A pesquisa a favor do agricultor

As dificuldades e os desafios de 650 agricultores se transformam em materiais de pesquisa nas mos dos profissionais da Empresa de Pesquisa Agropecuria e Extenso Rural de Santa Catarina (Epagri), na Estao Experimental de Urussanga. Os trabalhos desenvolvidos pela Epagri de Urussanga tm o intuito de produzir informaes e resultados atravs de pesquisas em culturas como a mandioca, pssego, ameixa, nectarina, banana, maracuj, feijo, cana de acar, palmito, uva Goethe e o processo de vinificao.
Segundo o gerente da Epagri de Urussanga, Fernando Preve, todo o conhecimento gerado dentro das unidades de pesquisa so repassados para a sociedade atravs de cursos, treinamentos, dias de campo e reunies e beneficiam as famlias rurais.
Desta forma, os interessados podem se apropriar e transformar o conhecimento em produtos e riqueza para Santa Catarina. Em nosso Estado predomina a agricultura familiar e precisamos de pessoas e profissionais bem capacitados para enfrentar o desafio de produzir alimentos em um ambiente econmico competitivo. Santa Catarina se destaca no cenrio nacional como um estado mpar, onde a criatividade, o conhecimento, o empreendedorismo e o trabalho fazem com que sejamos o quinto produtor nacional de alimentos, explica.
A Estao Experimental de Urussanga tem gerado constantemente novas variedades de diversas culturas como a variedade de batatinha Cota e Catucha, de mandioca como Sango e Jaguaruna, de pssego como Mondardo e nectarina como Julema. No prximo ms, duas novas variedades de mandioca sero lanadas.
Conforme Preve, outros trabalhos de cruzamento e selees realizadas dentro da estao que no esto registrados so de domnio pblico como, por exemplo, o maracuj azedo, que tem gerado grande repercusso econmica na regio.
Recentemente a Estao Experimental iniciou um programa de coleta de sementes e estudos em palmiteiro que a mdio e longo prazo podero representar uma grande oportunidade econmica para os agricultores familiares. A unidade tambm auxilia os produtores de vinho com anlises de rotina que resultaram em uma elevao em parmetros de qualidade.

NOVO LABORATRIO
At o final do ms de setembro, a Epagri de Urussanga ir inaugurar um novo laboratrio na unidade. A obra com 378 metros quadrados ter salas para estudo e criao de insetos, estudo de doenas, estudo do amido, estudo da gentica molecular, laboratrio fsico qumico de suporte a experimentos.
Essas aes acontecero em um ambiente adequado e mais racional. Agora a estrutura est recebendo o mobilirio novo e sob medida. Tambm estamos em andamento com mais licitaes de equipamentos que iro contribuir para torn-lo mais equipado e com isso proporcionar a realizao de novas pesquisas e melhorar a prestao de alguns servios, salienta.

INOVAES
De acordo com o gerente da Epagri de Urussanga, o rgo ligado ao governo possui o compromisso de estar atenta e auxiliar na busca por solues a desafios. Para Preve, os maiores desafios dos prximos anos sero a produo de alimentos, a humanizao das tarefas rurais e a preservao dos recursos hdricos.
A agricultura significa vida e o alimento tem que ser saudvel. Hoje cada cidado brasileiro tem 5 kg de agrotxicos contabilizados anualmente na sua dieta e o Brasil se tornou o maior mercado mundial de agrotxicos. Nossas famlias rurais esto envelhecidas e a mo de obra tambm est mais escassa. Ento temos o desafio de humanizar as tarefas rurais aumentando o rendimento do trabalho e diminuindo a sua penosidade, garantindo alimentos saudveis para a sociedade. Temos o desafio de conservar a gua e de continuar a manter a biodiversidade de forma que as futuras geraes possam prospectar nela, solues para a sua sobrevivncia e talvez o maior deles o de fazer a agricultura uma opo de escolha to atrativa quanto qualquer outra profisso, finaliza.

Linhas de crdito facilitam a realizao de sonhos

Aquisio de maquinrios, incentivo a produo de alimentos e investimentos nas propriedades e nos cultivos dos agricultores aumentaram nos ltimos anos. O surgimento de linhas de crdito direcionadas para a agricultura est auxiliando na produo de milhares de famlias no Brasil. Um exemplo disso so os servios oferecidos pela agncia Sicoob/Credisulca. A cooperativa foi fundada h 25 anos por um grupo de amigos agricultores e atua a quase nove anos em Urussanga.
Segundo o gerente da agncia do Sicoob/Credisulca de Urussanga, Edson Alves Santana, a cooperativa possui diferenciais que atraem novos clientes a cada ano. Nosso atendimento e as taxas atrativas so pontos muito bem vistos pelo associado. Alm disso, cada associado recebe no final do ano um retorno financeiro com uma participao nos lucros da agncia, explica.
O Crdito Rural uma das grandes apostas do Sicoob/Credisulca de Urussanga, visto que busca ampliar, diversificar e modernizar a produo do agricultor. De acordo com o auxiliar de crdito, Rodrigo Evangelista as opes, as taxas e a facilidade beneficiam os produtores. Identificamos a necessidade de cada um e buscamos ajud-lo de uma maneira com que ele possa desenvolver ainda mais o seu negcio, frisa.
O Sicoob disponibiliza solues que atendem a agricultura familiar com linhas de comercializao, custeio e investimento, alm de opes de seguro. As linhas vo desde o custeio para diversos cultivos e o investimento agrcola e pecurio para equipamentos com um prazo maior para conseguir pagar o bem financiado at a comercializao agrcola para armazenamento na poca da colheita, salienta o gerente. Atravs do Banco Nacional de Desenvolvimento Econmico e Social (BNDES), o Sicoob/Credisulca oferece mais cinco opes para o agricultor incrementar a produo. Com uma linha de investimento o produtor rural poder financiar mquinas agrcolas, tratores, colheitadeiras, animais para cria e recria, implantao de sistemas de armazenagem e de irrigao, projetos de melhoria gentica, adequao e correo de solo, recuperao de pastagens, aes de preservao ambiental, entre outras finalidades. De acordo com o gerente, o Pronaf Mais Alimentos a linha de crdito mais procurada na agncia Sicoob/Credisulca de Urussanga, pois financia propostas ou projetos de investimento para produo associados aafro, arroz, caf, centeio, feijo, mandioca, milho, sorgo, trigo, erva-mate, apicultura, aquicultura, avicultura, bovinocultura de corte, bovinocultura de leite, caprinocultura, fruticultura, olericultura, ovinocultura, pesca e suinocultura. Hoje possumos mais agricultores associados e focamos neste trabalho direcionado a eles, j que possumos diversas linhas de crdito que iro beneficiar e melhorar o agronegcio, finaliza.

Jovem aproveita ensinamentos do pai e cria oportunidades para ser bem sucedido

Cada vez mais, o trabalho no campo trocado por uma oportunidade de emprego fixo na cidade. Essa a realidade da maioria dos jovens que no encontram motivao e esperana na agricultura. Segundo dados do IBGE, em 2000, o Brasil contava com mais de 6 milhes de jovens no campo, j o ltimo censo, de 2010, registrou 5,5 milhes de pessoas nas mesmas localidades, entre a faixa etria de 15 a 24 anos.
Hoje, poucos filhos de agricultores do continuidade ao trabalho de seus pais. Mas esse cenrio no condiz com o dia a dia do jovem urussanguense, Gustavo Angelo Cambruzzi, de 24 anos, da comunidade de Belvedere.
Ele iniciou sua vida na agricultura ainda na adolescncia trabalhando com gado leiteiro e outros cultivos para o consumo da famlia. Apesar das dificuldades do campo, Cambruzzi relata que gosta de ser agricultor.
Trs motivos me fazem continuar na agricultura: gostar do trabalho, a boa renda e a condio de ser autnomo. Pretendo prosseguir nesta atividade e crescer para ser cada vez mais bem sucedido, explica. Cambruzzi participa ainda da gesto da queijaria da Associao dos Criadores de Gado Leiteiro de Urussanga (ACGLU) h um ano. A parte administrativa realizada por ele, onde resolve todas as burocracias necessrias da queijaria. uma responsabilidade que d trabalho, porm, gosto de estar envolvido e ser scio da queijaria. Isto muito bom para o crescimento e aprendizado, observa. Em sua propriedade, ele possui 150 gados, desses, 90 so leiteiros. O jovem j pretende aumentar a capacidade e estrutura do local. Quero dobrar a quantia de gados em perodo de lactao, mas para isto preciso fazer algumas adequaes. Vejo um grande mercado nesta rea onde faremos um bom investimento em breve, acrescenta.
O jovem relata que gosta da vida simples do campo e j teve oportunidade de emprego no centro da cidade, mas decidiu voltar a trabalhar com os pais.
J trabalhei algum tempo em uma metalrgica, mas preferi me dedicar agricultura. Os jovens que vem de famlias de agricultores deveriam se interessar mais, pois h uma srie de oportunidades. preciso ter iniciativa, dedicao e conhecimento como em qualquer outra rea para se obter sucesso e satisfao. Essa uma profisso digna onde precisamos ter orgulho. Toda a populao depende do nosso trabalho para ter o alimento em sua mesa, afirma.

Famlia apoia filhos
Os agricultores Agostino e Irene Cambruzzi, pais de Gustavo, foram morar na comunidade de Belvedere h cerca de 30 anos para buscar mais qualidade de vida. O casal tem trs filhos, Gabriela, Graziela e o Gustavo e conta que no interfere nas escolhas dos filhos, mas apoia para que eles continuem com a vida no campo. Minha filha Graziela escolheu fazer enfermagem, mas meus outros dois filhos continuam a trabalhar aqui. Isto me deixa feliz, pois, no preciso contratar outras pessoas para ajudar nas atividades rurais, comenta.
Alm do gado, outros alimentos so cultivados para consumo, como milho, feijo e entre outros. Quem gosta deste trabalho vive contente com o que faz. Sou uma pessoa realizada na agricultura e espero que meus filhos tenham esta mesma sensao no futuro. Por mais que tenhamos algumas dificuldades, vale pena, pois no temos o estresse dos grandes centros, finaliza Irene.

Nas mos das crianas, o resgate e a preservao da cultura

Elas atravessam o oceano para trocar experincias e vivenciar um passado que deu origem ao desenvolvimento do municpio de Cocal do Sul e tantos outros da regio por meio de seus imigrantes italianos e descendentes. Cartas que escondem por trs a curiosidade de crianas e adolescentes que passam a ter uma nova concepo de costumes, tradio e valorizao da cultura. Assim o instigante trabalho desenvolvido pela professora Liz Regina Zapelini De Bona desde 2013 em parceria com a educadora Mnica Galatto Martins junto aos alunos do 4 e 5 da Demtrio Bettiol atravs do projeto Somos Sujeitos Histricos: Nossa Histria, Nossa Gente, criado em 2003. Iniciativa que tem o objetivo de manter forte a ligao cultural entre Brasil e Itlia.
O projeto de intercmbio por meio de cartas realizado em parceria com uma das escolas de Longarone, norte da Itlia. Nelas, os alunos soltam a imaginao com base nos ensinamentos das aulas prticas e tericas ligadas histria do municpio e as pessoas que a construram. Na Itlia, uma comisso julgadora formada por autoridades do municpio de Longarone avalia todos os trabalhos e premia os melhores. Os manuscritos tambm so indicados para o Concorso Culturale Angelo Fain Binda realizado pela Associao Bellunesi Nel Mondo como forma de incentivar o resgate cultural e a memria da imigrao bellunese no mundo todo.
Ao todo, 12 trabalhos participaram espontaneamente do concurso de textos sobre imigrao italiana. E para a alegria da escola, seis foram premiados. O contedo foi desenvolvido durante as aulas de histria e geografia onde os alunos tiveram estudos que envolveram estudo de mapas, localizao da Itlia, distncia geogrfica, hino, bandeira, braso e muita pesquisa com as famlias de descendncia e com os prprios nonos e nonas dos alunos. Esse projeto nasceu de um sonho. Sonho de fazer meus alunos darem sentido ao estudo, ter esperana, confiana em suas potencialidades, reconstruir conhecimentos, saber trabalhar em equipe, ser tico, pesquisador, ler o mundo e transform-lo, alm de conhecer para cultivar e preservar a cultura italiana, justifica a professora Liz.
A professora ainda relata que o projeto acrescentou algo diferente, ou seja, nada de contedos vazios e cadernos cheios. Com base nos contedos e porqus, retomei as falas e reiniciei os trabalhos partindo da histria individual de cada aluno. Histria do seu nome, de sua famlia, identificando e resgatando suas origens, histria de nonos e nonas. Ao mesmo tempo, estimulando a expresso de linguagem escrita, do conhecimento de valores, valorizao de seus antepassados e suas etnias para que os alunos adquirissem conscincia de que a unio desses povos responsvel pela riqueza de nossa cultura e da nossa terra, explica Liz.

Extenso do projeto

Alm da troca de experincia com o pas vizinho, o projeto ainda compreende uma srie de atividades. Passeio de estudos, visitas ao museu do senhor Bonetti e biblioteca pblica so realizados para enriquecer ainda mais o conhecimento. Fiquei surpreendida com as peas centenrias preservadas com dedicao e afinco. As aulas da professora so muito criativas e a gente aprende e registra a histria com muito mais valor. Aprendemos muitas coisas sobre a Itlia e a imigrao. Parece at que a Itlia est bem pertinho da gente, observa Ana Letcia Lima Medeiros Rocha, 10 anos. O livro Gigante tambm ganhar forma a partir de agosto deste ano. Ele ser construdo pelos alunos a partir do texto Uma vov italiana retirado da obra Marcha Criana Portugus. A obra ser confeccionada em forma de ilustrao com desenhos retratando a histria em formato gigante acompanhada de traduo para a lngua italiana do texto original em portugus. A professora Liz adianta que os estudantes faro tambm ao longo deste ano, anlise de certides e monumentos histricos do municpio. A partir de todos os ensinamentos, um mini-museu ser organizado na escola pelos alunos. Eles traro objetos antigos relacionados com a cultura italiana. O novo local ser aberto aos estudantes da Educao Infantil e Ensino Fundamental I e II das escolas do municpio para visitao, alm de pessoas da comunidade e familiares. Iremos ainda convidar um nonno da comunidade para fazer uma visita e solicitar a ele que conte histrias vivenciadas por ele naquele tempo, ressalta. O projeto contempla ainda a msica. Portante um coral infanto juvenil est sendo formado para o aprendizado de msicas do folclore italiano. Justifico esta atividade, por acreditar que no obstante a distncia geogrfica entre o Brasil e a Itlia, os alunos percebem atravs das cartas e outras atividades lincadas, a possibilidade que as mesmas podem oferecer, salienta Liz.

Trabalhos so publicados em revista italiana

Dos 12 trabalhos enviados para a Itlia, seis foram premiados pela Associao Bellunesi Nel Mondo. Dois deles ainda receberam destaque maior e foram publicados na revista da Associao com circulao mundial. Os dois textos so da aluna Lavinya de Souza Sandrini, de 9 anos, que enfatizou a histria de seu bisnono Angelo Bonetti e fez uma anlise do livro Brigo, de Soverzene para o mundo com escala em Cocal, da famlia Brigo de Cocal do Sul publicado em 2013.
Para Lavinya participar do projeto foi a descoberta de muitos conhecimentos ligados principalmente a sua famlia. Eu estou cada vez mais apaixonada pelas aulas e pelos contedos que envolvem a nossa cultura. O projeto despertou o meu interesse pela tradio de outro pas e a ligao com a nossa cidade. Estou muito feliz em estar participando e ainda ter os meus trabalhos premiados. S tenho a agradecer esta oportunidade e espero no futuro conhecer essa cultura ainda mais de perto por meio de uma viagem ou, quem sabe um intercmbio de estudo, afirma.
O projeto que comeou a dar frutos em Cocal desde o ano passado j soma uma rica histria. Ele existe h 10 anos e foi idealizado e criado pela professora Liz em Urussanga. De l pra c, quase 2 mil alunos foram atendidos pela iniciativa desencadeada pelo amor da professora Liz pela cultura italiana. Juntamente com as professoras Silvana Mazzucco de Oliveira de Urussanga e Vincenza Occhipinti de Longarone, elas estiveram no comando do projeto fazendo um belo intercmbio de cartas, costumes e tradio tambm no municpio vizinho. O Projeto j foi premiado em nvel nacional e internacional. Foi destaque na Bellunesi Nel Mondo por vrias vezes, premiado por cinco vezes no Concurso Famiglia Emigranti ed Ex-Emigranti e pelo concurso 150 anni Grande Itlia (2010/2011).
atravs das crianas e jovens que vamos cultivar e preservar a identidade cultural do municpio. Penso que a histria construda por seres humanos e, a partir da narrativa deles, podemos obter um rico material capaz de auxiliar na compreenso do passado. O projeto proporciona a reaproximao de geraes, cria laos de amizade, aproxima as crianas de outro pas (Itlia), de outra lngua, cultura, troca de experincias, enriquecendo contedos histricos e geogrficos, analisa a professora Liz.

 

Histrias do meu Bisnono Angelo Bonetti: um pouco da nossa histria!

Conta meu bisnono que o seu Tatarav veio da Itlia para o Brasil em 1878, da cidade de Mantova. Ele veio s e casou-se no Brasil com uma jovem de nome Prima Carboni. Do matrimnio, nasceram oito filhos. Saiu da Itlia porque l estava muito difcil de viver. Aqui chegando, ele morou em Rio Santo Antnio. Meu bisnono Angelo um homem alegre e feliz. Ele est sempre sorrindo. Ele trabalhou muito desde menino, trabalhava na roa (lavoura), plantava feijo, arroz. Ele muito religioso, religio catlica. Bisnonno Angelo um grande artista. Apaixonado pela cultura italiana, sua origem. Ele tem em sua casa um museu muito belo. O museu retrata a histria dos imigrantes italianos que o bisnono faz questo de preservar. O museu a sua grande paixo na vida. a sua vida! Diz o bisnonno: Que se no fosse o trabalho, o amor pelo museu, ele j teria morrido. Meu bisnono um carpinteiro, ele faz peas (mimiaturas) de madeira para o museu, peas como igrejas, capelas, carros de boi, etc. Ele fez at a Igreja de Cocal do Sul. O bisnono recebe muitas visitas das escolas com seus alunos para visitar o museu. No museu a pea mais antiga um martelo que veio da Itlia e que tem 137 anos, uma gaita italiana, um telefone italiano, etc. Conta o bisnonno Angelo que sua nona quando vivia na Itlia, tinha um trabalho que era amamentar os filhos de senhoras ricas e, com isso, ganhava dinheiro para sustentar sua famlia. Das muitas histrias que o bisnono me conta, essa parte muito interessante e curiosa. Diz que: na Itlia, a casa da famlia era de dois pisos (andares), no primeiro piso ficava a criao (boi, vaca, ecc.) e no segundo piso vivia a famlia. No inverno, como era muito frio, a famlia pegava as camas e iam dormir com os animais motivo: o calor dos animais aquecia o ambiente. O bisnono Angelo tem um grande amor pela Itlia e diz que sempre sonhou em poder visit-la, mas que agora est muito velho… vai ficar s no sonho. O bisnonno cultiva e preserva a cultura italiana, a histria dos antepassados (imigrantes) com muito amor. Ele est preparando seu filho para cuidar do museu quando ele morrer. Meus Deus ! No quero pensar nisso! Ficar sem o meu bisnonno…

Agricultura do municpio contabiliza aes e investimentos

Desde janeiro de 2013, a Secretaria de Agricultura de Urussanga obteve muitas conquistas que proporcionaram melhorias aos agricultores da cidade, alm de incentivos que possibilitou o fortalecimento da rea.
Para o secretrio de agricultura, Jucemar Sangaletti a maior conquista do governo municipal foi a nova sede, localizada no centro da cidade. Essa era uma preocupao da administrao em fornecer melhor atendimento e centralizar o servio, proporcionando facilidade de acesso. Hoje, as pessoas podem se informar e resolver burocracias com mais praticidade, observa.
Conforme o balano da Secretaria de Agricultura quase 900 agricultores foram atendidos por meio de diversas aes. Foram mais de duas mil horas de servios realizadas pelo departamento, como de retro escavadeira, plantadeira e subsolador. Alm de mais de 300 viagens de caminhes para o transporte de materiais. Tambm somamos quase 3 mil horas de trabalho terceirizado para atender 660 pessoas, afirma.
A Feira do Peixe Vivo, uma novidade para o municpio, tambm uma iniciativa da secretaria que vem ganhando cada vez mais fora. Diversos projetos de piscicultura foram cumpridos. Urussanga tem potencial para crescer nesta cultura e estamos projetando a cidade para ser forte nesta atividade, complementa.

Projetos para 2015
Alguns projetos j esto sendo preparados para o prximo ano. Um dos destaques ser a implantao do Porteira Aberta. Ele consiste em deixar as estradas de acesso das propriedades dos agricultores em bom estado. Isto ir facilitar a vida do agricultor no seu trabalho, evitando que ele atole seus veculos, por exemplo, comenta o Secretrio.
A Feira Livre tambm ser alvo de melhorias onde est sendo realizado um projeto para revitalizao da estrutura. A construo de um banheiro e a cobertura na parte interna do local daro mais conforto aos feirantes.
Ainda h a falta de alguns equipamentos como concha de carregamento e lmina traseira, para atender melhor o agricultor. Queremos cada vez mais incentivar o agricultor. Por isso iremos criar novas unidades que beneficiam o alimento para agregar valor ao produto e dar mais renda aos agricultores, pontua o secretrio. O secretrio aproveita para deixar uma mensagem a todos os agricultores. Temos a certeza de que so muitos desafios, mas no nos falta vontade para ajudar a tornar a vida do agricultor melhor. Respeitamos e os ouvimos para sempre realizar a troca de ideias. Desde modo, podemos trazer mais esperana ao homem do campo que o que nos fornece o alimento. Parabns a todos os agricultores pelo nosso dia, comenta o secretrio.

Desafios e avanos da vida no campo

Todos os dias, milhares de famlias agricultoras colocam em sua mesa produtos que so o resultado do trabalho intenso e da dedicao da vida no campo. Responsvel pela produo agrcola do pas, a atividade do agricultor, homenageado na prxima segunda-feira, dia 28 de julho, contribui para o desenvolvimento de uma cidade. Os homens do campo vivem sua realidade fazendo da terra o seu sustento e amparam as bases do desenvolvimento regional.
Com a experincia de ter crescido no meio rural e ainda conquistando o sustento de sua famlia do trabalho da lavoura, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Urussanga e Cocal do Sul, Adefonso Baesso fala com propriedade da vida no campo e das dificuldades que enfrentam diariamente.
Baesso lamenta a utilizao de agrotxicos na maioria das propriedades rurais. Ns, agricultores, tentamos preservar, mas se no usamos agrotxicos, no colhemos mais. Produtos sem agrotxicos hoje no so mais vendidos aos mercados, pois a populao seleciona os alimentos pela sua aparncia, explica.
Segundo o presidente do sindicato, os principais cultivos em Urussanga so o fumo e a fruticultura. Atualmente, 320 famlias apostam na gerao de renda por meio do fumo. Esta a cultura mais forte na cidade porque d uma renda boa. Alm disso, a venda garantida e tambm assegurada. A fruticultura vem se desenvolvendo muito bem, pois quem investiu conquistou clientes e consegue comercializar, frisa.
Mas no meio rural algumas desvantagens no motivam o produtor. Vivemos na incerteza. Dependendo da cultura haver prejuzo e um ano de trabalho poder ser em vo. H cultivos que no do mais lucro. E o clima tambm um fator de risco que nos surpreende. s vezes achamos que teremos uma boa safra e podemos nem colher, conta.

AVANOS E
NECESSIDADES
Os desafios superados todos os dias transformaram a vida do agricultor. A tecnologia mudou o cotidiano e a sua relao com a terra, mas mantendo a sua essncia. O esforo resultou em diversas conquistas. Para Adefonso Baesso, a tecnologia veio para facilitar a vida do homem do campo. A internet, por exemplo, nos trouxe informao e conforto. H um ano a localidade de Armazm possui internet e 40 famlias j so beneficiadas com isso, salienta.
Sade, educao, lazer e esporte para os trabalhadores rurais tambm so fatores que vem melhorando muito nas ltimas dcadas, conforme Baesso. Porm algumas necessidades ainda no foram priorizadas. O sinal de celular nas propriedades no existe ou pssimo, lamenta. De acordo com o presidente do sindicato, os jovens descendentes de famlias agricultoras buscam a profissionalizao para melhorar os cultivos, mas a maioria est investindo em outros setores na cidade. Os filhos no querem mais a vida no campo em funo da renda e das oportunidades em empresas. E isso preocupante, ressalta.

CADASTRO AMBIENTAL RURAL
Alm de defender bandeiras e realizar aes em prol do agricultor, o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Urussanga e Cocal do Sul oferece diversos servios visando o bem estar do produtor. Agora, os homens do campo tambm podem realizar o Cadastro Ambiental Rural (CAR) na sede da entidade.
O Cadastro Ambiental Rural um registro eletrnico de abrangncia nacional, obrigatrio para todos os imveis rurais. O CAR indispensvel para aderir ao Programa de Regularizao Ambiental (PRA). O objetivo do cadastro receber informaes ambientais das propriedades e posses rurais, compondo uma base de dados para controle, monitoramente, planejamento ambiental e econmico e combate ao desmatamento, cadastrando as reas de Preservao Permanente e Reserva Legal e facilitando o trabalho de fiscalizao.
Segundo Baesso, esta uma lei que ir beneficiar o trabalhador. Antes, para vender ou transferir a propriedade tinha que contratar um profissional para medir e depois pagar algumas taxas. Nesse trabalho o agricultor desembolsava em torno de 4 mil reais. O cadastro veio para substituir isso e com tavas bem menores, salienta.

Entidades preparam mesa farta para a Festa do Vinho

Um dos pontos fortes da Festa do Vinho, sem dvida alguma, a gastronomia tpica italiana. So pratos tradicionais, massas, pizzas, minestra, pores que enchem os olhos dos urussanguenses e dos visitantes. Para deixar tudo pronto a tempo, as entidades comearam a preparao com semanas de antecedncia. Entre os voluntrios est Andreia Casagrande Nowask, que alm de ser a responsvel pelo setor de Gastronomia da Festa, tambm chef de cozinha e est produzindo as massas que sero comercializadas na sede do Lions Clube.
Na primeira etapa, conta ela, foram usadas 40 dzias de ovos, o que rende aproximadamente 70 quilos de massa. A inteno produzir cerca de 3 mil pores at o incio da festa. Um dos diferenciais que, para a produo do alimento, foi utilizada uma tcnica trazida da Itlia.
No coloco leite, nem gua, mas sim azeite de oliva. Depois de pronta, ela vai para o freezer e, um dia antes do evento, fazemos os molhos de bolonhesa, quatro queijos e presunto com ervas finas, pontua Andreia.
Da panela, o tempero segue para uma cmera fria, permanecendo feito novo at o momento de ser colocado no macarro e servido para o visitante.
Conforme a chef, todos os voluntrios que trabalham no setor de Gastronomia esto com a carteira de sade em dia e receberam uma cartilha de manipulao de alimentos e higiene. Estamos fazendo tudo dentro das normas exigidas pelos rgos fiscalizadores, para garantir a sanidade e a qualidade dos alimentos oferecidos ao pblico, explana.
De acordo com o presidente da festa, Amarildo De Brida, as entidades esto empenhadas e daro o seu melhor para que tudo saia do jeito que est sendo planejado.
O frio tradicional do Inverno combina muito bem com uma gastronomia de qualidade e com o nosso vinho Goethe. Quem vier a Urussanga entre 6 e 10 de agosto pode esperar momentos de muita diverso e fartura, garante De Brida.

Populao deve receber a vacina contra hepatite B neste sbado

Neste sbado, 26, Dia D, as unidades de sade dos bairros Estao, De Villa, Santana, Nova Itlia e Rio Amrica de Urussanga estaro abertas, das 8h s 17h, sem fechar ao meio dia, para a realizao da Campanha contra Hepatite B. A mobilizao acontece em todo o pas por meio da Secretaria de Sade e segue at o dia 1 de agosto em aluso ao Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais, lembrado no dia 28 de julho. Nesta semana, a Secretaria de Sade de Urussanga promoveu a intensificao da campanha de combate s hepatites B e C. Desde 2006, o municpio tem registrado 145 casos. Segundo a coordenadora da Vigilncia Epidemiolgica de Urussanga, Robertina Goulart Nunes importante realizar as trs doses para garantir eficincia na vacinao. Se considerarmos o nmero de habitantes em Urussanga, temos um alto ndice de casos, comenta.
Segundo a secretria de sade, Maringela Dal B Lapolli o objetivo da campanha alertar a populao sobre os benefcios da vacina contra hepatite B, tanto para as crianas quanto para os adultos. Para as crianas a partir de primeiro ano de idade e jovens e adultos at 49 anos, a vacinao feita em trs doses, com um intervalo de um ms entre a primeira e a segunda dose, e de seis meses entre a primeira e a terceira dose, explica.
Pessoas dos seguintes grupos vulnerveis tambm devem tomar a vacina, independente da idade: gestantes, manicures e pedicures, profissionais do sexo, militares, profissionais de sade, caminhoneiros, usurios de drogas, pessoas que mantenham relaes homossexuais, coletores de lixo e tatuadores. Para as crianas menores de um ano, o calendrio bsico de vacinao indica uma dose da vacina contra hepatite B ao nascer, sendo que o esquema vacinal completado com trs doses da vacina pentavalente (aos dois, quatro e seis meses), que alm de proteger contra hepatite B, previne contra difteria, ttano, coqueluche e meningite causada pelo Haemophilus.

Criana de 3 anos esquecida dentro de transporte escolar do municpio

Um menino de trs anos de idade foi esquecido dentro de um micronibus da Prefeitura de Urussanga no final da tarde de tera-feira, dia 22 de julho. Mais de 20 alunos e trs professores da educao infantil da escola Srgio Teixeira, de Santana, deslocaram-se de transporte escolar para uma tarde de diverso durante um passeio em uma cidade vizinha. No retorno da viagem, o motorista do micronibus deixou as crianas na creche por volta das 16h45min e seguiu para buscar mais alunos em uma escola em outra localidade.
O transporte escolar foi abordado na comunidade de Rio Carvo por um motociclista por volta das 17 horas. Em conversa, o motociclista se identificou como pai de um menino de trs anos que havia sido esquecido pela professora dentro do veculo. De acordo com o relato do motorista secretria de Educao de Urussanga, Brigida Mariot a criana estava dormindo no banco do micronibus e foi entregue pelo motorista ao pai.
Segundo a me do menino, Fernanda Mendona, o esposo foi encaminhado ao hospital em estado de choque em funo da situao. Foi bem horrvel e eu sinto muito pelo o que aconteceu. Mas a escola tem a responsabilidade. A estrada j cheia de buracos e o nibus estava em alta velocidade. Meu esposo disse que nosso filho estava no cho do veculo dormindo. Meu marido disse que a partir deste acontecimento ele no vai mais para escola. Conhecemos as professoras e sabemos que isso no deve acontecer, mas eu quero que as providncias sejam tomadas, frisou a me em entrevista a uma rdio local.
Para a secretria de Educao de Urussanga, a falha grave foi decorrente de uma sucesso de erros. A diretoria no acompanhou o passeio e ns no fomos avisados desta sada. A falha da professora foi muito grave. No quesito segurana, infelizmente, no h perdo. Coloco-me no lugar deste pai e desta me. reconhecvel o desespero deste pai que correu atrs do nibus. Peo desculpas em pblico a esta famlia, ressalta.
A Secretaria de Educao de Urussanga adotou algumas medidas aps tomar conhecimento dos fatos. Como determinao imediata, uma das professoras que acompanharam o passeio foi demitida. At a prxima reunio com diretores das escolas municipais esto proibidas sadas de estudo com os alunos. Sempre orientamos os diretores em relao a prever a segurana das crianas. Precisamos repensar em outra logstica para a educao infantil, mas acredito que no iro mais ocorrer os passeios. Esperamos que diretores e professores se atentem para a responsabilidade e que isso sirva de exemplo para no ocorrer novamente, salienta. Conforme Brigida, as pessoas envolvidas neste caso sero ouvidas nos prximos dias pela secretria. Caso necessrio, um processo administrativo ser aberto.

Baffone

Festa do Vinho
Est ficando cada vez mais quente o clima para Festa do Vinho. A partir de agora a gente comea a observar o movimento da cidade, os preparativos e a expectativa do comrcio e demais estabelecimentos. A XV edio do evento tem tudo para ser uma das melhores dos ltimos anos. O nvel dos shows est bom, a qualidade da gastronomia nem se fala e o clima com certeza ir favorecer. Quero desde j parabenizar toda a comisso que trabalha e, pra caramba, na organizao deste evento sob o comando de seu presidente Amarildo De Brida. Cumprimentos ainda ao prefeito Johnny e ao vice, Luiz Henrique por todo apoio e por estarem focados no sucesso da festa, principalmente no que tange o turismo da cidade. Vai tambm os parabns em especial a todas as entidades que esto organizando da melhor forma possvel o seu espao e servio. Agora contagem regressiva para o melhor que est por vir.

Esquecido
Muito cuidado gente, o caso do menino que foi esquecido em um nibus escolar essa semana serve de exemplo e vem como um alerta, no s para o nosso municpio, mas para toda regio. Eu acredito que essas crianas no devam e nem nunca deveriam estar fazendo passeios por ai sem a presena dos pais. So praticamente bebs. Se para os professores a responsabilidade grande dentro da escola, imaginem fora. A criana deve ficar dentro da escola at que seus pais venham busc-las. Acredito que a Secretaria de Educao deva tomar essa atitude, escutei esta semana e estar de parabns pela iniciativa. Sabemos que foi um descuido grande, no mnimo irresponsvel por parte da equipe desta instituio. Mas tambm estendo essa mesma desateno aos pais, e todos eles, que permitem e liberam seus filhos aos passeios, afinal de contas estamos falando de crianas de trs, quatro anos. Contudo, o melhor que tudo terminou bem e preciso que o inesperado acontea para que possamos olhar as coisas com outros olhos.

Porteira aberta
Quem pensa que esse projeto na rea da agricultura est esquecido, muito se engana. Ele est mais vivo do que nunca e deve ser colocado em prtica em 2015, afirmou o secretrio Sangaletti. Essa iniciativa ir beneficiar diretamente o agricultor que precisa de alguns reparos em sua propriedade para trafegabilidade e hoje no possvel por meio da prefeitura. Devido aos investimentos de contrapartida, a prefeitura agora no tem possibilidade de coloc-lo em prtica, mas est no caminho.

Sorteio
Ateno gente, segunda-feira o ltimo dia para os interessados em ficar cara a cara com o seu f, depositar os cupons no Jornal Vanguarda ou na Flor de Cacau. Corre l e aproveite a promoo para a entrada no Camarim dos artistas da Festa do Vinho.

 

Ponticelli
O lanamento das candidaturas da coligao Muda Brasil, Muda SC, de Paulo Bauer e Juarez Ponticelli, pela oposio ao Governo do Estado, na ltima semana, tambm foi marcado por grande festa. Ela contou inclusive com a presena do candidato a presidente Acio Neves, em sua primeira visita a SC. Na noite desta quarta-feira, o vice Juarez laou a campanha no Sul e alfinetou o adversrio, Colombo durante entrevista coletiva. Segundo ele o problema no est em Colombo, mas na turma que morde o osso h 12 anos e no quer largar. O candidato pediu ainda uma oportunidade para esse novo time e estuda alternativas para reduzir as secretarias regionais, como responsabilidade de plano de governo. Afirmou que esse assunto j teria sido levantado com o atual governador para rever, mas ressaltou que quem manda no deixou, pois lembrou que cada portinha mantm vrios cargos.
Mudana
Na ltima semana, a Assessora de Diretoria Irm Olinda Antnio Costa recebeu um grupo de pessoas que por meio das orientaes efetuadas pelo consultor Alosio Cuginotti, revisaram todos os setores e a hierarquia que os rege, elaborando assim um novo modelo de estrutura organizacional. O Hospital Nossa Senhora da Conceio ir disponibilizar em todos os setores o novo modelo nas prximas semanas e aproveita para salientar a importncia do organograma dentro da entidade, j que esse modelo contribui para manter uma estrutura transparente, facilitando o entendimento por parte tanto dos colaboradores como de seus clientes e fornecedores.

Irmos urussanguenses realizam Caminho de Santiago de Compostela

A vida feita de sonhos. Uns mais, outros menos difceis de realizar. Mas para quem acredita, nada impossvel. E foi pensando na concretizao de um grande desafio aliado a f e superao que os irmos urussanguenses Tatiana da Luz e Jardel da Luz viveram e sentiram um dos momentos mais especiais e rico em sabedoria de suas vidas. Eles percorreram mais de 800 quilmetros do Caminho de Santiago de Compostela, na Espanha em 29 dias de caminhada em busca de paz e equilbrio.
A jornada que os levou ao lugar sagrado partiu do convite da amiga Tatiana Teixeira que motivou a viagem, mas acabou desistindo de ir. Comecei a ler sobre o caminho e percebi que era exatamente o que eu procurava. Um momento de equilbrio de corpo, mente e alma, comenta Tatiana da Luz. Em uma reunio familiar, Tatiana decidiu convidar seu irmo, que estava passando por um momento complicado em sua vida e notou que seria uma oportunidade para a vida dos dois estarem passando este momento juntos. Aps o convite ser aceito, em dezembro de 2013, a viagem comeou a ser planejada paralela a preparao fsica necessria para enfrentar a longa distncia. Comeamos a nos preparar fisicamente em janeiro, onde realizvamos caminhadas todos os dias. At que em maio chegou o momento de partirmos para um dos momentos mais marcantes de nossas vidas, relata, emocionada, Tatiana.
Os irmos chegaram em Saint-Jean-Pied-de-Port, na Frana, no dia 22 de maio. Desde o incio da caminhada at o seu fim, foram 29 dias de garra e determinao. Nos primeiros 15 dias, eles estiveram junto com um grupo formado por um brasileiro, uma ucraniana e trs coreanas. Aps essa quinzena, Tatiana e Jardel participaram de uma missa em Leon, encontrando um novo grupo. Nesta equipe estavam quatro alemes, dois italianos e uma checoslovquia. Fomos abenoados durante toda a caminhada, encontramos pessoas maravilhosas. Ajudamos muitas pessoas com boas energias, abraos e brincadeiras. Penso que nosso sobrenome, da Luz, faz muito sentido em nossas vidas depois destes momentos que passamos, relata Tatiana.

Locais mais marcantes e os desafios
Para Tatiana, o local que mais lhe impressionou foi durante a descida dos Pirineus. Neste dia, a chuva era intensa no local e as folhas das rvores que estavam nascendo eram bem verdes, o que a encantou. Senti-me renovada. Fiquei maravilhada com tudo aquilo, senti a presena de Deus e muita paz, comenta. No dia 02 de junho, dia do aniversrio de Tatiana, ela pode comemorar em Santo Domingo de La Calzada. Esperei todo o caminho para comer cerejas e no dia do meu aniversrio meu irmo encontrou uma cerejeira. Fiquei muito feliz com aquilo, relata Tatiana.
Tambm em El Brugos por ter um belo pr-do-sol e em La Faba onde os irmos viram coraes em todas as rvores. Passamos por muitos locais lindos. Teve momentos em que senti como se estivssemos sendo levados pelas mos de Deus, um verdadeiro milagre, observa Tatiana. Para Jardel o primeiro dia de caminhada foi um dos mais emocionantes, onde ele sentiu a beno de Deus. No incio da jornada paramos em um albergue para descansar e ali percebi a dificuldade que estvamos enfrentando. Em Vila Franca tambm foi um dos momentos mais marcantes para meu tratamento. O grupo bebeu muito e eu e minha irm tivemos que ajud-los, nesse momento percebemos quem eram os verdadeiros amigos, foi um prova e um espelho da minha vida. Quando chegamos a Santiago com o grupo de amigos verdadeiros foi muito emocionante, encontramos o caminho do bem, relata Jardel.
O final da caminhada foi em Finester, onde os irmos agradeceram a Deus por conseguir realizar o caminho. Em Finester foi um momento de agradecimento e renovao. A mente iluminada e o corao mais puro, foi isto que senti naquele momento, conta Tatiana. Para os irmos, os maiores desafios foram encontrar o equilbrio da mente e desapegar das pessoas. Tivemos que respeitar e lidar com os diversos tipos de pessoas, bem como, desapegar rapidamente de companheiros de jornada, comenta Jardel.

Aprendizado
Apesar dos momentos de saudade e dificuldades, a desistncia nunca foi pensada pelos irmos. Alm de toda aventura e dos quilmetros percorridos, Tatiana e Jardel puderam voltar ao Brasil com a mente renovada. Aprendemos a confiar e ter a certeza de que Deus existe e esteve com a gente a todo instante. Temos ainda a conscincia de que a famlia e os verdadeiros amigos so os maiores bens que temos, afirma Tatiana.
Os irmos contam que fariam o caminho novamente e que esto pensando em novos projetos juntos, para poderem levar pessoas que estejam em tratamento. As melhores coisas da vida so sentidas com o corao. Quando nos lembramos dos coraes que vimos durante a jornada temos a certeza disto. Foi uma viagem muito linda e se tivermos a oportunidade faremos novamente, finaliza Jardel.

Baffone

GOVERNADOR O Prefeito de Urussanga, Johnny Felippe se reuniu nesta semana com o Governador do Estado, Raimundo Colombo e o vice-governador, Eduardo Pinho Moreira. O principal assunto foi referente ao recurso para a pavimentao de Santana. Johnny trabalha firme em cima desta causa e prefere ainda no gerar expectativas. O prefeito tambm agradeceu ao governo do Estado por todo apoio a Urussanga e prestigiou ainda na capital a arrancada da campanha da coligao Santa Catarina em primeiro lugar. Raimundo Colombo, Eduardo Pinho Moreira e Drio Berger foram recebidos com grande festa por mais de 6 mil militantes e pela extensa lista de candidatos s legislaturas estaduais e federais dos 12 partidos que compe a coligao. REAJUSTE + PLANO DE CARREIRA O projeto de Lei que visa o reajuste ao servidor pblico demorou, mas saiu com algumas conquistas inclusive. A Cmara aprovou nesta semana 8,32% sobre as remuneraes dos servidores ativos e inativos dos poderes Executivo, Legislativo e do Servio Autnomo Municipal de gua e Esgoto (SAMAE) de Urussanga. O percentual a soma INPC (5,81%) mais o ganho real (2,32%). O projeto contemplou ainda a implantao de plano de carreira para todos os servidores pblicos do municpio, uma conquista para o setor. As agentes de sade, na imagem, tambm foram beneficiadas com o repasse do piso da categoria que passou para R$ 1.014,00. DE VOLTA Depois de um ano e meio afastada e dedicada a rea da sade do municpio, a vereadora Vani Mazzucco Cacciatori voltou a ocupar a sua cadeira na Cmara, at ento conduzida pelo suplente Luiz Carlos (Nariz). Em seu pronunciamento nesta semana, ela agradeceu a secretria Janja pelo brilhante trabalho realizado e o desempenho em melhorar sempre. Tambm destacou o empenho do vereador suplente, Nariz e de todos os profissionais, pois sem eles nada seria possvel. Seja bem vinda Vani e que sua estrela passe a brilhar agora no Legislativo! ESTRADAS O vereador Omero mais uma vez pediu encarecidamente para que seja feito o patrolamento da estrada de Palmeira Baixa. O pedido j tem meses e no por acaso. Nesse local, alm dos moradores, h uma empresa s margens da estrada que possui 400 funcionrios e vende o seu produto para todo o Brasil e que com certeza merece esse simples atendimento, visto que seus impostos pagos do para comprar um caminho novinho. O vereador ainda ameaou dizendo que se essa semana este cenrio no mudar vai respingar fotos da real situao para todos os lados. SOLTOU O VERBO Doa a quem doer e ali ele est em defesa das causas pblicas. Esse o vereador Tita que mais uma vez se mostrou insatisfeito com a falta de ateno do Governo a algumas questes na cidade. Aproveitou a presena dos servidores pblicos na sesso e voltou a falar do mau atendimento de alguns servidores, do PMDB. Pediu para que o servidor trate bem a populao e citou o caso de uma senhora do Nova Itlia que foi mau atendida na sade. O chapu cabe bem naqueles que couber. E no so os pequenos no. Tem secretrio tambm que no atende o meu telefonema. Tem coisas que pedi, faz um ano e no fizeram. Eu estava no So Pedro domingo, por exemplo, e um cara me cobrou e muito de novo. Festa no interior no d para ir mais e o secretrio que no me atender vai ter consequncias na Cmara, vou votar contra pois no aguento mais. CARNAVAL DE INVERNO O que dizer? H 18 anos uma entidade filantrpica trabalha para o sucesso desse evento na cidade que era um exemplo para a regio. E hoje vemos que o mesmo evento que brilhava no passado acabou tendo uma recada. A culpa? A no valorizao das pessoas de Urussanga. Esse mesmo evento sempre manteve o seu padro, assim como o carnaval na Bahia que sempre a mesma coisa e por ai vai. A diferena que o seu povo valoriza a sua tradio, vai, apoia, curte e, aqui, ainda tem a oportunidade de ajudar. Pessoas daqui precisam parar de achar que so as donas da verdade e criticar sem ao menos participar das coisas. Digo e repito: o problema so as pessoas de Urussanga que no valorizam e ainda queimam a cidade com seus comentrios nas redes sociais, infelizmente. E o pior, esse Clube que tem gente que faz pouco caso, talvez no comande mais o carnaval. Quem sabe essas pessoas que tanto falam no assumam ento e faam o tal milagre acontecer. A hora agora… Aproveitem! GALERIA Foi descerrada na ltima sesso, o quadro com a imagem do vereador Tita que passa a compor a galeria de ex-presidentes. Tita conduziu o legislativo nos anos de 2012 e 2013. Os vereadores tambm ampliaram o Espao de Memria da Cmara acrescentando ao local o quadro em homenagem Centenrio de Nascimento do Monsenhor Agenor Neves Marques, o exemplar do livro Tanti Anni Dopo, DVD contendo documentrio sobre a trajetria do Monsenhor Agenor Neves Marques lanado pela Epagri, trofu entregue ao Poder Legislativo pela Epagri e o quadro contendo o Primeiro Diploma de Cidado Urussanguense entregue pelo Legislativo Monsenhor em 1964. Rapidinhas uA Copa no Brasil teve efeito entre nulo e negativo no PIB, beneficiou bares e hotis, mas prejudicou a indstria. Veja quem ganhou e quem perdeu com o Mundial na economia: http://glo.bo/UaPfvU #G1naCopa uProfissional da Famu foi surpreendida essa semana com uma mordida por um cachorro da raa pit bull. Perigo gente… uVereadora Vani disse que conferiu de perto parte das estradas e afirmou que 40% delas esto em boas condies pelo trabalho que est sendo feito pelo secretrio Sangaletti. uPreparem o conhecimento por que o Concurso Pblico da Prefeitura ser realizado em dezembro deste ano. uVereador Marquinhos solicitou para que a Cmara faa uma moo de repdio ao Governador do Estado, Raimundo Colombo referente a falta de ateno e resposta ao recurso para a pavimentao da estrada de Santana. Segundo o vereador, as pessoas que representam o governo so mais lisas que jundi. uA Ceusa Revestimentos Cermicos encaminhou um oficio vereadora Izolete explicando a situao que faz com que a poeira estivesse tirando o sossego dos moradores da Estao. Por conta da ineficcia do filtro que precisa ser trocado. O material importado e est encalhado no porto. Enquanto ele no chegar vai continuar como est. uAsfalto que liga o Centro a Estao precisa de manuteno, solicitou a vereadora Izolete. Segundo ela, a via est em pssimas condies. uVereador Bonetinho, aproveitanto o gancho do Tita, ressaltou: se o vereador do PMDB que da situao no atendido, imagine ns que somos oposio. Acho que o secretrio tem que ter um tratamento diferenciado com o vereador. Tem que dar o retorno porque nenhum vereador vai ligar se o caso no fosse importante. uVereador Omero voltou a questionar o Plano Diretor. Estamos com seis anos e ele precisa ser revisto. Temos que incluir So Pedro e Morro da Lagoa. So coisas importantes e at agora nada. uE para terminar, est imperdvel a mega promoo da Della Boutique. Uma pea com 20% de desconto vista, duas peas 30% e 3 peas ou mais com 40%.

Projeto busca trazer inovaes tecnolgicas para vinicultores

Com o objetivo de elaborar um projeto para melhorar a produo dos vinhos e espumantes da uva Goethe e encaminhar ao Sistema Brasileiro de Tecnologia (SIBRATEC), produtores e profissionais do setor se reuniram na Cmara de Vereadores de Urussanga na ltima quinta-feira, dia 10 de julho.
A Estao Experimental de Urussanga (Epagri) coordenadora do projeto por meio da pesquisadora rica Frazo Pereira De Lorenzi e a equipe da Estao. A ProGoethe a entidade que entrar com a parte financeira do projeto.
Segundo o gerente de pesquisa da Epagri de Videira e pesquisador de Enologia, Vincius Caliari, o objetivo da reunio foi reunir diferentes instituies de cincia e tecnologia. Essas ICTs participaro com os profissionais no processo de elaborao do pr-projeto. Depois que o projeto final for aprovado, um grupo ser constitudo para executar o desenvolvimento e implantao das inovaes tecnolgicas, explica.
At o momento, o grupo est constitudo pela Epagri (Ciram e Estaes Experimentais de Urussanga, Videira e So Joaquim), Embrapa – Centro Nacional de Pesquisa em Uva e Vinho, UFSC e Universidade de Caxias do Sul (UCS).
De acordo com a pesquisadora rica, os vitivinicultores dos Vales da Uva Goethe tero mais conhecimento para poder realizar melhorias na produo da uva e do vinho. A expectativa que o projeto desperte e crie novas iniciativas empreendedoras relacionadas produo da bebida. Ns da Epagri acreditamos que este projeto trar muitos benefcios para a regio em termos de conhecimento e desenvolvimento de protocolos para melhorar a produo de uvas, vinhos e espumantes Goethe, auxiliando no processo de valorizao da regio, sua cultura e seu povo, comenta.
O gerente de pesquisa da Epagri de Videira e pesquisador de Enologia acredita que os produtos possam ser aprimorados, buscando uma maior vida de prateleira, uma padronizao de protocolos e o aprimoramento do produto final.
Os vinhos e espumantes da uva Goethe possuem valor reconhecido como um produto tpico da regio e conquistaram a primeira Indicao Geogrfica de Procedncia de Santa Catarina.

Urussanga entra no clima da 15 Festa do Vinho

Urussanga j vive o clima da 15 Festa do Vinho. Nesta madrugada, a primeira parte da decorao foi colocada no centro da cidade. Os postes receberam bandeiras em tons de roxo e verde, simbolizando as uvas bord e Goethe, e janelas com cortinas, que significam as boas-vindas que os urussanguenses daro aos visitantes e turistas. Aproximadamente 120 postes da rea central, dos acessos principais da cidade at o Parque Municipal, recebero a decorao. Conforme a responsvel pelo setor, Jaira Meneghel, esta a primeira vez que os ornamentos so utilizados no municpio. Tivemos a ideia de fazer algo novo, diferente, e a surgiram as janelas e as bandeiras. Urussanga ficar linda para receber todos aqueles que viro prestigiar a nossa festa, ponta ela. A colocao dos adornos continua nos prximos dias, quando tambm devem ser anexados 10 bonecos de gesso e isopor, de aproximadamente 3 metros de altura, nos acessos principais e no Parque Municipal. Quatro deles foram reformados de edies anteriores, enquanto os outros seis so novos. Nos trevos de entrada da cidade colocaremos bonecos simulando a colheita e o esmagamento das uvas, com instrumentos musicais e dando as boas-vindas ao pblico. Os outros devem ir para o Parque Municipal, onde recebero uma iluminao especial e sero colocados em pontos estratgicos, conta Jaira. O presidente da festa, Amarildo De Brida, explica que a inteno fazer com que a cidade se torne ainda mais receptiva e acolhedora. Nosso povo hospitaleiro por natureza. Nos perodos de festas, quando milhares de pessoas visitam o municpio, a vontade de receber bem aumenta ainda mais. E como forma de agradecer ao apoio que a sociedade vem nos dando, queremos deixar a regio central ainda mais bela para a festa, que acontece entre 6 e 10 de agosto, explana De Brida.
Alm disso, a parte superior do portal de entrada do Parque Municipal ser encoberta por um parreiral, tambm feito de isopor e gesso. Luzes de LED, efeitos especiais e focos de luz completaro a decorao, que at a semana que vem deve estar concluda. A inteno fazer com que os visitantes e urussanguenses saiam satisfeitos do Parque Municipal. E, para isso, todos os detalhes esto sendo pensados para que a festa saia da forma que planejamos, complementa o presidente.

Fs aguardam ansiosos para entrar no camarim de seu dolo

O clima de expectativa entre os fs que sonham em ficar cara a cara com o seu artista preferido.
A oportunidade foi lanada, na ltima semana, pelo Jornal Vanguarda em parceria com a Comisso Central Organizadora da XV Festa do Vinho.
A promoo sortear uma entrada para o camarim de cada artista que ir se apresentar durante o evento em nvel nacional.
O movimento intenso de fs do Luan Santana, Capital Inicial, Nenhum de Ns, Armandinho e os Peraltas procura de cupons para depositarem e apostarem nesta chance.
A balconista Jucinia Romagna Sandrini f de Luan Santana desde quando o cantor comeou a carreira. Nossa, ficaria muito feliz se fosse sorteada. No saberia Nem precisar a minha reao. Meus dois filhos tambm adoram e estaremos todos no show, afirma.
O estudante de engenharia, Augusto Bressan tambm aguarda ansioso pelo sorteio. Sou f do Capital Inicial. Conheo vrias msicas. A minha preferida a Depois da meia noite, porque marcante para mim, pois fala de um romance jovial. Tenho uma grande expectativa para o show e estou em contagem regressiva. A cada dia que passa a emoo aumenta. Se eu fosse o ganhador dessa promoo seria a realizao de um sonho, pois iria encontrar com um dolo, algum que atravs das msicas ajuda a seguir em frente, pois, sem a msica no somos nada. Com o rock brasileiro em baixa, o Capital Inicial se mostra forte ainda dentro deste cenrio nacional. Ganhar essa promoo seria demais. Principalmente conseguir autgrafo e entrar em contato com algum que inspirou geraes. Estou ansioso esperando o resultado. Agradeo ao Jornal Vanguarda por proporcionar essa chance aos fs, destacou.
Para a coordenadora de marketing da CCO, Gislane Soares Jesuna (Nany) o pblico est com grande expectativa e com a promoo as divulgaes ficaram ainda melhores. Como nunca teve este tipo de sorteio, as pessoas esto querendo participar para concorrer entrada ao camarim.
Estamos muito satisfeitos com o resultado e por estar proporcionando essa oportunidade nica ao sorteado. At mesmo pessoas de outras cidades esto buscando informaes para tentar participar da promoo, avalia.
Para a Jornalista Maria Luiza Da Rolt essa uma oportunidade para os veculos da cidade tambm estarem engajados com o evento. O Vanguarda recebe cartas toda a semana de fs, principalmente do Luan Santana, pedindo por meio do jornal para dar uma forcinha na realizao desse sonho. A comisso est de parabns por esta inovao, ressalta.

Mdico alerta sobre alterao de presso no inverno

Com a chegada do inverno e suas baixas temperaturas, muitas doenas e complicaes podem se alterar caso certos cuidados necessrios no sejam tomados. A queda da temperatura, por exemplo, pode ocasionar a diminuio da circulao sangunea do msculo cardaco. O que para o Cardiologista Ronaldo Dos Passos um caso de alerta. Segundo o especialista, neste inverno os casos de hipertenso tiveram um aumento de cerca de 30% se comparado ao ano passado em seus pacientes. Os riscos so maiores, principalmente em pessoas que j apresentam alguma predisposio ou que sofrem com problemas do corao. No entanto, este ano devido ao frio prolongado e menos intenso, os casos de hipertenso aumentaram, comenta.
Passos explica ainda que isso ocorre porque as reaes do organismo em baixas temperaturas sobrecarregam o sistema cardiovascular, que precisa trabalhar mais no frio para manter o equilbrio da temperatura do corpo. Com o frio, o sangue circula menos. Isto pode causar isquemia no corao, que a falta de circulao nas artrias, observa.
No perodo do inverno, o organismo est mais suscetvel s doenas virais, causando desequilbrio do msculo cardaco, que pode causar insuficincia cardaca onde o principal sintoma a falta de ar. As pessoas devem cuidar dos hbitos alimentares. Procurar tomar chs e bebidas quentes. muito importante manter-se agasalhado tambm, salienta.
A auxiliar no setor administrativo da cultura e turismo de Urussanga, Marilu Borges Zuchinalli, de 53 anos, sofre com a hipertenso h dez anos e relata que no inverno precisa tomar mais cuidados. Minha presso arterial aumenta bastante nesse perodo. De manh procuro me agasalhar bem e meo minha presso todos os dias para control-la, comenta. Alguns sintomas como dor de cabea e enjo fazem Marilu perceber que sua presso est mais alta. Eu tomo medicamento todos os dias. s vezes mesmo sem medir a presso eu j sei que ela est alta por conta dos sintomas. O vero para mim muito melhor, sempre esta mais regulada do que no inverno, explica Marilu.

Feirantes de Urussanga visitam Feira Colonial de Gramado

Os feirantes da Feira Livre Municipal de Urussanga estiveram em Gramado conhecendo uma das mais tradicionais feiras de produtos coloniais da serra gacha. A ao foi promovida pela Secretaria de Agricultura de Urussanga, juntamente da Epagri, Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Associao dos Criadores de Gado Leiteiro de Urussanga, Secretaria de Sade, Vigilncia Sanitria, alm do apoio da Secretaria de Infraestrutura e Educao do municpio. A viagem Feira de Gramado aconteceu no ltimo sbado, 5 de julho. Um dos pontos que chamou a ateno dos feirantes foi a fabricao no local de alguns produtos, como pes caseiros. A estrutura onde a feira est localizada dispe de espao para o consumo dos alimentos no prprio local. O atendimento tambm diferenciado, j que a feira de produtos orgnicos acontece aos sbados no perodo da manh. A feira de cucas e pes realizada aos sbados at as dez da noite, inclusive aos domingos e feriados. Os feirantes de Urussanga retornaram satisfeitos com a visita e entusiasmados em discutir novas ideias e experincias trazidas da viagem.
Para o secretrio municipal de Agricultura, Jucemar Sangaletti, a ida a Gramado foi uma forma de buscar, alm de ideias para inovar na Feira Livre, mas tambm de alcanar um equilbrio entre as exigncias e as necessidades dos trabalhadores do local. necessrio haver organizao e higiene, mas temos de alcanar um equilbrio entre as partes para que a agricultura familiar possa ser favorecida, pontuou. A feirante de Urussanga Maria Elisabeth Mazzucco afirmou que o que mais impressionou na Feira de Gramado foi a estrutura fsica do local, principalmente os balces feitos em madeira. Temos de trabalhar com o projeto como foi feito para a nossa feira, mas realmente fiquei impressionada com a estrutura deles. Tambm no so muitos feirantes, mas achei tudo muito organizado, ressaltou.

Escolas municipais recebem nova moblia

As escolas da rede municipal de ensino de Urussanga foram contempladas nesta semana com nova moblia recebida do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educao. No total, mais de R$ 120 mil foram investidos em mveis para as escolas do municpio.
Um dos focos da iniciativa a padronizao das especificaes do mobilirio escolar do pas, com base nas dimenses prescritas pelos rgos como Inmetro e Associao Brasileira de Normas e Tcnicas (ABNT), garantindo conforto a estudantes e professores. Para a secretria municipal de Educao, Brgida Marioti, dar melhores condies de ensino a alunos e professores fundamental para uma educao de qualidade. Estudos indicam que o contexto familiar e o acesso a bens culturais so condies externas escola que favorecem a educao de qualidade, bem como fornecer equipamentos que possam contribuir com essa ao, destacou.
O prefeito Johnny Felippe esteve presente na entrega da moblia nas escolas Lydio De Brida e Rosalino Damiani, no Bairro Bel Recanto, e ressaltou a importncia de estudar num local bem cuidado e com materiais novos. Sempre d gosto de estudar quando tudo est mais novo, mais cuidado. Ento, vamos aproveitar esta oportunidade e valorizar ainda mais a escola. Estes materiais so de toda a comunidade escolar, para o bem dos alunos e professores, finalizou.
A Escola Municipal Rosalino De Neza, de Palmeira do Meio, receber os novos mveis somente quando a nova escola de Ensino Fundamental estiver finalizada.

Mais de R$ 4 milhes em ordens de servio so assinados

Mais de R$ 4 milhes em ordens de servio foram assinados na ltima semana, incluindo pavimentaes de ruas, revitalizao do Terminal Rodovirio de Urussanga e a construo da Praa de Esportes no Bairro da Estao.
As ruas que j iniciaram os trabalhos de pavimentao foram Dolovico Savi Mondo, no Bairro De Brida; Joo Verssimo Dias, Bairro Braslia; Rodovia Aldo Baldin, em Rio Amrica; Rodovia Arcngelo Benedet, em Rio Salto; RuaVitrio Veneto; Rua Atenas, no Bom Jesus; Rua Liege De Pelegrin, no Bairro Morro da Glria; Durval Perito, em Rio Barro Vermelho e Rua Prefeito Evaldo Losso, no Bairro da Estao.
A maior concentrao de assinaturas aconteceu na manh de quinta-feira, 03 de julho, no Pao Municipal, com moradores dos bairros que sero contemplados com as obras de pavimentao. A Rua Prefeito Evaldo Losso, no Bairro da Estao, j teve os trabalhos iniciados nesta semana, com a retirada da antiga ponte de madeira.
necessrio que os moradores tenham pacincia para passarem por outros acessos por um tempo at a nova estrutura ser colocada no local, ressaltou o secretrio de Infraestrutura, Jorcio Zucchinali.
Para o prefeito Johnny Felippe, a entrega das ordens de servio para as diversas comunidades urussanguenses um sonho que vai se realizando.
Queremos transformar Urussanga numa cidade com grande potencial e bonita e estamos trabalhando para isso. Muitas obras esto acontecendo por toda a cidade e isso nos anima bastante, finalizou.

Mercado para piscicultura se abre na regio

A ateno com a qualidade da gua doce em audes e com a alimentao de peixes reflete a evoluo do cenrio econmico da regio Sul de Santa Catarina. Produtores e profissionais da rea de piscicultura vislumbram a propagao de um alimento saudvel, de protena nobre e uma alternativa a mais de renda nas propriedades rurais.
Em 2010, o Ministrio da Pesca e Aquicultura adquiriu escavadeiras hidrulicas para ampliar e fomentar aquicultura familiar no Brasil. Dois anos depois, Santa Catarina recebeu 36 mquinas, totalizando um investimento em torno de R$ 10 milhes. Cocal do Sul e Urussanga foram alguns dos municpios catarinenses contemplados com os equipamentos.
A partir deste investimento no setor aqucola, as prefeituras municipais e a Empresa de Pesquisa Agropecuria e Extenso Rural de Santa Catarina (Epagri) implantaram programas de apoio ao desenvolvimento da cadeia produtiva da aquicultura familiar, permitindo a construo de viveiros para a criao de espcies de peixes como a tilpia. Desta forma, pequenos produtores criaram novos tanques para a produo de pescados com a inteno de gerao de emprego e renda.
A piscicultura uma atividade que pode ser desenvolvida sem comprometer outras atividades do agricultor. Apostar neste setor significa usar reas inaproveitveis nas propriedades rurais, entrando como uma renda suplementar para as famlias e agregando valor s propriedades, explica o engenheiro agrnomo da Epagri de Cocal do Sul, Cleyton Pereira.
Atualmente, os municpios de Cocal do Sul, Cricima, Forquilhinha, Iara, Lauro Mller, Morro da Fumaa, Nova Veneza, Orleans, Siderpolis, Treviso e Urussanga apostam na piscicultura. Segundo dados do ano passado da Epagri regional, 194 produtores de pescado de gua doce so beneficiados com o desenvolvimento do setor na regio. Em uma rea alagada de 126 hectares, 328 viveiros produzem 368 mil quilos de peixe.
Apesar do costume e da tradio de consumir peixes de gua doce ser inferior comparado a outras regies do Estado, a produo de pescados est despertando o interesse das pessoas para esta questo.
Supermercados, lanchonetes e bares tambm esto apostando na comercializao do produto saudvel e implantando uma nova cultura e novos hbitos no paladar das pessoas. O proprietrio de uma chopperia em Cocal do Sul, Emerson Mendes um dos inovadores. Hoje ele serve fil de tilpia como uma novidade para os clientes. Estou plantando a ideia para o vero, pois o prato muito saboroso, leve, tem o mesmo nvel de peixes de alto mr e uma combinao perfeita com o chopp.Alm de oferecer um produto de qualidade, tambm estamos valorizando a produo local, destaca.
Com diversas possibilidades de preparo, a tilpia, tambm conhecida com Saint Pierre, rica em protenas.
Alm da carne ser nutritiva, ela oferece muitas vantagens.
De acordo com o piscicultor Fabrcio Eyng, a tilpia aceita receitas doces e salgadas. Ela uma carne branca muito bem aceita no mundo e oferece vrios benefcios ao consumidor, conta. A carne branca do peixe considerada uma carne nobre, por ter um bom aspecto e oferecer uma alimentao muito saudvel de alto valor protico.
A tilpia chega a pesar entre 600 e 700 gramas para ser comercializada.
H cinco anos, os irmos Fabrcio e Felipe Eyng enxergaram na piscicultura uma oportunidade de negcio. Hoje, os irmos sero os maiores produtores de peixe de gua doce de Urussanga e de municpios vizinhos.
A produo por safra chega a 60 mil quilos de peixe em uma rea alagada de trs hectares. A piscicultura, atualmente, entra em um conceito de diversificao de atividades da propriedade rural, permitindo que o produtor sofra com menos riscos econmicos e tenha uma maior flexibilidade comercial, ressalta Fabrcio.

Frigorfico de peixe incentiva aumento da produo

Com o intuito de estimular a cadeia produtiva de peixe na regio, os irmos piscicultores iro inaugurar um novo empreendimento neste ano no bairro Alto Rio Molha, em Urussanga. A empresa Bruder ser um frigorfico de peixes e dever se tornar um grande diferencial na cidade e na regio.
O mercado de peixes vem avanando muito e na regio existem pouqussimos frigorficos direcionado apenas para pescados. Criamos peixes em nossa propriedade desde 2007 e sabemos da dificuldade para comercializao, explica Fabrcio.
O empreendimento abrir portas para os piscicultores da regio e servir de incentivo ao agricultor para a gerao de renda, tornando-se um grande motivador para a produo de peixes. Agora, os agricultores esto se dedicando mais ao cultivo do pescado visando um local apropriado para a venda. Os produtores interessados sero nossos fornecedores. Desta maneira estaremos gerando emprego e renda. Estamos avanando no municpio e, em breve, acredito que seremos fortes no mercado do peixe, declara.
O frigorfico tambm ir garantir um produto de qualidade aos consumidores. Segundo Fabrcio, o transporte ser um grande diferencial. O peixe, por ser frgil, precisar de cuidados redobrados em todo processo para a garantia da qualidade.
O transporte ser fornecido por ns. Traremos as tilpias vivas para serem abatidas no frigorfico. Elas sero depositadas em um tanque de depurao, permanecendo na gua limpa por 24 horas para a limpeza intestinal. Esse mtodo far uma grande diferena no produto final. A carne estar mais limpa e com um sabor muito melhor, trazendo ainda mais benefcios ao consumidor, salienta. A empresa est sendo preparada para receber diariamente at 10 toneladas de peixe, sendo que inicialmente trs toneladas sero abatidas por dia.
O empreendimento est sendo inspecionado pelo Estado e se encontra dentro dos parmetros federais, possibilitando a venda para todo o pas. Atualmente, os proprietrios aguardam o parecer e a liberao de rgos competentes e a instalao de equipamentos para dar incio as atividades do frigorfico.
A carne da tilpia ser fornecida para os mercados nas opes fil de peixe, hambrgueres, bolinhos de peixe e empanados. Vamos fornecer para os mercados da regio j iniciando com as variedades para atrair o consumidor, frisa.
Para o engenheiro agrnomo da Epagri de Cocal do Sul, Cleyton Pereira, o frigorfico de peixes estimula a produo no setor. Eles j esto visitando os produtores regionais para que vendam para eles. E essa alternativa estimula ainda mais a produo. Urussanga est crescendo e hoje existem seis produtores fazendo isso mais profissionalmente. O grande incentivo vem dos irmos Eyng. Antes a produo era em torno de cinco mil quilos por hectare e hoje j evoluiu para 15 mil quilos em Cocal do Sul, por exemplo. Isso mostra o crescimento e os investimentos na piscicultura da regio, analisa.

Agricultor troca cultivo de fumo pela piscicultura

H dois anos, o agricultor Nerinho Salvan, de Cocal do Sul, investe na piscicultura em sua propriedade. O agricultor abandonou o cultivo do fumo e transformou a piscicultura em sua principal fonte de renda. Hoje, ele possui trs hectares de rea alagada para a criao de tilpia.
Com a produo em torno de 15 mil quilos de peixe por ano, Salvan espera vender os pescados entre quatro e cinco reais o quilo para sustentar sua pequena famlia. Comercializo o produto na minha propriedade ou em pesque e pague e penso em sobreviver dessa atividade. Investi para isso, afirma.
Salvan um dos produtores auxiliados pela Epagri. Alm da elaborao do projeto e da assistncia tcnica, os profissionais da rea orientam os agricultores em relao a qualidade da gua, alimentao dos peixes e manejo do pescado.
Conforme o engenheiro Cleyton Pereira, a criao de tilpia a mais indicada.
Alm da qualidade do aude, da gua, o grande segredo est na alimentao. Hoje o mercado pede tilpia, pois no h problemas com espinhos. J a carpa tem um gosto diferente. O consumidor de peixe tem solicitado mais a tilpia e para a produo compensa mais esta espcie, finaliza.