Baffone

Descaso
Quero compartilhar com voc leitor, a barbaridade desta informao divulgada nos ltimos dias pelo Jornal da Capital, Notcias do Dia. O Governador Raimundo Colombo ter que descascar o abacaxi e espero que descasque, afinal de contas o assunto era uma promessa de campanha que at agora ele no conseguiu dar volta. Ele recebeu nos ltimos dias, o resultado de uma Auditoria do Tribunal de Contas (134 pginas) que orienta o Governo a fazer cortes nas SDRs (Secretaria de Desenvolvimento Regional). Um sonho no mesmo, j que sobraria mais dinheiro para a sade, educao, segurana ….. Alm de apontar falhas no funcionamento das 36 SDRs, o TCE-SC comprovou, o alto custo de manuteno das estruturas, comparada com a baixa aplicao de recursos em reas essenciais, como sade e educao. O levantamento, concludo em novembro de 2014, estima uma economia potencial de at R$ 39,1 milhes por ano com a manuteno de apenas nove SDRs. Outros dois cenrios so propostos. Com a reduo para 16 SDRs, a economia seria de R$ 27,6 milhes. J com 21 SDRs, a diminuio de custos seria de R$ 20,9 milhes.

Sem fundamento
Ainda, para os auditores, no existem fundamentos tcnicos em nenhuma das mensagens enviadas pelo governo ao Legislativo para justificar a ampliao no nmero de SDRs. Agora vejamos o lado pior da coisa. A Administrao dessas secretarias custa metade do investimento em educao, ou seja, o dinheiro aplicado na educao pelas SDRs corresponde a 37,97% do total de gastos, entre 2008 e 2012, segundo a auditoria do TCE-SC. Porm, nesses cinco anos, o investimento cresceu apenas 0,17%, a menor entre todas as aplicaes das SDRs no perodo. Ao defender o corte nas regionais, a auditoria tambm questiona desperdcio de dinheiro pblico, considerando que o Estado nunca cumpriu o mnimo constitucional para a manuteno e desenvolvimento do ensino. Somente nesses cinco anos, R$ 1,1 bilho deixaram de ser aplicados na educao, que tem gerado graves deficincias verificadas nas estruturas das escolas, no raramente sem condies de possibilitar condies mnimas de segurana e dignidade dos alunos. Da mesma forma, aponta a auditoria, o Estado nunca cumpriu o estabelecido na Constituio de SC para aplicao em ensino superior, conhecido como artigo 170. Segundo o relatrio tcnico, entre 2008 e 2012, R$ 413,79 milhes deixaram de ser aplicados na formao universitria.

Sade
Enquanto isso, as despesas administrativas das secretarias foram de R$ 638,82 milhes, cerca da metade do investido em educao. Pelos dados apresentados na auditoria, 19,83% de todos os gastos das SDRs so para a prpria manuteno. Este tipo de custo corresponde ao pagamento dos servidores efetivos e comissionados, aluguis, servios terceirizados e outros gastos voltados exclusivamente administrao. Nos anos analisados, a despesa cresceu 57,83%, segundo a auditoria. Como comparao, na sade, os valores investidos entre 2008 e 2012 representaram 4,88% do oramento geral, R$ 159 milhes.

Reflexo
Essa bola de neve o acmulo de cabides de emprego que vem se formando desde a poca do ex-Governador, ou vocs acham que uma reeleio assim baratinha?. Fazer a limpa muito provvel que o Governador no faa. O motivo no preciso nem dizer. Povo de Deus, continue agindo por interesse prprio. Estamos chegando ao buraco. Na prxima eleio, continue vendendo o voto em troca de emprego, de R$ 50,00, R$ 100,00… A educao no estado e a sade na prtica vo muito bem, no mesmo?
Gastos
A Cmara de Urussanga foi a segunda que mais contabilizou despesas em 2014 na regio da Amrec (R$ 1,5 milho). A primeira Morro da Fumaa com R$ 1,7 milho. Cocal ficou com pouco mais de R$ 1 milho. Agora vamos aos comparativos. Urussanga se foi uma das que mais gastou, tambm a que mais trouxe recurso para o municpio por meio de seus deputados e solicitaes. Ao contrrio, por exemplo, da cidade vizinha que quase nada contribuiu com a atual administrao em se tratando de fora poltica e projetos. So dois pesos de uma mesma moeda. O que voc prefere?

Denncia
O vereador Rozemar levantou um assunto que pode complicar a prefeitura se os esclarecimentos no forem no mnimo convincentes. Na prxima semana ele ir entrar com um requerimento solicitando informaes em relao a um contrato para aquisio de gneros alimentcios que so fornecidos pela empresa Orleans Informtica. Achei estranha essa contratao. Ns procuramos por essa empresa e ela existe s que s vende material de informtica e no arroz, feijo ….. Essa informao est no Portal da Transparncia e uma coisa grave. E, ainda, esse contrato foi firmado nos primeiros dias do ano, ou seja, no tinha quase ningum na Prefeitura devido ao perodo geralmente de frias. Olha, se tiver que abrir uma operao Lava Jato em Urussanga a gente faz. E tem coisa muito pior ainda que ser mostrado. Tenho documento e comprovo. se isso realmente no tiver um embasamento, a Prefeitura vai se complicar, disse.

Carta Aberta
A Carta Aberta divulgada na ltima semana a pedido neste semanrio deu o que falar. Direcionada ao vereador Tita, ele afirmou que nem dormiu por conta das palavras divulgadas. Eles no tem noo do que fazem. Quero respeito. Eles acham que mandam aqui. E a coisa no pessoal no. Pessoal foi o que fizeram comigo ao tirar duas pessoas: Dinho Amaral e a Sheila Debrida. Ela sim (Secretria) tira voto e tem mais gente tirando. Eu acho que quem conseguiu alguma coisa para aquela secretaria de educao foi eu com os 30 computadores. E ainda levaram 3 a 4 meses para instalar, olha como eles pensam nos alunos. E mais, eles esto desativados na Palmeira do Meio para as aulas de informtica, o que no entendo at hoje. Estou meio de luto. Foi sujeira o que fizeram. Tem que pensar muito bem antes de preparar uma carta dessas. Parece que querem colocar os vereadores contra a populao e assim fizeram, avaliou.

Piso do professores
A oposio apertou o cerco na ltima reunio, o que no vinha acontecendo com tanta firmeza. Como se no bastasse a denncia do vereador Taliano, Bonetinho quer explicaes sobre o piso salarial dos professores. O prefeito se comprometeu em repassar. A secretria de educao se compromete e agora o prefeito fez uma reunio na Amrec, j sabia do resultado, viajou e at agora no se sabe se ele vai honrar ou no. Urussanga esta sem prefeito. As pessoas tm que ter dignidade antes de empenhar a palavra. Cad a valorizao dos professores to debatida? Gostaria de saber ainda o posicionamento da presidente do sindicato. Dinheiro vai ter sim, o que tem que ter compromisso. Os valores por lei so garantidos aos professores, afirmou. Situao agora est em uma sinuca de bico, j que a presidente da Cmara, vereadora Dani uma defensora da classe, a prpria secretria e demais vereadores. Contudo, se no h oramento ou se a folha j est estourada no tem como fazer o repasse, infelizmente.
Plano Diretor
O vereador Omero desde a semana passada solicitou a listagem com os nomes da comisso que ir analisar o Plano Diretor. Comisso essa que estaria pronta para trabalhar segundo informaes passadas por esta coluna. Pois bem, a solicitao no veio pelo lder de governo. E se no veio … At hoje no vi sair o decreto que formalize a comisso. Eu fao parte do Conselho e no fui notificado. Muitos urussanguenses esto esperando por isso e eu esperava os nomes da comisso hoje. O lder de Governo me d a oportunidade para dizer que isso conversa para boi dormir, cobrou. O lder de governo, vereador Beto Cabeludo disse que no teve tempo nesta semana para verificar o pedido do vereador.

Plano Diretor 2
Ainda sobre o Plano, a nota veiculada nesta coluna dizendo que a comisso estava pronta para atuar foi informao repassada com todas as letras pelo Prefeito Johnny aos empresrios durante reunio na Aciu no dia 10 de maro. O prefeito declarou abertamente e foi convicto em sua apresentao.

Gabinete
Acho que agora pra valer o ingresso do nosso amigo Tita ao PDT. Eis a comitiva que se apresenta no gabinete do deputado Minotto, na ltima semana.

Vender e fornecer bebida alcolica para menores agora crime

Uma nova lei j comea a preocupar os proprietrios de estabelecimentos e casas de entretenimento. Trata-se da 13.106/2015 que diz que vender, fornecer, servir ou entregar, mesmo que gratuitamente bebida alcolica a um menor de 18 anos, deixou de ser uma contraveno penal e passou a ser crime com punio de at quatro anos, sendo que anteriormente a punio era de no mximo um ano de priso.
Agora o autor preso em flagrante e no mais liberado imediatamente, como acontecia anteriormente. Os proprietrios de casas de shows devem redobrar o cuidado para evitar a venda e entrega de bebidas alcolicas a menores de idade. A responsabilidade individual, mas uma sugesto que os funcionrios sejam orientados a exigir documento de identificao quando suspeitarem que tratar-se de um menor de idade, afirma o 2 Tenente da Polcia Militar Daniel Comerlatto.
Os rgos responsveis pela fiscalizao da aplicao da nova lei sero o Ministrio Pblico, as polcias civis e militares e o Conselho Tutelar. Responsveis por estabelecimentos devem tomar ainda mais cuidados para evitar o acesso de menores de idade s bebidas alcolica. O que pode ocorrer o estabelecimento vender bebida alcolica a um maior de idade e este repassar bebida alcolica a uma criana ou adolescente. Neste caso, quem responder pelo crime aquele que repassou a bebida, explica o Tenente.
Porm, o Tenente explica que os proprietrios dos estabelecimentos devem ajudar na fiscalizao, pois, muitas vezes a comercializao facilitada. No somente os proprietrios de estabelecimentos comerciais que esto sujeito a deteno, mas, qualquer pessoa que entregar bebida alcolica a um menor de dezoito anos estar cometendo um crime.
A responsabilidade de certificar-se da idade da pessoa para a qual est vendendo bebida alcolica de quem vende. Se entender que deve exigir documento de identidade para efetuar a venda assim deve proceder, sendo que no h nenhum abuso neste ato, observa Comerlatto.

Programa Sade na Escola pauta reunio com pais

Os pais dos alunos da Escola Municipal Ernesto Cesar Mariot, no Bom Jesus, receberam informaes quanto ao funcionamento dos atendimentos em sade realizados nas escolas do municpio, referentes ao Programa Sade na Escola (PSE). A reunio ocorreu na noite de tera-feira, na prpria unidade escolar.
O PSE desenvolvido em parceria entre as secretarias municipais de Educao e Sade.
So desenvolvidas atividade de acuidade visual, promoes da alimentao saudvel, sade bucal, sexualidade e preveno de lcool e drogas dentre outras, explica a coordenadora do PSE, Carla Dandolini Gregrio. Alm dela, tambm participaram da reunio a enfermeira Shirley de Oliveira Richter e a odontloga Rafaela Morais.

Benedet apresenta Projeto de Lei que exige ar condicionado nos veculos de transporte pblico coletivo

O Projeto de Lei 703/2015 de autoria do deputado federal Ronaldo Benedet altera a Lei n 12.587, de 2012, que institui as diretrizes da Poltica Nacional de Mobilidade Urbana, para exigir a instalao de sistema de ar condicionado nos veculos de transporte pblico coletivo urbano ou de carter urbano.
O intuito deste projeto de lei incluir a exigncia de instalao de sistema de ar condicionado nos veculos entre as metas de qualidade que devero ser fixadas pelo respectivo poder concedente para a contratao dos servios de transporte pblico coletivo, destaca o autor do projeto, Benedet.
O Projeto est em fase de tramitao, aguardando despacho do presidente da Cmara dos Deputados sobre quais comisses em que dever ser aprovado.

Feira do Peixe Vivo acontece na prxima quinta-feira em Urussanga

Nota

Na prxima quinta-feira, dia 02 de abril, acontece a IV Feira do Peixe Vivo de Urussanga. Nesta edio sero disponibilizados aproximadamente 1.000 Kg de tilpias e 200 Kg de carpas de tima qualidade para todos os consumidores.
O evento acontece na Feira Livre Municipal, que funciona no ptio da rodoviria e acontecer juntamente com a Feira Municipal tambm na quinta-feira, dia 02 de abril, com previso de incio a partir das 6h30min da manh.
A IV Feira do Peixe Vivo fruto de uma parceria entre Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural, Secretaria de Agricultura, Epagri, Prefeitura Municipal e Associao de Piscicultores de Orleans.
O grande objetivo da Feira do Peixe Vivo de oferecer um produto de excelente qualidade para os consumidores, alm de divulgar e incentivar o consumo de peixes de gua doce no municpio.

Surpreenda nesta Pscoa

Os coelhos atrelados em embalagens especiais e as caixas com mensagens religiosas escondem em seu interior chocolates produzidos de forma artesanal. Uma mesa repleta de opes saborosas, decorativas e embalagens inovadoras surpreende os clientes que visitam a loja de chocolate Flor de Cacau a procura de um presente para esta Pscoa.
At o dia da Pscoa, a produo no estabelecimento para esta poca, que iniciou antes do Carnaval, chegar a aproximadamente duas toneladas de chocolate distribudos nas opes de 35 gramas a 2,5 quilos em diversos formatos. Na poca do Natal j estamos nos programando para a Pscoa. Escolhemos as embalagens, pensamos nas novas opes de chocolate, experimentamos os testes, entre outras questes visando satisfao de nossos clientes. Focamos na diferenciao e priorizamos a alta qualidade de nossos produtos, visto que cada ovo feito de forma manual com carinho e dedicao. Sabor para ns essencial, explica uma das proprietrias da Flor de Cacau, Thaise De Jesus Nichele.
Neste ano, a Flor de Cacau uniu as suas mais de 20 opes de chocolate os tipos trufado de avel, branco com uva passas, diet e sem lactose. Sentamos falta de uma linha de amndoas e decidimos apostar no sabor avel, que lembra muito o famoso doce nutella. Todo ano lanamos sabores diferentes devido procura dos clientes por novidades. Ressaltamos que o nosso chocolate no possui conservante, salienta.
A sade do consumidor tambm uma das preocupaes do estabelecimento. Por isso a opo de chocolate diet no contm acar e no possui sabor amargo. Os consumidores que possuem intolerncia a lactose podem saciar o desejo de degustar um chocolate escolhendo a opo sem lactose. Uma cesta repleta de produtos diferentes pode ser uma opo para toda a famlia.

EMBALAGENS VIRAM ARTIGO DE DECORAO

O real significado da Pscoa enaltecido e lembrado na loja de chocolates Flor de Cacau. Caixas de madeiras com mensagens religiosas repletas de bombons transformam-se em pequenos oratrios e recordam aos consumidores o momento de f e orao devido ressurreio de Jesus Cristo. Pensamos na Pscoa como um todo desde a magia para as crianas at o lado religioso, de orao, o momento de reflexo, comenta Thaise.
Um material presentevel. desta forma que a Flor de Cacau vislumbra a comercializao das opes de chocolate para todos os gostos. Pequenos coelhos acoplados em embalagens de papel e repletos de bombons encantam as crianas e tornam-se brinquedos em suas mos, mas para as mes eles podem ser artigos de decorao.
Cestas e caixas de madeira, coelhos com espao para colocao de ovos, caixas de papel em diversos formatos como, por exemplo, simbolizando uma cenoura, so algumas das opes que fazem da embalagem um diferencial para quem deseja incrementar o presente nesta poca. Muitos clientes nos procuram porque no querem dar apenas um ovo de chocolate. Eles buscam qualidade, preo bom e exclusividade. Por isso montam o presente conforme o gosto da pessoa que ir receb-lo. Tudo pode ser personalizado, ressalta.

BRINQUEDOS E CESTAS ESPECIAIS PARA CRIANAS

Os ovos, que simbolizam a vida, so uma forma das crianas vivenciarem uma magia durante a Pscoa. A Flor de Cacau oferece opes de presentes diferenciados para as crianas como chocolates em forma de cenoura, ovos de diversos tamanhos e coelhos de pelcia e cestas repletos de produtos. Os ovos mdios vm com brinquedos dentro e tambm podem ser personalizados. Cestas especiais ilustradas com animaes como a galinha pintada e a monster high tambm so outras opes para as crianas, frisa Thaise.

Oportunidade para ingressar e crescer no mercado de trabalho

As caixas lacradas e repletas de produtos plsticos so organizadas com cuidado e agilidade pelos jovens Henrique Maffei, de 15 anos, Mateus Baesso, 15 anos e Thiago Borba, 15 anos, no setor de expedio do parque industrial da empresa Minaplast, antes de serem encaminhadas para comercializao nos quatro cantos do pas.
Aos poucos, os jovens separam as pilhas de caixas de acordo com o tipo do produto. As caixas que apresentam danos so reparadas e repostas. Organizao a palavra de ordem para eles no setor. O resultado do trabalho desenvolvido pelos adolescentes h mais de 20 dias j est colaborando para o progresso dos servios na rea de expedio.
Os meninos so espertos e logo a atividade solicitada para ser executada concluda com xito. Eles so geis, mostram interesse e vontade de fazer. As aes tm contribudo para uma evoluo no departamento, conta o encarregado do setor de expedio, Rogerson Juliani.
Esta a primeira oportunidade de emprego dos jovens, conquistada devido a Lei 10.097/00, do ano 2000, denominada Adolescente Aprendiz, que estabelece a empresas de mdio e grande porte uma cota para contratao de aprendizes, de acordo com o volume de empregados. Desta forma, a empresa participa da profissionalizao de adolescentes e jovens, de 14 a 24 anos, com efetiva orientao profissional.
A empresa Minaplast implantou o programa em setembro do ano passado e atualmente possui 11 jovens contratados, entre 14 e 17 anos, trabalhando nos setores de expedio, recursos humanos, comercial e controle de qualidade.
Existia uma cobrana sobre as empresas em relao a esta lei federal. Da primeira forma que contratamos os jovens, eles no vinham at a empresa, apenas recebiam capacitaes por meio de cursos em Cricima. Agora no incio do ms de maro decidimos trabalhar de outra maneira trazendo eles para atuarem dentro da empresa. Assim fazemos nosso papel social, aproveitamos esta mo de obra e incentivamos os jovens para entrar no mercado de trabalho, explica o gerente do setor de Recursos Humanos da Minaplast, Celoi Herclio Pacheco.
Segundo Pacheco, neste primeiro momento, a empresa divulgou a oportunidade para funcionrios e tambm para colaboradores que no atuam mais no empreendimento. Por isso, a procura pelas vagas foi oriunda de filhos de famlias que j prestam ou prestaram servio a Minaplast. Pensamos em manter este vnculo e dar esta oportunidade a jovens que j possuem uma ligao com a empresa. Muitos pais vinham trabalhar com a preocupao em saber onde estavam seus filhos. Agora muitos deles vm juntos para o trabalho, salienta.
O desempenho dos jovens e a disponibilidade de vagas podero resultar na contratao destes futuros profissionais.
O programa Adolescente Aprendiz veio para ficar dentro da empresa Minaplast. Dependendo do empenho e das vagas de emprego, estes adolescentes podem se tornar grandes profissionais, visto que sero moldados conforme as normas e os objetivos da empresa, esclarece Pacheco.
A ESAF/IBRAP outro exemplo de empresa que aplica o programa de aprendizagem. Desde maro de 2013, jovens atuam nas reas administrativa e industrial. Conforme a responsvel pelo setor de Recursos Humanos da ESAF/IBRAP, Keli Felisberto, ao contratar um adolescente aprendiz, alm de cumprir a cota obrigatria estipulada por lei, a empresa tem como objetivo a formao profissional, desenvolvendo competncias fundamentais para atuao nas diversas atividades na empresa, contribuindo para o desenvolvimento profissional e pessoal dos jovens.
A empresa est muito satisfeita com os resultados, j que os jovens so muito disciplinados e esforados. Este programa tem uma fora muito importante, pois tem o papel de educar profissionalmente, ser uma renda familiar e obriga a escolarizao, conciliando a prtica empresarial, a vida na empresa, com a formao terica e profissional do jovem. Neste Programa de Aprendizagem os jovens conhecem bem o funcionamento da empresa e das funes a serem executadas, proporcionando a possibilidade de efetivao, desta forma se valorizarmos estes jovens, o sonho de alcanar seus objetivos em uma organizao ou fazer uma faculdade se torna um sonho possvel, frisa.

Curso de qualificao capacita jovens

A aprendizagem proporciona renda e melhor qualidade de vida para os jovens e suas famlias, conforme o Centro de Integrao Empresa-Escola (CIEE). Em Cricima, o programa CIEE Aprendiz oferece formao tcnica bsica, que facilita a abertura de portas no mercado de trabalho.
Os cursos oferecidos pelo programa so de rotina administrativa e de atendimento, rotinas e procedimento bancrios, atendimento em supermercados, teleservios, logstica, embalagem e etiquetagem, linhas de produo e vendas.
O programa de desenvolvimento estudantil proporciona aos jovens complementaes dos conhecimentos, habilidades e atitudes, facilitando o ingresso e a permanncia deles nas empresas. Para os jovens, esta lei federal traz benefcios como a primeira oportunidade de ingressas no mercado de trabalho, o primeiro emprego, a renda para auxiliar nos estudos ou nas questes familiares. Em muitos casos o jovem permanece na empresa depois do trmino do contrato de aprendizagem, visto que as empresas buscam incorpor-los no mercado, ressalta a supervisora da unidade do CIEE em Cricima, Daiane Torquato Brolessi.
De acordo com Daiane, o desenvolvimento do programa em Urussanga est satisfatrio e a cidade possui grande potencial para ampliar o Adolescente Aprendiz. Muitas empresas deveriam aproveitar esses jovens, j que afirmam que no h mo de obra qualificada. O programa uma forma de preparar o jovem para ser um profissional dentro da empresa. possvel mold-lo e dar esta oportunidade de emprego para quem do municpio. Infelizmente na AMREC atendemos apenas 330 adolescentes aprendizes. Poderia ter muito mais, pontua.

Aciu planeja trazer treinamento para Urussanga

Uma das grandes preocupaes das empresas de Urussanga o encaminhamento dos jovens aprendizes aos cursos de capacitao em Cricima. Para auxiliar nesta situao, a Associao Empresarial de Urussanga (ACIU) busca junto ao CIEE a realizao dos treinamentos na cidade.
O CIEE j se disps a trazer os cursos para o nosso municpio. Mas para isso necessrio a formao de uma turma com a participao mnima de 20 jovens. Em Urussanga ainda no temos este nmero de aprendizes. Talvez com a adeso de mais empresas ao programa seja possvel resolver esta situao, explica a secretria executiva da ACIU, Gerusa Fontanella.

Adolescente aprendiz vislumbra carreira profissional

A espontaneidade e o modo de se comunicar garantiram jovem Daniele Cataneo, de 16 anos, a oportunidade de ingressar no mercado de trabalho. No departamento de controle de qualidade da empresa Minaplast, Daniele responsvel pela pesquisa de satisfao.
Nos perodos em que atua, a jovem entra em contato com os clientes e os questiona sobre a qualidade dos produtos oferecidos pela empresa. Estou aprendendo muito sobre comunicao, interao, satisfao, qualidade dos servios, entre outras questes. Minha me uma ex-funcionria da empresa e no pensei duas vezes em aceitar esta oportunidade, conta.
No prximo ano, Daniele ir prestar vestibular e o desenvolvimento de seu trabalho na empresa Minaplast j direcionada para a escolha de sua profisso.
Esta oportunidade em uma grande empresa em minha cidade abre muitas portas. Agora tenho uma outra viso sobre o mercado de trabalho. Penso em prestar vestibular e fazer algo que eu goste. Percebo que gosto desta rea administrativa, de mexer com papis, sistemas no computador, e tambm penso na rea de Direito. Esta experincia est valendo muito a pena, finaliza.

Transtorno bipolar: a doena que atinge cerca de dois milhes de brasileiros

O transtorno afetivo bipolar uma doena que causa oscilao brusca de humor e faz com que a pessoa tenha perodos de euforia, irritao e depresso. A estimativa do Ministrio da Sade de que o transtorno bipolar atinja aproximadamente dois milhes de pessoas no Brasil.
A engenheira civil de iniciais V.V. relata que enfrentou dificuldades para combater o transtorno, relata que no conseguia fazer tarefas simples do dia-a-dia. Eu fazia faculdade, mas no conseguia estudar. Chegou um ponto em que o transtorno comeou a prejudicar muito a minha vida. Tive depresso e algumas euforias, mas s fui procurar um psiquiatra quando veio uma crise muito forte, declara.
O psiquiatra e psicanalista Celso Rubman explica que o transtorno bipolar tem origem gentica e caracterizado por oscilao de humor. O paciente oscila entre estar muito alegre e muito tristeza. Nessas circunstncias, voc percebe que a pessoa no tem controle de que est nesse estado. O diagnstico da bipolaridade pode ser dado aps os 18 anos, mas mais comum na idade adulta. No existe cura para esta doena, mas temos medicao para control-la, explica.
O Sistema nico de Sade (SUS) oferece aos pacientes com diagnstico de transtorno bipolar cinco medicamentos para tratar os sintomas associados doena. Apesar de o medicamento no curar, ele evita que a pessoa tenha crises que interfiram na vida familiar, social e no trabalho.
Conforme informaes do Secretrio de Cincia, Tecnologia e Insumos Estratgicos do Ministrio da Sade, Jarbas Barbosa, um novo protocolo clnico e diretrizes teraputicas foram aprovados para o tratamento do transtorno bipolar. A estimativa de que em 2015, cerca de 270 mil pessoas sejam atendidas com esse novo tratamento e a previso para que em 2019 se chegue a 330 mil pessoas, declara.

LEO Clube Urussanga: um grupo que faz o bem

No dia 25 de maro foi celebrado o dia da solidariedade. Em Urussanga, este gesto exercido por milhares de pessoas ligadas a grupos, entidades, instituies, voluntrios e particulares que se dedicam a fazer o bem ao prximo. Um exemplo o LEO Clube de Urussanga que h mais de 10 anos atua voluntariamente para ajudar a comunidade. Formado por 11 jovens, o LEO Clube uma organizao internacional que proporciona para os participantes a oportunidade de ter liderana e experincia. Contudo, esta instituio filantrpica desenvolve campanhas frequentes, como arrecadao e doao de cestas bsicas, panfletagem e aes em datas comemorativas. Quem participa do Clube, tem a oportunidade de conhecer lugares e pessoas novas, por meio de viagens que acontecem para eventos de integrao entre os clubes da regio e at mesmo de estados, declara a Presidente do LEO Clube de Urussanga, Giulia Faquin.
Hoje, o LEO Clube conta com poucos associados, porm, o objetivo aumentar este nmero para que a instituio se fortalea ainda mais. Para participar necessrio ter entre 12 a 30 anos e ter interesse em fazer o bem. O ingresso no clube acontece de uma forma bem simples. Basta o interessado procurar algum associado ou nos contatar pela fan page LEO Clube Urussanga, no Facebook, explica Giulia. Outra forma de contato tambm pelo Facebook da Presidente, Giulia Faquin, que poder esclarecer mais dvidas.
Segundo a Presidente, o contato mais prximo com as comunidades ensina os associados a se tornarem pessoas melhores e mais solidrias. Vivemos numa cidade onde as pessoas dizem que tem pouca pobreza e problemas, mas atuando pelo LEO pude ver que muitas vezes a necessidade no est num barraco numa comunidade pobre e sim em lugares que nem imaginamos, diz.
A Presidente comenta ainda que a vontade de ajudar o prximo aumenta a cada participao em campanhas. Sabemos que no podemos solucionar todos os problemas da sociedade, mas pequenas atitudes e mudanas, podem fazer a diferena e ajudar uma pessoa a solucionar alguns problemas, declara.

Prximos eventos

Neste sbado, dia 28, acontecer a campanha Venha pintar com o LEO, durante todo o perodo matutino, na Praa Anita Garibaldi. Neste evento, os voluntariados promovem um momento de diverso com as crianas envolvendo o tema da Pscoa.
Tambm no dia 12 de abril, s 14 horas, haver uma reunio na sede do LEO Clube, localizada anexa a APAE de Urussanga, no bairro Centro.
O LEO Clube uma entidade sem fins lucrativos, ento para realizao das campanhas e atividades se faz necessrio a ajuda da comunidade. Mesmo quem no pode frequentar o LEO, tem a opo de ajudar na execuo de campanhas com materiais e patrocnios, que so revertidos em boas aes, finaliza a Presidente.

LIO DE SUSTENTABILIDADE

A escola municipal Ncleo Rio Caet, de Urussanga, desde 2013, est dando exemplo de sustentabilidade, ao implantar e conduzir a sua horta escolar. A escola, ao participar com o projeto Horta Escolar Sustentvel, foi reconhecida em 2014, na 8a edio do prmio Epagri Escola Ecologia Marcia Mortari e, por isso, foi comtemplada com uma viagem de estudos no valor de R$ 4.000,00. O objetivo do concurso dar visibilidade aos trabalhos desenvolvidos em educao ambiental por alunos e professores de instituies das reas rurais, pesqueiras e indgenas, em Santa Catarina. O evento coordenado e executado pela Epagri, com o apoio financeiro do Programa SC Rural. Graas ao exemplo de sustentabilidade na conduo da horta, a escola mereceu destaque, recentemente, numa reportagem de capa do jornal A Tribuna de Cricuma. Atualmente a palavra sustentabilidade est em destaque e, tem sido cada vez mais uma preocupao mundial, felizmente. No se trata de modismo, pois exemplos de sustentabilidade, como o da escola do Rio Caet, so relatados em todos os setores de produo. Desenvolvimento sustentvel tem sido definido como modelo econmico capaz de satisfazer as necessidades das geraes atuais, levando em considerao as necessidades e interesses das futuras geraes. o desenvolvimento que no esgota os recursos para o futuro, conciliando crescimento econmico e preservao da natureza.
O projeto Horta Escolar Sustentvel, implantado em julho/2013, est sendo desenvolvido pelos 60 alunos, professores, diretora e voluntrios, junto escola Municipal Ncleo Rio Caet. O projeto tem como principais objetivos: a) Despertar nos professores, alunos e seus familiares a importncia do consumo de alimentos saudveis produzidos de forma limpa e sustentvel; b) Resgatar a tradio das hortas e pomares caseiros, desenvolvendo nos alunos e seus familiares, professores e funcionrios, hbitos alimentares saudveis, com a adoo de prticas de produo orgnica de alimentos; c) Atravs da horta, esto sendo realizadas aes, visando a preservao e sustentabilidade do meio ambiente para que o aluno tome conscincia de sua responsabilidade. Alm do aproveitamento de garrafas pet e pneus velhos na construo de canteiros, outras prticas sustentveis esto sendo desenvolvidas, tais como a produo de sementes prprias, compostagem (produo na escola de adubo natural, aproveitando os restos de alimentos da cozinha, restos de cultivos e aparas de grama), armazenamento e aproveitamento de gua da chuva para a irrigao da horta e, ainda, a preservao e ampliao da biodiversidade (cultivo de grande nmero de espcies de plantas), visando o equilbrio ecolgico e o manejo de doenas e pragas.

Mandioca: setor se mobiliza para assegurar rentabilidade

No dia 17 de maro aconteceu a 33 reunio ordinria da Cmara Setorial da Cadeia Produtiva da Mandioca e Derivados em Braslia, no Distrito Federal. O objetivo do evento foi falar sobre o momento crtico que vive o setor da mandioca. O Pesquisador da Epagri e Engenheiro Agrnomo, Enilto de Oliveira Neubert foi um dos participantes da reunio.
Os agricultores do Sul e Sudeste aumentaram a produo da mandioca aps um perodo de seca prolongada que ocorreu na regio nordeste. Porm, hoje a realidade outra, devido aos produtores do nordeste terem voltado a produzir. As lavouras do Centro Sul j haviam sido ampliadas e as indstrias estavam produzindo em ritmo elevado. Tais fatos somados provocaram elevao da oferta tanto pelas indstrias como pelos agricultores e fizeram os preos carem em alguns casos, abaixo do custo de produo, conforme informaes do Pesquisador.
Segundo Neubert, na reunio da Cmara Setorial, foi elaborado um documento com sugestes para que o setor se recupere da atual crise, que ser enviado ao Ministrio da Agricultura. O contedo desse documento contempla aes para enxugar o mercado e promover o realinhamento dos preos para patamares suportveis pela atividade. Nele constam reivindicaes como atualizao dos preos mnimos, prorrogao dos financiamentos agrcolas e implementao de AGF e de EGF, afirma.
Urussanga no sofre com a crise na mandioca, devido maior parte dos produtores cultivarem o aipim. Apenas 10% dos 90 hectares de mandioca e aipim plantados, so de mandioca. Os municpios da regio que mais foram afetados so: Sombrio, Santa Rosa, Sango e Jaguaruna. Urussanga tem a sorte de que a maior parte do plantio para a venda do aipim e no da mandioca que destinado indstria, explica Neubert.
A pedido da Associao da Indstria da Mandioca e Derivados do Estado de Santa Catarina (AIMSC), o pesquisador da Epagri, Enilto de Oliveira Neubert representou a entidade na reunio. A Epagri possui bom envolvimento com a cadeia produtiva da mandioca do Estado e alm das solues tecnolgicas que tem apresentado tambm contribui em momentos como esse que objetivam elevar a renda dos agricultores e dos demais negcios derivados. O deputado catarinense Ronaldo Benedet se empenhou e conseguiu marcar uma audincia com a Ministra Ktia Abreu. Ela foi muito sensvel com a situao do setor e definiu importantes encaminhamentos, finaliza Neubert.

Associados da Coopercocal aprovam as contas e elegem novo conselheiro fiscal

A Cooperativa Energtica Cocal (Coopercocal) realizou na ltima sexta-feira, dia 20, a Assembleia Geral Ordinria.
O evento aconteceu na sede recreativa da cooperativa e contou com um bom nmero de associados. Na ocasio foram apresentados os itens da ordem do dia, sendo todos aprovados por unanimidade. Por fim foram eleitos por aclamao os novos membros do conselho fiscal composto por Antonio Carlos Mezzari, Manoel de Jesus e Roberto Jos Amoriso como efetivos e Erik Pereira Zeferino, Isair Marino Bonomi e Aroldo de Jesus como suplentes. Foi aprovado tambm a demisso do quadro social do Condomnio Fecuerusc Assistncia Tcnica Extremo Sul. O presidente Altair agradeceu a presena de todos e salientou a importncia da presena dos associados para a participao da Assemblia.

Construo de escola rural em ritmo acelerado

As obras da futura Escola Municipal Rural Rosalino De Nez, no bairro Palmeira do Meio, em Urussanga, esto em ritmo acelerado. O investimento de mais de R$ 970 mil, realizado em convnio com o Ministrio da Educao.
A nova escola ter bloco pedaggico, bloco de servio e bloco administrativo, nos quais estaro salas de aula, sala de leitura, sala de informtica, ptio interno e passarelas de ligao, diretoria, secretaria e arquivo, sala dos professores, almoxarifado, banheiros administrativos e coletivos, cozinha, despensa, vestirio e rea de servio.
O espao vai abrigar os alunos dos anos iniciais do ensino fundamental da comunidade, que hoje estudam na escola j existente no baixo, mas cuja rea no comporta mais a demanda, explica a secretria municipal de Educao, Brgida Marioti. A escola atual ser transformada num centro de educao infantil (CEI), para suprir uma necessidade antiga das comunidades de Palmeira do Meio e Rio Molha.

Cmara em Ebulio ou No Sossego do Lar

Eu assisto s sesses da Cmara de Vereadores de Urussanga. Sempre pela internet, no sossego do lar.
Posso afirmar que esto cada vez mais quentes. Tendem, daqui em diante, a entrar em ebulio.
A oposio levanta o tom de voz e o lder do governo parece sozinho, desamparado de seus pares em discursos tortuosos.
Na ltima reunio, at mesmo a presidente da casa, governista e professora, ficou ao lado de sua classe na luta em andamento contra o poder executivo, reivindicando o piso salarial. H uma crise em gestao.
Quando a atual administrao estava em campanha, sua maior promessa era praticar um jeito novo de fazer poltica.
Mas a crise atual parece ter como causa justamente o fato de tal promessa no estar sendo cumprida. Sim, o governo tem muitos mritos.
Realiza obras, capta bem os recursos, possui entusiasmo para movimentar a cidade, mas politicamente frgil, no se coordena, relaciona-se desajeitadamente com o legislativo e com a populao, pratica uma poltica que no nova, mas velha conhecida.
O prprio partido do prefeito est visivelmente dividido. No so raros os peemedebistas que hoje desaprovam o modo como a gesto vem sendo conduzida.
Por outro lado, o partido do vice sofre queda livre em popularidade, e a rejeio sigla PT enorme por aqui.
A cada defesa pblica que o vice-prefeito faz do governo federal e de seu partido, aumenta um pouco o nvel de irritao dos muncipes, acentua-se o desconforto geral.
As sesses da Cmara so um termmetro a medir o nvel de agitao do municpio. Assistir a elas um programa que eu recomendo, sinceramente.
Ainda mais agora, com a temperatura ascendendo e com o calor dos debates a revelar uma realidade tensa por trs da paz aparente, fictcia, apenas desejada. nimos exaltados, acusaes em profuso.
Vejamos aonde isso vai parar acompanhando os prximos captulos da nossa novela das teras. Pela internet, no sossego do lar.

Domingo de Ramos inicia Semana Santa

A Semana Santa inicia neste domingo, dia 29, com a celebrao do Domingo de Ramos. Cristos iro a Igreja Matriz s 8 horas e s 18h30min para acompanhar a celebrao da Missa com a Beno de Ramos, uma semana antes da ressurreio de Jesus Cristo. Os ramos que os fiis carregarem sero abenoados pelo sacerdote.
Este momento de celebrao recorda a passagem de Jesus Cristo pela cidade de Jerusalm, o qual foi aclamado como rei pela multido no domingo e crucificado sob o pedido da mesma multido na sexta-feira. A Semana Santa ir recordar a trajetria de Jesus, sua morte e ressurreio: sua entrada em Jerusalm, seu ltimo encontro com os discpulos, sua priso, seu julgamento em praa pblica, sua condenao, sua penitncia, sua morte e ressurreio.
A prxima celebrao em Urussanga acontecer na Quinta-feira Santa, s 19h30min, com Missa da Instituio da Eucaristia e Lava Ps, no Centro Comunitrio e das 21 s 15 horas com Adorao Eucarstica.

Escola ganha sistema de captao de gua da chuva

Um sistema de captao de gua da chuva j est beneficiando a Escola de Ensino Fundamental Lucas Bez Batti, em Santana. A cisterna foi inaugurada na ltima sexta-feira, dia 20, e possui capacidade para armazenar cinco mil litros de gua. A inaugurao integrou a programao da Semana da gua.
O sistema capta a gua do telhado do ginsio, que ser usada em atividades que no necessitam de gua potvel. O projeto foi implementado pelo Servio Municipal Autnomo de gua e Esgoto (Samae) de Urussanga e pela Epagri, com apoio da Prefeitura de Urussanga e do Governo do Estado. Ele complementa as orientaes que todas as escolas de Urussanga j transmitem aos alunos, no sentido de conscientizar para o uso racional da gua. Agora esperamos que essa conscientizao saia das escolas e chegue s casas. Que os alunos levem essa mensagem aos pais, declarou a diretora da escola, Nalu Donato Velho.
Para o vice-prefeito, Luiz Henrique Martins, por meio das crianas e dos jovens que a sociedade pode evoluir ao ponto de no desperdiar mais gua. Temos que trabalhar para que venha uma nova gerao com uma mentalidade diferente, que chame a ateno dos pais e dos colegas, disse. importante cuidar bem da gua porque, no futuro, quem vai sentir a consequncias so as crianas de hoje, acrescentou a secretria municipal de Educao, Brgida Marioti.

QUADRUPLICAR A CONSCINCIA
Segundo a extensionista da Epagri em Urussanga, Maria Cristina Cancellier da Costa, esta a terceira cisterna instalada em Urussanga. As duas primeiras foram nas escolas municipais Lydio de Brida, no Nova Itlia, e na do Rio Caet. O diretor do Samae de Urussanga, Vanio Comin, informou que o municpio trabalha para quadruplicar a capacidade do reservatrio que atende comunidade de Santana. Mas s isso no basta. preciso quadruplicar a conscincia de cada um de ns, frisou.

PROJETO GUA: ESCASSEZ GLOBAL E SOLUES LOCAIS
No porque a Semana da gua j passou que as campanhas de conscientizao sero encerradas em Urussanga. O trabalho continuar at o fim do ano por meio do projeto GUA: Escassez Global e Solues Locais, realizado pelo Samae de Urussanga, em parceria com a Secretaria Municipal de Educao, a Unibave e Rede Internacional de Escolas Criativas. Esto previstos trabalhos como palestras e workshop com alunos e professores; formao de professores para atuarem com este projeto e realizao de oficinas pedaggicas que propiciem a reduo do consumo de gua. Vrios alunos j assistiram a uma esclarecedora palestra sobre a importncia da gua e sobre como esse bem limitado.

O SACRAMENTO DA RECONCILIAO: Exame de Conscincia

Meus irmos e minhas irms em Cristo, quero, nestes dias que antecedem as festas pascais que so os grandes mistrios do amor trinitrio de nossa f, quero partilhar com vocs algumas Orientaes para que faamos uma boa Confisso:

1.Meu relacionamento com Deus: Que lugar Deus ocupa em minha vida? Deus importante para mim ou fao dele um pronto-socorro que s me serve nos momentos difceis? Tenho me preocupado conhecer a f crist? Participo da vida da comunidade? Busco ouvir a Palavra de Deus e participo das celebraes? Ou prefiro viver individualmente a minha f, sem compromisso com ningum? Sou preocupado com a minha vida espiritual, ou apenas me interesso por moda, dinheiro, festas, sexo, prazer? Tenho ofendido a Deus com blasfmias e juramentos falsos? Tenho faltado com respeito a Deus, aos Santos e a Igreja de Cristo?
2. Meu relacionamento comigo mesmo: Considero a minha vida como um dom precioso que Deus me deu?Tenho cuidado de minha sade? Ponho a servio da famlia e da comunidade as qualidades (dons) que recebi de Deus? Tenho cuidado e respeito com meu corpo, sabendo que Deus est presente nele? Tenho manchado minha mente com pensamentos ou desejos impuros (maldosos e maliciosos)? Tenho escandalizado os outros com minhas palavras e aes?
3. Meu relacionamento com os outros: Tenho me relacionado bem com minha famlia? Tenho prejudicado os outros com ofensas e calnias? Tenho desprezado o prximo, sobretudo, os pobres, os doentes, os idosos, as pessoas de outras raas e de outras religies? Tenho aconselhado e praticado o aborto? Sou honesto (a) nos negcios? Tenho roubado, prejudicado o prximo ou cobiado seus bens? Guardo dio de algum? Estou de mal com alguma pessoa?
4. Meu relacionamento com as coisas: Deixo-me escravizar pelos bens que possuo: casa, carro, dinheiro, emprego, posio social? Tenho respeito e cuidado com os bens pblicos: jardins, par ques iluminao, gua…? Sei controlar-me na comida e na bebida, de modo a no prejudicar a mim mesmo e aos outros? Tenho algum envolvimento com drogas? Tenho dedicado pouco tempo famlia e muito tempo televiso, internet (redes sociais) e celular?

Duas perguntas importantes para nossa Catequese:

a) Quem o ministro deste sacramento? So os Bispos e os Padres que tm, em virtude do sacramento da Ordem, o poder de perdoar os pecados em nome do Pai, do Filho e do Esprito Santo.

b) Pode-se confessar diretamente com Deus? O perdo, de fato, vem de Deus. Entretanto, o pecado um ato social. Mesmo que seja praticado e conhecido somente por quem o praticou, ele tem consequncias sociais, isto , prejudica toda a comunidade humana. Por isso, Jesus confiou Igreja tambm a administrao deste sacramento. Ora, o sacramento sinal sensvel da graa. O padre, por mandato de Jesus, um outro Cristo e representante da comunidade. Cabe a ele, acolher o penitente e, em nome da Trindade e da Igreja, perdoar-lhe os pecados.
Uma boa Confisso e um abrao fraterno do seu irmo em Cristo que contigo caminha para juntos iniciarmos a Semana Maior: a Semana Santa!

Projeto que exibe grandes clssicos do cinema estreia em Urussanga

Na semana passada aconteceram as primeiras sesses do Projeto Cine Mult Clssicos, que exibe em Urussanga filmes clssicos e adaptaes literrias para o cinema, sempre as quintas e sextas-feiras, s 21 horas. Conforme um dos organizadores do projeto, Luciano Schimidtz, nos dois primeiros dias o pblico compareceu em nmero razovel. Confesso que esperava um pouco mais, mas quem esteve presente saiu muito satisfeito, e certamente voltar trazendo outras pessoas, disse Schimidtz. Daniela Mondardo, que tambm est frente dos trabalhos, espera alcanar um pblico maior nas prximas sesses. Fiquei satisfeita com a participao, mas sei que podemos trazer mais pessoas para o cinema, uma cultura ainda pouco aderida em nossa cidade, explica. O objetivo do Cine Mult Clssicos valorizar a sala de cinema da ONG Multiplicando Talentos, localizada no Centro Empresarial Ademir De Brida e oferecer s pessoas a oportunidade de assistir a grandes filmes no telo. O pblico que participou da estreia aprovou a iniciativa. Bons filmes no tm data e todos os fs de cinema sabem o quo gratificante assisti-los no telo, disse Renato de Bona Sartor, que assistiu ao Taxi Driver, clssico de 1976.
Os organizadores dizem que, se houver aceitao do projeto, a tendncia ampli-lo, promovendo sesses aos finais de semana, sesses infantis e outros eventos, como pequenos festivais temticos. Em maio, por exemplo, em homenagem ao aniversrio da cidade, sero exibidos apenas filmes italianos. Aos poucos estamos acertando detalhes tcnicos, mas a resposta inicial do pblico foi bem positiva, anima-se o promotor do Cine Mult Clssicos, Danilo Anastcio. Os ingressos custam 10 reais para todos os filmes do Cine Mult Clssicos.

Para ele e seus colegas de projeto, a cidade crescer culturalmente caso o pblico saiba explorar e aproveitar o potencial que a sala de cinema da Multiplicando Talentos possui. Os ingressos custam 10 reais para todos os filmes do Cine Mult Clssicos.

Vino, amore e tradizione: o resgate da cultura italiana que deixa saudade

As primeiras notas da cano logo despertam os ps para a sincronia dos passos. O ritmo embala os corpos e envolvem os casais os unindo por meio de movimentos com as mos. H muitos anos, por todo o mundo, a dana tornou-se uma forma de expressar os costumes e as tradies de um povo e de celebrar a vida.
Na Itlia, as aptides musicais e o folclore eram cultivados por todas as classes e ganhavam as ruas, casas, sales de festas e at as estrebarias. Aos poucos, ritmos e movimentos diferentes foram incorporados aos costumes e ao cotidiano dos italianos, fazendo da cultura um modo de viver.
A ligao com a cultura italiana e o amor pela cidade de Urussanga fez com que 18 jovens se unissem no final da dcada de 80 para difundir o folclore por meio do Grupo Vino, Amore e Tradizione. A entidade cultural, fundada em janeiro de 1988, foi idealizada por alunos da escola de lngua italiana Padre Luigi Marzano.
Everaldo Campos Jos, Neide De Pelegrin, Jos Luiz Loureno Da Silva, Glaudiceia Teixeira, Ramon Vilson Bonetti, Glicia Pagnan, Marcos Loureno Da Silva, Cristiani DallAsen, Rogrio Cechinel, Claria Ligia DallAsen, Roberto Silvino Candiotto, Rosana Mazzuco, Eriberto Campos Jos, Marinete Mazzuco, Joercio Zuchinalli, Lourdes Sangaletti, Rodnei Kestering e Veronica Piovesan Kestering foram os primeiros componentes do grupo.
Fizemos trajes tpicos e decoramos um carro para participar de um desfile de uma festa da cidade e isto despertou o nosso interesse. Nosso objetivo era difundir a cultura italiana, preservar, valorizar. Amadureceu a ideia e escolhemos o nome dentro do sugerido por todos com palavras que representavam nosso municpio, conta uma das fundadoras, Neide De Pelegrin.
O nome Vino, Amore e Tradizione expressava o sentimento que os alunos tinham por Urussanga. A palavra vinho representava o fruto oriundo do trabalho dos avs, o qual tornou a cidade conhecida nacionalmente. Amore simbolizava o amor pela terra, pelas razes, costumes e a dedicao dos imigrantes ao desbravarem as florestas, transformando-as em campos produtivos para seus descendentes. A ltima palavra traduzia o verdadeiro intuito do grupo: valorizar e manter a tradio para que a histria no fosse esquecida.

TRAJES E DANAS FORAM INSPIRADOS NAS APRESENTAES DE GRUPOS ITALIANOS
A confeco dos trajes tpicos e a coreografia das danas eram as principais preocupaes dos integrantes no incio da formao do grupo. Na poca, integrantes enviaram cartas a presidentes de grupos folclricos na Itlia solicitando informaes sobre os assuntos.
As respostas nunca foram negativas e ajudaram o Grupo Vino, Amore e Tradizione a compor danas e trajes representando as provncias italianas de Belluno, Treviso, Trento e Brgamo.
Nosso primeiro traje era simples e ganhamos da primeira dama na poca, Ana Mariot. Depois fomos recebendo materiais enviados pelos grupos italianos e aprimorando as peas de roupas, apesar da dificuldade para encontrar tecidos diferentes e estampas. No traje trentino, por exemplo, a saia vermelha era utilizada pelas mulheres solteiras. E as amarelas pelas casadas. Tudo era baseado na histria do folclore italiano, explica Neide.
O traje tpico feminino era composto por saia longa, colete, blusa, avental, ngua, leno, cala com bordado ingls e meias. J os homens vestiam camisa, colete, cala, meias e chapu. Uma entidade da regio do Veneto chegou a presentear as mulheres do grupo em 1994 com lenos e acessrios para cabelo denominados spillone. Os 23 grampos na cabea das danarinas representava a riqueza de uma famlia.
Por meio de vdeos encaminhados pelos grupos folclricos italianos, o Grupo Vino, Amore e Tradizione extraa as canes tpicas, realizava os ensaios e preparava as apresentaes. No total, o grupo de Urussanga incorporou 15 danas italianas repletas de gestos e significados. Na dana da colheita da uva havia gestos que remetiam ao ato de colher, amassar e ao brinde. J a dana dos seis trabalhos expressa os instrumentos, objeto de servios. Com os ps eles faziam o som do toque do moinho, por exemplo. Tudo isso enriquecia as danas, apresentaes, e mostrava o cotidiano dos imigrantes, salienta Neide.

Espetculos eram reconhecidos pelo pblico

Aps ensaiar aos sbados a tarde e se apresentar em diversas cidades de Santa Catarina apenas ganhando transporte e alimentao, os integrantes do Grupo Vino, Amore e Tradizione consideravam o reconhecimento do pblico a sua maior recompensa. Em uma apresentao no norte do Estado, onde ns, com nossos trajes simples, sem brilho, comparado aos de outros grupos, fizemos mais uma apresentao, fomos surpreendidos pela emoo de uma senhora. Com lgrimas nos olhos, a italiana nos parabenizoue afirmou que de todas as apresentaes o nosso grupo tinha sido o nico a representar o verdadeiro folclore italiano por meio da dana e dos trajes corretos. Isso foi muito gratificante, pois muito fomos criticados, e em um lugar longe de Urussanga, recebemos o reconhecimento de uma forma singela, porm gratificante por ver que nosso trabalho no estava sendo em vo, desabafa a ex-integrante Clara DallAsen.
Os espetculos do grupo urussanguense consistiam na apresentao de seis a sete danas com a durao de 2 a 4 minutos cada. Antes de cada dana, um integrante do grupo fazia uma explanao sobre a histria e o significado dos gestos. Cricima, Siderpolis, Orleans, Brao do Norte, Laguna, So Jos, Florianpolis, Itaja, Nova Trento, Brusque, Treze Tlias, Rio DOeste foram algumas das cidades catarinenses nas quais o grupo se apresentou, alm de Nova Petrpolis e Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul. O Grupo Vino, Amore e Tradizione tambm era procurado pela imprensa estadual para a realizao de matrias especiais em publicaes impressas e gravaes televisivas.

Reestruturao do grupo almejada por ex-integrantes

Devido migrao de diversos integrantes para a Alemanha, o Grupo Vino, Amore e Tradizione encerrou suas atividades em 2003 contabilizando mais de 210 apresentaes e a passagem de mais de 200 jovens entre 12 e 30 anos. Naquela poca os jovens tinham interesse de participar do grupo folclrico. Eles sentiam satisfao, prazer. Amavam danar e representar a nossa cultura. A ida de amigos para o exterior os desestimulou e a falta de apoio tambm. Nosso reconhecimento maior foi a Medalha do Gemellaggio, em 1995, j que colaborvamos com a cultura. Durante quase 15 anos, sem interrupes, fizemos nossas apresentaes. Sou apaixonada por folclore, pois ele que representa o que o povo tem de melhor: os costumes e as tradies. O grupo pode ser reestruturado novamente, mas dependeria do interesse de jovens, de questes financeiras, entre outras questes, para que o nosso folclore no seja esquecido, salienta Neide.
Para a ex-integrante Clara DallAsen, danar transformava-se em prazer e representava uma forma de divulgar Urussanga. Era uma emoo poder mostrar um pouco de nossa histria atravs da dana. Eu participei do grupo desde a sua fundao at o momento em que decidimos parar com as atividades do mesmo. Foi uma experincia muito boa, pois muito aprendi e tive a oportunidade de trocar experincias, conhecer outros grupos e pessoas. Foi uma poca muito boa e que deixou saudades. A esperana de voltar ativa com o grupo no um sonho s meu, mas sim da maioria dos ex-componentes. Porm precisamos de apoio, j que sem isso fica invivel querer retornar. Acredito sim que possa se tornar ativo e voltar a ser uma forma de divulgar a cultura italiana e o nome de Urussanga, finaliza.

Projeto visa reduo do consumo de gua

Estimular a implementao de alternativas que visem reduo do consumo da gua em Urussanga o objetivo do projeto gua: Escassez Global e Solues Locais, que ser desenvolvido pelo Servio Municipal Autnomo de gua e Esgoto (Samae) de Urussanga e Secretaria Municipal de Educao em parceria com a Unibave e Rede Internacional de Escolas Criativas. A partir deste ms, uma srie de aes ser aplicada nas escolas da rede municipal no ensino fundamental at o final do ano letivo.
Queremos diminuir a distncia entre a realidade mapeada e a realidade desejada, discutindo o tema por meio da elaborao de mapeamento sobre o consumo de gua, pesquisas e criao de alternativas para reduo do consumo. Estas so iniciativas pedaggicas inovadoras desenvolvidas pela Unibave com o apoio de instituies nacionais e internacionais, explica a secretria de Educao, Brigida Mariot.
Segundo o diretor do Samae, Vanio Comin, a iniciativa busca ressaltar a importncia do uso consciente dos recursos hdricos. Durante todo ano, e no apenas no Dia da gua, queremos mostrar aos alunos como fazer o uso correto, com conscincia, abordando temas do cotidiano como a utilizao da gua na cozinha, no banheiro, para que eles possam levar e melhorar suas aes nas casas e famlias, salienta.
Entre as aes esto previstos trabalhos como palestras e workshop com alunos e professores, formao de professores para atuarem no projeto e realizao de oficinas pedaggicas que propiciem a reduo do consumo de gua. Com este planejamento estamos propondo que um tema to importante quanto este seja mencionado e trabalhado de maneira ampla e contnua, objetivando conscientizao e responsabilidade desde cedo, frisa. O cronograma do Samae de Urussanga e da Secretaria de Educao inicia na prxima segunda-feira, dia 23, s 19h30min, com uma palestra aberta para a comunidade, professores e interessados no Centro Comunitrio da Matriz com o tema gua: Escassez Global e Solues Locais. O ministrante ser o presidente do Comit da Bacia do Rio Urussanga e professor da Unesc, Jos Carlos Virtuoso.

Samae projeta aes para garantir o futuro da gua nas comunidades

Quanto vale o copo de gua que voc consome? Depender da sua necessidade, da sua sede. Se estiver em um deserto sem saber quando ir encontrar um poo? Ele vale muito, pois seu corpo precisar. Mas se estiver prximo a uma nascente preservada diariamente? Ele vale muito mais e deve ser valorizado e consumido com conscincia. E desta conscincia que o mundo precisa para que possamos garantir o futuro da gua, enaltece o diretor do Samae de Urussanga, Vanio Comin.
Prevendo a garantia de abastecimento de gua nas prximas dcadas para a populao de Urussanga, o Servio Municipal Autnomo de gua e Esgoto (Samae) est buscando novos pontos de captao em diversas comunidades. Atualmente, as reas de maior preocupao do Samae so Belvedere, Rio Maior e Santana. No Belvedere, por ser uma regio montanhosa, a gua no para e em alguns pontos o solo embaixo oco. Fizemos um estudo para um poo artesiano, mas no local idealizado no ser possvel. Ainda estamos em busca da soluo para este problema, comenta.
Devido ao crescimento populacional e a instalao de empresas, o poo artesiano localizado na comunidade de Rio Maior est atuando no limite. Por isso est em fase de licitao um projeto para implantao de um poo artesiano em Palmeira do Meio, que auxiliar no abastecimento da regio. Em Santana, um perodo de seca h trs anos alertou ao Samae a necessidade de ampliar o reservatrio de 50 mil litros para 200 mil litros. Um projeto est sendo finalizado para ser encaminhado a Funasa visando captao de recursos. Utilizamos recursos prprios, exceto no caso de Santana, para sanar uma preocupao constante, que manter a qualidade e quantidade de gua de abastecimento. Contamos com um grande aliado que a populao por meio do uso racional e consciente da gua, frisa.
Atualmente o Samae de Urussanga atua na ampliao de rede para atender comunidade de Ribeiro da Areia, no municpio vizinho de Pedras Grandes. A obra resultado de uma parceria entre os governos das duas cidades. Com a obra, cerca de 60 famlias de Pedras Grandes passaro a ser atendidas pelo Samae de Urussanga. Como compensao, o municpio vizinho disponibilizar uma fonte de gua, que ser usada no futuro para a captao. Precisamos planejar o futuro, por isso importante j ter outras fontes disposio, explica Comin.

Escolas implantam cisternas para economizar gua e conscientizar

Desde novembro de 2012, a escola Lydio De Brida possui um sistema de captao e utilizao da gua da chuva. O projeto da cisterna, com capacidade para armazenar cinco mil litros de gua, foi implantado pela escola em parceria com a Epagri e o Samae.
A gua da chuva que desce pelas calhas da fachada do Ginsio de Esportes utilizada na higienizao da escola, limpeza dos ptios e caladas e para regar as plantas e o gramado. A ideia de auxiliar a poupar a gua tratada reduziu o consumo que, na poca, era de um milho de litros por ms.
Segundo a diretora da escola, Luciana Leopoldo de Souza Peruchi, a ideia difundida pelos alunos em suas famlias. O tema gua bastante discutido em sala de aula e nossos alunos participam de palestras e de projetos ambientais com o objetivo de torn-los mais conscientes sobre a utilizao da gua, dentro e fora da escola. Os benefcios e vantagens da cisterna vo desde evitar a utilizao de gua potvel onde no necessrio como, por exemplo, a irrigao de plantas e limpeza do ambiente escolar at a contribuio com o meio ambiente e com a conservao da mesmo, ressalta.
Neste sbado, dia 21, o Samae de Urussanga, em parceria com a Epagri e Prefeitura de Urussanga, ir inaugurar um sistema de captao e utilizao da gua da chuva na escola Lucas Bez Batti, em Santana, com capacidade para cinco mil litros de gua. A gua ser captada da calha do Ginsio de Esportes da escola e servir para a higienizao do local e cultivo de plantas. Logo a instituio de ensino tambm ir implantar uma horta sustentvel, explica o Diretor do Samae, Vanio Comin.