao entre as cidades de Cricima e Urussanga, principalmente no mbito da arte. As telas nos remetem as nossas razes e evidencia a nossa cultura local. O Espao Cultural Fretta proporcionar aos artistas um local para expor e discutir arte. Todos os envolvidos esto de parabns pela iniciativa, diz. Mais de cem pessoas j passaram pelo local, mas quem ainda desejar prestigiar a exposio, as telas ficaro expostas at o dia 28 de agosto em horrio comercial. Para grupos, as visitas podem ser agendadas pelo telefone: (48) 3465-1479. Se tivermos uma boa visitao dentro de 15 dias, iremos trocar as telas e expor outras, que tambm fazem parte do Ateli de Cricima, finaliza Cancellier. Algumas das obras esto venda e podem ser adquiridas em contato com o artista.

Conselhos de Desenvolvimento Rural participam de capacitao

Visando melhorar a integrao entre agricultor e conselheiros, os integrantes dos Conselhos Municipais de Desenvolvimento Rural (CMDRs) de Urussanga, Cocal do Sul e Morro da Fumaa participaram de uma capacitao na segunda-feira, dia 27, no Centro Comunitrio da Igreja Matriz, em Urussanga. Em Urussanga, o conselho formado por 19 conselheiros que representam agricultores, Epagri de Urussanga, Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Secretaria de Agricultura, Cmara de Vereadores, Ministrio do Desenvolvimento Agrrio e Associaes. O conselheiro realiza a comunicao entre a comunidade e o Conselho para sabermos a realidade de cada regio. Assim aproximamos o agricultor dos rgos pblicos para melhor desenvolver esta rea, afirmou a Extensionista Social da Epagri, Maria Cristina Cancelier da Costa. A capacitao foi oferecida pelo CMDR de Urussanga, com palestrantes das Epagris de Ararangu, Cricima e Tubaro. Foi um evento produtivo. Os conselheiros exercem um papel muito importante e a participao deles fundamental para o desenvolvimento rural, observou o secretrio municipal de Agricultura, Jucemar Sangaletti.

O curso capacitou os conselheiros acerca de diversos assuntos, como o papel do conselheiro, como realizar uma reunio e polticas pblicas. Alm disso, um trabalho em grupo estimulou a discusso sobre como elaborar, fiscalizar e avaliar um Plano Municipal de Desenvolvimento Rural.

Escola de Samba escolhe vinhos catarinenses como enredo

O Grmio Recreativo Cultural Escola de Samba Dascuia, de Florianpolis, escolheu os vinhos catarinenses como tema do enredo para o Carnaval do prximo ano. Aps um trabalho de pesquisa, a diretoria chegou ao cultivo das uvas e desenvolvimento econmico na regio Sul de Santa Catarina.
Percebemos que a cotao do vinho catarinense estava muito alta repercutindo na imprensa nacional e tambm tendo a bebida como destaque na sade. Tnhamos trs temas e decidimos nos dedicar a este produto e enfatizar a produo em nosso Estado, conta a gerente executiva e primeira dama da escola, Silvana Anjos.
A sinopse do enredo da escola de samba est sendo finalizada e para vivenciar o tema escolhido, mais de 70 pessoas da diretoria e integrantes da agremiao iro visitar Urussanga neste domingo, dia 2 de agosto, para conhecer a regio Vales da Uva Goethe, primeira Indicao Geogrfica de Procedncia do produto em Santa Catarina.
Participei de uma reunio do setor de enoturismo catarinense e fiquei encantada com a fala de Giselda Mazon falando sobre a primeira Indicao Geogrfica do vinho em nosso Estado. Parecia que a voz dela me transportava no tempo. Fiquei apaixonada e percebi que precisvamos vivenciar toda essa magia para completar nosso trabalho, frisa.
O roteiro de enoturismo iniciar na Vincola Mazon com visita aos parreirais, apresentao dos vinhos dos Vales da Uva Goethe e degustao. Depois a escola de samba ir apresentar o enredo para os produtores de uva e vinho e agentes culturais de Urussanga e Pedras Grandes no ptio do Salo de Eventos da Vigna Mazon. Vamos fazer um pequeno Carnaval em Urussanga durante o inverno com direito a passistas, porta bandeira, mestre sala e bateria, comenta.
tarde, o grupo ir visitar a Vitivincola Casa Del Nonno com degustao de espumantes e frisantes e visitao do processo de produo. Em seguida, os integrantes iro at a comunidade de Rio Caet para conhecer o trabalho da Vincola Trevisol.
Precisamos conhecer mais a histria para a elaborao das fantasias, dos carros alegricos. Para falar dos pequenos produtores precisamos presenciar o cotidiano e revelar a bravura dos imigrantes italianos, a cultura. Queremos mais detalhes sobre como os imigrantes chegaram, o mtodo tradicional de esmagamento das uvas feito com os ps, a Festa da Vindima. Ns degustamos vinhos e nem todos conhecem o que produzido em nosso Estado e principalmente a identidade prpria da uva Goethe. Ser um trabalho rduo, mas lindo. Quero ver essa histria acontecer e encantar na avenida, finaliza.
A Escola de Samba Dascuia, de Florianpolis, atua oficialmente desde 2006 no Carnaval catarinense. Em 2014, a agremiao foi campe do grupo de acesso. No ano passado, a escola contou com a participao de mais de 2 mil componentes na avenida.

Obra de ampliao do aterro sanitrio do Cirsures liberada

O prefeito de Lauro Mller e presidente do Consrcio Intermunicipal de Resduos Slidos Urbanos da Regio Sul (Cirsures), Fabrcio Kusmin Alves, assinou na ltima sexta-feira, dia 24, o convnio para ampliao do aterro sanitrio e obras complementares no Cirsures.
O convnio com a Fundao Nacional de Sade (Funasa) de R$ 1,6 milho, sendo R$ 81,5 mil de recursos prprios do Cirsures. O processo de licitao j foi concludo e as obras devem iniciar nos prximos dias com prazo de concluso de seis meses. A empresa vencedora a Crema Construes e ser responsvel pela execuo do projeto.
A construo deste novo espao para depsito de resduos urbanos tem capacidade de durao de cinco anos e ir ocupar uma rea de um hectare. O aterro atual tem recebido em mdia 1,5 mil toneladas de resduos por ms e possui vida til at maro de 2017. Com a nova rea, a vida til do aterro ser at 2022. Este um momento histrico para o Cirsures, que recebe atravs deste convnio, o maior valor de recursos j repassado. A preocupao com a falta de espao para continuar depositando os resduos slidos foi solucionada, destacou Fabrcio. Segundo o engenheiro ambiental e gerente do Cirsures, Thiago Maragno Biava a ampliao do aterro sanitrio disponibilizar mais tempo para a disposio correta dos resduos slidos urbanos. Agora poderemos trabalhar pensando em mais sete anos. O recurso de origem pblica, um convnio com a Funasa a fundo perdido. Este convnio vai gerar uma economia grande aos municpios, pois se no tivssemos conseguido este recurso teramos que investir recursos prprios para ampliao do aterro sanitrio. Com a economia de recursos poderemos melhorar e investir em servios essenciais como a ampliao da coleta seletiva, aes de educao ambiental, apoio Cooperativa de Catadores e cumprimento de medida compensatria ambiental, frisa.
Atualmente o Cirsures atende os municpios de Urussanga, Cocal do Sul, Lauro Mller, Morro da Fumaa, Orleans, Siderpolis e Treviso.

A histria de bravura de Pietro Paolo Beninc e Angela Titton Beninc

No sculo 19, na pequena localidade de Valmareno, na cidade de Follina, em Treviso, na regio do Vneto, no norte da Itlia, viviam as famlias Beninc e Titton. Foi nesta pequena localidade que nasceu Pietro Paolo Beninc, em 3 maio de 1861, filho de Giovani Beninc e Augusta Lazzarin, e foi tambm o local de nascimento de Angela Titton em 1865, filha de Antonio Titton e do segundo casamento de Maria Titton. Estas famlias tradicionais no imaginavam que iriam se unir mais tarde devido ao encontro e matrimnio dos filhos em outro pas.
Pietro Beninc viveu 19 anos em Valmareno em companhia dos pais e dos irmos Maria e Mateo. Angela Titton tinha trs irmos: Joana e Joo, filhos do segundo casamento, e Angelina, filha do primeiro casamento de Maria com Gallon.
Destas famlias, a famlia Titton foi a primeira a vir para o Brasil. A imigrante Angela contava que a famlia veio em busca de melhores condies de vida. Os mais antigos relatavam que a Angela contava dos mais de 30 dias de viagem no navio e que aqui chegando muitas foram as dificuldades em meio a mata, comenta a descendente Luana Teixeira, trineta de Angela e Pietro.
A famlia Titton se instalou na localidade de Urussanga Baixa, hoje conhecida como Ribeiro da Areia. No ano de 1880, Pietro Beninc e seu irmo Mateo, ambos com o sonho de viver na Amrica, tambm decidiram morar no Brasil. Ao chegarem a Urussanga tambm se estabeleceram em Urussanga Baixa e ficaram hospedados na casa da irm Maria, que havia chegado no ano anterior com o marido Franchesco Cesca.
A coragem, f e as habilidades dos imigrantes italianos fizeram com que eles desbravassem o territrio desconhecido. Em 22 de setembro de 1886, Pietro Beninc e Angela Titton oficializaram sua unio na Parquia de Urussanga. No temos relatos de como Pietro e Angela se conheceram, mas acredita-se que foi ainda na Itlia, pois Valmareno uma localidade muito pequena. Temos apenas o registro do matrimnio na parquia em setembro de 1886, conta.
O casal construiu a primeira casa de pau a pique, erguendo o espao por meio de uma tcnica antiga que consistia no entrelaamento de madeiras verticais fixadas no solo, com vigas horizontais, geralmente de bambu amarradas entre si por cips, dando origem a um grande painel perfurado que, aps ter os vos preenchidos com barro, transformava-se em parede.
Depois de se acomodarem no local, Pietro e Angela iniciaram o corte de rvores visando construir uma casa maior. A imigrante contava a histria de garra do casal que durante dois anos trabalhou cortando e serrando toda a madeira da nova residncia.
Segundo os descendentes da famlia, Pietro nunca estudou e atuava como carpinteiro na cidade.
Ele ajudou na construo da Igreja de So Pedro, que foi inaugurada em 1900. O casal teve 13 filhos: Augusta, Joo, Antnio, Elias, Luiz, Maria, Agustinho, Eugenio, Angelo, Carolina, Natal, Emlia e Paola. O imigrante Pietro Beninc faleceu em 27 de janeiro de 1926, com 65 anos, e sua esposa Angela Titton Beninc faleceu em 15 de outubro de 1955, aos 90 anos de idade.

Descendentes realizam primeiro encontro

Os descendentes do casal de imigrantes italianos Pietro Paolo Beninc e Angela Titton Beninc se reuniram no ltimo domingo, dia 26, para realizar o primeiro encontro da famlia, no bairro So Pedro. O dia festivo iniciou com a celebrao da missa na igreja da localidade, a qual Pietro ajudou a construir e foi finalizada em 1900, ministrada pelo Padre Carlos Weck. Um dos filhos de Eugnio foi o responsvel por tocar o sino, assim como seu pai fazia antigamente. Os momentos de reflexo despertaram nos descendentes a valorizao e o agradecimento aos imigrantes pela histria de bravura e f.
Mais de 350 descendentes dos 12 filhos do casal participaram do almoo de confraternizao. Cada descendente dos filhos de Pietro e Angela recebeu um crach de identificao e integrou um grupo. Durante o dia, diversos descendentes receberam homenagens. Um caf da tarde e domingueira animada pelo grupo Dal encerraram o primeiro encontro.

Os frutos do amor de Pietro e Angela Beninc

uAugusta Beninc nasceu em 28 de outubro de 1887 e se casou com Martim Salvador, constituindo famlia com 13 filhos: Irene, Maria, Pedro, Zeferino, Ofemia, Angelina, Dozolina, Ida, Carolina, Adlia, Silvino, Jlia e Davide.

uJoo nasceu em 22 de maro de 1889. Casou-se com Zelinda Salvalrio e teve 9 filhos: Irene, Angelina, Maria, Virgnia, Natal, Pedro, Otlia, Ida e Abel.

uAntnio nasceu em 4 de agosto de 1890 e oficializou matrimnio com Maria Pilon. O casal teve 5 filhos: Angelo, Adlio, Hilrio, Aurora e Olinda.

uElias nasceu em 15 de abril de 1892 e se casou com Luisa Meneguel, constituindo famlia com a chegada de 7 filhos: Albina, Vergnio, Ceclia, Maria, Ema, Laura e Marcolina.

uLuis nasceu em 9 de fevereiro de 1894. Casou-se com Ermnia Evangelista e teve 6 filhos: Adolfo, Ana, Catarina, Jlia, Albino e Denildes.

uMaria nasceu em 26 de fevereiro de 1896 e oficializou unio com Antonio Justi. O casal teve 7 filhos: Pedrinho, Jorge Albino, Augustinho, Abel, ngelo, Valdemare e Zelinda.

uAgustinho nasceu em 26 de fevereiro de 1898 e se casou com Adele Dagostin, constituindo famlia com os 5 filhos: Helena, Silvina, Zulema, Jaime e Valmor.

uEugnio nasceu em 07 de novembro de 1899. Casou-se com Maria Dagostin e teve 7 filhos: Juvelindo, Juventino, Salute, Santina, Quintino, Italino e Maria Olindina.

uAngelo nasceu em 13 de dezembro de 1901. Constituiu famlia com Tereza Justi e 3 filhos: Ilda, Edite e Ivanilda.

uCarolina nasceu em 15 de setembro de 1903, casou-se com Augusto Dagostin e teve 4 filhos: Antmio, Germano, Arlindo e Italina.

uNatal nasceu em 25 de dezembro de 1905. Oficializou unio com Tereza Dagostin e teve 8 filhos: Jercino, Pedro, Valentin, Leal, Amlio, Osria, Armando e Moacir.

uEmlia nasceu em 15 de outubro de 1907. Casou-se com Angelo de Bona Marcchet e constituiu famlia com a chegadas dos 5 filhos: Maria de Lourdes, Zenir, Herclio, Luiz Antnio e Zuleide.

uPaola nasceu em 30 de maio de 1910 e faleceu aos 8 anos de idade.

O trabalho voluntrio muito gratificante, especialmente com crianas!

Depois que me aposentei na Epagri/Estao Experimental de Urussanga, onde desenvolvia pesquisas com hortalias no sistema orgnico, ou seja,sem o uso de adubos qumicos e agrotxicos e com adoo de prticas culturais sustentveis, estou experimentando o trabalho voluntrio em duas escolas municipais de Urussanga: Ncleo Rio Caet e Ernesto Czar Mariot. Estou auxiliandona conduo de hortas orgnicas juntamente com alunos do ensino fundamental e professores e, tambm realizando palestras com o foco na preservao do meio ambiente. Os objetivos principais deste trabalho so: a) Auxiliar na educao ambiental,sensibilizando, incentivando e conscientizando os alunos sobre a importncia da preservao e conservao dos recursos naturais (gua, solo, flora e fauna); b) Contribuir para a formao de hbitos alimentares mais saudveis, complementando e enriquecendo a merenda escolar e, c)Resgatar junto comunidade o hbito de produo de alimentos saudveis parao consumo. Os resultados obtidos so surpreendentes,graas ao alto grau de conscientizao destas crianas, fruto da tima educao ambiental proporcionada pelas escolas. Vrias crianas aproveitam o recreio para cuidarem da horta e algumas brigam, no bom sentido, para executarem algumas atividades. muito gratificante ver as crianas interessadas na horta,o que nos deixa esperanosos de que as futuras geraes tero um mundo melhor e, o mais importante, um desenvolvimento econmico mais sustentvel,com menoresprejuzos ao meio ambiente.
A implantao e conduo de hortas escolares sustentveis um valioso instrumento educativo e fundamental na formao de jovens comprometidos com o meio ambiente e com a sustentabilidade do planeta.O contato com a terra e a descoberta de inmeras formas de vida ali existentes, o encanto com as sementes que brotam, a prtica diria do cuidado com a horta um exerccio de pacincia e perseverana, at que a natureza nos brinde com a transformao de pequenas sementes em hortalias e frutas viosas, coloridas, saudveis, frescas e, o mais importante, sem nenhum risco para a natureza e para sade dos alunos.
Para finalizar gostaria de fazer um apelo para as pessoas, especialmente aos aposentados: Dediquem um pouco do seu tempo para um trabalho voluntrio! Voc pode at escolher o trabalho voluntrio que d maior prazer, pois existem inmeras opes. Eu escolhium trabalho ligado minha profisso para dedicar-me s crianas do ensino fundamental, porque acredito que a melhoria do mundo, em todos os sentidos, passa pela educao. muito gratificante ver as crianas preocupadas com o meio ambiente e, o que melhor, cobrando de seus pais, uma maior conscincia ambiental. Experimente voc tambm este prazer e,faa a sua parte, contribuindo para a melhoria do planeta!Muitas pessoas j experimentaram a alegria do trabalho voluntrio, especialmente com as crianas, os necessitados, idosos e doentes. Obrigado Deus,por inspirar tantos exemplos maravilhososna construo de um mundo mais justo e fraterno!

Comit Rio Urussanga recebe recurso do Governo de SC

Um convnio que garante a liberao de recursos para dar continuidade s aes do Comit de Gerenciamento da Bacia do Rio Urussanga foi firmado na tarde desta segunda-feira, dia 27, na sala dos municpios, na Unesc. Na oportunidade, o secretrio da SDR de Cricima, Joo Fabris, o reitor da Unesc, Gildo Volpato, e o presidente do Comit da Bacia do Rio Urussanga, Jos Carlos Virtuoso assinaram os documentos para o repasse dos recursos no valor de R$ 208,8 mil, oriundo do Fundo de Recursos Hdricos (FEHIDRO).
Segundo o presidente do Comit, o recurso ir auxiliar na operacionalizao e no fortalecimento do rgo. Este um ato de grande representatividade para o desenvolvimento das aes do Comit. Neste ano o valor tambm contempla a contratao do consultor, profissional que possui um olhar e articulao sobre vrios aspectos. Agradecemos o reitor da Unesc por se sensibilizar pela importncia da causa e a SDR pelo empenho, ressaltou Virtuoso.
Para o reitor da Unesc, entidade parceira no repasse dos recursos, o Comit desempenha um importante papel na regio que condiz com a misso da universidade. Nossa deciso de aceitar ser a entidade de repasse foi pela relevncia do projeto e por ele ter envolvimento com a misso da universidade no que diz respeito a sustentabilidade. Acredito que o recurso ser de grande valia para potencializar as atividades do Comit com o nosso apoio, frisou.

Pacientes com hepatite C tero acesso a novo tratamento nos hospitais pblicos

Os pacientes com hepatite C vo ter acesso um novo tratamento nos hospitais pblicos at o fim deste ano. A terapia que vai ser implantada gradualmente at dezembro consiste no uso combinado de trs medicamentos: daclatasvir, simeprevir e sofosbuvir. O anncio foi feito na segunda-feira, dia 27, pelo ministro da Sade, Arthur Chioro, durante solenidade que marca o Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites, celebrado na tera-feira.
Segundo o ministrio da Sade, o tratamento deve beneficiar cerca de 30 mil pessoas nos prximos 12 meses. O ministro Arthur Chioro explicou que a utilizao combinada desses medicamentos aumenta as chances de cura e diminui o tempo de tratamento aos pacientes com hepatite C.
As novas medicaes tambm devem beneficiar pacientes que no podiam receber os tratamentos ofertados anteriormente no SUS, entre eles os portadores de coinfeco com o HIV, cirrose e transplantados ou aqueles que no se curaram com tratamento anterior.
Conforme a enfermeira e coordenadora da Vigilncia Epidemiolgica de Urussanga, Robertina Goulart Nunes, os medicamentos ainda no foram liberados. Ainda no recebemos oficialmente um comunicado do Ministrio da Sade, mas acreditamos que quando o Governo Federal comear a liberar o tratamento nacionalmente, at final do ano ele ser disponibilizado em outras cidades da regio e em Urussanga tambm, frisa.
O governo investiu R$ 500 milhes na compra dos trs medicamentos. A estimativa do ministrio da Sade que mais de um milho e quatrocentas mil pessoas estejam infectadas pela hepatite C no Brasil. Cerca de trs mil mortes no Pas so associadas doena.

Projeto de pavimentao da SC-445 d esperana aos moradores da comunidade de Rio Caet

H dcadas, os moradores da comunidade de Rio Caet, em Urussanga, anseiam pela pavimentao da SC-445, rodovia que liga Urussanga a Siderpolis. Para os habitantes da localidade, transitar por esta estrada tem sido uma dificuldade diria e que requer muita pacincia. A diretora da Escola Municipal Ncleo Rio Caet, Rosalba Marcon Zuchinalli afirma que se a pavimentao for realizada, o dia a dia dos motoristas ser facilitado, alm das crianas que utilizam o transporte escolar. Quando chove a situao da estrada to precria, cheia de buracos que chegam a danificar os veculos. O asfalto um sonho para a segurana dos motoristas, acesso e desenvolvimento da localidade. Acredito que muitos sero os benefcios desta pavimentao. Ela vai ainda colaborar com as empresas instaladas aqui e beneficiar as crianas e motoristas que chegaro mais rpido escola e que convivem hoje com a poeira, lama e a estrada em pssimas condies, relata.
O motorista Juciliano Bilk, conhecido como Nano, tambm um exemplo de quem convive diariamente com o problema. Ele trabalha a mais de 15 anos levando e trazendo alunos para a Escola Municipal Ncleo Rio Caet e j passou por situaes complicadas. Os piores dias para dirigir quando chove. J tive que parar na estrada porque tinha caminho atolado e esperar at que tirassem. Uma pavimentao nessa rodovia iria dar mais segurana e qualidade no transporte para as crianas, um desejo muito antigo a pavimentao da SC-455, declara o motorista.
Situaes como estas que, fazem parte do dia a dia das famlias que residem no Rio Caet, podem estar com os dias contados. Na ltima semana, a comunidade recebeu informao de que o projeto de pavimentao da SC-445 est concludo e aguarda pela aprovao para ser includo no BID 7, em 2016. No ltimo dia 16, uma reunio foi realizada entre o Diretor de Planejamento e Projetos do Deinfra e o Prefeito de Sideroplis, Hlio Costa para tratar sobre o assunto. O que temos conhecimento de que o projeto dever ser includo no prximo contrato com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o BID-7. Esse financiamento muito interessante porque no sofre interferncia das dificuldades pelas quais o Brasil passa atualmente. Assim, o risco de ocorrer atrasos nos repasses muito pequeno. Alm disso, a fiscalizao exigida pelo BID em relao qualidade da pavimentao bastante rigorosa, o que bom para ns, explica o Prefeito de Urussanga, Johnny Felippe.

PAVIMENTAO REFLETIR NO DESENVOLVIMENTO DA REGIO

A comunidade do Rio Caet dispe de pontos tursticos para visitao que so pouco explorados pelos turistas, por conta do acesso difcil localidade. O bairro possui um museu instalado no poro da casa de Olindina e Antnio Brognoli com mais de 500 objetos que retratam a histria da cultura italiana no municpio. Este museu fica no centro do Rio Caet onde foi edificada a Igreja de Santo Antnio, construda em 1940. Este monumento tombado e possui valor histrico por guardar pinturas originais desde sua construo. Alm de empresas como a Vitivincola Trevisol, a Fbrica de Delcias e outros empreendimentos locais.
Os moradores sero os mais beneficiados se a obra for concluda, porm conforme o Prefeito Johhny, esta pavimentao facilitar no acesso para os turistas.
uma reivindicao histrica e justa, que felizmente est se encaminhando para os captulos finais. Ser importante porque os turistas tero o acesso facilitado comunidade do Rio Caet, principalmente agora que os municpios produtores de vinho esto criando um roteiro enoturstico em Santa Catarina, diz.
Alm da comunidade de Rio Caet, outras da regio devem ser beneficiadas com a pavimentao, como a comunidade de Rio Deserto, Rio Caet Alto e Baixo e Rio Perso, localizada em Cocal do Sul, bem como, as cidades de Urussanga e Siderpolis que ficaro interligadas, facilitando no transporte de produtos.
A empresria e moradora do Rio Caet, Vanessa Birolo, fabrica doces e salgados para vender e diz que a sua microempresa poderia crescer ainda mais se a SC-445 fosse pavimentada. Vrios clientes j me disseram que no vem at o Rio Caet comprar meus produtos por causa da estrada. J me pediram para vender em Siderpolis, em entregas dirias, mas no cogitei esta possibilidade por saber que teria que transitar numa estrada com lama e buracos, explica Vanessa.
A empresria conta ainda que at mesmo as festas de Santo Antnio que acontecem anualmente so prejudicadas. Nossa comunidade tinha uma das melhores festas de Igreja, mas com esta estrada sempre ruim de trafegar, as pessoas desistem de ir. Ficamos desanimados, porque nossa comunidade teria muito mais valor se fosse fcil de chegar at aqui, observa.
H mais de dois meses a manuteno da rodovia passou a ser feita atravs de uma parceria com o Governo do Estado de Santa Catarina e a Prefeitura Municipal de Urussanga.

Seminrio de Preveno debate integrao entre Apaes e poder pblico

O salo paroquial da Igreja Matriz de Urussanga ficou lotado na tarde de sexta-feira, dia 24, durante o I Seminrio Regional de Preveno das Apaes. O evento contou com a presena de representantes dos municpios da Regio Carbonfera (AMREC), alm de Treze de Maio e Jaguaruna, da Regio de Laguna (AMUREL). A necessidade de maior integrao entre as entidades e as prefeituras, principalmente com as secretarias de sade, assistncia social e educao, norteou o debate.
A Comisso de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficincia da Assembleia Legislativa do Estado (Alesc) tambm esteve presente no encontro e defendeu a solicitao das Apaes.
Indivduos com deficincia intelectual e mltipla necessitam de cuidados que envolvem diferentes especialidades. Por isso, uma ao coordenada com as prefeituras essencial. O seminrio mostrou exemplos que deram certo e que podem ser aplicados na regio, explicou a assistente Janice Krasniak.
O seminrio contou com quatro palestrantes renomados de Santa Catarina e de outros estados. Entre os temas, investimentos em preveno para a reduo de custos com tratamentos e abordagem de aspectos genticos, como a anlise do x-frgil, cromossomo causador de deficincias intelectuais. A coordenadora regional de Sade e Preveno da Federao Catarinense das Apaes, Cristiane DAcampora Guazzi, espera que o aprendizado absorvido no seminrio seja aplicado imediatamente nas Apaes da regio, com auxlio dos municpios. Investir em preveno tornar real a estatstica de que 70% das deficincias podem ser evitadas, frisou.
No encontro ainda foi feito balano do Programa Prevenir, promovido pela Federao das Apaes de SC. A ao est no quarto ano e nos prximos dois ser feito senso para avaliar os resultados. Um folder foi confeccionado e est sendo distribudo com informaes que ajudam a prevenir deficincias.
Queremos agradecer o empenho da Alesc e das diretorias regionais das Apaes, que tornaram o evento um sucesso. Muita informao importante foi compartilhada, destaca o conselheiro fiscal da Federao das Apaes e presidente de Apae de Cricima, Luiz Sidney Citadin.
Ainda este ano sero realizados mais dois seminrios, em Cambori, no Vale do Itaja, e Lages, na Serra catarinense.

Um pouco sobre cultura

H alguns meses, por acaso me envolvi com o cinema de Urussanga. No comeo eu exibia um filme por semana, nas quintas-feiras. Iam somente parentes e conhecidos. Dois amigos apresentavam filmes nas sextas, e tudo no passava de brincadeira. Mas o gosto e o envolvimento com o negcio foi crescendo, e hoje ns gerenciamos todas as atividades do CineMult 3D Urussanga, que pertence ONG Multiplicando Talentos. Ns somos os representantes da comunidade gerindo um patrimnio que da prpria comunidade. Semana passada, fizemos uma exibio do filme O Rei Leo, em 3D, com entrada franca. Superlotou. Cometemos a imprudncia de ultrapassar os 50 lugares da sala para que crianas no fossem embora chorando. Mesmo assim, j havia uma lista cheia para a sesso da semana seguinte, e vrias outras tero de ser realizadas para atender a enorme demanda. No final todo mundo saiu feliz, satisfeito, emocionado. Aquilo, sim, foi uma sesso de cinema, um grupo de pessoas confraternizando a experincia e a sublimao de sentimentos. O Rei Leo baseado em Hamlet, uma das obras mais importantes de Shakespeare. Nela, o prncipe Hamlet tenta vingar a morte de seu pai, assassinado pelo irmo, que no momento seguinte apodera-se do trono. Tudo como na fbula da Disney. Mesmo sem saber, aquelas pessoas que foram apenas assistir a uma famosa animao em 3D tiveram um contato extraordinrio com a literatura universal. Seus imaginrios tiveram de confrontar temas como traio, vingana, corrupo e moralidade. Shakespeare, mesmo em desenho, essencial. Ns vamos continuar nos esforando para manter aberto o cinema em Urussanga. Por pouco ele no foi transferido para Turvo ou para Balnerio Rinco. O povo est ajudando. J mostrou que, respeitadas as suas preferncias de estilo e horrio, tem disposio para apoderar-se do local e viver ali bons momentos de diverso, reflexo e comunho. Se eu puder pedir algo ao leitor que conseguiu chegar at aqui, peo que nos ajude a no deixar morrer o cinema. Acreditamos estar dando nossa singela contribuio para a cultura na cidade.

Urussanga ter turno nico a partir da prxima semana

Nota

Urussanga comea nos prximos dias a colocar em prtica o pacote de medidas para reduzir despesas. A partir da prxima segunda-feira, dia 3, o expediente ser reduzido para turno nico, das 7 s 13 horas. O municpio tambm cortar todas as horas extras, assim como as novas contrataes.
Alm das medidas que foram definidas em reunio com os secretrios na segunda-feira (27), outras ainda esto sendo analisadas, como a elaborao de um Plano de Demisso Voluntria. O corte das horas extras no se aplica aos casos definidos em acordo coletivo. A compreenso e o empenho dos trabalhadores ser muito importante para economizar de todas as maneiras possveis, sem comprometer o bom trabalho que os servidores vm realizando, afirma o prefeito de Urussanga, Johnny Felippe. Nos prximos dias, o municpio tambm lanar o Programa de Recuperao Fiscal (Refis).

Queda na
arrecadao
As medidas tm por objetivo adequar as finanas do municpio s quedas drsticas na arrecadao de 2015 e permitir o cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal. Neste ano, todo o magistrio teve reajuste salarial de 13% e os demais servidores de 9%, num perodo em que a inflao foi de 8,3%. Ao mesmo tempo, a arrecadao do municpio com transferncias federais e estaduais subiu menos de 6%. Apesar dos cortes, o municpio manter as obras em andamento. Ainda neste ano vamos inaugurar as pavimentaes da Avenida Longarone, do acesso ao Rio Amrica, a Praa de Esportes e Lazer do Bairro da Estao, as unidades bsicas de sade e as 55 casas populares do Minha Casa Minha Vida, assegura o prefeito. Outros R$ 800 mil em pavimentaes devem ser lanados neste ano, como resultado de emendas parlamentares dos deputados Ronaldo Benedet, Edinho Bez e Dcio Lima.

Praa Anita Garibaldi ser modelo de acessibilidade

Acessibilidade ser o foco do novo projeto de revitalizao da Praa Anita Garibaldi. Em entrevista ao Jornal Vanguarda, mesmo em perodo de frias, o vice-prefeito de Urussanga, Luiz Henrique Martins informou que os tcnicos do Departamento de Planejamento da Prefeitura Municipal esto elaborando um projeto sem edificaes no interior ou entorno da praa para apresentar a Fundao Catarinense de Cultura (FCC).
Tomamos esta deciso em virtude da interveno da FCC e do movimento dos cidados de Urussanga. Isso fez com que o prefeito Johnny, eu e toda a equipe do Deplan reavalissemos todo projeto. Agora a ideia revitalizar a praa sem construo, ou seja, no sero levantados tijolos, frisa.
A obra ser direcionada para a acessibilidade, alm de focar no melhoramento das caladas, passagens para pedestres, iluminao, fiao eltrica, acomodaes para visitantes e populao (bancos), reforma do coreto, paisagismo, entre outros elementos. Segundo o vice-prefeito, a praa central da cidade ser um modelo de acessibilidade para a regio.
O projeto ser nesta linha de raciocnio. O conceito da praa ser este. Certamente seremos modelo em acessibilidade para toda regio. Nossa praa ser a mais bela tambm. Portanto, toda a discusso envolvendo a sociedade foi positiva para o projeto final. E isso mostrou que a nossa administrao sabe ouvir, avaliar seus atos e recuar, se for necessrio, salienta o vice-prefeito.
Conforme Luiz Henrique, o valor de R$ 700 mil oriundo do Ministrio do Turismo ser aplicado em sua totalidade neste novo projeto. Os prximos passos sero finalizar o projeto, envi-lo para a FCC, aguardar a aprovao e encaminh-lo posteriormente Caixa, conclui.

Urussanga sedia debate estadual sobre enoturismo

Urussanga sediar, no dia 4 de agosto, uma reunio para formao do grupo de trabalho que planejar aes para fortalecer o enoturismo catarinense. Integram o grupo de trabalho a Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte (SOL), gestores municipais de cultura e turismo, vitivinicultores e associaes de produtores de vinho. O encontro ser na Vigna Mazon, a partir das 10 horas. Conseguimos trazer este debate para Urussanga, devido a nossa Indicao Geogrfica e tambm pela cidade de Videira ter sido gentil e cedido para ser aqui, comenta o Presidente da Pr-Goethe de Urussanga, Renato Damian.
A inteno desenvolver o setor de forma integrada, contemplando todas as regies produtoras. Nessa reunio vamos tratar do regimento interno do grupo de trabalho. Queremos criar rotas que envolvam, alm do vinho, a gastronomia e as tradies de cada local, explica a diretora de Cultura e Turismo de Urussanga, Raquel Termehr.
Segundo Damian, o Estado de SC est unido na mesma ideia sobre o enoturismo. Temos muitas belezas naturais com uma cultura bem diversificada e isso faz com que o turista tenha interesse em visitar. Em SC, temos vinhos de litoral, de altitude, meio oeste e norte, e todos querem um roteiro enoturstico para divulgar, afirma.
Durante o debate haver uma discusso para traar um roteiro Estadual de enoturismo, que comearia pelos Vales da Uva Goethe, passando pela Serra, avistando as paisagens at o meio oeste, sendo que o caminho pode ser realizado ao inverso.
Trabalhando em conjunto todos saem ganhando, pois, ser uma divulgao do que temos a oferecer aos turistas. muito importante que a SOL est interessada em nos ouvir para desenvolvermos esta rea, finaliza Damian.
A Associao Pr-Goethe, responsvel pelos recentes avanos na divulgao dos vinhos e espumantes Goethe, atribui a evoluo conquista do selo de Indicao Geogrfica de Procedncia (IGP). A marca garante que o produto tem origem nos Vales da Uva Goethe, e nenhuma outra regio catarinense tem o selo IGP.

Amor alm do comum lanado em noite de autgrafos

Amor alm do comum foi lanado no ltimo sbado, dia 18, pela escritora Silvia Goulart Vidoto. O evento aconteceu no Restaurante Marias e Rosa e contou com a presena de escritores, poetas, familiares e amigos da escritora.
Mais de cinquenta pessoas estiveram presentes no lanamento do livro, dentre elas presenas importantes como a do Poeta Clio Gilberto Silva, Declamador Celso Souza, Dione Cardoso, escritores e artistas de Cricima, Sango e Jaguaruna. O evento foi animado pelo cantor e compositor Giovany Correa, de Cocal do Sul.
Os livros estaro venda com a escritora, no valor de 15 reais. A compra pode ser feita pelo Facebook Silvia Goulart Vidoto ou pelo e-mail silviagoulartvidoto@gmail.com.
Agradeo a todos que me ajudaram a realizar esse sonho, em especial advogado Mauro Felippe que patrocinou meu livro. Aos radialistas, Rosenei, Rosemar, Rozana e Karla Ribeiro pelo espao para a divulgao. Aos proprietrios do Restaurante Marias e Rosa que cederam o espao para o evento, tambm ao Supermercado So Pedro. Alm da famlia e amigos que sempre esto me apoiando, finaliza Silvia.

Municpio prepara pacote de reduo de despesas

O prefeito de Urussanga, Johnny Felippe, deve anunciar nos prximos dias um pacote de medidas para reduzir as despesas da Administrao Municipal. De acordo com o prefeito, as providncias so necessrias para adequar as finanas situao econmica do pas. Na prxima segunda-feira teremos uma reunio com os secretrios e diretores, quando apresentaremos as medidas adotadas, depois de mais de duas semanas conversando com eles e ouvindo sugestes, antecipa o prefeito. Segundo Johnny, entre as medidas, provvel que seja antecipada a reduo do horrio de expediente, que sempre ocorre no fim do ano. Tudo ainda est sendo analisado pela nossa Secretaria de Administrao e Finanas. Estamos fazendo projees e, por enquanto, a possibilidade de exoneraes no est na nossa pauta, embora no esteja descartada, explica.Em 2015, as transferncias estaduais e federais, como o FPM e o ICMS, reduziram drasticamente, considerando a inflao. Junho foi o ms mais difcil dos ltimos anos. Todos os nossos custos se elevaram de forma drstica, enquanto os repasses diminuram, continua Johnny. Essas medidas so temporrias. Acreditamos que a situao v melhorar a partir de janeiro, prev. De acordo com Johnny, as obras no sero impactadas pelas medidas de reduo de despesas.
Vamos inaugurar vrias obras e iniciar mais algumas. S com pavimentaes, neste semestre vamos investir mais de R$ 800 mil, graas s emendas parlamentares dos deputados Ronaldo Benedet, Edinho Bez e Dcio Lima, afirma o prefeito.

Colnia de Frias proporciona lazer e diverso a crianas em contato com a natureza

O olhar apreensivo da pequena Sofia Scaini, de 5 anos, demonstrava seu medo ao estar cavalgando pela primeira vez no Centro de Equitao EquoNunes, na localidade de Rio Molha. O medo da criana foi sumindo medida que os minutos seguintes foram sendo vivenciados com troca de carinhos, afeto e de cumplicidade entre a menina e o cavalo sob a orientao e acompanhamento da monitora e scio-proprietria do EquoNunes, Maria da Gloria Pillon Nunes.
A atividade de interao com os cavalos integra o roteiro da Colnia de Frias oferecida pelo espao anualmente no ms de julho desde 2012. O objetivo da ao acolher crianas, adolescentes e pais e proporcionar momentos de lazer e diverso em contato com a natureza durante o perodo de recesso escolar. Nesta poca das frias, na metade do ano, os pais no tm tanta atividade para aplicar com os filhos, ao contrrio do que acontece durante o vero. A pedido dos pais idealizamos esta Colnia de Frias como uma opo de entretenimento tirando as crianas da cidade, das tecnologias, para vivenciar o dia no campo, explicou Gloria.
Alm de passeios a cavalo, as crianas tambm participam de brincadeiras ao ar livre, interagem com cachorras da raa border collie e apreciam os sabores do campo atravs de refeies. O empreendimento EquoNunes atende grupos de 5 a 10 crianas, a partir dos 5 anos, e oferece trs opes de vivencias sempre acompanhados de monitores da equipe EquoNunes. Os participantes podem chegar at o local no perodo noturno, descansar, interagir por meio das atividades e ir embora ao final da tarde, permanecer apenas no perodo vespertino ou ficar na Colnia de Frias na parte da manh estendendo at a tarde. Quando as crianas chegam, logo apresentamos os cavalos, eles conhecem a propriedade, brincam de balano, de descer o morro gramado na canoa de coqueiros. J noite eles jantam, quando acordam tomam caf da manh, montam a cavalo, depois mais brincadeiras no campo, enfim, algo bem rural e at para dias de chuva temos espao coberto. As crianas chegam ansiosas e saem bem satisfeitas. Vindo para c elas esto brincando, aprendendo e esto vendo as atividades do dia a dia do campo longe do computador, do celular, ressaltou.
A dona de casa Magali Colle, de Cricima, me de Sofia Scaini, de 5 anos, e de David, de 7 anos, trouxe os filhos para passar uma tarde diferente na quarta-feira, dia 22. Eu gosto de cavalos e o passeio foi muito bom. Quero fazer aulas aqui, disse David me. Beatriz Manarin, de 7 anos, realizou o sonho de andar a cavalo. Gostei muito de estar aqui, pois a natureza bonita e bem melhor que ficar em casa no computador, frisou. A me de Beatriz, Vanessa Cavanholi, pretende trazer a filha novamente a Colnia de Frias. Tirar ela de dentro de casa para viver um pouco em contato com a natureza tudo de bom. Pretendemos voltar logo, finalizou.

INSS de Urussanga est em greve

Desde o dia 16, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) de Urussanga aderiu greve dos servidores do INSS. J so 12 agncias na regio que paralisaram as atividades em busca de direitos. Em Urussanga nove funcionrios paralisaram as atividades, sendo que alguns esto de frias e outros em benefcios.
O nico servio que continua disponvel no municpio o de percia mdica que acontece atravs de agendamento pelo telefone 135. Segundo a Tcnica de Seguro Social de Urussanga, Judith Meneghel Olivo, a greve no tem previso de acabar. Estamos em negociao com o Governo e at que no se chegue a um acordo, a greve continua. Estamos lutando pelos nossos direitos e para que haja melhores condies de trabalho, comenta.
Os servidores lutam por reduo da jornada de trabalho para 30 horas para todos, reajuste salarial, incorporao das gratificaes aos salrios, concurso pblico, melhores condies de trabalho e outros. Os pedidos que mais estamos chamando ateno para as gratificaes que, por exemplo, em Urussanga a maior parte dos servidores tem idade para se aposentar, mas continuam trabalhando porque aps o aposento recebem metade do salrio anterior, explica Coordenador Regional de Greve, Joo Paulo Silvano Silvestre.

A rdua tarefa de agradar o consumidor na mesa

Mais importante do que esbanjar beleza cultivar um alimento saudvel sem agrotxico. desta forma que pensa e trabalha o agricultor Jos Carara, de 65 anos, e sua esposa, Gracia Cataneo Carara, de 63 anos. H 26 anos, Carara dedica seu tempo a vida no campo voltado para o cultivo de hortalias, na localidade de Linha Rio Maior.
Na propriedade de dois hectares, os tons de verde predominam e encantam os visitantes. No local, Carara investe no plantio de alface, beterraba, couve-flor, cenoura, repolho brcolis e temperos. Todos os dias, a partir das 7 horas da manh, Jos e Gracia iniciam a rotina de trabalho organizando o terreno. Depois que os gados aram a propriedade, Jos comea a carpir com a enxada, enquanto a esposa se concentra na retirada do mato indesejado com as prprias mos.
A rdua tarefa diria visa evitar o uso de agrotxicos para garantir um alimento saudvel na mesa do consumidor. Para Carara, o segredo de manter a plantao e a qualidade dos frutos est no cuidado e preparo da terra. O que eu vendo o que eu como. Por isso uso apenas medicamento orgnico para oferecer aos meus clientes verduras saudveis, diferente da maioria dos produtores. Quando vou ao mercado, percebo pelo cheiro os alimentos que recebem veneno. Minha esposa tem todo o cuidado de tirar o mato com as mos, conta o agricultor Jos Carara.
Durante duas horas, o casal consegue carpir o local onde est o plantio de dois mil ps de alface, realidade oposta ao tempo de trabalho de quem utiliza agrotxico. Enquanto ns limpamos com as mos uma rea de 20 por 20 metros, aqueles que usam veneno conseguem organizar cinco hectares, explica.
Ao cuidar da sade e do meio ambiente ao optar por no usar veneno, Carara encara a difcil empreitada de convencer o consumidor de que beleza no garante a qualidade. A poca dos bichos baterem de maro a maio. s vezes isso prejudica a parte bonita do produto para a venda, mas isso no quer dizer que o alimento no seja bom e pode enganar o cliente. A maioria das pessoas no entende a qualidade do produto e no somos valorizados. Elas no comparam o tamanho do p, de onde vem e o trabalho que passamos. Pensei at em parar de cultivar no ano passado, salienta.
O resultado do apreo do casal pela lavoura reflete nas condies dos alimentos. Neste ano, Carara chegou a colher um p de alface hbrido de 700 gramas e brcolis de um quilo. Nossa terra caprichada. S no esterco. A engenheira agrnoma da Epagri disse para ns que a terra at tinha esterco demais. Tambm damos um jeito de espantar as lebres com um espantalho com cheiro de perfume, entre outros segredos do cultivo, salienta Gracia.