Convnio traz detentos para roar rodovias em Urussanga

Roar de dia, voltar para a cela noite. Esta a rotina de oito detentos do presdio 05Santa Augusta, de Cricima, nos ltimos 20 dias, quando comeou a limpeza do mato nos acostamentos da rodovia Gensio Mazon. Eles fazem parte de um programa estadual de reabilitao de presos, e por convnio entre a Prefeitura de Urussanga e a Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR), trabalham na rodovia em troca da Continuar lendo

Matriz de Urussanga ganha limpeza e pintura

01Depois de limpa, a torre e a Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceio, de Urussanga, vai ser pintada. A ltima vez que a igreja recebeu pintura foi h cinco anos.

A limpeza da torre comeou na quarta-feira, dia 25 de abril. Segundo a parquia, a pintura deve ficar pronta dentro de dois meses. O interior no vai ser restaurado.

Segundo o padre responsvel pela Parquia de Urussanga, Jiovani Manique Barreto, est sendo estudada a possibilidade da torre se transformar em um museu abeto ao pblico.

Poa na Praa

Uma raiz de figueira foi a possvel responsvel pelo vazamento no chafariz da Praa04 Anita Garibaldi. Segundo a secretaria de Obras de Urussanga, a raiz deve ter entrado nos tubos da drenagem, rachando um deles e fazendo com que a gua vazasse e escorresse pela calada. A gua que escorre formou uma lmina verde de limo. De acordo com a secretaria, o vazamento deve ser consertado nos prximos dias.

A nossa opinio pblica 1

Conta uma histria da poltica urussanguense que um prefeito de tempos passados, olhando para o caixa do municpio, pensou em no realizar a festa do vinho. A posio causou alvoroo na equipe de governo, e um de seus integrantes foi designado para fazer uma sondagem junto populao. Na pesquisa constou a seguinte pergunta: o que voc considera mais importante, propiciar melhorias na educao ou trazer grandes shows para a festa do vinho? A maioria esmagadora dos entrevistados escolheu a segunda opo. E assim, mais uma das edies da festividade ocorreu.

Gol contra

E no foi nada tranqila a reunio na cmara de vereadores para tratar do tema asfalato. A comear da conduo dos trabalhos, que num equvoco colocou o prefeito para falar antes de todos a respeito de um assunto to espinhoso. Resultado: Luiz Carlos Zen exps primeiro seu ponto de vista e ficou exposto saraivada de crticas. Para complicar a situao havia no local mais pessoas contrrias pavimentao que favorveis. Algumas delas, inclusive, se excedendo em suas manifestaes. E para fechar com chave de ouro, um dos integrantes da equipe de governo no se conteve, e ingressou na fileira dos descontentes. Um constrangimento que o prefeito, definitivamente, no merecia ser submetido.

Ginsio de Santana

O diretor da Comisso Municipal de Esportes, Romeo Bom Filho (Zinho), procurou Vanguarda para falar sobre a matria Santana: ginsio em pssimas condies. Zinho disse ter ficado sentido com o assunto, pois o ginsio uma herana antiga e desde que foi feito sempre apresentou problemas. Entra prefeito e sai prefeito e Continuar lendo

A nossa opinio pblica 2

Sim, na busca de explicaes para a estagnao de Urussanga preciso ir alm da crtica aos desacertos, s vezes descalabros, das administraes municipais. Boa parcela dessa responsabilidade tambm deve ser atribuda sociedade local, por acompanhar com indiferena e apatia o desenrolar dos fatos. Para no cair na generalizao, importante lembrar das honrosas excees, em respeito aos que lutam como voluntrios pela melhoria da qualidade de vida da comunidade. So heris, pois ainda conseguem seguir remando contra a mar. A dificuldade encontrada na renovao das diretorias da maioria das entidades civis sintoma desta aridez cultural. Em muitos casos, so sempre os mesmos se revezando. Na verdade, se a recuperao do municpio, em qualquer de seus aspectos, depender da mobilizao da comunidade difcil ser otimista.

O limite da cobrana

to preocupante o ambiente na cena poltica urussanguense a ponto do prefeito municipal se sentir na obrigao de justificar publicamente a compra de um novo veculo para a administrao municipal. Um absurdo, pois uma das prerrogativas por ele alcanadas atravs do voto popular justamente a de definir a melhor maneira de aplicar os recursos pblicos. Alm disso, o veculo Vectra aposentado j estava com mais de 250 mil quilmetros rodados, e os elevados custos de manuteno inviabilizavam o seu uso. E no era necessrio entender de mecnica para chegar a essa concluso. Bastava olhar para o automvel para perceber seu desgaste. Mas como o clima do momento atirar em tudo, para todos os lados, a precauo falou mais alto na postura de Luiz Carlos Zen.

Desunio

Essa a palavra que sintetiza o relacionamento entre os partidos do municpio. E no se percebe a mnima abertura de um dilogo que minimize os contrastes e fomente os ideais em comum. condio para vivermos em sociedade aprender a lidar com conflitos de interesses mantendo sempre como objetivo maior a preservao do bem comum, mas as siglas do municpio ainda no aprenderam essa lio. H, inclusive, algumas maneiras bem conhecidas que podem ser adotadas. Uma delas ressalta a necessidade de primeiramente definir os pontos de consenso, e s aps discutir as divergncias. J pensou, caro leitor, azuis, vermelhos e integrantes de outras cores debatendo civilizadamente para alcanar ao menos a primeira etapa destra tcnica de conciliao? Seria sonhar demais?