O auge das cervejas artesanais em Urussanga

A poca vivenciada entre 1910 e 1940 em Urussanga exigia independncia e autossustento das famlias de imigrantes italianos mesmo aps os 30 anos de fundao da cidade. Giovanni Damian, proprietrio da primeira casa comercial no municpio em 1896, faleceu em 1900 e deixou a esposa Lucia De Bona Damian e 12 filhos.
Lucia era uma mulher de garra e precisava sustentar os filhos. Em outubro de 1912, um livro de registro guardado pelo neto de Lucia, Hedi Damian, de 87 anos, apresenta o incio de uma cervejaria e as primeiras movimentaes financeiras. Naquele tempo no era to fcil conseguir cerveja. Ento fabricar a caseira artesanalmente era uma maneira de ter a bebida para o consumo prprio. Alm disso, a Lucia conseguia utilizar o dinheiro para sustentar a famlia. O local de produo era em uma casa ao lado da Farmacentro, antiga residncia de Iva Damian, comenta.
Conforme registros, a cerveja denominada Lybia foi comercializada pela famlia Damian entre 1912 e 1938 sob a responsabilidade de Lucia e do filho mais velho, Damio Damian. A Lybia era bem conhecida. Recordo ainda das garrafas e do rtulo. Lembro que a garrafa era revestida com um cartucho feito de palha de arroz e trigo e as garrafas eram colocadas em uma caixa de madeira, dividida ao meio, cabendo duas dzias. Para enviar para outra cidade a caixa era pregada e passava uma cinta de ferro. Em 1938, eu com nove anos, ajudava a colocar as garrafas nas caixas, explica.
Livia Damian Belloli, de 91 anos, filha de Artemio Damian e Seraphina Zanellato, tambm guarda um livro de registro da fbrica da av com dados dos impostos a pagar e das vendas dirias. Em maro de 1927, o filho de Lucia, Artemio, era o responsvel pela produo da cerveja. Minha me contava que ela levantava a meia noite para ajudar o marido a fazer a cerveja. Eles acendiam o fogo, acredito que para a fermentao, e que era um processo muito trabalhoso. Faziam cerveja preta e branca. Minha me Seraphina era o brao direito de meu pai Artemio. Ela contava que quando se casava tinha que viver de acordo com marido, ser companheira. Meu pai perguntava para ela se ela estava precisando comprar algo naquele ms e quando minha me dizia que no precisava, ele logo dizia que ia usar o dinheiro para pagar a cevada vista para ganhar uma saca de presente. Tales Puccini, pai do goleiro Puccini, afirmava que a cerveja era muito boa, conta Livia.
A ltima assinatura de Artemio Damian ocorreu em 30 de junho de 1929. Dias depois ele veio a falecer e a produo e comercializao da cerveja foi interrompida durante 15 dias. Em 15 de julho de 1929, Damio Damian, irmo de Artemio, comeou a auxiliar a Seraphina nos negcios. A exemplo da sogra Lucia, a viva Seraphina cuidou de trs filhos e tocou a cervejaria durante um curto perodo.
Mesmo viva minha me ia para a roa com a sogra, minha av Lucia. Trabalhava na roa, fazia cerveja, lavava as roupas, cuidava dos filhos. Madalena De Cesaro dizia que a minha me, conhecida como Catina, era a mulher que mais tinha trabalhado em Urussanga naquela poca, recorda.
Em 15 de abril de 1930, outro irmo de Artemio, Viatore Damian tambm ajudou Seraphina e passou a assinar o livro registro. A ltima anotao, feita em 31 de julho de 1930, foi assinada por Viatore. O cunhado da minha me pegou a cervejaria e foi tocar. Depois ele tambm vendeu para outra famlia. A cervejaria ficou fechada por muito tempo, frisa. Livia Damian Belloli, neta de Lucia De Bona Damian e filha de Artemio e Seraphina, ainda guarda um termmetro utilizado na cervejaria.

Trento, Giacone e Vergnano:uma sociedade com grande produo artesanal

O mdico Dr. Victorio Giacone, conhecido na cidade, decidiu apostar em uma atividade econmica em Urussanga no incio da dcada de 30. Giacone vislumbrou a implantao de uma fbrica de cerveja e de balas de caramelo em meio hectare de terra doado por Frederico Zanin. Para ingressar o negcio, o mdico convidou Sylvio Trento e Bartolomeo Vergnano para formar uma sociedade.
Estes dados esto registrados em um livro da Firma Trento & Cia, preservado pela nora de Sylvio, Olga Trento, de 97 anos. A sociedade iniciou com a aplicao de um capital de 2.000.000 ris feito por cada scio. A sede da cervejaria ficava em uma edificao no bairro Estao, atualmente de propriedade da famlia Zanin. No local, os empreendedores desviaram o Rio Salto por meio de um canal de 1.500 metros de comprimento para mover a matriz energtica: uma roda dgua de 10 metros de altura. A captao de gua era transformada em energia para mover os mecanismos de produo da cerveja como, por exemplo, uma engrenagem de trs metros de altura.
Dr. Giacone chegou a fazer um teste da gua no hospital, pois a nascente era entre duas pedras. No local da produo armazenavam uns quatro mil litros de gua. A potncia da roda era de mais ou menos 10 cavalos. Toda noite um carro de boi levava as cervejas para enviar no trem para Tubaro. Alm disso, pelo que meu pai Mrio Zanin contava, um pequeno caminho por semana era vendido com a produo de cerveja preta e branca. Uma vez chegou at a tombar uma carga e a cerveja foi rio abaixo junto com o prejuzo. Os insumos como cevada, lpulo, eram importados para produzir aproximadamente 1.500 garrafas por semana, conta Frederico Zanin, filho de Mario e neto de Frederico.
De acordo com o livro de registro de Sylvio Trento, em fevereiro de 1933, os scios adquiriram 20 mil rtulos, 200 quilos de lpulo, 300 quilos de cevada e 10 mil tampinhas. O arquivo tambm mostra os mveis e as mquinas adquiridas no ano pelos empresrios e tambm registram a produo de sorvete e gelo no local. Em uma de suas viagens a Itlia, Dr. Giacone foi assassinado devido ao seu relacionamento com uma mulher casada. Os registros seguintes aos da cervejaria feitos por Sylvio Trento mostram a abertura de uma olaria em 1937 junto com Frederico Zanin.
O Dr. Giacone trouxe um amigo da Itlia com a ideia de montar uma fbrica de chocolate tambm naquela poca. Quando ele faleceu o amigo pegou a mquina e montou uma boa confeitaria em Curitiba na Rua 15 de novembro. Isso resultou em um grande golpe para meu sogro, pois ele pagou todas as contas que ficaram e eles haviam pedido muitos emprstimos para colonos por causa desta mquina. Depois meu sogro continuou fazendo a produo da cerveja em sua casa, na Praa Anita Garibaldi, apenas para consumo prprio e de amigos, finaliza Olga Trento.

Imigrante De Bona vislumbracerveja Alpini

O pequeno povoado de Igne, em Longarone, na Itlia, prximo a regio dos alpes, foi a inspirao para o negcio do imigrante italiano Vincenzo De Bona. Entre a dcada de 20 e metade de 30, Vincenzo iniciou a produo de cerveja artesanal. Denominada Cerveja Alpini, de Vicente De Bona, a bebida era destinada a poucos e bons amigos.
Nasci em 1924 e quando pequeno dei umas bicadinhas na cerveja caseira branca. Era gostosa, mas as cervejas que vinham de So Paulo eram melhores. De vez em quando estourava uma garrafa devido presso. Meu av tinha seu depsito e local de produo embaixo da sua casa, onde hoje a DS Travel. A cerveja no podia deixar muito tempo, consumir dentro de 15 a 20 dias. E a gua para a produo era tirada de um poo com uma bomba na prpria casa. Tudo improvisado, conta o neto de Vincenzo, Lauro De Bona, de 91 anos.
O bisneto de Vincenzo, Vicente De Bona Filho, ainda guarda o molde do rtulo da cervejaria. O objeto de madeira foi talhado com as letras ao contrrio, a canivete, pelo prprio imigrante italiano. Para confeco do rtulo, ele pintava as letras para estampar o papel. A famlia j tinha essa habilidade com madeira e trouxe de Igne. Sua origem italiana tambm foi o motivado para dar nome a cerveja. Vincenzo faleceu em 1935 com 65 anos, comenta.

Como cuidar da horta orgnica domstica, no inverno

Algumas espcies de hortalias, pertencentes famlia botnica das cucurbitceas (pepino, moranga, abboras, melo e melancia) e solanceas (tomate, batata, pimento, pimenta e berinjela) no se desenvolvem bem no inverno e sofrem especialmente com as geadas. Por isso, estas espcies no so recomendadas para o plantio no outono e inverno, nas regies Sul e Sudeste do Brasil. As demais hortalias, embora mais tolerantes e mais adaptadas para o plantio nestas pocas, no suportam geadas fortes e frequentes, quando cultivadas cu aberto, sem nenhuma proteo. importante destacar que o frio, embora no seja bom para algumas plantas, muito til no combate das principais pragas e doenas, reduzindo e at exterminando.
Proteo contra as geadas: Uma dica importante que pode ajudar muito para saber se vai haver a formao de geadas verificar a temperatura do ar no incio da noite. Se a temperatura estiver em torno de 13 graus e no estiver chovendo, bem provvelque ocorra geadas na madrugada seguinte. Neste caso, deve-se providenciar a cobertura total das plantas com algum material opaco (papel pardo, palhada, sacos de algodo, plstico e at o sombrite), no final do dia. O importante no deixar as folhas das plantas perder calor por irradiao para a atmosfera e, em consequncia congelar. Convm destacar que as folhas e palhadas, alm de servir como isolante trmico, ajudam a repor a matria orgnica, melhorando a fertilidade do solo. As coberturas devem serem retiradas no incio do dia e caso, ocorra mais geadas, recoloc-las novamente no incio da noite.
Irrigao das plantas: Outra dica importante durante o inverno, irrigar as plantas somente quando a terra comear a secar, porque o frio reduz a evaporao da gua. Por isso, nada de colocar gua em excesso, pois pode favorecer o desenvolvimento de fungos. Quando necessrio irrigar, fazer pela manh para que as folhas no fiquem molhadas noite, pois algumas espcies so mais sensveis s doenas causadas pelos fungos que so favorecidos pelo excesso de umidade nas folhas.
Adubao de cobertura das plantas:Se a planta bem nutrida, tem mais resistncia e mais condies de se defender de algum ataque de pragas, doenas e outros estresses causados por fatores climticos. Por isso, recomenda-se pelo menos uma aplicao, preferencialmente de composto orgnico na quantidade de 1 a 2 kg/m2, 40 a 50 dias aps a semeadura ou transplante. No havendo disponvel o composto orgnico, pode-se utilizar os estrumes de gado (1 a 2 kg/m2) ou de aves (0,5 kg/m2), desde que estejam bem curtidos. Outra alternativa a adubao foliar das plantas com o chorume do composto orgnico. Modo de preparar: deixar 20 kg de composto orgnico secar sombra, peneir-lo e coloc-lo num saco permevel, amarrando-o na boca. Colocar o saco num recipiente com capacidade de 100 L, completando-o com 35 L de gua. Sacudir bem o saco e deixar descansar por 10 minutos. O chorume resultante no recipiente pode ser utilizado puro sobre as plantas ou no solo, com regador ou pulverizador.

Pesquisadores da Epagri participam de simpsio em Minas Gerais

O VIII SIBANANA (Simpsio Brasileiro sobre Bananicultura) aconteceu em Montes Claros, norte de Minas Gerais, em junho. Os pesquisadores Mrcio Snego e Luiz Augusto Martins Peruch apresentaram sete artigos durante o evento.
Os temas abordados foram sobre agrometeorologia, variedades de bananas, manejo da lavoura e controle do mal-deSigatoka, todos sobre pesquisas feitas com o cultivo de banana pela Estao Experimental de Urussanga.
Todos os anos os pesquisadores participam do SIBANANA. Ano passado foi em Cuiab, este ano em Minas Gerais, e ano que vem tem um mundial na Costa Rica e um nacional no Maranho. Sempre que conseguimos patrocinador, vamos e apresentamos trabalhos, comenta Snego. Os pesquisadores foram premiados como os dois melhores trabalhos na classificao de estudante e profissional. O trabalho intitulado como Sistema Telemtrico de Avisos Agrometeorolgicos para a Bananicultura de Santa Catarina foi escolhido como o melhor do simpsio no quesito profissional. O trabalho descreve o uso dos dados meteorolgicos para ajudar na tomada de deciso quanto ao uso de adubos e defensivos nos bananais, baseado nas informaes de tempo e de clima. um programa que vem sendo desenvolvido pela Estao Experimental de Urussanga em parceria com o setor de meteorologia da Epagri de Florianpolis, o CIRAM, explica Snego.
No ltimo dia do evento Snego e Peruch realizaram uma visita tcnica ao permetro irrigado de Janaba, extremo norte de Minas Gerais, onde a gua do Rio So Francisco usada para a irrigao de lavouras de gros e pomares de frutas. So projetos grandes, financiados pelo Governo Federal e Estadual. Infelizmente este projeto no se aplica na nossa regio, devido ao excesso de chuvas. Esta visita marcou muito a desigualdade social, devido relao entre patro e empregado. J aqui na regio, nosso modelo de produo de propriedade familiar rural, onde os produtores e suas famlias so os responsveis por produzir e at comercializar. Isto enobrece nosso produtor rural e faz dele um verdadeiro empreendedor, afirma Snego.

Projeto de pavimentao alimenta sonho de moradores

A estrada que emite poeira nas residncias de diversos moradores da localidade de Linha Rio Maior, que liga a comunidade de Rancho dos Bugres, poder receber camada asfltica depois de anos de luta e empenho em prol desta pavimentao. Aps fecharem a estrada que liga Urussanga a Pedras Grandes em outubro do ano passado e depois de conversarem com representantes da Prefeitura Municipal, os moradores da comunidade conheceram, na ltima quinta-feira, dia 18, o projeto de pavimentao asfltica elaborado pelo Departamento de Planejamento. A apresentao foi feita pelo prefeito, Johnny Felippe, pelo vice, Luiz Henrique Martins, e por tcnicos do setor responsvel.
O projeto contempla um trajeto de 1,2 quilmetro que integra a Rodovia da Imigrao, um roteiro turstico que refaz o caminho trilhado pelos imigrantes italianos na poca da colonizao. A estrada no seu percurso total liga o centro histrico de Urussanga, passa por Azambuja at chegar ao centro histrico de Pedras Grandes.
A obra iniciaria no ponto onde termina a pavimentao com paraleleppedos no Rancho dos Bugres e segue at no local onde existe uma propriedade com armazenamento de ferro antigo. Estamos atendendo a uma antiga reivindicao da comunidade. Foi investido R$ 14 mil para elaborar este projeto e agora os moradores esto mobilizados de forma organizada para ir em busca dos recursos, explica o diretor do Departamento de Planejamento, Jorcio Zucchinali.
O projeto foi cadastrado no Ministrio do Turismo e o investimento necessrio estimado de R$ 1,7 milho. A obra j contempla acostamento dos dois lados. um projeto j preparado para o futuro. Devido a uma curva acentuada e aps a doao de um terreno feita por um morador haver uma pequena mudana no trajeto atual, explicou o engenheiro Suele Tibes.
Durante a reunio com a Prefeitura, o morador Everaldo Savi Mondo se disse satisfeito com os encaminhamentos. S temos a agradecer. A Administrao Municipal est se empenhando muito, avaliou. Segundo o morador Carlos Soratto, o ex-prefeito e ex-deputado Ruberval Pilotto visitou o Ministro do Turismo na ltima semana e apresentou um resumo do projeto. Na prxima semana, Pilotto e os moradores iro se reunir para discutir os encaminhamentos. O empenho da comunidade a partir de agora ser voltado para a captao de recursos. Agora ns precisamos que cada um cobre do governador, do vice e dos deputados para que essa obra seja executada. Ns vamos fazer a nossa parte e pedimos para que a comunidade tambm faa, pontuou o prefeito.

Maxssul Mendona ordenado Padre

Na tarde do dia 20, mais de mil fiis participaram da Santa Missa com o rito de Ordenao Presbiteral do ento Dicono Maxssul da Rosa Mendona. A celebrao foi presidida pelo bispo da Diocese de Cricima, Dom Jacinto Incio Flach e concelebrada por dezenas de padres, na Igreja Imaculado Corao de Maria, em Lauro Mller.
O pedido de ordem do candidato foi feito pelo proco da Parquia Nossa Senhora Me dos Homens, Padre Antnio Madeira. Em seguida, o reitor do Seminrio Teolgico Bom Pastor, Padre Oscar Pietsch, deu seu testemunho sobre o jovem vocacionado.
O Dicono Maxssul ama a Igreja, ama a liturgia. Tem zelo pastoral. Na vida espiritual, tem desejo de Deus. Homem de compaixo pela dor dos outros, ama Nossa Senhora, amigo dos santos e santas de Deus, quer ser padre segundo o Corao de Jesus, o Bom Pastor. Dom Jacinto, o Dicono Maxssul nasceu para ser padre, tem caractersticas prprias de um padre diocesano. Com a responsabilidade de reitor, padrinho, diretor espiritual e amigo, digo que seu ministrio ser uma grande beno para a Igreja, afirmou o Reitor.
Durante sua homilia, o bispo diocesano, Dom Jacinto Flach manifestou sua alegria em ordenar mais um sacerdote para a Igreja e recordou o lema escolhido para a ordenao, Senhor, Tu sabes tudo, Tu sabes que eu Te amo (Jo 21,17b). O lema que escolhestes e vais procurar viver durante tua vida algo muito importante. No s para bonito, para ser vivido, transformado em vida, no dia a dia. Quando Pedro prometeu ao Senhor que o amava, o Senhor no precisava de muita coisa no, precisava apenas saber: Tu me amas, Pedro? E ele respondeu positivo: Sim, tu sabes que eu te amo. Para servir na Igreja do Senhor suficiente isto: amar. Amar e deixar-se amar. E foi o que fez Pedro, o homem que doou sua vida totalmente ao Senhor, at dar o testemunho extremo de sua morte na cruz, disse o Bispo.
O bispo pediu ao ordenante que tenha misericrdia para com os pecadores, pequenos e humildes. Ns no somos para julgar, ns somos para acolher. Ns somos para ter a misericrdia em nosso corao. isto o que a Igreja espera de seus pastores e espera de todos ns: uma Igreja mais misericordiosa, para que mais possam se sentir includos, amados e acolhidos nesta Igreja, porque assim que o Senhor nos ensina, frisou.
Aps as palavras, deu-se sequncia ao rito, com o propsito do eleito, a ladainha de todos os santos e a imposio das mos e prece de ordenao, feitas pelo bispo. Depois, o padre foi revestido com a estola e a casula por seus pais, Hlio e Vernica, e teve as mos ungidas com o leo da Crisma por Dom Jacinto.
Ao final da celebrao, o j ordenado Padre Maxssul agradeceu a Deus o dom da vocao, semeada na famlia e confirmada nos 14 anos que viveu no seminrio. O neo-sacerdote manifestou sua gratido a todos os que lhe foram prximos, ajudaram e rezaram por ele durante esse tempo de estudos, pastoral e discernimento e queles que o acompanharam durante a Semana Vocacional. Meu ltimo sentimento de confiana na graa de Deus. Hoje comeo a reescrever uma nova histria na minha vida. Ao assumir, neste dia, o ministrio presbiteral, quero dar o meu melhor e o meu tudo a Deus e ao servio da Igreja na eclesiologia do Vaticano II. Escolhi como lema Senhor, tu sabes tudo, tu sabes que eu te amo.
Acredito que a experincia da vocao sempre uma experincia do mistrio e do amor. S quem ama sai de si. S quem ama renuncia. S quem ama volta atrs e perdoa. S quem ama assume um sim para cada dia. Peo que me ajudem a ser padre. Que me corrijam, que me acolham. Tenho conscincia que a misso no minha, que sou apenas um colaborador, um instrumento. A obra Dele. Deus, nos seus desgnios, chama quem Ele quer, como Ele quer e prepara para o que Ele quer, declarou Padre Maxssul.
Aps a celebrao, o padre recebeu o carinho dos fiis, que confraternizaram com ele no salo de festas da Parquia.

Mais de mil Fiis participam da celebrao da primeira missa

O ltimo domingo, 21, ficar marcado na vida do Padre Maxssul. Depois de ordenado, ele celebrou a sua primeira missa na Igreja Nossa Senhora da Conceio, de Urussanga. Acolhido por centenas de fiis, visitantes e pastorais, a celebrao contou ainda com a presena do Proco de Urussanga, Jiovani Manique Barreto, Padres Carlos Weck, Jos Aires, Oscar Paulo Pietsch e Renato Quezini . Foi um momento que marcou o incio da vida do Padre Maxssul. Agora como sacerdote, Maxssul continuar realizando um timo trabalho em nossa parquia, afirma Pe. Jiovani. A celebrao especial foi animada por um grupo de adultos e catequizandos e durou quase duas horas. Alm da corrente de orao, o novo padre recebeu homenagens das pastorais.
Aps a Santa Missa, os fiis foram convidados para uma confraternizao no Centro Comunitrio da Igreja Matriz de Urussanga com o corte do bolo, mais homenagens e os parabns.
Estou muito feliz com a acolhida do povo de Urussanga. Quero dar o meu melhor a esta cidade que com tanto carinho me recebeu quando cheguei e confiou-me. Urussanga uma cidade muito religiosa e de um povo bondoso, declara Padre Maxssul.

Calendrio de reposio das aulas aprovado pelos professores estaduais de Urussanga

Duas assembleias aconteceram na noite de quarta-feira, dia 24, nas escolas estaduais Baro do Rio Branco e Caetano Bez Batti com pais e alunos. Os encontros reuniram os pais e professores para a aprovao do novo calendrio com reposio das aulas.
Explicamos detalhadamente o calendrio, ms a ms, ouvimos o que os pais tinham de sugestes e reclamaes para fazermos ento as adequaes necessrias. Ento, o calendrio foi aprovado pela maioria dos votos e est assinado pelo Conselho Deliberativo que ser enviado ao Ministrio Pblico e a Secretaria de Estado da Educao de Santa Catarina, explica diretora da E.E.B. Baro do Rio Branco, Liziani De Bonetti Finili.

Proposta aprovada pelos pais
Dezessete sbados sero utilizados na Escola Baro do Rio Branco para conselhos de classe, paradas pedaggicas, entrega de boletins, finalizao de projetos, Festa Junina, Festa da Famlia, prova do ENEM, Festa da Criana, Palestras e aulas de reforo. Estas atividades aconteceriam em dias da semana e foram repassadas para o sbado por conta do perodo de greve.
Na Escola Estadual Caetano Bez Batti as atividades extras tambm acontecero aos sbados, havendo somente aula nos dias de semana. Dez dias de julho que seriam frias sero de aula normal para os alunos nas duas escolas. Haver feriado apenas nos dias 15 de outubro e 08 de dezembro, sem emendas. Em dezembro, as aulas finalizaro no dia 30. Acrscimo de 15 ou 30 minutos de aulas dirias, que completaro setes dias letivos. Ao todo, 48 dias de aulas sero repostas.

Gripe x resfriado: qual a diferena?

Poucas pessoas sabem que gripe e resfriado so diferentes, pois, devido semelhana nos sintomas bsicos, como nariz entupido, espirros e dores de cabea e no corpo, a gripe totalmente diferente do resfriado.
A gripe uma infeco respiratria causada pelo vrus da famlia da Influenza e resulta em febre acima de 38 graus, alm do mal estar intenso. J o resfriado, causado por dezenas de vrus diferentes, como o Rinovrus, o Adenovrus e Parainfluenza. Neste caso, a pessoa que contrai o resfriado adquiri uma febre que no ultrapassa dos 37 graus e a doena provoca uma leve dor de garganta.
Segundo o diretor de Vigilncia das Doenas Transmissveis do Ministrio da Sade, Cludio Maierovitch, Santa Catarina est entre os estados que mais concentram nmero de casos de contaminao pelo vrus. Para evitar o contgio, pela gripe ou resfriado, a populao deve ficar atenta a alguns cuidados, como dar ateno aos hbitos de higiene. A proteo da boca e do nariz, quando se espirra ou se tosse, de preferncia usando leno ou protegendo com o brao. Evitar proteger com as mos, porque as pessoas se tocam muito com as mos umas s outras. A lavagem de mos frequentes muito importante tambm. Alm das vacinas oferecidas gratuitamente para os grupos de risco, conclui.
O Sistema nico de Sade (SUS) oferece gratuitamente a vacina contra a gripe para crianas de seis meses a menores de cinco anos, para pessoas com 60 anos ou mais, trabalhadores da sade, gestantes e mulheres com at 45 dias aps o parto, presos e funcionrios do sistema prisional.
Tambm podem se vacinar pessoas com doenas crnicas no-transmissveis ou com outras condies clnicas especiais. Alm da vacina, o SUS distribui medicamento para o tratamento da doena, explica
Quem sentir febre acima dos 38 graus, dor de cabea e no corpo e uma intensa sensao de mal estar deve procurar imediatamente uma Unidade Bsica de Sade mais prxima. Para saber mais, acesse a pgina do Ministrio da Sade no endereo www.saude.gov.br/svs.

Foto Clube Urussanga promove caminhada no Vale do Rio Maior

O Foto Clube Urussanga realizou, no ltimo sbado, dia 20, uma Giornata Fotografica no Vale do Rio Maior.
O ponto de partida foi em frente ao Restaurante e Museu Baesso. A sada ocorreu por volta das 8h30min. No trajeto, os fotgrafos retrataram as belezas da rota feita pelos imigrantes italianos que povoaram o vale do Rio Maior.
Para o presidente do Foto Clube Urussanga, Luiz Antnio Neves Marques, o Luizinho, a caminhada foi uma oportunidade de conhecer um pouco mais sobre as belezas, a histria e a cultura daqueles que ainda preservam o velho e bom estilo de vida do povo da colnia.
O caminho recheado de belezas naturais e ainda preserva muitas coisas que atravessaram as dcadas e ainda permanecem vivas, salientou.
Luizinho ainda frisou que necessrio um maior cuidado com a estrada no que se refere a grande quantidade de lixo deixada s suas margens por pessoas desavisadas.
A acolhida dos fotgrafos caminhantes foi na Casa de Pedra Ateli Aberto, que literalmente abril suas portas para os adeptos da fotografia e da arte. As mosaicistas Manas Bonetti receberam os participantes que almoaram o apetitoso macarro com fortalha preparado pelas mos competentes da Terezinha Bonetti, me das Manas. O acervo fotogrfico resultante da giornata poder virar uma exposio futuramente.

Depoimentos marcam abertura de curso antitabagismo

Pessoas que deixaram o vcio nesta semana, pessoas que reduziram a quantidade de cigarros fumados por dia, pessoas que tentaram deixar e no conseguiram e pessoas que desejam parar de fumar o quanto antes. Esses eram os perfis daqueles que participaram da abertura do curso antitabagismo na noite dessa quarta-feira, promovido pela Secretaria Municipal de Sade.
Com relatos e primeiras orientaes, o primeiro dia deixou todos os participantes motivados a parar de fumar. O encontro ainda teve o depoimento da secretria municipal de Sade, Maringela Dal B Lapolli, ela prpria ex-fumante.
Deixar o vcio no fcil, uma luta muito grande. Mas depois tudo na vida da gente melhora. Trabalhar na Secretaria de Sade e poder ajudar as outras pessoas a parar de fumar muito gratificante, declarou Maringela.
As reunies ocorrero todas as teras-feiras s 19h na unidade bsica de sade do Bom Jesus. De acordo com a coordenadora do curso, Gislaine Scotti, o grupo j est fechado, mas quem tem interesse em participar pode entrar em contato com a Secretaria Municipal de Sade, uma vez que ainda possvel a abertura de novos grupos em outros horrios e locais.

Urussanga ter Centro de Especialidades Odontolgicas

O Municpio de Urussanga entregou a ordem de servio para melhorar duas obras na sade na manh dessa sexta-feira. Agora, os trabalhos de ampliao e reforma da unidade bsica de sade Jos Cataneo, no Nova Itlia, e de implantao do Centro de Especialidades Odontolgicas (CEO), no Bairro da Estao, j podem ter incio.
O investimento total nas duas obras de quase R$ 200 mil, entre recursos prprios e oriundos do Ministrio da Sade. Esses recursos federais so exclusivos para investimento na estrutura fsica, ressalta o prefeito, Johnny Felippe. Segundo ele, quase R$ 2,3 milhes j foram investidos desde 2013 na construo e na melhoria de unidades de sade. As ordens de servio foram entregues logo aps a abertura da Conferncia Municipal de Sade.
No novo CEO, haver quatro gabinetes odontolgicos, onde sero realizados procedimentos de mdia e alta complexidade, como endodontia, periodontia, cirurgia oral e atendimento para pacientes com necessidades especiais. J a unidade de sade do Nova Itlia ganhar dois novos consultrios e ter a sala de espera ampliada.
So obras necessrias, porque a evoluo da estrutura fsica da sade no acompanhou o crescimento da populao e das demandas, avalia a secretria municipal de Sade, Maringela Dal B Lapolli.

Propostas de Urussanga sero levadas Conferncia Estadual de Sade

Urussanga j realizou a Conferncia Municipal de Sade e, agora, tudo o que foi discutido e decidido na ltima sexta-feira (19) ser levado Conferncia Estadual de Sade.
Na avaliao da secretria municipal de Sade, Maringela Dal B Lapolli, a Conferncia Municipal foi produtiva. Nosso objetivo era avaliar a situao da sade, propor condies de acesso, acolhimento, definir diretrizes e prioridades para as polticas de sade. Tudo isso foi muito discutido, com a participao dos nossos profissionais e do Conselho Municipal de Sade, pontuou. A Conferncia teve palestra do gerente de Sade de Joinville, Henrique Deckmann.
O prefeito de Urussanga, Johnny Felippe, enalteceu o empenho dos profissionais de sade do municpio.
A sade um grande desafio, porque as demandas so sempre crescentes. Por isso importante que cada um faa a sua parta, para que podemos deixar a populao bem atendida, declarou.
Na ocasio, o Municpio de Urussanga ainda entregou a ordem de servio para melhorar dois espaos fsicos da sade. Os trabalhos de ampliao e reforma da unidade bsica de sade Jos Cataneo, no Nova Itlia, e de implantao do Centro de Especialidades Odontolgicas (CEO), no Bairro da Estao, j podem ter incio.

Empossada nova diretoria do Hospital Nossa Senhora da Conceio de Urussanga

A nova diretoria do Hospital Nossa Senhora da Conceio de Urussanga tomou posse no dia 18, na sede do Hospital. Os novos diretores e membros do conselho fiscal e de tica esto com projetos engajados para os prximos dois anos. O grupo que coordena o Hospital formado por 22 integrantes. Na diretoria, Arnaldo Jesus Bez Batti assumiu pela segunda vez o cargo de Presidente, bem como, Jaime Rechia Guarezi, que tambm assume por mais dois anos. Teresinha Concer a primeira secretria, seguida de Jane Margarete Spritze Guollo, como segunda.
Como primeiro e segundo tesoureiros ficaram Emlio Zappelini e Adrielcio de March. J no conselho fiscal, o presidente Srgio Vendramini e os membros so: Rodrigo Fontanella e Adir Elias, com os suplentes: Arcioni Varnier Folchini, Ronaldo Guollo e Dirlei Souza.
No conselho de tica, seis pessoas foram empossadas, sendo eles: Altair Maccari, Arnildo da Silva, Joo Paulo Mendes, Lus Antnio Fabro, Maria das Graas de Medeiros e Roberto Felipppe. Por mais um ano assumimos a diretoria do Hospital por no haver substitutos. Agradeo a todos que se uniram para estarem conosco em mais dois anos de Diretoria. J estamos com projetos para serem executados, como a reforma da clnica e compra de equipamentos, ser um ano de conquistas, afirma o Presidente do Hospital, Arnaldo Bez Batti.

Ingressos para o caf colonial do Hospital j esto disponveis
No dia 12 de julho os funcionrios do Hospital estaro promovendo tradicional o Caf Colonial que ser realizado no Centro Comunitrio da Igreja Matriz de Urussanga, a partir das 15 horas. Os ingressos podem ser adquiridos na Casa Paroquial ou com os funcionrios por 20 reais e crianas a 10 reais. Sero disponibilizados 900 ingressos para venda. No dia, o pblico poder contar com a presena da Orquestra Municipal de Urussanga e outras atraes que animaro o evento, afirma Arnaldo.

Jantar beneficente acontece em
setembro
Um jantar beneficente do Hospital acontecer no dia 25 de setembro, com o intuito de pagar as dvidas da maternidade. No jantar acontece o bingo com dez prmios sendo que dois deles um carro e uma moto. Em breve as cartelas comearo a ser vendidas no valor de mil reais para cada duas pessoas.
Infelizmente acreditamos em algumas pessoas que faltaram com a verdade e que nos levou a ficar com a dvida de 300 mil da maternidade. Tentamos continuar com ela aberta, mas no foi possvel. Por isto iremos realizar este evento para pagarmos esta dvida, explica o Arnaldo.
O pagamento da cartela do bingo pode ser parcelado no carto e cheque. No dia haver um jantar com churrasco, saladas e Buffet.

Bazar ser promovido pelo Hospital

Mais de cem mil reais em produtos apreendidos pela Receita Federal estaro sendo comercializados pelo Hospital Nossa Senhora da Conceio de Urussanga, nesta sexta e sbado, dias 26 e 27. Na sexta, a venda se inicia a partir das 19 horas e vai at as 23 horas. J no sbado, as vendas comeas s 8h30min e at acabarem os produtos.
Cobertas, mantas, materiais de pesca, roupas e eletrnicos estaro sendo vendidos. Cada pessoa poder comprar at 900 reais, atravs de seu CPF. Aceitamos carto de crdito, cheque e em dinheiro. Importante ressaltar que ser por ordem de chegada e no haver senhas, observa Arnaldo. Os consumidores tero at 30 minutos para realizar as compras que ser feito em forma de rodzio com no mximo 60 pessoas por vez.

Oficina de aipim realizada em Barro Preto

Por meio do Programa Nacional de Diversificao em reas cultivadas com fumo, aes so desenvolvidas pensando em fortalecer a agricultura familiar e incentivar a diversificao nas propriedades rurais.
Algumas alternativas so incentivadas para fortalecer o autoconsumo e aproveitamento de produtos que so produzidos em suas propriedades. As agricultoras da comunidade de Barro Preto tiveram a oportunidade de participar de uma oficina para aprenderem receitas base de aipim.
O curso foi organizado pela Engenheira Agrnoma Dbora Rodrigues Schuch e ministrado pela Extensionista da Epagri de Treze de Maio, Jeruza Rodrigues. Foram repassadas vrias receitas como: escondidinho, tapioca, pizzaioca, sopa, po, bolos, pudim, docinho de festa e inclusive como se faz a goma ou polvilho doce, explica Dbora.
O aipim um dos alimentos mais antigos da humanidade e o ingrediente da culinria que mais representa o Brasil na sua cultura e gastronomia. A cultura da mandioca tem sido pouco valorizada pela sociedade e que est comeando a descobrir os valores deste produto. O aipim possui excelentes qualidades nutricionais, fontes de fibra e isenta de glten. Pensando nisso e tambm que a maioria dos agricultores tem uma lavoura de aipim em sua propriedade, foi programada esta oficina, para ter maior aproveitamento e valorizao do aipim, finaliza Dbora.

Uma Selva de Leis

Um dos maiores dramas do Brasil a insegurana jurdica. Em nosso pas, as leis mudam ao sabor dos ventos e das mars. O que vale hoje, amanh ser revogado, e ningum pode estar certo de seus direitos e obrigaes. Os legisladores tm uma sanha voraz para editar novas normas, como se isso pudesse resolver os problemas da nao. Mas ns sabemos que mudar as leis ou criar mais regras adianta bem pouco. H um ditado certeiro: quanto mais lei, menos lei. O Brasil possui milhes de normas jurdicas e, no entanto, aqui nada funciona bem.
Segundo um levantamento, entre a promulgao da Constituio de 1988 e o dia cinco de maio de 2011, 4.353.665 regras jurdicas foram criadas no pas. A mdia de 776 leis novas a cada dia til. Trata-se uma verdadeira insanidade. No bastasse a quantidade absurda de leis publicadas diariamente, temos ainda que conviver com sua pssima qualidade. So confusas, mal redigidas, contraditrias, redundantes, inconstitucionais. Temos uma estrutura jurdica gigantesca e de qualidade terrvel. Muitas regras, pouqussima justia.
H mais uma aberrao gritante no sistema legislativo brasileiro: as Medidas Provisrias. Por meio delas, o Presidente da Repblica muda e cria leis ao seu bel prazer. Elas deveriam ser utilizadas apenas em casos de urgncia, mas a cada capricho do Poder Executivo uma nova MP editada, aumentando a insegurana da populao e a confuso na cabea de juristas e advogados. As Medidas Provisrias so instrumentos do autoritarismo que permeia a histria da poltica nacional. Concentram o poder, enfraquecem a democracia.
Neste momento, o Congresso Nacional est encaminhando uma srie de mudanas legais. Nada que vise simplificao ou a racionalizao de nosso ordenamento, muito pelo contrrio. Mudaro as regras para a aposentadoria, sero alteradas as normas do processo eleitoral, mais crimes passaro a ser chamados de hediondos, mas o caos, a impunidade e a incerteza continuaro a crescer. No precisamos de mais leis, precisamos de mais conscincia, pois lei sem conscincia letra morta e, morta a conscincia, no h lei que possa dar jeito.

Atraso no repasse de recursos federais emperra execuo de obras

Um espao com um quarto, banheiro e cozinha, que abriga a famlia de Andreia Matos, no bairro De Villa, convive diariamente com o movimento do rio e um barranco bem prximo a residncia. neste local, considerado rea de risco, que Andreia, atualmente desempregada, cria os filhos de 4, 13 e 17 anos. Aqui quando faz vento muito perigo. Escutamos e sentimos o telhado mexer. E quando o rio enche ficamos com muito medo, comenta.
Andreia uma das moradoras que consta na lista da Secretaria Municipal de Assistncia Social para a seleo de famlias que sero agraciadas com uma das casas do conjunto habitacional localizado no bairro Bom Jesus. Enquanto a famlia de Andreia continua convivendo com situaes de risco em sua residncia, a obra do conjunto habitacional permanece paralisada desde o dia 11 de maio, conforme informaes repassadas pela empresa SG Construes, responsvel pela execuo da obra.
Alm de Andreia, mais 71 famlias aguardam ansiosamente o resultado da seleo e a finalizao do conjunto habitacional para que as 55 moradias sejam ocupadas, realizando assim os sonhos de terem a casa prpria. O drama vivido em Urussanga um dos milhares de casos espalhados pelo Brasil. A paralisao de obras pelo pas um reflexo do atraso dos repasses das verbas do Governo Federal.
Ao averiguar a situao no bairro Bom Jesus, o responsvel pela execuo do conjunto habitacional no bairro Bom Jesus, Julio Cesar Brusamoln, da empresa SG Construes, de Cricima, explicou ao Jornal Vanguarda que o ltimo repasse feito pelo Governo Federal ocorreu em fevereiro. Assumimos em janeiro e recebemos apenas at o ms seguinte. Desde ento estamos nos virando com recursos prprios, devagar, mas j estava impossvel sustentar essa situao. Por isso fui obrigado a parar em maio. O Ministrio das Cidades afirma que no tem dinheiro. Nos informaram que no dia 22 de junho iriam pagar a ltima parte. Ns amos retomar com a obra, mas at agora no recebemos nenhuma verba, ressalta.
Segundo Brusamoln, aps diversos prazos prorrogados, a entrega do conjunto habitacional deveria ter ocorrido no dia 8 de abril e atualmente 85% da obra est concluda. Compramos toda parte de material. Est tudo certo. Mas precisamos de dinheiro para pagar a mo de obra. Todos os dias pessoas passam por aqui para verificar como est a situao e explicamos aos que esto esperando pela sua casa. Infelizmente no h como trabalhar desta forma, frisa.
O responsvel pela execuo do conjunto habitacional afirma que quando o Governo Federal repassar o valor pendente ser possvel finalizar e inaugurar a obra em dois meses. O projeto teve vrios erros e ns refizemos muitos pontos para garantir uma boa moradia a todos. A contrapartida da Prefeitura era a infraestrutura com mquinas e materiais. Este acordo que foi firmado est sendo cumprido com dificuldade. J gastei muito com recursos prprios. H mais ou menos dois meses, por exemplo, fiz um aterro que custou R$ 30 mil, mas no era de minha responsabilidade. A obra vigiada e venho todos os dias acompanhar, cuidar para no danificar, pois a minha preocupao entregar tudo corretamente. Vamos continuar pressionando a Caixa e o Governo Federal, pontua Julio Cesar Brusamoln.
Dos fundos de sua casa, o pedreiro Vanderlei Augusto Jos acompanha e observa o andamento das obras. O rio o obstculo que separa a residncia do conjunto habitacional. Ele tambm est na luta para conquistar uma moradia popular para viver tranquilamente junto com seus trs filhos de 17, 18 e 19 anos. Isso vai mudar as nossas vidas, afirma.
A fiscalizao e o repasse dos recursos so de responsabilidade da Gerncia Executiva de Habitao (Gihab) da Caixa Econmica Federal com sede em Cricima, visto que a contrapartida da Prefeitura de Urussanga j foi feita por meio da doao do terreno, servio de aterro e pavimentao da rua de acesso, segundo informaes repassadas pelos profissionais do Departamento de Planejamento. O assunto das casas populares em Urussanga vem sendo debatido durante as sesses da Cmara de Vereadores atravs do vereador Rozemar Sebastio.

OBRAS EM RITMO LENTO

Em Urussanga, as obras de pavimentao no esto paralisadas, mas a execuo das etapas finais dos projetos est em um ritmo mais lento e dentro do prazo estipulado, de acordo com profissionais do Departamento de Planejamento da Prefeitura Municipal. Ns tambm somos vtimas. Estamos aguardando estes recursos assegurados, mas no sabemos quando eles iro vir. Nesta semana o Governo Federal j sinalizou a liberao de verbas para alguns municpios da regio, ento nossa expectativa que em breve Urussanga tambm receba. Nenhuma obra est paralisada, com exceo da Unidade Bsica do Bairro da Estao. As demais obras esto em ritmo mais lento, mas todas dentro do prazo de entrega, afirma o diretor do Departamento de Planejamento, Jorcio Zuchinalli.
A pavimentao do lado esquerdo da Avenida Joo Polidoro Bez Batti e a pavimentao asfltica da Rodovia dos Mineiros, ambas no bairro Nova Itlia, a pavimentao asfltica da Avenida Ouro Negro, em Santana, e da Avenida Marcos Costa, no bairro Figueira, so obras do Governo Federal que esto com as etapas de finalizao de caladas sendo executadas de forma mais lenta. As obras esto bem adiantadas. Faltam apenas 20% das obras, ou seja, apenas a parte de finalizao como caladas e sinalizao, ressalta. Pelo Fundo de Apoio aos Municpios (Fundam) de Santa Catarina, oriundo do Governo do Estado, para finalizao da obra de pavimentao asfltica da Avenida Longarone, no De Villa, necessrio relocar postes e realizar o servio de calada e sinalizao. A parte de sinalizao tambm precisa ser finalizada na obra de pavimentao asfltica da Rodovia Aldo Baldin, em Rio Amrica.
A construo da Unidade Bsica de Sade no bairro Rio Amrica aguarda a ltima parcela do repasse do Governo Federal. Esto sendo executados os servios complementares como aterros, caladas e jardinagem, sendo estes com recursos prprios, para finalizao e inaugurao da referida obra. J no bairro Estao, a construo da Unidade Bsica de Sade est paralisada devido a falta de recursos federais. O andamento da obra da escola rural Rosalino De Nez, na Palmeira do Meio, est adiantado, mas a Prefeitura solicitou uma nova etapa de recursos ao Governo Federal para finalizar o projeto.

Pare de acreditar no governo

Nota

Pare de acreditar no governo o nome do livro que estou lendo. J no leio como antes, porque agora preciso trocar as fraldas da minha filha, dar banho nela, faz-la dormir ou esperar que ela durma. Mesmo assim, eu tento, e s vezes consigo. Passei faz pouco da metade do livro. Quanto mais avano por seus captulos, menos f eu tenho no governo. Em qual governo? Em qualquer um. Eu perco, um pouco por dia, pgina a pgina, a crena na capacidade dos governantes de resolver os problemas das pessoas e da sociedade.
O subttulo do livro em forma de pergunta: Porque os brasileiros no confiam nos polticos e amam o Estado? uma questo deveras intrigante. Todo mundo desce a lenha nos polticos, todos adoramos falar mal deles, mas, ao mesmo tempo, achamos que o governo, formado justamente pelos polticos, pode e deve dar conta de todas as nossas necessidades. No Brasil, o governo gigante e mete-se em tudo. Da economia cultura, do esporte alimentao, nada escapa ao dedo do Estado. O Estado brasileiro sufoca a sociedade, abafa o indivduo.
Os governantes nunca faro nada para modificar este cenrio. do interesse deles que o governo continue enorme, e que a maioria permanea dependente. Assim, perpetuam o poder que possuem. A mudana ter que partir das pessoas do povo. Quando comearmos a fazer as coisas por nossa prpria conta, sem pedi-las sempre aos polticos, estes perdero seu status, ficaro limitados em sua importncia. Por outro lado, crescer a fora da populao, fortalecidos ficaro os indivduos. As coisas sero bem melhores.
Se minha filha colaborar, at o fim da semana termino de ler a obra, que dividida em perodos histricos e mostra como, ao longo dos anos, o Estado brasileiro foi crescendo e se transformando no monstro que hoje. Eu no acredito que o governo possa resolver os problemas das pessoas melhor do que elas mesmas. O seno que as pessoas j se acostumaram a esperar tudo do governo, mesmo no confiando em quem o conduz. Resta-me fazer minha parte, trocar as fraldas da pequeninha e tentar ler mais algumas pginas do livro.

Nova diretora de cultura e turismo projeta primeiras aes

A Diretoria de Cultura e Turismo est sendo coordenada por uma nova profissional desde o incio deste ms. Raquel Rodrigues, com experincia nas reas de secretariado, recursos humanos, setor pessoal e administrativo, h um ano estava atuando na Prefeitura de Urussanga no setor de convnios do Departamento de Planejamento e no setor de compras e licitao e integrou recentemente a Comisso Central Organizao da 14 Ritorno Alle Origini.
Desde a minha adolescncia tenho uma ligao com a cultura e o turismo do municpio. Atuei em diversas edies da Festa do Vinho como recepcionista e tambm na CCO em 2004 na qual o prefeito Johnny foi presidente. A Cidinha estava atuando a frente da pasta como interina e se desdobrando para desenvolver os trabalhos nas reas cultural e educacional. Foi ela quem indicou meu nome ao prefeito. Durante a festa Ritorno ele conversou comigo, questionou-me e na semana seguinte me fez o convite oficial em seu gabinete. No hesitei e aceitei este desafio que ser grandioso, mas minhas expectativas so as melhores, conta Raquel.
Raquel afirma que neste primeiro momento ainda est se interando das aes e atividades desenvolvidas pela Diretoria de Cultura e Turismo de Urussanga. Nestes dez dias estou estudando como agir e o que pode ser feito. No s vontade. Alm do custo e dos investimentos, preciso avaliar a forma correta de fazer as aes. Estou conhecendo e acompanhando as oficinas de piano, violo, de acordeom, teatro e lngua italiana voltada para o infantil. Elementos culturais e atrativos tursticos ns temos, mas preciso valoriz-los e ampli-los. A cultura de Urussanga vem sendo bem trabalhada. As oficinas gratuitas esto plenas no desenvolvimento das aulas. Tenho uma equipe de trabalho excelente e conto com a participao de toda comunidade com sugestes e ideias para gente desenvolver o nosso turismo e perpetuar a nossa cultura, salienta.
A nova diretora j est projetando as primeiras aes como, por exemplo, reativar os conselhos. O primeiro passo ser reativar os conselhos de cultura e turismo. muito importante essa parceria entre todos os representantes de vrios segmentos da sociedade, do comrcio, da indstria, entre outros, para trabalharmos juntos. O conselho uma parceria entre ambas as partes para trazer ideias e acrescentar sugestes nos nossos projetos. Com a reativao dos conselhos vamos conseguir trabalhar mais com a divulgao de nossos produtos e assim atrair os visitantes para conhecer toda a bela histria de Urussanga, comenta.
Implantar mais oficinas e atividades como a dana folclrica e o Concerto de Primavera so outros objetivos da diretora. Uma das novidades ser a oficina de dana folclrica. Semana que vem teremos reunio com a professora para colocar em prtica o mais breve possvel. Essa oficina pretende envolver a comunidade e ser bem interessante. Alm disso, estamos em busca de professoras para a escola de vitral e oficina de bal. Pretendemos tambm fazer um Concerto de Primavera no Parque, retomar com as aulas de lngua italiana para adultos e ampliar os produtos de artesos na loja Benedetta, adianta.
Em novembro, a Diretoria de Cultura e Turismo ir realizar mais uma edio da Mostra Cultural e Feira do Livro. Este evento ser voltado para as nossas oficinas valorizando as crianas que esto desenvolvendo seus dons. Pretendemos continuar com os concertos didticos das oficinas de arte em cada semestre e anualmente fazer esta mostra. E tambm elevar a leitura por meio da Feira do Livro, ressalta Raquel.

AMPLIAO DE ESPAOS

A abertura do Governo Federal para propostas de projetos na rea cultural e turstica est sendo avaliada pela nova diretora. A ideia de reformar edificaes antigas e implantar a acessibilidade.
Estamos avaliando essa abertura das propostas do governo para insero de projetos. Surgiu a ideia de acessibilidade no Centro Cultural no Parque, onde fica o museu, e a reforma dessa edificao antiga tambm para manter a integridade do local. A Central Turstica no bairro Estao tambm precisa urgente de uma restaurao. A cultura caminha lado a lado com a modernidade, com o avano das cidades. Alm de ser um municpio cultural e turstico, Urussanga tambm tem que pensar em crescer, programar a modernidade, se preparar para o futuro, mas sem deixar de preservar nossa identidade, pontua.
Um dos objetivos da reforma do Centro Cultural no Parque Municipal ampliar o espao do museu devido ao seu acervo de restauro.
Hoje o nosso museu, apesar de possuir uma estrutura dentro dos padres, tem um espao muito pequeno, pois o acervo de restauro muito grande. Talvez com este projeto de reforma possamos conseguir ampliar nosso museu. A funcionria Cecilia, que organiza o local, tem conhecimento na parte de restauro, recebeu treinamento e a gente tem esse sonho de ampliar, pois sabemos que precisamos de mais espao fsico e de toda uma estrutura para expor estar novas peas, frisa.
Raquel ressalta que o acesso a leitura tambm ser facilitado com a mudana da estrutura da Biblioteca Municipal para a Praa Anita Garibaldi. Neste novo local ficar mais acessvel leitura para os cidados. Ler um momento de introspeco, explica Raquel.

DIVULGAO DA CULTURA E DO VINHO GOETHE

Para a nova diretora de Cultura e Turismo, Raquel Rodrigues divulgar e valorizar os elementos culturais da cidade um dos caminhos para elevar a cultura e o turismo em Urussanga. preciso trabalhar com a divulgao de tudo que temos: gastronomia, dana folclrica, artesanatos locais, produo do vinho, edificaes histricos… Temos tudo na mo. Urussanga grandiosa, mas precisamos saber trabalhar e enxergar tudo o que temos de bom. Por isso penso em trabalhar com a cultura nas escolas, levar informao aos estudantes para que eles repassem as famlias, propagando e difundindo nas comunidades. assim que se perpetua a cultura. A valorizao da cultura muito importante para atrair os turistas, salienta.
Segundo Raquel, o vinho Goethe um grande elemento cultural e turstico de Urussanga. Nosso vinho Goethe leva o nome da nossa cidade pela cultura e tradio e pode alavancar o turismo, pois junto com o vinho vai a nossa histria. Essa boa notcia da compra do Governo Federal de vinhos catarinense um impulso muito grande. importante atuarmos tambm no destaque para o nosso vinho. Fazer o possvel para resgatar e incrementar nosso turismo, finaliza.

Azzurro lanado pela Casa Del Nonno

O Uru, pssaro smbolo da cidade de Urussanga, com penas azuis e cinzas, foi o animal escolhido para representar o vinho Azzurro, novo produto da vincola Casa Del Nonno.
O novo rtulo da Casa Del Nonno foi lanado durante a XIV Ritorno Alle Origini e j est disponvel para comercializao. O azzurro possui duas verses: no vinho branco, elaborado a partir das uvas Assemblage Goethe e Chardonnay, e no tinto com Cabernet Sauvignon.
um vinho mdio corpo, descomplicado, para ser apreciado em todas as ocasies. O Cabernet Sauvignon mais leve, com menos tempo de envelhecimento, cerca de um ano, explica o gerente comercial, Matheus Damian.
Segundo Damian, a verso branca do Azzurro foi a que mais obteve sucesso durante a Ritorno Alle Origini. O stand montado na Piazza DItlia oferecia todos os produtos da Casa Del Nonno, mas o Azzurro branco teve uma venda 50% superior ao segundo colocado em vendas: o Pecato Bianco Reserva. O tinto tambm teve tima aceitao e vendeu 30% mais que o segundo colocado: o Cabernet Nobile.
A partir de agora, quem quiser conhecer o novo rtulo, poder encontr-lo na rede de supermercados Althoff ao preo mdio de R$ 20,00 a garrafa e tambm na prpria vincola, em Urussanga. A expectativa que em breve, novos pontos de venda ofeream a bebida.

Ideia transforma local em Ponte Damore

Um local repleto de cadeados com nomes e iniciais de casais apaixonados conhecido como ponto turstico em diversas cidades no mundo como em Paris, na Frana, em Colnia, na Alemanha, em Montevideo, no Uruguai, em Moscou, na Rssia, e em Verona, na Itlia. Transportar a cultura de outros lugares para o seu convvio foi a sntese de um artigo que despertou o interesse da urussanguense Nathlia De Souza, moradora do bairro Estao.
A estudante de engenharia ambiental levou este a assunto para discusso em famlia e durante o debate uma ideia foi avaliada para ser colocada em prtica. Ns chegamos a concluso que podamos criar mais um elemento cultural em nossa comunidade. Percebemos que a nova ponte erguida prxima ao bar do Miraldo e da antiga estao ferroviria se transformava em um bonito conjunto e poderia se tornar um elemento turstico: a Ponte Damore. A ideia tambm era despertar o interesse e a participao dos urussanguenses, comenta a me da estudante, Maria Lucia Pereira Jacinto De Souza.
Em maio, Lucia e as filhas Nathalia e Maia iniciaram a colocao de cadeados e coraes na ponte da comunidade. Alm disso, Lucia distribuiu fitas e cadeados para moradores com o intuito de incentivar a participao de todos nesta ao. No primeiro dia colocamos cinco cadeados. No dia seguinte, para nossa surpresa, j tinham 14 cadeados no local. Muitas pessoas colocaram fitas e fizeram seus pedidos. Outros casais colocaram suas iniciais em cadeados e jogaram a chave fora. Minha filha pequena apenas pintou seu cadeado. H diversas maneiras de valorizar e aderir, salienta.
Para o aniversrio de Urussanga, me e filhas encheram a ponte de coraes com frase de amor a cidade. Na ltima semana, mais de 200 coraes com a palavra Amor e a frase Eu Te Amo escritas em vrios idiomas enfeitaram a Ponte DAmore. Infelizmente uma ao de vndalos quase estragou a ideia das moradoras. Hoje apenas cinco cadeados permanecem no local que pode se transformar em um moderno e novo ponto turstico com a participao da comunidade e de visitantes. Gostaramos que a ideia continuasse com a ajuda de todos os urussanguenses. Se todos abraarem a ideia o local ficar ainda mais lindo, finaliza.
As crenas e supersties em diversos pases consistem em trancar cadeados com os nomes ou iniciais de casais e depois jogar a chave para um lugar inacessvel para que o amor seja eternizado. desta forma que os apaixonados visitam e valorizam locais tursticos em todo mundo. Na Itlia, alm de Verona, cenrio da mais famosa e romntica histria de Willian Shakespeare, Romeu e Julieta, a ponte Milvio, em Roma, e as pontes dellAccademia e Scalzi, em Veneza, tambm so adornadas com cadeados que se tornaram uma bela demonstrao de amor pelo mundo e esto cada vez mais populares.

Rdio Urussanga FM 87.9 inaugura nova sede

A Rdio Urussanga FM passou por mudanas esta semana. Alm de estar em novo local, novos equipamentos foram adquiridos para melhorar ainda mais a qualidade das transmisses. A inaugurao aconteceu na quarta-feira, dia 17, na Rodoviria de Urussanga, local onde a nova sede foi instalada.
O Presidente da Associao de Radiodifuso Comunitria de Urussanga, Jos Antonio de Bem, diz que a nova diretoria est engajada em proporcionar um meio de comunicao que beneficie a comunidade de Urussanga. Queremos dar oportunidades para difundirmos ideias, questionar sobre cultura, tradies, hbitos sociais, finalidades educativas e artsticas, salienta.
Uma nova programao foi estabelecida e novos comunicadores tambm j esto atuando no local, alm do novo espao contar com um novo estdio de transmisso e gravao. A Rdio Urussanga FM est aberta para todas as pessoas que desejam participar, desde forma direta, sendo um scio contribuinte ou prestando apoio cultural. Somos uma associao que tem como objetivo servir a comunidade e para isto, a participao do voluntariado muito importante, afirma o Presidente.
O evento contou com a participao do Prefeito de Urussanga, Johnny Felippe, do Vice-Prefeito, Luiz Henrique Martins, da Presidente da Cmara Municipal e Vereadora Daniela Piacentini, do Comandante da Polcia Militar Tenente Coronel Jorge Silva, secretrios e colaboradores da administrao pblica, representantes das associaes de moradores de bairros, associaes culturais e diversos convidados representantes.
Aps a abertura oficial dos microfones da Rdio Comunitria, realizada pelo diretor presidente, Jos Antonio de Bem e o Prefeito Johnny, os convidados participaram de um coquetel para celebrar a conquista do novo local.
A nova diretoria da Rdio Comunitria agradece as autoridades e convidados que se fizeram presentes inaugurao e afirma sua principal misso: servir a comunidade.