Leves refeies a base de frutos do mar

Eliana Maccari

A procura por lugares no litoral brasileiro para aproveitar a praia intensa nesta poca. Alm deste momento de lazer, as pessoas tambm buscam se alimentar com produtos frescos, leves e saudveis. Entre os alimentos mais pedidos e consumidos esto os frutos do mar.
Pensando no bem estar dos clientes, o estabelecimento Carara Chopp decidiu inovar. Os scios-proprietrios e irmos Jubiano e Jlio Carara apostaram na qualidade e diversidade de pescados oriundos da cidade de Laguna. Desde o incio deste ms, o local oferece sete opes aos clientes: casquinha, bolinho e patinha de siri, camaro a milanesa, bolinho de bacalhau, anis de lula e isca de peixe. Clientes de vrias cidades da regio pediam frutos do mar. Ento decidimos atender a este pedido e trazer um diferencial para o local, conta Jubiano.
As pores de 400 gramas so fritas ou assadas e podem ser consumidas por trs pessoas. Imediatamente, ao apreciar os pescados, os clientes percebem um sabor diferenciado. O segredo est no modo de preparo, explica Jubiano, sem dar mais detalhes. Um molho especial da casa e limes acompanham o prato. Segundo Carara, mais de 70% dos clientes aprovaram a nova opo gastronmica. A demanda por tbuas caiu em funo dos frutos do mar. Por isso j estamos pensando em aumentar a oferta de pescados em breve, salienta.

BENEFCIOS PARA A SADE
Segundo o site Gnt, os peixes e frutos do mar fornecem nutrientes e protenas de boa qualidade, de acordo com a nutricionista do Grupo Po de Acar, Patrcia Campos. Conforme a profissional, alm de serem ricos em mega 3, clcio e zinco, os pescados possuem antioxidante que aumenta a proteo do corpo contra o estresse oxidativo.

DIFERENCIAL
Alm de frutos do mar, o Carara Chopp oferece aos clientes lanches, tbuas, pores, bebidas, sucos naturais, coquetis e sorvetes. Entre os diferenciais do estabelecimento esto o lanche vegetariano e a tele-entrega de chopp.

Polcia Militar de Urussanga recebe quatro novas viaturas

Na tarde de tera-feira, dia 28, no Parque das Naes em Cricima, ocorreu a cerimnia de entrega de 87 novas viaturas que iro complementar a tropa da 6 Regio de Polcia Militar, que abrange 25 cidades do Sul de Sanata Catarina, incluindo Urussanga. A solenidade contou com a presena do governador do Estado, Joo Raimundo Colombo, do vice-governador Eduardo Moreira, do Comandante geral da Polcia Militar de Santa Catarina, Coronel Nazareno Marcineiro, e do Capito da Polcia Militar de Urussanga e Comandante da 2/GEIC, Sandi Muris De Medeiros Sartor.
A Polcia Militar de Urussanga recebeu quatro novas viaturas que substituiro quatro veculos antigos. As viaturas iro favorecer as condies de trabalho dos policiais que tero mais conforto e segurana durante as rondas e ocorrncias. s vezes faltava viatura para colocar mais policias nas ruas, pois os carros permaneciam um perodo em manuteno. Agora no teremos problemas com deslocamento e sempre que tivermos policiais disponveis eles estaro realizando rondas para reforar a segurana da populao, explica o Comandante da Polcia Militar de Urussanga, Capito Sandi Sartor.

Um brasileiro no mundo da msica clssica

Yves Goulart/Eliana Maccari

Determinao, coragem e garra para alcanar vos altos e realizar sonhos. Com estes objetivos traados, Aldo Baldin deixou a pequena Vila Nesi, localizada na comunidade de Belvedere, em Urussanga, e conquistou uma trajetria de sucesso e reconhecimento internacional. A histria de vida do artista, tenor e professor catedrtico inspirou e estimulou o cineasta Yves Goulart a elaborar um documentrio sobre o urussanguense. Na cidade francesa Strasbourg, em 2010, Goulart encontrou a viva de Aldo, Irene Flesch Baldin, e as filhas Serena e Sofia durante a exibio do filme Alm da Luz de sua autoria. A msica tema do filme Pobre Cega, de Heitor Villa-Lobos, era interpretada por Aldo Baldin. Na oportunidade, o cineasta comentou o desejo de fazer um filme sobre o tenor. Meses depois, o diretor urussanguense iniciou as longas e prazerosas descobertas. Surpreso e inspirado, Yves se apaixonou pela histria do completo e intenso artista Aldo Baldin.
A tcnica de abordagem do cineasta para buscar o dispositivo e estilo do filme foi sempre usando a mesma pergunta para quebrar o gelo com os entrevistados. Aps bater a claquete, ele lanava o questionamento inicial: Quem foi Aldo Baldin para voc?
A primeira entrevista do documentrio foi realizada no Rio de Janeiro em 2012. O subsecretrio de Cultura da Prefeitura do Rio de Janeiro e primeiro empresrio do tenor, Walter Santos, de 73 anos, expressou toda a admirao que possui por Baldin. Ele foi um amigo, um artista admirvel. Aldo teve uma grande caracterstica na personalidade dele e acredito que foi marcante em toda a sua vida. Ele tinha uma humildade sem ser uma coisa subserviente. Ele estava disponvel para aprender e para se relacionar. Eu acho que isso foi uma marca fundamental na carreira. Ele estava sempre pronto, inclusive a se testar. Era um homem de muita coragem e ao mesmo tempo ele tinha esse lado e esses traos da personalidade, que a humildade, que na realidade uma grandeza, recorda.
Segundo Santos, Baldin tinha uma qualidade rara e muito especial. Ele possua o ouvido absoluto. Esta uma caracterstica muito importante em artistas vocais e cantores. Ele tinha o domnio do l, que a nota de referncia. Alm disso, ele tinha essa memria absolutamente natural da altura dos sons e isso lhe facilitava uma leitura primeira vista da partitura, conta. Os dons do artista foram despertados ainda quando estudava em um seminrio. Ele me falou que tinha sido mandado para um seminrio para estudar o ginsio naquela poca. No seminrio ele aprendeu a tocar rgo e comeou a se interessar pela msica. Parece que depois ele continuou procurando a msica muito mais. Ento ele iniciou pelo rgo, o que deu a ele uma condio extraordinria, inclusive no s para a afinao como para a parte da leitura. Eu acho que facilitou o resto da vida dele. O ouvido absoluto pode at ser desenvolvido, mas voc tem que ter uma base intrnseca na constituio, na sua memria abstrata, na sua inteligncia abstrata, para voc poder ter aquele som disponvel na sua memria. E o Aldo se dedicou uma vida em busca de aperfeioar essa tcnica e foi por natureza um estudioso das tcnicas vocais onde o laboratrio era ele mesmo e os alunos, salienta.
Em busca da perfeio da tcnica e tambm das oportunidades para explorar sua arte, Baldin conheceu a ex-esposa de Walter Santos e Presidente da Academia Brasileira de Msica, Eliane Sampaio. Para a amiga e professora de canto de Aldo Baldin no Rio Janeiro, o urussanguense ainda o maior cantor brasileiro de msica clssica. No teve nenhum to grande, to perfeito, to genial como Aldo. Ele foi e ainda o maior cantor brasileiro de msica clssica. Baldin desenvolveu tambm um autoconhecimento da alma humana. Como artista, ele sabia compreender outro artista, frisa.
Prova desta cumplicidade do tenor com colegas de cena ocorreu em uma parceria com a prpria professora Eliane. Eu estava para cantar a Nona Sinfonia de Beethoven, no Festival de Canto de Campos de Jordo, com a regncia de Eleazar de Carvalho. E eu estava ficando cada dia mais nervosa. A responsabilidade era enorme. Era a primeira vez que eu cantava a Nona Sinfonia e o Aldo era o tenor. E ele viu que eu estava muito preocupada. Na hora do almoo ele passou perto de mim e disse assim: Vamos chegar l no local do concerto mais cedo. E fomos os dois. Chegamos l, entramos numa sala, ficamos conversando e ele pegou um piano e comeou a fazer uns exerccios, uns vocalizes. Depois me fez cantar a minha parte como soprano. E a minha voz saa e eu no tinha problemas. E na hora do concerto eu estava inteira no palco. Ele foi muito sutil. Compreendeu o lado do artista e me deixou tranquila, lembra.
s vezes, cansado e a procura da paz espiritual, Aldo sabia onde encontrar o sossego. Eu me lembro muito bem que s vezes ele passava aqui pelo Rio e me telefonava do aeroporto: Estou indo l para casa da nonna em Urussanga, porque estou cansando, estou exausto. aonde eu vou me reabastecer. Ele ia l para o local onde ele tinha nascido. No meio da mata, na casa da av dele. Ficava l s vezes at 48 horas, dois, trs dias. Depois pegava um avio e voltava para Alemanha ou ia para Buenos Aires, onde ele cantou muito no Teatro Coln. Mas essa coisa da natureza ele adorava. Ele nasceu artista, lgico. Ele no se fez artista. Ento tudo que havia de beleza, de bondade corroborou. S serviu para aumentar e se agregar quela personalidade que foi ficando em formao. E se transformou depois em um homem magnfico, um artista maravilhoso. Porque a gente sabe que nem todo artista to bonzinho assim. Muita vaidade, muito ego. Aldo se equilibrava com os ps no cho. Ele tinha uma conscincia enorme do seu prprio valor. Ele sabia que era bom cantor, mas isso no quer dizer que ele fosse arrogante, que ele fosse intratvel. Ele sabia exatamente como posicionar o equilbrio entre as coisas. Isso eu achava fantstico nele, declara Eliane.
Para Eliane Sampaio, a biografia de Aldo Baldin um exemplo e merece ser reconhecida. um exemplo para todos. Deveria ter nas escolas para os alunos estudarem a biografia dele. Saber como se forma um grande artista. E o Brasil precisa reconhecer isso. No estou me referindo classe poltica, grande massa humana e tudo mais. Mas os prprios artistas. O pessoal de hoje no tem ideia. Eles no sabem quem foi Aldo Baldin e a importncia dele para o Brasil. Um documentrio um grande trabalho de resgate dessa personalidade. preciso depois colocar isso nas universidades, nas escolas de msicas, no s nos cinemas. Porque uma dvida que o Brasil tem com ele. Porque ele era conhecido no mundo inteiro. Cantou para reis e rainhas. Ele cantou como todos os maiores maestros do planeta na poca dele. Ele era O Tenor Brasileiro. Ser que Urussanga tem conscincia disso?, questiona a professora.

La vecchia Longarone rivive con un modellino nel presepio di Rivalta

Enrico De Col

Il centro della vecchia Longarone stato ricostruito con grande fedelt in un modellino inaugurato il 20 dicembre scorso come novit 2013 del presepio animato elettronico di Rivalta. Oltre al consueto allestimento infatti questanno stata costruita unintera nuova zona frutto di mesi di lavoro di analisi di oltre 2000 foto e video depoca per raggiungere lobiettivo di riprodurre nel modo pi realistico possibile una parte del paese distrutto dallonda del Vajont. Si nota in primis la chiesa di San Cristoforo sulle cui fondamenta sorge lattuale chiesa progettata dallarchitetto Michelucci e il museo pietre vive con i reperti ritrovati dopo il 1963. Poi la grande piazza circostante con il busto delleroe longaronese del risorgimento Jacopo Tasso che si trova oggi nellomonima piazza. Poi c il Caff centrale con un manifesto della prima edizione della Mig (Mostra Internazionale del gelato) del 1959 sulla facciata e il bar del paese, oltre che i lampioni e la varie case del centro dislocate in maniera molto precisa (anche se nei vari decenni hanno subito delle variazioni edilizie) tanto che i numerosi superstiti presenti alla cerimonia inaugurale hanno potuto riconoscere i vari luoghi della loro giovinezza e individuare con precisione coloro che vi abitavano. Infine sullo sfondo ci sono i murazzi, di recente hanno ripreso la loro antica funzione di orti con la concessione pubblica di coltivazione da parte dellamministrazione comunale a chi ne faccia richiesta. Si notano sulla sinistra anche altri murazzi che gi 50 anni fa erano in disuso e oggi sono quasi completamente invasi dalla boscaglia. Il presepio e il modellino si trovano nella chiesa di San Francesco a Rivalta e sono opera del gruppo Rivalta Presepi e hanno gi fatto record di visitatori che si avvicinano alla quota di 4000 presenze.

I bambini di Longarone a scuola con i salami!
I bambini delle scuole elementari di Longarone a lezioni di produzione salami. La curiosa iniziativa stata organizzata da un gruppo di volontari della frazione di Provagna che ha ripetuto cos il progetto didattico dello scorso anno, quando era stato prodotto il formaggio e la ricotta. Scopo didattico di questa dimostrazione infatti quello di far rivivere le antiche tradizioni e mestieri, secondo la filosofia che pochi anni fa ha portato al restauro della ex latteria. Si cos andati avanti con le varie fasi come la preparazione, la macinazione per fare il pastin ricavando le budella delle varie misure, poi la salatura con sale e pepe e infine linsaccatura. Ora questampia scorta di salami stata messa a stagionare e una parte sar presentata ai bambini alla fine dellanno scolastico quando arriver il momento pi gradito per tutti, ovvero quello della degustazione.

Primeira visita ao odontopediatra

Thais Trevisol

O ideal que os pais levem o beb para sua primeira visita a um odontopediatra durante o seu primeiro ano de vida. Nesse momento, h a oportunidade de orient-los em relao aos hbitos corretos de higiene bucal e de alimentao. Alm disso, h condies de acompanhar o estabelecimento da dentio desde os primeiros dentinhos, o que extremamente favorvel para preveno de doenas bucais.
Segundo a Especializanda em Odontopediatria, Ellen Luisa Kochhann de Lima, as crianas quando iniciam as visitas odontopeditricas desde pequenas, acabam se acostumando com maior facilidade ao ambiente das consultas. Com as visitas, diminui a chance de desenvolver qualquer medo o que resulta em um melhor comportamento durante os atendimentos ao longo da vida, tornando uma experincia positiva, explica.

Como realizar
a higiene bucal
dE bebs e crianas
Antes do surgimento dos primeiros dentes, os pais devem ter o hbito de limpar a boquinha do beb com gaze ou toalha de boca umedecida. Isso pode ser realizado durante o banho e de extrema importncia para que o nenm aceite e se acostume com a interveno dentro de sua boca, alm de se acostumar com a sensao de higiene, observa a Especializanda.
Aps o nascimento do primeiro dente, a higiene deve ser realizada com uma escova dental apropriada ao tamanho da boca da criana. Segundo a especialista, o tipo de bactria que se adere ao dente no removido com o uso de gaze, nem de dedeiras de borracha. A escovao deve ser realizada pelos pais at que a criana consiga realizar a tarefa sozinha, de maneira eficiente, afirma.
A higienizao dos dentes de leite importante, pois eles so exatamente iguais aos dentes permanentes tanto na estrutura como nas funes normais de mastigao, fonao e esttica. Eles tambm fazem a manuteno do espao para os dentes permanentes. Quando cariados e perdidos precocemente, os dentes permanentes sucessores podem ser prejudicados resultando em alteraes. Nosso objetivo fazer que a criana adquira hbitos saudveis e aprenda a ter conscincia sobre o cuidado com seus dentes desde cedo, finaliza a dentista.

O dom da interpretao despertado nos palcos brasileiros

Eliana Maccari

A cena de uma novela ou o comercial de uma marca que acompanhamos na televiso nos surpreende quando reconhecemos um dos intrpretes. No final do ano, no comercial de Natal da Natura e em um dos captulos da Malhao, na Rede Globo, uma conterrnea Janine Fritzen, de 23 anos, ganhou espao em nvel nacional. A atriz natural de Urussanga e mora h um ano e meio no Rio de Janeiro.
Filha de Joelson Fritzen e Rosinete Albino Berto, Janine se formou em Artes Cnicas na UFSC em 2012 e desde a infncia desejava ser atriz. Sempre quis ser atriz, desde criana, mas o porqu muito subjetivo para mim. Gosto da sensibilidade de entender o cerne das aes, pensamentos, emoes das pessoas. De ser outra coisa que fuja da minha preferncia. um desafio como pessoa, conta.
Aps a formao profissional, Janine manteve o anseio pelas peas teatrais e entrou em uma companhia de espetculos infantis. Sempre fiz teatro. No incio com o Show das Princesas e O Encanto das Fadas viajei muitos lugares no Brasil em turns. Atualmente tenho um grupo de teatro aqui no Rio de Janeiro, com mais quatro amigos: o Grupo Itinerante. Estamos com as peas Comum de Dois e Ela x Ele – Na cidade sem fim, explica.
Alm do teatro, a atriz desenvolve o dom por meio de cursos de interpretao para vdeo. Atravs destas capacitaes Janine conquistou atuaes importantes no incio da carreira. Em dezembro fiz o comercial de Natal para a marca Natura e tambm algumas participaes na novela Pecado Mortal, na Record, e Malhao, na Rede Globo, salienta a urussanguense.
Em Malhao, Janine interpretou Bianca, ex-namorada do personagem Martin, interpretado pelo ator Hugo Bonemer. No captulo, a urussanguense atrapalhou o jantar romntico de Martin com Micaela, personagem feita pela atriz Lais Pinho. Para Janine, a participao na Rede Globo foi uma grande oportunidade. Fiquei muito feliz de ter participado da cena, pois muito bacana voc ajudar a contar uma histria que as pessoas esto acompanhando. No tenho preconceito com as diversas formas de mdia como TV, teatro, cinema. O formato no importa. Para mim o importante estar trabalhando com o que eu amo. Invisto atualmente em TV e teatro e pretendo continuar assim, frisa.
De Urussanga, Janine guarda boas recordaes e retornar a cidade nos momentos de lazer. Todas as oportunidades que eu tenho de voltar pra casa, ficar com a minha famlia, eu aproveito. Sempre venho nas frias e datas comemorativas. Sou apaixonada pela minha terra, sinto muita saudade do clima daqui, da paisagem, da educao das pessoas, da nossa cultura. Agradeo muito pela minha origem, a educao dos meus pais, tudo isso me acompanha mesmo longe, finaliza a atriz.

Leite desde 1878 lanado por urussanguense

Thais Trevisol

O engenheiro agrnomo Cleytom Jos Pereira lanou em dezembro de 2013 o livro Leite desde 1878. O trabalho comeou em 2009, quando Pereira passou a reunir informaes e guard-las. Em 2012 passou a organizar todos os arquivos que possua para transform-lo em seu primeiro livro. O interesse em registrar as informaes em uma obra se deu por no haver nenhum registro da histria dos bovinos que chegaram a Urussanga. Tive que fazer uma pesquisa com vrios produtores de gado leiteiro. Essa a primeira obra que possui estas informaes e poder servir de fonte de pesquisas, explica Pereira.
O nome do livro Leite desde 1878 foi escolhido para justamente retratar o perodo em que o gado leiteiro chegou a Urussanga. Tive que estudar o tropeirismo, aprofundar-me neste assunto para entender e escrever como o gado veio de to longe. Nossa cidade foi disseminadora nesta rea, conta Pereira.
O autor j prepara um novo projeto que culminar em sua segunda obra e aproveita para agradecer os produtores de gado leiteiro. Sem eles eu no teria escrito meu livro, agradeo pela colaborao e ateno que tiveram para me contar as histrias, observa.
Os interessados em adquirir o livro podero entrar em contato diretamente com o autor pelo telefone (48) 9613.8062. Em breve, a obra tambm estar disponvel em livrarias da regio.

Famu orienta proprietrios de oficinas mecnicas e postos de lavao

Atendendo a resoluo n 14 do Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema), a Fundao Municipal Ambiental de Urussanga (Famu), atravs de sua equipe de fiscalizao, est visitando empresas do municpio para verificar a situao ambiental dos empreendimentos.
Para orientar e tirar dvidas, a fundao promoveu uma reunio, na manh de segunda-feira, dia 29, com os empresrios dos setores fiscalizados. O objetivo do encontro foi repassar informaes relativas resoluo do Consema.
Segundo a diretora da Famu, Bruna Costa, a fundao est fazendo visitas para verificar se as empresas esto ou no com a situao ambiental regularizada. Nos casos em que o estabelecimento no tenha a licena ambiental, o fiscal est orientando os proprietrios sobre os procedimentos para obter a licena.
No caso das oficinas e postos de lavao, se a rea for menor do que 500 m, o valor a ser pago durante 4 anos de R$ 250,00.
No entanto, para conseguir a licena, os empresrios devem contratar os servios de um engenheiro ambiental. Para baratear o servio do engenheiro, sugere Bruna, o proprietrios podem contratar conjuntamente o profissional, numa espcie de pacote. O objetivo fazer com todos possam desempenhar suas atividades dentro da lei, assinalou Bruna.
Segundo Bruna, a atuao da Famu, nesses casos, est sendo bem flexvel. Por enquanto, no foi fixado um prazo mnimo para a regularizao dos estabelecimentos existentes, mas para os novos, a licena ambiental ser indispensvel para o funcionamento.

Novos casos de hepatite preocupam o municpio

Thais Trevisol

A Hepatite uma doena grave e silenciosa, pois muitas pessoas podem ter e no saber. No municpio novos casos de Hepatites virais esto sendo notificadas, e grande parte j mostra os sintomas. A doena uma inflamao do fgado, geralmente causada por vrus, mas que pode ser provocada por abuso do consumo de bebida alcolica e pela m reao de alguns medicamentos.
Existem trs tipos desta doena, sendo elas: hepatites A, B e C. A Hepatite A transmitida pela ingesto de alimentos ou gua contaminada por fezes de pessoas infectadas pelo vrus. J a B transmitida pelo sangue ou relaes sexuais sem preservativo. Tambm possvel pegar a doena por compartilhamento de objetos que estejam contaminados, como agulhas, lminas, materiais de manicure e entre outros. A C tambm transmitida pelo sangue.
Os sintomas mais comuns da doena o cansao, dor abdominal, fezes claras, pele e olhos amarelados, febre, tontura, enjo e urina escura. Segundo a Coordenadora Epidemiolgica, Robertina Goulart Nunes gestantes portadoras do vrus da Hepatite B devem ficar atentas, pois podem transmitir para o beb. importante que as grvidas faam teste e vacinao na gestao contra a doena. Todo recm-nascido deve tomar a primeira dose contra Hepatite B ao nascer, comenta. A Hepatite A no se transforma em tumor, chamada de fase crnica. J as Hepatites A e B podem originar um adenocarcinoma, mais conhecido como cncer.

Preveno
Para prevenir a Hepatite A necessrio ter hbitos de higiene, como limpar as mos aps usar o banheiro, ao preparar alimentos e antes de se alimentar. Tambm lavar bem os alimentos crus, como frutas e verduras. Para a Hepatite A, existe vacina. indicada para os portadores crnicos de hepatites B e C, menores de 13 anos com HIV/AIDS e outros casos, explica Robertina.
No caso das hepatites B e C, no indicado compartilhar objetos como escovas de dente, lminas de barbear ou de depilar, usar material de manicure individual e esterilizado, uso do preservativo em todas as prticas sexuais. Para a hepatite B, existe vacina para menores de 29 anos e grupos vulnerveis. J para a hepatite C, no existe vacinao.
Para os grupos de riscos, est sendo implantado nas Unidades Bsicas os testes rpidos para identificar o HIV, Hepatites B e C e a Sfilis. Realizamos uma triagem com estes pacientes, assim podemos diagnosticar as doenas antes que elas j estejam num estado mais avanado, frisa Robertina.
No final do ano passado, uma reunio foi realizada com proprietrios de sales de beleza e outros estabelecimentos de Urussanga, orientando os mesmos em como prevenir a doena. O Coordenador da Vigilncia Sanitria, Jos Dos Passos Ceron instruiu os participantes sobre como esterilizar autoclaves. J a Coordenadora Robertina orientou as formas de preveno da doena com alicates e outros objetos usados em sales.

Mdica cubana completa um ms de atendimento em Urussanga

Thais Trevisol

H um ms, a mdica cubana Maria Delos Angeles Morejon Luis est atuando em Urussanga atravs do Programa Mais Mdicos, do Governo Federal. A profissional, que atua a 20 anos na rea, afirma estar contente por realizar este trabalho no Brasil. Durante uma semana, Maria passou por um processo de adaptao antes de realizar os atendimentos. Segundo a mdica, as maiores dificuldades encontradas neste primeiro ms de trabalho so em relao parte burocrtica. Pensei que iria ter problemas na comunicao, mas est sendo bem tranquilo. Encontro um pouco de dificuldade na parte das documentaes, pois diferente do meu pas de origem, observa.
Alm de estar trabalhando oito horas dirias no posto de sade no bairro Bela Vista, a mdica tambm dedica a mesma quantidade de horas em cursos com aulas virtuais e presenciais. Uma vez ao ms, Maria participa de uma capacitao em Florianpolis para aprender sobre a medicina brasileira e se adaptar as normas do pas.
Para os pacientes, o atendimento da profissional est sendo eficaz e no h problemas com a comunicao. Gostei muito do atendimento da mdica Maria, ela muito carinhosa com os pacientes. A comunicao foi tranquila, no tive nenhum problema. Ela prestativa e temos que valorizar uma pessoa que veio de to longe para ajudar ainda mais na sade das pessoas de nossa cidade, conta a aposentada Zaida Redivo Felippe, de 61 anos.
A mdica cubana atuar por trs anos no Brasil e possui um ms de frias para cada ano de trabalho, conforme contrato do programa Mais Mdicos. Quero agradecer a Secretaria de Sade por estar me acolhendo to bem e me ajudando a adaptar em como devo atuar. Estou contente e sinto que o meu trabalho est sendo realizado, finaliza a mdica.

Galeria Ivo Serafin recebe modificaes estruturais

Eliana Maccari

Um entrave relacionado ao edifcio da Galeria Ivo Serafin, no centro de Urussanga, que se estendia h muitos anos, foi resolvido na ltima semana. No ano passado, aps tragdias nacionais com mortes por causa de desabamento de prdios e incndios em casas noturnas, o Corpo de Bombeiros intensificou a fiscalizao em edifcios.
Para atender as solicitaes dos bombeiros, o sndico da Galeria Ivo Serafin, Ivan Vieira, mobilizou e sensibilizou comerciantes e moradores para regularizar a situao. As pessoas entenderam a importncia destas medidas de segurana do prdio e pagaram um valor a mais no condomnio para fazer as melhorias, explica Vieira.
Um projeto de preveno contra incndio foi executado nos ltimos meses. Agora, o edifcio possui placas de sinalizao, alarme de incndio, um extintor em cada loja e quatro extintores por andar. A troca de fiao eltrica e a elaborao de uma nova planta tambm foram alteraes realizadas. Ainda neste ano iremos fazer o corrimo nas escadas, aumentar a altura da proteo nas sacadas dos apartamentos e fazer sadas de gs, conta o sndico.

O prazer de elaborar a prpria cerveja

Eliana Maccari

De textura leve e agradvel frescor, a cerveja a bebida preferida pela maioria dos brasileiros. A paixo por esta bebida resultou em uma maneira diferente de apreciar o produto: a elaborao de cerveja artesanal. Em Urussanga, a arte de produzir a bebida ganha adeptos a cada ano. No ano passado, os amigos Daniela Mondardo, Gustavo de Bona Sartor, Valdecir Miotello, Jos Carlos Sacchet, Aleksander Possamai e Ronaldo Guollo, decidiram realizar um curso para aprimorar os conhecimentos sobre o processo de fabricao da cerveja e os equipamentos necessrios. Todos gostam de cerveja e adoramos a ideia de fabricarmos uma cerveja de qualidade, com melhor sabor dos que as que se encontram no mercado. Mesmo bebendo em quantidade menor, socialmente, a qualidade seria muito superior, explica Daniela.
A elaborao da cerveja iniciou no ms de dezembro em um stio. Segundo Daniela, o processo preciso, pois uma srie de etapas deve ser respeitada e seguida com cuidado, principalmente no que se refere ao controle da temperatura e higienizao. Com diversos utenslios necessrios e durante sete horas, os amigos fizeram as etapas de brassagem, para o cozimento do malte, filtragem, fervura e lupulagem, resfriamento, fermentao, maturao e priming, uma adio de acar, e envase, para dar origem ao lquido chopp. Aps os procedimentos, o grupo conseguiu elaborar 20 litros de cerveja e escolheram um nome para a bebida: Socialmente. Para Daniela, o sabor de uma cerveja artesanal diferente dos tipos da bebida encontrados para comercializao. Nossa produo tornou-se um chopp, pois no pasteurizamos a cerveja, conservando ela viva mesmo aps o engarrafamento. Ns optamos por cervejas tradicionais, porm mais encorpadas e saborosas, utilizando para isso matrias-primas de acordo com as caractersticas que queremos, ressalta. Por enquanto, o grupo apenas ir aprimorar o mtodo para apreciar entre amigos uma cerveja diferente e de qualidade. O nosso objetivo ter o prazer de beber uma cerveja feita por ns, o que certamente motivo de orgulho. No futuro pensaremos a respeito do aumento da produo, que necessitaria tambm de investimento em novos equipamentos, destaca.

Interesse feminino

O desejo de degustar cervejas tambm est se manifestando no pblico feminino. Daniela sempre apreciou a bebida e, morando na Europa muitos anos, teve a oportunidade de degustar vrios tipos. Esse mercado muito mais vasto no exterior do que no Brasil. Eu tinha alguns amigos l que faziam cerveja e eu sempre degustei as artesanais. Achava muito interessante saber que podemos decidir que tipo de cerveja queremos beber, como transformar o seu sabor. Aqui fui uma das pessoas que incentivou a produo. No curso que fizemos, o p rofessor disse que fui a primeira mulher a participar. Sempre que posso me informo para aprender cada vez mais, salienta.

Grupo de jovens aposta na qualidade da gua para uma boa cerveja

No ms de novembro do ano passado, os admiradores de cerveja artesanal Rafael Mazzucco, 30 anos, Daniel Pezente Mazzucco, 29 anos, e Rodrigo Luiz Gonalves, 40 anos, decidiram produzir a bebida em casa. Com base na tabela peridica da cerveja, os jovens escolheram a cerveja que desejavam fazer, definindo caractersticas como cor, amargor, aroma e teor alcolico. Respeitamos a lei de pureza alem. Apesar de iniciantes na arte, j somos capazes de formular a nossa prpria receita, mas optamos por comear com uma cerveja tipo pilsen de alta fermentao. Partimos do gro de malte, por entender que dessa forma podemos controlar melhor a qualidade da nossa cerveja, explica Mazzucco.
Os jovens optaram por fazer 30 litros para consumo prprio na primeira produo para avaliar a receita. Conforme Rafael, as matrias-primas utilizadas so importadas e essenciais para a obteno de uma cerveja de qualidade. Mas o diferencial da bebida est na qualidade da gua. Usamos uma gua pura, de nascente em mata nativa na regio do Rio Maior, onde moramos, que matou a sede dos nossos antepassados colonizadores italianos e continua sendo preservada e utilizada at hoje por nossos pais e tios. Dessa forma no temos a necessidade de fazer tratamentos qumicos para melhorar a sua qualidade, o que a torna ideal para a produo de cerveja, evitando sabores indesejados, destaca.
Futuramente, o divertimento pode se tornar um negcio. Nosso pensamento padronizar ao mximo tudo que pudermos medir, para mantermos um bom nvel de qualidade da nossa cerveja. O que importa que as pessoas experimentem e queiram mais. O resto ser consequncia e vamos administrando com o passar do tempo. Sabemos que preciso dar um passo de cada vez. Quem sabe se a nossa receita emplacar?, ressalta Rafael. O nome da cerveja ir homenagear a localidade de Rio Maior. Estamos elaborando o rtulo e se chamar River Malte, a primeira cerveja artesanal feita com gua de nascente do vale do Rio Maior, um dos poucos mananciais em condies de abastecer a cidade de Urussanga com gua potvel, pois a maioria foi contaminada pela atividade de extrao de carvo mineral. A inteno produzir semanalmente (ou quinzenalmente) a partir de fevereiro e no parar mais, finaliza.

Prefeitura adquire dois novos veculos

Thais Trevisol

Dois novos veculos foram adquiridos pela Administrao Municipal e sero destinados para as secretarias de Sade e de Desenvolvimento Humano e Social. Na sade, o automvel modelo Palio foi comprado com recursos prprios, somando um total de trs carros adquiridos em 2013. Nos prximos meses mais um dever compor a frota. Estamos com a necessidade de renovar a frota, pois os antigos veculos tm um alto custo para serem mantidos, explica a Secretria da Sade de Urussanga, Maringela Dal B Lapolli.
J na Assistncia Social, o carro Chevrolet Classic foi conquistado atravs de um termo de cesso de uso pelo Governo do Estado. Este veculo ir ser usado exclusivamente pela Assistncia Social. Antes tnhamos somente um carro que era utilizado pelo programa da Bolsa Famlia. Agora, poderemos us-lo a qualquer hora para prestar os servios. Com certeza ir colaborar muito para o nosso trabalho, afirma a Secretria do Desenvolvimento Humano e Social, Judith Pillon.

Consrcio Cirsures realiza concurso pblico

Na prxima segunda-feira, dia 3 de fevereiro, o Consrcio Intermunicipal de Resduos Slidos Urbanos da Regio Sul (Cirsures) lanar o edital do Concurso Pblico 2014. O Consrcio abrir dez vagas em concurso para contratao de engenheiro sanitarista e ambiental, motorista, auxiliar de servios gerais, balanceiro, contador e auxiliar administrativo. Os profissionais atuaro nos servios de escritrio e no aterro sanitrio.
O perodo de inscries ser do dia 4 de fevereiro ao dia 7 de maro. Os prazos, as regras e outros detalhes sero disponibilizados atravs do edital na sede do Consrcio Cirsures, na Rua Vidal Ramos, nmero 170, sala 11, no centro de Urussanga, ou pelo site www.cirsures.sc.gov.br

Colombo cumpre agenda em Urussanga

Eliana Maccari

O governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo foi recebido por diversas lideranas polticas e membros da comunidade na tarde de tera-feira, dia 28, em Urussanga, quando pousou com seu helicptero s 14 horas no Centro Poliesportivo do municpio. O prefeito Johnny Felippe e o vice Luiz Henrique Martins o recepcionaram na chegada levando a autoridade at o Pao Municipal. O objetivo da visita foi conhecer e atender as necessidades de cada prefeitura, alm de fazer um balano das aes do Governo do Estado na regio.
O primeiro assunto a entrar em pauta foi a pavimentao da estrada que liga a comunidade de Santana a Itanema. Os vereadores solicitaram agilidade no processo, afirmando ser um projeto muito importante para toda a comunidade. No Salo de Atos da Prefeitura, o presidente da Associao de Avicultores Sul Catarinense, Emir Tezza, aproveitou o momento para reivindicar por mais ateno aos produtores e apresentou dados e os principais entraves da situao dos avicultores na regio. Da maneira como est, no possvel o produtor quitar seus dbitos. O menor preo pago no Sul do Estado. Gostaria que o senhor olhasse para os avicultores, pediu.
O prefeito de Urussanga, Johnny Felippe agradeceu o Estado pelos recursos destinados cidade e pela concesso de um terreno para a construo de uma nova rea de lazer. Atravs do Fundam e do Badesc Urussanga dar passos grandes para a realizao de sonhos, como o projeto de revitalizao do Centro Social Urbano no valor de R$ 1,3 milho ao qual daremos incio logo, pois uma rea bem na entrada da cidade, um verdadeiro carto-postal, enfatizou.
O governador Raimundo Colombo frisou que Santa Catarina um estado com vocao para a exportao, destacando a importncia da carne de frango para a economia, e assumiu o compromisso de analisar o projeto de pavimentao asfltica na comunidade de Santana. A exportao vai melhorar a qualidade de vida. No agronegcio fomos at o mximo para ajudar. Mas sei o que estar nesta situao dos avicultores. Podem contar com o nosso esforo. Quero conhecer este projeto para Santana para que possamos dar algum encaminhamento. Estamos capitalizando o Badesc com mais R$ 50 milhes para auxiliar as prefeituras a investirem nos municpios nos prximos meses, pontuou.
Aps a reunio no Salo de Atos da Prefeitura de Urussanga, o governador Raimundo Colombo conversou em par ticular com o prefeito Johnny Felippe e o vice-governador Eduardo Moreira. Na oportunidade, Colombo confirmou o empenho para realizar o primeiro quilmetro de asfalto da estrada que liga a comunidade de Santana a Itanema. Alm desta excelente notcia, ele tambm assumiu o compromisso com a Avenida Longarone no sentido de complementar a obra com uma ciclovia e dar um trator para a Secretaria de Agricultura. Outras boas notcias viro em fevereiro, contou o prefeito.
Em relao poltica, o prefeito Johnny Felippe ressaltou que exps ao governador a sua posio na eleio deste ano. Apoiaremos a coligao onde Eduardo Moreira estiver. Eu e outros prefeitos do PMDB na regio assumimos esta postura e repassamos ao Colombo, frisou.

Futsal feminino conquista primeira vitria

Pela 2 rodada do Campeonato de Futsal do Balnerio Arroio do Silva, a equipe de Urussanga conquistou sua primeira vitria na competio. A partida foi realizada na quadra central do Balnerio, na quinta-feira, dia 16 de janeiro, contra a equipe da casa, a DME Arroio. Em um jogo de forte marcao, a equipe de Urussanga conseguiu dominar o adversrio, desperdiando muitas chances de gol no incio da partida, mas abrindo o placar com Evelin e ampliando com Bruninha, terminando o primeiro tempo com o placar de 2 x 0.
J no segundo tempo, a equipe continuou criando muitas possibilidades, mas cometeu erros na finalizao, ampliando o placar mais duas vezes com Aline e Kaini. O Arroio acabou marcando apenas um gol.
A equipe dos Vales da Uva Goethe voltam a jogar no dia 28 de janeiro, tera-feira, s 19h15min, em busca de mais uma vitria enfrentando a equipe DME Turvo.

Urussanga vence segunda rodada do Campeonato de Futsal

A equipe Urussanga/Orange Futsal participou da 2 rodada do Campeonato de Futsal do Balnerio Arroio do Silva, no dia 18. Urussanga/Orange Futsal enfrentou a equipe da Padaria Simoni. No primeiro tempo, Urussanga foi goleada pelo placar de 7 a 0. J no segundo tempo, a Padaria Simoni marcou quatro gols e Urussanga mais dois, fechando o placar em 9 a 4 para Urussanga/Orange Futsal. Com essa vitria, Urussanga j garante classificao para a prxima fase da competio, sendo a nica que pode vencer todos os jogos ao final da primeira fase, comenta o Diretor de Esporte e Lazer, Gustavo De Oliveira.
Prximo jogo
Na tera-feira, dia 28, Urussanga/Orange Futsal ir enfrentar a equipe Marcelo Automveis/Pela Gatos, pela terceira rodada, s 20h30min. O jogo pode ser acompanhado ao vivo pelo site da Rdio Ararangu: www.radioararangua.com.br.

Aa da Amaznia: delicioso e saudvel

De cor roxa, o aa um fruto bacceo cultivado na regio amaznica nos pases Venezuela, Colmbia, Equador, Guianas e no norte do Brasil, assim como em Trinidad e Tobago e nas bacias do Pacfico na Colmbia e no Equador. O fruto tornou-se um alimento muito importante na dieta dos brasileiros. De sabor forte e marcante, o aa considerado, por muitos, uma iguaria extica, sendo apreciada de diversas formas como sucos, doces, sorvetes e geleias.
Em Urussanga, o fruto um dos diferenciais da loja Big Shape. Este alimento vai de encontro com o objetivo do estabelecimento de proporcionar um estilo de vida mais saudvel a populao, explica o scio-proprietrio Edson Lemos. Alm gosto agradvel, os benefcios do aa so fatores que atraem os consumidores. O fruto rejuvenescedor em funo da alta dose de antioxidante e por conter substncias que combatem os radicais livres, acelerador muscular e ajuda na formao de aminocidos que possuem funo energtica, fonte de energia para atletas, afrodisaco, reduz o colesterol, possui clcio e evita cimbras.
Assim como na Amaznia, o aa consumido gelado em Urussanga. Ao servir na tigela, a polpa do aa acompanhada de frutas e at mesmo de outros alimentos. Temos as opes de aa com banana, morango, cupuau, granola ou whey, uma protena extrada ou de soro de leite, soja, carne vermelha, vegetais ou da clara do ovo. O whey indicado para atletas em geral que fazem musculao, pois excelente para ganho de massa muscular magra, comenta Lemos. Alm de apreciar o fruto na tigela, o aa tambm pode ser consumido na loja Big Shape como suco, sorvete ou pronto em potes.

PRODUTOS
NATURAIS E
ORGNICOS
A loja Big Shape oferece aos clientes 35 opes de sucos e vitaminas com frutas especiais das regies Norte e Nordeste do Brasil como umbu, cupuau, caju, caj, cacau, tamarindo, entre outros. Produtos orgnicos e naturais como sanduches, assados integrais, tambm so comercializados no estabelecimento. A partir de fevereiro iremos trabalhar com cereal matinal com a metade do preo de mercado e com sorvetes orgnicos a base de adoante e sem lactose, frisa o scio-proprietrio Edson Lemos.

Produtores recebem trofus e cortes de festas da regio esmagam uvas

Eliana Maccari

No dia de So Vicente, padroeiro dos vitivinicultures, em 22 de janeiro, Urussanga comemora o Dia Municipal da Uva e do Vinho Goethe. Para abenoar as mos que colhem os frutos e agradecer o santo pela boa safra, produtores da regio acompanharam a missa celebrada pelo Padre Carlos Weck na Igreja Matriz de Urussanga.
Aps a cerimnia religiosa, autoridades, turistas e muncipes prestigiaram uma srie de atividades na Praa Anita Garibaldi. Alm da exposio A Casa do Vinhateiro e de uma feira para comercializao de produtos coloniais e artesanais, a VI Vindima Goethe homenageou produtores e entregou os trofus Amigo do Vinho Goethe. O ato lembrou personalidades como Olindo Quarezemin, Joo Quarezemin, Joo Trento e Victrio e Darvino Bez Batti, que contriburam para o cultivo da uva e a conquista do selo de Indicao de Procedncia. Comecei a amassar uvas com os ps com 12 anos, recordou emocionado o produtor Joo Trento, de 100 anos.
O prefeito Johnny Felippe fez um brinde no final de seu discurso, destacando a importncia da uva e do vinho Goethe cidade. Temos de valorizar cada vez mais a regio de Urussanga e Azambuja, toda a regio pertencente aos Vales da Uva Goethe. Que So Vicente nos abenoe e que tenhamos uma tima safra, ressaltou.
O pice do evento foi o esmagamento das uvas pelas rainhas e princesas de festas da regio. O suco produzido se tornar vinho e ser degustado na 15 Festa do Vinho, em agosto deste ano. Em seguida, uma polenta gigante preparada pelo grupo Amici della Polenta foi servida ao pblico.
Um grupo formado por 20 produtores de vinho do Paran prestigiou o evento e ficou encantado com as tradies locais. Todos os anos fazemos um roteiro rural para conhecer lugares diferentes e agregar valor ao nosso produto. Urussanga nos surpreendeu e estamos levando muitas experincias e vinhos Goethe para casa, contou a guia de turismo, Rosana Juliato Pissaia.
O italiano Francesco Ferraro, que reside em Cricima h 6 meses, acompanhou as notcias nos jornais regionais e decidiu prestigiar a Vindima. Estou me sentindo em casa saboreando os vinhos e conversando na lngua italiana. Gostei muito do evento e da confraternizao, frisou.

FAMLIA BEZ BATTI
RECEBE PLACA
Os produtores Victrio e Darvino Bez Batti, dos famosos vinhos da marca Samos e Sant, obtiveram reconhecimento internacional ao conquistarem a medalha de ouro na Exposio Internacional de New York, de 1939. Setenta e cinco anos depois, pai e filho foram homenageados na noite de quarta-feira, dia 22, e receberam uma placa no local onde era a sede da produo de vinhos. Esta residncia, de 1932, foi onde me criei e vivi momentos maravilhosos aqui. O descerramento desta placa representa o reconhecimento do trabalho de luta e determinao do meu av e pai, salientou o filho de Darvino, Renato Bez Batti. A homenagem foi uma iniciativa da Associao ProGoethe, Prefeitura de Urussanga, Epagri e Governo de Santa Catarina.

 

Amigos do Vinho Goethe so homenageados

Olindo Quarezemin

Olindo Quarezemin nasceu na localidade de Azambuja em 17 de agosto de 1922. Olindo era um dos filhos do casal Antnio Quarezemim e Maria Felippe. O casal Olindo e Margarida forjaram o futuro de seus filhos no rduo trabalho da agricultura. Com o falecimento da esposa em 1978, Olindo casou-se novamente com Ines Ieda Tomazi, filha de agricultores tambm fabricantes de vinho na comunidade do Rio Caet, em Urussanga.
Os dias nesta terra foram dedicados famlia e ao desenvolvimento das atividades agrcolas como criao de sunos e o cultivo da parreira. Olindo montou ferraria, engenho de farinha e fcula da marca goma.
Olindo Quarezemin produziu vinho colonial, e com sua Braslia amarela vendeu muito vinho Goethe por toda a regio e o distribuiu aos amigos.
Faleceu em 2009 aos 87 anos e descansa em paz no cho sagrado do cemitrio de Urussanga. Ele transmitiu a herana do vinho aos seis filhos: Velice, Margarete, Wilson Antnio, Ademar, Haroldo. Hoje, o filho Haroldo e s netas Camila e Beatriz administram a vincola Quarezemin em Iara.

Joo Quarezemin

Irmo de Olindo, Joo Quarezemin nasceu na comunidade de Azambuja em 02 de julho de 1916. Filho de Antnio Quarezemin e Maria Felippe tem origem na unio de duas famlias com forte tradio vincola. Joo casou com Elza Geraldi em 1942 e desta unio nasceram trs filhos: Darci, Dairo e Ana Maria.
A viticultura entrou na vida de Joo Quarezemin quando adquiriu a antiga propriedade de Joo Savi, onde o mesmo j cultivava parreirais. Joo e os filhos ampliaram o cultivo com novas espcies, mas mantiveram e ainda mantm at hoje um dos mais antigos, seno o mais antigo, vinhedos de uva Goethe da regio.
A vida profissional foi marcada por vrias etapas: desde a lida no campo passando pelo ofcio de ferreiro durante a 2 Guerra Mundial. No final da dcada de 40, associou-se aos seus irmos e fundaram uma fecolaria, que foi encerrada devido enchente de 1974.
Os vinhedos so mantidos hoje pelos netos Danni e Denner Quarezemin. Netos que mantm a bandeira da paixo por uva e vinho do Nonno Joo tremulando nas terras da famlia Quarezemin.
O nonno Quarezemim gastou muitas tesouras de poda, feixes de vime. Produziu muita uva e muito vinho nas encostas do caminho dos imigrantes na localidade de Azambuja. Joo trabalhou e bebeu muito vinho nas festas de So Marcos, mas faleceu aos 96 anos em 2012 e deixou aos seus descendentes um grande legado: o legado da determinao. Hoje descansa em paz no cho sagrado do cemitrio de Azambuja, onde tambm repousam seus antepassados.

Victrio e Darvino Bez Batti

Pai e filho unidos pelas tinas, unidos pelas cepas da uva Goethe. Urussanga e os apaixonados por uva e vinho devem famlia Bez Batti grande parte de nossa histria vincola e com lugar de destaque assegurado na histria do vinho catarinense e brasileiro. A cantina Bez Batti produziu o famoso vinho branco de Urussanga, o vinho Goethe, o vinho Samos.
A empresa fundada em 1932 por Victrio Bez Batti e Salute de Csaro passou a ser comandada a partir de 1958 por seu filho Darvino. Darvino dos caminhes carregados de uva, o suave odor de uva e vinho que penetrava nas casas. Darvino do mgico Cine Vera Cruz, dos memorveis opalas da GM. Em 1967, devido a exigncias da legislao internacional de vinhos relacionadas a Indicao Geogrfica, a marca Samos necessitou ser substituda. Entra em cena o amigo padre Agenor que sugere a substituio da marca Samos por Sant.
A cantina Bez Batti encerrou suas atividades em 1993, aps 60 safras de um bom vinho. A variedade Goethe desenvolvida por Rogers nos Estados Unidos e que chegou s nossas terras por volta de 1900, na forma de garrafa de vinho produzida por esta empresa e contendo alm de vinho, territrio, histria, tradio, cultura, qualidade, aroma e sabor, voltou a sua ptria de origem e conquistou atravs da cantina Bez Batti, medalha de ouro na exposio internacional de New York em 1939.

Joo Trento

Outro Joo na histria da uva e do vinho Goethe: o nonno Gioan Trento.
Joo Trento comemora 101 anos no prximo dia 22 de maro. Filho do casal de imigrantes Pedro Trento e Giovanna Ferraro, nasceu na comunidade de Rio Carvo em 22 de maro de 1913, local onde produzia uva e vinho. Porm na metade de sua caminhada foi expulso de suas terras pelo carvo, foi expulso pela Marion. Ele que como tantos nonnos e tantas nonnas manifestaram em dialeto num tom de lamentao e desolao: Marion, Marion, quanto rebarton. E uma nonna nos comentou anos depois de tanta devastao: E disseram para a gente no se preocupar, porque a explorao do carvo era coisa de gente estudada.
Forado a abandonar o seu lar doce lar, foi para outro na comunidade de Rio Salto. Por isso no dia 24 de maro do ano passado, os sinos da Igreja Madonna Della Salute em Rio Carvo e da igreja de Nossa Senhora das Graas de Rio Salto repicaram simultaneamente agradecendo aos cus os 100 anos do nonno Gioan Trento, o mais antigo produtor de vinho Goethe de Urussanga hoje aqui presente, pois quem cem anos um bom vinho Goethe bebeu, cem anos viveu.