A difcil convivncia entre ndios e colonos

O colonizador italiano, quando chegou a Urussanga, foi recebido sem hostilidade pelos ndios, os verdadeiros donos da terra. Eles viviam bem, com esprito de comunidade, ajudavam-se mutuamente at que, cinco anos aps a chegada do imigrante, houve uma grande mudana no comportamento indgena. No se sabia a causa dessa transformao. Alguns alegavam que o ndio, ao ver a derrubada da floresta e diminuio no nmero de frutas, caa e pesca, se revoltou. Outros atriburam aos portugueses, que pensavam que os donos da terra deveriam ser escravos. Como eles no aceitavam tal condio, eram sumariamente fuzilados. Outros, ainda, dizem que um colono, sem premeditar, jogou uma pedra para dentro do mato e acertou a cabea de uma ndia (Guaracy), a esposa de Caapora, chefe da tribo e eles resolveram revidaram a morte da ndia.

A primeira vtima dos indgenas foi Giovanni Baldessar, em 10 de fevereiro de 1883, em Rio Deserto. Os irmos Baldessar estavam derrubando rvores quando Giovanni se afastou uns trinta metros para observar uma gigantesca rvore. Ele foi atingido por uma fecha e, dando um grito, caiu por terra. Os irmos correram para socorr-lo e viram Giovanni em uma poa de sangue, levando-o para casa. No suportando tanta dor, o jovem se desesperou e extraiu a flecha que tinha atingido seu fgado. Depois de vinte horas veio a bito, diz o urussanguense Hedi Damian.

Os ndios, temendo uma revanche, se embrenharam na floresta, somente aparecendo vinte dias depois na localidade de Rio Salto. Foi quando a esposa de Caetano de Brida escutou um rumor estranho e, ao olhar pela fresta da janela, viu um bando de indgenas atirando flechas contra a parede e o telhado. A mulher pegou duas filhas maiores e deixou um beb dormindo no ba, correndo para a casa do senhor Giovanni Benedet. Quando os ndios ouviram Benedet gritando com todas as foras dos seus pulmes, pegaram tudo o que podiam e foram embora. O senhor correu ao quarto para pegar a criana, e foi a que a viu jogada no cho, com os olhos para fora da rbita, alega Damian.

Porm, os assassinatos no pararam por a. Em junho do mesmo ano, um membro da famlia Spricigo, do Rio Amrica, foi vtima de uma flecha quando estava cortando rvores e faleceu dentro de poucas horas. Em 24 de abril do ano seguinte (1884), Gicomo Pillon tambm foi atingido por uma flechada, assim como o senhor Antonio Zanelatto, que j tinha uma idade avanada, falecendo pouco tempo depois. Ele foi a quinta vtima da agresso indgena aos imigrantes em pouco mais de um ano. O medo comeou a tomar conta da colnia, ningum saa de casa sem uma arma de fogo. Os momentos mais perigosos eram quando se juntavam para desmatar. Ento, partiam em conjunto de diversas famlias, com um guarda levando um fuzil. Esse martrio durou aproximadamente dois anos.

Os imigrantes resolveram apelar para o Governo, que enviou alguns soldados para a vila. Porm, isso no foi suficiente. Os ataques continuavam acontecendo e o estado de insegurana permanecia na comunidade. Apelaram para as companhias colonizadoras, que fundaram os ncleos de Gro Par, Rios Pinheiros e a colnia de Nova Veneza. Mas as agresses no cessaram e os indgenas ocuparam toda a extenso de terra entre a cidade de Ararangu e Gro Par. Inconformados com o cenrio que se encontrava na regio, os imigrantes formaram alguns grupos, dispostos a acabar com aquela guerra. Expulsaram os ndios das malocas, pegaram arcos, flechas, artefatos e levaram algumas crianas, diz Hedi.

O apelo foi atendido

Nesta altura dos acontecimentos, os imigrantes fizeram mais um apelo ao Governo, para que mandasse a Urussanga um padre missioneiro que tivesse contato com os ndios. No incio do ano de 1885, ento, veio a Urussanga o Reverendo Padre Luiggi Da Semetille, franciscano italiano, acompanhado de cinco crianas indgenas. Em Urussanga ele ficou dois anos, aps passar 18 nas florestas de Paranagu, sendo que nenhum ataque foi registrado na Benedetta durante esse tempo. A permanncia do reverendo findou em 1887, quando os colonos ficaram deriva da prpria sorte, enfrentando aparies e alguns furtos mais esporadicamente, ressalta.

O ltimo assassinato, da briga que parecia no ter mais fim, aconteceu em 24 de outubro de 1902, em Nova Treviso. Depois disso, no se ouviu mais falar em quaisquer tipos de ataques. Padre Semetille foi muito importante no cessar dessa guerra. Ele deixou o legado de que, para amenizar os ataques, era preciso haver uma maior aproximao entre italianos e ndios. Por isso, muitos colonos comearam a adotar crianas indgenas, salienta Damian. Aps sair de Urussanga, o revendo foi encaminhado para outra misso no Amazonas. Porm, quando chegou ao Rio de Janeiro, alegou estar muito cansado. Ou volto para Urussanga, no meio dos meus paroquianos ou quero regressar para a Itlia. E foi isso que aconteceu. O padre, to importante para a colnia de Urussanga na poca da colonizao, voltou para o pas natal, onde permaneceu at o seu falecimento.

Uma ideia sobre “A difcil convivncia entre ndios e colonos

  1. Nossa houve grande emoao ao ler esta historia, pois Caetano de Brida foi meu Bisav.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *