Crise na Suinocultura

Produtores de Urussanga amargam um prejuzo de 100 mil reais no primeiro semestre deste ano

A crise que atinge atualmente a Suinocultura brasileira, especialmente da regio, j vem trazendo grandes prejuzos aos
produtores. O baixo custo de venda do animal aliado ao aumento de aproximadamente 100% nos insumos como o milho e a soja traz
muita preocupao queles que tm na suinocultura a sua principal fonte de renda. Segundo a Associao Catarinense de
Criadores de Sunos, esta a prior crise enfrentada pela atividade em 10 anos. Nos ltimos 18 meses, segundo a associao do
estado, os produtores de Santa Catarina j contabilizam perdas de cerca de R$ 1 bilho. Em Urussanga, os produtores Fabrcio
e Felipe Eyng esto neste grupo.
A propriedade localizada em Rio Molha conta com 1.300 matrizes e esta a principal atividade da famlia. No local, eles
possuem uma UPL (Unidade de Produo de Leito) onde os animais nascem e so vendidos para outros produtores realizarem a
engorda. H tambm aqueles que realizam o ciclo completo, desde o nascimento, engorda e abate. Todos enfrentam grandes
dificuldades devido a crise que atinge o mercado. Neste primeiro semestre do ano, j acumulamos um prejuzo de 100 mil
reais. Para os produtores que trabalham com o ciclo completo, esse nmero ainda maior. Ns temos a propriedade desde 2001 e
esta a crise mais duradoura que j enfrentamos, informa Fabrcio Eyng.
Segundo o produtor, nos ltimo quatro anos o preo do suno est bem defasado. Mas foram nos ltimos seis meses que a queda
no valor pago por quilo se acentuou. S para se ter uma ideia, em dezembro o quilo era vendido por R$ 2,30. No dia dois de
abril, reduziu para R$ 1,90, relata.
Alm do baixo valor, os insumos tambm aumentaram significamente. O milho no ano passado era adquirido por aproximadamente
R$ 27,00 a saca. Devido a uma forte seca que atingiu os Estados Unidos, o produto passou a ser exportado e vendido no Brasil
muito mais caro. Hoje a saca pode ser encontrada at por R$ 35,00.
E com a soja no diferente. A tonelada tinha um valor de R$ 850,00. Hoje, no mercado, est por R$ 1.400,00. Ns que
utilizamos em mdia mil sacas de milho e 30 toneladas ao ms de soja, sentimos muito esse aumento. Tanto que teramos
capacidade de comportar 1.600 matrizes. Atualmente estamos com 1.300, mas teremos que reduzir para 1.100, conta Fabrcio.
Nosso maior problema que no podemos esperar para vender a produo, como ocorre com os agricultores. O animal tem que
sair da instalao com 30 dias, no temos como esperar. Por isso precisamos vender. O suinocultor no tem a produo na mo.
Ns no determinamos o preo da venda, muito menos o preo do insumo. No interessa se a soja aumenta, o mercado do suno
outro. O preo de custo, com o preo de venda no est atrelado, informa.
Em Urussanga, a famlia a maior produtora e tambm considerada uma das maiores da regio. No entanto, o vale do Brao do
Norte, grande incentivador da Suinocultura, o local que mais apresenta problemas. Segundo o Presidente do Sindicado Rural
de So Ludgero, Brao do Norte e Gro Par, Edemar Della Giustina, o vale, em cinco meses, j contabiliza um prejuzo de 24
milhes de reais. Muitos produtores esto desistindo. Os abatedouros esto em situao muito preocupante. H aqueles que nem
mais dinheiro para comprar o trato eles tem. Os animais esto passando fome. realmente uma situao muito triste, diz.

A oportunidade que vem da crise

Fabrcio e Felipe Eyng viram na crise da suinocultura uma oportunidade para investir em outro setor. Desta vez a
piscicultura. Na propriedade da famlia so produzidas aproximadamente 70 toneladas de tilpia ao ano em dois hectares e meio
de lmina dgua.
Em 2008 iniciamos com o trato dos peixes. Nossa expectativa de no mximo em dois anos construir um frigorfico para vender
o produto pronto para consumo. J estamos com a parte das licenas todas prontas. Quando tudo isso estiver finalizado,
esperamos gerar mais 10 postos de emprego, afirma Fabricio.
Na regio, a propriedade foi uma das primeiras a investir na piscicultura. Nossa inteno tambm de incentivar que outros
produtores queiram investir nesta rea. um setor que est em ascenso e que tambm est com bastante incentivo por parte do
governo. A gente nunca sabe o que vai ocorrer daqui h 5, 10 anos. Por isso preciso procurar outros ramos de atuao,
incentiva.

Primeiro debate eleitoral divide opinies dos eleitores

O plano poltico para os prximos quatro anos de governo da administrao pblica de Urussanga comeou a ser traado na
ltima sexta-feira, 20, durante o primeiro debate eleitoral realizado pela Rdio Marconi. O clima foi de cordialidade e
respeito de uma forma geral, mas de alfinetadas nas entre linhas durante os discursos entre os dois candidatos. A renovao
foi defendida pela coligao Muda Urussanga, formada pelo candidato Johnny Felippe (PMDB) e o vice Henrique Martins (Cuca,
do PT). J a coligao Urussanga mais Forte aposta no aprimoramento contnuo da gesto, com Geraldo Fornasa (PP) e Arnon
Teixeira (PSDB).
Fornasa e Johnny chegaram no Centro Comunitrio da Igreja Matriz com aproximadamente 30 minutos de antecedncia. O debate
teve como mediador o radialista Geraldo Custdio e iniciou com a apresentao dos candidatos. A ordem dos discursos foi
definida por sorteio, sendo que Fornasa foi o primeiro a se manifestar. O progressista destacou sua trajetria de vida,
apresentou o seu vice, Dr. Arnon e cumprimentou todos os presidentes de partidos da coligao e candidatos a vereadores.
Esperamos apresentar nossas propostas para uma Urussanga mais Forte. Queremos retribuir a Urussanga e a nossa gente tudo o
que essa cidade nos proporcionou. Ns vamos trabalhar muito para manter Urussanga no rumo certo, ressaltou.
Na sequncia, Johnny falou da contribuio e participao do seu vice durante os prximos quatro anos da coligao que
representa uma nova gerao, a motivao, o dinamismo, a juventude e a gerao de tecnologia. Os ventos da mudana esto
chegando. Ela se faz necessria, fundamental para dar novos ares de alegria e esperana aos urussanguenses. Quando falamos em
mudar, falamos em mudana de atitude, forma de fazer poltica, governar, agir com a cidade e com o cidado, destacou.
Depois da apresentao, os candidatos fizeram questionamentos entre si com possibilidade de rplica e trplica durante trs
blocos. Entre os assuntos levantados foram destacados as condies das estradas, sade, dvidas, situao financeira da
Prefeitura, nmeros de funcionrios pblicos e as drogas.
Apenas uma pessoa, pelo regulamento, pde acompanhar o debate ao lado do candidato. O PMDB optou pelo vice, Luiz Henrique e o
PP participou com o vice, Dr. Arnon apenas no primeiro bloco, depois deu lugar para o coordenador de campanha, Luiz Antnio
Fabro. A imprensa tambm teve acesso e os integrantes de cada coligao ficaram em salas separadas tendo acesso ao candidato
apenas durante os intervalos. O debate teve durao de 1h30min. O prximo est marcado para o dia 17 de agosto.

Enquete: Qual a sua avaliao do debate?

– Pra mim o debate foi menos que regular. Talvez por ser o comeo, mas no foi bom para mim. Pouco contedo. Espero que o
segundo seja melhor, focado em coisas mais concretas para o municpio. Muitas conversas no adiantam, a viso do candidato
tem que ser de 40 anos para frente.
Valentin Vilmar De Lorenzi Cancelier, produtor artesanal de vinho
– No foi bom. Falaram muita besteira. Um criticou o outro. Eles tem que ter propostas. Jos Lorenzon, aposentado.

– O debate foi bom. Ele mostrou que Johnny est mais bem preparado. O Fornasa no correspondeu a expectativa.
Cleusa Fernandes, Dona de Casa.

– Achei muita promessa do PMDB e o Fornasa mais razovel. No geral no gostei muito. Achei muito agressivo na maioria das
vezes por parte da oposio. Acho que deveriam falar com mais calma e com mais contedo. O povo est cheio de promessas. No
prometer, fazer.
Matilde Mazzucco, aposentada.

– Pra mim foi regular. No foram muito esclarecidos em alguns pontos. Esperava mais.
Darci Biondo, aposentado

– Foi bom. Deu para sentir o candidato e conhecer um pouco de suas propostas. Consegui aproveitar.
Mrio Amadeu, aposentado.

– As propostas chamaram a ateno. Foi produtivo, eu gostei. Pra mim o Johnny foi mais empolgado no falar. A diferena entre
os dois bem distinta. Um mais sonhador e o outro mais p no cho.
Aline Cannica, estudante.

– Achei que foi bom, produtivo e claro. Deu para ter uma noo dos candidatos. S achei que poucas propostas foram
apresentadas. Um estava mais tranqilo, parecia mais articulado o outro mais apreensivo. Contudo, os dois souberam manter a
linha.
Joo da Silva, vendedor.

Candidato pergunta para candidato

Abaixo voc vai conferir as perguntas e respostas de cada candidato durante o debate

2 Bloco
Johnny pergunta: As estradas esto uma lstima. Nossa sade tambm. Falta mdico, exames, h fila para tudo. O que o senhor
pretende fazer nos prximos quatro anos para o Bairro das Damas?

Fornasa responde: Ns temos 700 quilmetros de estrada e a manuteno delas tem que ser melhorada. Ns vamos investir em
equipamentos, treinar e motivar o pessoal e realizar a pavimentao por meio de convnios. Na sade so aplicados a mais por
ano R$ 1,2 milho, mesmo assim no o suficiente para atender. So feitos 20 mil exames mensais. Ns vamos ter um softerware
novo para dar o dia e a hora que o muncipe ir fazer o seu exame. O Bairro das Damas ns iremos estruturar. Ns temos que
pensar em toda a nossa cidade e no no especfico. Temos que definir com o bairro o que realmente ele precisa. Estamos
elaborando nosso plano e vamos definir as prioridades juntos para que a gente possa dividir as verbas para que cada
comunidade seja justamente reconhecida de todas as suas necessidades.
Rplica (Johnny): Ns vamos manter a limpeza que precria e melhorar a iluminao pblica. Vamos ser parceiros na
construo de um Centro de Mltiplo Uso. Aquela Associao tem o seu terreno e seremos parceiros para que o bairro tenha o
seu posto de atendimento mdico. Em quatro anos queremos abrir a rua ao lado da casa do Alexandre Nicheli que d acesso ao
Nova Itlia. Esse um sonho da comunidade.
Trplica (Fornasa): Ns vamos dividir toda a receita com cada bairro. Essa ligao entre os dois bairros o Plano Diretor j
prev. Ns trabalharemos de forma rgida, com o que os recursos nos permite e no com promessas mirabolantes. Tudo isso para
que a gente possa ter uma Urussanga mais justa.

Fornasa pergunta: Frequentemente os vereadores da oposio durante uso na tribuna tecem crticas e comentrios descabidos da
situao financeira da Prefeitura. Que se arrecada muito mais hoje do que no ltimo governo do PMDB e que no sabem onde est
indo o dinheiro. O senhor conhece a real situao financeira de Urussanga?

Johnny responde: Eu acho inacreditvel que h sete anos e sete meses a Administrao atual s fala em dvida. Quero dizer que
o Johnny e o Cuca no devem no comrcio e nem para a Justia. A Prefeitura arrecadou mais de R$ 250 milhes de reais nos
ltimos anos. No gostaria de falar em dvidas, mas no futuro. Como fui provocado tenho que responder para no mostrar que
estou fugindo do assunto. Hoje, na Justia do Trabalho h 106 processos contra a Prefeitura, sendo que 104 foram de pessoas
que entraram contra o atual Governo. Portanto, a atual Administrao vai deixar um probleminha de 104 processos para o
prximo prefeito. Isso sim dvida. Mas, nosso objetivo falar de projetos para o futuro de Urussanga. Vamos l na Linha
Pacheco. Vamos arrumar e conservar todas as entradas. Ser muito melhor para o agricultor. Vamos fazer uma mini creche nesta
localidade. As famlias no vo precisar mais levar para o Rio Molha as crianas. Essa a nova maneira de governar. O
agricultor vai se orgulhar do nosso governo. Linha Pacheco ter em breve mais qualidade de vida.
Rplica (Fornasa): Eu perguntei a situao e no as dvidas. A situao esta bem equilibrada. Todas as compras so feitas
vista. No so deixadas contas para pagar no futuro. Dentro do equilbrio, que o foco do prefeito Zen, na sua honestidade e
transparncia, ele conduz aplicando a mais na educao e sade e pagando R$ 1 milho por ano de contas e precatrios deixados
por prefeitos que fazem parte da sua coligao. Sobre esses processos que o senhor falou so referentes a licenas prmio com
uma Lei aprovada no apagar das luzes feita pelo ltimo prefeito. Portanto, se o municpio est comprando hoje e fornecendo a
sua populao quase R$ 80 mil em vacinao contra a gripe porque tem reserva e uma situao financeira equilibrada. Ns
temos que pagar nossas contas em dia e estar prontos para o inesperado.
Trplica (Johnny): Falando do caixa, o senhor deve saber por que est ai governando a cidade. muito negativismo. Quem est
ouvindo quer algo mais. Tem pressa em algo mais. Ns temos a realidade da Prefeitura e com certeza vamos inovar para fazer um
governo que essa cidade espera.

3 Bloco
Fornasa pergunta: Um dos temas que sempre gera polmica na Administrao pblica o tamanho da mquina, ou seja, quantos
funcionrios l trabalham. Ns temos conhecimento de que se o senhor for eleito ir fazer uma reforma. Qual ser o critrio
para as demisses e em que reas elas se daro?

Felippe responde: Eu queria falar um pouquinho sobre esse quadro elevado. O jornal A Tribuna disse que Urusssanga tem a
Prefeitura que mais contratou funcionrios nos ltimos quatro anos. Mas eu quero falar de projetos. Na cultura, ns vamos
alavancar, temos muitas riquezas adormecidas. Queremos deixar de falar dos outros e pensar pra frente. Ns colocaremos placas
com imagens positivas, destacar o padre Agenor, a rplica da Piet. Queremos mostrar o que vamos fazer para as comunidades.
Vamos atrs dos recursos e revitalizar as trs avenidas do nosso municpio. isso que vamos fazer nos prximos quatro anos.
Rplica (Fornasa): Nesses quase oito anos foram adicionados 211 profissionais a mais nas reas dw educao, cultura e sade.
Talvez seja necessrio ainda mais futuramente porque teremos o ensino integral. Na sade, o quadro aumentou em 40 entre
mdicos, enfermeiros e dentistas. A Prefeitura uma prestadora de servio. Ns vamos garantir essas conquistas. Foram
reduzidos nove profissionais comissionados. Eram 440 e, hoje, so 653 que so necessrios por conta dos novos projetos.
Trplica (Johnny): Urussanga foi o municpio com maior crescimento da taxa de funcionalismo pblico. Eu jamais, em nenhum
momento, falei em demisso. Ns vamos nos ater ao novo jeito de governar. Motivar os funcionrios para que trabalhem
motivados. Ns seremos srios, honestos e motivadores.

Johnny pergunta: Por onde andamos a reclamao sobre a falta de roada geral, a ponto de motoristas precisarem roar com
as prprias mos. O que o senhor pretende fazer com o seu projeto para a regio de Belvedere?

Fornasa responde: Ns voltamos a frisar que o nosso projeto para toda Urussanga. Temos um macro projeto para todo o
municpio, para a rea industrial, rea de turismo, cultura, etc. Belvedere uma regio que tinha problemas com gua, tem
com estrada em alguns locais, uma regio de um clima bom. O nosso projeto agrcola fomentar igualmente o desenvolvimento
voltado ao agricultor para que ele se mantenha no campo, aumente a renda e a qualidade de vida. Vamos continuar a melhorar as
estradas. No vamos prometer que iremos transform-las em lajotas, mas sim, haveremos de melhorar a nossa equipe, quantidade
de mquinas, abrir barreiras para conseguir com menos custo assolar toda a malha viria e procurar asfaltar como o caso de
Rio Amrica. Manteremos o contato direto com todos os agricultores.
Rplica (Johnny): Eu acredito que em quase oito anos aquelas comunidades esperavam muito mais do seu governo. Esto a quase
oito anos no poder e ainda tem muita promessa. A nossa prioridade trabalhar muito para manter as estradas boas durante os
quatro anos e no s em vsperas de eleio. Criaremos frentes de trabalho em todas as regies. Outra prioridade que foi
prometida e que as famlias esto esperando e que ns vamos resolver a gua. Aqui na estrada de Belvedere vamos investir e
fazer um poo artesiano e, assim, que estiver pronto esse poo vai abastecer as famlias e por gravidade vai chegar at
Belvedere Baixo. L, no morro mais alto queremos colocar uma grande caixa dgua. Queremos fazer um trevo naquela entrada de
Belvedere Baixo e sinalizar todas as comunidades. Um trevo florido, iluminado e valorizar a histria. Colocar um monumento
de Aldo Baldin que nasceu em Belvedere e se consagrou em todo o mundo. Mais tarde queremos voltar para restaurar a casa onde
viveu Aldo Baldin e transformar em um ponto turstico. Alm disso, vamos implantar uma academia ao ar livre. O Johnny e o
Luiz Henrique sero a mudana em Urussanga.
Trplica (Fornasa): Ns, eu e o Dr. Arnon, seguindo os princpios da honestidade do atual prefeito, tornamos a dizer que
vamos prometer e melhorar dentro das nossas possibilidades e falando a verdade ao eleitor. Voc nos liga ao atual governo
como se nada foi feito. Eu lembro muito bem que voc j foi chefe de gabinete de governos anteriores aonde no pagaram as
suas dvidas. No pagavam nem o transporte escolar, nem o imposto, energia. L em Belvedere, a gua j foi licitada e tem
verba. So fatos, so verdades que a gente tem que esclarecer populao. As estradas foram destrudas, tivemos muito tempo
ruim no ano passado e ns vamos melhorar cada vez mais.

4 Bloco
Fornasa pergunta: Hoje ns consideramos que o maior mal que acontece s famlias do mundo so as drogas. Infelizmente
Urussanga no foge a regra e, ultimamente, temos visto o aumento considervel de envolvidos. Isso destri os lares, deixa as
mes e os pais apavorados e sem saber o que fazer para ajudar os seus filhos. Quais so as suas propostas para que possamos
amenizar o sofrimento dos usurios e seus familiares?

Johnny responde: Realmente esse um problema nacional. Vamos sim estar presente junto com a Secretaria de Sade, desenvolver
projetos. Acreditamos que em quatro anos faremos muito mais do que foi feito em oito anos para o jovem e os usurios. O jovem
para no cair precisa de incentivo, motivao e apoio para crescer, empreender e ser feliz. Vamos trabalhar de mos dadas no
nosso governo com a Aciu, a CDL Jovem para tentar viabilizar cursos profissionalizantes para o jovem possa entrar no mercado
de trabalho. Vamos tentar buscar extenses. Poderemos transformar o Paraso em um grande centro educacional. Tambm, no nosso
governo, vamos criar o QualiJovem que focar as necessidades da sade na juventude. O esporte ter total apoio. Criaremos a
Fundao Municipal de Esporte e vamos inserir o jovem cada vez mais. Tambm queremos dizer que o Hospital tem um projeto
muito grande da construo de uma clnica para dependentes e ns seremos parceiros com o Governo do Estado para que essa
obra seja referncia no Estado. Ns vamos ser parceiros do hospital para que o nosso municpio seja referncia no combate as
drogas.
Rplica (Fornasa): Muito bem gostei da resposta. Ns tambm queremos combater as drogas de todas as formas possveis. Com
parcerias com as policias Civil e Militar. Vamos estruturar cada vez mais o Caps. Ns temos que cuidar dessa juventude e
cuidar da drogas preventivamente. Dar maior nfase no incentivo ao esporte, lazer e educao integral com acompanhamento dos
professores. A parceria com o hospital fundamental com essa grande clnica que temos ai e que ser ampliada. Vamos apoiar
de todas as formas as famlias depois do acontecido. O mnimo que podemos fazer dar todo o apoio. Ns vamos cuidar e fazer
o possvel e o impossvel para que tenhamos menos usurios no municpio.
Trplica (Johnny): Volto a dizer que as drogas so uma tragdia nas famlias. Ns vamos fomentar muito o Caps, que esta em
nosso plano de governo. Traremos reas de lazer, como aquele que estava no plano de governo de Luiz Henrique que foi a
Braslia para conseguir e hoje est l. Um grande centro e uma grande motivao para o jovem.

Johnny pergunta: Sobre a colocao anterior, percebi que o senhor no veio ao debate para apresentar propostas, mas para
criticar pessoas e administraes. Mas vamos l. Para despertar o turismo, para que as pessoas venham visitar a cidade temos
que manter a cidade limpa, iluminada e, lgico, deix-la linda. Sou questionado pelos moradores de Urussanga que no
entenderam porque ainda a Prefeitura no fez uma parceria com o Centro Social Urbano para mant-lo bonito, florido, limpo. Um
local que deveria ser um carto postal da cidade acaba deixando uma marca negativa logo na entrada da cidade. Pergunto: em
quase oito anos de mandato existe algum projeto para aquele espao que est praticamente abandonado?

Fornasa responde: Falando em crticas voc nos vincula aos quase oito anos de governo como se nada fosse feito, como se fosse
uma desgraa. Os governos anteriores geraram s no funcionalismo pblico 35% de perda real, em salrio. O atual governo j
pagou quase 10% alm do aumento aos professores. Voc diz que eu crtico e voc tambm crtica. Mas vamos a pergunta. A
preocupao que se tem com a rea que me parece que do Governo do Estado que primeiro ns temos que municipalizar, fazer
ali uma referncia com reas de lazer tanto quanto foi feito no antigo campo municipal. O candidato diz que o seu vice que
fez a obra. Ele conseguiu sim, trabalhou como ele deveria ter trabalhado mais e ter criticado menos. Ali teve o investimento
da administrao aplicado e ns queremos sim buscar convnio em parcerias. Se um tem mais poder em uma rea ns temos que nos
juntar para construir sempre Urussanga melhor. O dinheiro tem que estar sempre vinculado e multiplicado com parcerias. Nosso
governo tem interesse de construir um grande Centro Poliesportivo naquele Centro para a comunidade de Urussanga. Queremos
fazer uma administrao mais gostosa de viver. O nosso trabalho voltado ao cidado, bem estar, lazer, esporte e
entretenimento.
Rplica (Johnny): inacreditvel e foi feito mais uma promessa. So sete anos e sete meses. promessa em cima de promessa.
Para manter um local limpo e florido nem precisa de promessa. Voc acredita ouvinte? Eu e o Luiz Henrique no nosso governo
vamos tornar aquele local um carto postal. E a prova o centro esportivo. Luiz Henrique e o seu partido tiveram essa grande
idia. Da mesma forma vamos a Braslia e mesmo com recursos prprios tornar o Centro Social Urbano um complexo esportivo.
Vamos dar total apoio a melhor idade, aulas de artesanato mantendo o objetivo pelo qual o Centro foi criado. E a via em
frente a Minaplast vamos embelezar e iluminar para que se uma ao complexo esportivo. Inovar preciso, mudana de atitude.
Urussanga est precisando dessa motivao, desse novo, desse algo mais.
Trplica (Fornasa): O candidato continua falando que eu prometo e no cumpro. Isso uma inverdade. Eu nunca prometi nada que
deixei de cumprir. Ns retornamos a dizer que vamos municipalizar aquela rea que hoje do Governo Estadual junto ao
Governo, torn-la do municpio, da nossa agente. Implantar ali um Centro de lazer no s de esporte, caminhada, mais com
outras atividades. de nosso grande interesse promover uma segurana melhor para o urussanguense e com melhor qualidade de
vida dando nfase a sade e a educao.

Consideraes finais (5 Bloco)

Fornasa
A nossa primeira preocupao ao iniciarmos a elaborao de um plano de governo foi sem dvida fazermos um diagnstico junto
populao e representantes da sociedade. Assim o nosso compromisso, com o futuro e com o crescimento da nossa cidade.
Elaboramos aes para enfrentar a realizada econmica, social, cultural, ambiental e lazer com propostas viveis nascidas da
vontade das pessoas. Que a nossa cidade tenha oportunidades e que elas realmente sejam aproveitadas. Nosso compromisso com
emprego e renda, para que nossos cidados fiquem na origem em busca de seus recursos financeiros. Ns temos um projeto real e
prtico e no com muitas flores e plulas. Ele est sendo construindo de baixo para cima. O que ns vamos fazer? Ns vamos
garantir um ambiente favorvel para que as pessoas vivam bem. Ns vamos garantir uma qualidade de vida atravs do trip da
seguridade: educao, sade e incluso social. Vamos criar um ambiente favorvel para negcios, desenvolver atividades com
potencial competitivo. Proporcionar uma relao harmoniosa do nosso cidado com o meio, planejando o crescimento da cidade
dando nfase ao sistema virio, pavimentao e o cuidado da revitalizao das vias pblicas. Proporcionar acesso, qualidade
aos servios de sade e educao com a preocupao de oferecer uma infncia, adolescncia e juventude saudvel. Nosso
princpio de gesto ser a transparncia, voltado para indicadores de resultado, com a participao popular, com a prioridade
social acima de tudo. Esto sendo investidos em Urussanga neste ano R$ 10 milhes. Nosso modelo ser igual a nossa fbrica
que vai indo muito bem, descentralizada, voltado para o cidado e que ns iremos cobrar resultado. Vamos cobrar juntos e a
populao vai participar. Ns estamos com muita sade, vitalidade, vontade, orgulho de governar Urussanga nos prximos anos.
Voc eleitor avalie quem merece a sua confiana para cuidar do dinheiro pblico.

Johnny
Chegou a hora de voc fazer a sua anlise dos candidatos e coligaes. Quem representa a mudana de fazer poltica. A
esperana de dias melhores para a nossa cidade, os novos projetos para o novo governo.Voc que est me ouvindo faa uma
reflexo agora. Quem o nome hoje em Urussanga que pode trabalhar com novas idias e novas atitudes pela nossa cidade?. O
atual grupo est governando h quase uma dcada: so 2.757 dias governando Urussanga. Pergunto a voc agricultor, voc est
contente com as estradas e a sade do municpio? Voc empreendedor est contente com a velocidade que esto administrando o
municpio? Voc cidado est contente por no ser mais atendido pelo prefeito na prefeitura? Voc est contente com o Plano
Diretor? Voc comerciante est contente com o apoio que foi dado s festas de natal, dias das mes, pscoa e namorados? Voc
empresrio est contente com a agilidade para resolver a rea industrial? A nossa cidade est limpa, iluminada? E as obras de
ltima hora? Voc morador de Bom Jesus, De Villa que est suplicando por uma vaga na creche est contente com a obra? Ouam
bem. A creche est sendo construda h quatro anos e o dinheiro foi liberado em 2007. E a pavimentao da Avenida Longarone
que mandaram embora? essa a velocidade de desenvolvimento que queremos para a nossa cidade? Quem est governando a nossa
cidade e foi o presidente do grupo gestor? O que ir mudar caso esse grupo vena de novo? Reflita, faa a sua anlise. O
nosso plano de governo estar chegando em sua casa em breve. Veja quem representa o novo jeito de fazer poltica, a novidade,
as novas atitudes, agilidade no desenvolvimento. O Johnny e o Luiz Henrique representam a renovao e a esperana de um
governo forte com o apoio da presidente, do vice-presidente e dos deputados. Ns representamos um novo tempo de esperana.
Venha mudar com a gente.

Vacinao em massa contra gripe A ser realizada neste sbado em Urussanga

 

A Secretaria de Sade de Urussanga recebeu, nesta quarta-feira, as cinco mil doses da vacina contra a gripe A para imunizar a
populao. A vacina estar disponvel a partir deste sbado, 28, nos postos de sade da Linha Pacheco, Santana, Rio Amrica,
De Villa, Nova Itlia, Bela Vista, Estao e Centro, das 8h s 17h, sem fechar ao meio dia.
De acordo com o coordenador da Vigilncia Epidemiolgica, Tadeu O. Branco apenas as pessoas cadastradas pelo SUS podero
receber a dose. A vacina gratuita e as pessoas devero procur-la nas unidades onde esto cadastradas, ou seja, um
morador do De Villa no poder realizar o procedimento no ESF do Centro, por exemplo. Caso o cidado no tenha o cadastro,
ser encaminhado uma agente de sade at sua casa para fazer o registro e a vacina ser realizada em um outro momento,
explica.
J para os professores, a partir da prxima segunda-feira, 30, a Secretaria de Sade ter a relao dos educadores que
recebero a vacina. Cada professor dever se imunizar no posto de sade onde a escola est inserida.
De acordo com o prefeito Luiz Carlos Zen a ao ser realizada no sbado para melhor atender a populao. Sbado um dia
mais tranqilo para o atendimento nos postos. Ao contrrio do que algumas pessoas falaram pela cidade, ns estamos em perodo
propcio para a vacinao. Alm disso, pensamos para frente, pois o cidado que receber a vacina estar protegido at o
prximo ano, destacou Zen.
A Prefeitura Municipal de Urussanga investiu aproximadamente 100 mil reais para a compra das vacinas. A ao faz parte das
medidas emergenciais e preventivas motivada pela confirmao de trs casos de Gripe A, por consequncia do vrus H1N1, em
Urussanga, j controlados. As pessoas que no podero receber a dose neste sbado, podero faz-la durante a semana. Apenas
o cidado de Urussanga ter direito.
Como forma de prevenir a populao de infeces pelo vrus da gripe, o Ministrio da Sade orienta aes de higiene pessoal,
como lavar as mos vrias vezes ao dia, evitar tocar a face com as mos e proteger a tosse e o espirro com leno descartvel.
Em caso de sndrome gripal, deve-se procurar um servio de sade o mais rpido possvel.

Meu amigo co…

Eles so fiis e considerados a melhor companhia do homem. Conhea a histria de dois cos que chamam ateno por onde
passam. Um pela proteo que d famlia que adotou como sua, e outro pela habilidade que demonstra com a bola

Serrano, o guardio
Pelo tamanho Serrano j pe medo. O Pastor Alemo ele um dos responsveis pela proteo da famlia de Arnaldo Bez Batti, em
Urussanga. Alm do grande porte, o co conhecido pelo carinho que tem pelo dono e tambm pelos grandes truques que realiza.
Ele vira atrao por onde passa e no h quem resista aos seus encantos.
Serrano tem trs anos de idade e h um ano e meio est com a famlia. Ele j era um pouco ensinado. Mas aos poucos, com o
convvio, fui mostrando novos truques. Sempre estou conversando com ele, se eu mando ele cuidar da casa, ele cuida mesmo,
explica Arnaldo.
Uma das provas disso foi a tentativa de assalto que a famlia viveu este ano. Foi o serrano que nos avisou, porque o
problema poderia ter sido muito maior. No domingo tarde estvamos jogando baralho em casa e ele saiu correndo, como se
visse algum. Foi na segunda pela manh que eles renderam o caseiro e tentaram entrar em casa, mas os cachorros no deixaram.
Foram eles que nos protegeram. Por isso aconselho a todas as casas terem um co. um excelente guarda e protege nossa
famlia, relata Arnaldo.
Serrano a companhia de Arnaldo em todos os lugares. Onde eu vou, eu levo ele. Todo o servio com o gado ele que me
acompanha, sempre o primeiro a subir no caminho e est comigo em todos os rodeios. Ele que busca os cavalos. Quando peo
para cuidar de algo que meu, ai de quem tenta pegar, ele no deixa, comenta.
O cachorro tambm faz muito sucesso com as crianas de todas as idades. Ns tivemos em uma feira em Brao do Norte e quando
um grupo de alunos da Apae esteve l, fiz uma demonstrao dos truques que o Serrano fazia. Eles gostaram tanto que em pouco
tempo ele virou a atrao da feira. Os grupos vinham e eu tive que fazer diversas apresentaes com o co. Ele conquista todo
mundo. um grande companheiro, relata.
Alm de Serrano, Arnaldo possui mais dois ces em casa que so os grandes responsveis pela segurana da famlia.

Um cachorro bom de bola

Dizem que o cachorro o melhor amigo do homem. O casal Mazinho e Marlene Possamai, junto do filho Paulo, garante que a
afirmao verdadeira. H aproximadamente quatro anos eles resolveram adotar um cachorro que foi abandonado nas proximidades
do posto de combustvel da famlia. Ele estava bastante magro, doente e com problemas na pele. Mesmo assim, o casal pegou o
animal e o levou para casa, tratando, medicando e alimentando, at que ele melhorasse completamente. Desde ento o co
chamado de Ito, e vem trazendo alegria casa da famlia. Ele dorme comigo na cama. Faz parte da famlia, um amor, diz
Marlene.
Ito permanece o dia todo no posto. L ele corre, brinca, visita as casas das proximidades. No entanto, o que mais chama a
ateno a habilidade que ele tem com a bola de futebol. Com a boca, o animal leva o objeto de um canto a outro, sem
perd-la. Caso algum pare e brinque com ele, a festa est pronta. No tem que no goste do Ito. Quando a bola est velha,
os clientes mesmo trazem uma nova s para v-lo jogando. Se joga pra cima, ele pega no ar. Se est no co, ele chuta com o
focinho, conta Paulo.
Marlene, que se intitula de av do Ito, j que o Paulo o pai e o Mazinho o av, diz que o co flamenguista. Quando ele
chegou aqui, em 2008, colocamos uma coleira do Flamengo e o time foi campeo no Capeonato Carioca. O Ito trouxe boa sorte ao
clube, evidencia. O animal j virou o xod do posto e dos clientes que por ali passam. O primeiro l de casa que vem pro
posto tem que traz-lo junto, seno no sossega em casa. Impossvel no gostar de um animal to inteligente e carinhoso
quanto o nosso jogador, diz Marlene.

*Colaborao: Samira Pereira

Acadmicos da Unesc aplicam projeto Viver Sus

A Secretaria de Sade de Urussanga contar, at o final da semana, com a presena de professores, alunos e profissionais do
programa de Residncia Multiprofissional em Sade Coletiva da Unesc em todas as unidades e setores da sade do municpio. A
equipe iniciou o projeto Escola de vivncia e experincias na realidade do Sistema nico de Sade da Regio Carbonfera de
SC (Viver SUS Unesc), na ltima segunda-feira (23). Parceria que se estende tambm s cidades de Cocal do Sul, Cricima,
Iara, Orleans e Siderpolis.
Em Urussanga, o grupo de professores e alunos visitaro todas as unidades dos ESFs para debater a realidade da sade no
municpio.
Os trabalhos em Urussanga so orientadas pela professor Jos Otvio Feltrin e tambm pela articuladora municipal Elisiane de
Bona Sartor. No municpio, a equipe composta por acadmicos do curso de Odontologia, Farmcia, Fisioterapia, Nutrio,
Educao Fsica e tambm pelos acadmicos residentes que so um odontlogo, um professor de Educao Fsica, uma Enfermeira e
uma Nutricionista. Essa uma vivncia que os alunos tero com aquilo que eles aprendem em sala de aula. O objetivo
mostrar a realidade do funcionamento do SUS (Sistema nico de Sade) aos acadmicos, estimular discusses, promover a
interao do grupo com as equipes dos ESFs e discutir tambm aes para a melhoria da sade no municpio, destaca Jos
Otvio.
Ao final do projeto ser realizado um vdeo, um relatrio e tambm um artigo informando as atividades desenvolvidas e tambm
um levantamento de como est a sade do municpio.
O projeto total conta com 40 acadmicos dos cursos de graduao da rea da sade (Odontologia, Farmcia, Medicina,
Fisioterapia, Enfermagem, Biomedicina, Nutrio e Psicologia) e de Educao Fsica, alm de 27 residentes da Residncia
Multiprofissional em Sade Coletiva e 18 professores orientadores.

Projeto Rondon chega em Urussanga

Urussanga foi contemplada com a visita dos estudantes que fazem parte do Projeto Rondon. Uma iniciativa que coordenada pelo
Ministrio da Defesa, e tem por objetivo a integrao social que envolve a participao voluntria de estudantes
universitrios na busca de solues que contribuam para o desenvolvimento sustentvel e ampliem o bem-estar da populao.
Nesta quinta-feira ocorre uma reunio para apresentao da equipe que estar engajada no projeto. Teremos estudantes das
mais diversas reas. Ao todo sero 33 alunos, trs coordenadores e os professores envolvidos. A universidade fomentadora a
Udesc, mas teremos estudantes de Braslia, So Paulo, Rio Grande do Sul e Santa Catarina circulando pelo municpio a partir
de hoje at o dia quatro de agosto, explica a coordenadora do projeto no municpio Elisiane De Bona Sartor que conta com o
apoio tambm de Jos Otvio Feltrin e Judith Pillon Beninc.
A cidade plo do projeto ser Urussanga e diversas atividades devem ser realizadas no municpio. Para marcar o encerramento
do projeto, no dia quatro de agosto, est sendo esperada at mesmo a visita do reitor da Udesc.

Epagri realiza semana da Agricultura Familiar

A Epagri de Urussanga realiza de 24 a 29 de julho a I Semana da Agricultura Familiar de Urussanga. O evento tem por objetivo a valorizao da famlia rural e da agricultura familiar do municpio. Diversas atividades foram realizadas, mas especialmente na quarta-feira, data que celebrado o dia do Colono, uma intensa gama de atividades foram realizas na Estao de Urussanga, a fim de mostrar um pouco das atividades realizadas na instituio aos agricultores de toda a regio.
Ns queremos trazer o produtor para c e mostrar os trabalhos que a Epagri realiza em todas as reas. Durante todo o dia realizamos visitas nos mais diversos setores entre eles a Estao Meteorolgica, onde puderam verificar e conhecer todos os equipamentos. Tambm tiveram a oportunidade de saber sobre os experimentos realizados nas mais diversas reas, como a fruticultura, explica o Gerente da Estao Experimental da Epagri de Urussanga, Fernando Damian Preve Filho.
O Dia do Colono encerrou com a palestra Sucesso Familiar realizada pelo palestrante Milton Silvestro, pesquisador da CEPF/ Epagri Chapec.
A semana de comemoraes encerra no domingo. No sbado, Dia do Agricultor, ser realizada a I Gincana Cultural e esportiva da Juventude Rural, no salo de festas de Armazm. A competio tem incio s 13 horas.
Para finalizar, no domingo, 29, ser celebrada a Missa do Agricultor na Igreja Matriz de Urussanga, s 8 horas.

Baffone

Debate
A iniciativa da rdio Marconi em organizar o debate realmente foi louvvel. A equipe est de parabns. Certamente milhares de eleitores ficaram na escuta na ltima sexta-feira para apreciar as propostas dos candidatos. Sem grandes ataques e sem platia, o resultado do primeiro duelo foi, de certa forma, positivo, apesar de morno. Fornasa parecia mais tranqilo, no se entregou as alfinetadas, contornou as polmicas e preferiu no entrar em bola dividida. Johnny mais apreensivo, com sede para destacar as propostas, sem focar no passado, em alguns momentos tentou inflamar o debate. J apresentados, esperamos que o prximo, no dia 17 de agosto, tenha mais contedo voltado para o concreto.

Os trechos mais quentinhos durante o debate
– Johnny: Nossos vereadores esto l para fiscalizar e isso que eles fazem. Se eles no enxergam obras vo fazer o que? Eles tm que falar.
– Johnny: Interessante a vacina, pena que esperam acontecer os casos para depois comprar as vacinas.
– Johnny sobre o caso das demisses: Interessante esse parece o seu estilo saber tudo e de todo o mundo. Eu nunca falei isso, nem para o meu vice, nem na minha coligao. Mas voc est dizendo, pela prepotncia de sempre querer saber das coisas mais.
– Fornasa: Eu lembro muito bem quando voc foi chefe de gabinete de outras administraes que no pagavam as contas.
– Johnny: Cuca est o tempo todo ao meu lado e assim ser nesses quatro anos, contribuindo com o progresso de Urussanga a quatro mos.
– Enquanto Geraldo estava com o tal do etc, etc na ponta da lngua para finalizar as frases, perde-se a conta de quantas vezes Johnny falou: sete anos e sete meses. Ser que foi proposital?
– Johnny insistiu, mas Fornasa no aceitou fotografar com os candidatos no estdio sem o seu vice que estava do lado de fora. Fornasa queria fotografar apenas com Johnny. Esse foi o nico momento, no final de tudo, em que algo parecia esquentar. Ficou por isso, tapinha nas costas e consentimento para o flash.

Campanha

O final de semana dos candidatos foi marcado pela presena no cemitrio, caf colonial do hospital e na final do campeonato intermunicipal da LUD. No Centro Comunitrio, durante o caf, haja pique para cumprimentar todos os presentes. E assim foi feito. At as pessoas de fora conheceram de perto nossos candidatos. Johnny e Luiz Henrique ainda estiveram no bairro Bom Jesus, participaram das festas realizadas no Rio Salto, em Morro da Lagoa e Santaninha. Fornasa e Dr. Arnon cumpriram agenda nas festas de interior.

Curso dos vereadores

Candidatos a vereador da coligao Urussanga mais forte (PP / PPS / DEM / PSDB / PSD / PT do B) participaram, no ltimo sbado, de um treinamento focado na campanha eleitoral. Trabalho foi coordenado pelo palestrante Tadeu Comerlatto. O encontro, que tambm contou com a presena de apoiadores e coordenadores da campanha, foi aberto oficialmente pelos candidatos da majoritria.

Acompanhando o vice-governador

Depois do encontro com o vice-Governador, Eduardo Pinho Moreira, em Cricima, nesta quarta-feira, o candidato do PMDB, Johnny participou, ao lado de seu vice, Cuca, do encontro promovido pela Epagri que marcou o dia do Colono.

Amin na rea

Depois do Deputado Ronaldo Benedet (PMDB) prever R$ 1 milho para Urussanga para o ano que vem, na noite desta tera-feira foi a vez do Deputado Federal, Esperidio Amin fazer a sua oferta. Na barraca do Taliano, Amin se reuniu com o progressista Geraldo Fornasa e com o tucano Arnon Teixeira, juntamente com os coordenadores da campanha. Em encontro descontrado, Amin fez questo de destacar o envolvimento de Fornasa com Urussanga e se colocar a disposio. Quero ajudar a garantir aqueles votos difceis, os votos da raspa do tacho, brincou. Fornasa aproveitou para pedir o auxlio do deputado na liberao de recursos para pavimentao da estrada entre Santana e Lauro Muller. Amin aproveitou para sugerir que Fornasa e Arnon aproveitem uma proposta de emenda constitucional apresentada por ele no congresso e cobrem do Governo Federal investimentos no municpio. Ela obriga os governos a instituir programas de recuperao ambiental de reas degradadas a partir de ao ou omisso do poder pblico.

PMDB recebe Deputado Hining
O Deputado Estadual Renato Hining (PMDB) tambm esteve visitando Urussanga, na tarde desta tera-feira, em apoio aos candidatos a prefeito e vice pela coligao Muda Urussanga. O deputado esteve acompanhado por assessores, se pondo a disposio dos candidatos durante a campanha e, em caso de confirmao da vitria no pleito de 7 de outubro prximo, como intermediador da nova administrao junto ao governo estadual. A visita do deputado serviu tambm para demonstrar apoio aos candidatos a vereador pela coligao, que alm de PMDB e PT ainda conta com o PDT e PV.

Ao contrrio dos candidatos que no do trgua nem no final de semana, o jornalista Enio Biz aproveitou o sbado para curtir o show da banda Roupa Nova, em Sombrio com um grupo de amigos. Com certeza, l, ele no encontrou ningum da terrinha fazendo o corpo a corpo poltico.

Braslia


O prefeito Zen chega hoje a noite de Braslia depois de cumprir agenda no Ministrio das Cidades. Zen pediu a agilidade para o asfalto de Rio Amrica e novas aes junto ao secretrio Leodegar Tiscoski. Tambm adiantou que rompeu o contrato com a empresa, at, ento responsvel pela creche de Bom Jesus e encaminhou nova licitao. Zen tambm acompanhou o andamento do projeto para a construo da escola de Palmeira do Meio. Segundo ele as notcias so positivas.

Resolvido


Depois do desabafo, na ltima semana, a moradora Rita de Cssia, do bairro Bom Jesus aproveita para agradecer o setor pblico. A unio faz a fora. Tudo certo, tudo consertado. Obrigada pelo conserto da lmpada na minha rua. Com um empurrozinho tudo funciona. Estou grata!. Registrado.

Final


Parabns equipe do Cocal do Sul e do De Villa pela grande final no ltimo domingo pelo intermunicipal da LUD. Apesar da vantagem do time de Cocal e pela melhor campanha, as duas equipes mostraram maturidade e responsabilidade. Parabns tambm a diretoria da LUD por mais esse campeonato e a CME de Urussanga. E um agradecimento especial a Construtora Folchini que est sempre presente, grande incentivadora do esporte no municpio.

Festa em Santana
Ser realizado neste final de semana, 28 e 29, a 20 Festa Campeira Piquete Caf no Bule, em Santana. O evento espera reunir milhares de pessoas. Durante os dois dias, a comunidade e os visitantes vo poder conferir de perto o torneio de vaca mecnica, fandango e costelao de cortesia. Vale a pena conferir.

Rapidinhas


– Participao feminina na poltica dobrou em SC. Passou de 2.489 para 5,203 em quatro anos.
– Nove analfabetos disputam as eleies esse ano no Estado e jovens ainda so a minoria.
– Dos 687 candidatos a prefeito e 15.718 a vereadores em SC, apenas 25% do total possui curso superior. lamentvel.
– Msica tambm foi o assunto do deputado Esperidio Amin. Eles apresentou uma msica feita por ele em 60 anos. Fiz uma msica boa. Fala de Florianpolis, do nosso dia-a-dia, disse. Todos ouviram a cano cantada por ele na barraca do Taliano.
– A empresa XP Investimentos em parceria com ACIU e CDL de Urussanga est promovendo uma palestra beneficente com o ttulo SEUS INVESTIMENTOS MUITO ALM DA POUPANA. Ela tem como objetivo ensinar como aplicar seu dinheiro. O encontro ser realizado no Centro Comunitrio da Matriz, no dia 31 de julho, s 19h30. A entrada um quilo de alimento no perecvel e ir ajudar o Critas Paroquial de Urussanga. Inscries: ACIU 3465-1657 ou email aciur@engeplus.com.br.
– A Prefeitura de Urussanga informa s empresas inscritas no municpio que est sendo implantado o sistema de notas fiscais eletrnicas. Ela ser obrigatria a partir de 01 de Janeiro de 2013. Um treinamento aconteceu na manh de ontem para todos os contadores e usurios das Empresas Privadas e Pblicas do Municpio.
– Inaugura nesta sexta-feira, 27, a loja Di Lazuli, a partir das 18 horas.
– O Caf Colonial do Hospital estava mais uma vez uma delcia. Quem no foi, perdeu.

Protecionismo Burro!

Meses atrs escrevi sobre as Salvaguardas do vinho brasileiro. Hoje volto ao tema, pois o MDIC (Ministrio de Desenvolvimento, Indstria e Comrcio Exterior) est por decidir, infelizmente, pelo sim salvaguarda.
Quando no temos confiana em ns mesmos ou naquilo que acreditamos, ao sermos indagados, normalmente respondemos agressivamente. H um ditado que diz que contra fatos no h argumentos. E ainda, aquilo que no conhecido, no pode ser criticado, alis, s se critica se puder fazer melhor e apresentar uma soluo.
Pois bem, acima de tudo sou brasileiro, com sangue italiano e um pouquinho alemo, mas a essncia brasileira. As minhas razes me fazem defender com unhas e dentes o que meu, da minha terra, do meu pas.
Por outro lado, sou crtico e, no me contradizendo, procuro estudar os temas que critico, e as Salvaguardas um deles. E, pode parecer contraditrio ou que estou cuspindo no prato que como, comi, mas a imposio de uma salvaguarda para o vinho brasileiro a MAIOR BURRICE que se pode fazer!! Porque o vinho importado no o culpado do insucesso do vinho nacional alis, ele s ajuda a populao a procurar vinhos brasileiros que se possam comparar aos grandes vinhos importados comercializados no Brasil. Porque no o vinho importado, produzido com incentivos dos governos onde so produzidos, que o vilo… Porque o vinho importado incentiva a concorrncia, estimula o estudo e ao engrandecimento cultural, pois quem no gosta de visitar uma regio vincola da Argentina, do Chile, da Itlia? Porque se o vinho produzido no exterior tratado como alimento, ele no o culpado de um governo to atrasado como o nosso, tratar o vinho produzido aqui como bebida alcolica e, por isso, ser taxado como (51% de uma garrafa de vinho produzida no Brasil imposto).
Ao invs da IBRAVIN, SINDIVINHO, UVIBRA e as grandes vincolas brasileiras discutirem tema to RETRGRADO h mais de seis meses, por que no pensaram em aes para aumentar o consumo de vinho fino no Brasil? Por que, ao invs de perderem tanto tempo rivalizando com importadoras e produtores estrangeiros, no sentaram juntos para tentar uma soluo em prol do vinho?
Eu lamento muito isso afetar aos pequenos produtores de vinho brasileiro, inclusive aos nossos produtores de Urussanga e regio, mas tenham a certeza gente, se as Salvaguardas forem aprovadas, haver boicote ao vinho nacional. E no ser pequeno…
Abbraccio e salute!!

De Villa vice-campeo do Intermunicipal da LUD

O De Villa/CME Urussanga se esforou, mas no conquistou a Taa Construtora Folchini do 5 Campeonato Intermunicipal da LUD (Liga Urussanguense de Desporto). O time perdeu do Cocal do Sul Esporte Clube na tarde deste domingo, 22, no segundo e decisivo jogo que valia a Taa Construtora Folchini. Jogando em casa, no Estdio Julio de Villa, a equipe que j iniciou o jogo em desvantagem, perdeu de 2 a 1. No jogo de ida, em Cocal, os campees j haviam vencido por 2 a 0. Ao time de Cocal do Sul bastava perder com a diferena de um gol. J o De Villa precisaria vencer com dois gols de diferena para se tornar campeo.
Nos primeiros minutos de jogo, Elizandro do Cocal abriu o placar. O De Villa pressionou, mas tomou o segundo gol, ainda no primeiro tempo, de cobrana de falta marcado por Jeffi. O terceiro gol da partida foi assinalado pelo artilheiro da competio, Tiago Teixeira, do De Villa, no segundo tempo.
Ao final da partida, a LUD fez a entrega dos trofus e medalhas e premiou os jogadores que se destacaram durante o campeonato. O goleiro menos vazado foi Willian de Souza, da equipe de Cocal do Sul, com quatro gols sofridos e o artilheiro da competio foi Tiago Teixeira, do De Villa, com nove gols marcados. Alm disso, a equipe campe recebeu premiao em dinheiro no valor de R$ 600,00 e a vice, R$ 300,00.
Em terceiro e quarto lugar do campeonato ficaram Universo de Cocal e Esporte Clube Canela Grande, respectivamente. Para o presidente da LUD, Geraldo de Souza foi uma grande final. Diante de um grande pblico podemos assistir a uma grande final, apesar da vantagem do Cocal. Tivemos uma boa arbitragem e tima participao dos jogadores dos dois times em todos os sentidos. Todos esto de parabns e s temos a agradecer ao nosso patrocinador, Construtora Folchini sempre presente no esporte do municpio, a imprensa e aqueles que nos acompanharam durante o campeonato, ressaltou.
Depois do Intermunicipal, a LUD em parceria com a CME de Urussanga daro incio ao Campeonato Municipal. O jogo de abertura ser no dia 05 de agosto, no Estdio Jlio De Villa, entre De Villa e Minerasil de Santana, s 15h. Seis equipes esto inscritas para a competio.
Alm disso, o De Villa tambm se prepara para disputar, a partir de setembro, a segunda diviso do Campeonato Regional da LARM e, em 2013, est confirmado para competir durante a Copa Sul dos Campees.

KIKO TEAM traz bons resultados do campeonato Brasileiro de Muaythai

Nesse ltimo final de semana aconteceu em Curitiba PR, no ginsio Tarum, o Campeonato Brasileiro de Muaythai Tradicional. A ACAMKT KIKO TEAM representou o Estado de Santa Catarina e a cidade de Cocal do Sul levando cinco atletas que conquistaram uma medalha de ouro, uma de prata, um quarto lugar e dois sextos lugares, bem como, o trofu de melhor lutador do evento.
Todas as categorias foram muito disputadas. Os atletas Jonas Alves ficou em sexto lugar na categoria at 71kg, Saimon de Oliveira ficou em sexto na categoria ate 67kg, Renato Page foi vice- ampeo na categoria at 63,5kg, Alisson Vidoto ficou em quarto lugar na categoria at 67kg e o atleta KIKO Vidoto foi campeo na categoria at 71kg e ganhou o ttulo de melhor lutador do evento. Mais de 200 lutadores participaram do encontro.
Santa Catarina foi campe por equipes, sendo a que possui o maior nmnero de medalhas. Em segundo est o Estado de Mato Grosso do Sul, seguido pelo Paran. Com mais essa vitria, a delegao catarinense fica tricampe brasileria por Estado.
A ACAMKT KIKO TEAM parabeniza os atletas participaram do evento e, principalmente, o atleta KIKO Vidoto pela garra e dedicao ao esporte e por estar sempre apoiando a todos. Agradece tambm aos patrocinadores dos atletas: Loja Bosa, SS Imveis, Perin Agropecuria, Contabilidade Barzam, Restaurante Da Ros, Tiger Net, Relojoaria e tica Fritzen, Cocal Notcias, Kiko Automveis, Mozinho Lavao, Posto Milnio, Farmcia e Drogaria Forfarma, Bangalo, Rodonaves, Rosguiar, Samir Automveis, Casa Dos Esportes , Isabela De Fveri, Farmcia De Genrico, Lima Confeces, Polaco Das Tintas, Man Mini Calzones, Perfetto Mosaicos, Consoni e Alex Multimarcas.

Ns ressuscitamos ou reencarnamos?

Recebi esta semana uma pergunta por e-mail: Padre, um catlico pode aceitar a reencarnao?. Essa pessoa me fazia esta pergunta por que na sua famlia existiam pessoas que se diziam, ao mesmo tempo, catlicos e espritas. A j comea a confuso: como acreditar em duas realidades to distintas ao mesmo tempo? Ou se vive bem uma nica realidade ou no se vive bem nenhuma.
Com o advento das telenovelas com fundo esprita, a reencarnao se transformou num assunto comum. O medo da morte e o desejo de permanecer sempre vivo(a) – e linda – fez com que a doutrina da ressurreio fosse, aos poucos, substituda pela teoria da reencarnao. A pergunta simples: vale pena estudar tanto, trabalhar tanto, investir tanto para aproveitar apenas uma vida?
Alm disso, dentro de uma viso positivista, a doutrina da ressurreio um contra-senso. Acreditar em uma outra vida, eterna, longe da realidade concreta, uma loucura. Vida essa que temos. Morreu, acabou tudo. A eternidade uma fbula.
Mas afinal, em qu acreditamos?

O que Ressurreio?
Para todo cristo (e inclumos tambm os no-catlicos), a ressurreio o caminho que todos somos chamados a percorrer. A partir da ressurreio de Cristo, todos os viventes, aps sua morte, ressuscitaro. Os que fizeram o bem ressuscitaro para a vida em Deus, e aqueles que praticaram o mal, para a condenao. E no cabe a ns dizer quem vai para a vida em Deus (cu) ou para a condenao (inferno). Quem vai julgar Deus!

E a Reencarnao, o que ?
A reencarnao a teoria segundo a qual a alma, deixando o corpo aps a morte, passaria para outro corpo. A doutrina esprita utilizasse desta teoria para dizer que todo humano precisa deste processo para ir se purificando. Assim, em cada etapa (reencarnao) a pessoa atingiria um novo grau de purificao. E esse processo seria contnuo, sem tempo determinado para encerrar o processo. No fundo, prevalece o desejo de permanecer sempre vivo.

Enfim, qual a verdade?
Para ns, cristo, a verdade est naquilo que Cristo, nosso mestre, pregou aos seus discpulos: Est determinado que os homens morram uma s vez, e depois vem o julgamento (Hb 9,27). Devemos, pois, aproveitar bem esta oportunidade que temos. Os gestos de gratuidade, de fraternidade e de amor mtuo, mais do que crditos para a salvao, so virtudes dos cristos. E todos sero, aps a morte, acolhidos na eternidade, menos aqueles que no quiserem. Temos uma nica vida terrena, que deve ser bem cultivada e preservada.

O CADE e a Suinocultura Catarinense

H um ano o CADE (Conselho Administrativa de Defesa Econmica, rgo regulador da concorrncia no mercado brasileiro) aprovava a fuso entre Sadia e Perdigo, surgindo a partir da a holding BRF Brasil Foods. Sob pretexto de no concentrar o mercado, a BRF foi amputada j no nascimento, por resoluo do mesmo CADE, de 10 fbricas de alimentos, 4 abatedouros, 12 granjas, 2 incubatrios de aves, 8 centros de distribuio e 4 unidades de produo de rao, que tero de ser vendidos a uma nica compradora. Alm disso teve de se desfazer de 12 marcas consagradas pelo pblico, e est impedido de produzir e comercializar por 3 anos vrios produtos, principalmente os de origem suna. No total, a nova holding foi privada de uma capacidade de produo de 730 mil toneladas, o equivalente a cerca de 80% da produo da antiga Perdigo.
Pois bem, hoje 2012, e exatamente um ano depois da fuso, os governos federal e estadual anunciam diversas medidas para o resgate da produo da suinocultura estadual. Claramente o impedimento da BRF de atuar no mercado de forma agravante e ter de vender um substancial nmero de ativos gerou um vcuo na cadeia econmica, especialmente danoso para a suinocultura, que tem em Santa Catarina a maior produo nacional. Sem ter para quem vender a produo, nada restou aos produtores a no ser ver os preos despencarem na cratera produtiva gerada pelo governo.
Mas ao contrrio do que um raciocnio ligeiro poderia sugerir, o preo ao consumidor final no acompanhou a queda, aumentando significativamente quanto mais afastado o mercado das regies produtoras. Isso facilmente explicado pelo duro golpe logstico dado pela mo estatal do Super Cade na cadeia produtiva. No fim das contas, a ponta mais fraca da cadeia (o pequeno suinocultor) e o consumidor final saram muito mais lesados pela interferncia estatal no mercado, do que se a fuso de Perdigo e Sadia tivesse ocorrido sem nenhum bice.
E o governo, ao invs de rever sua postura ideolgica e paternalista de regulador do mercado, aplica diversas medidas paliativas como subsdio ao produtor, que longe de resolver o problema apenas aumenta a dependncia daquele pelo estado, e a incluso da carne suna nas merendas escolares (sem levar em conta a perda nutricional ocasionada pela monotonia do mesmo alimento sendo servido diariamente). Causa-me tristeza que os setores atingidos pela pretensiosa interferncia estatal nos seus meios de sustento ajoelhem-se ao mesmo governo que criou o problema, ao invs de denunciarem o abuso e exigirem a mudana de postura dos tecnocratas estatais. Um convite ao debate justamente em ano eleitoral.

De seminarista a Produtor de vinho

A fala mansa e o amor que demonstra pelo trabalho que faz so as principais caractersticas de Valentim Vilmar De Lorenzi
Cancellier. Produtor rural, pai de famlia, ex-seminarista, exmio arteso com a madeira e principalmente um dedicado
produtor de vinhos e suco de uva fizeram que o urussanguense se tornasse conhecido pelas invenes criadas por ele e tambm
pela criatividade e dedicao com que realiza seu trabalho.
A produo de vinho eu iniciei em 2008. Antes disso j trabalhei com muita coisa, conta Valentim. E quando fala em muita
coisa no est mentindo, ainda criana foi encaminhado para o seminrio em Veranpolis no Rio Grande do Sul e l iniciou a
construo da sua histria.
Ainda pequeno meus pais me levaram para o seminrio, na verdade, na viagem eu fui sozinho. Devia ter uns 8 ou 9 anos. Lembro
que na minha mala, que era bem pequena, eu levei a roupa e o material de higiene que deveriam durar por dois anos. Em um
saco, estava meu acolchoado todo feito com retalhos de pano. L no Rio Grande do Sul fiquei por seis anos. No entanto, um
acidente impossibilitou que eu pudesse me tornar padre. Ainda no seminrio perdi trs dedos. Nos dois ltimos anos, eu
permaneci na instituio somente para concluir meus estudos. L trabalhava em vrios setores. Na poca do marmelo, ficava uma
semana inteira fazendo doce, e por a ia… At que os estudos foram concludos e eu voltei para casa, relata Valentim.
Ainda no seminrio ele teve o primeiro contato com as uvas e a paixo desenvolvida l, veio com ele para Urussanga. Na
verdade, quando cheguei aqui de volta comecei a trabalhar com meu pai, depois parti para uma empresa cermica na dcada de 70
e desenvolvi a habilidade com a madeira. Em 71 casei com minha esposa Ilza e tivemos trs filhos, dois homens e uma mulher.
At ento, morei por 30 anos no bairro da Estao e trabalhava fora, foi quando decidi buscar um local mais sossegado e me
dedicar a agricultura. Em 2008 o vinho entrou na minha vida, informa.
A paixo pelo cultivo da uva tambm era do seu av, imigrante italiano e Vilmar decidiu trazer de volta para a sua nova
residncia na Vila Belmonte em Urussanga. O primeiro vinho que fabriquei foi somente para consumo, foram aproximadamente 100
litros. E essa mdia foi mantida na safra seguinte. Foi ento que pensei que, como o produto tinha ficado bom, eu poderia
fazer uma quantia maior e vender. Comecei a fazer vrios cursos para me especializar e a produo foi aumentando. Hoje j
compro uma boa parte da uva em Azambuja, porque os parreirais que tenho em casa, j no so suficientes. Se eu busco um
produto de qualidade boa, ela precisa vir desde a matria-prima e isso que tento oferecer, avisa.
A produo anual gira em torno de duas mil garrafas de vinho e duas mil de suco de uva. Alm disso, o produtor tambm
trabalha com a cachaa. Eu envelheo no carvalho e depois fao a conserva com vrios sabores, buti, jabuticaba, pssego,
tudo produzido aqui em casa. E so esses os produtos comercializados. O vinho o carro chefe e tambm minha grande paixo.
como se diz, bons vinhos no devem ficar nas adegas, devem ser consumidos e par aisso que estou trabalhando, afirma.
A criatividade para restaurar e transformar peas antigas

O interesse por mveis e utenslios antigos tambm est presente na vida do urussanguense. Cheguei a trocar uma geladeira
duplex novinha por alguns produtos bem antigos como uma mquina de costura, um ba de aproximadamente 100 anos e que foi dado
como dote de uma senhora em Azambuja, um ferro, lamparina e outras peas que esto aqui em casa e que no vendo por dinheiro
algum, relata.
Alm do restaurar e mostrar a paixo que tem pela madeira, Valentim consegue dar uma nova utilidade a esses produtos. Um
exemplo so algumas carteiras que eram do paraso da criana. Soube que elas seriam jogadas fora, pedi e eles me deram. Ao
todo eram 17 que transformei em adegas personalizadas. Hoje tenho somente quatro, o restante foi vendido. As pessoas gostaram
da ideia.
Outra inovao foi a mquina para moer a uva na poca da colheita. Eu fiz tudo com madeira reciclada, mas no tinha um motor
eltrico para adaptar, foi a que resolvi colocar uma furadeira para ver se dava certo. E no que funcionou? E funciona at
hoje.
A casa de Valentim que est localizada na Vila Belmonte, alm de ser o local que ele vende seus vinhos, tambm um espao
onde a histria est presente. Impossvel no se encantar com cada relato e com os bons vinhos fabricados pelo urussanguense.

Nossa bandeira ter trs pilares: empreendedorismo, qualidade de vida e educao

Candidatos a prefeito e a vice da coligao Muda Urussanga, formada pelos partidos PMDB, PT, PDT e PV, participam de
entevista com o Jornal Vanguarda, apresentam-se e destacam suas vises e pretenses enquanto candidatos ao Governo
Municipal. Abaixo, o eleitor confere as respostas e passa a conhecer um pouco mais sobre esses concorrentes.

JV: Poltico tem que ter preparo, como o senhor est se preparando para ser prefeito?
Johnny: Sempre gostei muito de ler livros e revistas sobre administraes (Prefeituras) pblicas no Brasil e tambm pelo
mundo. Estou lendo agora duas revistas sobre gestes de prefeitos. Ando e andei por toda a cidade nestes ltimos anos.
Conheo cada rua, cada bairro desta cidade. Ouo muito o cidado no seu bairro, pois acredito que ele que sabe tudo sobre o
seu lugar. Quando tenho oportunidade de viajar, tiro muitas fotos e visito a prefeitura da cidade que estou. Conheo
projetos, idias que um dia poderei aplicar na nossa cidade, caso a populao de Urussanga me der a oportunidade de ser o seu
Prefeito. No ano passado, fiz uma viagem de conhecimento, onde visitei Longarone (Itlia) e fiquei l por quatro dias. Fui
aprender e conhecer a nossa cidade co-irm, os sentimentos das famlias dos nossos antepassados, o Prefeito da cidade
italiana, Roberto Padrin e seu vice Luigino Olivier, para estreitar este relacionamento. Enfim, me preparei a vida inteira,
para um dia, ser o Prefeito desta cidade.

JV: O que o senhor acha que deve ser feito de imediato em Urussanga?
Johnny: Otimizar nosso povo, a nossa gente. Unir foras para desenvolver Urussanga muito mais. Unir e trabalhar de mos dadas
com a Associao Comercial de Urussanga(ACIU), com a Cmara de Dirigentes Lojistas (CDL), e com os presidentes de
associaes de moradores e associaes culturais. Sem esta unio de foras, o prefeito governar isoladamente, sem rumos, sem
estratgias. Acredito na energia positiva da nossa gente. Devemos urgentemente planejar nossa cidade para muitos anos, no
somente para 04 anos. Devemos tambm rever nosso plano diretor, para que ele no seja um desmotivador do desenvolvimento, e
sim uma vitrine para todos que querem investir na nossa terra, respeitando lgico, nossa histria, a cultura e o meio
ambiente.

JV: Quais so as prioridades desta coligao para a cidade?
Johnny: Nosso plano de governo foi criado e est sendo finalizado com as ideias de todas as pessoas que compem nossa
coligao, e o mais importante, ouvindo o cidado no seu Bairro, l na sua comunidade. O PV, PDT, PT e PMDB, que fazem parte
da coligao Muda Urussanga , esto trabalhando muito para inovar, renovar a maneira de fazer poltica em nossa cidade.
Uma das nossas prioridades, ser o desenvolvimento de Urussanga, a sade mais humanizada e gil, estradas boas para todo
cidado, apoio a agricultura, valorizao e divulgao das nossas tradies culturais, deste vale da uva goethe.

JV: Como o senhor analisa o desenvolvimento de Urussanga?
Johnny: Urussanga pode e deve crescer muito mais. O Prefeito tem que ser o motivador, o facilitador deste desenvolvimento.
Ser gil, prtico, atender o empreendedor, motiv-lo, ajud-lo, enfim , ser o agente do desenvolvimento de todo cidado que
chega na prefeitura esperanoso com os seus sonhos, com suas necessidades. Temos que unir foras como j citei em outra
pergunta. Unir o poder pblico, a ACIU, o CDL e administrar com as associaes de moradores. Unir foras preciso,
fundamental para dinamizar nossa cidade.

JV: O senhor vem com a bandeira da mudana. Por que mudar e qual ser o diferencial da coligao para propor a mudana no
municpio?
Johnny: Mudar o jeito de fazer poltica, mudar a forma de governar. Mudar na forma de agir com a cidade e com o cidado.
Novas posturas, atitudes modernas. Mudar a forma de pensar e planejar Urussanga. O Luiz Henrique e eu, somos de uma nova
gerao de polticos em nossa cidade. Representamos a motivao, a juventude, o dinamismo. Somos de uma gerao da
tecnologia, da internet, do mundo mais rpido e mais perto de ns. E esta rapidez queremos colocar na nova maneira de
administrar a cidade. Vamos voltar a atender o cidado na Prefeitura, ouvir seus sonhos, suas necessidades. Queremos e vamos
colocar todas as contas da administrao, no portal da transparncia, iremos inovar nas licitaes com o prego eletrnico,
fazer o oramento participativo, ou seja, a comunidade elege as prioridades do seu Bairro. Criar um 0800 onde a populao
possa reivindicar, assim agilizando a soluo dos seus problemas. Um olhar para frente para preparar um futuro melhor para
Urussanga.

JV: Qual dever ser a principal bandeira desta coligao?
Johnny: Nossa bandeira ter trs pilares fundamentais: Urussanga Empreendedora; Urussanga Qualidade de Vida e Urussanga
Educadora.

JV: O que dever fazer para potencializar o desenvolvimento industrial?
Johnny: Administrar juntos com a ACIU e a CDL, ouvindo e resolvendo suas reivindicaes. Criar a secretaria do meio ambiente,
para agilizar, motivar a implantao de novas indstrias, surgimento de novos empreendedores, e lgico, fortalecer cada vez
mais as nossas empresas j existentes. Resolver de uma vez por todas o parque industrial. Agilizar, resolver e apoiar de uma
maneira clara e transparente nossos empresrios que querem e necessitam ampliar seus negcios. Resumindo, atender o
empreendedor.

JV: Consideraes finais.
Johnny: Agradecer o espao concedido deste conceituado jornal para falar um pouco de nossas propostas, de nossas ideias para
o desenvolvimento de Urussanga. Nossa coligao chama-se Muda Urussanga composta pelos partidos PV , PDT , PT E PMDB .
Estamos nas ruas divulgando nossas propostas de trabalho com 33 candidatos a vereadores. O Luiz Henrique e eu, nos
preparamos muito para poder governar nossa cidade, e por isso com muita humildade pedimos o seu voto para um novo jeito
de fazer poltica , para um novo tempo. Agradecemos o carinho de todas as pessoas que esto nos recebendo em suas casas, as
mensagens de apoio, de motivao, e claro a Deus, por nos dar fora, energia para caminhar em busca de um objetivo, que o
de contribuir com o desenvolvimento de nossa cidade, de poder atender a cada cidado que reside nesta terra maravilhosa.

Cuca quer representar a juventude

JV: Por que e para que o senhor deseja ser vice-prefeito de Urussanga?
Cuca: Desejo ser Vice-Prefeito para trabalhar muito, ser diferente, ou seja, cumprir horrio, trabalhar como o Prefeito, e
no apenas ser um vice que vai continuar na sua atividade profissional diria, receber apenas o salrio de vice, e substituir
de vez em quando o Prefeito. Quero ajudar muito a cidade, atravs do bom relacionamento que temos em Braslia/DF, com
assessores da Presidenta Dilma, Deputados , e favorecer o mximo possvel a nossa cidade com recursos que venham melhorar a
qualidade de vida dos urussanguenses.

JV : O vice ter papel importante nesta coligao? De que forma?
Cuca: Sim, o Vice ter papel importante nesta coligao e na administrao. A nossa importncia est baseada na experincia
que j tivemos como candidato, do conhecimento que adquiri andando por todas comunidades, ouvindo as pessoas. E como Vice,
juntamente com o Prefeito Johnny, representamos a juventude, a mudana no jeito de fazer poltica, com novas posturas, novas
ideias e muita motivao, pensando sempre com a cabea aberta, pra frente, aproveitando a energia positiva que est dentro de
ns.
JV: O senhor acompanhar todas as aes encabeadas pela Administrao?
Cuca: Esta uma solicitao e exigncia do Johnny! Ele quer e exige um vice-prefeito e secretrios participativos, que
saibam de todas as aes que a administrao estar tomando. Nas conversas reservadas que tenho com o Prefeito Johnny, sempre
estamos pensado na cidade, de que forma podemos realizar nossos sonhos e principalmente realizar os sonhos de cada cidado,
de cada comunidade, de cada Bairro. E confesso que pensamos muito parecido. Queremos uma cidade limpa, bem cuidada, segura,
que oferea qualidade de vida a populao, para que o visitante saia de Urussanga/SC, e diga que aqui os governantes cuidam
do Municpio como fosse sua casa, e que ns urussanguenses possamos sentir orgulho da nossa cidade.
JV: O senhor um candidato jovem, como dever ser a relao com os jovens do municpio?
Cuca: A juventude precisa de oportunidade, e de muita ocupao, para formarmos bons cidados no futuro. E com certeza tudo
passa pela educao. No apenas a educao escolar, mas a familiar. Mas ns polticos temos que oferecer aos jovens espaos
para a prtica de esportes, de lazer, e ser parceiros das escolas pblicas e particulares, dando todo o apoio necessrio. O
Complexo Esportivo ao lado da rodoviria um exemplo, estava no nosso plano de Governo na eleio passada, e atravs de
uma emenda do Deputado Federal Claudio Vignatti PT, foi possvel realizao de um sonho, que um carto postal da
nossa cidade.

Candidatos se preparam para primeiro debate eleitoral na rdio

Os candidatos Prefeitura de Urussanga, Geraldo Fornasa (PP) e Johnny Felippe (PMDB) dedicam suas agendas nesta quinta-feira
(19) para se prepararem para o primeiro debate eleitoral na rdio, que ser realizado pela Marconi, nesta sexta-feira (20),
das 8h s 10h, no Centro Comunitrio da Matriz de Urussanga.
O debate ter cinco blocos que sero divididos em apresentao, candidato pergunta para candidato e consideraes finais. O
intervalo ser de cinco minutos. A ordem de participao foi feita por meio de sorteio, realizado na ltima segunda-feira. O
PP abrir o primeiro bloco e seguir iniciando os debates no 3, 4 e 5 blocos. O PMDB iniciar apenas no 2 bloco. O
acesso ao estdio ser permitido apenas para o candidato e seu assessor.
Segundo o candidato Johnny a conduta do debate no ser polemizar, ser um debate de propostas. Esse um momento da
comunidade conhecer o que ns pensamos para o presente e futuro da cidade. uma oportunidade para ns entrarmos nas casas,
empresas para que o eleitor possa sentir o que h de novo para apresentar, destaca.
Fornasa ressaltou que ser um momento oportuno e tranqilo para apresentar as propostas. um momento em que a gente tem que
prestar contas e esclarecer para a populao o que cada um de ns pensa. Encontro importante para a comunidade conhecer o
equilbrio de cada candidato, afirma.
O segundo debate est marcado para o dia 17 de agosto e o terceiro e ltimo para o dia 04 de outubro.

Regras para o debate

No dia do debate, as coligaes tero direito a indicar duas pessoas para ficarem no estdio durante o debate, ou seja, o
candidato e mais um membro, que ficar a cargo da coligao.
– As coligaes tero direito, ainda, de indicar at cinco pessoas para acompanharem o debate, pela rdio, em uma sala
pr-determinada nas dependncias do Centro Comunitrio da Igreja Matriz.
– Na ausncia de um dos candidatos, o tempo ser preenchido, rigorosamente, com o tempo estimado de cada bloco, ou seja, 5
minutos (1 bloco), 9 minutos (2, 3 e 4 blocos) e 5 minutos (5 bloco). Sendo assim, o debate ser transformado em
entrevista, com o candidato presente.
– O direito de resposta ter validade apenas no 2, 3 e 4 blocos, sempre aps a trplica. Para uma melhor avaliao, a
produo do debate usar o intervalo comercial para decidir se h ou no direito do pedido solicitado. Caso haja, o direito
de resposta seria feito no bloco seguinte do debate.
– O direito de resposta, nos blocos j citados, ser permitido, de forma igualitria, para os dois candidatos.
– No haver direito de resposta nos 1 e 5 blocos.
– Caso os candidatos citem, um ao outro, ofensivamente, durante o direito de resposta, um novo pedido de direito de
resposta no ser concedido.
– Os candidatos e assessores esto proibidos de utilizar, durante o debate, celular, notebook ou qualquer recurso de
comunicao externa.
– A imprensa s ter acesso ao estdio antes e depois da realizao do debate, e nos intervalos comerciais. Est proibida a
circulao de pessoas, no estdio, durante o debate eleitoral.

Baffone

Debate
O primeiro debate entre os candidatos prefeitura de Urussanga dever ser marcado pela tranquilidade e com destaque para as
propostas. Pelo menos foi o que eles garantiram. Ambos se preparam desde o incio da semana, inclusive com reservas de
perguntas diferenciadas, caso o duelo esquentar e tomar outras propores. Portanto, convido voc, leitor do Baffone, a ficar
sintonizado na rdio Marconi, s 8h, nesta sexta-feira e ouvir atentamente as propostas. muito importante que a populao
saiba diferenciar os candidatos e votar consciente.

Preparao

Os candidatos a vereador pela coligao Muda Urussanga, formada pelos partidos PMDB, PT, PDT e PV, participaram de uma
palestra motivacional com o professor Jairo Martins, no ltimo sbado. Dos 33 candidatos a vereador pela coligao, 22
estiveram presentes na palestra. A novidade serviu para encontro dos candidatos, motivao para a corrida eleitoral e tambm
para descontrao. J a majoritria, Johnny e Cuca, segue fazendo o corpo a corpo com visitas nas empresas, comrcio, festas
no interior, eventos esportivos, Rodada de Negcios da Aciu Jovem, entre outros. Maratona que est apenas comeando.

Campanha

O candidato do PP tambm aproveitou para intensificar o trabalho de corpo a corpo junto aos eleitores. Acompanhado por uma
comitiva formada pelo mdico, Arnon Teixeira (PSDB), candidato a vice, apoiadores e candidatos a vereador, Fornasa percorreu
os principais eventos realizados na cidade. Estiveram na praa Central, nas festas nos bairros Santa Luzia, Linha Rio Maior
e De Villa, Festa Julina no Centro Comunitrio, na Rodada de Negcios da Aciu Jovem, entre outros.

Revitalizao
Os municpios que pertencem rea de abrangncia da Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR) de Cricima sero
beneficiados com mais de R$ 20,4 milhes a serem utilizados para revitalizao de 120,3 quilmetros de rodovias. Estradas
que ficaram muito tempo sem receber melhorias e acabam dificultando o trnsito de pedestres, ciclistas, que no possuem
acostamento, entre outros. As aes sero gerenciadas pelo programa Pacto por Santa Catarina, assinado e lanado na ltima
tera-feira pelo Governador. Das aplicaes em infraestrutura, Urussanga ser contemplada com a revitalizao do trecho que
compreende a SC-445 entre Morro da Fumaa e Urussanga. J era hora.

Do leitor
Uma leitora indignada com a falta de ateno a sua solicitao, desabafou: Faz quase um ms que venho solicitando o conserto
de uma lmpada da minha rua com a Garagem da Prefeitura. Fui atendida via telefone e fiz algumas solicitaes, a ltima
ligao faz uns dois dias. At agora no obtive nenhum resultado, mas tive que pagar R$ 5,10 de iluminao pblica sem dispor
do servio. Ou vocs consertam at o fim de semana, ou eu vou entrar no Procon, porque no quero mais pagar por um servio
que no esteja usando. Fora meus vizinhos. Dem um jeito urgente nisso por favor!. Recado dado da moradora do bairro Bom
Jesus, rua Jerusalm.

O vereador Omero De Bona,PP, fez uma indicao, aprovada por unanimidade, e importante para a cidade, na ltima sesso do
Legislativo do semestre. Recebeu, inclusive, os parabns da oposio. Ele solicita que o Plano Diretor seja revisto a cada
cinco anos e no a cada 10, conforme previsto em Lei. Disse que muitas questes precisam de mudanas j. Entre elas est a
situao das construtoras que no podem levantar prdios com mais de seis andares, inserir parte da localidade de Morro da
Lagoa e So Pedro no Plano, anexar reas desmembradas, entre outros. A discusso est levantada. Agora s mexer os
pauzinhos e fazer acontecer.

Falta mdico
Alguns postos de sade do municpio estaro sem mdico por alguns perodos durante o ms de julho. O motivo que a
Secretaria de Sade est cobrindo a escala de rodzio no Pronto Atendimento do Hospital Nossa Senhora da Conceio. A empresa
contratada para o servio no cumpriu com o acordo feito com a direo da instituio. Por essa razo, todas as consultas de
emergncia estaro sendo encaminhadas ao hospital ou para o posto de sade mais prximo. Alm disso, o mdico que atendia no
Rio Amrica pediu demisso. O atendimento voltar ao normal a partir da prxima quinta-feira.

Absurdo

Nosso colunista, Alex Copetti foi surpreendido nesse final de semana. O seu carro ficou sem as rodas na garagem do seu
prprio prdio. Ele conta que chegou em casa s 22h. s 23h30, os vizinhos relatam que o veculo ainda estava com as rodas.
Por volta da meia noite, a polcia parou um carro e fez uma revista. Encontrou quatro pneus com o casal e lajotas. A mulher
disse que as rodas eram de um veculo dela e as lajotas seriam utilizadas no jardim de sua residncia. At o momento da
abordagem nenhum boletim de ocorrncia havia sido registrado e a polcia liberou o casal. Que azar e que sacanagem!

Absurdo 2
Outro fato que chamou a ateno na cidade que os ladres esto cada vez mais profissionais quando o assunto disfarar.
So verdadeiros atores. Essa semana um homem, que queria vender seu automvel, se deparou com um jovem que disse ter a
inteno de adquirir o automvel. Ele chegou na residncia da vtima, papo vai, papo vem, a convenceu de dar uma volta no
carro, apenas para test-lo. Isso era 11 horas da manh. At agora, carro e comprador no foram mais vistos. Ingenuidade e
malandragem em um nico ato. Gente, Urussanga no mais como antigamente. Duvidem e, at, da prpria sombra.

Polmica
A polmica (absurda) na cidade com relao ao banner dos 110 anos da Parquia Nossa Senhora da Conceio de Urussanga. A
questo com relao ao nmero 11, que segundo as ms lnguas, ficou mais evidenciado. Oras bolas, quando achamos que j
vimos e ouvimos de tudo, aparece mais este absurdo. Meus amigos, que no nos deixemos contaminar neste perodo eleitoral.
Neste perodo nem a religio se salva. O mais curioso que a maioria dos que falaram esse absurdo esteve presente nas
festividades de aniversrio da Parquia. No para prestigiar o evento, mas para angariar votos, promover passeata eleitoral,
sesso aperto de mos e fazer comentrios maldosos a um simples banner. A polmica voltar daqui a 20 anos (130 anos) e
daqui 40 anos (150 anos). J para chegar aos 450 anos da parquia vai demorar um pouco mais! Quem viver, ver! Essas so as
sbias palavras do Jornalista Enio Biz. Espero que esse assunto esteja morto e enterrado de vez.

Rodada de negcios
Segunda rodada de negcios da Aciu Jovem marcou mais um sucesso. Empresas de Cricima e Urussanga participaram. O evento foi
inclusive prestigiado pelos candidatos a prefeito e seus vices. Dois deles acompanharam tudo desde o incio. Em sntese,
todos aproveitaram para se aproximar da ala jovem empresria.

Rapidinhas
– A reunio mais rpida do Legislativo aconteceu na ltima tera-feira. Foi vapt, vupt.
– Ponte da Estao, prximo a igreja, est interditada segundo moradores. De novo.
– A indicao sobre o Plano Diretor vai abrir a discusso para a reviso do plano. necessrio que se faa uma reviso.
Estamos dando o pontap inicial para que se faa a reviso, disse o vereador Edson Manoel.
– O Plano Diretor foi construdo com audincias pblicas. Foi o povo que fez. Se tem que fazer a reviso porque algo no
saiu de encontro, ressaltou o vereador Edson Manoel.
– O Plano Diretor engessou Urussanga. Eu sempre bati nisso, dei a cara para bater, enquanto outros se esconderam, disse
Tita, Presidente do Legislativo.
– Frase do Alemo: Engessaram o Plano Diretor e agora querem tirar o gesso.
– PMDB props debate para vices na rdio Marconi.
– O melhor das dcadas de 60, 70 e 80 ser na 2 edio do Remember Night. O evento acontece no dia 11 de agosto, a partir
das 22h30, no Centro comunitrio da Matriz. Coloque na agenda e prepare-se. Ser imperdvel.
– Fornasa ganhou um apelido carinhoso do seu eleitorado. Muitos esto o chamando de Ge, Ge. Pode?
– Um dos principais crimes que influenciam na sensao de insegurana da populao, o assalto (roubo) registrou aumento
oficial de 3,03% no primeiro semestre de 2012 em relao ao mesmo perodo de 2011, em SC. Foram 197 ocorrncias a mais neste
ano do que no mesmo perodo do passado. A mdia ainda preocupante: uma ocorrncia a cada 45 minutos. Tambm houve redues,
o que aponta melhora no quadro da violncia. Homicdios tiveram baixa de 8,84%; furto diminuiu 5,4%, e latrocnio caiu 6,06%.
– Devido ao sucesso da primeira edio da Feijoada da Rosa, o Marias e Rosa Ristorante Caff vai preparar mais uma edio que
ser no dia 28, sbado. O restaurante estar recebendo os clientes e amigos a partir das onze horas de sbado, dia 28,
oferecendo para degustao o caldinho de feijo ao som do trio Vocalise Acstico, com os talentosos artistas Chico Fontana,
Harlley Mazzucco e Marlon Nowasck. s reservar.
– Estado abre processo seletivo para professores ACTs. Inscries at 6 de agosto.
– E no esqueam: sbado dia de solidariedade. Ento participem do Caf Colonial do Hospital Nossa Senhora da Conceio
neste sbado, s 16h. Ingressos a venda na instituio a R$ 15,00. Participe e ajude nesta ao em prol do hospital.

Cocal sai na frente e De Villa ter que vencer por dois gols para conquistar o ttulo neste domingo

Cocal do Sul E.C. e C.A. De Villa chegaram a finalssima com o mesmo retrospecto: venceram cinco jogos e empataram somente
um. No ltimo domingo, a equipe de Cocal do Sul acabou levando a melhor no primeiro jogo da grande final da Taa Construtora
Folchini, campeonato intermunicipal, promovido pela Liga Urussanguense de Desportos. Venceu pelo placar de 2 x 0, com gols
de Grafite e Testa. Agora resta ao De Villa vencer por dois gols de diferena para chegar ao ttulo. J a equipe de Cocal
poder perder por at um gol que alcanar o tetracampeonato da LUD. A partida decisiva acontece neste domingo do Estdio
Jlio De Villa, em Urussanga, a partir das 15h. Vale ressaltar que tanto Cocal do Sul como De Villa j esto confirmados na
Copa Sul dos Campees em 2013. A Liga convida todos os dirigentes, autoridades e torcedores para prestigiar o evento.
Estamos com uma boa expectativa com relao ao jogo. O primeiro foi muito bom e bastante movimentado. Agora, precisando de
uma vitria, o De Villa deve partir para cima, o que garantia de uma boa partida. Os torcedores de Cocal e tambm da equipe
de Urusanga j esto se movimentando e isso garante a presena de um bom pblico na deciso, relata o presidente da Liga,
Geraldo Antnio de Souza.
Logo aps o jogo acontecer a entrega das premiaes equipe campeo, vice, artilheiro e goleiro menos vazado.

Mais de cem quilos de alimentos so arrecadados em jogo beneficente

Na ltima segunda feira, 16 de julho ocorreu o II Jogo Beneficente dos Ex-Atletas do Anjos do Futsal. A partida aconteceu no
ginsio de esportes Centenrio O evento festivo teve como objetivo a arrecadao de alimentos para as entidades de Urussanga.
Estiveram presentes os atletas Lucas de Oliveira atualmente jogando no Katar, Anderson Monteiro, Diego Burato e Diogo
Colombo atualmente jogando na Itlia, Joo Batista e Rudmar Venncio (Xapolim) atualmente jogando no futsal do Ir.
O jogo ocorreu contra uma seleo formada por atletas de Urussanga O encontro serviu para rever os ex-atletas do projeto e
com isso conseguimos atravs de doaes ajudar algumas entidades do municpio comenta o coordenador do projeto Jean Reis.
Para o diretor de esportes de Urussanga Thiago Mutini, Essa partida promovida pelo projeto Anjos do Futsal serve como
espelho para que nossos alunos acreditem no seu sonho e se tornem atletas profissionais.
Ao todo, foram arrecadados 120 quilos de alimentos.

Reunio d incio a preparao dos produtores para garantir o Selo de Indicao de Procedncia

Uma reunio realizada no dia 11 de julho, na Central de Informaes Tursticas de Urussanga deu incio as atividades do
convnio entre a Prefeitura Municipal e o Ministrio da Agricultura, Pecuria e Abastecimento. Este convnio tem por objetivo
preparar os produtores de uva e vinho Goethe da regio e garantir a certificao de seus produtos com selo IP Indicao de
Procedncia. Esta certificao foi deferida pelo INPI reconhecendo a tipicidade desta uva para a regio e sua importncia
cultural e potencial econmico.
A reunio contou com a participao de agrnomos e pesquisadores da Estao Experimental da EPAGRI de Urussanga, membros da
Associao de Produtores da Uva e vinho Goethe/ProGoethe e do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural. Bilogos e
gestores ambientais do Instituto TOTUM que venceram a licitao para desenvolver este projeto validaram o cronograma de
trabalho que se iniciou a partir deste primeiro encontro. As aes a serem desenvolvidas pelos consultores junto aos
produtores tero a durao de 13 meses, se encerrando em dezembro de 2013 e abrangem:
1 – Montagem e validao do Manual Prtico de Rastreabilidade para a uva e o vinho Goethe e consequentemente o Sistema
Digital para formar um banco de dados atualizado do processo;
2 – Formao e acompanhamento do funcionamento do Conselho Regulador durante duas safras;
3 – Organizao e execuo da capacitao dos Produtores de uva e vinho para operacionalizao das Tcnicas de
Rastreabilidade para cada Safra de Uva e Vinho Goethe;
4 – Elaborao e acompanhamento dos Contratos de Controle Interno e da Planilha de Custos do processo conforme tipo e volume
de produtos;
5 – Desenvolvimento e Implantao de aes de comunicao com o mercado consumidor dos produtos como selo de Indicao de
Procedncia Vales da Uva Goethe.

ABRUZZO

Na perna da Itlia, a regio de Abruzzo, que est atrs do joelho, muito montanhosa, com morros deslizando em direo
ao mar. Enquanto muitos produtores italianos parecem acreditar que a fragmentao num sistema DOC geralmente aumenta o preo
dos vinhos, em Abruzzo, at recentemente, havia apenas duas: Montepulciano dAbruzzo DOC para tintos e Trebbiano dAbruzzo
DOC para brancos.
A uva Montepulciano cheia de cor, com moderada acidez e, nos seus melhores vinhos, muito tnica. Entretanto, a maioria dos
vinhos feito em vincolas cooperativas, seguindo a maneira de se fazer vinhos fceis de beber, resultando em vinhos
simples. (Nota: a uva Montepulciano que cresce em Abruzzo no deve ser confundida com a cidade da Toscana Montepulciano, que
faz vinhos da uva Sangiovese). Uma nova rea da regio foi premiada e, recentemente, foi criada a Montepulciano dAbruzzo
Colline Termane.

SARDEGNA

Principal ilha italiana do Mediterrneo, nela o vinho nunca teve papel fundamental nem na cultura, nem na agricultura, muito
embora tenha-se notcias de plantaes em meados do sculo XX.
Os tintos sardenhos eram um dia fermentados com o objetivo claro de deixar um residual de acar no vinho. Vinhos tintos
doces como o AngheluRuju de Sella& Mosca continuam essa tradio e at hoje muitos dos melhores vinhos, feitos com uvas
Moscato, Malvasia e a VernacciadiOristano.
A primeira DOCG da regio foi a VermentinodiGallura. Fica no nordeste da ilha, no interior da famosa Costa Smeralda, onde o
clima deixa a uva Vermentino muito intensa, razo pela qual se formou a DOCG.
O vinho tinto DOC mais famoso da regio o CarignanodelSulcis, produzido no sudoeste da ilha como produto das muito antigas
vinhas baixas Carignan. Dizem que este o territrio mais promissor para a Carignan!
Abbraccio e salute!!

C.E.I Amor Inocente realiza Noite Cultural

O Centro de Educao Infantil Amor Inocente do bairro de Rio Amrica Alto, realizou a NOITE CULTURAL. O evento mostrou aos
visitantes apresentaes e exposies produzidas a partir dos trabalhos significativos desenvolvidos no Cei.
Segundo a diretora Morgana Cittadin Jacintho, a instituio atende 65 crianas e o objetivo foi proporcionar momentos de
interao com toda comunidade escolar.
A direo agradece a presena de todos aqueles que realizaram e prestigiaram o evento.

Jovens cientistas de Urussanga so destaque durante o 15 SITC

A qualidade e o resultado dos trabalhos desenvolvidos pelos alunos dos cursos tcnicos em cermica e eletromecnica do
Colgio Maximiliano Gaidzinski, de Cocal do Sul, foi o ponto alto do 15 Seminrio de Iniciao Cientfica. Empresrios,
tcnicos, estudantes e visitantes conheceram de perto as 22 pesquisas relacionadas com a aplicao dos contedos em sala de
aula. Um espao que debateu e buscou conhecimento tecnolgico e respostas para as necessidades e problemas industriais
ligados a esses setores.
O evento foi aberto pelo diretor da Inova@SC, Luis Antnio Alves de Oliveira com foco na Inovao Tecnolgica. Durante o
encontro ele motivou os jovens para continuarem o desenvolvimento dos trabalhos de pesquisa a fim de contribuir com o
desenvolvimento de novos processos e produtos. Tem que acreditar nas idias com persistncia e dedicao. Ns estamos
vivendo em um momento positivo na rea do desenvolvimento de novos talentos e tecnologias. Essa uma oportunidade para que
os estudantes possam ir em direo ao topo da pirmide, pois no h inovao sem mudana, afirmou Oliveira.

Aluno de Urussanga apresenta vantagens econmicas do Sistema de Cogerao de Energia para as empresas

Os alunos Antoni Pilon, Gillian da Luz, Logan Pillon Dias, Thas Marques Madera, Willian Rampinelli de Souza e Talles
Anfredo Cittadin do curso tcnico de eletromecnica do Colgio Maximiliano Gaidzinski mostraram resultados positivos quando o
assunto economia de energia nas indstrias. Nos ltimos quatro meses, os jovens cientistas pesquisaram na teoria e na
prtica as vantagens da implantao do sistema de cogerao de energia na indstria.
A cogerao de energia tem capacidade de gerar dois tipos de energia, trmica e eltrica, por meio de uma nica fonte de
combustvel. Com isso, a empresa gasta menos, pois ela no precisa pegar energia com dois fornecedores, explica o aluno
Logan.
Logan ressalta ainda que alm da economia, o sistema tambm beneficia o meio ambiente. Em uma gerao de energia na
indstria so utilizados apenas 40% do combustvel total, o restante perda. Na cogerao, o sistema pega esse perdido
(calor) e aproveita em at 85%. Ou seja, o calor que iria para o meio ambiente aproveitado, ao contrrio do que feito
hoje, detalha.
Apesar das vantagens, as empresas tm dificuldades para implantar o sistema por causa do alto custo na regio. A implantao
ainda muito cara, mas a longo prazo a economia paga o investimento. Na regio apenas a Tractebel de Lages utiliza a
cogerao de energia que muito comum nas empresas da Espanha, por exemplo, finaliza Thas.

Estudantes desenvolvem trabalho de pesquisa utilizando resduos para a fabricao de porcelanato

Ter um produto de alta qualidade utilizando resduos. Esse foi o objetivo do trabalho de pesquisa desenvolvido pelos alunos
Erick Dias Piva, Felipe Alves, Lucas da Rolt e Manoela Custodio. Ele mostrou resultados positivos diante da fabricao do
porcelanato utilizando rejeitos, como vidro, lama (p de mrmore) e cinza de carvo.
Sob orientao do professor Maykon Cargnin, o trabalho conseguiu obter a massa do porcelanato tcnico com as mesmas
caractersticas utilizando 60% de rejeito. O aluno Felipe explica que para se obter esse resultado foram feitas algumas
modificaes no processo. A qualidade do produto mantida. O nico diferencial est na cor. A pea fica mais escura por
causa da cinza de carvo.
Alm da qualidade, a pesquisa tambm mostrou economia no processo e no custo do produto. H uma reduo de consumo de
materiais naturais e do gs natural durante a queima. Alm disso, todo o processo contribui com o meio ambiente, destaca
Lucas.
De acordo com o professor Maykon o trabalho a partir do ano que vem ser aprimorado. Diante dos resultados positivos
apresentados, sentimos a necessidade de ir mais a fundo para melhorar ainda mais a qualidade produto para que ele seja capaz
de ser produzido em uma unidade industrial,

Comunidade conhece funcionamento de pra-raios

O funcionamento do pra-raios tambm foi destaque durante o evento. A pesquisa fez parte do curso tcnico de eletromecnica e
foi desenvolvida pelos alunos Dbora Cristina Sartor, Jhonatan Frasson Mello, Thais Feltrin Cancelier, Thiago Resin Niero e
Odenir Joo Pirola. Os estudantes mostraram para o pblico, na prtica, todas as tcnicas utilizadas para o funcionamento de
pra-raios. Uma maquete foi utilizada para exemplificar o processo e chamou a ateno das pessoas. O estudante de
eletromecnica, Thiago explica que o pra-raios muito comum na sociedade, mas as pessoas no tm o conhecimento tcnico.
Ele feito por meio da oposio das cargas. A nuvem possui carga negativa que ioniza o ar e faz com que ele tenha carga
positiva. O pra-raios atrai essas descargas eltricas atmosfricas para as suas pontas, desviando-os para o solo atravs de
cabos de pequena resistncia eltrica. Para cada tipo de estrutura fsica utilizado um tipo de para-rio, explica.